O que há de Novo?
  • Novo tema VIP está disponível
    Visitante, um novo tema com fundo escuro agora está disponível para aqueles que contribuíram com doações ao fórum e têm o status VIP. Veja os detalhes aqui.


Desafio dos 52 jogos em um ano! [2017]

Craudiao

Bam-bam-bam
Mensagens
1.919
Reações
2.434
Pontos
303
01 - RWBY Grimm Eclipse: 27/01/2017
02 - Gears of War Ultimate Edition: 27/02/2017
03 - Gears of War 4: 01/03/2017
04 - State of Dacay Year-One Survivor Edition: 14/03/2017
05 - The Last os Us: 27/03/2017
06 - Resident Evil 6: 05/04/2017
http://forum.outerspace.com.br/index.php?goto/post&id=14711655
--------------------------------------------------------
07 - A King's Tale: Final Fantasy XV: 01/03/2017
08 - NBA 2K17: The Prelude: 08/04/2017
09 - Energy Cycle: 15/04/2017
http://forum.outerspace.com.br/index.php?goto/post&id=14736031
--------------------------------------------------------
10 - Skullgirls: 17/07/2017
http://forum.outerspace.com.br/index.php?goto/post&id=15050958
--------------------------------------------------------
11 - Sleeping Dogs Definitive Edition: 27/08/2017
http://forum.outerspace.com.br/index.php?goto/post&id=15165497
--------------------------------------------------------
12 - The Little Acre: 01/09/2017
http://forum.outerspace.com.br/index.php?goto/post&id=15177880
--------------------------------------------------------
13 - Monochroma: 09/09/2017
14 - Fifa 17: 24/09/2017
15 - Doodle God: Ultimate Edition:
20/11/2017
16 - Human Fall Flat:
25/11/2017
17 - Overcooked: 03/12/2017
http://forum.outerspace.com.br/index.php?goto/post&id=15449507
18 - Armikrog: 13/12/2017
Capture+_2017-12-18-20-00-24.png
Jogo Point'n Click com bonecos de massinha, jogo meio curto e sem sal mas visualmente é interessante.
--------------------------------------------------------
19 - Runbow: 16/12/2017
Capture+_2017-12-18-20-01-37.png
Jogo bem divertido e desafiante, conseguir as 3 moedas em todas as fases realmente foi trabalhoso, a mais legal é liberar uns personagens de outros jogos como Shantae e Shovel Knight, admito que torci o nariz a primeira vista, mas depois de pegar o jeito e sair dos níveis iniciais que são chatos de tão fáceis o jogo realmente me agradou.
--------------------------------------------------------
20 - Kalimba: 16/12/2017
Capture+_2017-12-18-20-02-52.png
Finalmente consegui terminar a campanha coop, deu muito trabalho pois é realmente difícil jogar de forma sincronizada com outra pessoa.
--------------------------------------------------------
21 - Refunct: 17/12/2017
Capture+_2017-12-18-20-05-43.png
É tão rápido que nem sei o que dizer, foi legal enquanto durou mas um jogo que tem uma conquista de terminar em 4 minutos é complicado recomendar.
--------------------------------------------------------
22 - Deadlight: Director's Cut: 17/12/2017
Capture+_2017-12-18-20-07-10.png
Ótimo jogo, continua muito bom, completei ele no 360 e no XOne agora, Muito bom mesmo, só da raiva que o cara tem menos folego que o Alan Wake.
 


foxmulderbh

Bam-bam-bam
Mensagens
6.928
Reações
2.119
Pontos
444
Tá bom já, cara. Não vai sobrar jogo pro ano que vem. :klol
To com um backlog de 49 jogos. teria terminado mais senao tivesse jogando fortnite, PUBG e clash royale kkkkkkkk

e por falar nisso:

#110 - Playerunknown´s Battlegrounds - Edição Preview ( Xbox One )
Finalizado em: indeterminado
Tempo Total: indeterminado
Progresso: indeterminado
Nota: 7,8/10

como o jogo ta no início, essa é a nota se acabasse hoje. diversão dele é 10. jogo é bom demais de jogar. mas questões técnicas e gameplay tem que melhorar.
 

Champion

Bam-bam-bam
Mensagens
11.840
Reações
7.725
Pontos
474
#30 - Resogun (PS4)



Que jogaço amigos, a Housemarque é foda demais, pena que anunciou que não fara mais jogos no estilo arcade, o jogo é frenético e show de bola, tinha começado ele a muito tempo e voltei a tempo de fechá-lo antes do ano terminar, e por causa disto vou em busca da platina:rox
 

Ennead

Bam-bam-bam
Mensagens
4.669
Reações
3.586
Pontos
344
Super Mario Odyssey - 28/11/2017 - 45h (NS)

Super Mario Odyssey é uma verdadeira... Odisseia. É uma viagem fantástica do começo ao fim, onde cada reino do jogo o qual você explora te passa um sentimento de exploração e de diversão. Cada reino tem o seu próprio feeling, de uma praia calma até o ameaçador reino do Bowser, toda a temática do jogo é baseada nesse tema de uma viajem fantástica, e a Nintendo conseguiu entregar justamente isso, uma inesquecível Odisseia.

Graficamente falando, Odyssey não deixa nada a desejar. Os gráficos são muito bonitos no maior estilo Mario, cheio de cores e coisas “fofas”. Raramente o framerate cai, mas nada que realmente atrapalhe a experiência, como foi com o Breath of the Wild no WiiU. Ele não tem aquele fator “wow” do Mario Galaxy mas nada que dez minutos de jogo não podem arrumar.

Os controles são perfeitos, o Mário tem todos os seus movimentos do 64 até o 3D World (tirando a break dance) e cada movimento tem a sua utilidade, seja em combate, plataforming ou exploração. A combinação mais famosa do Pulo > Cappy > Dive > Cappy > Dive resolve 90% dos problemas do jogo, mas ao aperfeiçoar os seus conhecimentos de cada movimento do Mario o jogo se torna ainda mais divertido. É impressionante, quando você termina um reino e depois volta nele com conhecimentos novos de movimentação, é quase um choque como as coisas parecem diferentes, os níveis foram feitos pensando em todos os tipos de jogadores, dos mais casuais até aqueles que conseguem extrair todo o potencial do jogo com maestria.


Os power ups tradicionais da série foram substituídos pelas capturas, quase todos os inimigos do jogo são capturáveis, estes você pode utilizar para, na maioria das vezes, pegar luas extras que se encontram no mapa ou para atingir lugares mais difíceis de serem alcançados utilizando somente o Mário, são poucas mesmo as situações em que capturas são realmente necessárias. Mas todas são divertidas de utilizar e de abusar das mesmas, não existe nenhuma captura igual o Spring Mario do Galaxy 1.


Roupas são totalmente cosméticas, não mudam em nada no gameplay.

Os controles de movimentos foram implementados de uma forma não intrusiva e em momento algum atrapalham a experiência, surpreendentemente, eles melhoram ainda mais alguns comandos que o Mário pode executar. Existem muitos movimentos extras que são executados ao balançar os controles de certas formas, nenhum desses é essencial para finalizar o jogo, apenas deixam algumas coisas mais fáceis. Você pode utilizar um tipo de homing attack ao balançar o controle após jogar o Cappy, pode rodar o Cappy ao mover o controle para a direita ou esquerda e ao balançar o controle você pode acelerar o movimento do Mario em algumas situações (subindo algo) ou executar alguma ação extra com os inimigos capturados, com os Goombas você tem o High Jump, o Bullet Bill tem um leve boost na velocidade e assim vai.

Sem usar o Homing Attack dos controles de movimento essa lua se torna bem mais difícil.

A trilha sonora foi a parte que eu menos gostei do jogo, depois de tanta coisa fantástica, com a Orquestra dos jogos da série Galaxy depois com o lindo Jazz do 3D World eu estava esperando um pouco mais, tirando o Fossil Falls, Steam Garden, New Donk City: Daytime e as músicas cantadas, nenhuma outra realmente me chamou a atenção.


Eu ainda não decidi se é o meu Mario 3D favorito, mas certamente é um jogo fantástico que todos que gostam da franquia devem jogar, é o melhor plataformer do ano com uma concorrência acirrada contra A Hat in Time e Sonic Mania, mas, na minha opinião conseguiu ganhar com folga desses dois, mesmo com os outros sendo jogos que eu adorei nesse ano. É também facilmente o meu GOTY de 2017.


Uma senhora de uma jornada

Nota: 10
Recomendação:


Para quem me acompanhou nessa minha odisseia em 2017 de bastate jogatina
 
Ultima Edição:

Jim64

Bam-bam-bam
Mensagens
2.201
Reações
3.987
Pontos
303
Gente, desculpe a pergunta provavelmente fora do lugar, sou novo kkkk
Mas me interessei por esse desafio. Só pra ter certeza, então no caso o desafio começa de novo na virada do ano?
Como faz pra estar nas lista dos que vão participar?
 

Ponce de Leon

Bam-bam-bam
Mensagens
9.122
Reações
9.469
Pontos
353
Gente, desculpe a pergunta provavelmente fora do lugar, sou novo kkkk
Mas me interessei por esse desafio. Só pra ter certeza, então no caso o desafio começa de novo na virada do ano?
Como faz pra estar nas lista dos que vão participar?
Creio que teremos sim uma edição ano que vem.

Caso a @Reila Nimu não crie o tópico alguém faz. Só não peçam pra mim pq eu sou um incompetente.

Pra participar só fazer post avisando quando criarem o tópico novo. Esse post você usa como uma lista principal e vai postando as atualizações em posts novos ao mesmo tempo que edita o principal (pode fazer de outra forma mas acho que assim fica bem organizado).
 


Ennead

Bam-bam-bam
Mensagens
4.669
Reações
3.586
Pontos
344
Creio que teremos sim uma edição ano que vem.

Caso a @Reila Nimu não crie o tópico alguém faz. Só não peçam pra mim pq eu sou um incompetente.

Pra participar só fazer post avisando quando criarem o tópico novo. Esse post você usa como uma lista principal e vai postando as atualizações em posts novos ao mesmo tempo que edita o principal (pode fazer de outra forma mas acho que assim fica bem organizado).
verdades foram ditas
 

Vaynard

Mil pontos, LOL!
Mensagens
61.130
Reações
36.513
Pontos
1.014
ACABOU!



#52 - 22/12 - Naruto Ultimate Ninja Storm Remastered - Playstation 4
Tempo total: 10 horas


Finalizo os 52 jogos anuais com Naruto Ultimate Ninja Storm Remastered!
Gosto muito dessa série dos jogos de luta, mas o 1 é realmente o melhor. Minha reclamação em relação aos seguintes é o quanto ficou quebrada a jogabilidade, aqui não, este é bem equilibrado. Sem palhaçada de barra de kawarimi, sem chakra regenerar, sem awakenings bizarros de dragon ball, meu maior intuito foi comprar pra jogar versus, que joguei demais no PS3. Acabei fazendo a história e platinando.
O modo história é fraco, e ainda exige que você grinde pra poder ganhar exp e fazer os eventos principais.

Sobre a gameplay, é o de sempre da série, e a remasterização é ótima. Os gráficos no PS3 já eram lindos, aqui é ainda mais, já que praticamente foram eliminados os serrilhados.

8/10
 

Vaynard

Mil pontos, LOL!
Mensagens
61.130
Reações
36.513
Pontos
1.014
#01 - 01/01 - Call of Duty 4: Modern Warfare Remastered - Playstation 4
Tempo total: 7 horas

Em 2008, CoD 4 foi meu primeiro jogo comprado de PS3 e um dos mais jogados também. Cheguei até o terceiro prestigee no online, terminei a campanha, eis que quase 9 anos sem tocar nele, depois eu termino, agora sua remasterização.

O jogo continua tão bom quanto foi em 2007. O jogo foi uma verdadeira revolução no gênero. Utilizando como palco a guerra moderna, ao invés da tradicional segunda guerra, um enredo intrigante, bons personagens e uma jogabilidade impecável, temos aqui uma obra de arte. A dificuldade hardened me proporcionou um ótimo desafio, algumas missões são realmente difíceis e você precisa aprender como passar dali, não é automático como a maioria dos fps atuais.

A ação é incessante, vários momentos de climax e algumas fases memoráveis. All Ghillied Up se destaca, pra mim, sendo uma das melhores fases em um fps da história dos games. Uma verdadeira aula de level design, que infelizmente, nem a própria Infinity Ward conseguiu reproduzir nos seus demais jogos.

Quanto à remasterização, foi um trabalho competente, os gráficos são muito bonitos e o framerate se mantém constante.

Único defeito é o respawn infinito em alguns momentos, que te força a sair correndo ou se arriscar.

Price, Gaz, Griggs e Soap, SEMPER FI!

10/10

#2 - 02/01 - Super Punch Out - Super Nintendo
Tempo total: 6 horas

Eu não considero Super Punch Out um jogo de luta, e sim um puzzle game com skin de boxe.
Digo isso pois, ele não se trata de um jogo comum de luta, pois aqui, se trata quase que exclusivamente de encontrar e explorar as fraquezas do adversário. Ao ponto de ter de perder algumas vezes dependendo do caso pra estudar o oponente e poder ganhar.

Então, temos um jogo de boxe com 4 campeonatos com 4 adversários cada, onde a dificuldade é gradativa e você vai aprendendo aos poucos a mecânica do jogo. No quesito jogabilidade ele beira a perfeição, tudo é muito suave e funciona bem. Soma-se isso aos gráficos lindos e cartunescos e o framerate estável, e você tem um grande jogo, onde o mais importante, é o timing. Timing aqui é tudo.

Os personagens são divertidos, as músicas animadas e apesar do jogo ser curto, leva tempo pra dominar.

9/10

#03 - 08/01 - Call of Duty Infinite Warfare - Playstation 4
Tempo total: 8 horas

O melhor e mais ousado Call of Duty desde Black Ops.
A idéia de levar o jogo pro espaço caiu como uma luva e o resultado é um jogo realmente muito bom.
As armas são sensacionais, as granadas são muito fodas, a jogabilidade é quase a mesma de sempre, com a soma de jetpack(que já tinha em AW) e alguns modos novos das armas. A jogabilidade na nave é incrível e deliciosa!
O jogo ser contínuo e não de fases, também contribuiu bastante pra imersão. A história e os personagens são ruins, mas o desenvolvimento é bom e o final é bastante imprevisível e passa uma mensagem legal.

8.5/10

#04 - 18/01 - Killer Instinct 2 Remaster - Xbox One

Ano passado eu zerei KI1 com todos os personagens ao longo do ano.
Aí deram o KI2 na gold e pretendo fazer o mesmo.

Enquanto o 1 é uma pérola, esse 2 é apenas um bom jogo de luta. Retiraram vários personagens legais do KI1, o que é uma pena e colocaram outros não tão legais.
Os gráficos são impressionantes e os efeitos do arcade são animais pra época, mas longe do impacto do 1 em todos os aspectos.

7.5/10

#05 - 01/02 - Alladin - Super Nintendo
Tempo total: Entre 1 e 2 horas

Matando a saudades desse jogo lindo que marcou minha infância.
A trilha sonora é belíssima, e o jogo em si é bem sólido, com gráficos bem agradáveis e uma jogabilidade que funciona.

8.5/10

#06 - 02/02 - Shin Megami Tensei: Devil Survivor Overclocked - Nintendo 3DS
Tempo total: 39 horas

O jogo se passa em Tóquio, e começa quando, você com seus amigos, recebem uma espécie de um pc de mão. Horas depois você recebe um email prevendo mortes em determinados horários. E instantes depois, surgem demônios querendo te matar. Após matar eles, você acaba por recrutar eles e no fim do dia, acontece umas desgraças, morre uma porrada de gente e no dia seguinte, o governo simplesmente faz um bloqueio militar na região onde você está e ninguém entra e ninguém. O jogo se desenrola dentro do bloqueio durante os sete dias seguintes.

A jogabilidade beira a perfeição. Ele é um strategy grid based, mas ao iniciar a luta, ele entra no mais clássico turnos, agility based. Claro que não é só isso, você tem uma infinidade de skills, habilidades únicas de cada raça, particularidades de cada monstro, fraquezas e resistências e lutas bem difíceis onde ele faz uso dessas habilidades intensamente.

A história é muito boa e o jogo tem quase 10 finais, de acordo com as suas escolhas.
O ponto fraco do jogo fica pelos personagens, com exceção de um ou outro, são bem mais ou menos.

Overclocked se trata de um port com melhorias pro 3DS, o jogo original é de DS.

9/10

#07 - 02/05 - Metal Gear Solid 2: Sons of Liberty Remastered - Playstation 3
Tempo total: 12 horas

Embora duramente criticado no lançamento, pelas diversas polêmicas, este jogo é atemporal, e continua extremamente atualizado aos dias atuais, parece que saiu esses dias.
A história é sem sombra de dúvidas a mais profunda entre os MGS e abusa de metalinguagem, em alguns momentos é até difícil de pegar todas as nuances.

Tecnicamente ele beira a perfeição, gráficos incríveis, cenários bem arquitetados e sem quedas de framerate, a inserção do modo primeira pessoa melhorou muito o gunplay e a trilha sonora continua muito boa.

Minhas ressalvas sobre o jogo vão para:

Muito backtracking, você precisa ir e voltar muitas vezes aos mesmos lugares.
Chefes chatos.
Vilões pouco carismáticos. Esse foi um ponto grave. Acho o Vamp ridículo, o Fatman não cheira nem fede e a Fortune, ela sim é um grande personagem mas pouco aparece.

9/10

#08 - 13/02 - Metal Gear Solid 4: Guns of the Patriots - Playstation 3
Tempo total: 14 horas

Depois de terminar MGS2, fui direto para o 4. Que jogo soberbo! Tem muitos defeitos mas é uma carta de amor aos fãs da série.
Chuto gameplay em torno de 5 horas e 9 de cut scene.
No fim, a história do jogo é tão foda, que fiquei querendo ainda mais cut scenes huahuauha

O gameplay do jogo tem alguns problemas, além de pouca gameplay, o level design é pobre e linear, e os gráficos são de outro mundo, mas sofre com muita queda de fps em momentos de explosões, mas nada que comprometa a gameplay. Em compensação, a barra de psyche e stamina trazem uma dinâmica legal pro jogo.

A história do jogo é fantástica, os personagens são extremamente bem caracterizados e o jogo é cheio de plot twists e momentos dramáticos. E claro, é intupido de Kojimices, o que é uma coisa boa.

Nota de fã: 11/10

Nota baseado em minha experiência: 8.5/10

#09 - Azure Striker Gunvolt - Nintendo 3DS
Tempo total: 6 horas

Um "clone" extremamente competente de Mega Man.
Clone porque ele pega o esqueleto de Mega Man, componentes de Mega Man Zero e expande eles. Todos os elementos da gameplay do blue bomber estão aqui.
A jogabilidade é muito boa e com possibilidade de equipamentos e magias, deixou o jogo bem dinâmico. Tem uma história razoável, mas que não me importei muito, mas peca nas fases extensas, nos personagens sem carisma e na OST genérica.

8/10

#10 - 27/02 - Fire Emblem - Game Boy Advance
Tempo total: 15 horas(cortando animação de luta)

Primeiro Fire Emblem a vir oficialmente para o ocidente e um dos meus rpgs favoritos. Também conhecido como Fire Emblem 7 e Rekka no Ken(The Blazing Blade).

Jogo espetacular. Um dos melhores da série!
Personagens muito legais, dificuldade na medida, história bacana e 3 protagonistas.

9.5/10

#11 - 28/02 - Fire Emblem: Fuuin no Tsurugi - Game Boy Advance
Tempo total: 25 horas

Continuação direta do Fire Emblem acima. O protagonista é o Roy, filho do Eliwood, um dos protagonistas do anterior, se passa alguns anos após o Blazing Blade.

É um jogo mecanicamente melhor. Tem muitas armas novas, os mapas são maiores e mais bem elaborados e tem uma enxurrada de personagens.

Porém, não gostei de algumas coisas. Os personagens não são tão legais, mesmo o Roy é um herói meio genérico, quase o pai dele só que mais jovem, a história não é tão legal, ela é bem clichê e o principal, é um jogo muito apelativo, tem mapas quebrados, dificílimos, mas por motivos errados. Fiz o bad ending pelo simples motivo de o jogo não te alertar em momento algum sobre isso, simplesmente fechei, veio um final bosta e pesquisando na internet fui descobrir isso.

8/10

#12 - 03/04 - Middle-Earth: Shadow of Mordor - Xbox One
Tempo total: 16 horas com 78%

Não sou muito fã de open world pelo motivo de ficar camelando a toa pelo mapa(eu considero perda de tempo).
Alguns, inclusive este, conseguem ser open world mas com um mundo rico de conteúdo e com um bom level design, onde as coisas são próximas umas das outras, a terra média é bem viva, as atividades são constantes e no fim, é um prazer passear por Mordor.

O combate é uma mistura de Assassin's Creed com Batman. Não é nada demais, mas é bacana pelos muitos recursos que você vai destravando. Finalizar orcs é legal demais, o jogo é bem sangrento.
O mais legal do jogo, é enfrentar os capitães e Warchiefs. Entrar no meio de uma fortaleza e ver um monte de orcs ovacionando o Warchief e gritando o nome dele, e no fim, degolar o fdp é maravilhoso. O sistema de Nemesis também é bem legal, no qual os inimigos sobem no rank conforme te matam, só que do meio pra frente, eu praticamente não morria mais, então ficou meio subutilizado.

Só achei uma coisa horrível: Chefão é qte. Isso foi tosco demais.

8.5/10

#13 - 14/03 - Naruto Ultimate Ninja Storm 4 - Playstation 4
Tempo total: 8 horas

Finalizei o modo história e peguei diversos troféus.
Jogo que enfim conclui a história do anime. O sistema de batalha é quase o mesmo de sempre, porém com melhorias muito boas como poder trocar de personagens durante a luta e uma infinidade de personagens, deve ter mais de 100!
Sobre o modo história, apesar de mais assistir do que jogar, o jogo é mais dinâmico que os anteriores, com as lutas entre as bijuu e os chefes gigantes, musou e inimigos com muitas barras de energia.

8/10

#14 - 17/03 - A King's Tale - Final Fantasy XV - Playstation 4
Tempo total: 1 a 2 horas

Beat'n'up baseado no universo de FF XV.
Por se tratar de um jogo grátis, joguei sem expectativa nenhuma. Me surpreendi! Pra quem gosta do gênero, é uma pérola!
A jogabilidade é incrível, com vários movimentos, muitos inimigos na tela, magias, os gráficos são bem agradáveis e a trilha sonora é ótima.

8.5/10


#15 - 08/04 - Mega Man 8 - Playstation
Tempo total: 3 a 4 horas

Enquanto a evolução dos 16 pros 32 bits fez muito bem à série X, com o fantástico X4, aqui eles foram um tanto preguiçosos.
O visual é lindo, a jogabilidade é sólida como sempre, e o mais legal do jogo são as armas extremamente criativas.

Mas sofre por ser muito fácil, chefes sem graça, level design preguiçoso e trilha sonora esquecível, que normalmente são pontos fortes da série.

7.5/10

#16 - 15/04 - Nioh - Playstation 4
Tempo total: 40 horas

Fortemente inspirado na série Souls, embora com sua própria personalidade, Nioh foi uma grata surpresa.
O sistema de batalha beira a perfeição e a ambientação no Japão do século 16 é maravilhosa.

O level design aqui não é tão caprichado como em Souls e tem bastante repetição nas quests, mas o sistema de fases deixa o jogo mais prático. O sistema de loot, bastante criticado, que puxa mais pra Diablo também me agradou, embora no post game é chato ter que farmar equipamentos.

9/10

#17 - 21/04 - Attack on Titan - Playstation 4
Tempo total: 8 horas

Jogo do anime Shingeki no Kyojin.

Pra quem gosta do anime/mangá, esse jogo é um prato cheio.
Embora seja um musou, ele tem um ótimo sistema de batalha que varia de personagem pra personagem e é muito fiel a história do anime.
Os gráficos em cell shading são bem bonitos e a OST épica passa um clima desolador e catastrófico bem característico da série.

8/10

#18 - 23/04 - Soldner X 2 - Playstation Vita

Continuação de um shmup de um estúdio alemão pouco conhecido do PS3.
Os gráficos são lindos, a jogabilidade é bem sólida, porém as fases não são muito inspiradas e os chefes são cansativos devido ao excesso de life.

7.5/10

#19 - 23/04 - Soldner X 2: Final Prototype Expansion - Playstation Vita

Expansão com os capítulos 8, 9 e 10 do Soldner X 2.

Parece que a criatividade do estúdio ficou pra dlc, que é muito foda!
Embora sejam apenas 3 fases, elas são gigantes, onde o jogo não te deixa descansar(embora não seja bullet hell), trilha sonora muito boa, alguns momentos bem psicodélicos e principalmente, os chefes aqui são animais!!! Em especial o chefão.

#20 - 1/05 - Gears of War 4 - Xbox One
Tempo total: 10 horas no Hardcore

Adoro Gears of War, mas cansou.
O jogo é aquele padrão da série. Tiro, tiro, tiro, tiro, tiro, tiro e mais tiro.
Se a pessoa gosta dos primeiros, vai adorar este. Senão, não. A jogabilidade é a mesma de sempre, as armas pouco mudaram, e tecnicamente ele é muito competente, gráficos belíssimos e fps fixo, mesmo na bagunça.
Ao contrário dos primeiros, este é muito colorido e tem uma série de inimigos novos, onde antes, tudo era cinza e tinha 2 ou 3 tipos de inimigos que se repetiam o jogo todo.

Porém, os personagens são muito fracos, um detalhe marcante da série. O quarteto Fenix, Dom, Baird e Cole é ótimo e funciona muito bem, porém, estes 3, são bem rasos e acaba por não criar nenhum tipo de laço com eles. A história também é bem fraca, mas os últimos capítulos são espetaculares e enfim, desde o 1, o jogo tem um final boss! Sim! Bem decente por sinal.

Sobre o online, joguei pouco do modo horda, que está ótimo.

8/10

#21 - 06/05 - Nioh: Dragon of the North(DLC) - Playstation 4
Tempo total: 6 a 8 horas


Primeira expansão das 3 previstas no season pass do Nioh.
Continuação direta do final, adiciona uma área nova, diversos inimigos novos e junto com a DLC, veio um patch caprichadíssimo adicionando pvp, uma arma nova e várias outras melhorias.

A área nova é muito interessante e tem boss fight fantásticos.

8.5/10

#22 - 13/05 - Titanfall 2 - Playstation 4
Tempo total: 5 a 7 horas

Um dos melhores fps dessa geração, e porque não dos últimos 10 anos.

Começando pelos cenários enormes e uma liberdade de exploração atípica pro gênero, indo pro wall jump, pulos duplos e enfim o Titan.
A jogabilidade não muda muito do que já existe no mercado, porém ela é executada com perfeição, o melee é delicioso, você tem uma grande variedade de armas bem únicas e interessantes e as fases são pensadas com isso em mente, principalmente ativar o cloak e dar uma voadora no peito do inimigo!

Mas o jogo brilha dentro do Titan. É um enorme prazer pilotar o Titan. A jogabilidade é extremamente afiada, com diversos recursos de ataque, defesa e mobilidade.
O jogo possui boss fights muito boas(algo raro no gênero) e que te fazem explorar os limites da fase e pensar um pouco pra passar.

A história é meio rasa, mas a relação entre Humano e Titan é extremamente bem explorada e você realmente se importa com o Titan, eles crescem juntos durante o jogo.

O online é ótimo e bem diferente do que existe no mercado. São duas equipes de 5 e vários bots e de acordo com sua pontuação, você chama os upgrades e Titans para o campo de batalha.

Única reclamação é a duração do jogo. Achei muito curto.

9/10

#23 - 26/05 - Shovel Knight: Specter of Torment - Nintendo 3DS
Tempo total: 4 a 5 horas

Segunda expansão de Shovel Knight, cujo personagem é o Specter Knight.
Jogabilidade fantástica, extremamente afiada e inventiva. Zerado com quase todas as caveiras, faltaram acho que 2 ou 3, todas os upgrades e armaduras.
Mantém o alto nível do jogo original.

9/10

#24 - 04/06 - Virtua Tennis 4 - Playstation Vita

A CPU de Virtua Tennis sempre pareceu a Skynet nas últimas partidas. Aqui não é diferente. Depois de algumas semanas jogando e aprendendo, enfim consegui zerar o arcade.
Continua um jogo tão bom quanto sempre foi, desde o Dreamcast.

8.5/10

#25 - 05/06 - inFamous First Light - Playstation 4
Tempo total: 4 horas

DLC Standalone de inFamous SS, protagonizado pela personagem Fetch contando o passado dela.
Zerado com 100%, exceto pelos challenges, que não tive interesse em fazer.
A personagem é interessante, os gráficos são ok mas assim como no SS, os efeitos são fantásticos! A jogabilidade continua bacana como sempre. A cidade é pequena e o personagem se move de maneira veloz, então é uma delícia a exploração.

8/10

#26 - 10/06 - Uncharted 4: A Thief's End - Playstation 4
Tempo total: 14 horas

Conseguiu a proeza de superar o incrível Uncharted 1 pra mim, Uncharted 4 conclui com maestria a história de Nathan Drake assim como usa com excelência todos os aspectos utilizados na série até então com algumas melhorias. A história é de longe deles a melhor, os gráficos são de outro mundo, a jogabilidade está quase a mesma coisa de sempre e os personagens estão muito bem, pra variar.

Só peca na demora pra engrenar e no excesso de stealth que colocaram mas que não dão ferramentas adequadas para realizar o stealth, o que já é comum na série. O final é de encher os olhos.

9/10


#27 - 19/06 - Nier Automata - Playstation 4
Tempo total: 30 horas

Não vou escrever muito sobre. Um dos melhores jogos da geração e um dos melhores rpgs da história com sobras.
Uma aula de level design e de gameplay, de como se contar uma história e principalmente a trilha sonora.
Um jogo impecável e que ficará na minha memória até o fim dos meus dias.

Obrigado Square Enix por lançar isso e por permitir que Yoko Taro dirigisse uma continuação pro mítico Nier.

11/10

#28 - 02/07 - Injustice 2 - Playstation 4
Tempo total: 12 horas

Injustice 2 é uma grande evolução em relação ao 1. Diria que em todos os sentidos.
A jogabilidade melhorou muito, o modo online é ótimo, o jogo conta com bastante conteúdo, o modo história do 1 tinha uma história confusa e horrorosa, neste ela é muito boa, tem muitos personagens do universo DC, só que tem alguns grandes problemas que acabam irritando demais!

Fruto da ganância da WB, Injustice 2 tem além de um season pass escroto, muita micro transação e isso estragou o modo online do jogo, pois você, mesmo na rankeada, enfrenta inimigos cheios de equipamento e com personagens muito mais fortes que o seu, te obrigando a perder tempo no bobo modo multiverso, ou ficar farmando caixa, ou no pior dos casos, comprar caixas com dinheiro real.

8.5/10

#29 - 09/07 - Final Fantasy XV - Playstation 4
Tempo total: 22 horas

Apesar de amar a série, fazia por volta de uns 15 anos que eu não jogava nenhum. Sou daqueles fãs chatos que insistem que acabou no PS1. Enfim.
FF XV depois de muito tempo me empolgou em um jogo numerado. Neste meio tempo zerei algumas dezenas de vezes o Tactics, joguei bastante do Tactics Advance e o A2, e viciei bem pesado por mais de 6 meses no Brave Exvius, mas isso é assunto pra outra hora.
Os primeiros trailers de Versus eram impressionantes, e no fim das contas, como eu temia, não foi o que entregaram.

Tive contato com FF XV, na demo Episode Duscae, bônus da versão disco de FF Type 0. Adorei a demo na ocasião, mas novamente, mudaram mais coisas, e pra pior.
Na demo havia várias features no sistema de batalha removidas na versão final e quests e partes bem bacanas envolvendo o grupo, principalmente quests entre os parceiros do Noctis que aprofundavam a relação entre eles.

Bom, deixando as reclamações de lado e focando no jogo em si, me deparei com um misto de frustração e empolgação.

Inicialmente o jogo é fantástico. O mundo parece interessantíssimo e a história aparenta ter potencial.
Porém, muito disso é desperdiçado.

O sistema de batalha é smash button, a história quase inexistente e cheia de buracos, side quests horríveis e repetitivas, o jogo se torna um corredor em boa parte da main quest, excesso de loadings e pior, loadings demorados e a mecânica de mundo aberto, tem jogos de 2005 com um mundo mais bem resolvido que este.

Bom, apesar dos diversos problemas, o jogo tem muita coisa bacana como os personagens, tanto o Noctis quanto seus amigos são ótimos, os demais personagens e os vilões também são bons, o jogo tem um clima de fantasia meio scifi muito bacana e o final embora previsível, é bem bacana.
Acredito que apesar da demora, afinal, foram pelo menos uns 7 anos de produção, o jogo foi lançado prematuramente, são detalhes simples, mas que fazem muita diferença na gameplay.

8/10

#29 - 15/07 - Forza Horizon 3 - Xbox One
Tempo total: 20 horas

Depois do bom mas na minha opinião decepcionante 2, Forza Horizon 3 apresenta um mundo maior, mais interessante e com gráficos lindíssimos e uma jogabilidade fantástica.
As rádios melhoraram, há mais carros, o mundo é muito mais legal e o festival está um espetáculo.

Porém, nem tudo são flores aqui.
Assim como o 2, ele tem os malditos pontos de verificação, que tiram uma das coisas mais legais de jogos de corrida arcade, ainda mais com rally. Improvisar. Roubar. Explorar os limites das pistas.
Isso tira muito da graça do jogo, e é algo completamente desnecessário e idiota.
E tirar o chefão. No 1 e no 2, chegando ao término do festival, você tinha uma corrida absurdamente foda que dura em torno de 20 minutos. Sim! 20 minutos! Retões enormes, curvas fechadas, montanhas, praias, você basicamente corria em boa parte do mundo e era a coisa mais legal do jogo e eles simplesmente tiraram!
Você chega ao final e não tem a corrida final. Um absurdo.

Talvez corrigindo esses 2 pontos, poderia chegar a 10/10 pois o jogo é impecável tecnicamente e ser um dos melhores jogos de corrida de todos os tempos(patamar onde o 1 está pra mim), é um trabalho fantástico.

9.5/10

#30 - 01/08 - Nioh Defiant Honor Expansion - Playstation 4
Tempo total: 4 horas

DLC muito curta, sem os chefes sensacionais da primeira e com uma grande palhaçada: a Tonfa e a dificuldade nova, são exclusivas pra dlc. Um absurdo.
Na dlc anterior mexeram em muitas coisas e adicionaram a Odachi pra todos. Palhaçada colocar conteúdo do jogo comum só pra quem comprou a dlc.
Sobre a dlc, as poucas fases são legais, em especial a última e a tonfa é foda demais, porém você mal aproveita as coisas de tão curta que é a dlc.

7/10

#31 - 05/08 - Knack - Playstation 4
Tempo total: 8 horas

Muito criticado, peguei o jogo na promoção sem a menor expectativa.
E no fim das contas, ele não é ruim! Tá, ele também não é bom, mas por 12 reais, valeu a pena.
A jogabilidade é extremamente simples, engessada e repetitiva.
Serve como um passatempo, eu joguei ele bem esporadicamente, jogando mais quando eu simplesmente não queria jogar kkk
Ponto positivo pros personagens carismáticos, gráficos muito bonitos e a ótima dublagem pt-br.

6/10

#32 - Overwatch - PC

Registrando ele aqui. Joguei mais de 100 horas esse ano, passando mais de 1 reset e temporariamente, está paralisado.
Jogo maravilhoso em todos os aspectos e que depois de muitos anos, me fez voltar a ter interesse em fps competitivo.

9.5/10

#33 - 10/08 - Marvel Heroes Omega - Playstation 4
Tempo total: 8 horas

MMORPG F2P que nasceu no PC e foi portado para o PS4 recentemente.
Usando uma gameplay parecida com Diablo, mas muito longe da qualidade dele e cheio de recursos pay to win, o jogo não me animou a continuar jogando depois de terminar.
Ponto positivo pela historinha bacana e a vasta seleção de personagens disponíveis.

7/10

#34 - 12/08 - Mega Man 6 in Mega Man Legacy Collection - Xbox One
Tempo total: 3 a 4 horas

Último Mega Man lançado pro Nes, com o Snes já lançado inclusive.
Finalizei o 5 ano passado e vou usar palavras parecidas.
Jogabilidade beira a perfeição, no caso do 6 tem algumas features até meio roubadas que são as armaduras, mas passa a impressão que acabou a inspiração. As músicas(com exceção do Yamato Man que adorei) não são muito inspiradas, as fases são ok e os chefes também são meio genéricos. Mesmo as armas, destaque do 5, aqui não são tão legais.
De qualquer forma, ainda é um jogo extremamente sólido e prazeroso, já que ele não é um jogo sacana como os primeiros.

8/10

#35 - 03/09 - Saga Frontier 2 - Playstation
Tempo total: 22 horas

Terminar esse jogo, acima de tudo foi uma missão pra mim! Joguei ele quando tinha uns 12 anos de idade e nunca consegui zerar por conta do chefão ser muito apelão.
Estava determinado a zerar e acabar com essa maldição em meu backlog! Dito e feito!

Saga Frontier 2 é o oitavo jogo da série SaGa, muito conhecida no Japão mas praticamente desconhecida aqui no ocidente.
Saga Frontier 2 tem elementos completamente diferentes dos seus antecessores, já que a série usa muito da não linearidade e já usava um conceito parecido com mundo aberto no snes, nos Romancing SaGa.

Sobre o jogo em si, a parte técnica dele beira a perfeição. Os gráficos parecem pintados a mão e possui uma arte lindíssima, é fácil um dos 2D mais bonitos da história. A trilha sonora também é incrível, abusando de piano.

O jogo possui 2 protagonistas, Wil Knights, um Digger, tentando descobrir o motivo da morte de seus pais, que também eram Digger e Gustave XIII, recém nascido príncipe do reino de Finney, porém que nasceu sem Anima(a magia do mundo) em seu corpo e é considerado por seu pai como impuro e é banido do reino. A história desenrola de uma forma diferente, ela se desenvolve através de scenarios variando entre os 2 protagonistas e outros personagens temporários.

O sistema de batalha é extremamente inventivo e até meio complicado, pois tem 3 estilos. Duelos 1x1 onde você insere os comandos e vai formando sequências que se tornam os ataques. O sistema convencional, em grupos de 4 componentes e as guerras em tabuleiro.

Até agora falei só de coisas boas. O jogo é bom? É ótimo. Mas poderia ser um dos melhores rpgs da história(sim, é sério) se não fosse alguns defeitos gravíssimos(na minha opinião).

A história é interessantíssima e ambiciosa, mas acaba sendo mal aproveitada e muitos detalhes ficam mal explicados ou não são explicados. Diversos personagens entram e saem do nada e não aparecem mais, muitos são desperdiçados quase sem proveito. Outro detalhe são os scenarios que vão liberando e você não sabe a cronologia, pode, e muitas vezes acaba atropelando fazendo eventos em muitos anos na frente sem explicação e depois tendo que voltar.

A dificuldade do jogo no geral é um acima da média mas tem momentos bastante desbalanceados, o que torna um pouco frustrante algumas passagens do jogo. O chefão por exemplo, sem uma organização decente, você simplesmente não mata. Eu grindei bastante e tinha boa parte dos melhores equipamentos e ainda tive bastante trabalho. O chefão é extremamente escroto. A última dungeon inteira, aliás, além de uma certa guerra. Sem contar o design porco das dungeon e de respawn mas que costumam ser dungeon curtas, então acaba não incomodando tanto na maioria delas.

E por fim, o sistema de batalha, que ao mesmo tempo em que é fantástico, ele é mal explicado, confuso e difícil de aprender as melhores técnicas.

Trata-se de um jogo espetacular e bem único. Você provavelmente nunca jogará nenhum rpg parecido com Saga Frontier 2. Trata-se de um jogo inovador, que arrisca em tirar o jogador do modo automático e é recheado de momentos memoráveis.

9/10

#36 - 10/09 - Wipeout HD Remastered - Playstation 4
Tempo total: 8 horas

Versão remasterizada deste jogão de PS3 e um dos meus jogos de corrida favoritos.

O original na minha opinião já beirava a perfeição, este aqui é ainda melhor. Com exceção da trilha sonora, que no remaster foi substituída por boas músicas, mas muito abaixo das anteriores.

9/10

#37 - 10/09 - Guardian Heroes Remastered - Xbox One
Tempo total: 2 horas

Um clássico do Saturn e um grande beat'n'up, esta é a versão remasterizada do xbox 360 rodando no xbox one.

Porradaria de muita qualidade, trilha sonora muito boa e uma história bacana, com vários finais, sendo os caminhos de múltipla escolha através de respostas.

8,5/10

#38 - 16/09 - Binding of Isaac Rebirth - Playstation 4

Lendário roguelike, depois de 2015, voltando a jogar agora. Zerei algumas vezes, com o Lazarus e o Azazel. Continuarei jogando.
Sem muito a comentar exceto pela excelência dele.

Até 12/10 zerei ele 14 vezes.

9,5/10

#39 - 24/09 - Battlefield 1 - Xbox One
Tempo total: 5 horas

Aproveitei o final de semana grátis da live pra jogar a campanha tão elogiada deste jogo. E não me arrependi.

Na campanha de BF1, temos 6 histórias protagonizadas por 6 diferentes personagens na primeira guerra mundial e em diversos fronts.
São histórias curtas, mas com bons personagens, muito variadas e momentos muito emocionantes.
Tem história com tanque, com avião, mais stealth, é muito bem variado.

Os gráficos são fantásticos, a trilha sonora empolga e a jogabilidade funciona extremamente bem. Único grande defeito é ser curta demais.

8.5/10

#40 - 01/10 - Cuphead - PC
Tempo total: 6 horas

Gráficos perfeitos, jogabilidade perfeita, trilha sonora beira a perfeição, dificuldade na medida, chefes extremamente criativos, um clássico instantâneo.

10/10

#41 - 07/10 - Sonic Mania - Xbox One
Tempo total: 5 horas

Superou todos os Sonic do Mega. Um jogo impecável!

10/10

42 - Pyre - PC
Tempo total: 13 horas

Não vejo jeito melhor de descrever esse jogo comi uma mistura de rpg com rouba bandeira.

Todos os jogos da Supergiant são bons, é impressionante. Bastion e Transistor são ótimos e esse não foge a regra. Além de tudo, são jogos completamente diferentes.

Neste, em um mundo que parece pós apocalíptico, pelo menos inicialmente, o protagonista sem nome é encontrado quase morto por uma caravana. Passados alguns diálogos, você descobre que você tem a habilidade de ler, porém ler é proibido neste lugar. Este lugar, conhecido como Downside, é mais um menos como um vale dos banidos, do Commonwealth e é onde o jogo se desenrola. Com suas habilidades de leitura e o Book of Rites, que permite que você participe dos Rites, o objetivo é conquistar a sua liberdade e a dos seus companheiros.

O rite é onde existe o sistema de batalha. As batalhas acontecem em grupos de 3, onde o objetivo é capturar a bola e levar até a base do outro time. Porém, há várias classes, itens, skills e cenários diferentes.
O sistema de batalha é extremamente interessante e instigante, principalmente jogando no hard. A CPU é relativamente esperta e no final do jogo o desafio fica cada vez melhor.

O único porém é que o jogo tem texto demais! Particularmente eu gosto de jogos com foco em texto, mas esse é exagerado, além das leituras, embora interessantes, longas e massantes do livro (opcionais).

Os personagens são extremamente interessantes, assim como o mundo e a história embora simples, funciona muito bem. A trilha sonora é um espetáculo nas músicas cantadas.

9/10

#43 - 14/10 - Street Fighter X Mega Man - PC

Crossover entre Mega Man e Street Fighter. As fases são fracas, mas as lutas contra os chefes são sensacionais! A trilha sonora ficou realmente muito boa também.
Único defeito grave é que o jogo não possui suporte a controles, então tive que fazer uma gambiarra. Usei o xpadder e configurei os botões do teclado no controle, tentei de várias outras formas e só assim foi. Irônico que pra jogar um jogo free, tive que usar o torrent pra baixar um software pago haha

7/10

#44 - 24/10 - Mega Man The Power Battle e Mega Man The Power Fighters 2

2 jogos de Mega Man pro Arcade em formato de boss rush. Jogabilidade e gráficos no estilo do Mega Man 7.
Zerei o 2 com somente uma ficha e o 1 eu zerei em todos os modos coop, coisa até então inédita na série.

8/10

#45 - 1/11 - Tekken 7 - Playstation 4
Platina - Tempo total: 10 horas, platina e continuando a jogar

Gostava muito de Tekken na época do PS1, e a série, desde o Tekken 3 e o TTT no Arcade não me empolgavam.
Comprei o 7 e não me arrependi. É um jogaço!
Únicas reclamações ficam pelo excesso de loadings e o pouco conteúdo offline.
A gameplay e os gráficos são sensacionais e o cast é muito bom e extenso.

9/10

#46 - 4/11 - Darkest Dungeon - PC
Tempo total: 51 horas, zerado com 100%


DD é um rpg indie famoso por sua altíssima dificuldade e ser punitivo. Quando vi o jogo pela primeira vez, pensei, não deve ser tanto assim. Ledo engano, felizmente!
Após um bom tempo como early access e desde o ano passado completo, inclusive neste ano saiu a expansão The Crimson Court com uma área nova e uma classe nova.

Darkest Dungeon é um jogo curioso. A história é a mais boba possível. Um lorde ricaço cansado da vida cheia de luxúrias, solidão e do tédio encontra um mapa pras masmorras de seu castelo onde havia um grande poder dormente. Abdicando de tudo, ele consegue chegar até tal poder, mas descobre um poder "demoníaco". Então, ele escreve uma carta pra você, o jogador, pra ir lá resolver a situação que ele criou. Sim, um belo fdp. A história é praticamente só isso. Mas não é o importante, não neste jogo.

O jogo brilha em todos os demais aspectos.

Gameplay: Contando com 15 classes(+2 de dlc) extremamente ricas e variadas, o jogo te dá uma gama monstruosa de customização dentro e fora da batalha. Você pode montar times de inúmeros jeitos e pra inúmeras situações e isso realmente cai como uma luva.
A gameplay consiste em 2 formatos. A cidade, que por assim dizer, é onde você organiza tudo e as dungeons. Dentro das dungeons, temos o fator Luz. O nivel da tocha impacta diretamente na gameplay, causando ambush ou surprise, aumentando o stress(vou falar jaja disso) e outras coisas como aumentar o item drop rate e o encounter rate. A progressão na dungeon é sempre pra frente e você vai selecionando os corredores e indo pra frente.

O sistema de batalha é simples mas profundo. A party composta de 4 players, com 4 posições e a ordem de ataque é baseada em speed. Temos os já conhecidos elementos de outros rpgs mas com muito uso de rng, as vezes é bem frustrante, as vezes ele dá uns criticals loucos, e muito uso de status negativos, coisa geralmente pouco explorada em rpgs. Poison(Blight aqui), Bleed, Stun, Move, Mark(uma mecânica nova e muito boa) e vários outros. O principal entre eles é o stress. Presente a todo momento, muitas vezes mais importante até que a barra de life. Indo de 0 a 200, em 200 ele tem um ataque no coração e morre, em 100, ele causa algum sintoma negativo e passa a reagir de alguma forma bizarra por exemplo se negar a receber cura ou num golpe de sorte, ativar o Virtue, onde o stress vai praticamente a 0 e você ganha buffs. Essa barra de stress dá uma profundidade incrível pro jogo, pois há diversos inimigos que atacam diretamente seu stress ao invés da sua vida, e saber controlar isso é a chave pra se dar bem, ou muito mal. As 4 posições são interessantes pois há ataques que atacam em certas posições e outros não, então um time bem organizado e planejado te permite alcançar o campo todo.

Os cenários do jogo são as áreas do castelo, como as cavernas, ruinas, weald(seria tipo um pantano) e por ai vai.

Tá, mas o que o jogo tem de tão foda?

A Dificuldade!

As dungeon são procedurais, ou seja, são sempre diferentes, atrapalhando a idéia de você padronizar as idas.
Permadeath! Personagem morreu? CAIXÃO. GG. Já era. Perdeu. Isso é muito frustrante em certos momentos, as vezes está tudo bem, ai vem um critical inesperado e acaba com tudo. Porém, não morre ao chegar em 0 hp. Você ativa o modo death door. Aí sim, nos hit subsequentes quando está com 0, ele tem a chance de morrer. Personagens mais tank tem 65% de resistir aos hits, enquanto os mais papel 50%. Enquanto já resisti 3 ou 4 vezes seguidas, aconteceu também de na primeira ir pro espaço. Então você acaba desapegando de qualquer personagem, eu sequer lembro dos nomes deles hahahaha
As dungeon são formadas por 4 dificuldades. Os personagens vão do level 1 ao 6. Então: level 1 dificuldade Apprentice, level 3 Veteran, level 5 Champion e a Darkest Dungeon. E quando um personagem chega no 3 ele se nega a entrar nas dungeon de nivel inferior. Além das dificuldades, tem o tamanho das dungeon, que afetam completamente a gameplay, short, medium e long. As short no geral são mais difíceis mas são mais rápidas, enquanto as long são muito extensas, exigindo um time mais preparado para sustain. As medium são um meio termo eu diria.
Grau de dificuldade entre os níveis, enquanto você está acostumado com a dificuldade da sua dungeon atual, beleza, agora quando vai pra próxima, é um choque! O jogo escala de um jeito absurdo a dificuldade. E daí a graça do jogo. Eu quando cheguei nas champion, eu pensei, vou dropar uhahuahuauhauha. Só tomava surra. Mas reaprendendo as mecânicas do jogo e com os equipamentos certos, tornaram-se contornáveis e no fim das contas, nem tão difíceis.

O objetivo do jogo é passar pelos 4 níveis da Darkest Dungeon. Porém antes de ir pra ela, cada área do castelo tem seus próprios chefes, que é onde o filho chora e a mãe não vê rs.
Os chefes são muito bons porque eles exigem preparação. Vá em mal estado ou sem um time organizado e você toma uma surra federal. Eu mesmo tomei várias. Pelo menos o jogo te dá a oportunidade de fugir, então você se prepara e volta, mais forte.
A Darkest Dungeon é bem complicada, pela sua imprevisibilidade e ela vai no seu psicológico. Eu fiquei o tempo todo com medo de dar ruim, já que o clima é desolador e desesperador.

Por fim, se você gosta de dark fantasy, H.P. Lovecraft, um rpg de turnos que te coloque pra usar a cabeça com uma infinidade de possibilidades de estratégia que com toda certeza serão exigidas, você irá amar este jogo.

9.5/10

#47 - Portal - PC
Tempo total: 3 a 4 horas

Rejogando essa maravilha depois de 6 anos e o jogo continua beirando a perfeição como sempre.
Jogo extremamente criativo, inventivo e com um dos melhores vilões da história dos games.
Uma pena a Valve hoje só se importar com micro transações e não faz mais obras primas como esta.

9/10

#48 - 05/11 - Momodora: Reverie Under The Moonlight - PC
Tempo total: 4 horas

Metroidvania indie de muita qualidade. Curiosamente este é o quarto jogo da série, mas como ninguém(ou quase ninguém) conhece os anteriores, resolveram manter assim, feito por um estúdio bem pequeno e com um brasileiro como diretor.
Os gráficos são simples mas a arte é bem bonita e a música é muito boa.
O combate é OK e as áreas são bem variadas e interessantes. Só peca por ser muito curto.

8.5/10

#49 - 12/11 - Mother Russia Bleeds - PC
Tempo total: 4 a 5 horas

Beat'n'up na união soviética e bem violento.
A jogabilidade é muito boa, a ambientação também e por incrível que pareça, tem uma história razoável pra um beat'n'up.
São 8 fases, e os chefes são muito legais! Só achei a última fase extremamente difícil, fiquei uma hora e meia nela :klol

8/10

#50 - 26/11 - Uncharted: Lost Legacy - Playstation 4
Tempo total: 12 horas

Muito criticado por ser praticamente uma expansão do Uncharted 4, o que eu concordo parcialmente, já que a estrutura do jogo inteira é idêntica ao 4, é um grande jogo e conseguiu mesmo assim ter uma identidade, com uma grande e divertida protagonista, já que a Chloe é uma ótima personagem e a história é aquele pipocão sessão da tarde bem feito de sempre. A gameplay é sólida e muda pouco em relação ao 4, assim como a parte técnica, que está impecável, gráficos lindíssimos e uma performance muito boa.

8,5/10

#51 - 14/12 - Ogre Battle 64: Lordly of Person Caliber
Tempo total: 42 horas

Conhecido como o único rpg decente do 64 rs, bebe diretamente da fonte de seu antecessor de snes, o March of the Black Queen, só que menos profundo mas com foco maior na história.
O sistema de batalha continua sensacional e único e a história dá uma caída do meio pro fim, mas no geral é boa.

9/10

#52 - 22/12 - Naruto Ultimate Ninja Storm Remastered - Playstation 4
Tempo total: 10 horas

Finalizo os 52 jogos anuais com Naruto Ultimate Ninja Storm Remastered!
Gosto muito dessa série dos jogos de luta, mas o 1 é realmente o melhor. Minha reclamação em relação aos seguintes é o quanto ficou quebrada a jogabilidade, aqui não, este é bem equilibrado. Sem palhaçada de barra de kawarimi, sem chakra regenerar, sem awakenings bizarros de dragon ball, meu maior intuito foi comprar pra jogar versus, que joguei demais no PS3. Acabei fazendo a história e platinando.
O modo história é fraco, e ainda exige que você grinde pra poder ganhar exp e fazer os eventos principais.

Sobre a gameplay, é o de sempre da série, e a remasterização é ótima. Os gráficos no PS3 já eram lindos, aqui é ainda mais, já que praticamente foram eliminados os serrilhados.

8/10
 
Ultima Edição:

Ennead

Bam-bam-bam
Mensagens
4.669
Reações
3.586
Pontos
344
Update do final

Fire Emblem: The Blazing Blade - 22/12/2017 - 24h (Emulador)

Joguei esse no hype do fire emblem heroes, não tinha gostado tanto assim do Awakening ou do Conquest e muito menos do Shadow Dragon, logo eu fui com poucas expectativas nesse.

Tirando o prólogo de 12 capítulos que é um tutorial deveras grande o jogo me surpreendeu de forma positiva. Diferente do Shadow Dragon que só tem um objetivo para todos os mapas, esse tem uma variedade de objetivos, com várias histórias paralelas que você pode encontrar se fizer dois personagens conversarem entre si, os personagens são memoráveis e a trilha sonora não tem uma música só.

O jogo fica um pouco difícil de mais pro meu gosto nos últimos níveis, mas nada que uma única unidade overpowered não resolva.

É um bom jogo, com uma história bacana e um sistema tático simples e divertido. Recomendo para quem tem interesse na série como jogo de entrada. O fato de rodar em quase qualquer emulador hoje em dia é um ótimo motivo para jogar este jogo em seu tempo vago.

Recomendação:

 

Project Schizoid

Zima Blue
VIP
Mensagens
5.371
Reações
7.249
Pontos
353
Jogo 56: 23/12 - Life is Strange: Before the Storm (PS4)
Tempo total: 9 Horas (Platina)
Nota: 3,0

Sabe quando você joga determinado jogo e ele acaba por deixar algumas dúvidas? Isso é LIS 1. E sabe quando você vai jogar uma continuação e ela acaba por triplicar as suas dúvidas, enchendo o roteiros de furos e te deixando completamente confuso? Isso é "Before the Storm".

Eu nem sei por onde começar. Nem tem muito o que avaliar em um jogo desses. Gráficos simples, como o esperado. Trilha sonora é algo bem subjetivo, que pode ou não te agradar. Fora isso, o jogo é completamente igual ao LIS, e o que sobra é a história, que é um grande problema. Uma das principais razões de alguém adquirir essa prequel, é criar um link com o LIS original e conseguir resolver algumas dúvidas. Mas não é o que acontece. O jogo ignora quase que completamente a história original. Personagens que possuem um grande destaque simplesmente evaporam e nunca são mencionados no jogo novo. O final é completamente corrido, dando a impressão de que eles queriam terminar o jogo de qualquer jeito e que se foda. Até o plot twist é ridículo e pouco crível, parecendo que foi forçado só pra chocar, e nem isso consegue, de tão mal feito e apressado que foi.

O jogo ignora todas as perguntas deixadas no original pra criar uma trama completamente nova. No fim, nós temos dúvidas referentes ao jogo original, e agora temos dúvidas referentes a esse jogo. O jogo constrói mistérios nos dois primeiros episódios, que são completamente ignorados. Ele te faz pensar uma coisa, te força a criar teorias, e no fim, foda-se. Enfim, basicamente é isso. Tenho acompanhado e a maioria acabou por se decepcionar bastante com o jogo. E nem só por causa da história. Tratando-se de um prequel, o jogo quase não te dá liberdade. A verdade é que 99% do que você faz não tem consequências reais. É o típico jogo "beyond: two souls". Não importa o que você faça, as mesmas coisas vão ocorrer. E se algo mudar, outra coisa vai acontecer para que tenha o mesmo final. No fim, nem a sua decisão final importa de verdade.

Resumindo: É basicamente uma história arrastada, feita pra sugar dinheiro dos fãs curiosos, não explicou quase nada, trouxe novos furos ao roteiro, praticamente não tem ligação com o jogo original, suas escolhas não importam e a narrativa é extremamente lenta e arrastada, de forma que os 3 episódios poderiam se resolver em 1.
 
Ultima Edição:

Ultima Weapon

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
16.944
Reações
15.388
Pontos
629
#23 (17/12) – Virtue Last Reward (3DS, 50hs):
Acho que o contador de tempo de jogo perde várias horas se tirar o período afk, dormi uma ou outra vez com o aparelho na mão. Continuação de um de meus games favoritos e o segundo da trilogia.

No começo torci um pouco o nariz pelos gráficos (3d feioso contra um 2D muito bom do primeiro game), pela falta de sentimento de urgência/pânico dos personagens e pela narrativa boboca/infantilizada de Zero Jr, é distante do clima pesado e desesperador que o anterior mantém durante toda a narrativa. Com o tempo me apeguei ao enredo, que é ótimo e com um número imenso de plot twists, destacando a reta final que impressiona demais, caiu minha cara ao chão em uma das últimas cenas do jogo.
Os puzzles estão ótimos e os controles melhoraram bastante, contudo pra fazer todos os finais (e você precisa disso pra ativar o verdadeiro) as cutscemes (ou o jogo em si visto que é considerado um novel se não me engano, não entendo do gênero) repetem à exaustão, mesmo as triviais como mensagens de alerta após a votação. O avanço rápido ajuda muito mas acho que deveria ser possível saltar os trechos repetidos.
O final é tão bom que mudei meus planos e agora emendei o terceiro game da série.
Nota 8,5


#24 (23/12) – The Witcher 3 (PS4, 166hs):
Creio que fiz e coletei quase tudo o que era relevante no jogo, excetuando uns 20+ pontos de interrogação em Skellige, cansei de navegar. Além disso infelizmente falhou a missão secundária de nível 9 "Gangues de Novigrad" e eu só vi muito tempo depois Se eu tivesse tempo infinito acho que faria uma segunda partida pra pegar nível 100 e masterizar o personagem.
TW3 definitivamente é um game sensacional, uma evolução grande em relação ao ótimo segundo game e acredito que pelo pouco que joguei do primeiro ele não deve em termos de história para aquele. O grande destaque definitivamente é seu lore, história (incluindo as das quests paralelas) muuuuuito envolvente, bem como bastante customizável de acordo com suas escolhas. O combate achei bom, comandos respondem bem porém peca pela simplicidade, considerando que o maior problema que via estava no simples sistema de evolução que foi em boa parte remendado com as mutações implementadas na expansão Blood and Wine, ali montamos builds muito mais interessantes.
Falando em expansões a primeira é muito boa, muito bom enredo e bosses interessantes. A segunda é incrível, praticamente um game à parte que poderia muito bem ter sido lançado individualmente sem maiores perdas.
Gwent é o melhor game de cartas que jogo desde o Xenocard de Xenosaga 1. Aliás, são bem parecidos.
Nesse ano de 2017 tive o privilégio gamístico de ter a oportunidade de finalizar Valkyrie Profile, The Witcher 3 e Nier Automata.
Nota 10
 
Ultima Edição:

Project Schizoid

Zima Blue
VIP
Mensagens
5.371
Reações
7.249
Pontos
353
Jogo 56: 24/12 - Hitman Go (PS4)
Tempo total: 8 Horas (Platina)
Nota: 8,0

Eu pensei que não ia mais jogar esse ano, mas veja só, 2 platininhas fáceis em 2 dias. Não tem muito o que avaliar. É um jogo de puzzle, e até que me surpreendeu pela variedade de coisas que você pode fazer. Particularmente, achei bastante desafiador, considerando que eu nunca iria zerar sem um guia, muito menos platinar. Ia ficar brincando de tentativa e erro eternamente. Eu curti como o jogo representou algumas fases de Hitmans antigos, e achei bem positivo ouvir "Ave Maria" tocando em alguns momentos.
 

foxmulderbh

Bam-bam-bam
Mensagens
6.928
Reações
2.119
Pontos
444
Não esperava chegar nesses números. ... mas então, falta pouco para acabar o ano. Quem chegou aos 52 jogos? O post não foi atualizado... queria saber qtos cumpriram a meta.


#112 - Snatcher ( Sega CD-X )
Finalizado em: 23/12/2017
Tempo Total: 8 horas
Progresso: 100%
Nota: 9,0/10

 

Ika Jamaica

Bam-bam-bam
Mensagens
1.541
Reações
1.902
Pontos
203
Não esperava chegar nesses números. ... mas então, falta pouco para acabar o ano. Quem chegou aos 52 jogos? O post não foi atualizado... queria saber qtos cumpriram a meta.


#112 - Snatcher ( Sega CD-X )
Finalizado em: 23/12/2017
Tempo Total: 8 horas
Progresso: 100%
Nota: 9,0/10
No primeiro post do tópico do ano que vem (que será postado no dia 31) vai ter a lista de quem completou o desafio esse ano.
 

vitzera

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
15.868
Reações
20.017
Pontos
649
Obviamente não cheguei nem perto, espero terminar Gravity Rush 2 até o fim do ano.

Atualizando aqui com o que faltou:

12 - Metal Gear Solid V: Ground Zeroes (PS4) - Todas as missões


Bom protótipo para o que viria a seguir. Mereceu as críticas por ser tão caro na época que saiu, mas é bem competente como jogo.

Nota: 7/10

--


13 - Metal Gear Solid V: The Phantom Pain (PS4) - Platinado


Nada muito diferente do que já falaram n vezes por toda a internet. Um jogaço com uma jogabilidade sublime, só que com uma história incompleta, soluções baratas pra estender a duração do jogo e técnicas merdas de F2P implementadas pela Cunami.
Independente de qualquer coisa, é de longe o melhor jogo de stealth/action em 3° pessoa que já joguei, um visual belíssimo, mecânicas que se complementam de forma genial e as maluquices carismáticas habituais do Kojima. Muito triste imaginar que a Fox Engine não poderá realizar vôos maiores no futuro.
Ah, e gostei muito da Quiet, principalmente comparando com o resto do cast, mas pelo que vejo na internet em geral eu sou exceção.

Nota: 9/10

--

14 - Crash Bandicoot N'sane Trilogy: Crash Bandicoot 1 (PS4) - Platinado


Jogo continua muito divertido mesmo depois de duas décadas. Deram uma balanceada nos níveis, entregando máscaras ou checkpoints de acordo com a necessidade. Em compensação os time trials estão insanos, mas é aquele tipo de dificuldade que dá muita satisfação quando você consegue superar o tempo necessário.

Nota: 9/10

--

15 - Doki Doki Literature Club! (PC) - ???

Nota: 9/10 apenas joguem, é de graça
 

Labate_C

Bam-bam-bam
Mensagens
2.221
Reações
3.849
Pontos
303
#65 Dungeon Punks
Umas 6 horas
Joguei no Vita. Achei ruim, muito ruim e ainda fiquei mais puto pois o troféu de fechar o último capítulo não pingou pois o game não tinha sido atualizado para a versão 1.01. Não recomendo ngm jogar não.

#66 Broken Sword 5 Episodes 1 & 2
Umas 7 horas
Vita tbm. Achei esse mais bacaninha. A história chega a ser envolvente e é um Point and Click competente. Tem coisas óbvias que vc tem que fazer que é fácil de entender, como tbm tem uns complicados que devemos apelar para as dicas (aquela parte de traduzir a carta em criptografia é bem difícil)

#67 Guardians of Galaxy Telltale
Umas 8 horas
PS4. Curti o game da Telltale. A história é bacaninha thm, o final é legal e tem umas partes que o game te traz uma alta carga emocional. O episódio 5 pra mim foi o melhor deles.

Acho que consigo bater mais dois até o fim do ano, vamos ver como se encaminha nessa semana q tá entrando.

Enviado de meu Moto G (4) usando Tapatalk
#68 forma.8
Vita
Joguinho é bacana mas a movimentação é lenta demais. Se não fosse pela lentidão até platinava, mas tá bem. Game fechado. Não peguei as 50 relíquias pois acho q ia demorar mais umas 4 horas hehe. É um Metroidvania diferente.

#69 Bound
PS4
Puta jogo chato. Fechei por fechar. Peguei uns 6 troféus e o resto é tudo de tempo ou de colecionável.

Enviado de meu Moto G (4) usando Tapatalk
 

Project Schizoid

Zima Blue
VIP
Mensagens
5.371
Reações
7.249
Pontos
353
Jogo 58: 25/12 - Batman Arkham Knight (PS4)
Tempo total: 13 Horas
Nota: 9,5

Só não vou escrever um textão enaltecendo o quão foda é esse jogo, porque o desafio já vai acabar. Enfim, o meu favorito é o city. Pega tudo o que tinha de foda no city e põe aqui, mais a renovada que trouxe o carrinho do Batman. Embora eu veja muita gente reclamar das batalhas repetitivas contra tanques, eu não fiquei entediado em momento algum, e curti muito. O que impede esse jogo de ganhar 10 é eu não ter curtido tanto a trama principal como a dos outros Batmans. No City, todos os vilões receberam um puta tratamento, as cidades eram mais cheias, e era foda ver a galera reagindo ao Batman. Agora tem bem menos pessoas, isso num mapa maior, e os vilões foram reduzidos a side quests. O jogo continua tendo uma criatividade fodida, e me deu altos jumpscare(sem nem ser jogo de terror), mas fica abaixo dos anteriores. Espantalho roubou a cena no Asylum, e aqui ele foi bem fraquinho. E a trama ficou focada no cavaleiro de Arkham, que consegue ser menos interessante do que toda a galeria de vilões do Batman, sendo o "Batman malvado genericão". A revelação de sua identidade fica óbvia lá pela metade do jogo, e a cena da batalha, já com a identidade relevada, me deu vergonha alheia. Tirou toda a moral do vilão. No fim, Batman Arkham Knight pecou em um de seus maiores trunfos: Vilões. Ah, destaque positivo pro coringa. E que dublagem foda.
 
Ultima Edição:

Vaçago

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
13.682
Reações
25.473
Pontos
553
26 - God of War: Ascension

Tão divertido quanto todos os jogos da série. Porradaria, sangue, cenas épicas e uns peitinhos à mostra de vez em quando. Como não gostar?
Mas realmente deu pra perceber que a fórmula já está ficando um pouco desgastada, então acho que essa reformulada que estão dando no próximo jogo será bem vinda.
 

tortinhas10

É Nintendo ou nada!
Mensagens
81.399
Reações
174.194
Pontos
979

#16 - Unravel - 05/12/2017 / tempo jogo: no máximo oito horas/ Plataforma: ps4

Não é um jogo ruim, mas a jogabilidade eu achei de média para ruim. Em momentos em que se precisa de exatidão, eu acho que o jogo falha. Direto eu empacava em uns designs mais difíceis justamente porque a jogabilidade não responde como deve responder. O jogo também fica um pouco repetitivo e algumas partes enchem o saco (maldito gavião). mas, no geral, não é um jogo ruim não.

Nota: 6
 

Ravenps3

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
14.915
Reações
4.520
Pontos
509
Vou repostar td a lista desse ano....

1# - Double Dragon II: The Revenge
- Mini Famicom - Nota 7
2# - Teenage Mutant Ninja Turtles: Turtles in Time - Mini Snes - Nota 8
3# - Cuphead - PC - Coop - Nota 9
4# - Star Wars: Republic Commando - PC - Nota 7,5
5# - SONIC: Time Twisted - PC - Fan Game - Nota 7,5
6# - Titan Quest: Anniversary Edition - PC - Nota 6
7# - Ninja Gaiden 3: Razor's Edge - Wii U - Nota 7
8# - The Legend of Zelda: Breath of the Wild - Wii U - Nota 9,5
9# - 007: Everything or Nothing - Xbox - Nota 8
10# - Gears of War 2 - Xbox 360 - Nota 8
11# - Gears of War 3 - Xbox 360 - Nota 8
12# - Gears of War: Judgment - Xbox 360 - Nota 8
13# - Gears of War: Ultimate Edition - Xone - Nota 8
14# - Gears of War 4 - Xone - Nota 8,5
15# - Forza Horizon 3 - Xone - Nota 9
16# - Prey (2017) - Xone - Nota 9
17# - Sunset Overdrive - Xone - Nota 8
18# - Hatoful Boyfriend - PSVita - 2 finais - Nota 7
19# - Reality Fighters - PSVita - Nota 5
20# - Muramasa: Genroku Legends: Hell's where the Heart is - PSVita - Zerado 2x, 2 finais + level 99 - Nota 8,5
21# - Crysis 3 - PS3 - Nota 7
22# - Killzone HD - PS3 - Nota 7
23# - The Chronicles of Riddick: Assault on Dark Athena - PS3 - Nota 8
24# - The Chronicles of Riddick: Escape from Butcher Bay - PS3 - Nota 8
25# - ABZÛ - PS4 - Nota 8
26# - A King's Tale: Final Fantasy XV - PS4 - Nota 7
27# - Aragami - PS4 - Nota 7
28# - Assassins Creed: Syndicate - PS4 - Nota 7
29# - Borderlands: The Pre-Sequel! - PS4 - Nota 8,5
30# - Borderlands: The Pre-Sequel!: Claptastic Voyage DLC - PS4 - Nota 8
31# - Borderlands 2 - PS4 - Nota 8
32# - Borderlands 2: Sir Hammerlock's Big Game Hunt DLC - PS4 - Nota 5
33# - Borderlands 2: Tiny Tina's Assault on Dragon Keep DLC - PS4 - Nota 8,5
34# - Borderlands 2: Captain Scarlett and Her Pirate's Booty DLC - PS4 - Nota 6
35# - Borderlands 2: Mr. Torgue's Campaign of Carnage DLC - PS4 - Nota 7
36# - BOUND - PS4 - Nota 7
37# - Call of Duty: Modern Warfare Remastered - PS4 - Platina - Nota 8
38# - Call of Duty: Infinity Warfare - PS4 - Nota 7,5
39# - Crash Bandicoot Remastered - PS4 - Nota 8
40# - Crash Bandicoot 2 Remastered - PS4 - Nota 8
41# - Crash Bandicoot 3 Remastered - PS4 - Nota 8
42# - Dark Souls III: The Ringed City DLC - PS4 - Nota 8,5
43# - Dead Rising Remastered - PS4 - Nota 7
44# - Deus Ex: Mankind Divided - PS4 - Nota 8
45# - Diablo 3: Reaper of Souls + 100% Rise of the Necromancer - PS4 - Nota 9
46# - Don't Starve Together: Console Edition - PS4 - Platina - Nota 8
47# - Far Cry Primal - PS4 - Platina - Nota 8
48# - Final Fantasy XV - PS4 - Platina - Nota 8,5
49# - Hellblade: Senua's Sacrifice - PS4 - Platina + zerado 2x - Nota 8
50# - Horizon: Zero Dawn - PS4 - Platina - Nota 9
51# - Homefront: The Revolution - PS4 - Nota 6,5
52# - How to Survive 2 - PS4 - Nota 6,5
53# - Jak & Daxter: The Precursor Legacy - PS4/PS2 - Platina - Nota 9
54# - LEGO Harry Potter: Years 1~4 Remastered - PS4 - Nota 7,5
55# - LEGO Harry Potter: Years 5~7 Remastered - PS4 - Nota 7,5
56# - Mega Man 7 - PS4 - Nota 7,5
57# - Mega Man 8 - PS4 - Nota 8
58# - Momodora: Reverie Under the Moonlight - PS4 - 100% mapa - Nota 8
59# - Mother Russia Bleeds - PS4 - Nota 8
60# - Neon Chrome - PS4 - Nota 8
61# - NieR: Automata - PS4 - Platina + zerado 3x - Nota 8,5
62# - NIOH - PS4 - Platina - Nota 9
63# - Parappa The Rapper Remastered - PS4 - Nota 8,5
64# - Parappa The Rapper 2 - PS4/PS2 - Nota 8
65# - Persona 5 - PS4 - Nota 9,5
66# - Resident Evil VII - PS4 - Nota 9
67# - Resident Evil VII: Not a Hero DLC - PS4 - Nota 8,5
68# - Resident Evil: Code Veronica X - PS4/PS2 - Nota 7,5
69# - Rise of the Tomb Raider - PS4 - Nota 8
70# - Rise of the Tomb Raider: Baba Yaga DLC - PS4 - Nota 6
71# - Rise of the Tomb Raider: Croft Manor DLC - PS4 - Nota 8
72# - Skylar & Plux: Adventure on Clover Island - PS4 - Nota 6
73# - SONIC Mania - PS4 - Nota 9
74# - SONIC Force - PS4 - Nota 6,5
75# - Shadow Complex Remastered - PS4 - Nota 7,5
76# - Strike Vector EX - PS4 - Nota 7
77# - Stories: The Path of Destinies - PS4 - Nota 7,5
78# - Tales from the Borderlands - PS4 - Platina - Nota 8,5
79# - Titanfall 2 - PS4 - Platina - Nota 8,5
80# - The Evil Within 2 - PS4 - Nota 9
81# - The Walking Dead: A New Frontier - PS4 - Platina - Nota 7,5
82# - The Warriors - PS4/PS2 - Nota 7
83# - Uncharted Remastered - PS4 - Platina - Nota 8
84# - Uncharted 2 Remastered - PS4 - Platina - Nota 8
85# - Uncharted 3 Remastered - PS4 - Platina - Nota 8
86# - Uncharted: The Lost Legacy - PS4 - Platina + Zerado 2x - Nota 8
87# - Wolfenstein 2: The New Colossus - PS4 - Nota 8,5
88# - Yakuza 0 - PS4 - Nota 8,5
89# - X-Morph Defense - PS4 - Campanha Coop - Nota 8,5
90# - Metroid: Samus Returns - 3DS - Nota 8,5
91# - Outlast 2 - PC - Nota 8,5
92# - Red Faction - PS4/PS2 - Nota 7
93# - Red Faction 2 - PS4/PS2 - Nota 7,5
 
Ultima Edição:

Quakeguy

Veterano
Mensagens
605
Reações
814
Pontos
143
08 - CoD: Roads to Victory (PSP) (2006) (Nota: 5/10)
09 - CoD: Black Ops 3 (PC) (2015) (Nota: 3/10)

Um é fraco e outro é horroroso, mas rejoguei pra escrever a análise
 

gamermaniacow

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
37.799
Reações
34.144
Pontos
932
#46
Until Dawn Rush of Blood

Meu primeiro jogo finalizado em VR, e que experiência incrível. Nunca gostei de jogos onrails, mas nesse caso, funciona muito naturalmente.
É um bom jogo para mostrar o potencial do VR, com uma experiência light e com uma ótima apresentação.

Nota: 9

---------

#47
Lovers in a Dangerous Spacetime

Excelente jogo para se jogar com um companheiro(a). Joguei com minha namorada e só paramos quando finalizamos.
O jogo tem uma ótima proposta com um coop extremamente divertido e funcional. Peca em alguns momentos, mas no geral, é um bom jogo

Nota: 8

---------

#48
Super Lucky's Tale

Esse jogo é a prova que muitas pessoas ignoram bons jogos apenas por ismo ou com o pensamento de que só joga GOTY.
É um jogo bem decente e divertido, melhor que alguns platformers que tiveram mais atenção ao longo do ano.
Minha maior reclamação é a falta de polimentos do jogo em alguns aspectos.

Nota: 7

---------

#49
Tokyo 42

É um jogo com uma ambientação bem única e extremamente agradável, porem, tem problemas gravíssimos de design, que fazem a dificuldade se tornar extremamente frustrante, e infelizmente, me faz dar uma nota mais baixa do que o desejado.

Nota: 5

---------

#50
Shadow Tactics Blades of Shogun

Game design é excelente, com um gameplay refinado com leveis bem construídos. Tecnicamente o jogo é MUITO bem feito e muito belo.
O maior problema são os leveis finais que se tornam exageradamente scriptados e frustrantes.

Nota: 7

---------
 
Ultima Edição:

Project Schizoid

Zima Blue
VIP
Mensagens
5.371
Reações
7.249
Pontos
353
Jogo 59: 26/12 - Pes 2017 (PS4)
Tempo total: 15 Horas
Nota: 7,0

Jogo 60: 27/12 - Pocky & Rocky (SNES)
Tempo total: 2 Horas
Nota: 6
 

Craudiao

Bam-bam-bam
Mensagens
1.919
Reações
2.434
Pontos
303
01 - RWBY Grimm Eclipse: 27/01/2017
02 - Gears of War Ultimate Edition: 27/02/2017
03 - Gears of War 4: 01/03/2017
04 - State of Dacay Year-One Survivor Edition: 14/03/2017
05 - The Last os Us: 27/03/2017
06 - Resident Evil 6: 05/04/2017
http://forum.outerspace.com.br/index.php?goto/post&id=14711655
--------------------------------------------------------
07 - A King's Tale: Final Fantasy XV: 01/03/2017
08 - NBA 2K17: The Prelude: 08/04/2017
09 - Energy Cycle: 15/04/2017
http://forum.outerspace.com.br/index.php?goto/post&id=14736031
--------------------------------------------------------
10 - Skullgirls: 17/07/2017
http://forum.outerspace.com.br/index.php?goto/post&id=15050958
--------------------------------------------------------
11 - Sleeping Dogs Definitive Edition: 27/08/2017
http://forum.outerspace.com.br/index.php?goto/post&id=15165497
--------------------------------------------------------
12 - The Little Acre: 01/09/2017
http://forum.outerspace.com.br/index.php?goto/post&id=15177880
--------------------------------------------------------
13 - Monochroma: 09/09/2017
14 - Fifa 17: 24/09/2017
15 - Doodle God: Ultimate Edition: 20/11/2017
16 - Human Fall Flat: 25/11/2017
17 - Overcooked: 03/12/2017
http://forum.outerspace.com.br/index.php?goto/post&id=15449507
--------------------------------------------------------
18 - Armikrog: 13/12/2017
19 - Runbow: 16/12/2017
20 - Kalimba:
16/12/2017
21 - Refunct:
17/12/2017
22 - Deadlight: Director's Cut:
17/12/2017
http://forum.outerspace.com.br/index.php?goto/post&id=15487103
23 - Speedrunners: 22/12/2017
Capture+_2017-12-27-20-10-54.png
Jogo bem chato de se jogar sozinho, mas em multiplayer local é muito divertido.
--------------------------------------------------------
24 - Q.U.B.E: 23/12/2017
Capture+_2017-12-27-20-11-56.png
Bom Puzzle, mas apenas isso.
--------------------------------------------------------
25 - HUE: 22/12/2017
Capture+_2017-12-27-20-13-01.png

--------------------------------------------------------
26 - Ninja Pizza Girl: 23/12/2017
Capture+_2017-12-27-20-14-39.png
Jogo bem simples, correr contra o tempo do ponto A até o Ponto B, a diferença é que tem diversos caminho para seguir, o que ainda não faz o jogo ser bom.
--------------------------------------------------------
27 - Valley: 26/12/2017
Capture+_2017-12-27-20-16-51.png
Um bom jogo, gostei bastante mesmo, o jogo é basicamente ir seguindo o caminho que o objetivo te indica (são raras as vezes que não tem a indicação de onde ir na bussola) mas o chegar até esse é que faz o jogo ser divertido e gostoso de jogar, pode não agradar a todos os gostos é verdade, mas para mim foi uma surpresa muito agradável nesse fim de ano.
--------------------------------------------------------

Nem acredito que consegui cumprir minha meta pessoal de quando comecei que era chegar a 50% do desafio, já estou bastante satisfeito só por isso e, como eu imaginava, esse tópico me ajudou a desenterrar alguns jogos e os finalizar.
 

Queiroga'

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
12.337
Reações
13.117
Pontos
629
#01 – Fire Emblem: Awakening (3DS) - Fevereiro
Meu primeiro Fire Emblem. Não gostei muito não. História bem podrinha (diálogos medíocres), evolução mais ou menos (personagens são muito desbalanceados, sistema de casamento é bem meh), mas o combate em si é bacana. Joguei umas 40 horas no total.
Tempo de jogo: 40 horas
Nota: 6

#02 - Mario Tennis GBC (virtual console 3DS) - Junho
Sempre ouvi falar muito desse jogo e, como curtia muito a versão de N64, decidi testar. 20 horas depois digo que valeu a pena. Jogo extremamente simples e extremamente bem feito. Não tem como achar ruim. Pena que os novos jogos não tenham o modo RPG, se fizessem algo mais bem elaborado poderia sair uma obra-prima.
Tempo de jogo: 20 horas
Nota: 8

#03 - Sonic 1 (versão do 3DS) - Julho

Meu Sonic menos querido de mega drive, mas ainda assim um ótimo jogo. Level design, animações, músicas, é tudo clássico nesse jogo. Meu 3DS diz que eu joguei 3 horas, mas parecem ter sido menos.
Tempo de Jogo: 3 horas
Nota: 8

#04 - Sonic 2 (versão do 3DS) - Julho

Dispensa comentários. Um dos jogos mais clássicos de todos os tempos. Música, gráficos e jogabilidade perfeitos. Um dos level design mais icônicos de todos os tempos. Uma verdadeira viagem nostálgica pra quem jogou na época. Super Sonic é legal, embora quebre o jogo. Única dificuldade é enfrentar Metal Sonic e Robotnik Zord, já que o jogo te acostuma a não se importar em levar danos, por causa dos anéis, e aí no último mestre se vira aí nerdão. Salvei duas vezes, uma com Sonic e Tails, virando Super Sonic desde a primeira tela, e outra só com o Tails, aproveitando melhor o jogo, sem atravessar as fases como Super Sonic.
Tempo de jogo: 7 horas
Nota: um dos melhores jogos de todos os tempos.

#05 - Quackshot (emulador no 3DS) - Agosto

Joguei pouco quando criança, porque que não tinha nas locadoras mais próximas de casa, mas sempre achei que era um jogão. Nunca havia conseguido passar do barco viking. Rejogando, posso dizer que a dificuldade do jogo é maratonística - a dificuldade está na ausência de save e não no level design em si, que é bem facinho na verdade. Ótimas animações, gráficos das telas medianos, músicas genéricas, jogabilidade precisa, exceto o hitbox dos mestres, que é estranho. Muitos elementos do jogo são pouco utilizados, como o Donald nervoso e o uso das outras armas. É um bom jogo, mas eu esperava mais pra falar a verdade. Se o jogo tivesse um sistema de save e tivesse mais elementos de exploração, que exigissem mais o uso de todas as armas, etc, poderia ser melhor, do nível de um Mario World, por exemplo. Salvei duas vezes, a segunda sem usar savestate entre as telas.
Tempo de jogo: 6 horas
Nota: 7

#06 - Mario 64 DS (no 3DS) - 17/08/2017
Primeira vez que eu peguei as 150 estrelas. As 30 estrelas adicionais, boa parte, parece fan-made, os personagens extras são desnecessários e os controles, digitais e não-analógicos, são desengonçados, mas é Mario 64 né, um dos melhores e mais importantes jogos de todos os tempos. E ainda tem uns minigames bacanas. Deveriam fazer um port desta versão pro 3DS, com o uso do analógico.
Tempo de jogo: umas 15 horas
Nota: 9

#07 -The Legend of Zelda: Breath of the Wild - 15/09/2017

Depois de 6 meses, 240 horas, 120 shrines, 510 koroks e todas as memórias e side quests, terminei o melhor jogo da geração. A Nintendo tinha como mote repensar a estrutura linear da série Zelda, voltando ao básico de ter um vasto mundo a ser explorado livremente - e conseguiu com louvor, criando o melhor jogo de aventura/exploração de todos os tempos.

O tutorial é uma aula de game design. Nas cerca de 7 horas que explorei o Great Plauteau, não senti que o jogo estivesse restringindo as mecânicas para direcionar meu aprendizado, como se eu fosse um bebê e o jogo meu pai me ensinando a andar (como é típico nos jogos atuais), mas sim livre para experimentar o que o jogo tinha a me oferecer. E o jogo tem muito a oferecer.

O foco é a exploração de Hyrule. Ao invés de se ver direcionado por uma main quest linear, recheada de quest marks (como se você fosse o empregado do jogo), BotW te guia a partir da sua própria curiosidade. O que será que tem naquela estranha montanha cortada ao meio na região central? E naquela suspeita árvore no topo daquela outra montanha?

Esta curiosidade é saciada com as brilhantes mecânicas de escalada e paraglider. Ao invés de se ver obrigado a seguir um caminho pré-estipulado para subir as tais montanhas, você pode chegar como bem lhe der na telha. O jogo te explora a ser inventivo, ir para onde melhor lhe aprazer da forma que você bem entender. A experiência não está em passar por onde o jogo quer que você passe, mas sim em chegar aonde você quiser da forma como você quiser. A mecânica de escalada é tão intuitiva que, após jogar Breath of the Wild, é difícil se acostumar com a limitação de movimentos dos outros jogos.

O world map também é uma aula de como incentivar a curiosidade dos jogadores. Foi brilhantemente moldado, possuindo pontos de interesse em cada metro quadrado. O que diabos são estes labirintos, estas ilhas isoladas e esta floresta no mapa? Você vai querer ir para lá para descobrir, não será necessário uma quest mark de um NPC xarope pra isso.

A recompensa pela exploração pode ser questionada. Como os itens são quebráveis, achar uma espada ou um escudo fodões em um baú super escondido é meio decepcionante. Por isso o foco da exploração são os shrines. Há 120 no jogo e encontrar todos é a verdadeira main quest do BotW.

A recompensa dos koroks (há 900 no jogo!), por outro lado, é decepcionante, posto que a partir de certo ponto sequer servem para aumentar a sua capacidade de inventário. Poderiam diminuir o número total e melhorar as recompensas, dando roupas especiais e coisas do gênero. Infelizmente a ganância da prática predatória das DLC impediu isso - itens como a Korok Mask, amuleto de teletranspote e mesmo o Trial of Sword serviriam como uma luva para incentivar a busca pelas koroks seeds.

Só não xingo muito no twitter porque a verdadeira recompensa de explorar Hyrule é se divertir fazendo isso. E, de fato, é divertido pra caralho. A Nintendo acertou em cheio ao incluir um sistema de física plenamente integrado ao game design. É isto que tornou este Zelda um jogo profundo (permitindo diversas variações de gameplay) sem ser complexo (regras intuitivas de jogo, sem necessidade de tutoriais ou menus para explorar a profundidade do gameplay).

Os puzzles, matéria prima da série desde A Link of the Past, são relativamente escanteados. As dungeons e shrines parecem um jogo a parte do core de BotW, que é a exploração de Hyrule. Eu gostei dos dungeons, do fato dos próprios dungeons serem a mecânica principal de exploração deles, mas entendo quem reclama da pequena duração e da ausência de elementos homogenizadores mais claros (dungeon da floresta, do fogo, do gelo, etc). Já os shrines são desiguais, alguns exploram brilhantemente o sistema de física, em momentos que lembrar Portal, e outros possuem pouquíssima inspiração.

Os shrines de combate são os piores. Enfrentar 20 vezes o mesmo inimigo, apenas com pequenas alterações? Desperdiçaram a oportunidade de explorar melhor o sistema de combate do jogo (nada brilhante, mas devidamente funcional) ou mesmo fazer homenagens a jogos passados da série. Por que não nos pôr para enfrentar um Dodongo ou um Dark Link?

A história possui a simplicidade que se espera de um jogo da Nintendo. Serve sobretudo de contexto para o game design, sendo que a narrativa, não-linear, contada a partir de memórias encontradas pelo mapa, serve também como incentivo à exploração. E ainda assim conseguiram incluir cenas com um peso dramático raro mesmo nos jogos mais cinematográficos.

Breath of the Wild é um daqueles jogos que marcam a história dos videogames. Mais uma obra-prima para a conta da Nintendo, mais uma obra-prima a ser apreciada por nós, jogadores. Que sirva de paradigma para que futuros jogos confiem mais nos jogadores, dando mais liberdade pra eles.

#08 -Metal Gear Solid: The Phantom Pain - 15/10/2017
Não é um open world como prometido, a história é uma farofada que inventa vilões e coadjuvantes sem graça enquanto negligencia personagens que todos queriam saber mais detalhes (Liquid, Solid, Ocelot, Zero, Miller, etc, etc, etc), e possui um end game com um design no mínimo discutível (narrativa rushada, repetição de missões, etc), mas, ainda assim, é um excelente jogo. Jogabilidade intuitiva e responsiva, gameplay emergente baseado em sistemas e não em scripts, com incentivo ao uso da criatividade na resolução das missões (embora o sistema de pontuação, baseado na velocidade do término das missões, indique o contrário), recheado com bons momentos narrativos e uma rara coerência entre gameplay e história fazem deste o melhor MGS dos últimos 10 anos e um dos melhores jogos da geração passada.
Mais do que recomendado - e que venha Death Stranding.
Tempo de jogo: 125 horas (S em todas as missões)

#09 -Sonic 3 and Knuckles - 04/11/2017
Pior que o 2, mas ainda assim muito bom. Fazia anos que eu não salvava e eu joguei meio rushado, usando save state no início das telas das esmeraldas. Acho que encarar o 3 e Knuckles como jogos próprios é melhor pra experiência.
Nota: 8,5

#10 -Battlefield 1 - Modo História - 15/11/2017
Comprei por causa do online, que é bem divertido embora não faça o meu estilo (partidas muito longas, não tenho paciência). Já a campanha single-player... IA retardada, cheio de glitches, gameplay raso, narrativa medíocre, enfim, parece um jogo de fundo de quintal feito por dois bêbados em um fim de semana.
Nota: 5 pra fazer caridade

#11 - GTA 5 - Modo História
É o jogo mais impressionante já feito, valor de produção infinito, jogabilidade afinada, humor apurado, ótima trilha sonora, mas ainda assim é medíocre, porque as missões principais são extremamentes scriptadas, como se o jogador fosse um ator de um filme qualquer, apenas cumprindo ordens. A idéia de ter três protagonistas pouco adiciona em termos de gameplay, é apenas uma ferramenta pra narrativa. Ainda não considero que tenha aproveitado tudo o que o online tenha a oferecer, então deixarei a análise para depois.
 

Gantz

Bam-bam-bam
Mensagens
6.459
Reações
2.701
Pontos
372
Estou recompilando o que já zerei pois o ano está terminando e provavelmente não jogarei mais nada.

#01 Wolfenstein: The Old Blood (PC)
#02 Penumbra: Overture (PC)
#03 Penumbra: Black Plague(PC)
#04 - Sniper Elite V2 (PC) - 7 horas de gameplay
#05 - The Wolf Among US (PC) - 9 horas de gameplay
#06 - Spec OPS: The Line (PC) - 6 horas de gameplay
#07 - Life is Strange (PC) - 20 horas de gameplay
#08 - Metro 2033 (PC)
#09 - Uncharted 4 (PS4)
#10 - Beyond Good & Evil (PC)

#11 - Brothers - A tale of two sons (PC)
#12 - Castle of Illusion (PC)
#13 - DOOM (PC)

#14 - F.E.A.R 3 (PC)
#15 - Fahrenheit: Indigo Prophecy Resmatered (PC)

#16 - Giana Sisters: Twisted Dreams (PC)
#17 - Middle-earth: Shadow of Mordor (PC) *

#18 - Sleeping Dogs (PC)
#19 - Killzone 1 (PS3)
#20 - Killzone 2 (PS3)
#21 - Red Dead Redemption (PS3)
#22 - Red Dead Redemption: Undead Nigthmare (PS3)
#23 - Killzone 3 (PS3)
Atualizado:
#24 - Trine 3 (PC)
#25 - Castlevania: Lords of Shadow (PS3)
 

maickmetal

Bam-bam-bam
Mensagens
1.377
Reações
2.258
Pontos
304
Vou colocar minha lista, este ano foi o q consegui terminar mais jogos, to longe de conseguir completar o desafio, mas já to bem satisfeito com esse número.

[1 ] Bayonetta 2 - WiiU (9,0)
[2 ] Call of Duty Infinite Warfare - Xone (9,0)
[3 ] Destiny 2 - PS4 (9,5)
[4 ] Doom - PS4 (8,5)
[5 ] Dragon Ball Fusions - 3DS (8,5)
[6 ] Final Fantasy IX - Steam (9,5)
[7 ] Gears of War 4 - Xone (9,0)
[8 ] Gravity Rush - PSVita (9,0)
[9 ] Horizon Zero Dawn - PS4 (8,0)
[10 ] I am Setsuna - Steam (8,5)
[11 ] Jojo's Bizarre Adventure Eyes of Heaven - PS4 (8,5)
[12 ] Mad Max - Xone (8,5)
[13 ] Marvel vs Capcom Infinite - PS4 (7,5)
[14 ] Metroid Samus Returns - 3DS (8,5)
[15 ] Muramasa Rebirth - PSVita (8,0)
[16 ] Nier Automata - PS4 (9,5)
[17 ] Prey - Xone (9,0)
[18 ] Quantum Break - Xone (8,0)
[19 ] Ratchet & Clank - PS4 (8,5)
[20 ] Resident Evil 7 Biohazard - Steam (10)
[21 ] Super Mario 3D Land - N3DS (8,5)
[22 ] The Evil Within 2 - PS4 (9,0)
[23 ] The Last Guardiam - PS4 (9,5)
[24 ] The Last of US Remastered - PS4 (8,0)
[25 ] The Legend of Zelda Wind Waker - Dolphin (9,5)
[26 ] Titanfall 2 - Xone (8,5 )
[27 ] Uncharted 4 - PS4 (8,5)
 

Labate_C

Bam-bam-bam
Mensagens
2.221
Reações
3.849
Pontos
303
#68 forma.8
Vita
Joguinho é bacana mas a movimentação é lenta demais. Se não fosse pela lentidão até platinava, mas tá bem. Game fechado. Não peguei as 50 relíquias pois acho q ia demorar mais umas 4 horas hehe. É um Metroidvania diferente.

#69 Bound
PS4
Puta jogo chato. Fechei por fechar. Peguei uns 6 troféus e o resto é tudo de tempo ou de colecionável.

Enviado de meu Moto G (4) usando Tapatalk
#70
Wolfenstein 2
Recomendado Master!!!

Enviado de meu Moto G (4) usando Tapatalk
 

Eleventh Doctor

Habitué da casa
Mensagens
297
Reações
207
Pontos
78
1.png Eu não aguento mais ser machucado por videojogos. Sério. Pra mim já chega esse lance de jogar jogos de impacto. Por mais que esse aqui eu precisasse jogar, eu me pergunto. PORQUE? Mas ein, trilha sonora impecável como sempre e por mais que não tenha sido produzido pela Dontnod eles fizeram com capricho e a imersão no universo de arcadia bay ficou perfeita também. Eu tenho apego sentimental por esse jogo assim como tempo por Doki Doki e The Walking Dead. Talvez seja o ultimo jogo que eu vá zerar esse ano, quem sabe? Mas se for, fechei com chave de ouro.
 
Topo