O que há de Novo?
  • Novo tema VIP está disponível
    Visitante, um novo tema com fundo escuro agora está disponível para aqueles que contribuíram com doações ao fórum e têm o status VIP. Veja os detalhes aqui.


Darwin: o homem que matou Deus

Luccas Neto

Veterano
Mensagens
505
Reações
425
Pontos
103
Sempre há quem reclame, mas nada muda um fato: ele desvendou o maior mistério da biologia, e tornou dispensável a ideia de criação divina.
(o artigo completo ta no spoiler, fora deixei só a q achei melhor)



E Charles Darwin criou o homem. Ou, pelo menos, inventou o que hoje nós conhecemos como homem. Antes dele, éramos o centro do Universo, a obra sublime da criação. Agora somos apenas mais uma entre milhões e milhões de espécies, um bicho de origem nada especial. Nada mesmo: a Teoria da Evolução deixou claro que todas as formas de vida que já pisaram na Terra são filhas da mesma tataravó – uma simples molécula.

Assim, mostrando como a vida evolui, Darwin dispensou Deus do cargo de criador. E seus seguidores do século 21 querem fazer algo ainda mais chocante: mostrar que não passamos de escravos a serviço dos verdadeiros donos deste planeta. Ah, tem mais: a teoria de Darwin pode ter desvendado o segredo dos buracos negros. E mostrado não só que deve haver vida fora da Terra mas em universos paralelos também. Quer saber como? Então vamos embarcar no velho Beagle. Primeira escala: o inferno.

O inferno de Darwin

O solo repleto de lava negra estava coberto de lagartos e tartarugas monstruosas. Caranguejos escarlates corriam por todos os lados. O calor era tão forte que atravessava as botas e queimava os pés. Cercado por uma vegetação composta de cactos de 3 metros de altura, girassóis do tamanho de árvores e arbustos desfolhados, Darwin escrevia em seu diário: “A superfície seca e crestada, aquecida pelo sol do meio-dia, deixava o ar abafado, quente como em um forno. Tínhamos a impressão de que até os arbustos cheiravam mal”.

“Esse lugar é o inferno!”, dizia Robert FitzRoy, capitão do navio de pesquisas Beagle, que levara o jovem Charles Darwin às Galápagos, um arquipélago no oceano Pacífico. FitzRoy queria um cavalheiro a bordo para lhe fazer companhia. E o abonado Darwin, de 22 anos, acabou escolhido, principalmente porque estava estudando para virar padre – mas também porque FitzRoy gostou do formato do nariz dele, que “sinalizava profundidade de caráter”. O capitão tinha dois objetivos para a viagem. Um a serviço do Império Britânico: mapear a costa da Patagônia. Outro, pessoal: encontrar provas científicas de que o mundo tinha sido criado de acordo com o que está na Bíblia. Mal sabia ele que o assassino de Deus estava a bordo.

A paisagem infernal das Galápagos, onde aportaram em 15 de setembro de 1835, após quase 4 anos de expedição, era um paraíso para Darwin. Ele pintou e bordou com tudo o que pôde naquele lugar perdido no tempo. Pegou carona nas tartarugas (“Era difícil manter o equilíbrio.”), tirou onda com as iguanas (“Ela ficou olhando para mim como se quisesse dizer: Por que você puxou a minha cauda?”) e encheu o bucho de iguarias exóticas (“Tatu é um prato excelente quando assado em sua carapaça.”). De quebra tirou de lá a inspiração para a ideia mais importante e assustadora da história da ciência.

O gatilho para esse pensamento veio quando ele percebeu diferenças instigantes entre os bicos de uma espécie de passarinho das Galápagos, os tentilhões. Em uma ilha eles tinham bicos grossos, bons para quebrar nozes. Em outra, longos e finos, ideais para arranjar comida em frestas. Darwin imaginou que aquelas aves deviam ter se adaptado de algum jeito. Por mágica? Não: por um processo de seleção que levou gerações. Em ambas as ilhas teriam nascido pássaros de bico fino e de bico grosso. Naquela onde havia nozes para comer, só estes últimos teriam sobrevivido. A partir desse raciocínio simples, nascia um monstro.

De volta à Inglaterra, aos 27 anos, Darwin estudou a fundo as 5.436 carcaças, peles e ossos que colecionara na viagem do Beagle e concluiu que TODAS as espécies do mundo tinham passado por processos de adaptação equivalentes ao dos tentilhões. Bem devagarzinho. Imagine as asas dos pássaros, por exemplo. Pela lógica de Darwin, elas não nasceram prontas. Em algum ninho dos ancestrais dos pássaros, que não voavam, surgiu um mutante, um “patinho feio”, com uma pequena membrana que lhe permitia planar de vez em quando. Essa característica deu-lhe alguma vantagem na luta pela sobrevivência. E o bicho deixou mais descendentes que seus irmãos. A prole dele, que carregava a mesma mutação, também fez mais filhos, e por aí foi.

Com o tempo, novos mutantes, novos patinhos feios, foram nascendo com asas cada vez melhores. E no fim das contas um novo tipo de animal se consolidava no planeta: os pássaros. Tudo às custas da extinção de outros bichos parecidos, só que menos adaptados à dureza da vida. “A produção de animais superiores é conseqüência da natureza, da fome e da morte”, escreveu Darwin.

Nós mesmos, imaginou o inglês, não podíamos estar de fora. A diferença é que a evolução para a forma que temos hoje foi a partir de “macacos” (na verdade, animais parecidos com macacos) que foram desenvolvendo cérebros cada vez maiores, do mesmo jeito que os pássaros fizeram com as asas. E esses “macacos” vieram de outros bichos… Hoje sabemos de quem: de peixes mutantes que nasceram com a capacidade de respirar fora da água – nossos pulmões, por exemplo, vieram direto desses animais, que viviam em pântanos lamacentos.



Aí não tinha mais jeito. Darwin já sabia que não éramos “a imagem e semelhança de Deus”. Agora responda: o que você faria ao perceber que na sua cabeça existe uma ideia que pode abalar as crenças mais profundas de quase toda a humanidade? Darwin sentiu o peso, e ficou aterrorizado. Demorou mais de 30 anos para publicar a ideia em seu livro A Origem das Espécies, de 1859. E ainda assim o livro só saiu quando ele leu um artigo de Alfred Russel Wallace, um biólogo inglês. O texto continha uma teoria bem similar à da seleção natural, porém menos abrangente. Com medo de ser passado para trás, Darwin autorizou seu amigo Thomas Huxley a expor a Teoria da Evolução ao mundo científico, pois ele mesmo não teve coragem. “Foi como confessar um assassinato”, escreveu.

Por isso mesmo a teoria demorou para virar unanimidade entre os acadêmicos. Ela só foi aceita para valer quando outros cientistas, já no século 20, a refinaram com base na genética – a forma como os pais transmitem suas características aos filhos. Esse renascimento deu um gás novo à Teoria da Evolução. E na década de 1930 começava uma nova revolução: o neodarwinismo. Com ele, uma ideia aterradora começou a sair do forno: a de que você não passa de um robô. Era a Teoria do Gene Egoísta, que ganhou corpo nos anos 70. Para entendermos melhor essa história, vamos fazer outra viagem no tempo. Desta vez para uma época bem anterior à do Beagle. Mas com um destino igualmente infernal.

Origem das espécies 2.0
Planeta Terra, 4 bilhões de anos atrás. Um mundo adolescente, infestado por vulcões, meteoritos e tempestades violentas. No mar desse inferno, moléculas de carbono encontraram um porto seguro. E começaram a se juntar, formando cadeias cada vez mais longas e complexas. Uma hora, como quem não quer nada, apareceu um estranho nesse ninho. Um acidente da natureza. Era uma molécula capaz de se replicar, de sugar matéria orgânica do ambiente e usar como matéria-prima para produzir cópias dela mesma. Motivo? Nenhum: ela fazia réplicas por fazer e pronto. Vai entender…

Essa aparição foi algo tão improvável quanto se uma revista (que também é feita de cadeias de carbono) comesse seus dedos ao folheá-la e, a partir dos átomos da sua carne, pele e ossos, construísse uma cópia dela mesma. Improvável, mas foi exatamente o que aconteceu naquele dia. E não havia nada ali para conter o apetite da monstruosa molécula.
Ainda mais porque arranjar matéria-prima, ou seja, “comida”, nesse oceano primitivo era fácil: bastava “pescar” nutrientes na água. Assim ela cresceu e se multiplicou. Mas tinha um problema: nem sempre as réplicas saíam perfeitas. Às vezes acontecia um erro de cópia aqui, outro ali. Surgiam aberrações. “Um livro e tanto escreveria o capelão do Diabo sobre os trabalhos desastrados, esbanjadores, ineficientes e terrivelmente cruéis da natureza!”, escreveria Darwin sobre esse processo bilhões de anos depois.

Esses erros aconteciam bem de vez em quando: um a cada milhão de réplicas. Mas tempo é o que não falta nesse mundo. Então eles foram se acumulando mais e mais. Só que alguns não davam em aberrações. Muito pelo contrário. Algumas réplicas nasciam com uma mutação que as fazia se multiplicar mais em menos tempo. E não demorou para essas mutantes mais férteis dominarem o mar. Só isso já é um tipo de seleção natural. Mas a regra de Darwin só deu as caras para valer quando aconteceu o inevitável: o mundo ficou pequeno para tantos replicadores. Com a superpopulação, os ingredientes de que eles precisavam para fazer suas cópias rarearam. Era a primeira crise de fome no planeta.

A saída? Ir para a briga. Mas estamos falando de moléculas, que não têm lá muito poder de decisão. Foi aí que provavelmente surgiu uma mutação inédita, que permitia a algumas moléculas comer outros replicadores. Assim elas conseguiam eficiência total: arranjavam almoço e eliminavam rivais ao mesmo tempo. Mas o domínio não duraria para sempre. Com o tempo surgiram mutantes com capa protetora natural. Com essa armadura, dava para comer os rivais sem o risco de ser comido. Nasciam as primeiras células do mundo. “Os replicadores deixavam de meramente existir e começavam a fazer contêineres para eles, veículos para que pudessem continuar vivos. Os que sobreviveram foram os que construíram ‘máquinas de sobrevivência’ para si”, escreveu o mais notório dos neodarwinistas, o zoólogo Richard Dawkins, da Universidade de Oxford, na Inglaterra.

Não demorou para virem células mutantes ainda mais terríveis contra as rivais. Elas tinham o poder de juntar forças com outras células e atacar unidas. E de fazer cópias de si mesmas numa tacada só, como se todas fossem uma única molécula. Surgiam os primeiros seres multicelulares. E eles ficaram cada vez mais complexos: suas células passaram a assumir funções distintas para operar sua máquina de sobrevivência. Faziam como soldados num tanque de guerra: umas ficavam a cargo da locomoção, na forma de nadadeiras; outras, dos “satélites” para encontrar comida (visão, olfato).

E o progresso nunca parou. Tanto que hoje boa parte dos replicadores vive em “robôs” imensos, feitos de milhares de trilhões de células. Agora os chamamos de genes, e eles estão dentro de nós. Somos sua máquina de sobrevivência.


O sentido da vida

Genes mutantes e as pressões da seleção natural fizeram essa obra esplêndida que você vê no espelho todas as manhãs. Uma caminhada e tanto. Mas uma coisa não mudou desde os tempos da primeira molécula replicadora. Aquele objetivo irracional continua intacto: tudo o que os genes querem é fazer cópias de si mesmos. Foi para isso que eles criaram nosso corpo e nossa mente. E agora nos comandam lá de dentro, por controle remoto, para que trabalhemos em nome de sua preservação. A razão da existência? Lutar para que os genes façam cópias deles mesmos do melhor jeito possível.

E, para os neodarwinistas, esse egoísmo dos genes é a chave para descobrir como a nossa mente funciona. O próprio Darwin tinha escrito, no final de A Origem das Espécies: “Agora a psicologia se assentará sobre um novo alicerce”. Demorou, mas aconteceu. Uma nova ciência da mente ganhou terreno no final do século 20. Foi a psicologia evolucionista, que usa Darwin e a mecânica dos genes para entender o que se passa aí dentro da sua cabeça.

Premissa número 1 dessa ciência: a mente já nasce quase pronta. Ela não é uma folha em branco, em que qualquer coisa pode ser “escrita”, como muitos filósofos e cientistas sociais defendem. Do ponto de vista da psicologia evolucionista, não faz sentido dizer que a cultura molda o nosso comportamento. Ela afirma que sua mente foi forjada ao longo de toda a evolução. E que você vem ao mundo com todos os “softwares” instalados no “hardware” da sua cabeça. Seus desejos, sua personalidade e tudo o mais dependem desses programas mentais. Nossa margem de manobra é pequena.

E tem outra: a mente humana ganhou os softwares que tem hoje nos últimos 200 mil anos, quando nossa espécie, o Homo sapiens, veio ao mundo. Passamos 97% desse tempo em bandos nômades, que viviam da caça e da coleta. Nossa mente, então, não passa de uma ferramenta da Idade da Pedra tentando se virar num mundo que não existe mais. Do ponto de vista dos nossos genes, ainda estamos no Paleolítico, uma época sem faculdade, carreira, dinheiro ou anticoncepcionais. Uma época em que só duas coisas realmente contavam: sexo e violência.

A guerra do sexo

Se ainda sobrou alguma coisa que você queria saber sobre sexo, mas não tinha coragem de perguntar, talvez a resposta dos evolucionistas sirva: ele é a forma que os genes arrumaram para melhorar as defesas da sua máquina de sobrevivência. Por exemplo: se você tem um sistema imunológico que não sabe se defender de algum vírus, e tudo o que você sabe fazer para se reproduzir são cópias de si mesmo, como aquelas primeiras células, seus rebentos vão ter esse problema. E o clã inteiro vai morrer no caso de um ataque.
Agora, se você combina seus genes com o de um ser imune ao tal vírus, a história é outra: teoricamente, só uma parte do clã morreria. E o resto continuaria passando seus genes adiante como se nada tivesse acontecido.

Ao criar esse tipo inovador de reprodução, a seleção natural tratou de dividir o trabalho entre dois tipos de funcionários especializados. Um teria a função de tentar pôr seus genes em qualquer máquina de sobrevivência que cruzasse seu caminho. O outro selecionaria entre esses primeiros quais têm os melhores genes para compartilhar e cuidaria da cria que os dois tivessem juntos. Em outras palavras, o mundo se dividia entre machos e fêmeas.

Enfim, ao ganhar o poder de decidir quais machos terão filhos e quais ficarão na prateleira, as fêmeas assumiram o controle da evolução na maioria das espécies. E, para a psicologia evolutiva, é isso que determina aquilo que mais importa na vida: a propagação dos nossos genes, coisa também conhecida como vida afetiva e sexual.

O sexo, hoje, tem pouca relação com o ato de fazer filhos. Você sabe. Nenhum adolescente pensa em engravidar 10 meninas quando vai viajar para o Carnaval. Mas os genes dele não fazem ideia de que existem camisinhas e tudo o mais, então deixam o rapaz com vontade de transar com 10 garotas e pronto. Se tudo der certo, esses genes poderão instalar-se no útero de um monte de meninas e construir um monte de bebês (um monte de máquinas de sobrevivência).

Do ponto de vista das fêmeas a história é outra: transar com 10 sujeitos num feriado não vai “render” 10 filhos para os genes dela se instalarem. Vai dar é uma baita dor de cabeça. Os contraceptivos poderiam deixá-las livres para fazer sexo só pelo prazer com um monte de seres do sexo oposto, como qualquer homem faz (ou tenta fazer). Mas não. O cérebro delas evoluiu para selecionar os melhores parceiros, ter poucos (e bons) filhos, não para tentar a sorte com qualquer um. Sem falar que, do tempo dos nossos ancestrais caçadores-coletores até o século 20, sexo casual para elas era correr o risco de acabar com um bebê indesejado.

Psicólogos da Universidade Stanford, nos EUA, checaram isso com uma experiência simples. Contrataram homens e mulheres atraentes para abordar estudantes e dizer: “Você gostaria de ir para a cama comigo hoje?” Nenhuma mulher aceitou. Já as garotas tiveram resultados melhores: 75% dos homens toparam no ato. Dos 25% restantes, a maioria pediu desculpas, explicando que tinha marcado de sair com a namorada. Pois é: do ponto de vista da seleção natural, uma fêmea disponível é um bem valioso demais para ser desperdiçado.
Nenhum homem se surpreende com isso, mas, para as mulheres, a verdade da psicologia evolucionista pode soar assustadora: “O desejo de variedade sexual nos homens é insaciável. Quanto maior for o número de mulheres com quem um homem tiver relações, mais filhos ele terá [pelo menos é o que “pensam” os genes]. Então demais nunca é o bastante”, escreveu outro guru do neodarwinismo, o psicólogo Steven Pinker, da Universidade Harvard, nos EUA.

Esse apetite todo também ajuda a explicar as raízes de outro comportamento ancestral: a violência. Os despojos de guerra mais comuns nos conflitos tribais sempre foram as mulheres. Não é à toa que uma das lendas sobre a fundação de Roma, que aconteceu no século 8 a.C., celebra o dia em que os primeiros romanos atacaram uma tribo vizinha, a dos sabinos, e raptaram as mulheres deles para começar sua civilização.

E esse é o ponto: às vezes a violência é, sim, o melhor jeito de conseguir alguma coisa. Então não há mistério para a psicologia evolucionista. Como a violência funcionou ao longo da história, ela está impregnada nos nossos genes. “Os bebês só não matam uns aos outros porque não lhes damos acesso a facas e revólveres”, disse o pediatra e psicólogo Richard Tremblay, da Universidade de Montreal. A grande questão, ele completa, não é como as crianças aprendem a agredir, mas como elas aprendem a não agredir.

A resposta é relativamente óbvia: “A coisa mais complicada na vida de um primata [e humanos são primatas] é a capacidade de se virar em sociedades complexas. Se dar bem socialmente não é dar bifa em todo mundo, claro”, diz o psicólogo Eduardo Ottoni, da USP. Então nada melhor que um pouco de altruísmo para ficar bonito na foto. Os morcegos que o digam: entre as espécies que se alimentam de sangue, a vida não é fácil. Nem sempre dá para voltar pra caverna com o almoço na barriga. Mas os que conseguiram sangue durante o dia dão uma força aos malsucedidos, oferecendo a eles o sangue que sobrou na boca. Mas não tem conversa: quem não retribuir a oferta quando a situação for inversa fica com a reputação manchada e é banido do almoço grátis.

Mas em alguns casos somos altruístas sem querer nada em troca, nem inconscientemente. Isso acontece quando se trata das nossas famílias. E é aí que, para os neodarwinistas, fica mais clara a forma como os genes nos dominam.

Sangue do meu sangue
Você é uma máquina de sobrevivência dos seus genes
, que o usam para se reproduzir. Ok. Mas o que aconteceria se esses genes tivessem construído um cérebro capaz de detectar cópias deles em outro corpo? O seguinte: eles também lutariam pela sobrevivência desse corpo. Fariam você se sentir aliviado com bem-estar dele.

O fato é que os genes construíram esse sistema de detecção. Todos os cérebros têm isso em algum grau. E o altruísmo puro é exatamente o que acontece quando dois animais são parentes próximos. Existe uma chance em duas de que qualquer um dos seus genes esteja no seu irmão ou no seu filho. E 1 em 8 de que esteja em um primo. Sendo assim, o que o neodarwinismo diz é: você não “ama” seus filhos e irmãos. São seus genes que veem neles maneiras de se perpetuar. E é por isso que você os ajuda. O geneticista John Haldane (1892-1964), um dos pioneiros do neodarwinismo, quis deixar isso claro quando lhe perguntaram se ele daria a vida por um irmão. A resposta: “Não. Mas daria por 2 irmãos ou 8 primos”.

O mesmo vale para quando nos apaixonamos. Se você ama alguém, quer ter filhos com essa pessoa, quer colocar seus replicadores ali e se esfolar para cuidar dos rebentos. Aí, para o futuro dos genes, sua vida só faz sentido se aquela pessoa existir. E o sentimento é tão poderoso que parece eterno enquanto dura.

Outra coisa que determina a hierarquia entre parentes é a expectativa de que eles se reproduzam. Daí os pais se sacrificarem mais pelos filhos do que os filhos pelos pais. Responda rápido: se você tivesse que decidir entre a morte de 20 estranhos e a vida do seu filho, ficaria com qual opção? Ou melhor: existe algum número de pessoas que valha a vida de um filho? Para a psicologia evolucionista, não. Para o Zé Mané do boteco e a dona Cleide da quitanda também não. O egoísmo dos genes aí dentro é maior do que tudo o que tem do lado de fora.


https://super.abril.com.br/ciencia/darwin-o-homem-que-matou-deus/
 


Luccas Neto

Veterano
Mensagens
505
Reações
425
Pontos
103
o artigo todo é interessante, mas deixei fora do spoiler só o que considerei o mais interessante, e em negrito as partes que mais me chamaram a atenção
que coisa depressiva, aff. acreditar em Deus e na história da bíblia é bem mais confortável que esse pensamento que somos uma máquina querendo somente reproduzir os genes (o que é verdade), li esse negócio agora pouco e fiquei meio mal, principalmente as partes que marquei

somos só umas maquininhas nascidas pra trepar e passar gene pra frente, sem sentido, sem céu, sem inferno, sem bosta nenhuma, só trepar e fazer os genes avançarem
que tristeza da porra
vou dormir

se alguém é religioso convicto e lê um negócio desses, axo melhor pensar que é obra do diabo, pela sanidade mental, o cérebro tem que se recusar a aceitar isso. viver acreditando ser especial e ter um destino florido brilhante é bem melhor, sem comparação

tava pensando em ler o gene egoísta mas axo que vou acabar entrando em depressão com isso, se um artigo bobo desses ja me deu uma desanimada, imagino algo grande e detalhado. trepem e trepem muito, somos uns inúteis escravos do corpo nascidos pra foder #sad
 

Luccas Neto

Veterano
Mensagens
505
Reações
425
Pontos
103
Isto me lembrou um famoso pesquisador ateu e que depois se tornou cristão chamado George R Price, ele foi o pioneiro nos estudos sobre a origem do altruísmo, ficou locão e doou tudo o que ganhou para mendigos, morreu na rua inclusive, a história dele é bem legal https://motherboard.vice.com/pt_br/article/nz3adb/altruismo-de-george-price
por coincidência me ofereci pra levar minha irmã numa cidade hoje, to levando pq eu quero ou pq sou uma máquina querendo proteger "meus" genes? lol, bizarro
 

Luccas Neto

Veterano
Mensagens
505
Reações
425
Pontos
103
postando aqui pra ler depois, ja to deprimido o suficiente:
https://super.abril.com.br/ciencia/o-gene-altruista/
"O altruísmo faz parte da vida selvagem, e vem de fábrica no seu cérebro. Mas as raízes dele são mais sombrias do que você imagina. "

" Agora suponha um conjunto de genes que o tornem mais propenso a atitudes altruístas – como fornecer alimento a pessoas próximas. Ao dar comida para seus irmãos e filhos, você colabora com a sobrevivência de gente que carrega seus próprios genes. Sendo bom com seus parentes, você é bom consigo mesmo. Não existe almoço de graça: uma atitude altruísta do ponto de vista do indivíduo ainda é interesseira do ponto de vista do DNA – são só bases nitrogenadas se preocupando com as cópias delas que vivem nas células de outro ser vivo."

esse artigo fala algo legal, pq doamos coisas pra pessoa do outro canto do mundo? burlando o instinto? pois não ganhamos nada
 
Ultima Edição:

Death Knight

Bam-bam-bam
Mensagens
11.073
Reações
4.678
Pontos
444
Não sou biólogo, mas sinceramente, acho que não há nada mais belo nas ciências naturais que a seleção natural. É uma explicação simples e fantástica da evolução da vida em nosso planeta.

Como já é bastante conhecido, o deus dos cristãos é o deus das lacunas. Ele é tão inútil que só serve para preencher os "vazios" (coisas que ainda não temos explicação) da ciência. Na medida em que a ciência evolui, deus se torna cada vez mais irrelevante.
 


Goris

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
13.692
Reações
46.722
Pontos
553
"Darwin is dead"
God

Piadas aparte, o texto todo é muito bom, mas o título do tópico é péssimo, acaba afastando as pessoas (ao invés de as trazer) pelo fator click-bait e potencial de brigas.

Em off, acho legal quem é ateu, mas sempre me pergunto se, como tática, chegar já falando "Deus está morto", você meio que acaba falando apenas com quem já pensa igual.

Pessoalmente acho uma tática mais eficiente falar sobre todas aa descobertas da ciência e deixar a cargo da pessoa chegar à conclusão que Deus não existe (ou que existe).

Eu sou religioso, acredito em Deus e tal, mas admito que não O entendo e só posso torcer para ele tomar conta de minha familia, de todas as famílias, sempre que precisarmos.

Dei uma de Pingu e até pensei se somos mesmo reais ou uma simulação (até comentou sobre isso no tópico do jogo RimWorld), mas mesmo nesse caso, Deus simples seria um cientista do mundo real rodando nossa simulação. A ideia não deixa de ser cthulleana.
 

sparcx86_GHOST

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
27.258
Reações
18.344
Pontos
784
se isto fosse aplicado a politica seria interessante
o que mais vejo é gente negando estes fatos para justificar populismo
 

NJunior

Bam-bam-bam
Mensagens
2.790
Reações
7.010
Pontos
303


PS: Só li as primeiras linhas, sabe quem criou a primeira molécula!? O qual é citado como origem de tudo!? O próprio DEUS, o CRIADOR DE TUDO. Darwin, você foi grande como homem, mas é insignificante como criação.
 

iporco

Bam-bam-bam
Mensagens
3.544
Reações
7.392
Pontos
303
foi um dos q mataram deus e essa crendice do criacionismo, teve outros q nos elucidaram sobre a verdade da nossa pífia existencia
 

Luccas Neto

Veterano
Mensagens
505
Reações
425
Pontos
103


PS: Só li as primeiras linhas, sabe quem criou a primeira molécula!? O qual é citado como origem de tudo!? O próprio DEUS, o CRIADOR DE TUDO. Darwin, você foi grande como homem, mas é insignificante como criação.
se nem leu acho que nem deveria opinar nada
mas normal, acho que é até um instinto do seu cérebro pra se proteger, imagina ter que mudar uma vida inteira com uma crença fixa?
provavelmente se recusaria a aceitar que não teve nada de Deus nem nada assim mesmo com milhares de evidências
 

NJunior

Bam-bam-bam
Mensagens
2.790
Reações
7.010
Pontos
303
Ateus se acham superiores, acham que sabem a verdade pois não há "provas" da existência de Deus, aí preferem acreditar que tudo é ao acaso, simplesmente do NADA surge uma molécula mutante:

Origem das espécies 2.0
Planeta Terra, 4 bilhões de anos atrás. Um mundo adolescente, infestado por vulcões, meteoritos e tempestades violentas. No mar desse inferno, moléculas de carbono encontraram um porto seguro. E começaram a se juntar, formando cadeias cada vez mais longas e complexas. Uma hora, como quem não quer nada, apareceu um estranho nesse ninho. Um acidente da natureza. Era uma molécula capaz de se replicar, de sugar matéria orgânica do ambiente e usar como matéria-prima para produzir cópias dela mesma. Motivo? Nenhum: ela fazia réplicas por fazer e pronto. Vai entender…
Vai entender né essa natureza, simplesmente o ACASO assim do nada faz uma molécula sugar matéria organica, assim por que ela quis derrepente, todo dia temos uma molécula nova inovando né, assim tcharam agora sou uma molécula nova por que sim,..... :klol :kwtf, blza quer negar a ÚNICA explicação plausível e acreditar no simples pufff o acaso do nada.......mas aí quando as pessoas ficam doentes, a beira da morte choram que nem crianças e aí pedem socorro a Deus, "por que Deus!?", "me ajuda Deus!", "ai meu Deus", "socorro Deus", enfim, já vi INÚMERAS pessoas assim pois na hora que o cu pisca com medo de morrer aí o surge o desespero e Deus surge assim do NADA NA CABEÇA.....

Enfim, cada um crê no que quiser, mas o fim vai ser um só a morte, e após nela já foi dito, quem nega Deus, com Deus não ficará na eternidade, e assim sobra o capeta lá todo sorridente lhe aguardando enfórico enquando passa mais sal grosso na pica de 2m de fogo em brasa. E digo mais, tem que ter coragem pra pagar pra ver.... :klol
 

Luccas Neto

Veterano
Mensagens
505
Reações
425
Pontos
103
"Darwin is dead"
God

Piadas aparte, o texto todo é muito bom, mas o título do tópico é péssimo, acaba afastando as pessoas (ao invés de as trazer) pelo fator click-bait e potencial de brigas.

Em off, acho legal quem é ateu, mas sempre me pergunto se, como tática, chegar já falando "Deus está morto", você meio que acaba falando apenas com quem já pensa igual.

Pessoalmente acho uma tática mais eficiente falar sobre todas aa descobertas da ciência e deixar a cargo da pessoa chegar à conclusão que Deus não existe (ou que existe).

Eu sou religioso, acredito em Deus e tal, mas admito que não O entendo e só posso torcer para ele tomar conta de minha familia, de todas as famílias, sempre que precisarmos.

Dei uma de Pingu e até pensei se somos mesmo reais ou uma simulação (até comentou sobre isso no tópico do jogo RimWorld), mas mesmo nesse caso, Deus simples seria um cientista do mundo real rodando nossa simulação. A ideia não deixa de ser cthulleana.
gostei do título, certeza que o que Darwin fez matou o Deus na cabeça de mt gente, ao menos os menos fanáticos
 

Luccas Neto

Veterano
Mensagens
505
Reações
425
Pontos
103
Vai entender né essa natureza, simplesmente o ACASO assim do nada faz uma molécula sugar matéria organica, assim por que ela quis derrepente, todo dia temos uma molécula nova inovando né, assim tcharam agora sou uma molécula nova por que sim,..... :klol
vc n entendeu nada né, são bilhões de anos

e vc ta confundindo, ateu n acha que sabe de td, ao menos a maioria n, diferente dos religiosos, n assumem que foi deus quando n possuem a resposta

suas postagens parece até um desespero, tentativa de provar pra vc mesmo. bem tosca essa generalização dos ateus
 

NJunior

Bam-bam-bam
Mensagens
2.790
Reações
7.010
Pontos
303
se nem leu acho que nem deveria opinar nada
mas normal, acho que é até um instinto do seu cérebro pra se proteger, imagina ter que mudar uma vida inteira com uma crença fixa?
provavelmente se recusaria a aceitar que não teve nada de Deus nem nada assim mesmo com milhares de evidências
Fião, já tive inúmeras provas de milagres, provas da existencia de Deus, minha avó por exemplo já se curou de 2 cancers malígnos a anos atrás e hoje está firme e forte, já tive prova minha que eu tinha um problema em meus olhos, um dia assistindo uma missa de aparecida na TV junto de minha mãe, o padre disse que "HOJE você filho está livre de seu problema no olho"(não que o padre fez algo, mas ele apenas comunicou o ato de Deus) e a partir desse dia meus olhos não tiveram mais problemas, enfim inúmeras outras provas, pode vir com 20 bilhões de teorias de ACASO, mesmo antes dessas provas que tive, eu já acreditava no pai, que além do óbvio, é só ver a natureza que eu vejo Deus presente.

Mesmo que você não acredite em Deus, ele acredita em você!
 

sparcx86_GHOST

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
27.258
Reações
18.344
Pontos
784
Fião, já tive inúmeras provas de milagres, provas da existencia de Deus, minha avó por exemplo já se curou de 2 cancers malígnos a anos atrás e hoje está firme e forte, já tive prova minha que eu tinha um problema em meus olhos, um dia assistindo uma missa de aparecida na TV junto de minha mãe, o padre disse que "HOJE você filho está livre de seu problema no olho"(não que o padre fez algo, mas ele apenas comunicou o ato de Deus) e a partir desse dia meus olhos não tiveram mais problemas, enfim inúmeras outras provas, pode vir com 20 bilhões de teorias de ACASO, mesmo antes dessas provas que tive, eu já acreditava no pai, que além do óbvio, é só ver a natureza que eu vejo Deus presente.

Mesmo que você não acredite em Deus, ele acredita em você!
isto apenas prova que o corpo humano está muito evoluído e adaptado para se auto curar. não chamo isto de milagre mas de uma boa dose de tentativa e erro.
 

Luccas Neto

Veterano
Mensagens
505
Reações
425
Pontos
103
Fião, já tive inúmeras provas de milagres, provas da existencia de Deus, minha avó por exemplo já se curou de 2 cancers malígnos a anos atrás e hoje está firme e forte, já tive prova minha que eu tinha um problema em meus olhos, um dia assistindo uma missa de aparecida na TV junto de minha mãe, o padre disse que "HOJE você filho está livre de seu problema no olho"(não que o padre fez algo, mas ele apenas comunicou o ato de Deus) e a partir desse dia meus olhos não tiveram mais problemas, enfim inúmeras outras provas, pode vir com 20 bilhões de teorias de ACASO, mesmo antes dessas provas que tive, eu já acreditava no pai, que além do óbvio, é só ver a natureza que eu vejo Deus presente.

Mesmo que você não acredite em Deus, ele acredita em você!
ah, isso não é prova nenhuma, mas entendo vc.
 

konde10

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
11.770
Reações
10.474
Pontos
689
Na verdade a teoria de Darwin tem diversas falhas graves, como o fato de não existir fósseis das espécies que não sofreram mutações, os tais "elos perdidos" (o caso da girafa sem o grande pescoço por exemplo(aspas nesse ponto)), e o fato do aparecimento de sistemas complexos como o circulatório, respiratório, digestivo nas espécies que a possuem (não apareceu do nada um coração, vasos sanguíneos e pulmões em uma determinada mutação, teria que ter sido aos poucos, mas provavelmente as espécies não sobreviveriam a essas mudanças tão significativas).

Mas como na época em que essa teoria foi criada havia uma grande onda de desprendimento do ensino teocêntrico, pegaram o que tinha (a teoria de Darwin) e foram com essa ideia mesmo.
 

NJunior

Bam-bam-bam
Mensagens
2.790
Reações
7.010
Pontos
303
isto apenas prova que o corpo humano está muito evoluído e adaptado para se auto curar. não chamo isto de milagre mas de uma boa dose de tentativa e erro.
Sim não prova nada, até "ontem" eu estava com meu olho todo fudido, daí escuto a providência e "hoje" meu olho está bom, que coincidência não!? Derrepente o corpo decidiu se curar assim do nada, de "ontem pra hoje", e coincidentemente o padre diz aquilo no mesmo dia, nossa o universo é cheio de coincidências mesmo.

Alias sou muito grato por essa "coincidência"! :rox

PS: Meu problema no olho era uma irritação severa, ocorria por n motivos, mas principalmente por claridade e ar seco, vivia com o olho vermelho, irritado e doendo desde pequeno, aí só foi cessar depois desse dia, engraçado o corpo se auto curar BEM NO DIA que o padre anunciou, mas blza...

Cada um acredita no que quer, fiquem com Deus.
 
Ultima Edição:

Goris

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
13.692
Reações
46.722
Pontos
553
Como surgiu o Universo?

Deus o criou ao dizer "Faça-se a luz" e, numa explosão de Luz o universo se fez.

Ou.

Não tinha nada. Mas esse nada era tudo. Ai o nada, numa explosão de luz, se fez universo.

Aparentemente as duas explicações são altamente diferentes. Por isso um religioso que diz "Eu sou um ignorante sem Deus" e um ateu diz "Eu sou ignorante, mas pelo menos digo que sou ignorante".

Não acho que brigar adianta, a questão da fé acaba por ser fundamental.

O universo pode ser uma simulação, Deus é um humano "de verdade" que ligou a simulação e a acompanha. De repente de quando em quando ele vê como ela tá indo, envia um avatar dele pra direcionar as pessoas (ou reseta a simulação) e todo mundo tá brincando sem motivo.

De repente ele é um ser nao-humano poderosíssimo, para quem um universo não é nada, mas acha a gente importante.

Ou simplesmente tudo veio do nada, que veio de nada mesmo e a gente tá aqui só vivendo o caos e morrendo no caos.

Acho que dá proa dois grupos viverem de boas.

Os religiosos fanáticos que atacavam ateus são chatos, até pros religiosos moderados, assim como os ateus fanáticos são chatos até para os ateus moderados.

Por isso falei lá em cima que dá pra conversar de boa, mas o título ao gera briga.
 

sparcx86_GHOST

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
27.258
Reações
18.344
Pontos
784
Como surgiu o Universo?

Deus o criou ao dizer "Faça-se a luz" e, numa explosão de Luz o universo se fez.

Ou.

Não tinha nada. Mas esse nada era tudo. Ai o nada, numa explosão de luz, se fez universo.

Aparentemente as duas explicações são altamente diferentes. Por isso um religioso que diz "Eu sou um ignorante sem Deus" e um ateu diz "Eu sou ignorante, mas pelo menos digo que sou ignorante".

Não acho que brigar adianta, a questão da fé acaba por ser fundamental.

O universo pode ser uma simulação, Deus é um humano "de verdade" que ligou a simulação e a acompanha. De repente de quando em quando ele vê como ela tá indo, envia um avatar dele pra direcionar as pessoas (ou reseta a simulação) e todo mundo tá brincando sem motivo.

De repente ele é um ser nao-humano poderosíssimo, para quem um universo não é nada, mas acha a gente importante.

Ou simplesmente tudo veio do nada, que veio de nada mesmo e a gente tá aqui só vivendo o caos e morrendo no caos.

Acho que dá proa dois grupos viverem de boas.

Os religiosos fanáticos que atacavam ateus são chatos, até pros religiosos moderados, assim como os ateus fanáticos são chatos até para os ateus moderados.

Por isso falei lá em cima que dá pra conversar de boa, mas o título ao gera briga.
nunca existiu esse negocio de "nada"
 

Death Knight

Bam-bam-bam
Mensagens
11.073
Reações
4.678
Pontos
444
Se deus criou o complexo universo, esse deus tem de ser necessariamente mais complexo que sua criação. Daí vem a grande pergunta: quem criou deus? Percebam que esse tipo de apelação não responde nada, é apenas ignorância.

A unica explicação plausível para o surgimento natural de algo complexo é a transformação de algo simples. A vida surgiu da simplicidade, de celulas menos complexas que se tornaram mais complexas. A partir disso surgiram os seres pluricelulares, e ao longo de bilhões de anos, por meio da seleção natural (portanto não é casualidade), a vida chegou onde chegou. Afirmar que a evolução é acaso é um atestado de desconhecimento do que é a teoria.

Algo parecido vale para o universo, que imediatamente após o big bang era só hidrogênio, e lentamente, por meio das leis da física como a gravidade e as forças nucleares forte e fraca, foi se tornando mais complexo com o surgimento de novos elementos químicos.
 
Ultima Edição:

leandromede

Bam-bam-bam
Mensagens
1.357
Reações
2.077
Pontos
303
Diz o néscio em seu coração, não há Deus.
Livro de Salmos.
Amém.

Enviado de meu Redmi 5 Plus usando o Tapatalk
 

Death Knight

Bam-bam-bam
Mensagens
11.073
Reações
4.678
Pontos
444
Na verdade a teoria de Darwin tem diversas falhas graves, como o fato de não existir fósseis das espécies que não sofreram mutações, os tais "elos perdidos" (o caso da girafa sem o grande pescoço por exemplo(aspas nesse ponto)), e o fato do aparecimento de sistemas complexos como o circulatório, respiratório, digestivo nas espécies que a possuem (não apareceu do nada um coração, vasos sanguíneos e pulmões em uma determinada mutação, teria que ter sido aos poucos, mas provavelmente as espécies não sobreviveriam a essas mudanças tão significativas).

Mas como na época em que essa teoria foi criada havia uma grande onda de desprendimento do ensino teocêntrico, pegaram o que tinha (a teoria de Darwin) e foram com essa ideia mesmo.
Questionar os "elos perdidos" é bem sem noção porque nem todos os fósseis estão preservados ou foram encontrados, fora que há diversos "elos perdidos" como os anfíbios que são o meio termo entre os peixes e os répteis, entre tantos outros. Se você pesquisar, vai descobrir que há varios fósseis de especies que foram/são meio termo de outras espécies.

Enfim, não se sabe tudo sobre a evolução, mas o que se sabe é mais que suficiente para que se possa afirmar sem medo que a evolução por meio da seleção natural é um fato.

Vale lembrar que esse teoria surgiu no século XIX e persiste até hoje, mais evoluída evidentemente, o que só reforça como ela é correta. Imagina que alguém demonstre que a teoria está errada, imagine o prestígio que essa pessoa teria. A ciência incentiva o questionamento porque não trabalha com verdades prontas e definitivas (e sem criatividade, como a religião), e essa teoria resistir firmemente por tanto tempo é só mais um reforço, entre milhões de evidências, de que ela está correta.
 
Ultima Edição:

abcdario

Bam-bam-bam
Mensagens
1.908
Reações
2.392
Pontos
303
Fião, já tive inúmeras provas de milagres, provas da existencia de Deus, minha avó por exemplo já se curou de 2 cancers malígnos a anos atrás e hoje está firme e forte, já tive prova minha que eu tinha um problema em meus olhos, um dia assistindo uma missa de aparecida na TV junto de minha mãe, o padre disse que "HOJE você filho está livre de seu problema no olho"(não que o padre fez algo, mas ele apenas comunicou o ato de Deus) e a partir desse dia meus olhos não tiveram mais problemas, enfim inúmeras outras provas, pode vir com 20 bilhões de teorias de ACASO, mesmo antes dessas provas que tive, eu já acreditava no pai, que além do óbvio, é só ver a natureza que eu vejo Deus presente.

Mesmo que você não acredite em Deus, ele acredita em você!
Em um mundo miserável onde crianças morrem de inanição na África e em guerras na Síria,e pessoas nascem com doenças neurodegenerativas gravíssimas, Deusssss resolveu do nada curar a irritação do seu abençoado e bendito olho, porque você é especial neste universo e neste planetinha de merda, estranhamente não fico sabendo de muitos casos de crianças que morrem de câncer aos 4 ou 5 anos de idade sem ao menos terem vivido a vida passarem por isto.
 

blackjew

Bam-bam-bam
Mensagens
12.404
Reações
3.735
Pontos
479
Sim não prova nada, até "ontem" eu estava com meu olho todo fudido, daí escuto a providência e "hoje" meu olho está bom, que coincidência não!? Derrepente o corpo decidiu se curar assim do nada, de "ontem pra hoje", e coincidentemente o padre diz aquilo no mesmo dia, nossa o universo é cheio de coincidências mesmo.

Alias sou muito grato por essa coincidência! :rox

PS: Meu problema no olho era uma irritação severa, ocorria por n motivos, mas principalmente por claridade e ar seco, vivia com o olho vermelho, irritado e doendo desde pequeno, aí só foi cessar depois desse dia, engraçado o corpo se auto curar BEM NO DIA que o padre anunciou, mas blza...

Cada um acredita no que quer, fiquem com Deus.
Não, não. O problema não era claridade e ar seco não, era o capeta agarrado no seu olho. Aí deus fritou ele via os raios catódicos da TV, pufff. Sempre soube que TV fazia bem pra vista, essa é a prova!
 

NJunior

Bam-bam-bam
Mensagens
2.790
Reações
7.010
Pontos
303
Em um mundo miserável onde crianças morrem de inanição na África e em guerras na Síria,e pessoas nascem com doenças neurodegenerativas gravíssimas, Deusssss resolveu do nada curar a irritação do seu abençoado e bendito olho, porque você é especial neste universo e neste planetinha de merda, estranhamente não fico sabendo de muitos casos de crianças que morrem de câncer aos 4 ou 5 anos de idade sem ao menos terem vivido a vida passarem por isto.
Chora não, achou ruim reclama com o PAI. Abre uma petição e manda pra Deus cancelar TODOS os milagres já que o mundo é ruim o bastante e não é digno de nenhum milagre....
 

Boost

Bam-bam-bam
Mensagens
2.584
Reações
1.688
Pontos
214
Chora não, achou ruim reclama com o PAI.
KKKKKKKK, o kra se acha muito especial. O egocentrismo aqui é de níveis absurdos. "Deus curou minha irritação no olho! Isso é um milagre! Quem não concorda está chorando, já que eu não tenho argumentos para refutar os outros!"
 

Goris

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
13.692
Reações
46.722
Pontos
553
KKKKKKKK, o kra se acha muito especial. O egocentrismo aqui é de níveis absurdos. "Deus curou minha irritação no olho! Isso é um milagre! Quem não concorda está chorando, já que eu não tenho argumentos para refutar os outros!"
Egocentrismo é quem tem um ego que é o centro do universo. Uma pessoa que põe Deus como centro de sua vida pode ser várias coisas, mas egocêntrico?

Não acho.
 

Boost

Bam-bam-bam
Mensagens
2.584
Reações
1.688
Pontos
214
Egocentrismo é quem tem um ego que é o centro do universo. Uma pessoa que põe Deus como centro de sua vida pode ser várias coisas, mas egocêntrico?

Não acho.
Uma pessoa que acha que Deus está curando ela por ela ser especial é egocêntrica.
O problema não é acreditar em Deus.
 
Topo