O que há de Novo?
  • Anunciando os planos GOLD no Fórum Outer Space
    Visitante, agora você pode ajudar o Fórum Outer Space e receber alguns recursos exclusivos, incluindo navegação sem anúncios e dois temas exclusivos. Veja os detalhes aqui.

CLUBE HQ OS: Dreadstar (Jim Starlin) - Início 27-9-2016

doutordoom

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
31.476
Reações
22.575
Pontos
954
Saudações seres parvos e patéticos!

Sephiroth está morto e a próxima leitura do Clube HQ OS será indicada pelo Magnânimo Victor Von Doom.

E eis que Doom orgulhosamente apresenta:



"Nunca ouvi falar!" - Dirá o tolo.

Doom vos ilumina:


O QUE É?

Dreadstar
foi a primeira série em quadrinhos publicada do selo Epic Comics, da Marvel Comics, em 1982. Criada pelo gênio Jim Starlin, conta a história de Vanth Dreadstar, o único sobrevivente da Via Láctea. A série também conta com um interessante elenco de apoio formado pelos colegas de tripulação do herói. A trama principal envolvia a luta desse grupo para acabar com uma antiga guerra entre dois poderosos impérios do mal: A Igreja da Instrumentalidade, chefiada pelo Lorde Papal, e a Monarquia, administrada por um rei fantoche.


Os textos são densos e existencialistas. Como era comum nos anos 80, as caixas de texto e os diálogos são extremamente extensos. No entanto, a leitura conquista e sempre deixa um gosto de quero mais. Pode-se pensar que Dreadstar seja uma série que tenha surgido apenas para aproveitar o sucesso de Guerra nas Estrelas, que fora lançado alguns anos antes. Contudo, Jim Starlin vai muito além do que George Lucas propôs ao colocar a dicotomia de bem e mal de forma simplista. Em seu enredo, não existe nada completamente mal lutando contra algo completamente bom, tornando-se, desta forma, um ensaio sobre a própria humanidade. A arte é um caso à parte. Destoando da produção da época, os desenhos realistas e o uso de cores aquareladas lembra muito o que Alex Ross viria a fazer muitos anos depois.


Arte pintada de Jim Starlin

A saga teve uma publicação conturbada, tanto nos EUA quanto no Brasil. Apresentando periodicidade bimestral durante a maior parte do tempo. A princípio, foi publicada pelo selo Epic, totalizando 26 edições. Todos estes foram publicados no Brasil, pela editora Globo, na revista DreadstarO Guerreiro das Estrelas, entre os anos de 1990 e 1991. Depois destas 26 primeiras edições, o universo de Dreadstar passa para a editora First Comics e esta publica 38 outros números. Nesse ponto, temos um grande problema na publicação brasileira: a editora Globo tinha o direito de lançamento de Dreadstar com a Marvel Comics, no entanto, não conseguiu negociar com a nova detentora dos direitos do personagem. Desta forma, a revista acabou sendo descontinuada. Dreadstar apareceu também, alguns anos antes, na Graphic Globo nº 1, em 1988.

No início da década de 1990, os direitos passam para a Malibu, que publica uma minissérie em seis edições. Desde então, temos alguns encadernados pela SLG Publishing, em 2000, e posteriormente, em 2004, a Dynamite Entertainment lançou o primeiro volume da edição definitiva. Desde então, temos apenas rumores de que a Dynamite prometeu um segundo volume para 2005 e, em 2010, o relançamento de um dos álbuns. Infelizmente, nenhuma das edições foi lançada.

Embora seja criado por Jim Starlin, ele foi responsável pelo roteiro e desenho até o numero 40. Depois disso, quem assume é Peter David. Em entrevistas no início dos anos 2000, Starlin afirma estar preparando uma nova série de histórias para Dreadstar que se chamariaGuerra de Classes. Quase dez anos depois, em 2011, ele reafirma a possibilidade de desenvolver uma nova série com o personagem. Todavia, não saiu mais nenhuma notícia sobre o assunto.

Retomando a introdução do texto: como foi mostrado, a publicação de Dreadstar é um clássico esquecido do início dos anos 1980 e que passou por diversos problemas de periodicidade.



Fonte: Tapioca Mecânica

SOBRE O AUTOR

James P. Starlin nasceu em 9 de outubro de 1949, na cidade de Detroit, Michigan, EUA, e estudou em escola católica. Ele serviu na Marinha americana de 1968 a 1971 como fotógrafo. Starlin fez parte da geração de artistas e escritores que cresceram como fãs das histórias em quadrinhos da Era de Prata da Marvel. Certa vez, numa convenção, chegou a afirmar que tudo o que aprendeu na arte de fazer quadrinhos foi graças a Steve Ditko e Jack Kirby.
Depois de escrever e desenhar diversas histórias em quadrinhos para fanzines, ele finalmente estreou no meio em 1972, trabalhando para Roy Thomas e John Romita na Marvel Comics. Seu primeiro trabalho foi como retocador e arte-finalista para a revista Amazing Spider-Man. Em seguida, ele desenhou três edições de Iron Man, onde apresentou seu personagem Thanos. Então, recebeu a chance de desenhar uma edição do título do Capitão Marvel. Starlin assumiu como roteirista na edição seguinte e começou a desenvolver uma saga elaborada e centrada no vilão Thanos que se desenrolou por diversos títulos da Marvel. Esse evento foi tão importante, que permaneceu como parte do universo ficcional da editora. O autor deixou o título do Capitão Marvel uma edição após ter concluído a saga de Thanos e escreveu e desenhou A Morte do Capitão Marvel, uma graphic novel que marcou época.
Entre seus principais trabalhos podemos citar algumas histórias para as revistas de personagens famosos como Capitão Marvel, Homem-Aranha, Homem de Ferro, Batman, Dr. Estranho, Mestre do Kung Fu, Surfista Prateado, além das séries Dreadstar, Gilgamesh II, Breed, Odisseia Cósmica, A Morte dos Novos Deuses, a reformulação do personagem Warlock e todas as sagas cósmicas envolvendo o personagem Thanos.
Também coescreveu quatro romances com Daina Graziunas: Among Madmen, Lady El, Pawns e Thinning the Predators. Starlin é um dos fundadores da Electric Prism, uma empresa de softwares sediada em Woodstock, Nova York.

Fonte: ZN eventos

Entrevista com Jim Starlin realizada por Universo HQ


Entenderam agora crianças? Agora vamos ao ponto:

O QUE DEVE SER LIDO?

Tudo que foi lançado até o momento no Brasil:


Publicada originalmente na lendária revista Epic Illustrated #s 1 a 9 (1980- 1981), a grandiosa saga reunida neste volume é um dos trabalhos mais respeitados de Jim Starlin e uma das principais obras na gênese do quadrinho adulto nos EUA.

Essa edição está disponível na Amazon e em outros sites. Também pode ser lida digitalmente (enviem MP para mim).

Crítica do site Plano Crítico (só cliquem aqui depois de ter lido a edição)


Inicialmente publicada em preto e branco na Eclipse Graphic Album Series #5 (1981) esta história, que é a parte dois do arco da Odisseia da Metamorfose, recebeu uma reimpressão em cores na Dreadstar Annual #1 (Marvel Comics, 1983), dando maior significado à arte de Jim Starlin e ao roteiro místico e filosófico do volume que, a rigor, não é uma história de Dreadstar e sim de Syzygy Darklock. Starlin não faz um trabalho melhor que o de Odisseia da Metamorfose, mas mantém uma arte excelente, com belos painéis estelares. No começo há uma menor quantidade de desenhos e certa pobreza estética, mas à medida que o verdadeiro protagonista da história ganha destaque, a arte recebe um maior número de detalhes, ganha vida, finalizando-se de maneira bastante admirável.

Crítica do site Plano Crítico (só cliquem aqui depois de ter lido a edição)

Essa edição só está disponível no Mercado Livre. Posso enviar o link para que leiam em formato digital (MP).


Depois da extinção da Via Láctea em A Odisseia da Metamorfose e de uma história de origem que se ligaria com a vida de Dreadstar em O Preço, Jim Starlin voltou ao grande cenário cósmico, agora incluindo consequências do passado a perspectivas bastante aterradoras e movimentadas para o futuro.
Tópico em construção. Em breve coloco o restante das edições.

Essa edição só está disponível no Mercado Livre. Posso enviar o link para que leiam em formato digital (MP).

Crítica do site Plano Crítico (só cliquem aqui depois de ter lido a edição)

POR ONDE COMEÇAR?

Vamos focar nas três edições acima e finalizar até 10/10/2016. A próxima edição a ser lida é a de baixo (depois estipulamos prazo).


Raramente uma história consegue ser tão bem ilustrada e escrita pela mesma pessoa como é Dreadstar, especialmente histórias de caráter épico, com uma gama enorme de acontecimentos para serem trabalhados e campos de ação e personagens para serem explorados. Todavia, Jim Starlin conseguiu dar corpo, identidade, força e abertura para muitas histórias futuras e realizar com excelência o início de sua saga sequencial nessas 12 primeiras edições de Dreadstar.

Essa edição está disponível na Amazon e em outros sites.

Crítica do site Plano Crítico (só cliquem aqui depois de ter lido a edição)


Comentários: As primeiras edições não são extensas. Não é uma leitura demorada. Somente a última edição tem um conteúdo maior e levará mais tempo. A idéia é ir comentando as edições de forma fechada na medida que cada um for terminando a leitura. Proponho fazer uma avaliação com e sem spoilers (em suas devidas tags).


CLUBE HQ OS - RODADAS ANTERIORES

1. Batman: Cavaleiro das Trevas (março/2015)


2. Miracleman (outubro/2015)
 
Ultima Edição:


doutordoom

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
31.476
Reações
22.575
Pontos
954
Ainda não terminei o post inicial. Vou colocar links das rodadas anteriores.

Enviado de meu XT1033 usando Tapatalk
 

Guastinha

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
18.231
Reações
11.256
Pontos
689
Muito boa iniciativa!!

Não me lembro de ter lido nada sobre esse personagem, mas ele me lembrou muito os personagens da revista Heavy Metal.

Cara, você deixou a entender que pode nos ensinar o caminho para uma leitura digital certo?
Vou pegar emprestado o tablet do meu irmão que é muito bom para HQs, e a gente conversa sobre esses "acessos"

Vou tentar participar da discussão
 

Mr.Disco

Bam-bam-bam
Mensagens
9.302
Reações
17.172
Pontos
419
Tô com os dois encalhados aqui desde o lançamento e meu backlog só aumenta. Vou ver se crio coragem de ler pelo menos a Odisseia da Metamorfose. Tava folheando aqui por causa do tópico e a arte realmente é foda. Tem aquela finesse de quadrinho europeu.

Foda que é Devir e Mythos. Preço é um estrupo. A Amazon tá com um desconto bacana nas duas, porém.
 

Standak

Bam-bam-bam
Mensagens
1.970
Reações
4.278
Pontos
303
O run do Jim Starlin é bem grande tem umas 40 edições se eu não me engano.

Nas mensais que saíram lá fora são quais edições?

Eu pretendo encomendar da Romenia.
 


doutordoom

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
31.476
Reações
22.575
Pontos
954
São 40 edições. Está no primeiro post seu malandro.
Saíram todas nos omnibus.


Enviado de meu XT1033 usando Tapatalk
 

doutordoom

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
31.476
Reações
22.575
Pontos
954
Tô com os dois encalhados aqui desde o lançamento e meu backlog só aumenta. Vou ver se crio coragem de ler pelo menos a Odisseia da Metamorfose. Tava folheando aqui por causa do tópico e a arte realmente é foda. Tem aquela finesse de quadrinho europeu.

Foda que é Devir e Mythos. Preço é um estrupo. A Amazon tá com um desconto bacana nas duas, porém.
Tem diversas promoções na Amazon. Só ficar de olho.

Enviado de meu XT1033 usando Tapatalk
 

M_V

Veterano
Mensagens
763
Reações
768
Pontos
143
So serão lidos/debatidos as edições traduzidas/lançadas no Brasil mesmo?

Enviado de meu LG-D337 usando Tapatalk
 

doutordoom

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
31.476
Reações
22.575
Pontos
954
So serão lidos/debatidos as edições traduzidas/lançadas no Brasil mesmo?

Enviado de meu LG-D337 usando Tapatalk
Por enquanto sim. Já é um material bem extenso quando lido todo ao mesmo tempo. Eu mesmo li tudo que saiu até pela editora Globo, mas estou relendo do início agora.



Enviado de meu XT1033 usando Tapatalk
 

M_V

Veterano
Mensagens
763
Reações
768
Pontos
143
Por enquanto sim. Já é um material bem extenso quando lido todo ao mesmo tempo. Eu mesmo li tudo que saiu até pela editora Globo, mas estou relendo do início agora.



Enviado de meu XT1033 usando Tapatalk
Eu quero participar entao. Pode me mandar MP com as versões digitais?
:3

Enviado de meu LG-D337 usando Tapatalk
 

doutordoom

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
31.476
Reações
22.575
Pontos
954
Vamos focar nas três primeiras edições (Odisseia, O Preço e a Graphic Globo) acima e finalizar até 10/10/2016.

Para quem pediu, já estou disponibilizando os arquivos digitais. Se mais alguém quiser, é só avisar.
 

andreh_bbça

Bam-bam-bam
Mensagens
2.659
Reações
2.083
Pontos
303
Muito boa iniciativa!!

Não me lembro de ter lido nada sobre esse personagem, mas ele me lembrou muito os personagens da revista Heavy Metal.

Cara, você deixou a entender que pode nos ensinar o caminho para uma leitura digital certo?
Vou pegar emprestado o tablet do meu irmão que é muito bom para HQs, e a gente conversa sobre esses "acessos"

Vou tentar participar da discussão
Claro que sim, Guasta! Eu vou ler os primeiros volumes em formato digital tb :kcool
 

doutordoom

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
31.476
Reações
22.575
Pontos
954
Nada de ninguém. Para não perder o tópico, vou escrever meus reviews.

Plebe imunda.
 

rafaelfc

Bam-bam-bam
Mensagens
8.073
Reações
1.076
Pontos
339
Eu li, mas ainda não comentei porque acho que muita gente ainda tá lendo. Ou não. :kpensa
 

doutordoom

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
31.476
Reações
22.575
Pontos
954
Não espere os outros. Comente.

Enviado de meu XT1033 usando Tapatalk
 

doraemondigimon

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
13.415
Reações
17.421
Pontos
619
...........Doom? Doraemon!

Ahhhhnnnn... Eu gostaria que você me mandasse uma Mulher Prenha com os locais de donaldeamento dessas séries.

A muito tempo atrás, eu li algumas edições de Dreadstar (e quando eu era mais moleque do que sou hoje), eu confundia esse gibi, com....


Muito porque, na época do lançamento de Bravestarr, eles não explicavam muito sobre o que iria ser passado na tv! A decepção que eu tive foi grande...
 

doutordoom

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
31.476
Reações
22.575
Pontos
954
Depois de tanto tempo:

Resenha Odissséia da Metamorfose

"Nada voltará a ser como antes. Restaram apenas o vazio, as memórias, a dor e a culpa. As noites que estão por vir guardam uma promessa de pesadelos e horror… e as chances de absolvição parecem remotas. Pois os pecados do passado viverão para sempre dentro do coração, e os condenados devem caminhar sempre sozinhos.

Sempre sozinhos".


Acima temos o resumo perfeito da Odisseia da Metamorfose nas palavras do protagonista: Vanth Dreadstar.

Conheci Dreadstar quando era publicado no formatinho pela editora Globo (em revista própria e na Epic Marvel). Foi paixão a primeira vista. Jim Starlin é um dos meus escritores favoritos e seu dom para criar épicos cósmicos é algo sem igual. Só fui ler a Odisseia da Metamorfose muito tempo depois de ler a série publicada pela Globo e não deixa de ser chocante conhecer o início absurdamente trágico da jornada de Vanth. Trata-se de uma história onde os personagens inicialmente parecem pequenos frente a uma Guerra milenar, mas pouco a pouco cada um vai ganhando importância dentro de uma trama que caminha para uma resolução inevitável e desastrosa. Interessante notar o pequeno papel para a Terra e para os seres humanos uma vez que nosso planeta é mero coadjuvante para os propósitos sombrios de Aknaton.
Merece destaque a linda arte de Starlin, primeiro em preto e branco e depois em uma pintura linda que traz um fascinante contraste na edição. Através de sua arte, Starlin pinta mundos desolados ou cheios de vida, naves fabulosas, deuses cósmicos e toda uma diversidade de raças cósmicas que compõem um universo próprio e fantástico dotado de um visual incrível e único.

Starlin escreve sempre retratando experiências que vivenciou. Sabendo que ele serviu como fotografo no Vietnã, fica fácil perceber o sentimento que ele tenta passar de insignificância de um único indivíduo frente as motivações e consequências de uma Guerra que devasta tudo ao seu redor. E ainda dentro de um cenário amplamente maior envolvendo a destruição de um país ou civilizações inteiras, ele consegue estabelecer no fim da história um momento mais intimista que caracteriza toda a aflição e tragédia pessoal de quem sobrevive aos horrores de um conflito de grande magnitude.

Finalizando, a Odisséia da Metamorfose traz de forma bem desenvolvida todas as temáticas filosóficas que permeiam as tramas de Starlin em um épico cósmico e atemporal que remete diretamente a natureza destrutiva de nossa espécie.

AVALIAÇÃO: EXCELENTE
 

Mr.Disco

Bam-bam-bam
Mensagens
9.302
Reações
17.172
Pontos
419
Ainda não li inteiro mas resolvi motivar o pessoal... então, vamos lá:

Não posso tecer um comentário com viés histórico e filosófico muito profundo porquê estou sem saco mas o troço é bem bacana apesar da trama "batida".

Explico: assim como Incal, Dreadstar deve ter sido copiado e influenciado ad infinitum obras de ficção científica em tudo quanto é mídia, então, a sensação de deja-vu inverso(?) acontece aqui.

Porém, a leitura vale a pena. Não é uma ficção científica pedante. Em suma, pode ser resumido assim: Existe uma raça de escravocratas nômade, militarizada e de alta tecnologia que cruza o universo para parasitar e chacinar planetas inteiros. Em um deles existe o Akinaton que basicamente é um alienígena-egípcio sobrevivente de uma guerra secular com a tal raça, cuja existência foi preservada pelo sacrifício dos seus pares para que pudesse guardar uma arma do juízo final para ser utilizada contra os supramencionados.

Pra tal esforço, o cara criou vida em planetas, plantou artefatos mágicos, deu consciência a seres bestiais e etc. de modo que tudo isso culminou na formação de uma trupe de seres fantárdigos para dar cabo da tarefa.

Falando assim, dá pra pensar que são uma trupe de superjovens mas, não. Os personagens são excelentes. Eu pendo pro lado do Vanth Dreadstar por motivos óbvios mas Za, por exemplo, é meu segundo favorito.

Enfim. Leiam. Nem que seja para olhar as "figuras" que são sensacionais. Sensacional de verdade. Não aquele sensacional de prefácio jogado da boca pra fora em encadernado de artista b*sta.
 

doutordoom

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
31.476
Reações
22.575
Pontos
954
Ainda não li inteiro mas resolvi motivar o pessoal... então, vamos lá:

Não posso tecer um comentário com viés histórico e filosófico muito profundo porquê estou sem saco mas o troço é bem bacana apesar da trama "batida".

Explico: assim como Incal, Dreadstar deve ter sido copiado e influenciado ad infinitum obras de ficção científica em tudo quanto é mídia, então, a sensação de deja-vu inverso(?) acontece aqui.

Porém, a leitura vale a pena. Não é uma ficção científica pedante. Em suma, pode ser resumido assim: Existe uma raça de escravocratas nômade, militarizada e de alta tecnologia que cruza o universo para parasitar e chacinar planetas inteiros. Em um deles existe o Akinaton que basicamente é um alienígena-egípcio sobrevivente de uma guerra secular com a tal raça, cuja existência foi preservada pelo sacrifício dos seus pares para que pudesse guardar uma arma do juízo final para ser utilizada contra os supramencionados.

Pra tal esforço, o cara criou vida em planetas, plantou artefatos mágicos, deu consciência a seres bestiais e etc. de modo que tudo isso culminou na formação de uma trupe de seres fantárdigos para dar cabo da tarefa.

Falando assim, dá pra pensar que são uma trupe de superjovens mas, não. Os personagens são excelentes. Eu pendo pro lado do Vanth Dreadstar por motivos óbvios mas Za, por exemplo, é meu segundo favorito.

Enfim. Leiam. Nem que seja para olhar as "figuras" que são sensacionais. Sensacional de verdade. Não aquele sensacional de prefácio jogado da boca pra fora em encadernado de artista b*sta.
Esse tópico fica tão parado que não recebi aviso da sua resenha.

Muito bom. Valeu.
Espero que leia o resto também.
 

Marck9

Supra-sumo
Mensagens
449
Reações
1.016
Pontos
168
SAIU o capa dura do Dreadstar, mas como estou sem emprego, não deu pra comprar. Parece ser uma boa HQ.
 

andreh_bbça

Bam-bam-bam
Mensagens
2.659
Reações
2.083
Pontos
303
O clube vai continuar, Doom? Tô precisando de um estimulante pra voltar ao meu ritmo insano de leitura :"(
 

Luís F.

Larva
Mensagens
7
Reações
6
Pontos
3
Buenas, cavalheiros! Conheci o fórum somente ontem, ver leitores tecendo comentários sobre DreadStar é muito bom. Nunca li algo de Jim Starlin da qual eu não gostasse, com este título de autoria própria não foi diferente, há uns 15 anos tive contato com as Graphics e o primeiro ano da revista, a única coisa que não me agradou foi a mudança no personagem, quando ele se funde com a espada e passa a usar um colante colorido no melhor estilo Marvel. Aliás, esta fusão me lembra exatamente quando ele mudou os poderes e cor de cabelo do Capitão Mar-Vell, de qualquer forma, meu desagrado foi apenas estético por ter adorado o visual inicial e isto não estragou o tom das histórias. Baixei scan de todas edições posteriores, até o #64. Um dia retomo uma leitura integral, até porque o substituto do escritor, a partir da #41, é outro sujeito que gosto muito: Peter David.
 

Tom Cruise

Hollywood Mogul
GOLD
Mensagens
2.735
Reações
5.935
Pontos
288
pra quem curte dreadstar do Jim Starlin tem 3 volumes com todas as historias compiladas na Amazon:



 

doutordoom

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
31.476
Reações
22.575
Pontos
954
Buenas, cavalheiros! Conheci o fórum somente ontem, ver leitores tecendo comentários sobre DreadStar é muito bom. Nunca li algo de Jim Starlin da qual eu não gostasse, com este título de autoria própria não foi diferente, há uns 15 anos tive contato com as Graphics e o primeiro ano da revista, a única coisa que não me agradou foi a mudança no personagem, quando ele se funde com a espada e passa a usar um colante colorido no melhor estilo Marvel. Aliás, esta fusão me lembra exatamente quando ele mudou os poderes e cor de cabelo do Capitão Mar-Vell, de qualquer forma, meu desagrado foi apenas estético por ter adorado o visual inicial e isto não estragou o tom das histórias. Baixei scan de todas edições posteriores, até o #64. Um dia retomo uma leitura integral, até porque o substituto do escritor, a partir da #41, é outro sujeito que gosto muito: Peter David.
Sonho meu ler tudo, mas quero que publiquem primeiro.

pra quem curte dreadstar do Jim Starlin tem 3 volumes com todas as historias compiladas na Amazon:



Queria muito isso em português.
 
Topo Fundo