O que há de Novo?
  • Anunciando os planos GOLD no Fórum Outer Space
    Visitante, agora você pode ajudar o Fórum Outer Space e receber alguns recursos exclusivos, incluindo navegação sem anúncios e dois temas exclusivos. Veja os detalhes aqui.

[E se fosse o haddad?]Governo Bolsonaro aprova aborto,Transexualismo e Prostituição.

Putinzao

Veterano
Mensagens
426
Reações
1.776
Pontos
143
Sem alarde da Direita,o Governo Cucknaro aprovou ,por meio do Ministério da Saúde, uma resolução que garante o direito ao aborto,cirúrgia trans e legalização da Prostituição.


Ministério da Saúde a favor do ABORTO, TRANSEXUALIDADE e PROSTITUIÇÃO.

Resolução inclui garantia de aborto e cirurgias transexualizadoras.




Montagem: SW

Foi publicado no DOU (Diário Oficial da União) de hoje a homologação, por parte do Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga Lopes, da Resolução CNS nr. 617 de 23 de agosto de 2019.



A Resolução CNS foi inicialmente tratada pelo Ministro Luiz Henrique Mandetta e depois de longos anos nas gavetas do Ministério, terminou integralmente aprovada e homologada pelo atual Ministro.



A resolução homologa a íntegra da 16ª Conferência Nacional da Saúde, ocorrida em 2019, intitulada "Democracia e Saúde!"



O objetivo da Conferência - que pauta integralmente a resolução - é "apontar uma Jornada de lutas para o enfrentamento do projeto conservador e ultraliberal em curso".



Sim, leitor - é exatamente isso que você está lendo: o governo Bolsonaro está encampando uma resolução que ostensivamente visa "enfrentar o projeto conservador".



Se você ainda não está convencido do que se trata, já lhe antecipo que a resolução visa promover o ABORTO, inúmeros direitos LGBT (incluindo o uso dos recursos públicos para cirurgia de troca de sexo e educação de crianças na pauta LGBT), a promoção do feminismo e do racialismo dentre outras pautas.



A promoção do ABORTO é de todas as pautas a mais preocupante. Nunca e nem mesmo o PT foi tão longe na promoção desses temas sem abrir debate na sociedade e sobretudo entre seus eleitores, que engambelados pelo discurso fictício de "urnas auditáveis", deixa de lado os temas que verdadeiramente importam discutir, como esse que foi encampado e homologado no Ministério da Saúde defendendo aborto.



A resolução é extensa e conta com mais de 100 páginas de regras, promovendo uma verdadeira revolução socialista na Saúde brasileira.



Por essa razão, estamos ainda estudando os seus impactos e traremos mais informações em breve. Enquanto isso, selecionamos trechos dessa resolução para que o leitor tome conhecimento dessa barbárie promovida pelo Ministério da Saúde, com recursos públicos, sob a bandeira de um governo que se dizia conservador e recentemente passou a se identificar como um governo de "Centro".



Os trechos abaixo apenas evidenciam o que a Shock Wave vem alertando há tempos: de que o governo Bolsonaro se tornou um dos maiores promotores daquilo que prometeu combater, seja no Ministério da Saúde, no Ministério dos Direitos Humanos, no Ministério da Economia e até no Ministério da Infraestrutura. Ministros como Queiroga, Damares, Onyx, Guedes e até Tarcísio vêm promovendo medidas que fazem inveja ao Foro de SP.



RESOLUÇÃO Nº 617, DE 23 DE AGOSTO DE 2019

Publicado em: 03/08/2021 | Edição: 145 | Seção: 1 | Página: 52

Órgão: Ministério da Saúde/Conselho Nacional de Saúde



13. Garantir os princípios do Sistema Único de Saúde (SUS) como forma de acesso democrático e universal em situações migratórias, que não se efetivam sem a observação dos incrementos populacionais na garantia do financiamento das ações e serviços de saúde. Desta forma, além do cálculo populacional e estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o SUS deve utilizar de outros instrumentos públicos para a definição de seus valores de financiamento da Atenção Básica.




14. Reafirmar, implantar e garantir o cumprimento das Políticas Públicas de Saúde direcionadas à população do Campo, Floresta e Água, LGBTI+, Indígenas, Quilombolas, Pessoas com Doenças Raras e Coagulopatias Hereditárias, Homens e Mulheres, Povos Tradicionais de Matriz Africanas, Assentados, Extrativistas e Ribeirinhos e Pessoas com Deficiência.



15. Garantir a Política Nacional de Saúde Integral LGBTI+ em conformidade com a legislação vigente (Portarias GM/MS nº 2.836/2011, nº 1.820/2009 e nº 2.803/2013).



16. Garantir a obrigatoriedade da estruturação de equipes de políticas de equidade (saúde da população negra, em situação de rua, povos indígenas, imigrantes, pessoas com doenças raras, idosos, comunidades tradicionais, comunidades de surdos, pessoas vivendo com HIV/Aids/IST/Hepatites/Sífilis e tuberculose, LGBTI+ e pessoas com deficiência) no âmbito de todas as esferas do governo, com enfoque na formação dos profissionais de saúde e em ações de prevenção especificas destes grupos, em consonância com a diretriz de equidade do Sistema Único de Saúde (SUS).



17. Fortalecer, ampliar e obter aporte financeiro público próprio para políticas e ações voltadas à população LGBTI+. Nesse sentido, entre outros, capacitar os profissionais para atendimento da população LGBTI+, reformulando protocolos, formulários, sistemas de informação do Sistema Único de Saúde (SUS) que atendam questões de identidade de gênero e orientação sexual para evitar barreiras de acesso aos serviços da população LGBTI+.



18. Implementar e garantir a saúde integral para as populações vulneráveis, definidas como população em situação de rua, população privada de liberdade, população indígena, população de imigrantes, refugiados e apatriados, população negra, população cigana, população LGBTI+, população ribeirinha, pessoas com transtornos mentais, ambulantes, mulheres, pessoas em situação de prostituição, pessoas idosas, pessoas com deficiência física, intelectual, auditiva e visual, pessoas com doenças raras e crônicas, pessoas com HIV e outras vulnerabilidades sociais, através da implantação de estrutura física, de RH, insumos, pesquisa e gestão, com ações intersetoriais. Garantir a partir da Atenção Básica o acesso universal aos serviços de saúde sexual e reprodutiva da mulher, fortalecendo o planejamento reprodutivo, a prevenção e o tratamento de IST-Aids, garantindo os procedimentos médicos relacionados à função reprodutora e as suas interrupções e/ou contracepções, de forma que a mulher tenha autonomia sobre os procedimentos, garantindo a humanização do parto, com foco nas especificidades raciais, sociais, culturais e de orientação sexual.



19. Inserir na rede pública de saúde, de forma intersetorial, multiprofissional e integral, a atenção às pessoas em situações de violências, estupro, racismo, opressões, fobias, pedofilia, bullying, violências, LGBTfobia, capacitismo (discriminação destinada a pessoas com deficiência), abandono e outras situações de vulnerabilidade social, que representem impactos nas condições de vida e saúde da população, bem como a criação de abrigos de forma adequada para os diversos públicos vítimas desses agravos, com garantia de fluxo.



26. Garantir a equidade no atendimento do usuário Sistema Único de Saúde (SUS) e em especial às populações vulneráveis (pessoas com doenças raras e negligenciadas, pessoas com deficiência, população carcerária, indígenas, negras, cigana em situação de rua, idosos, pessoas vivendo com HIV/Aids [PVHA], profissionais do sexo e população LGBTI+) e outras que sofrem em decorrência de violências sociais e institucionais, ampliando a acessibilidade com adequação dos serviços às pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida, adequação de recursos humanos (intérprete de libras, sinalizações táteis para braile), bem como a inserção dentro do sistema e-SUS em todas as esferas do governo, abrangendo tipificações/especificações de cada deficiência; efetivar e ampliar programas de suporte à saúde para a pessoa idosa incluindo práticas integrativas para a garantia do envelhecimento saudável, de acordo com o artigo 196 da Constituição Federal que diz saúde é direito de todos e dever do Estado.




73. Garantir o direito ao aborto legal, assegurando a assistência integral e humanizada à mulher.




74. Alterar a Lei de Planejamento Familiar / saúde sexual e reprodutiva para consolidação da autonomia da mulher quanto à laqueadura, com orientação psicológica a respeito da perda irreversível favorável ao ato, sem precisar da assinatura do companheiro e adequar os critérios de acesso ao planejamento reprodutivo e direitos sexuais.



75. Garantir as cirurgias transexualizadoras: a) que seja considerada como prioridade os critérios para ser realizada em outros estados por meio dos recursos de tratamentos fora do domicílio (TFD); e b) que seja deferido um plano de qualificação dos hospitais de alta complexidade, preferencialmente o hospital universitário para realizar procedimentos cirúrgicos.



81. Promover a inclusão nos espaços dos conselhos de saúde e comissões de representações que buscam o enfrentamento das iniquidades em saúde, tais como mulheres, idosos, população do campo e da floresta, juventude, população negra, indígena, quilombola, LGBTI+, população em situação de rua, pessoas com deficiência e necessidades especiais.



40. Reestruturar, fortalecer, implementar e expandir as Redes de Atenção à Saúde, integrando-as para potencializar o cuidado multidisciplinar e intersetorial, de forma a garantir a implementação de linhas de cuidado, promovendo o cuidado integral nos vários ciclos de vida, considerando as questões de gênero e das populações em situação de vulnerabilidade social, desde a atenção básica e nas regiões de saúde inclusive:

a) garantir o acesso da população LGBTI+, negra, quilombolas, população ribeirinha, indígenas, ciganos, pessoas idosas e seus cuidadores, pessoas com deficiência, usuárias(os) de substâncias psicoativas, pessoas em situação de rua, pessoas em situação de privação de liberdade, pessoas vivendo com HIV/Aids;



92. Garantir o acesso e atendimento qualificado aos serviços de saúde para a população LGBTI+ com qualificação dos profissionais dos três entes federados, conforme os princípios do SUS.



Texto da Moção: A violência é um problema social, cultural e histórico que se intensifica em sociedades marcadas por desigualdades, iniquidades e injustiças sociais e ambientais, as quais desestruturam bases familiares, comunitárias e territoriais necessárias ao desenvolvimento humano e a uma cultura de paz. Temos produzido informações alarmantes acerca de homicídios, agressões, suicídios e tentativas de suicídio, dentre outras graves formas de violência. As vítimas mais frequentes dessas formas de violência são homens jovens, mulheres, idosos e população LGBTI, em especial mulheres trans e travestis.



Retirada imediata da PEC 29/2015 que altera o artigo 5º da Constituição Federal e torna crime de aborto a interrupção da gravidez desde a concepção.



Reivindicar a implementação e consolidação da Política de Saúde Integral das Mulheres, assegurando seus direitos sexuais e reprodutivos, com acesso desburocratizado ao planejamento reprodutivo, respeitando o protagonismo e a autonomia das mulheres e ampliação do acesso a todos os métodos contraceptivos na Atenção Primária de Saúde (APS), em especial diafragma e dispositivo intrauterino (DIU), bem como capacitação prática dos médicas(os) de família e enfermeira(o)s da APS e das maternidades; Garantia a implementação do Protocolo de Atendimento Humanizado às Vítimas de Violência Sexual com a organização da Cadeia de Custódia, qualificação do atendimento nos hospitais e garantia da realização do aborto







DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO




DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO



Dias atrás colocamos um "meme" de Bolsonaro portando um boné de Che Guevara.

Fomos duramente atacados pela militância encantada. Oferecemos agora ao leitor os trechos acima e conforme alertamos dias atrás, o meme já passou.



Agora é a realidade que está sendo jogada na cara de vocês. Irritar-se com este veículo não terá o condão de revogar ou alterar a Resolução que foi homologada hoje pelo Ministro da Saúde do governo Bolsonaro. Se você tinha receio do "PT voltar", responda honestamente depois de ler esta matéria:
você está com medo de quem?


https://www.shockwavenews.com.br/post/ministério-da-saúde-a-favor-do-aborto-transexualidade-e-prostituição
 


Flame Vicious

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
33.854
Reações
75.976
Pontos
744
É um estelionatário eleitoral fudido, asqueroso, miserável e cuckservador. E ainda por cima flerta com antivacina.

Não que o vagabundo do Haddad fosse ser uma melhor opção, mas Bolsonaro ainda é um vagabundo de m****.
 


Bonk

Bam-bam-bam
Mensagens
1.929
Reações
5.993
Pontos
278
Cralho, cagou no pau com essa dai ein.
Em partes estão corretos sobre o aborto legal, porem essa processo transexualizador...
Se quer cortar o pau que pague por isso, agora até por plástica do zé eu tenho que pagar?
Vsf
 

FireFlower

Veterano
Mensagens
253
Reações
567
Pontos
113
Nossa, promoção do aborto... já estou até vendo os cartazes e os comerciais na TV, certeza que a população brasileira chega a zero até ano que vem.

Avacalhar com o Moro, minar a Lava Jato, colocar todo tipo de pilantra em postos estratégicos, se vender pro centrão e pro diabo, desdenhar das vítimas da covid, tudo isso passa. Mas direitos humanos? Ah, aí já é demais.
 

Douglas-as

Bam-bam-bam
Mensagens
1.706
Reações
6.226
Pontos
303
Este governo está complemente o oposto do que dizia que seria antes.. kkkkkkkk

Estão jogando no tudo ou nada agora por causa das eleições do ano que vem.
 

LUCAS_PIRA

Supra-sumo
Mensagens
856
Reações
1.957
Pontos
168
Nossa, promoção do aborto... já estou até vendo os cartazes e os comerciais na TV, certeza que a população brasileira chega a zero até ano que vem.

Avacalhar com o Moro, minar a Lava Jato, colocar todo tipo de pilantra em postos estratégicos, se vender pro centrão e pro diabo, desdenhar das vítimas da covid, tudo isso passa. Mas direitos humanos? Ah, aí já é demais.
Pra vc ver a Lógica dessa turma

Estão nem ai pra mais de 500 mil mortos, não pode é uma adolescente estuprada fazer aborto, conforme prevê a lei
 

Flame Vicious

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
33.854
Reações
75.976
Pontos
744
Este governo está complemente o oposto do que dizia que seria antes.. kkkkkkkk

Estão jogando no tudo ou nada agora por causa das eleições do ano que vem.
E ainda tem bolsopetista que defende, vide isso:

 

Flame Vicious

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
33.854
Reações
75.976
Pontos
744
Avacalhar com o Moro, minar a Lava Jato, colocar todo tipo de pilantra em postos estratégicos, se vender pro centrão e pro diabo, desdenhar das vítimas da covid, tudo isso passa. Mas direitos humanos? Ah, aí já é demais.
Nada disso passa também não. É justamente por essas coisas que ele é um estelionatário vagabundo. O que a matéria lista é só uma cereja entre outras no bolo de bosta que esse governo se tornou.
 

FireFlower

Veterano
Mensagens
253
Reações
567
Pontos
113
Pra vc ver a Lógica dessa turma

Estão nem ai pra mais de 500 mil mortos, não pode é uma adolescente estuprada fazer aborto, conforme prevê a lei
Isso que mais me irrita. Se esse tipo de discurso viesse de pessoas ingênuas, que falam bobagem mas no fundo têm boa intenção, dava pra perdoar. Mas não, é evidente que não há preocupação nenhuma com a vida, nenhuma empatia envolvida. Apenas um preconceito irracional escondido por trás da religião.
 

Acteon

Bam-bam-bam
Mensagens
8.545
Reações
14.379
Pontos
389
Bolsonaro foi a pior coisa que poderia acontecer com a direita aqui no Brasil.
O espectro foi cooptado por um parasita do centrão fisiológico (redundante) e agora se tornou refém dele.
As pautas que são importantes e até fundamentais para o amadurecimento da sociedade se tornaram bravatas de zap, ou então discursos vazios na boca de gente que mal sabe soletrar o próprio nome.
 

Baneman

Discípulo de São Jorge
VIP
Mensagens
14.727
Reações
24.978
Pontos
553
Bem, em relação ao aborto, não teve nenhuma alteração da maneira com que já era feito anteriormente.

Enviado de meu SM-G9600 usando o Tapatalk
 

sebastiao coelho neto

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
17.845
Reações
42.659
Pontos
639
Desculpe a ignorância, mas isso é sério mesmo ou há nuances?


T+
Há nuances. Não houve mudança de lei, diretriz da União, etc. Não é nada além que um relatório de intenções e demandas de diversos conselhos de saúde. A assinatura do ministério e publicação no D.O. foi só protocolar.

Porém é mais uma prova de hipocrisia do governo e da militância. Isso já rola a dois anos e ninguém deu um pio quando com coisas muito menos "esquerdistas" (como criticar a verborragia do presidente) bolsonaristas massacravam quem fizesse.
 
Ultima Edição:

BurnsCT

Bam-bam-bam
Mensagens
4.644
Reações
9.087
Pontos
298
Não querendo defender esse tolete de bosta, mas acho que vocês estão emocionados demais.

Portarias e decretos federais para protocolar matérias previstas em lei é mais velho que andar pra frente, nada de novo. E nada que o Bolso poderia impedir.
Politica de governo não passa por cima de política de estado.
 

soadrula

Veterano
Mensagens
352
Reações
692
Pontos
113
Não querendo defender esse tolete de bosta, mas acho que vocês estão emocionados demais.

Portarias e decretos federais para protocolar matérias previstas em lei é mais velho que andar pra frente, nada de novo. E nada que o Bolso poderia impedir.
Politica de governo não passa por cima de política de estado.
Ué, em outro tópico falaram que o PIX é mérito dele por que foi criado na vigência do seu governo.
Essa vai pra conta dele tbm.
 
Topo Fundo