O que há de Novo?
  • Anunciando os planos GOLD no Fórum Outer Space
    Visitante, agora você pode ajudar o Fórum Outer Space e receber alguns recursos exclusivos, incluindo navegação sem anúncios e dois temas exclusivos. Veja os detalhes aqui.


Champions of Norrath: Um sincero tributo

JonattanAgra

Bam-bam-bam
Mensagens
1.847
Reações
1.765
Pontos
214




Be a Champion


Resolvi fazer um tópico sobre esse game, pois devido ao "revival" da vinda eminente de um novo Baldurs Gate: Dark Alliance, e por gostar muito desse game que pra mim é um dos meus preferidos, vim humildemente tentar exemplificar o por que que Champions of Norrath e sua sequência são games excelentes em sua categoria, e como ainda se mantém como um dos melhores games do gênero, sendo a obra prima da finada Snowblind Studios.







Champions of Norrath é um game feito pelos desenvolvedores originais do primeiro Baldurs Gate: Dark Alliance, sendo uma união entre a Sony e Snowblind Studios, lançado em 2004, Incluindo sua "sequência", Champions: Return to Arms, lançado mais ou menos um ano depois. É feito na engine do Dark Alliance, porém muito mais avançada e evoluída, expandindo em varias coisas o game em si. Ambos exclusivos do PS2.
Falo "sequência", pois mesmo não deixando de ser ( devido a continuidade da história) é mais uma clara expansão do game, sendo assim vou tratar o Champions e o Return to Arms como praticamente um game só. Fazendo um paralelo com Diablo 2 ( onde o Champions bebe da fonte ), o Return to Arms está para o Champions original como a expansão Lord of Destruction está para o Diablo 2 original.

Aconselho até a se jogar o game dessa maneira: Começando pelo Champions original e importando o personagem pro RtA, só assim se obtêm toda a experiencia por completo. Mas dá pra se jogar perfeitamente apenas um deles.

A temática do game é situada na lore do Everquest, sendo praticamente uma prequel da saga em si ( no quesito enredo ). Humanos e elfos de Norrath estão em constante guerra com os Orcs, e o jogador é encarregado de tentar ajudar nessa batalha, inicialmente ajudando os elfos da floresta a conter uma invasão de goblins e seguindo pelo submundo até derrotar o Lider dos Orcs e descobrir um mal muito maior que está oculto, Innoruuk o deus do ódio. Em Return to Arms, sua missão é recuperar artefatos que se espalharam depois da derrota de Innoruuk, para destruí-lo de uma vez por todas, ou juntar e se unir ao lado sombrio. Em Return to Arms vc pode escolher dois alinhamentos que mudam as missões do game, o lado bom e o lado sombrio.




Enredo simples porém não é o real foco do game, pois onde o game brilha é em sua jogabilidade.
Apesar de ser aparentemente simples, o game possui uma profundidade além do que se vê, sendo comparável diretamente ao game em que ele é descaradamente inspirado ( Diablo 2 ):


O game possui 5 modos de dificuldade, sendo a ultima apenas para o modo online do game, sendo a mais difícil. Uma pena não ser acessível de outras maneiras sem ser jogando online. Inclusive era um grande atrativo do game o modo multiplayer online na época, pois era feito com maestria. Embora pode se jogar também em multilayer offline com até mais 3 pessoas, vou focar apenas no single player:

- Adventurous: Melhor para iniciantes, podendo chegar os levels 30-35 nessa dificuldade.

- Courageous: Ideal para os levels 25-45, podendo chegar ao level 55 nessa dificuldade.

- Champion: Ideal para os levels 45-65, podendo chegar ao level 70 nessa dificuldade.

- Legendary: Ideal para os levels 65-80, podendo chegar ao level 80 nessa dificuldade.

- Epic: ( Apenas online ), mais difícil que o modo Legendary.


Lembrando que vc pode importar diretamente seu personagem do primeiro game para sua sequencia/expansão, podendo jogar diretamente nas dificuldades maiores. E falando nisso, o game é difícil, sendo o Return to Arms ainda um pouco mais. Pois ambos possuem uma premissa um pouco diferente de outros games do gênero:

Enquanto em alguns games do estilo vc é incentivado a jogar na maioria das vezes ofensivamente, usando e abusando de poderes ofensivos pra dizimar os inimigos e ficar o mais poderoso possível, no Champions é um pouco diferente, nele vc têm que jogar mais estratégico, sabendo a exata hora de recuar quando preciso, te incentivando a pensar em estrategias melhores além de rushar diretamente aos inimigos. O que também é perfeitamente possível com algumas classes, mas com outras tem que se jogar com precisão e cautela, deixando de certa maneira a aproximação levemente "tática" seja single player ou com mais pessoas no grupo. Isso é ainda mais necessário nas altas dificuldades. Nesse quesito de cautela se assemelha mais ao Diablo 1 do que o 2. Vale lembrar que uma estratégia usada no single player , não necessariamente é a mesma em multiplayer, são táticas distintas, onde no multi é necessário trabalho em grupo e cada classe cumprir seu papel. Seja de causar dano ou dar suporte.

O level design é ótimo, no primeiro Champions as dungeons são geradas randomicamente, no RtA não são, adotando uma mecânica de "missões", variando mesmo com os mapas fixos. Os atos do game são dividido em "Planos" e são bem diferentes um do outro, com algumas sub - quests, deixando tudo bem variado e bonito. Possui desafios extras bem difíceis pra se desbloquear novos modos de jogo e mais desafios extras.
Os gráficos são muito detalhados até hoje: Boa iluminação e efeitos de partículas de magia, fogo, atmosfera que mescla entre o medieval fantástico e o jeitão "Frank Frazetta" no estilo de personagens e armaduras, e falando em armaduras, o game possui a façanha de possuir mais de 10.000 itens gerados randomicamente no sistema de loot que até hoje acho muito melhor do que certos games atuais, e todas são com muitos detalhes, motivando ainda mais vc montar seu set de armaduras e armas.


Champions possui 5 classes no game original e agregando mais duas na sequencia/expansão, vou dar um resumo sobre elas e uns detalhes que acho relevante a mais:


** Barbarian Warrior **





Este é o melhor personagem inicial de combate corpo a corpo / alto dano. porém é o mais simples de todos pra se jogar, geralmente indicado pra iniciantes pois suas skills são basicamente focada em causar dano e resistir a ataques. Bárbaros podem usar qualquer tipo de arma, seja de corte ou impacto
(Slash ou Blunt ).
Não possuem quase Mana e não recupera automaticamente, apenas atacando inimigos, o que faz ser extremamente ofensivo. Pode se montar a build mais voltado para Tank, ou puro dano, ou um meio termo.


** Wood Elf Ranger **





O ranger é principalmente um lutador de longo alcance. Eles têm uma variedade de feitiços à distância e podem usar arcos de forma mais eficaz em comparação com outras classes. Embora sejam lutadores corpo a corpo competentes, eles não podem usar armas de duas mãos e perdem a vantagem de suas habilidades superiores de arco quando forçados a lutar a curta distância. As habilidades do ranger permitem imbuir suas flechas com várias magias. O Ranger ganha a capacidade de usar duas armas em cada mão, como espadas, machados ou maças.
Pode montar boas buids alem de puro ranger, como mais voltado pra dano físico com duas armas, em crowd control dos inimigos, existem varias opções.


** Elf Cleric **





Uma classe corpo a corpo competente e auto suficiente. O Clérigo é eficiente em causar dano com feitiços sagrados e armas de contusão. Clérigos têm ótimas habilidades de cura e podem causar danos extremos aos mortos-vivos. Eles também possuem habilidades que lhes permitem converter seus inimigos. Clérigos não podem usar armas afiadas, como espadas, machados, etc. Um clérigo deve equilibrar corpo a corpo com feitiços de longo alcance. Pode se montar boas builds de suporte, clérigo paladino ( voltado pra um misto de dano e tank) ou focar puramente em dano sagrado.


** Erudite Wizard **





Os magos eruditos possuem controle sobre os elementos. Eles exibem proeza intelectual sobre as outras classes. Eles não podem usar escudos, estão limitados a armas de contusão de uma mão e têm uma seleção limitada de armaduras, e, portanto, são maus lutadores corpo a corpo. ( teoricamente, mas há maneiras de contornar isso ). Os feitiços do mago congelam, queimam e eletrocutam seus inimigos à distância. Os magos devem manter um suprimento muito grande de poções de mana para serem combatentes eficazes. Os magos demandam um bom conhecimento do game pra ser jogado com maestria, pois são inicialmente bem fracos se comparado a outras classes, porém com dedicação em distribuição de atributos, pode se ter builds muito legais, inclusive o mago de batalha, em que tanto pode ser um bom combatente corpo a corpo como usar as magias pra dar suporte pra isso, ou focar em algum caminho elemental. Jogadores experientes adoram jogar com build de Battle Mage.

Foi a build que menos usei, mas quando usei foi muito divertido, bem desafiador.


** Dark Elf Shadow Knight **





Os elfos negros são uma classe versátil de combate corpo a corpo. São um misto de Necromante com cavaleiro, que é bem legal. Eles podem usar todos os tipos de armas, exceto algumas armas raras exclusivas da classe. Os Cavaleiros das Sombras usam magia negra para espalhar doenças através de grupos de inimigos. Seus feitiços enfraquecem e mutilam grandes grupos, mas custam uma porcentagem maior de mana. Mais tarde, eles ganham feitiços que lhes permitem convocar guerreiros mortos-vivos para ajudá-los. Os Cavaleiros das Sombras não vacilam ou se destacam em nenhuma área específica e podem ser usados de várias maneiras diferentes. Inclusive suas builds que vc pode criar são até bem versáteis, assim como de todos, podendo ser puro dano físico, ou um misto de necromante /ranger e puro necromante. Existem boas builds na net que ainda vão além disso, não só pro Dark Elf como pra todos os outros.


( Personagens apenas do Champions: Return to Arms )


** Iksar Shaman **





Os xamãs Iksar têm aparência de lagarto. Possuem alguma habilidade de combate corpo a corpo, e isso pode ser aprimorado pelos feitiços de buff que eles podem lançar. Esses xamãs são uma boa classe de solo, porque sua ampla variedade de feitiços fornece aprimoramentos para combater, bem como a pura capacidade de lançar feitiços por si só. Eles não podem usar arcos e espadas de duas mãos e podem usar todas as armaduras. Possuem variações de builds puramente de dano de natureza, dano a distancia ( ele pode atirar machados, e possuem skills de debuff ), podem assim como o dark elf summonar um pet pra dar suporte, e etc. São bem ágeis.



** Vah Shir Berserker **





O Berseker tem uma aparência única, com a aparência de um tigre de acordo com sua raça. É semelhante ao bárbaro em relação ao seu estilo de jogo, geralmente capaz de sofrer bastante dano e em causar muito mais. No entanto, Bersekers ainda podem regenerar a mana passivamente. Eles são especializados em arremesso, da mesma forma que o Ranger é especializado em arcos, tendo a capacidade de encantar elementalmente e usar como bônus de dano. O Berserker é excelente em combate corpo a corpo e possui apenas feitiços orientados para o combate, além daqueles relacionados aos machados de arremesso. Enquanto o Bárbaro possui um papel mais de tank, o Berseker é puro dano e skills baseado em fúria. Demanda certa cautela pois como dito antes, a defesa é bem baixa. A meu ver, o ideal é jogar com mais estrategia e saber a hora certa de rushar contra os inimigos e a hora de recuar. Builds podem variar de puro Berseker corpo a corpo, ou focar em ataques a distancia e stun, e etc.



Uma observação: Vale a pena a exploração de vários tipos de builds fugindo do óbvio, pois dependendo de certos requisitos e certos atributos , pode se descobrir efeitos ocultos ou até "descobrir" skills "ocultas" de certa forma, mas demanda um nível de conhecimento do game bem vasto. Os pontos de atributo não são ilimitados, sendo assim não se pode maximizar todas as skills, o que a meu ver é ótimo, pois te faz ser cauteloso em usar bem os pontos onde vc realmente deseja, montando o personagem da maneira que te agradar.




Equipamentos:


Existem três tipos principais de equipamentos: Estes são armas, armadura e acessórios.

Com armaduras, existe algo como classe de armadura ou AC. ( Armor Class ). Quanto mais altos os números da AC, melhor proteção. Há outra coisa no RTA que afetam armaduras e armas, são gemas. Gemas dão mais habilidades às armas e armadura. No game existe um sistema simples de criação de armas que é bastante funcional.
Armas e armaduras têm soquetes, que podem ser personalizados. Estes soquetes podem conter Gems, para melhorar o item original. No
jogo, você encontra Gems e depois as adiciona às suas armas ou armaduras.
Porém, uma vez que uma gema é anexada a um item, ela não pode ser removida.


Champions não só bebem da fonte do saudoso Diablo 2, como consegue se destacar pela ótima qualidade da obra. Mesmo sem inovar o gênero, ele consegue fazer com maestria justamente as características que o gênero de ARPG pode oferecer. Possui sistema de loot muito fluido e jogabilidade apesar de simples, possui uma complexidade de build digna de ótimos games do gênero, e uma trilha sonora épica, com excelente design de som.
Tudo possui impacto: seja seus passos em chão molhado, o som de criaturas nas dungeons ou o som de um ataque com espada/maça no inimigo, é muito satisfatório. Tudo é grandioso e dá a impressão de urgência nas fases. A trilha sonora se adapta a situação.



Pra mim é uma das melhores trilhas de games do estilo.

Ouve isso e diz se não dá vontade de sair descendo o cacete em goblins? Se isso não te emociona, já ta morto por dentro:




BONUS: Trailer do game






Até hoje, fãs dedicados não esquecem esse game, muitos acham ( eu incluso ) esse game MUITO melhor que Diablo 3, bem mais divertido seja no meta-game ou na jogabilidade fluida. e com razão, pois sinceramente, Champions of Norrath é sim um dos games mais bem feitos de ARPG que existem, e que não pode ser esquecido.






 
Ultima Edição:


Vaçago

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
15.124
Reações
30.421
Pontos
553
Eu gostava dessa safra de jogos diablo-likes da Snowblind pra PS2, sentia falta de jogos do estilo nos consoles. O meu favorito foi o Buldur's Gate Dark Alliance 2.
 

Alberon

YouTube Player
Mensagens
46.211
Reações
59.428
Pontos
924
Um dos melhores games de PS2, eu jogava multiplayer local.
Meu personagem era uma Elfa curandeira e tank, só não tinha dano :klol.
Meu amigo fazia dano, caso ele morresse eu voltava a um ponto do jogo pra recussucitar ele (pelo que me lembro).
No começo a gente fazia aquela estratégia de chamar um mob sozinho, por que se viesse muitos na era.
Acho que tenho o save até hoje.:klol

Editado:

A medida que vamos para levels mais altos, as armaduras vão ficando melhores (óbvio) e mais bonitas.
Fashion of Norrath
 
Ultima Edição:

JonattanAgra

Bam-bam-bam
Mensagens
1.847
Reações
1.765
Pontos
214
Um dos melhores games de PS2, eu jogava multiplayer local.
Meu personagem era uma Elfa curandeira e tank, só não tinha dano :klol.
Meu amigo fazia dano, caso ele morresse eu voltava a um ponto do jogo pra recussucitar ele (pelo que me lembro).
No começo a gente fazia aquela estratégia de chamar um mob sozinho, por que se viesse muitos na era.
Acho que tenho o save até hoje.:klol

Editado:

A medida que vamos para levels mais altos, as armaduras vão ficando melhores (óbvio) e mais bonitas.
Fashion of Norrath




Isso mesmo, o fator replay é enorme, pois vc jogando nas dificuldades maiores, vc consegue os itens mais fortes. Aalguns são exclusivos das dificuldades mais dficeis.


Não entendo até hoje como nenhuma empresa teve a ideia de fazer um game semelhante, já q talvez um remaster não seja viável.
 

JonattanAgra

Bam-bam-bam
Mensagens
1.847
Reações
1.765
Pontos
214
Eu gostava dessa safra de jogos diablo-likes da Snowblind pra PS2, sentia falta de jogos do estilo nos consoles. O meu favorito foi o Buldur's Gate Dark Alliance 2.


Também curto o Dark Alliance 2, e possui boas ideias como a criação de armas, de se juntar uma arma de um material, com uma gema, uma pedra e dai dar um efeito diferente. E com certeza é um update se tratando do primeiro, mesmo sendo por uma empresa diferente. O problema é a engine que se usa, sendo menos evoluída do que a do Champions, que expande e muito as possibilidades. Pena que as dungeons não são tão legais entediam as vezes. Mas adoro também o Dark Alliance 2
 

Alberon

YouTube Player
Mensagens
46.211
Reações
59.428
Pontos
924
Isso mesmo, o fator replay é enorme, pois vc jogando nas dificuldades maiores, vc consegue os itens mais fortes. Aalguns são exclusivos das dificuldades mais dficeis.


Não entendo até hoje como nenhuma empresa teve a ideia de fazer um game semelhante, já q talvez um remaster não seja viável.



Divinity Original Sin não é nesse estilo do Champions?
Sei que lançassem um RPG semelhante com foco na história e offline, acredito que seria bem recebido.


 


JonattanAgra

Bam-bam-bam
Mensagens
1.847
Reações
1.765
Pontos
214
Divinity Original Sin não é nesse estilo do Champions?
Sei que lançassem um RPG semelhante com foco na história e offline, acredito que seria bem recebido.


Divinity Original Sin é mais voltado pra estratégia. Mas o primeiro ( Divine Divinity ) se assemelha mais, falo mais na temática, pois a jogabilidade é tipo Diablo.

Champions é mais a pegada do Diablo 2 mesmo, com algumas melhorias.


Foi anunciado o novo Dark Alliance, mas não será continuação dos anteriores. Vai ser um sucessor espiritual dos antigos:


 

Clóvis_Ferreira

Bam-bam-bam
Mensagens
5.731
Reações
9.611
Pontos
349
Amo demais essa franquia e imagino o amor que o criador do tópico deve sentir!

Eu joguei horrores do Norrath e do Return to Arms, assim como Dark Alliance 1 e 2. Bons tempos do meu PS2!

Arrisco dizer que é um dos melhores hack and slash de todos os tempos, infinitamente melhor do que Diablo 3!

Um jogo colossal que ficou preso ao finado PS2. Um remaster ia ser de bom tamanho hoje em dia!

Outro belo jogo nesse estilo era o Sacred 2 de PS3. O jogo era INFINITO com mounts e milhares de side quests, uma pena que o jogo foi lançado sem a revisão final da equipe (que acabou antes do jogo lançar) então o jogo saiu cheio de bug. Se tivesse sido devidamente cuidado antes de lançar, era o melhor hack and slash de todos os consoles, e o Norrath logo abaixo empatado!
 

Asha

Bam-bam-bam
Mensagens
1.706
Reações
5.019
Pontos
303
Excelente tópico, JonattanAgra.

Eu cheguei a jogar Champions: Return to Arms na época do PS2, mas, naquele tempo, não havia dado a devida atenção que ele merecia por uma frustração totalmente sem sentido: Quando comprei o jogo de uma feirinha, imaginei que seria uma coisa (um jogo de ação) e ganhei outra (RPG de ação ao estilo Diablo), pensando que havia jogado o meu dinheiro fora com um game genérico.

O mais estranho é que eu gostava muito (e ainda gosto) de Diablo, mas não possuía nenhum apego ao jogo. Provavelmente, o fato de ser um "clone" da série me fez vê-lo com bastante preconceito, algo que quero remediar um dia desses quando jogá-lo novamente.
 
Topo