O que há de Novo?
  • Anunciando os planos GOLD no Fórum Outer Space
    Visitante, agora você pode ajudar o Fórum Outer Space e receber alguns recursos exclusivos, incluindo navegação sem anúncios e dois temas exclusivos. Veja os detalhes aqui.

DEATH STRANDING | PS4: out, PC: OUT | DF analisa versão PC [pg. 40]

Megazordi64

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
18.537
Reações
32.070
Pontos
553
Mini-cutscenes: são chatas mesmo;

Menus: tinha achado confuso, mas com algumas horas já estava acostumado. Hoje eu até gosto deles. Acho legal traçar a rota e organizar minhas coisas, apesar do jogo também fazer isso automaticamente.

Eu daria nota 10 pelo conjunto da obra. Achamos defeitos ou coisas que não gostamos em qualquer jogo.
Não é que os menus são só confusos no início, achei eles pouco práticos.

Por exemplo, por que o inventário não se organiza sozinho? O menu não é nada prático se quiser organizar manualmente (como Resident Evil 4 fez muito bem), tanto é que adicionaram a opção dele se auto-organizar apertando triângulo. O problema é que fazer isso toda vez é chato: abrir menu, ir no menu do inventário, aperta triângulo, ir no botão confirmar para não desfazer e depois ter que pular a animação do personagem arrumando a bagagem.

Passar por esse processo 1 ou 2 vezes tudo bem, mas várias vezes chega uma hora que cansa.

Mesma coisa o menu de entregar as encomendas, aperta quadrado pra entrar no menu, seleciona pra entregar a encomenda principal, pula a cutscene, aperta quadrado pra abrir o menu novamente, entrega encomendas secundárias, pula cutscene, aperta quadrado de novo pra olhar o quadro de missões principais, seleciona, organiza inventário, pula cutscene, aperta quadrado pra ir nas missões secundárias, seleciona, organiza inventário, pula cutscene etc.

Podiam ter feito algo mais prático, não precisava da metade dessa burocracia para o Kojima entregar a experiência que tinha em mente.

Isso sem falar do tamanho da fonte desse jogo que é uma piada.
 


O Solitário do RPG

Ser evoluído
Mensagens
104
Reações
257
Pontos
43
Eu dou 7/10 para esse jogo. Ele tem mecânicas bem diferentes e que vão evoluindo com o jogo, mas infelizmente tem uns problemas que ao meu ver impactam demais no jogo.

  • Boss fights ridículas que não tem desafio, as lutas são chatas e longas, onde você vai repetindo a mesma mecânica até o final.
  • Andar de moto sem estrada é horrível, qualquer coisinha e a moto já agarra total no cenário, chega a ser um negócio bizarro ( E aqui fica aos meus parabéns ao user que falou que andou de moto em quase todos os lugares, haja paciência kk)
  • As mini cutscenes em excesso, acho que isso é unânime.
Btw, é um jogo que vale a pena ser jogado porque é uma experiência bem diferente, eu pelo menos não me arrependo de ter jogado.
 

gamermaniacow

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
40.025
Reações
41.793
Pontos
932
Não é que os menus são só confusos no início, achei eles pouco práticos.

Por exemplo, por que o inventário não se organiza sozinho? O menu não é nada prático se quiser organizar manualmente (como Resident Evil 4 fez muito bem), tanto é que adicionaram a opção dele se auto-organizar apertando triângulo. O problema é que fazer isso toda vez é chato: abrir menu, ir no menu do inventário, aperta triângulo, ir no botão confirmar para não desfazer e depois ter que pular a animação do personagem arrumando a bagagem.

Passar por esse processo 1 ou 2 vezes tudo bem, mas várias vezes chega uma hora que cansa.

Mesma coisa o menu de entregar as encomendas, aperta quadrado pra entrar no menu, seleciona pra entregar a encomenda principal, pula a cutscene, aperta quadrado pra abrir o menu novamente, entrega encomendas secundárias, pula cutscene, aperta quadrado de novo pra olhar o quadro de missões principais, seleciona, organiza inventário, pula cutscene, aperta quadrado pra ir nas missões secundárias, seleciona, organiza inventário, pula cutscene etc.

Podiam ter feito algo mais prático, não precisava da metade dessa burocracia para o Kojima entregar a experiência que tinha em mente.

Isso sem falar do tamanho da fonte desse jogo que é uma piada.
Essas coisas rotineiras que são as principais falhas de um game.
Toda vez repetir a mesma coisa é simplesmente ruim.
Isso acaba desmotivando completamente o jogador, e perdendo o foco das entregas. E dai o jogo precisa criar outros sistemas pra resolver esses problemas...

E a interface é extremamente poluída e com graves erros de usabilidade.
Tem muita informação desnecessária e sem prioridades... Tem muitas etapas e submenus... É complicado navegar entre os menus... Repleto de "dead ends"... Momentos que não tem como completar uma ação forçando o jogador fechar e abrir novamente... Falta de padrão de interação... Informações escondidas... telas completamente inúteis só pra mostrar algo básico... Segurar botão pra fazer ações rotineiras...

Sinceramente é uma das piores interfaces que já na vida.
 
Ultima Edição:

Megazordi64

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
18.537
Reações
32.070
Pontos
553
Eu dou 7/10 para esse jogo. Ele tem mecânicas bem diferentes e que vão evoluindo com o jogo, mas infelizmente tem uns problemas que ao meu ver impactam demais no jogo.

  • Boss fights ridículas que não tem desafio, as lutas são chatas e longas, onde você vai repetindo a mesma mecânica até o final.
  • Andar de moto sem estrada é horrível, qualquer coisinha e a moto já agarra total no cenário, chega a ser um negócio bizarro ( E aqui fica aos meus parabéns ao user que falou que andou de moto em quase todos os lugares, haja paciência kk)
  • As mini cutscenes em excesso, acho que isso é unânime.
Btw, é um jogo que vale a pena ser jogado porque é uma experiência bem diferente, eu pelo menos não me arrependo de ter jogado.
Pra mim de longe o forte do jogo é a história. O ruim disso é que se o jogador não gostar da conclusão pode acabar desacreditando toda a jornada.

Os menus pouco intuitivos pra mim impactaram até na qualidade da mecânica social do jogo. Entre ter o trabalho de ir pegar materiais atravessando por todos aqueles menus para construir uma ponte ou procurar a parte mais rasa do rio, eu prefiro procurar a parte mais rasa do rio.

Apesar de andar por terrenos acidentados e subir em plataformas superiores ser bem intuitivo (são pontos que muitos jogos openworlds falham), não achei a mecânica de equilíbrio grande coisa, não achei nem ruim e nem bom, simplesmente não me impactou, só alguns momentos que eu passei raiva com o personagem colidindo onde não deveria colidir, por exemplo uma pedra que claramente dava pra subir mas o personagem parece que bate a cabeça na parede.

O combate com as mulas é bem fraquinho e achei broxante a forma como encontramos os monstros, pensei que seria algo mais orgânico, aquelas cutscenes pra avisar enfraquecem demais a experiência, acabam com o fator surpresa. Apesar do visual magnífico, tive outra broxada quando fui sugado para enfrentar o boss, Kojima estava com a faca e queijo na mão pra criar algo épico mas não fez isso.

Resumindo, eu acho que nenhuma mecânica do Death Stranding foi muito bem implementada, sempre ficam no mediano e fraco.

Até a bússula é ruim, num jogo sobre entregas ao menos isso deveria ser bom, não to falando de GPS, mas uma marcação visível do destino sem precisar ficar apertando L1 já ajudaria. Ficar escaneando terreno pra achar as coisas é um saco também, isso só deveria ser usado pra saber como é o terreno.
 

King Macbeth

Veterano
Mensagens
814
Reações
824
Pontos
128
É engraçado isso.

Meu maior rage com o jogo é exatamente a moto facilitar demais e ser bem tranquila de usar.

Devo ter alguma habilidade secreta de escalar montanhas com motos.

Pq até to parando de usar para deixar o jogo melhor.
 


Megazordi64

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
18.537
Reações
32.070
Pontos
553
É engraçado isso.

Meu maior rage com o jogo é exatamente a moto facilitar demais e ser bem tranquila de usar.

Devo ter alguma habilidade secreta de escalar montanhas com motos.

Pq até to parando de usar para deixar o jogo melhor.
Eu usei a moto só uma vez num terreno bem acidentado e acelerando devagarzinho passava de boa nas partes mais tensas.

Não sei se é assim em outros tipos de terreno.
 

King Macbeth

Veterano
Mensagens
814
Reações
824
Pontos
128
Aliás, se me perguntassem, "qual seria o patch que tu faria nesse jogo"?

Eu nerfaria as motos. Basicamente faria elas receberem dano pra c***lho quando passam em área de BTs ou que os BTs fossem menos retardados quando tu tá de moto e se te pegam destruíssem ela, faria poder realmente perder as encomendas mesmo que não caia da moto e reduziria a durabilidade delas.

Elas quebram demais o jogo.
 

King Macbeth

Veterano
Mensagens
814
Reações
824
Pontos
128
Eu usei a moto só uma vez num terreno bem acidentado e acelerando devagarzinho passava de boa nas partes mais tensas.

Não sei se é assim em outros tipos de terreno.
Tirando pontos muito altos de montanhas de neve, pelo que vi dá pra ir em tudo praticamente. Sempre tem algum caminho que dá pra usar ela.
 

O Solitário do RPG

Ser evoluído
Mensagens
104
Reações
257
Pontos
43
Pra mim de longe o forte do jogo é a história. O ruim disso é que se o jogador não gostar da conclusão pode acabar desacreditando toda a jornada.

Os menus pouco intuitivos pra mim impactaram até na qualidade da mecânica social do jogo. Entre ter o trabalho de ir pegar materiais atravessando por todos aqueles menus para construir uma ponte ou procurar a parte mais rasa do rio, eu prefiro procurar a parte mais rasa do rio.

Apesar de andar por terrenos acidentados e subir em plataformas superiores ser bem intuitivo (são pontos que muitos jogos openworlds falham), não achei a mecânica de equilíbrio grande coisa, não achei nem ruim e nem bom, simplesmente não me impactou, só alguns momentos que eu passei raiva com o personagem colidindo onde não deveria colidir, por exemplo uma pedra que claramente dava pra subir mas o personagem parece que bate a cabeça na parede.

O combate com as mulas é bem fraquinho e achei broxante a forma como encontramos os monstros, pensei que seria algo mais orgânico, aquelas cutscenes pra avisar enfraquecem demais a experiência, acabam com o fator surpresa. Apesar do visual magnífico, tive outra broxada quando fui sugado para enfrentar o boss, Kojima estava com a faca e queijo na mão pra criar algo épico mas não fez isso.

Resumindo, eu acho que nenhuma mecânica do Death Stranding foi muito bem implementada, sempre ficam no mediano e fraco.

Até a bússula é ruim, num jogo sobre entregas ao menos isso deveria ser bom, não to falando de GPS, mas uma marcação visível do destino sem precisar ficar apertando L1 já ajudaria. Ficar escaneando terreno pra achar as coisas é um saco também, isso só deveria ser usado pra saber como é o terreno.
Realmente, as mecânicas do jogo ficam com um ar de não ter sido muito bem implementadas. Tudo bem que algumas são bem diferentes, mas é como se faltasse um último ajuste para deixar elas perfeitas, é como se eles estivessem com pressa para implementar tal coisa, deixando de dar aquela última "ajeitada" nos sistemas. Fiquei com essa mesma sensação que você teve.
 

O Solitário do RPG

Ser evoluído
Mensagens
104
Reações
257
Pontos
43
É engraçado isso.

Meu maior rage com o jogo é exatamente a moto facilitar demais e ser bem tranquila de usar.

Devo ter alguma habilidade secreta de escalar montanhas com motos.

Pq até to parando de usar para deixar o jogo melhor.
To achando que eu sou ruim de roda, um dos meus rages foi dirigir a moto num terreno que era cheio de pedrinhas que me travavam toda hora. Perdi a paciência total e comecei a andar só a pé, bem mais tranquilo de fazer rotas e da para usar os itens do jogo. Quando eu vejo uma moto largada no caminho já sinto até um gosto amargo na boca huasuhas.
 

Megazordi64

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
18.537
Reações
32.070
Pontos
553
Outra bobeira que criaram sobre o Death Stranding é que "não é um jogo pra todo mundo."

Death Stranding é um jogo baseado em fetch quest como existem em outros mil jogos open world.

A única novidade é que tem o craft comunitário para as pessoas irem se ajudando, tem gente que gosta de ficar ajudando e outros rusham a main quest pra acompanhar a história.

Claro que nenhum outro jogo aprofundou nessa mecânica do peso das encomendas impactarem na jogabilidade, mas já teve outros jogos que usaram essa mecânica de forma pontual.

De um lado tem os fanboys falando que Death Stranding é uma obra de arte e outros hateando que é um walking simulator, não é nem uma coisa e nem outra, é um jogo de videogame openworld normal com várias mecânicas que existem até em outros jogos, não é nada de outro planeta.

No fim achei toda essa polêmica em volta do jogo bem besta, até fiquei um pouco decepcionado por isso, pensei que ia chegar no tópico rasgando elogios ou hateando, mas não aconteceu nem uma coisa e nem outra. :klol
 

Kachō

Bam-bam-bam
GOLD
Mensagens
6.876
Reações
6.363
Pontos
419
Não é que os menus são só confusos no início, achei eles pouco práticos.

Por exemplo, por que o inventário não se organiza sozinho? O menu não é nada prático se quiser organizar manualmente (como Resident Evil 4 fez muito bem), tanto é que adicionaram a opção dele se auto-organizar apertando triângulo. O problema é que fazer isso toda vez é chato: abrir menu, ir no menu do inventário, aperta triângulo, ir no botão confirmar para não desfazer e depois ter que pular a animação do personagem arrumando a bagagem.

Passar por esse processo 1 ou 2 vezes tudo bem, mas várias vezes chega uma hora que cansa.

Mesma coisa o menu de entregar as encomendas, aperta quadrado pra entrar no menu, seleciona pra entregar a encomenda principal, pula a cutscene, aperta quadrado pra abrir o menu novamente, entrega encomendas secundárias, pula cutscene, aperta quadrado de novo pra olhar o quadro de missões principais, seleciona, organiza inventário, pula cutscene, aperta quadrado pra ir nas missões secundárias, seleciona, organiza inventário, pula cutscene etc.

Podiam ter feito algo mais prático, não precisava da metade dessa burocracia para o Kojima entregar a experiência que tinha em mente.

Isso sem falar do tamanho da fonte desse jogo que é uma piada.
Porque a carga de cima desgasta mais rápido com a chuva temporal. Ela também cai primeiro se você tombar.

O ideal é você manejar manualmente o máximo possível. Se você tem uma carga frágil é melhor colocar ela embaixo.

Enviado de meu Redmi Note 7 usando o Tapatalk
 

Megazordi64

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
18.537
Reações
32.070
Pontos
553
Porque a carga de cima desgasta mais rápido com a chuva temporal. Ela também cai primeiro se você tombar.

Se você tem uma carga frágil é melhor colocar ela embaixo.

Enviado de meu Redmi Note 7 usando o Tapatalk
Mas a arrumação automática acho que faz isso, as veze não com a mesma precisão da arrumação manual.

Teve uma missão que recebi a mensagem que a minha carga estava sendo perecida, fui no menu, dei triângulo e a mensagem sumiu.

Posso estar errado, mas mesmo assim acho que nada justifica o menu sem praticidade. Se o Kojima queria aprofundar nessa mecânica da ordem das cargas importarem devia ter feito um menu melhor, as vezes até com menos cargas pra alocar e dando maior importância para a organização.

A maleta do Resident Evil 4 é tão elogiada por parecer um jogo de tetris e foi justamente essa simplicidade que fazia ser divertido perder uns minutinhos arrumando o inventário.
 

Gusta199

Bam-bam-bam
Mensagens
15.466
Reações
6.992
Pontos
494
O combate do jogo é fraquinho. Os mules melhoram um pouco depois mas não espere nada muito desafiante.
Aconteceu um caso engraçado comigo...

Eu sempre passava correndo dos Mules até conseguir a moto, aí a primeira vez que fui passar por eles já fui pensando “pode vir 500 mules que vou atropelar todos hehe”, passei por um local que tinham uns 3 mules e eu fui todo pimpão pra cima deles, até que um tacou um bastão eletrificado e paralisou minha moto e eu precisei sair correndo.
Aí depois pensei “é, a mula sou eu por pensar que seria fácil assim passar os caras” :kkk
 

Takayuki Yagami

Bam-bam-bam
Mensagens
7.354
Reações
14.734
Pontos
353
Outra bobeira que criaram sobre o Death Stranding é que "não é um jogo pra todo mundo."

Death Stranding é um jogo baseado em fetch quest como existem em outros mil jogos open world.

A única novidade é que tem o craft comunitário para as pessoas irem se ajudando, tem gente que gosta de ficar ajudando e outros rusham a main quest pra acompanhar a história.

Claro que nenhum outro jogo aprofundou nessa mecânica do peso das encomendas impactarem na jogabilidade, mas já teve outros jogos que usaram essa mecânica de forma pontual.

De um lado tem os fanboys falando que Death Stranding é uma obra de arte e outros hateando que é um walking simulator, não é nem uma coisa e nem outra, é um jogo de videogame openworld normal com várias mecânicas que existem até em outros jogos, não é nada de outro planeta.

No fim achei toda essa polêmica em volta do jogo bem besta, até fiquei um pouco decepcionado por isso, pensei que ia chegar no tópico rasgando elogios ou hateando, mas não aconteceu nem uma coisa e nem outra. :klol
Só por ser um jogo de "cordas" e não de "paus" já faz Death Stranding não ser para todo mundo. Muitos vão terminar o jogo sem entender. Eu acho que na próxima vez o Kojima vai ter que explicar detalhadamente do que se trata o jogo para evitar esse problema. Quem quiser compra a proposta. Já vi review comparando esse mundo destruído com o parquinho de diversão que é Kamurocho em Yakuza. Death Stranding é sim um jogo muito diferente do conceito à execução.

Pra você ver como a experiência varia de jogador pra jogador: cheguei ao ponto de achar prazeroso usar esses menus para organizar e fabricar itens. Não sou o único. Tem gente com 30 horas no capítulo 3.

E eu acho que Death Stranding é uma obra de arte e não sou fanboy. Aqui na roça a gente nem sabe o que é isso.
 

Megazordi64

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
18.537
Reações
32.070
Pontos
553
Só por ser um jogo de "cordas" e não de "paus" já faz Death Stranding não ser para todo mundo. Muitos vão terminar o jogo sem entender. Eu acho que na próxima vez o Kojima vai ter que explicar detalhadamente do que se trata o jogo para evitar esse problema. Quem quiser compra a proposta. Já vi review comparando esse mundo destruído com o parquinho de diversão que é Kamurocho em Yakuza. Death Stranding é sim um jogo muito diferente do conceito à execução.

Pra você ver como a experiência varia de jogador pra jogador: cheguei ao ponto de achar prazeroso usar esses menus para organizar e fabricar itens. Não sou o único. Tem gente com 30 horas no capítulo 3.

E eu acho que Death Stranding é uma obra de arte e não sou fanboy. Aqui na roça a gente nem sabe o que é isso.
Respeito a sua opinião mas até agora não vi nada de extraordinário, nem pra lado fanboy nem pro lado hater.

E essa ideia de paus e cordas é a coisa mais boba do mundo pra ficar levando a sério, as imobilizações dos mulas podem muito bem ser tratadas como "mortes disfarçadas" e pra mim Dark Souls tem um sistema muito melhor de envolver os jogadores.

É um jogo com uma história intrigante mas ficar elevando isso a sétima arte já é demais.

Tem gente que acha Path of Exile repetitivo e eu tenho mais de 2500h, mas nem por isso fico o elevando ao patamar de obra de arte. É só um jogo bom e viciante.

Obra de arte nos videogames pra mim é quando lembro do level design da primeira metade do Dark Souls 1.
 

gamermaniacow

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
40.025
Reações
41.793
Pontos
932
Eu acho que na próxima vez o Kojima vai ter que explicar detalhadamente do que se trata o jogo para evitar esse problema.
Mas ai que tá, Kojima explicou muito bem, galera que quis acreditar que tinha algo a mais. E acompanhei as noticias e via isso acontecendo o tempo todo... :klol

O que aconteceu é que ele não negou os delírios coletivos da galera quando dizia isso e deixou rolar, e começou a explorar isso apresentando informações fora de contexto.

E o jogo é bem simples de se entender (Tanto gameplay quanto a história) como o amigo @Megazordi64 comentou. E não acho que seja um jogo de nicho que exclui as grandes massas... Ele é sim uma experiencia diferente, mas foi feito para todos curtirem. Tanto que o jogo fica batendo na mesma tecla o tempo todo pra ter certeza que você entendeu o que ta acontecendo.

Mas também acontece da pessoa já ir jogar com um pensamento predefinido... Achando que vai ser masterpiece ou um walking simulator, e independente do que o jogo seja, vai servir pra se convencer disso.

PS. Eu estou gostando do jogo antes que entendam o contrário, só estou apontando onde esta os problemas, ao invés de ficar nos comentários rasos do tipo "é monótomo mas é bom" ou "não é um jogo pra todo mundo".
 

Takayuki Yagami

Bam-bam-bam
Mensagens
7.354
Reações
14.734
Pontos
353
Respeito a sua opinião mas até agora não vi nada de extraordinário, nem pra lado fanboy nem pro lado hater.

E essa ideia de paus e cordas é a coisa mais boba do mundo pra ficar levando a sério, as imobilizações dos mulas podem muito bem ser tratadas como "mortes disfarçadas" e pra mim Dark Souls tem um sistema muito melhor de envolver os jogadores.

É um jogo com uma história intrigante mas ficar elevando isso a sétima arte já é demais.

Tem gente que acha Path of Exile repetitivo e eu tenho mais de 2500h, mas nem por isso fico o elevando ao patamar de obra de arte. É só um jogo bom e viciante.

Obra de arte nos videogames pra mim é quando lembro do level design da primeira metade do Dark Souls 1.
Death Stranding é um jogo de cordas. Dark Souls é um jogo de paus e o foco é a eliminação de inimigos.
Mas ai que tá, Kojima explicou muito bem, galera que quis acreditar que tinha algo a mais. E acompanhei as noticias e via isso acontecendo o tempo todo... :klol

O que aconteceu é que ele não negou os delírios coletivos da galera quando dizia isso e deixou rolar, e começou a explorar isso apresentando informações fora de contexto.

E o jogo é bem simples de se entender (Tanto gameplay quanto a história) como o amigo @Megazordi64 comentou. E não acho que seja um jogo de nicho que exclui as grandes massas... Ele é sim uma experiencia diferente, mas foi feito para todos curtirem. Tanto que o jogo fica batendo na mesma tecla o tempo todo pra ter certeza que você entendeu o que ta acontecendo.

Mas também acontece da pessoa já ir jogar com um pensamento predefinido... Achando que vai ser masterpiece ou um walking simulator, e independente do que o jogo seja, vai servir pra se convencer disso.

PS. Eu estou gostando do jogo antes que entendam o contrário, só estou apontando onde esta os problemas, ao invés de ficar nos comentários rasos do tipo "é monótomo mas é bom" ou "não é um jogo pra todo mundo".
Sim, o jogo é bem simples de entender. O que acontece é que não estão entendendo.
Só ver o exemplo que eu citei comparando com o mundo de Yakuza ou review que queria foco em ação.
Vai ter que explicar mais detalhadamente. Talvez desenhar.
Aconteceu um caso engraçado comigo...

Eu sempre passava correndo dos Mules até conseguir a moto, aí a primeira vez que fui passar por eles já fui pensando “pode vir 500 mules que vou atropelar todos hehe”, passei por um local que tinham uns 3 mules e eu fui todo pimpão pra cima deles, até que um tacou um bastão eletrificado e paralisou minha moto e eu precisei sair correndo.
Aí depois pensei “é, a mula sou eu por pensar que seria fácil assim passar os caras” :kkk
 

Dante Viggo

Bam-bam-bam
Mensagens
5.227
Reações
2.536
Pontos
414
O meu chegou onde.
Lixo de pré venda essa do submarino.
Sobre o game, estou gostando, até o fato de levar as caixas encontradas no caminho está sendo legal.
Vamos ver se não me decepcione como mgs5
 

Megazordi64

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
18.537
Reações
32.070
Pontos
553
Mas ai que tá, Kojima explicou muito bem, galera que quis acreditar que tinha algo a mais. E acompanhei as noticias e via isso acontecendo o tempo todo... :klol

O que aconteceu é que ele não negou os delírios coletivos da galera quando dizia isso e deixou rolar, e começou a explorar isso apresentando informações fora de contexto.

E o jogo é bem simples de se entender (Tanto gameplay quanto a história) como o amigo @Megazordi64 comentou. E não acho que seja um jogo de nicho que exclui as grandes massas... Ele é sim uma experiencia diferente, mas foi feito para todos curtirem. Tanto que o jogo fica batendo na mesma tecla o tempo todo pra ter certeza que você entendeu o que ta acontecendo.

Mas também acontece da pessoa já ir jogar com um pensamento predefinido... Achando que vai ser masterpiece ou um walking simulator, e independente do que o jogo seja, vai servir pra se convencer disso.

PS. Eu estou gostando do jogo antes que entendam o contrário, só estou apontando onde esta os problemas, ao invés de ficar nos comentários rasos do tipo "é monótomo mas é bom" ou "não é um jogo pra todo mundo".
Bem por ai.

Death Stranding é divertido e está longe de ser um jogo que de nicho.

Pra mim qualquer pessoa que seja familiarizada com o gênero openworld vai estar bem a vontade com ele.

A mecânica de equilíbrio é bem simples de entender e está longe de ser algo que dê dor cabeça com o personagem andando igual bêbado o tempo todo.

Os menus pouco intuitivos, excesso de pequenas cutscenes repetitivas e fetch quests podem afastar algumas pessoas depois de um tempo, não to falando de dropar o jogo na primeira hora, mas lá pra 20ª já estar um pouco enjoado.

O combate com as mulas é fraquinho, mas ta lá pra mudar um pouco o ritmo do jogo.

E qualquer jogo atualmente tem mecânicas de stealth simples como o do Death Stranding.

As mecânicas de craft estão lá, mas se a pessoa só quiser seguir adiante usando a escada, rapel e as construções dos outros da de boa por enquanto.

Estou com mais de 15h e por enquanto o jogo é isso ai com uma história bem intrigante.

Quem ainda estiver na dúvida pode comprar sem medo se souber o que esperar.
 

Takayuki Yagami

Bam-bam-bam
Mensagens
7.354
Reações
14.734
Pontos
353
Bem por ai.

Death Stranding é divertido e está longe de ser um jogo que de nicho.

Pra mim qualquer pessoa que seja familiarizada com o gênero openworld vai estar bem a vontade com ele.

A mecânica de equilíbrio é bem simples de entender e está longe de ser algo que dê dor cabeça com o personagem andando igual bêbado o tempo todo.

Os menus pouco intuitivos, excesso de pequenas cutscenes repetitivas e fetch quests podem afastar algumas pessoas depois de um tempo, não to falando de dropar o jogo na primeira hora, mas lá pra 20ª já estar um pouco enjoado.

O combate com as mulas é fraquinho, mas ta lá pra mudar um pouco o ritmo do jogo.

E qualquer jogo atualmente tem mecânicas de stealth simples como o do Death Stranding.

As mecânicas de craft estão lá, mas se a pessoa só quiser seguir adiante usando a escada, rapel e as construções dos outros da de boa por enquanto.

Estou com mais de 15h e por enquanto o jogo é isso ai com uma história bem intrigante.

Quem ainda estiver na dúvida pode comprar sem medo se souber o que esperar.
Eu gostei do combate logo de cara por ter que conciliar o transporte das cargas com evitar/enfrentar os inimigos sem matar.
Ganha um ponto extra pelo gameplay ser coerente com o mundo do jogo. Tudo é justificado.

Também achei legal ficar prendendo os inimigos com a bola gun que é a nossa primeira arma. Mas depois fica muito melhor com um arsenal variado e novas habilidades como o uso de carga chamariz como isca ou anular scanner inimigo, por exemplo.
 

lasyox

Supra-sumo
Mensagens
579
Reações
1.248
Pontos
168
Eu gostei do combate logo de cara por ter que conciliar o transporte das cargas com evitar/enfrentar os inimigos sem matar.
Ganha um ponto extra pelo gameplay ser coerente com o mundo do jogo. Tudo é justificado.

Também achei legal ficar prendendo os inimigos com a bola gun que é a nossa primeira arma. Mas depois fica muito melhor com um arsenal variado e novas habilidades como o uso de carga chamariz como isca ou anular scanner inimigo, por exemplo.
essa arma aí é bem dahorinha. peguei agora e curti demais
 

Bat_The

Veterano
Mensagens
720
Reações
705
Pontos
143
Outra bobeira que criaram sobre o Death Stranding é que "não é um jogo pra todo mundo."

Death Stranding é um jogo baseado em fetch quest como existem em outros mil jogos open world.

A única novidade é que tem o craft comunitário para as pessoas irem se ajudando, tem gente que gosta de ficar ajudando e outros rusham a main quest pra acompanhar a história.

Claro que nenhum outro jogo aprofundou nessa mecânica do peso das encomendas impactarem na jogabilidade, mas já teve outros jogos que usaram essa mecânica de forma pontual.

De um lado tem os fanboys falando que Death Stranding é uma obra de arte e outros hateando que é um walking simulator, não é nem uma coisa e nem outra, é um jogo de videogame openworld normal com várias mecânicas que existem até em outros jogos, não é nada de outro planeta.

No fim achei toda essa polêmica em volta do jogo bem besta, até fiquei um pouco decepcionado por isso, pensei que ia chegar no tópico rasgando elogios ou hateando, mas não aconteceu nem uma coisa e nem outra. :klol
Eu confesso que sou Sonysta e fã do Kojima, e realmente para mim o jogo tem que se tornado um masterpiece. E quando a gente é fã, com certeza a gente potencializa pro lado positivo ou negativo dependendo da situação.

O Kojima realmente pode ter exagerado em falar que é um novo gênero (apesar que eu acredito que isso vá ocorrer, se não agora, em um futuro próximo).

Agora uma dúvida, como você não é hater e nem ista, me fala alguns jogos dessa geração que tenham "causado" essa mesma sensação, porque realmente eu me sinto jogando algo novo e, único. Não sei quanto a você.
 

drdreh

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
20.643
Reações
21.375
Pontos
599
Eu confesso que sou Sonysta e fã do Kojima, e realmente para mim o jogo tem que se tornado um masterpiece. E quando a gente é fã, com certeza a gente potencializa pro lado positivo ou negativo dependendo da situação.

O Kojima realmente pode ter exagerado em falar que é um novo gênero (apesar que eu acredito que isso vá ocorrer, se não agora, em um futuro próximo).

Agora uma dúvida, como você não é hater e nem ista, me fala alguns jogos dessa geração que tenham "causado" essa mesma sensação, porque realmente eu me sinto jogando algo novo e, único. Não sei quanto a você.
cara imagina um mario kart com mecanicas death stranding? enquanto participa da corrida tem que levar uma encomenda mais rapido que os outros!!!
 

Takayuki Yagami

Bam-bam-bam
Mensagens
7.354
Reações
14.734
Pontos
353
Eu confesso que sou Sonysta e fã do Kojima, e realmente para mim o jogo tem que se tornado um masterpiece. E quando a gente é fã, com certeza a gente potencializa pro lado positivo ou negativo dependendo da situação.

O Kojima realmente pode ter exagerado em falar que é um novo gênero (apesar que eu acredito que isso vá ocorrer, se não agora, em um futuro próximo).

Agora uma dúvida, como você não é hater e nem ista, me fala alguns jogos dessa geração que tenham "causado" essa mesma sensação, porque realmente eu me sinto jogando algo novo e, único. Não sei quanto a você.
Death Stranding é muito diferente mesmo. É uma diferença radical demais. Acho que a recepção que o jogo teve até evidencia isso. É o oposto do que praticamente todos esses jogos grandes são (paus)
É um jogo que não permite interação negativa. 0 de competitividade. Tudo no jogo está ligado ao tema "strand", da história ao gameplay.

E olha que no meu caso não sou "sonysta" (apesar de ter uns 5 ou 6 jogos da Sony no meu top 10 da geração) e muito menos "kojimista" (já que nunca joguei MGS4 e parei de jogar MGSV depois de 2 horas de jogo)
 

Megazordi64

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
18.537
Reações
32.070
Pontos
553
Eu confesso que sou Sonysta e fã do Kojima, e realmente para mim o jogo tem que se tornado um masterpiece. E quando a gente é fã, com certeza a gente potencializa pro lado positivo ou negativo dependendo da situação.

O Kojima realmente pode ter exagerado em falar que é um novo gênero (apesar que eu acredito que isso vá ocorrer, se não agora, em um futuro próximo).

Agora uma dúvida, como você não é hater e nem ista, me fala alguns jogos dessa geração que tenham "causado" essa mesma sensação, porque realmente eu me sinto jogando algo novo e, único. Não sei quanto a você.
Difícil eu responder a sua pergunta pois Death Stranding não teve todo esse impacto em mim, muito antes dele já tinha experimentado esse tipo de conexão com outros jogos, como no Dark Souls.

No próprio online do Minecraft existe um senso muito maior de união da comunidade em torno do mundo criado naquele servidor.

Até no Diablo 2 que é o jogo que mais joguei na minha vida tem por trás a ideia de cada um se ajudar pra progredir na aventura através do trade ou as vezes um jogador random te dando itens de graça.

Eu vejo muito mais o Kojima pegando uma ideia que já estava vagando em outros jogos do que sendo o real criador, o que ele inovou foi em adicionar pontuações para medir quem é a pessoa mais engajada tentando simular os likes do facebook, mas isso a From Software já tinha feito antes, as vezes até outro jogo usou desse artifício antes também, vai saber.

Sei lá, acho que o Kojima não tem esse mérito todo que ele se diz ter nesse sistema da comunidade se ajudar pra avançar na aventura.
 

King Macbeth

Veterano
Mensagens
814
Reações
824
Pontos
128
Outra bobeira que criaram sobre o Death Stranding é que "não é um jogo pra todo mundo."

Death Stranding é um jogo baseado em fetch quest como existem em outros mil jogos open world.

A única novidade é que tem o craft comunitário para as pessoas irem se ajudando, tem gente que gosta de ficar ajudando e outros rusham a main quest pra acompanhar a história.

Claro que nenhum outro jogo aprofundou nessa mecânica do peso das encomendas impactarem na jogabilidade, mas já teve outros jogos que usaram essa mecânica de forma pontual.

De um lado tem os fanboys falando que Death Stranding é uma obra de arte e outros hateando que é um walking simulator, não é nem uma coisa e nem outra, é um jogo de videogame openworld normal com várias mecânicas que existem até em outros jogos, não é nada de outro planeta.

No fim achei toda essa polêmica em volta do jogo bem besta, até fiquei um pouco decepcionado por isso, pensei que ia chegar no tópico rasgando elogios ou hateando, mas não aconteceu nem uma coisa e nem outra. :klol
Eu discordo um pouco de ser um open normal

Maioria dos opens tirando Breath, ir de A a B não passa de um detalhe. O Gameplay está em A ou B, mas não no caminho. Death Stranding o gameplay é o caminho, não A ou B (tanto que as coisas mais fracas no jogo são exatamente combates que ocorrem eventualmente em A ou B).

E acho isso muito bom. Eu sou um eterno hater de open world, tenho horror a maioria dos jogos no estilo por sentir que se fosse um jogo linear seria melhor, mas gostei de Death exatamente pela liberdade de escolher o caminho ser bem aproveitada. Não teria como esse jogo ser em outro estilo.

Ele tem defeitos, mas entre as qualidades dele está realmente dar importância ao caminho de A até B, coisa que eu só vi sendo feita em Breath tirando ele até hoje.

Isso dele ser Fetch Quest é uma put* de meia verdade. Fetch Quest tu apenas aponta a porra do direcional e se move, não havendo nenhum gameplay e só encheção de linguiça. As missões dele podem ser tematicamente parecidas, mas o que cumpre o papel de Fetch Quest aqui é muito mais os confrontos obrigatórios e os boss.
 

Bat_The

Veterano
Mensagens
720
Reações
705
Pontos
143
Difícil eu responder a sua pergunta pois Death Stranding não teve todo esse impacto em mim, muito antes dele já tinha experimentado esse tipo de conexão com outros jogos, como no Dark Souls.

No próprio online do Minecraft existe um senso muito maior de união da comunidade em torno do mundo criado naquele servidor.

Até no Diablo 2 que é o jogo que mais joguei na minha vida tem por trás a ideia de cada um se ajudar pra progredir na aventura através do trade ou as vezes um jogador random te dando itens de graça.

Eu vejo muito mais o Kojima pegando uma ideia que já estava vagando em outros jogos do que sendo o real criador, o que ele inovou foi em adicionar pontuações para medir quem é a pessoa mais engajada tentando simular os likes do facebook, mas isso a From Software já tinha feito antes, as vezes até outro jogo usou desse artifício antes também, vai saber.

Sei lá, acho que o Kojima não tem esse mérito todo que ele se diz ter nesse sistema da comunidade se ajudar pra avançar na aventura.

Entendi, valeu!!!!
 

Megazordi64

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
18.537
Reações
32.070
Pontos
553
Eu discordo um pouco de ser um open normal

Maioria dos opens tirando Breath, ir de A a B não passa de um detalhe. O Gameplay está em A ou B, mas não no caminho. Death Stranding o gameplay é o caminho, não A ou B (tanto que as coisas mais fracas no jogo são exatamente combates que ocorrem eventualmente em A ou B).

E acho isso muito bom. Eu sou um eterno hater de open world, tenho horror a maioria dos jogos no estilo por sentir que se fosse um jogo linear seria melhor, mas gostei de Death exatamente pela liberdade de escolher o caminho ser bem aproveitada. Não teria como esse jogo ser em outro estilo.

Ele tem defeitos, mas entre as qualidades dele está realmente dar importância ao caminho de A até B, coisa que eu só vi sendo feita em Breath tirando ele até hoje.

Isso dele ser Fetch Quest é uma put* de meia verdade. Fetch Quest tu apenas aponta a porra do direcional e se move, não havendo nenhum gameplay e só encheção de linguiça. As missões dele podem ser tematicamente parecidas, mas o que cumpre o papel de Fetch Quest aqui é muito mais os confrontos obrigatórios e os boss.
No meu post eu tentei explicar de maneira genérica as minhas impressões sobre o Death Stranding.

Acho que ele tem a sua peculiaridade como outros tantos openworlds. Em nenhum momento disse que o Kojima quis copiar outro jogo.

Estou com um pouco mais de 15h e até agora os maiores desafios pra mim foram os mulas e os monstros, estou falando desafio no sentido mudança de ritmo. Apesar das escadas e rapel funcionarem incrivelmente bem, acabei usando poucas vezes e no meu servidor não vi tantas construções assim.

Geralmente as minhas entregas do ponto A ao B se resumem mais em tentar achar a melhor forma de circular um morro, achar o melhor ponto pra atravessar o rio e achar a parte do penhasco que é possível passar pulando. Ai durante esse trajeto aparecem as mulas e monstros.

Fazendo as devidas proporções, REPITO, fazendo as devidas proporções, lembra um pouco Skyrim quando deparamos com morros ingrimes ou penhascos e precisando achar o melhor trajeto para seguir em frente. Acho que essa seria a melhor forma de descrever um pouco o level design dos trajetos do Death Stranding pra quem nunca o jogou.

Mas em nenhum momento estou querendo hatear o jogo, estou me divertindo com ele, eu só não consido enxergá-lo como master piece por não achar a ideia tão original assim e por também não ser tão bem executada. Por outro lado também discordo veemente dos haters que chamam o jogo de walking simulator.
 

Nicko

O Corretor de Seguros
VIP
GOLD
Mensagens
23.667
Reações
18.201
Pontos
674
Acabei de fechar o game. É um jogo que tem muitos defeitos mas tem muito mais méritos.
E não tem como fazer um jogo tão inovador sem cometer erros.
Acho que é meu GOTY.
vocÊ viu o lance da Pizza?
Quando você acaba o game você pode descobrir quem pediu a Pizza.
Terá uma surpresa ao saber quem era...e ainda mais os detalhes da casa do cara...

 

Megazordi64

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
18.537
Reações
32.070
Pontos
553
Alguém pode me tirar uma dúvida?

Como funciona os armários privados? Parece que não é universal, parece que só posso resgatar os itens onde coloquei.

Outra dúvida, recebi uma quest com um backtracking zoadaço ai resolvo usar o "teleporte". Fiquei sem os meus itens depois, como faço para resgatá-los? Se eu voltar ao lugar onde estava posso pegar de volta? Era uma estação de descanso.
 
Topo