O que há de Novo?
  • Novo tema escuro está disponível
    Um novo visual para o fórum com fundo escuro agora está disponível para todos. Você pode escolher o tema clicando no ícone de pincel no canto inferior esquerdo da página.


Como o Gamepass do Xbox está expandindo os horizontes dos jogadores

nando3d

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
20.210
Curtidas
21.671
Pontos
654
#1
How Xbox's 'Netflix for games' is expanding players' horizons

In the future it's possible video games will go the way of TV, movies and music; you'll still be able to buy and own them if you want but most people will just sign up to an all-you-can-eat subscription or two.

PlayStation has been experimenting for ages with its PS Now service, and Apple is reportedly working on its ownmobile gaming subscription, but the current leader in the space is inarguably Xbox.
For the last year and a half Microsoft has offered Xbox Game Pass, an $11 monthly subscription service that gives access to a library of more than 100 games, on its Xbox One console. This is a mix of old and brand new games, which you download to your console rather than stream so they run in full fidelity. It's been a success for the company, and offers a clear value for gamers, but what does it mean for the business of gaming?
Microsoft's goal with Game Pass, it says, is not to replace the model of purchasing and owning games. At least not yet. Instead, the company says the service is an "additive" pillar that gets gamers playing more, and introduces them to genres and franchises they otherwise wouldn't have seen.

By the numbers
In fact Matt Percy, head of planning for Game Pass at Microsoft, says players' game time generally increases 20 per cent once they join Game Pass, and the number of different games they play goes up by 40 per cent.

"People are drawn to the biggest brands and the stuff that they know. But with Game Pass we’re really giving them a wider taste and getting people to follow or look at a wide variety of franchises", Percy says. "People might come for Halo but then discover they love Ashen. That’s a really good thing for us as a platform".
It can apparently be a good thing for game-makers too, even though at face value you might wonder how getting a slice of a subscription compares financially to getting a cut of a full-price sale. For example Human Fall Flat is a game that was very successful on PC, but as a physics-based puzzle game you might expect it wouldn't do as well on console. Percy says Game Pass members have played more than 3 million hours of it to date, and 40 per cent of those players had never played any puzzle game before.

In cases like this, the financial arrangement made between a game publisher and Microsoft for inclusion in Game Pass (details of which Microsoft does not disclose) could make more business sense than just putting the game on the store and waiting for people to buy it. But there are other potential benefits too.
New, big-name games that go into Game Pass see their active playerbase grow by a factor of two, Percy says, and older games see an average six times increase (but sometimes as high as 32 times). A bigger playerbase means a bigger audience for potential monetisation. For example in the past month Square Enix has added Tomb Raider Definitive Edition and Shadow of the Tomb Raider to Game Pass, meaning the entire rebooted trilogy is now available to members. This will potentially make new fans of the franchise and increase sales of paid add-on content, which is still being rolled out.



Percy also says that publishers could use Game Pass as "marketing that's fun for consumers", by including their back catalogue games ahead of a new release. For example Bethesda recently made Doom and Rage available in Game Pass, ahead of the release of Doom Eternal and Rage 2 in 2019.
"On average we see a 25 per cent increase in franchise pre-orders and a 10 per cent increase in franchise sales coming from games that go into Game Pass," Percy says. "And that’s coming from Game Pass members discovering they really love franchises and following along with them".

Dan Greenawalt is creative director at Turn 10, the Microsoft-owned studio behind the Forzaracing series. He believes that, in an era of video games as live services, active playerbase is much more important for the business than an initial retail purchase.

"Last time we announced numbers for Forza, we were upwards of 8 million players in a given month", Greenawalt says. "That kind of tonnage of players gives you a tremendous amount of leverage to create new experiences. If you have the community … business will follow".
Last year's Forza Horizon 4 was added to Game Pass immediately on launch, as all first party Microsoft games are, and while Greenawalt can't say for sure how much of the games success can be attributed to the service, he says it's clear that for certain kinds of games the subscription catalogue model can be a big benefit.
"Getting a larger community means more people are watching streams, which means more people create streams … which means more people want to play the game. It’s self-fuelling", Greenawalt says.

"If your game succeeds based on social interaction … with community feeding engagement with the game, then what you’ve got is a whole new funnel of players coming in through Game Pass, and that’s really interesting and really positive".

A much bigger pool

The idea that certain kinds of games will do better as part of a subscription service than being sold on their own is echoed by Derek Bradley, CEO of New Zealand's A44. The studio's first game, Ashen, is a tough, open-world and battle-focused roleplaying game. It has passive multiplayer, meaning other people drop into your game without you needing to invite them or wait in a lobby.


"There are certain games that really make a lot of sense for early access, and certain games that make a lot of sense for free-to-play, but I would say more than anything Ashen really makes a lot of sense for a Game Pass release", Bradley says.

"We want that healthy playerbase so that the pool of players that are getting collated in the background and matched into your game is as rich as possible".

Bradley says the decision to make a deal with Microsoft to launch Ashen day and date on Game Pass, rather than relying on gamers finding and paying full price for the game, was the easiest decision in the game's development.
"The friction for [players] getting into Game Pass is so low", he says, pointing out that players with a limited budget might have only been able to play one or two games a month previously.
"We’re a new developer making a fairly ambitious thing, and we really need that community for the game to thrive, and Game Pass really made that happen. We’ve had a very very smooth transition into a Game Pass kind of model".

Bradley thinks that in the long term the subscription model, like early access and downloadable content before it, will lead to new kinds of games that just weren’t financially viable before. Specifically, the idea that a game needs to last players a certain number of hours to justify its cost will disappear.
But there are potential issues in a future where subscription gaming catalogues are common. Microsoft may say Game Pass is strictly "additive" to its traditional store, but in the past Netflix's streaming catalogue was also additive to its DVD rental business. What happens if players decide they'd rather stick to only playing the games included in their subscriptions?
"It’s going to be a double-edged sword, especially for smaller indies that haven’t necessarily proved themselves", Bradley says, speculating that many new developers would have a hard time convincing a platform holder like Microsoft to pick them up, but that subscription services would make gamers less inclined to pay for a game directly.
"It’s going to be some tricky waters for the smallest indies, and it’s going to be very interesting to see how the different platforms tackle the same problems".

https://www.smh.com.au/technology/h...panding-players-horizons-20190212-p50x9h.html

Matt Percy, o responsável pelo Gamepass, explica que o Gamepass expande os horizontes dos jogadores

  • Os jogadores passaram 20% mais tempo jogando no console quando entraram no Gamepass.
  • O número de jogos diferentes que eles jogaram aumentou 40%. Ele cita que os jogadores vão na intenção de conhecer a franquia Halo e acabam descobrindo e amando um jogo como Ashen.
  • Falando em franquias, geralmente um jogador descobre o primeiro jogo de uma franquia e acaba gostando dos demais, aumentando as chances de pre-order de novos jogos, ou seja, funciona como marketing. Houve um aumento de 25% nas pre-orders de grandes franquias e 10% de aumento nas vendas.
  • O número de jogadores mensais de Forza passou os 8 milhões mensais depois de entrar no Gamepass.
  • Jogos de sucesso de PC como Human Fall Flat não são muito conhecidos nos consoles e passaram a ser mais conhecidos por conta do Gamepass. Ele cita que os jogadores jogaram mais de 3 milhões de horas no gamepass e que pelo menos 40% desses jogadores nunca tinha jogado um puzzle game antes.
 


Mensagens
11.316
Curtidas
9.347
Pontos
489
#5
How Xbox's 'Netflix for games' is expanding players' horizons

In the future it's possible video games will go the way of TV, movies and music; you'll still be able to buy and own them if you want but most people will just sign up to an all-you-can-eat subscription or two.

PlayStation has been experimenting for ages with its PS Now service, and Apple is reportedly working on its ownmobile gaming subscription, but the current leader in the space is inarguably Xbox.
Jornalistinha da matéria está inventando mentiras.


https://www.superdataresearch.com/gaming-subscription/

Tem várias outras besteiras na matéria. Aposto que para isso o milgrau não vai fazer "exposed".
 
Ultima Edição:


Mensagens
11.316
Curtidas
9.347
Pontos
489
#7
Acho o gamepass o maior engana trouxa dos últimos anos.

Se você comprou o console agora, até que é interessante. Agora, se você já possui o console a mais de 1 ano e meio e assina a Live Gold, a Microsoft está te cobrando duas vezes pelos mesmos jogos, já que vários jogos do gamepass já foram dados na Gold. Todo mês a Live Gold já te dá 4 jogos.

Eu que já tenho PSN+ a mais de 5 anos e ainda tenho uns 400 jogos que nem toquei, nunca assinaria nada do tipo do lado da Sony.
 

SolidEdgard

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
26.783
Curtidas
40.348
Pontos
594
#8
Acho uma idéia boa e interessante, mas pra Sony por exemplo, precisa melhorar o suporte primeiro
Hackearam uma conta e perdi todos os jogos da plus, so to conseguindo ver isso pq tem advogado agora botando no rabo deles, senão, nunca recuperariam minha conta
Com alguém que só tem gamepass, ficaria sem jogo algum pra jogar


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
 
Mensagens
59
Curtidas
84
Pontos
18
#9
A maioria dos jogos bons do Gamepass eu joguei há uns 4/5 anos atrás ou comprei numa promoção da PS Store por 30 reais ou menos.

Mas assinei pra jogar o Tomb Raider (flop).
 
Mensagens
24
Curtidas
16
Pontos
3
#10
O povo que critica o serviço com certeza não conhece como funciona direito, eu sou um critico do one nessa geração porque a quantidade e qualidade dos seus exclusivos foi muito ruim, mas o serviço gamepass é ótimo, você paga barato e tem muito jogo bom, jogos novos até, é o caso do shadow of tomb raider, do desconhecido mutant year zero, aí o povo fala que tem os mesmos jogos que a live dá, é coisa que quem só conhece o serviço através da internet, nunca viu ou usou.
 
Mensagens
7.365
Curtidas
4.972
Pontos
419
#11
Acho o gamepass o maior engana trouxa dos últimos anos.

Se você comprou o console agora, até que é interessante. Agora, se você já possui o console a mais de 1 ano e meio e assina a Live Gold, a Microsoft está te cobrando duas vezes pelos mesmos jogos, já que vários jogos do gamepass já foram dados na Gold. Todo mês a Live Gold já te dá 4 jogos.

Eu que já tenho PSN+ a mais de 5 anos e ainda tenho uns 400 jogos que nem toquei, nunca assinaria nada do tipo do lado da Sony.
Pelo jeito você não tem a menor ideia do que está falando.


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
 
Mensagens
1.158
Curtidas
1.428
Pontos
203
#13
Acho o gamepass o maior engana trouxa dos últimos anos.

Se você comprou o console agora, até que é interessante. Agora, se você já possui o console a mais de 1 ano e meio e assina a Live Gold, a Microsoft está te cobrando duas vezes pelos mesmos jogos, já que vários jogos do gamepass já foram dados na Gold. Todo mês a Live Gold já te dá 4 jogos.

Eu que já tenho PSN+ a mais de 5 anos e ainda tenho uns 400 jogos que nem toquei, nunca assinaria nada do tipo do lado da Sony.
Essa metralhadora de merda tem munição infinita né?

Enviado de meu Moto G (5S) usando o Tapatalk
 

return null

Habitué da casa
VIP
Mensagens
166
Curtidas
256
Pontos
69
#14
Eu achava que a EA ia conseguir expandir o Origin Access no PC com outras empresas, mas acho que quem vai conseguir esse feito é a Microsoft. A Valve não tem intenção de fazer algo parecido ?
 
Mensagens
3.618
Curtidas
5.722
Pontos
314
#15
Acho o gamepass o maior engana trouxa dos últimos anos.

Se você comprou o console agora, até que é interessante. Agora, se você já possui o console a mais de 1 ano e meio e assina a Live Gold, a Microsoft está te cobrando duas vezes pelos mesmos jogos, já que vários jogos do gamepass já foram dados na Gold. Todo mês a Live Gold já te dá 4 jogos.

Eu que já tenho PSN+ a mais de 5 anos e ainda tenho uns 400 jogos que nem toquei, nunca assinaria nada do tipo do lado da Sony.
Cara você não poderia estar mais errado! Quanta bobagem escrita aí hein?!

Enviado de meu MI 5 usando o Tapatalk
 
Mensagens
2.734
Curtidas
293
Pontos
159
#16
Quando peguei o Xbox, assinei o EA e o GP. Não irei renovar a EA, mas o GP é obrigatório. Joguei muita coisa que passaria batido pois os 'especialistas' não aprovaram. Lógico que tem muita coisa que não gosto lá. Mas, esses mesmos jogos podem agradar outros. O que quero dizer é que EU tenho a chance de poder instalar e tirar minhas próprias conclusões sem precisar ficar olhando youtuber dar veredito do jogo. Estou jogando o Tomb Raider e já tenho outros na fila. Paguei menos de 100 reais para um ano e um mês de assinatura. Acho muito vantajoso.
 
Mensagens
49.141
Curtidas
46.386
Pontos
1.069
#17
Uma das melhores coisas que surgiram nos últimos anos. Bom demais pra jogar vários games que te despertam alguma atenção mas não necessariamente vc compraria, além de descobrir bons jogos que nem se dava bola. E pra completar, todos os first-party no day 1.

Sensacional!
 

lanthis

Habitué da casa
Mensagens
228
Curtidas
362
Pontos
98
#19
Esse é o futuro inevitável dos jogos!
O GP é um ótimo serviço para novos usuários ou mais casuais (visto o próprio catálogo disponível)

Não sou assinante mas vejo um enorme potencial.
 
Mensagens
426
Curtidas
705
Pontos
108
#20
Eu só não abraço o Game Pass de uma vez porque ainda gosto de comprar meus jogos em mídia física.

O serviço é excelente e, através dele, joguei e conheci vários jogos que eu não pretendia nem sequer conferir, mas que graças ao serviço tive a oportunidade de jogar e curtir.

Atualmente estou jogando o Shadow of Tomb Raider, jogo recém lançado e que, sozinho, já pagaria praticamente um ano de assinatura do Game Pass. Esse é um jogo que dificilmente eu compraria, ainda mais pelo preço que ele é vendido atualmente, mas que tô jogando de boas por causa do GP.

Torço pra que a Sony faça algo parecido com a PS Now, que nem sequer funciona no Brasil ainda, daí até compro um HDD externo pro meu PS4...

Abraços!
 
Mensagens
175
Curtidas
55
Pontos
43
#21
Uma das melhores coisas que surgiram nos últimos anos. Bom demais pra jogar vários games que te despertam alguma atenção mas não necessariamente vc compraria, além de descobrir bons jogos que nem se dava bola. E pra completar, todos os first-party no day 1.

Sensacional!
First-party do nível de state ou crackdown..
Quero ver quando começar a lançar AAA super produções, se vai dar no gamepass.
 
Mensagens
49.141
Curtidas
46.386
Pontos
1.069
#22
First-party do nível de state ou crackdown..
Quero ver quando começar a lançar AAA super produções, se vai dar no gamepass.
Forza Horizon 4 é fantástico e saiu no Game Pass. A politica da Microsoft é essa, são justamente esses grandes jogos que vão popularizar o serviço.
 
Mensagens
8.621
Curtidas
5.547
Pontos
424
#23
Os números podem parecer impressionantes a primeira vista, mas você deve observar por uma lógica reversa.

São oferecidos aos clientes uma centena de games. Eles estão jogando a centena de games? Maior parte dos games estão sendo ignorados pelos clientes.

Se eles passaram a jogar apenas 20% mais tempo com uma centena de games oferecido a eles, tem muito game ruim, desinteressante ou que podemos classificar como "eu não pedi isso".

Vamos lá comparar, você tem um cara que tem um Xbox e tem 10 games. E ele assina o Gamepass e agora ele tem mais de 100 games disponíveis. Ele agora ter passado a jogar apenas 20% mais tempo é insignificante. As vezes, um único bom game já o ajuda a entrar nessa estatística.

Passar a experimentar jogos diferentes é interessante. Nisso eu vejo um ponto positivo. O consumidor em geral é muito receoso na hora de comprar games. Gamepass ajuda o jogador a experimentar sem perder muito dinheiro. Mas se vai ou não vai gostar depende muito da composição do cardápio, depende muito da curadoria. Eu não consigo abrir mão de um Telecine Cult porque a curadoria é excelente, mas me canso de ver a lista de filmes do Netflix antes de escolher um filme para assistir, porque a única coisa que vejo de bom é o que já assisti e o que eu desconheço eu fico desconfiado. Porque o Netflix é muito ruim para recomendar filmes, enquanto por vezes só de assistir uma propaganda de 30 segundos no TC eu já me sinto interessado em assistir um filme. O sistema do Netflix é ruim à beça para apresentar o seu próprio conteúdo aos seus clientes.

Uma coisa que sempre se deve levar em conta nesse tipo de serviço é que tempo é o bem mais precioso que o cliente possui. Um serviço como o Gamepass deve se esforçar ao máximo para que os seus clientes não tenham tempo perdido com games ruins ou que não achem interessantes. É nesse sentido que a estatística de acréscimo de 20% a mais tempo jogando é ridícula. Porque se a pessoa passa a mais do que dobrar a quantidade de games que ela tem, por que ele não está também dobrando a quantidade de tempo que passa jogando?

Essas estatísticas são usadas pela própria Microsoft para negociar as licenças dos jogos que serão disponibilizados. Me parece que o Gamepass não é capaz realmente de deter a estrutura vigente do mercado. A centena de jogos disponibilizadas será repartida entre vários jogadores que cada um vão jogar apenas uma meia dúzia daqueles games, mas cada um deles jogarão games diferentes. Então a MS compra as licenças por preços baratos, porque são jogos que mesmo oferecidos dentro do serviço só vão ser jogados por poucos e é o preço equivalente a isso que a MS vai pagar e nunca vai exceder isso.

Se uma empresa de games ainda acredita que seu game pode vender e que tem pessoas interessadas, então ela vai vender o produto individualmente no mercado.

É uma lógica até fácil de entender mas que muita gente se recusa a entender. Em serviços como PSN, Gamepass, jogos de NES da Nintendo, os jogos estão lá não porque são interessantes e sim porque são desinteressantes. Porque se o fossem interessantes seriam vendidos individualmente. Por isso ficar implorando pela melhoria da qualidade desses serviços é inócuo.

E isso é problemático no longo prazo. Porque faz do Xbox um console com cara de games genéricos e desinteressantes. Tá ali o arroz e feijão, se você quer jogar e é um viciado, você tem uma centena de games para satisfazer seu vício, assim como arroz e feijão mata a sua fome. Mas se você quer não apenas matar sua fome, seu vício de jogar, você quer escolher bem o que você quer jogar. E Microsoft deve se esforçar mais nesse sentido.
 
Mensagens
49.141
Curtidas
46.386
Pontos
1.069
#24
Se uma empresa de games ainda acredita que seu game pode vender e que tem pessoas interessadas, então ela vai vender o produto individualmente no mercado.

É uma lógica até fácil de entender mas que muita gente se recusa a entender. Em serviços como PSN, Gamepass, jogos de NES da Nintendo, os jogos estão lá não porque são interessantes e sim porque são desinteressantes. Porque se o fossem interessantes seriam vendidos individualmente. Por isso ficar implorando pela melhoria da qualidade desses serviços é inócuo.
Naturalmente as third-party vão dar prioridade a explorar as vendas dos games individualmente antes de liberar para o Game Pass, mas isso não significa que os jogos estão lá por serem desinteressantes e sim devido as vendas já terem esfriado dentro do ciclo normal do mercado. Isso não quer dizer que o jogo não seja uma adição interessante ao catálogo.

Além disso essa lógica não se aplica aos titulos first que estreiam no serviço no day 1 e a Microsoft com as aquisições de estúdios mostra a sua intenção de fortalecer muito a oferta de games. É igual o Netflix, o conteúdo de terceiros só aparece quando é velho, por isso ela investe em produção original pra deixar a assinatura mais atraente.
 
Ultima Edição:
Mensagens
8.621
Curtidas
5.547
Pontos
424
#25
Naturalmente as third-party vão dar prioridade a explorar as vendas dos games individualmente antes de liberar para o Game Pass, mas isso não significa que os jogos estão lá por serem desinteressantes e sim devido as vendas já terem esfriado dentro do ciclo normal do mercado. Isso não quer dizer que o jogo não seja uma adição interessante ao catálogo.

Além disso essa lógica não se aplica aos titulos first que estreiam no serviço no day 1 e a Microsoft com as aquisições de estúdios mostra a sua intenção de fortalecer muito a oferta de games. É igual o Netflix, o conteúdo de terceiros só aparece quando é velho, por isso ela investe em produção original pra deixar a assinatura mais atraente.
Mas é claro que a Microsoft vai por enquanto oferecer os games dela o mais cedo possível no Gamepass. Ela quer vender consoles com isso. É uma estratégia, perde um tanto de cá pra ganhar de lá. Mas se ela estivesse numa situação melhor no mercado, ela não faria.

É muito custoso fazer um game nos dias de hoje pra ter um ganho diluído dentro de um serviço. Como games exclusivos são feitos para se vender consoles, então a conta deve estar pagando.

Só um adendo. O que eu quero dizer é que um console é bom quando as pessoas se sintam muito dispostas a gastarem 60 dólares em vários de seus jogos. Gamepass a longo prazo é ruim porque a Microsoft vai absorver um outro tipo de consumidor, aquele que gosta de esperar por promoções e que não se dispõe tanto a investir mais para ter bons jogos.
 

vitzera

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
15.380
Curtidas
18.849
Pontos
649
#26
Eu acho a ideia do serviço muito foda. Vejo como uma evolução do "instant game collection" que a Sony fez por um tempo na PS+. É muito fácil recomendar um Xbox One pra quem não tem um console pela ideia de pagar um valor baixo e já ter imediatamente uma grande variedade de jogos disponíveis.

O que eu fico com o pé atrás é a respeito da política de disponibilizar todos os first-party direto no serviço day one. Mesmo desconsiderando os desenvolvimentos conturbados que os jogos publicados pela MS tiveram nos últimos anos (exceção óbvia à série Forza), imagino que o investimento seja bem mais focado em vender esses jogos como GaaS, justamente pra criar uma justificativa pro usuário de manter sua assinatura sem aquele cenário que muitos imaginam de o cara pagar por um mês pelo serviço, zerar a campanha e vaza. Claro que isso pode simplesmente substituir o cenário que o cara paga 60 dólares por um jogo, jogar suas 8-12 horas e revende, então imagino que isso esteja na conta da MS, mas é algo que penso simplesmente vendo suas ofertas recentes.

Outra coisa que imagino é se com o tempo esse tipo de serviço vai sofrer as mesmas críticas que a Netflix vem recebendo hoje em dia em relação ao seu conteúdo original. E se vai rolar um efeito semelhante no sentido de cada publisher querer oferecer seu próprio serviço de assinatura multiplataforma, ao invés de limitar seu jogo para uma fabricante (claro que teria que rolar um acordo com cada fabricante, como a EA tem com a MS pro seu serviço).
 

PhylteR

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
21.337
Curtidas
8.597
Pontos
569
#27
Não conheço a fundo o serviço, mas me parece muito bom e eu assinaria algo assim.

Só não sei se é um tipo de serviço que se sustenta muito tempo pra jogos AAA. Nessa geração ok, Microsoft tá bem atrás da Sony em vendas, precisa de atrativos mesmo que baixe seu lucro. Mas não sei se teriam feito isso se estivessem no nível da época 360.

Me parece um serviço com potencial de longo prazo para os jogos indie e aqueles que não são lançados em mídia física.

Enviado de meu SM-G930F usando o Tapatalk
 
Mensagens
8.364
Curtidas
8.765
Pontos
353
#28
Ainda fico desconfiado que esse tipo de serviço vai ferrar a indústria e impactar o Desenvolvimento de games.

Não é Hater.....É a preocupação com a indústria de modo geral.

De qualquer forma o tempo vai dizer....
 

nando3d

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
20.210
Curtidas
21.671
Pontos
654
#33
Jornalistinha da matéria está inventando mentiras.


https://www.superdataresearch.com/gaming-subscription/

Tem várias outras besteiras na matéria. Aposto que para isso o milgrau não vai fazer "exposed".
Tem que parar de postar esse dado do SuperData. Até o tópico no Resetera foi meio ignorado.

Esse dado é duvidoso porque nenhuma das empresas é aberta sobre o quanto esses serviços estão rendendo.

Tudo que esse SuperData fez foi se basear em número de usuários x o preço dos serviços. O PS Now é mais caro e tem muitos jogadores cadastrados, mas poderia ser apenas alguém que testou o serviço para ver se funcionava.

A Sony geralmente divulga mais números mas sobre o Now ela nunca divulgou nada, então não dá pra pensar muito nisso.

Em suma, esse SuperData está no mesmo nível do VGChartz. São meros chutes probabilísticos.
 

Topo