O que há de Novo?
  • Novo tema VIP está disponível
    Visitante, um novo tema com fundo escuro agora está disponível para aqueles que contribuíram com doações ao fórum e têm o status VIP. Veja os detalhes aqui.


A escola gaúcha está destruindo o futebol brasileiro

Don Toreno

Bam-bam-bam
Mensagens
3.297
Reações
4.095
Pontos
303
Depois do pentacampeonato de Felipão em 2002, somente Parreira quebrou o monopólio gaúcho no comando da seleção brasileira, indo a copa de 2006. De lá pra cá, completamos 13 anos de domínio gaúcho no comando da seleção e acompanhamos, simultaneamente ao crescimento dessa escola, uma transformação no futebol brasileiro como um todo. Apesar de vencedor e copeiro – motivo da dominação gaúcha no cenário brasileiro – principalmente em nomes como Felipão, Mano Menezes e Tite, sendo Renato Gaúcho a exceção, praticando um futebol diferente do tradicional gaúcho. Observamos, de forma majoritária, o futebol praticado se tornar burocrático, resultadista e pragmático, pautado na imposição física, no foco defensivo e na exploração do erro do adversário, uma espécie de subversão da cultura futebolística brasileira que sempre se destacou mundo afora pela ofensividade, habilidade e criatividade com a bola.
Como Mauro Cezar falou recentemente na Rádio Bandeirantes: "Somos, hoje, o país do futebol onde a máxima é detestar a bola."



Vou deixar dois textos para complementar este tópico de reflexão:

"Durante as duas últimas décadas os técnicos brasileiros começaram a “copiar” muita coisa que acontecia no futebol europeu, como táticas e estratégias de jogo, quando quem deveria se basear em algo de lá eram nossos cartolas e dirigentes, buscando organização e seriedade. O futebol brasileiro mudou, infelizmente, pra pior. Jogos da seleção e dos clubes, famosos pelo seu futebol alegre e irreverente, que buscava sempre a vitória, o gol e dava gosto de ver ficaram chatos e pragmáticos, onde o objetivo é apenas não perder e não deixa o torcedor nem um pouquinho animado!

Curiosamente, nesta época começou a crescer ainda mais uma tradicional escola de treinadores, a escola gaúcha. Citarei aqui apenas os quatro mais famosos, mas existem muitos outros espalhados pelos maiores times do futebol nacional. Luís Felipe Scolari, Mano Menezes, Dunga e Tite são alguns dos treinadores mais badalados ultimamente. Felipão era o comandante do penta em 2002, Dunga foi o capitão do tetra e assumiu a seleção após a copa de 2006, Mano, após bons trabalhos em Grêmio e Corinthians, assumiu a seleção após queda de Dunga e Tite, treinador do Corinthians nos títulos da Libertadores e Mundial em 2012, é o mais cotado para assumir o comando da amarelinha no futuro. Não se pode negar que são técnicos vitoriosos e que ganharam títulos por onde passaram, mas o ponto em discussão é o estilo de jogo dos quatro conterrâneos. A mentalidade defensiva e medo de perder são facilmente observados tanto em jogos contra gigantes como contra os pequenos. Existe uma diferença enorme entre jogar para vencer e jogar para não perder. Quando se entra em campo com a cabeça na vitória o medo não existe, o time vai pra cima porque quer ganhar. Quando o treinador prefere não perder do que ganhar, ou seja, achando que o empate já está ótimo, o time joga o suficiente para segurar aquele 1×0 sem graça que não empolga nem o torcedor mais alegre do mundo.

Também existem mais semelhanças entre estes técnicos. Dificilmente surgem as famosas apostas da base ou garotos que mostram qualidade. Os que jogam são sempre os mesmos, os que aceitam e se adaptam ao seu estilo de jogo. Seus esquemas táticos são todos iguais, a distribuição em campo é a mesma e parece que em todas as entrevistas que dão, independente das perguntas, respondem todos a mesma coisa. O futebol brasileiro caminha a passos largos a um declínio maior ainda considerando o que está acontecendo hoje em dia e é difícil ter esperança de ver este jogo virar tão cedo, pois virar jogos com a mentalidade de derrota que cerca e comanda nosso futebol atualmente é quase impossível!" (https://www.torcedores.com/noticias/2015/06/a-escola-gaucha-e-o-futebol-brasileiro)

"Eles dominam o futebol brasileiro, há décadas.
Citarei alguns, sem recorrer ao Google, com a certeza que faltará algum na lista:
Osvaldo Brandão, Enio Andrade, Carpegiani, Felipão, Celso Roth, Rubens Minelli, Dunga, Mano Menezes, Tite, Renato Gaúcho, Valdir Espinosa, Bonamigo, Cuca, Caio Junior. Só pra citar “alguns”.
Deve ter faltado algum nome na lista. Mas eles estão presentes há anos, dirigindo as principais equipes do futebol brasileiro e principalmente, a seleção.
Amanhã, será confirmada a volta de Dunga, ao comando técnico da seleção brasileira.
Ocupará o lugar de um gaúcho, que ocupou o lugar de um outro gaúcho, que ocupou o lugar do mesmo gaúcho que amanhã será confirmado como novo comandante técnico da esquadra brasileira.
Sem medo de errar atesto: a escola gaúcha de treinadores, por mais vencedora que possa ter sido e alguns, até vencendo, é responsável pelas profundas mudanças (negativas) no futebol brasileiro e chegamos ao ápice neste momento.
O futebol brasileiro, marcado pelo gingado, habilidade, “futebol-arte”, ao longo do tempo se tornou defensivista, priorizando a forte marcação e transformando jogadores em gladiadores.
Canelas duras, fortes, sem mobilidade, o futebol ficou restrito ao meio de campo e defesa.
Criatividade foi substituída pela estratégia defensivista.
O gingado, pela força física.
E hoje, o melhor futebol do mundo (será?) tem apenas um nome de destaque mundial, Neymar.
Neymar. E olhe lá!
O pragmatismo, o “acertar primeiro a defesa, depois o ataque”, a busca pelos resultados em curto espaço de tempo, enterraram o futebol brasileiro nesta onda.
A curto prazo, é legal, é muito bom ver nossos times conquistando campeonatos. Com Mano e Tite conquistamos vários campeonatos, chegamos ao topo da América e do Mundo.
Mas a longo prazo, pensando de forma macro, no futebol brasileiro, o resultado está ai.
Humilhados na Copa do Mundo, futuro incerto e pela primeira vez, em tantos anos, já não temos tanta certeza se chegaremos na próxima copa do mundo.
Questão pra se pensar. (https://blogdosilvinho.wordpress.com/2014/07/21/a-escola-gaucha-de-treinadores-domina-o-cenario-e-esta-acabando-com-o-futebol-brasileiro/)
 


tortinhas10

É Nintendo ou nada!
Mensagens
82.092
Reações
175.560
Pontos
979
Priorizam porque ganham títulos, uai. Tem que agradecer os caras. Felipão deu várias alegrias aos times brasileiros que comandou e também a nação brasileira.

Tirando o Ferguson, nenhum técnico fica a vida toda em um clube, nem os que jogam para frente. Ficam enquanto ganham.

Eu prefiro o penta do Felipão do que a seleção do telê

Enviado de meu Redmi 5 Plus usando o Tapatalk
 

Don Toreno

Bam-bam-bam
Mensagens
3.297
Reações
4.095
Pontos
303
Priorizam porque ganham títulos, uai. Tem que agradecer os caras. Felipão deu várias alegrias aos times brasileiros que comandou e também a nação brasileira.

Tirando o Ferguson, nenhum técnico fica a vida toda em um clube, nem os que jogam para frente. Ficam enquanto ganham.

Eu prefiro o penta do Felipão do que a seleção do telê

Enviado de meu Redmi 5 Plus usando o Tapatalk
Sim, ganham. Mas essa mentalidade resultadista, que trouxe um remendo muito mal feito do futebol europeu, está sendo um dos fatores do declínio da nossa qualidade de jogo. Devemos refletir quanto a isso e pensar nas consequências dessa mentalidade, que já estamos sentindo os efeitos, a longo prazo. Você mesmo diz que o futebol está chato por causa dos técnicos que colocam tática acima do futebol, o problema não é os técnicos em si e sim a mentalidade e filosofia de jogo desses técnicos.
 

tortinhas10

É Nintendo ou nada!
Mensagens
82.092
Reações
175.560
Pontos
979
Sim, ganham. Mas essa mentalidade resultadista, que trouxe um remendo muito mal feito do futebol europeu, está sendo um dos fatores do declínio da nossa qualidade de jogo. Devemos refletir quanto a isso e pensar nas consequências dessa mentalidade a longo prazo que já estamos sentindo os efeitos.

Futebol é isso, é resultado. Brasil é penta e os dois últimos títulos foram de escolas retranqueiras. Tem que agradecer.

O brasil não ganha mais nada porque não forma mais craques, mais jogadores com psicológico bom, tem nada a ver com o sistema de jogo. Se o time de 2002 jogasse a próxima copa, seria campeão com o Felipão de novo.

Holanda joga para frente e não ganha absolutamente nada. Argentina joga na retranca e chegou em final de copa do mundo.

Problema do Brasil é outro, tem nada a ver com o estilo de jogo. E futebol é momento, nada é para sempre.
 

Don Toreno

Bam-bam-bam
Mensagens
3.297
Reações
4.095
Pontos
303
Futebol é isso, é resultado. Brasil é penta e os dois últimos títulos foram de escolas retranqueiras. Tem que agradecer.

O brasil não ganha mais nada porque não forma mais craques, mais jogadores com psicológico bom, tem nada a ver com o sistema de jogo. Se o time de 2002 jogasse a próxima copa, seria campeão com o Felipão de novo.

Holanda joga para frente e não ganha absolutamente nada. Argentina joga na retranca e chegou em final de copa do mundo.

Problema do Brasil é outro, tem nada a ver com o estilo de jogo. E futebol é momento, nada é para sempre.
É ingenuidade achar que é apenas um fator como esse o motivo do nosso declínio. É um conjunto de fatores. Quando comparamos os plantéis das seleções homem a homem, o Brasil continua tendo superioridade numérica em qualidade contra praticamente todas, pois o nosso pé de obra ainda é muito bom. Ademais, não estou falando somente da seleção brasileira e sim do futebol brasileiro como um todo.
 

tortinhas10

É Nintendo ou nada!
Mensagens
82.092
Reações
175.560
Pontos
979
É ingenuidade achar que é apenas um fator como esse o motivo do nosso declínio. É um conjunto de fatores. Quando comparamos os plantéis das seleções homem a homem, o Brasil continua tendo superioridade numérica em qualidade contra praticamente todas, pois o nosso pé de obra ainda é muito bom. Ademais, não estou falando somente da seleção brasileira e sim do futebol brasileiro como um todo.

Na Europa só tem dois exemplos, sendo que lá tem 800 clubes. Pegam o real Madrid e o Barcelona para falar como o futebol europeu é superior, sendo que os caras contratam Deus e o mundo.

Se lá fosse tão superior taticamente, eles ganhariam títulos até com os jogadores da base.
 


Boboyo²

Bam-bam-bam
Mensagens
950
Reações
2.099
Pontos
248
Se lá fosse tão superior taticamente, eles ganhariam títulos até com os jogadores da base.
Na verdade os jogadores da base de lá levam ferro direto dos moleques daqui.

Base do Palmeiras, Flamengo, Corinthians, Sao Paulo já ta cansada de bater na base do ManUnited, Real Madrid, Arsenal e etc
 

Boboyo²

Bam-bam-bam
Mensagens
950
Reações
2.099
Pontos
248
Completando:



 

tortinhas10

É Nintendo ou nada!
Mensagens
82.092
Reações
175.560
Pontos
979
Justamente pq a base tb tá contaminada pelo futebol de resultados. A criatividade, improviso do craque, é tolhida em função dum esquema tático. Quem se encaixar melhor no esquema tem mais chance de passar nas peneiras.
Mas isso vale tanto para a retranca quanto para a ofensividade.

Retranca quando traz títulos não é ruim, veja Portugal aí, ganhando títulos que nunca imaginou.


Tem time ofensivo que o técnico quer 2 pontas de tais características.

O problema do futebol atual é que os técnicos ganharam um destaque que estão até maior que os jogadores. Parece que eles que ganham os jogos. E os técnicos não escalam os melhores jogadores, mas sim os jogadores que eles acham que funciona com o esquema deles.


No mais, a copa foi jogada quantas vezes? 25? O Brasil ganhou 5. Não dá para ganhar sempre, demora mesmo. Não é culpa dos técnicos gaúchos
 

GFOLDSCHOOL

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
16.364
Reações
18.138
Pontos
553
Copiamos sim os europeus,mas copiamos tudo errado.
Não é por copiar em si que o futebol daqui caiu de nível,mas porque copiamos só as características das equipes européias,ao invés de copiar a filosofia de jogo,as táticas funcionando na prática e o motivo de cada uma delas existirem,para depois adaptar ao futebol brasileiro criando novas formas de se entender e replicar estratégias no esporte.

Entenderam tudo errado ao pensar que futebol europeu é só físico + retranca e cheque mate ,quando na verdade tinham vários times que tinham defesas sólidas porém tinham ataques e meio de campo muito fortes e criativos.

Jogadores europeus não tinham apenas físico,eles tinham QI pra caralho (Bergkamp,Zidane,Ryan Giggs) e estudavam a sério o esporte,tentavam entender o processo por trás dos jogos,treinavam bastante e isso acabava dando resultado no campo.

Brasileiro tem essa mania chata de querer caminho curto pra conseguir sucesso em qualquer área,então viram que essa "fórmula" poderia dar certo e começaram a replicar ad infinitum ; não é culpa apenas dos treinadores gaúchos.

No mais todos esses aí são treinadores medíocres pra baixo.
São "decentes" para o campeonato brasileiro,mas não dá pra traçar uma comparação com treinadores tipo Alex Ferguson,Mourinho no seu auge,Guardiola no Barça e agora no City,Jurge Klopp no Liverpool e Borussia,Zidane no Real,etc.
Até treinadores mais fracos como o Nuno Espírito Santo do Wolverhampton são muito mais capacitados,entendem mais sobre o jogo e fazem times com elencos limitados jogarem de igual pra igual contra times grandes (na temporada passada o Wolves teve um aproveitamento excelente contra o Big 6 da BPL).
 

ptsousa

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
48.716
Reações
133.986
Pontos
814
EU, pessoalmente, na minha opinião, acho que o declínio dos estaduais junto com os pontos corridos no Brasileirão nutellaram muito o psicológico dos jogadores.

Jogador brasileiro desaprendeu a chamar a responsa na hora da onça beber água.

Último jogador brasileiro que eu vi literalmente colocar um jogo no bolso foi o Sheik contra o Boca naquela final da L.A. E não lembro de outro num futuro recente.


E quando eu falo de jogador decidir, não é somente no quesito técnico mas sim dominar psicologicamente o adversário.
 

tortinhas10

É Nintendo ou nada!
Mensagens
82.092
Reações
175.560
Pontos
979
EU, pessoalmente, na minha opinião, acho que o declínio dos estaduais junto com os pontos corridos no Brasileirão nutellaram muito o psicológico dos jogadores.

Jogador brasileiro desaprendeu a chamar a responsa na hora da onça beber água.

Último jogador brasileiro que eu vi literalmente colocar um jogo no bolso foi o Sheik contra o Boca naquela final da L.A. E não lembro de outro num futuro recente.


E quando eu falo de jogador decidir, não é somente no quesito técnico mas sim dominar psicologicamente o adversário.

O cebolinha é bom.

O que falta ao Brasil é manter a característica que ele sempre teve, jogadores ousados que partem para cima e mudam o jogo. Tem nada a ver com os técnicos .

Neymar foi o último no Brasil a fazer isso
 

ptsousa

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
48.716
Reações
133.986
Pontos
814
O cebolinha é bom.

O que falta ao Brasil é manter a característica que ele sempre teve, jogadores ousados que partem para cima e mudam o jogo. Tem nada a ver com os técnicos .

Neymar foi o último no Brasil a fazer isso
Eu nem falo de qualidade técnica em si, falo de resilência psicológica mesmo

Cebolinha é bom e parte pra cima. Neymar também fez isso no Santos.


Eu me refiro mais a jogos com carga psicológica mesmo, onde o time tá com as costas na parede ou quando precisa de um que lidere. Jogo onde o seu time não é o cachorrão dominante da partida desde o início.


De 2002 pra cá, eu lembro de 2 jogos onde o BR botou a piroca na mesa na hora do vamo ver:

EUA 2x3 Brasil de virada, após tomar 2x0.

Brasil 3x0 Espanha naquela Copa das Confederações.


Aliás, tirando esse jogo dos EUA, eu não lembro do Brasil virar uma partida num jogo grande desde de 2003.


Aí tu pega todas as eliminações do Brasil:

2006 pra Holanda, 2010 pra França, 2014 o 7x1 e agora 2018. Nenhuma dessas derrotas foi num jogo franco onde o time não abaixou a cabeça.

Todas foi o time tendo "apagões psicológicos" após tomar gol.
 

tortinhas10

É Nintendo ou nada!
Mensagens
82.092
Reações
175.560
Pontos
979
Foi jogada 21 vezes.

Até 2002 o Brasil tinha ganho 5 de 17... Nao ficou conhecido como país do futebol à toa.

Sim, mas pensa, são quantos anos aí? Uns 80 e pouco? Brasil ganhou 20 e deixou de ganhar 60. Copa é difícil, não dá para ganhar todo ano. O Brasil não ganha há 4 edições, 16 anos, mas sempre está lá e sempre chega ao menos nas quartas .

o problema é que o Brasil não está mais criando jogadores decisivos, com bolas para decidir jogos, cair para dentro. É muito toque de bola e pouca eficiência .

eu diria que o maior problema foi justamente copiar o futebol europeu, não a culpa dos técnicos gaúchos
 

tortinhas10

É Nintendo ou nada!
Mensagens
82.092
Reações
175.560
Pontos
979
Eu nem falo de qualidade técnica em si, falo de resilência psicológica mesmo

Cebolinha é bom e parte pra cima. Neymar também fez isso no Santos.


Eu me refiro mais a jogos com carga psicológica mesmo, onde o time tá com as costas na parede ou quando precisa de um que lidere. Jogo onde o seu time não é o cachorrão dominante da partida desde o início.


De 2002 pra cá, eu lembro de 2 jogos onde o BR botou a piroca na mesa na hora do vamo ver:

EUA 2x3 Brasil de virada, após tomar 2x0.

Brasil 3x0 Espanha naquela Copa das Confederações.


Aliás, tirando esse jogo dos EUA, eu não lembro do Brasil virar uma partida num jogo grande desde de 2003.


Aí tu pega todas as eliminações do Brasil:

2006 pra Holanda, 2010 pra França, 2014 o 7x1 e agora 2018. Nenhuma dessas derrotas foi num jogo franco onde o time não abaixou a cabeça.

Todas foi o time tendo "apagões psicológicos" após tomar gol.

Contra a Bélgica o time jogou bem, deu um pouco de azar, duas bolas ali no finalzinho quase entraram.

E como lembrado, o técnico gaúcho deu um pau na Espanha na final da copa América
 

ptsousa

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
48.716
Reações
133.986
Pontos
814
Contra a Bélgica o time jogou bem, deu um pouco de azar, duas bolas ali no finalzinho quase entraram.

E como lembrado, o técnico gaúcho deu um pau na Espanha na final da copa América
Contra a Espanha, eu acho que foi mais o sangue nozóio dos BRs (jogadores + técnico) por conta de todo o falatório dos espanhois e, naquela época, estavam martelando forte os técnicos BRs, que devia ser um estrangeiro e etc.

Ali os caras jogaram pela honra. Só lembro do Júlio César falando que "para se declarar o melhor time do mundo, precisa ganhar do Brasil".


Contra a Bélgica, o time sentiu bastante o gol e a Belgica tinha o jogo controlado. Claro que às vezes no desespero aparece uma bola ou outra mas o Brasil não colocou a cabeça no lugar e pressionou consistentemente.


Tirando esses dois jogos que eu falei, o Brasil é um quando não toma gol e outro quando toma gol. Time desaba mentalmente.
 

Boboyo²

Bam-bam-bam
Mensagens
950
Reações
2.099
Pontos
248
Contra a Bélgica, o time sentiu bastante o gol e a Belgica tinha o jogo controlado. Claro que às vezes no desespero aparece uma bola ou outra mas o Brasil não colocou a cabeça no lugar e pressionou consistentemente.
Discordo totalmente. Vc deve ter visto outro jogo, assim como grande parte dos brasileiros.

Belgica tinha a partida controlada ate o final do primeiro tempo. No segundo tempo o Brasil engoliu a Belgica, foi uma pressao da porra do início ao fim. Os caras so vieram passar do meio de campo la pros 40 e tantos, isso nao é controlar o jogo, é jogar com a bunda na parede.

Faltou sorte como o @tortinhas10 já disse e, além disso, faltou também competência na hora do ultimo chute.

Da uma olhada ai nos scouts do jogo, finalizaçoes 27 x 9 brasil, chances reais 9 x 3 brasil. Nao deu em nada, mas os numeros sao esses aí.

Só de cabeça eu lembro aqui depois do nosso gol: uma chance clara que o Renato Augusto perdeu de cara pro gol, uma do Neymar que o fdp do Courtois foi buscar no angulo, uma do Coutinho que ele tava livre e ele isolou, fora aquele penalti em cima do Gabi Jesus que ate hj eu nao me conformo de nao terem nem ido revisar.
 

tortinhas10

É Nintendo ou nada!
Mensagens
82.092
Reações
175.560
Pontos
979
Contra a Espanha, eu acho que foi mais o sangue nozóio dos BRs (jogadores + técnico) por conta de todo o falatório dos espanhois e, naquela época, estavam martelando forte os técnicos BRs, que devia ser um estrangeiro e etc.

Ali os caras jogaram pela honra. Só lembro do Júlio César falando que "para se declarar o melhor time do mundo, precisa ganhar do Brasil".


Contra a Bélgica, o time sentiu bastante o gol e a Belgica tinha o jogo controlado. Claro que às vezes no desespero aparece uma bola ou outra mas o Brasil não colocou a cabeça no lugar e pressionou consistentemente.


Tirando esses dois jogos que eu falei, o Brasil é um quando não toma gol e outro quando toma gol. Time desaba mentalmente.

No primeiro tempo sim, mas no segundo o Brasil jogou bem melhor
 

Don Toreno

Bam-bam-bam
Mensagens
3.297
Reações
4.095
Pontos
303
Sim, mas pensa, são quantos anos aí? Uns 80 e pouco? Brasil ganhou 20 e deixou de ganhar 60. Copa é difícil, não dá para ganhar todo ano. O Brasil não ganha há 4 edições, 16 anos, mas sempre está lá e sempre chega ao menos nas quartas .

o problema é que o Brasil não está mais criando jogadores decisivos, com bolas para decidir jogos, cair para dentro. É muito toque de bola e pouca eficiência .

eu diria que o maior problema foi justamente copiar o futebol europeu, não a culpa dos técnicos gaúchos
O que ocorre é que quem tratou de copiar a mentalidade defensiva e a imposição física europeia é justamente o futebol gaúcho e este, por sua vez, passou a dominar o futebol brasileiro, pela conquista de títulos, e assim dominar e subverter nossa filosofia e cultura de jogo tradicional. O poder de decisão individual e, junto a isso, nossa habilidade e criatividade com a bola, que sempre foi o vetor de nossa força futebolística, estão sendo suprimidos e substituídos por jogadores burocráticos, mas que cumprem bem o papel defensivo tático e possuem força física. É a vitória da mentalidade defensivista. Não é atoa que a figura do volante brucutu se tornou mítica e obrigatória entre a maioria dos técnicos brasileiros.
 

tortinhas10

É Nintendo ou nada!
Mensagens
82.092
Reações
175.560
Pontos
979
O que ocorre é que quem tratou de copiar a mentalidade defensiva e a imposição física europeia é justamente o futebol gaúcho e este, por sua vez, passou a dominar o futebol brasileiro, pela conquista de títulos, e assim dominar e subverter nossa filosofia e cultura de jogo tradicional. O poder de decisão individual e, junto a isso, nossa habilidade e criatividade com a bola, que sempre foi o vetor de nossa força futebolística, estão sendo suprimidos e substituídos por jogadores burocráticos, mas que cumprem bem o papel defensivo tático e possuem força física. É a vitória da mentalidade defensivista. Não é atoa que a figura do volante brucutu se tornou mítica e obrigatória entre a maioria dos técnicos brasileiros.
O carille é gaucho? O mano? É que os gaúchos são melhores mesmo.

Enviado de meu Redmi 5 Plus usando o Tapatalk
 

tortinhas10

É Nintendo ou nada!
Mensagens
82.092
Reações
175.560
Pontos
979
Mano Menezes é da escola gaúcha e Carille era o auxiliar do Corinthians quando passou Mano Menezes e Tite por lá, ele assimilou toda essa ideia dos dois e se tornou o treinador que é hoje.

Abel? Futebol brasileiro já é retranqueiro por natureza, e não é só o futebol Br.



Futebol ofensivo aqui é o Diniz, que rebaixa todo mundo. Tem nem como ter dúvida de qual escolher
 

Don Toreno

Bam-bam-bam
Mensagens
3.297
Reações
4.095
Pontos
303
Abel? Futebol brasileiro já é retranqueiro por natureza, e não é só o futebol Br.



Futebol ofensivo aqui é o Diniz, que rebaixa todo mundo. Tem nem como ter dúvida de qual escolher
Quando falo de escola gaúcha não falo somente de treinadores nascidos no Rio Grande do Sul e sim de todos que beberam dessa fonte de mentalidade defensivista e resultadista. A mentalidade da escola gaúcha se tornou dominante no futebol brasileiro devido as suas conquistas, mas a reflexão é se isso basta e compensa a deterioração da nossa cultura e da nossa qualidade de jogo. Abel Braga é um deles, Muricy, Carille, Alberto Valentim e Jair Ventura são outros.

Sim, nosso futebol se tornou retranqueiro, mas isso não faz parte da nossa tradição e não favorece nossas principais qualidades. Podemos mais.
 
Ultima Edição:

GFOLDSCHOOL

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
16.364
Reações
18.138
Pontos
553
Eu nem falo de qualidade técnica em si, falo de resilência psicológica mesmo

Cebolinha é bom e parte pra cima. Neymar também fez isso no Santos.


Eu me refiro mais a jogos com carga psicológica mesmo, onde o time tá com as costas na parede ou quando precisa de um que lidere. Jogo onde o seu time não é o cachorrão dominante da partida desde o início.


De 2002 pra cá, eu lembro de 2 jogos onde o BR botou a piroca na mesa na hora do vamo ver:

EUA 2x3 Brasil de virada, após tomar 2x0.

Brasil 3x0 Espanha naquela Copa das Confederações.


Aliás, tirando esse jogo dos EUA, eu não lembro do Brasil virar uma partida num jogo grande desde de 2003.


Aí tu pega todas as eliminações do Brasil:

2006 pra Holanda, 2010 pra França, 2014 o 7x1 e agora 2018. Nenhuma dessas derrotas foi num jogo franco onde o time não abaixou a cabeça.

Todas foi o time tendo "apagões psicológicos" após tomar gol.
Derrota pra Alemanha o time tomou um sacode porque era infinitamente inferior,a verdade é essa,não porque teve abalo psicológico ; com ou sem isso ia perder do mesmo jeito porque a Alemanha era um time forte,o Brasil tinha jogadores bons mas com uma estratégia de jogo desastrosa que inclusive ficou evidente nos jogos anteriores daquela Copa.

Mesmo depois do "apagão" a Alemanha estava marretando sem parar o Brasil,tocando a bola pra lá e pra cá,indo pro ataque quando queria e interceptando todos passes e jogadas do time brasileiro,foi uma humilhação completa principalmente pela filosofia de jogo,a qualidade técnica e QI dos jogadores alemães.

Em 2010 contra Holanda o time jogou bem mas errou num momento pontual,não ficaram com psicológico comprometido,e em 2006 a seleção também era taticamente inferior a do oponente.

Contra a Bélgica o time poderia muito bem ter ganhado e teve boas chances,dominou a partida no segundo tempo,teve nada disso de "psicológico fraco" dos jogadores não.
 

tortinhas10

É Nintendo ou nada!
Mensagens
82.092
Reações
175.560
Pontos
979
Quando falo de escola gaúcha não falo somente de treinadores nascidos no Rio Grande do Sul e sim de todos que beberam dessa fonte de mentalidade defensivista e resultadista. A mentalidade da escola gaúcha se tornou dominante no futebol brasileiro devido as suas conquistas, mas a reflexão é se isso basta e compensa a deterioração da nossa cultura e da nossa qualidade de jogo. Abel Braga é um deles, Muricy, Carille, Alberto Valentim e Jair Ventura são outros.

Sim, nosso futebol se tornou retranqueiro, mas isso não faz parte da nossa tradição e não favorece nossas principais qualidades. Podemos mais.

Por que não? Sendo que os maiores vencedores são os retranqueiras? Eu prefiro um Felipão do que um Fernando Diniz que já rebaixou mais de um clube.

O Brasil campeão sempre foi retranqueiro, então como não é da nossa história?
 

Don Toreno

Bam-bam-bam
Mensagens
3.297
Reações
4.095
Pontos
303
Por que não? Sendo que os maiores vencedores são os retranqueiras? Eu prefiro um Felipão do que um Fernando Diniz que já rebaixou mais de um clube.

O Brasil campeão sempre foi retranqueiro, então como não é da nossa história?
Simples, pois não favorece nossa principal qualidade que é a habilidade, técnica e criatividade com a posse de bola. A nossa tradição é ofensiva, de propor o jogo com a bola nos pés. O maior vencedor do campeonato brasileiro é o Luxemburgo que jamais foi retranqueiro, muito pelo contrário, sempre primou pela ofensividade e posse de bola.

Sempre foi retranqueiro aonde? Tortinhas está na Disney. Seleção brasileira nunca jogou de forma retranqueira. Felipão conquistou 1 copa, temos outras 4 jogando de forma ofensiva. E nem o Felipão em 2002 ousou jogar de forma retranqueira.

E se tu prefere o Felipão, tu vai gostar bastante do Mano Menezes no teu time.
 

tortinhas10

É Nintendo ou nada!
Mensagens
82.092
Reações
175.560
Pontos
979
Simples, pois não favorece nossa principal qualidade que é a habilidade, técnica e criatividade com a posse de bola. A nossa tradição é ofensiva, de propor o jogo com a bola nos pés. O maior vencedor do campeonato brasileiro é o Luxemburgo que jamais foi retranqueiro, muito pelo contrário, sempre primou pela ofensividade e posse de bola.

Sempre foi retranqueiro aonde? Tortinhas está na Disney. Seleção brasileira nunca jogou de forma retranqueira. Felipão conquistou 1 copa, temos outras 4 jogando de forma ofensiva. E nem o Felipão em 2002 ousou jogar de forma retranqueira.

E se tu prefere o Felipão, tu vai gostar bastante do Mano Menezes no teu time.
Juanfran está na ESPN agora e está citando o Simeone, técnico que a galera paga um pau por ser defensivo.

E que outras 4? O parreira era defensivo também. E isso falando das que eu vi

Edit: vi agora que um foi o Zagallo, retranqueiro


Ou seja, de 5 títulos, 3 com técnicos retranqueiros e 2 com com o Pelé que nem devia existir esquema tático

Enviado de meu Redmi 5 Plus usando o Tapatalk
 

arthur the king

Bam-bam-bam
Mensagens
1.779
Reações
3.233
Pontos
303
O OP fala de cultura resultadista como se fosse ruim :klol nunca vi Brasil comemorando aniversario do vice de 98 nem do de 50 No maximo falam com muita dor. Holanda com o futebol lindo da época tomou ferro,Brasil em 82 e 86 perdeu pra seleção retranqueira e ganhou em 94 com uma,depois em 2006 outro dream team levou pau

Nem na nossa gloriosa história o futebol total deu resultado que não fosse traumático

E copiar europeus e a tendência pq eles sao muito melhores mesmo Ue,17 anos que um sul americano não leva a taça. Aí vc vai ver nos times o estupro e maior ainda

"Ain mas com time estrelado e fácil" pega o Ajax que com um elenco mediano chegou na semi da champions e não foi pra final por um milagre. Aquele time do Ajax da um pau na seleção brasileira atual e naquelas badaladas de 86 e 82

Enviado de meu SM-G920I usando o Tapatalk
 

GFOLDSCHOOL

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
16.364
Reações
18.138
Pontos
553
Simples, pois não favorece nossa principal qualidade que é a habilidade, técnica e criatividade com a posse de bola. A nossa tradição é ofensiva, de propor o jogo com a bola nos pés. O maior vencedor do campeonato brasileiro é o Luxemburgo que jamais foi retranqueiro, muito pelo contrário, sempre primou pela ofensividade e posse de bola.

Sempre foi retranqueiro aonde? Tortinhas está na Disney. Seleção brasileira nunca jogou de forma retranqueira. Felipão conquistou 1 copa, temos outras 4 jogando de forma ofensiva. E nem o Felipão em 2002 ousou jogar de forma retranqueira.

E se tu prefere o Felipão, tu vai gostar bastante do Mano Menezes no teu time.
Desde quando futebol brasileiro tem jogadores top com essas características?
A gente tem alguns jogadores de topo jogando na Europa,mas a maioria deles são jogadores de defesa.
E os atacantes geralmente não tem tanta técnica,habilidade ou criatividade pra jogar em alto nível.

Em outros tempos a gente tinha Ronaldo,Rivaldo,Ronaldinho Gaúcho, Kaká,entre outros jogadores que com certeza eram bons em todos esses quesitos.
Hoje em dia tu pega um jogador como o William que atua no Chelsea e vê um bom batedor de falta,até tem sim certa técnica,mas tem um estilo de jogo de limitado,não é bom criador de jogadas,age de modo incompetente e repetitivo nas partidas,quase sempre levando a bola pra linha de fundo...curiosamente bem parecido com o que se vê no futebol brasileiro.
Mas aí o que o brasileiro diz?
Eu vejo muita gente babando o ovo de William,dizendo que é um grande jogador,"jogador ofensivo que parte pra cima e não tem medo de ninguém",ou seja,foda-se os vários lances que ele erra,foda-se o número excessivo de cruzamentos que faz (muitos deles errados),foda-se todas as ações precipitadas do jogador,porque ele é "ofensivo".

E o tortas viaja mesmo (nem compensa discutir porque ele fala que "técnico não ganha jogo"),mas sua colocação também não tá correta,visto que você tá falando que futebol retranqueiro por si só é uma característica ruim.

Eu odeio ter que falar bem do Chelsea porque meu time é rival dele,mas quando Mourinho chegou no time em meados de 2005 o time tinha uma defesa excelente,com um futebol mais retranqueiro que outros times.
E dava resultado,pois a defesa deixava o meio de campo livre pra trabalhar com um dos melhores meio campos na história do futebol,o Frank Lampard,e também outro ótimo jogador que era o Joe Cole,enquanto no ataque tinha Drogba fazendo gol pra lá e pra cá.

Isso é um futebol "retranqueiro" bem aplicado,e aí tu começa a ver que o erro não foi copiar os europeus,mas copiar errado.

Futebol não é um mero esporte onde se vê "ah nossos jogadores são ofensivos,então focar no ataque somente",e muito menos os brasileiros (atuais) são fortes nesses quesitos que você citou.

O buraco é muito mais embaixo,os treinadores são arrogantes e não reconhecem que são infinitamente inferiores aos de clubes europeus (uns ainda tem a mania chata de falar que "pra ser técnico bom tem que treinar no Brasil"),os jogadores tem 0 de interesse em aprender os nuances do jogo,os clubes demitem e contratam os mesmíssimos técnicos pra lá e pra cá,os times não aprendem os fundamentos básicos do futebol,não evoluíram a compactação das defesas nem triangulações pra criar oportunidades de gols,etc etc etc

É muito problema pra ficar atribuindo isso só aos treinadores gaúchos ou achar que existe uma solução simples para os jogadores funcionarem dentro dos esquemas de jogo.
 

Don Toreno

Bam-bam-bam
Mensagens
3.297
Reações
4.095
Pontos
303
Juanfran está na ESPN agora e está citando o Simeone, técnico que a galera paga um pau por ser defensivo.

E que outras 4? O parreira era defensivo também. E isso falando das que eu vi

Edit: vi agora que um foi o Zagallo, retranqueiro


Ou seja, de 5 títulos, 3 com técnicos retranqueiros e 2 com com o Pelé que nem devia existir esquema tático

Enviado de meu Redmi 5 Plus usando o Tapatalk
Bullshit. Zagallo e Parreira são da escola carioca e, embora fossem conservadores – dai a fama mítica de retranqueiro – seus times priorizavam a posse de bola.

O OP fala de cultura resultadista como se fosse ruim :klol nunca vi Brasil comemorando aniversario do vice de 98 nem do de 50 No maximo falam com muita dor. Holanda com o futebol lindo da época tomou ferro,Brasil em 82 e 86 perdeu pra seleção retranqueira e ganhou em 94 com uma,depois em 2006 outro dream team levou pau

Nem na nossa gloriosa história o futebol total deu resultado que não fosse traumático

E copiar europeus e a tendência pq eles sao muito melhores mesmo Ue,17 anos que um sul americano não leva a taça. Aí vc vai ver nos times o estupro e maior ainda

"Ain mas com time estrelado e fácil" pega o Ajax que com um elenco mediano chegou na semi da champions e não foi pra final por um milagre. Aquele time do Ajax da um pau na seleção brasileira atual e naquelas badaladas de 86 e 82

Enviado de meu SM-G920I usando o Tapatalk
Questão de opinião. Considero sim ruim, pois o futebol brasileiro tem qualidade suficiente pra praticar um futebol vertical, vistoso e, ao mesmo tempo, vitorioso que, claro, é de suma importância.

E não é ruim copiar o futebol europeu, pelo contrário, é extremamente positivo e devemos fazer isso, pois estamos estagnados taticamente e em metodologia de treino. Mas o problema foi que copiamos apenas o que de pior tem o futebol europeu como a mentalidade defensivista, ao invés da intensidade de jogo, táticas aprimoradas, metodologias de treinamento, preparo físico e mental, etc. Até muitos europeus abandonaram essa mentalidade.

Desde quando futebol brasileiro tem jogadores top com essas características?
A gente tem alguns jogadores de topo jogando na Europa,mas a maioria deles são jogadores de defesa.
E os atacantes geralmente não tem tanta técnica,habilidade ou criatividade pra jogar em alto nível.

Em outros tempos a gente tinha Ronaldo,Rivaldo,Ronaldinho Gaúcho, Kaká,entre outros jogadores que com certeza eram bons em todos esses quesitos.
Hoje em dia tu pega um jogador como o William que atua no Chelsea e vê um bom batedor de falta,até tem sim certa técnica,mas tem um estilo de jogo de limitado,não é bom criador de jogadas,age de modo incompetente e repetitivo nas partidas,quase sempre levando a bola pra linha de fundo...curiosamente bem parecido com o que se vê no futebol brasileiro.
Mas aí o que o brasileiro diz?
Eu vejo muita gente babando o ovo de William,dizendo que é um grande jogador,"jogador ofensivo que parte pra cima e não tem medo de ninguém",ou seja,foda-se os vários lances que ele erra,foda-se o número excessivo de cruzamentos que faz (muitos deles errados),foda-se todas as ações precipitadas do jogador,porque ele é "ofensivo".

E o tortas viaja mesmo (nem compensa discutir porque ele fala que "técnico não ganha jogo"),mas sua colocação também não tá correta,visto que você tá falando que futebol retranqueiro por si só é uma característica ruim.

Eu odeio ter que falar bem do Chelsea porque meu time é rival dele,mas quando Mourinho chegou no time em meados de 2005 o time tinha uma defesa excelente,com um futebol mais retranqueiro que outros times.
E dava resultado,pois a defesa deixava o meio de campo livre pra trabalhar com um dos melhores meio campos na história do futebol,o Frank Lampard,e também outro ótimo jogador que era o Joe Cole,enquanto no ataque tinha Drogba fazendo gol pra lá e pra cá.

Isso é um futebol "retranqueiro" bem aplicado,e aí tu começa a ver que o erro não foi copiar os europeus,mas copiar errado.

Futebol não é um mero esporte onde se vê "ah nossos jogadores são ofensivos,então focar no ataque somente",e muito menos os brasileiros (atuais) são fortes nesses quesitos que você citou.

O buraco é muito mais embaixo,os treinadores são arrogantes e não reconhecem que são infinitamente inferiores aos de clubes europeus (uns ainda tem a mania chata de falar que "pra ser técnico bom tem que treinar no Brasil"),os jogadores tem 0 de interesse em aprender os nuances do jogo,os clubes demitem e contratam os mesmíssimos técnicos pra lá e pra cá,os times não aprendem os fundamentos básicos do futebol,não evoluíram a compactação das defesas nem triangulações pra criar oportunidades de gols,etc etc etc

É muito problema pra ficar atribuindo isso só aos treinadores gaúchos ou achar que existe uma solução simples para os jogadores funcionarem dentro dos esquemas de jogo.
Se formos ficar aqui decidindo qual jogador é bom e qual não é, isso não teria fim. Mas o fato é que o Brasil sempre produziu ótimos jogadores ofensivos de topo e continua tendo um plantel de destaque quando comparado com outras seleções. Mas claro que já tivemos gerações melhores.
Sim, considero ruim, pois pra mim isso é o anti-futebol e sempre vou advogar contra a mediocridade de ter medo de jogar com a bola. Mas isso é um gosto pessoal, você não precisa concordar.
Sobre a última parte, concordo. Mas não estou atribuindo a culpa somente ao futebol gaúcho, se trata de um conjunto de fatores e isso é apenas um deles que faz parte do processo de deterioração da qualidade de futebol praticado no Brasil e, consequentemente, da atratividade do mesmo.
 

GFOLDSCHOOL

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
16.364
Reações
18.138
Pontos
553
Bullshit. Zagallo e Parreira são da escola carioca e, embora fossem conservadores – dai a fama mítica de retranqueiro – seus times priorizavam a posse de bola.



Questão de opinião. Considero sim ruim, pois o futebol brasileiro tem qualidade suficiente pra praticar um futebol vertical, vistoso e, ao mesmo tempo, vitorioso que, claro, é de suma importância.

E não é ruim copiar o futebol europeu, pelo contrário, é extremamente positivo e devemos fazer isso, pois estamos estagnados taticamente e em metodologia de treino. Mas o problema foi que copiamos apenas o que de pior tem o futebol europeu como a mentalidade defensivista, ao invés da intensidade de jogo, táticas aprimoradas, metodologias de treinamento, preparo físico e mental, etc. Até muitos europeus abandonaram essa mentalidade.



Se formos ficar aqui decidindo qual jogador é bom e qual não é, isso não teria fim. Mas o fato é que o Brasil sempre produziu ótimos jogadores ofensivos de topo e continua tendo um plantel de destaque quando comparado com outras seleções. Mas claro que já tivemos gerações melhores.
Sim, considero ruim, pois pra mim isso é o anti-futebol e sempre vou advogar contra a mediocridade de ter medo de jogar com a bola. Mas isso é um gosto pessoal, você não precisa concordar.
Sobre a última parte, concordo. Mas não estou atribuindo a culpa somente ao futebol gaúcho, se trata de um conjunto de fatores e isso é apenas um deles que faz parte do processo de deterioração da qualidade de futebol praticado no Brasil e, consequentemente, da atratividade do mesmo.
Tipo quais?
Os melhores que consigo pensar são Neymar,Firmino e Gabriel Jesus.
Os bons mesmo são esses.
Talvez dê pra enquadrar um ou outro tipo o Coutinho ou Lucas Moura,mas é isso.
E tirando o Firmino,os outros são muito inconsistentes.
Jogam partidas boas e do nada começam a pipocar.

Mas não existe essa de medo de jogar com a bola em um time que foca na defesa, pelo menos não nos mais eficientes.
Geralmente usa-se massivamente contra ataques pra fazer gols,e muitos times conseguem um bom número de gols e chances criadas assim.

Contra ataques são tão perigosos pro time que está defendendo quanto pro que está atacando,pois se o contra ataque sai errado o time que intercepta a bola vai pegar um meio de campo livre e uma defesa desarrumada ou em menor número,ou seja,é um contra ataque em cima de outro.

O que é antifutebol é simplesmente ficar paradão na defesa sem atacar quase nenhuma vez.
Infelizmente é o que muito treinador brasileiro entende errado desses times europeus,onde apenas os times que tem elencos modestos utilizam, justamente pela limitação.
 

Boboyo²

Bam-bam-bam
Mensagens
950
Reações
2.099
Pontos
248
Os melhores que consigo pensar são Neymar,Firmino e Gabriel Jesus.
Os bons mesmo são esses.
Talvez dê pra enquadrar um ou outro tipo o Coutinho ou Lucas Moura,mas é isso.
E tirando o Firmino,os outros são muito inconsistentes.
Jogam partidas boas e do nada começam a pipocar.
Neymar sempre faz boas partidas, o problema é que ele não joga.

Ficou de fora dos ultimos 2 mata-mata da Champions. Na fase de grupos tinha destruido o Liverpool. Ficou de fora do PSG, voltou fazendo gol por cobertura (e o time conseguiu perder o jogo)...

Ele tem 58 jogos e 51 gols no PSG, fora as assistências.
 
Topo