O que há de Novo?
  • Anunciando os planos GOLD no Fórum Outer Space
    Visitante, agora você pode ajudar o Fórum Outer Space e receber alguns recursos exclusivos, incluindo navegação sem anúncios e dois temas exclusivos. Veja os detalhes aqui.

Tópico oficial COVID-19 (Coronavírus): Casos: 113+ milhões; Mortes Mundo: 2,5+ milhões; Mortes Brasil: 250+ mil

SVini

Habitué da casa
Mensagens
337
Reações
439
Pontos
98
e o negacionismo continuo de la pra ca....

mudou nada...

o fogo q existe muita gente influenciável, inclusive com acesso a internet a tordo e a rodo, aprofundar isso ficou mais facil
Eu tomo a H1N1 desde 2010, quando ela foi disponibilizada. Só na primeira vez eu fiquei gripado, o que significa que não fui um infectado assintomático da H1N1. Espero que ocorra o mesmo quando eu tomar a da Covid.
Agora, chama atenção o fato de a desconfiança quanto às vacinas se repetir 11 anos depois.
 


Tatuira Mamicuda

Bam-bam-bam
Mensagens
4.861
Reações
12.314
Pontos
324
Eu tomo a H1N1 desde 2010, quando ela foi disponibilizada. Só na primeira vez eu fiquei gripado, o que significa que não fui um infectado assintomático da H1N1. Espero que ocorra o mesmo quando eu tomar a da Covid.
Agora, chama atenção o fato de a desconfiança quanto às vacinas se repetir 11 anos depois.
Eu tomei essa de 2010 também.

Tive um mal estar leve apenas na noite da vacina.
 

guiracer

Bam-bam-bam
Mensagens
8.613
Reações
6.729
Pontos
434

rccsetzer

Bam-bam-bam
Mensagens
2.727
Reações
2.318
Pontos
349
Eu tomo a H1N1 desde 2010, quando ela foi disponibilizada. Só na primeira vez eu fiquei gripado, o que significa que não fui um infectado assintomático da H1N1. Espero que ocorra o mesmo quando eu tomar a da Covid.
Agora, chama atenção o fato de a desconfiança quanto às vacinas se repetir 11 anos depois.
Eu acho que é mais medo da agulha do que desconfiança. O ser humano inventa qualquer coisa para fugir do medo.
 


constatine

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
10.061
Reações
49.326
Pontos
544
Cloroquina contra Covid-19 vai da 'eficácia não comprovada' à 'ineficácia comprovada'
21/01/2021 - 05:30 / Atualizado em 21/01/2021 - 10:37
Infectologistas pressionam conselhos para adotar posição mais dura contra médicos que ainda receitam medicamento contra coronavírus

Cartelas de comprimidos de cloroquina produzidos pelo Exército Brasileiro Foto: Agência O Globo

Cartelas de comprimidos de cloroquina produzidos pelo Exército Brasileiro Foto: Agência O Globo
https://oglobo.globo.com/sociedade/coronavirus/cloroquina-contra-covid-19-vai-da-eficacia-nao-comprovada-ineficacia-comprovada-24848040?utm_source=Facebook&utm_medium=Social&utm_campaign=O%20Globo&fbclid=IwAR1vjDOfUrlrcrX1VsZL0yq0f1F-jRQe2FeTYsMopg1mWBN6Glz4InCKFOI#newsletterLink
O uso da hidroxicloroquina para Covid-19 está ganhando um status que poucas drogas têm. De produto "sem eficácia comprovada" para tratar a doença, entra agora no seleto rol das dos fármacos que têm "ineficácia comprovada", dada a quantidade de ensaios clínicos fracassados que protagonizou.

No Brasil, por conta disso, um grupo de ex-presidentes do Conselho Federal de Medicina e dois conselhos estaduais (Cremesp, de São Paulo, e Cremerj, do Rio) divulgaram cartas na semana passada pedindo que as direções atuais notifiquem os médicos que pregam ainda o uso de cloroquina e derivados, normalmente receitadas no contexto do que o governo chama de "tratamento precoce".

Para o infectologista Mauro Shechter, professor titular da UFRJ
, os estudos clínicos mais robustos todos apontaram em uníssono para o fracasso da hidroxicloroquina contra a Covid-19

— Esse assunto acabou — diz o médico, que vem compilando literatura técnica sobre o tema desde o início da pandemia. — Eu desconheço qualquer outra droga cuja ineficácia tenha sido comprovada e que tenha sido alvo de tanta insistência em testes clínicos depois.

Com sociedades médicas e centros de referência emitindo recomendações contrárias ao uso da droga, infectologistas brasileiros reclamam de omissão por parte do CFM. Sob argumento de que os médicos são autônomos para prescrever medicamentos a seus pacientes, o órgão de classe não emitiu recomendação contrária nem notifica os médicos que adotaram a prática.

"Conclamamos, por ser um imperativo ético, que o CFM oriente a população médica (...) evitando o uso de condutas terapêuticas sem respaldo científico; bem como a disseminação de informações falsas sobre a doença", afirmaram em carta cinco ex-presidentes da entidade.

Um exemplo adotado para fazer pressão é o painel de revisão dos NIH (Institutos Nacionais de Saúde), nos EUA, que atualiza recomendações semanalmente de acordo com a literatura médica vigente.


"O painel recomenda contra o uso de cloroquina ou hidroxicloroquina, com ou sem azitromicina, para o tratamento de pacientes com Covid-19", indica a versão mais recente do documento.

A Sociedade Brasileira de Infectologia, que emite recomendações para sua especialidade médica, também nominou as drogas que desrecomenda.

"A SBI não recomenda tratamento farmacológico precoce para COVID-19 com qualquer medicamento (cloroquina, hidroxicloroquina, ivermectina, azitromicina, nitazoxanida, corticoide, zinco, vitaminas, anticoagulante, ozônio por via retal, dióxido de cloro), porque os estudos clínicos randomizados com grupo controle existentes até o momento não mostraram benefício", afirma o último protocolo da entidade.

— Cabe ao CFM deixar claro o que tem de evidencia científica, e não ficar omisso em relação a essa questão — afirma a infectologista Raquel Stucchi, professora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Segundo a médica, como não paira mais dúvida sobre a eficácia da cloroquina, sua prescrição não se trata mais de uma questão de autonomia profissional de indivíduos médicos
.

Publicidade médica
Schechter da UFRJ, ainda aponta para o problema da publicidade médica, pois muitos médicos que pregam abertamente o uso da cloroquina contra Covid-19 incorrem em violação de um artigo do código de ética da profissão que versa contra publicidade de terapias.

Se os conselhos sofrem pressão da comunidade médica para endurecer posição contra a cloroquina, por outro lado o Ministério da Saúde continua pregando o tratamento precoce com cloroquina. Procurado pelo GLOBO, o CFM não se manifestou sobre a questão específica de punição ética aos médicos, e citou um dos pareceres emitidos em 2020, afirmando que

“até o momento,não existem evidências robustas de alta qualidade que possibilitem a indicação de uma terapia farmacológica específica para a Covid-19”

Já o Cremesp, de São Paulo, diz que tem combatido tratamentos sem eficácia e cita sua condenação a um "soro da imunidade" anunciado como panaceia, mas diz estar de acordo com o salvo conduto dado pelo CFM a médicos que prescrevem hidroxicloroquina "diante da excepcionalidade" da pandemia, sem puni-los por infração ética.

"No que diz respeito à publicidade, é vedado ao médico, a divulgação de tratamentos sem comprovação científica, o sensacionalismo e a autopromoção", diz a entidade. "Ao divulgar informações sobre tratamento para a Covid-19, o médico deve estar atento aos limites da publicidade."

O Cremesp afirma que já abriu sindicâncias para apurar alguns casos que configuram esse tipo de comunicação indevida, mas os processos correm em sigilo.




A The Lancet pelo menos teve todo um trabalho de reunir os dados, eliminar uns e ignorar outros para lançar mundialmente um estudo fraudulento. Aqui nos temos professores da UFRJ totalmente isentos, nada apartidários ou nutridos de ideologias.
 

SVini

Habitué da casa
Mensagens
337
Reações
439
Pontos
98
Eu acho que é mais medo da agulha do que desconfiança. O ser humano inventa qualquer coisa para fugir do medo.
Eu com agulhas não tenho problema, especialmente porque em 2010 tive cálculo renal, cheguei a ficar internado no hospital e volta e meia era uma injeção aqui outra ali.
 

*ka

Bam-bam-bam
Mensagens
9.813
Reações
7.646
Pontos
394
Isso não existe.

Quem distribui é o governo federal mas quem decide são os munícipios.

Bolsonaro não define quem bate foto, se vai ter palhaço na vacinação, se vai ter o bicho piruleta.

Os prefeitos se quiserem contratam fotografo pra vacinação.
Eu não citei o Bolsonaro ou governo federal em nenhum momento, eu estou criticando o que o prefeito de Manaus quer fazer, pois lá estão favorecendo os amigos furando a fila e o prefeito está querendo esconder isso.
 

xxxnerozzz

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
16.735
Reações
20.154
Pontos
569
Eu não citei o Bolsonaro ou governo federal em nenhum momento, eu estou criticando o que o prefeito de Manaus quer fazer, pois lá estão favorecendo os amigos furando a fila e o prefeito está querendo esconder isso.
Manaus está uma bosta,o prefeito e também o governador do Amazonas, tem que investigar direitinho, pq se investigar devem ter muitos motivos para irem para cadeia
 

Sgt. Kowalski

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
48.152
Reações
106.215
Pontos
989
Premiê do Reino Unido diz que nova variante do coronavírus pode ser mais letal



22 de janeiro de 2021 | 15h02
Atualizado 22 de janeiro de 2021 | 15h18

LONDRES - O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, afirmou nesta sexta-feira, 22, que a nova variante inglesa da covid-19 pode estar associada a um maior nível de mortalidade. Ele ressaltou, no entanto, que evidências mostraram que ambas as vacinas em uso no país são eficaz contra a variante.

“Fomos informados hoje que além de se disseminar mais rapidamente, agora também parece que há alguma evidência que a nova variante - a variante que foi descoberta pela primeira vez em Londres e no sudeste (da Inglaterra) - podem estar associados a um maior grau de mortalidade", disse ele em entrevista coletiva.

Johnson disse, no entanto, que todas as evidências atuais mostraram ambas as vacinas permaneceram eficazes contra as variantes antigas e novas. Dados publicados na sexta-feira mostraram que 5,38 milhões as pessoas receberam a primeira dose de uma vacina, com 409.855 recebendo nas últimas 24 horas, um recorde até agora.

Inglaterra e Escócia anunciaram novas restrições em 4 de janeiro para estancar um aumento da doença impulsionada pela nova variante do coronavírus, que levou a números recordes de mortes e infecções diárias neste mês.

"Os casos permanecem perigosamente altos e devemos permanecer vigilantes para manter o vírus sob controle", afirmou ministério da Saúde. "É essencial que todos continuem a ficar em casa, seja os que tomaram a vacina ou não."

O Reino Unido registrou mais de 3,5 milhões de infecções e quase 96 mil mortes - o quinto maior número do mundo. A dívida pública chegou ao nível mais alto como proporção do PIB desde 1962, e varejistas tiveram seu pior ano já registrado. / Reuters
 

Aruguren

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
12.779
Reações
15.942
Pontos
659
Depois falam de cloroquina, e outros tratamentos como nao da certo e v4m com esses lockdoen, megs lockdown etc que não da certo, só olhar Alemanha, Inglaterra estão bem ferrados assim como Argentina.
Poxa cara, terceira vez que vou falar e vocês se fazem de louco. Olha o gráfico da media móvel de novos casos na Alemanha e diz se não tá funcionando.

Eu não vou defender lockdown para o Brasil nunca, mas eu não sei porquê essa insistência de dizer que lá não funciona. Não precisa negar a realidade de lá, nossos países são completamente diferentes.
 

SVini

Habitué da casa
Mensagens
337
Reações
439
Pontos
98
Premiê do Reino Unido diz que nova variante do coronavírus pode ser mais letal



22 de janeiro de 2021 | 15h02
Atualizado 22 de janeiro de 2021 | 15h18

LONDRES - O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, afirmou nesta sexta-feira, 22, que a nova variante inglesa da covid-19 pode estar associada a um maior nível de mortalidade. Ele ressaltou, no entanto, que evidências mostraram que ambas as vacinas em uso no país são eficaz contra a variante.

“Fomos informados hoje que além de se disseminar mais rapidamente, agora também parece que há alguma evidência que a nova variante - a variante que foi descoberta pela primeira vez em Londres e no sudeste (da Inglaterra) - podem estar associados a um maior grau de mortalidade", disse ele em entrevista coletiva.

Johnson disse, no entanto, que todas as evidências atuais mostraram ambas as vacinas permaneceram eficazes contra as variantes antigas e novas. Dados publicados na sexta-feira mostraram que 5,38 milhões as pessoas receberam a primeira dose de uma vacina, com 409.855 recebendo nas últimas 24 horas, um recorde até agora.

Inglaterra e Escócia anunciaram novas restrições em 4 de janeiro para estancar um aumento da doença impulsionada pela nova variante do coronavírus, que levou a números recordes de mortes e infecções diárias neste mês.

"Os casos permanecem perigosamente altos e devemos permanecer vigilantes para manter o vírus sob controle", afirmou ministério da Saúde. "É essencial que todos continuem a ficar em casa, seja os que tomaram a vacina ou não."

O Reino Unido registrou mais de 3,5 milhões de infecções e quase 96 mil mortes - o quinto maior número do mundo. A dívida pública chegou ao nível mais alto como proporção do PIB desde 1962, e varejistas tiveram seu pior ano já registrado. / Reuters
Será que vão chamar o Boris Johnson de comunista esquerdo para também?
 

RavengaSPFC

Bam-bam-bam
Mensagens
1.562
Reações
2.165
Pontos
303
Uma dúvida que eu tenho e se for o que penso, acho frustrante.
Ex: Tomo a vacina e depois de um tempo fico imune ao vírus. Vou para uma balada, beijo uma garota que está com covid. Vou pra casa, não fico doente, mas o vírus pode usar meu corpo como hospedeiro e transmitir a alguém que ainda não está imune?

Pelo que andei lendo, apenas a da pfizer tem o poder satinizante de eliminar o vírus do corpo com segurança. :kpensa
 

Sgt. Kowalski

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
48.152
Reações
106.215
Pontos
989
Secretário de Saúde que debochava da CoronaVac é visto 'furando fila'


Uma investigação foi aberta hoje pelo MP (Ministério Público) do Amapá contra o secretário de Saúde de Serra do Navio, Randolph Scoot, após ele aparecer em uma foto tomando a vacina contra a covid-19. O inquérito quer saber se o gestor "se beneficiou do cargo em detrimento de profissionais de saúde".



A imagem circulou nas redes sociais e gerou críticas ao secretário por não ser profissional da saúde e por ter questionado em seu perfil a eficácia da CoronaVac, imunizante usado na vacinação, produzido pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês SinoVac.



De acordo com o Plano de Imunização de Serra do Navio, serão imunizados "todos os trabalhadores da Saúde", abrangendo todas as especialidades e funções das equipes de multiprofissionais.
O Amapá recebeu na terça-feira (19) pouco mais de 30 mil doses do imunizante para serem distribuídos aos municípios. No mesmo dia, Serra do Navio recebeu um lote com 89 doses.

Ao UOL, Scoot disse que atua na linha de frente de combate à pandemia por se reunir cotidianamente com profissionais de saúde e a comunidade.
"Temos quase 90 trabalhadores. Um deles sou eu, que estou direto na linha de combate. Vamos levar nosso plano de imunização ao MP e relatórios das nossas ações que geraram até prêmios de combate à pandemia. Quem coordena, reúne com a comunidade e demais servidores sou eu, pois sou secretário e estou nessa linha de frente", justificou.
O MP pediu que o secretário se manifeste em até 48 horas. Caso seja constatada alguma irregularidade, ele poderá responder por improbidade administrativa na esfera cível e por infração de medida sanitária preventiva no âmbito criminal.

Meses antes, secretário criticou vacina
Scoot tomou a vacina meses depois de usar as redes sociais para criticar a CoronaVac.
"O doente mental quer obrigar nosso povo a usar a vacina chinesa. Já não basta a porra deste vírus chinês?", escreveu o secretário em 22 de outubro, em referência ao governador de São Paulo, João Dória (PSDB), que negociou com o laboratório chinês SinoVac a parceria da fabricação do imunizante pelo Instituto Butantan.
Em outra postagem, no mesmo dia, Scoot mais uma vez atacou a vacina que meses depois tomou. "Nós não somos cobaias", refutou.
Questionado pelo UOL, Scoot afirmou que "não tomou vacina da China" para se imunizar contra a covid-19. "Tomei [a vacina] do Butantan", diz o secretário — vale ressaltar que todas as vacinas da CoronaVac que estão no Brasil ainda são importadas da China.
"Estão me batendo porque politizam uma crise mundial. Tanto o pessoal do Bolsonaro quanto do PT estão politizando a pandemia. Além de ser diabético, meu médico recomendou que eu tomasse porque sou hipertenso, diabético e bariátrico. Eu não queria, mas o médico disse que deveria tomar e por esse motivo fui vacinado", declarou.
 

Valefor III

Veterano
Mensagens
548
Reações
870
Pontos
128
Secretário de Saúde que debochava da CoronaVac é visto 'furando fila'


Uma investigação foi aberta hoje pelo MP (Ministério Público) do Amapá contra o secretário de Saúde de Serra do Navio, Randolph Scoot, após ele aparecer em uma foto tomando a vacina contra a covid-19. O inquérito quer saber se o gestor "se beneficiou do cargo em detrimento de profissionais de saúde".



A imagem circulou nas redes sociais e gerou críticas ao secretário por não ser profissional da saúde e por ter questionado em seu perfil a eficácia da CoronaVac, imunizante usado na vacinação, produzido pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês SinoVac.



De acordo com o Plano de Imunização de Serra do Navio, serão imunizados "todos os trabalhadores da Saúde", abrangendo todas as especialidades e funções das equipes de multiprofissionais.
O Amapá recebeu na terça-feira (19) pouco mais de 30 mil doses do imunizante para serem distribuídos aos municípios. No mesmo dia, Serra do Navio recebeu um lote com 89 doses.

Ao UOL, Scoot disse que atua na linha de frente de combate à pandemia por se reunir cotidianamente com profissionais de saúde e a comunidade.
"Temos quase 90 trabalhadores. Um deles sou eu, que estou direto na linha de combate. Vamos levar nosso plano de imunização ao MP e relatórios das nossas ações que geraram até prêmios de combate à pandemia. Quem coordena, reúne com a comunidade e demais servidores sou eu, pois sou secretário e estou nessa linha de frente", justificou.
O MP pediu que o secretário se manifeste em até 48 horas. Caso seja constatada alguma irregularidade, ele poderá responder por improbidade administrativa na esfera cível e por infração de medida sanitária preventiva no âmbito criminal.

Meses antes, secretário criticou vacina
Scoot tomou a vacina meses depois de usar as redes sociais para criticar a CoronaVac.
"O doente mental quer obrigar nosso povo a usar a vacina chinesa. Já não basta a porra deste vírus chinês?", escreveu o secretário em 22 de outubro, em referência ao governador de São Paulo, João Dória (PSDB), que negociou com o laboratório chinês SinoVac a parceria da fabricação do imunizante pelo Instituto Butantan.
Em outra postagem, no mesmo dia, Scoot mais uma vez atacou a vacina que meses depois tomou. "Nós não somos cobaias", refutou.
Questionado pelo UOL, Scoot afirmou que "não tomou vacina da China" para se imunizar contra a covid-19. "Tomei [a vacina] do Butantan", diz o secretário — vale ressaltar que todas as vacinas da CoronaVac que estão no Brasil ainda são importadas da China.
"Estão me batendo porque politizam uma crise mundial. Tanto o pessoal do Bolsonaro quanto do PT estão politizando a pandemia. Além de ser diabético, meu médico recomendou que eu tomasse porque sou hipertenso, diabético e bariátrico. Eu não queria, mas o médico disse que deveria tomar e por esse motivo fui vacinado", declarou.
 

coronavirus

Supra-sumo
Mensagens
1.030
Reações
1.296
Pontos
168

Vergonha desse governo, se eu fosse presidente da associação de médicos eu mandaria todos médicos da linha de frente não trabalhar pra exigir aumento de 4x o salário de quem esta na linha de frente e esse governo cederia também, só abre as pernas, a Índia aumentou o preço das vacinas eles pagaram, a china exige 5g e o Ernesto demitido capaz de fazerem, fora centrao que já abriram as pernas, uma vergonha esse governo.

Uma das poucas coisas que acertaram na pandemia foram travar a vida das pessoas com ideias mirabolantes de fechar tudo, de resto muito erro.
 

coronavirus

Supra-sumo
Mensagens
1.030
Reações
1.296
Pontos
168
Foi esse lero que o mandetta dizia e foi feito em Minas que nem casos tinha, que era pra restabelecer sistema de saúde, que o pico era marco, abril, maio e assim foi e nunca o virus foi embora, alias só na eleição e com isso pessoas até hoj3 mal podem trabalhar mais juram que estão cuidando da saúde e não roubsndo dinheiro publico, não fizersm nada no inicio deixaram ficar como 3sta so roubsndo dinheiro publico que seria pra saude e povo ainda se deixa preso por esses incompetentes.
 

coronavirus

Supra-sumo
Mensagens
1.030
Reações
1.296
Pontos
168
Poxa cara, terceira vez que vou falar e vocês se fazem de louco. Olha o gráfico da media móvel de novos casos na Alemanha e diz se não tá funcionando.

Eu não vou defender lockdown para o Brasil nunca, mas eu não sei porquê essa insistência de dizer que lá não funciona. Não precisa negar a realidade de lá, nossos países são completamente diferentes.
Lá na Inglaterra postaram posts atrás dizendo que ela esta bem pior que das outras vezes e lá toda vez inventam lockdown, como isso está dando certo?

Pior ainds defender essas maluquices no nosso país em que somos maioria pobres, só que insistem fechar estabelecimentos, atrapalhar vida das pessoas até hoje, no início diziam que era pra estabelecer sistema de daude, falavam em pico vsi chegar como se fosse acabar rápido e tá nesse lero até hoje culpando população e sacrificando empregos e saude mentwl da gente.
 

coronavirus

Supra-sumo
Mensagens
1.030
Reações
1.296
Pontos
168
A mascara desse povo esta caindo, querem deixar pessoas malucas num mundo de caos total que insistem em todo mundo vsi morrer e eles igual a anitta bem curtindo uma festa flagrada, bbb começando cheio de festas mais vai a boate abrir pra uma festa, até a secretsris de saude da cidade disse que recebe inúmeras denúncias do pessoal fiwue em casa mais que não pode ir nas casas fechar os churrascos de amigos, olha que loucura segundo a secretsris eles não tem infelizmente permissão pra isso, seria cômico não fosse trágico.
 
Topo