O que há de Novo?


Editora Abril encerra a publicação de quadrinhos Disney no Brasil!

Mensagens
243
Curtidas
938
Pontos
128
#1
planetagibi.com.br
PATO DONALD de julho será o último lançado pela Editora Abril
11-15 minutos

EXCLUSIVO. Após 68 anos ininterruptos, os quadrinhos Disney estão fora da Editora Abril. As últimas edições que chegarão às bancas serão dos seis títulos de linha referentes ao mês de julho. A Abril não confirma essa informação, deve-se ressaltar aqui.

Nesse longo tempo, a Abril lançou mais de 9 mil edições de 423 títulos* com HQs disneyanas — cerca de 6 mil dessas histórias foram produzidas em seus estúdios, além de uma enormidade de gags e capas.


Acima, as edições de estreia dos títulos que construíram a sólida base de tudo o que se publicou de quadrinhos Disney no Brasil: apenas EDIÇÃO EXTRA (ago/1972-dez/1993, 160 edições) não estava mais em circulação


◼ AS LINHAS EDITORIAIS
A editora vinha trabalhando em três linhas:

• As revistas tradicionais, de preço de capa menor e comumente associadas à porta de entrada de leitores (como PATO DONALD e TIO PATINHAS);

• A recém-criada linha intermediária, com edições de excelente acabamento gráfico, capa cartão e preço compatível (O MELHOR DA DISNEY — BRASIL, DISNEY SAGA e LENDAS DISNEY);

• E a linha luxo, com encadernados em capa dura para coleções fechadas (como Carl Barks, Don Rosa e Gottfredson) e especiais avulsos (comemorativos de aniversários de personagens e coletâneas temáticas, como Ducktales).

Em comum, tais publicações apresentavam uma variedade de personagens, artistas e países de origem algo incomum às linhas de quadrinhos Disney de outros lugares. Os gibis tradicionais, por exemplo, podiam ir da mais recente HQ italiana do Mickey a uma criação brasileira dos anos 1970, passando pelos clássicos americanos e produções dinamarquesas e holandesas. E tal característica, quando cabível, repetia-se nas demais linhas.

◼ JULHO DE 2018: FIM DE UMA ERA

As últimas edições e a longevidade dos gibis clássicos Disney-Abril:

PATO DONALD #2481, edição 1845 — 68 anos de circulação ininterrupta.

ZÉ CARIOCA #2446, edição 1332 — mais de 57 anos.
MICKEY #911 — mais de 65 anos.
TIO PATINHAS #637 — mais de 54 anos.
ALMANAQUE DISNEY #385 — desde dez/1970 (circulação intermitente).
DISNEY ESPECIAL #207 — desde jul/1972 (circulação intermitente).


Acima, as capas das edições derradeiras dos títulos clássicos Disney pela Abril: com exceção de DISNEY ESPECIAL (lançado em maio), publicações referentes a jul/2018, quando PATO DONALD completa 68 anos de publicação ininterrupta no Brasil. Por acaso, sua HQ de destaque, com Urtigão, Donald e Peninha, foi traduzida pelo Planeta Gibi


◼ OUTROS TÍTULOS E SUAS ÚLTIMAS EDIÇÕES

Da linha de fac-símiles dos Manuais Disney, apenas o 14º volume, Jogos Olímpicos, ficou pendente de publicação — que, a bem da verdade, não estava confirmada, já que a edição precisaria incluir uma espécie de caderno de atualizações, como ocorreu com o fac-símile do Manual do Zé Carioca, lançado em abril último.
Além dos clássicos, listamos a seguir os outros títulos periódicos e coleções de quadrinhos agora descontinuados.

PATETA (#87, jul/2018, publicação mensal).

DUCKTALES OS CAÇADORES DE AVENTURAS (#6, jul/2018, publicação mensal).
DISNEY BIG (#51, jun/2018, publicação bimestral).

LENDAS DISNEY, DISNEY SAGA e O MELHOR DA DISNEY — BRASIL (criados como trimestrais, tiveram apenas seus #1 publicados, entre janeiro e março deste ano).

KINGDOM HEARTS — COLEÇÃO DEFINITIVA (#1, de 10, presumidamente).

COLEÇÃO CARL BARKS DEFINITIVA (10 volumes publicados; em publicação nos EUA).
OS ANOS DE OURO DE MICKEY (#14, de 37).
BIBLIOTECA DON ROSA (#5, de 10).
DISNEY DE LUXO (20 volumes publicados; coleção de títulos avulsos).
PENINHA — EDIÇÃO DE LUXO (#1, de 2 — para essa fase).

Assim como nos EUA, a COLEÇÃO CARL BARKS DEFINITIVA recebia numeração apenas no expediente. Os demais volumes em capa dura não eram numerados, com exceção de PENINHA.

DISNEY DE LUXO é um título atribuído pelo Planeta Gibi (assim como a numeração de seus volumes) apenas para fins referenciais. A editora sempre tratou esses especiais como publicações avulsas.


As capas das últimas edições dos outros três títulos de banca, de jul/2018 (com exceção da bimestral DISNEY BIG, de junho)

A chamada "linha intermediária", de revezamento trimestral de lançamento: tamanho similar ao dos especiais em capa dura, lombada quadrada, encadernação perfeita, mas com capa cartão, miolo em offset e preço bem menor. Todos produzidos com a colaboração do Planeta Gibi, sobretudo O MELHOR DA DISNEY — BRASIL, que fez a seleção de HQs, a concepção de artigos e curiosidades, além de fornecer todas as imagens adicionais


◼ GASTÃO 70 ANOS




LENDAS DISNEY #2 comemoraria os 70 anos do Gastão com uma seleção de HQs feita para apresentar ao leitor as mais variadas nuances da personalidade do ganso.
A edição viria recheada de curiosidades e imagens interessantes, como a mostrada abaixo, além de um artigo ilustrado sobre o personagem e uma galeria das capas dos gibis estrelados por ele.

A seleção de histórias havia sido feita por Paulo Maffia e pelo Planeta Gibi — que forneceu os textos, as curiosidades, uma ficha ilustrada para cada HQ e todas as imagens do volume.

Praticamente pronto para ser lançado em abr/2018, nunca foi à gráfica.

Umas das imagens que estaria na página 151, "Sorte Animada", de LENDAS DISNEY #2 GASTÃO 70 ANOS, que também seria abordada no artigo que fechava a edição: "(...) A participação de Gastão acabou sendo deletada da versão final do cartoon [Louco por Futebol, maio de 1987], mas o personagem pode ser visto rapidamente na arquibancada do estádio, na fileira à frente de um coelho que pode muito bem ser considerada a primeira aparição de Roger Rabbit — o notável longa-metragem Uma Cilada para Roger Rabbit só chegaria aos cinemas no ano seguinte, mas decerto estava em produção havia tempos (...)"

◼ PELO CAMINHO

LENDAS DISNEY #3 provavelmente seria dedicado a Indiana Pateta. Uma lista de personagens variados, como Metralhas, Prof. Pardal e Vovó Donalda & Gansolino (que neste ano completa 80 anos), era discutida.

DISNEY SAGA #2 provavelmente traria Mancha das Trevas (o episódio 2.1 acabou sendo remanejado para a derradeira edição de DISNEY BIG, lançada em junho). Sagas como Donald Quest e Mac Donald (de Marco Rota) estavam sendo consideradas.

A abrangência dos volumes seguintes de O MELHOR DA DISNEY — BRASIL estava em aberto. O Planeta Gibi pesquisaria as HQs publicadas no Brasil a partir de 1953 e apresentaria o projeto para a redação, assim como aconteceu com a edição inaugural. Muitas curiosidades e abordagens havia sido selecionadas por nós, que tínhamos a intenção de fechar 2018 contemplando toda a década de 1950. O volume 4, de dezembro, poderia trazer a primeira HQ Disney produzida por um brasileiro (Papai Noel por Acaso, de Jorge Kato, 1959) inteiramente restaurada: o Planeta Gibi havia oferecido um exemplar de O PATO DONALD #424 para essa finalidade.

PENINHA — EDIÇÃO DE LUXO #2 estava com sua seleção de HQs pronta desde o início do projeto, assim como a indicação dos extras, que complementariam a galeria de curiosidades do volume inicial. O sucesso desses dois volumes poderia levar ao lançamento de outros, dedicados, por exemplo, às variações do personagem criadas no Brasil.

MICKEY 90 ANOS poderia pegar até três volumes de luxo a partir de uma seleção das 100 melhores HQs do personagem elaborada pela Disney.

Todos os Milhões do Tio Patinhas tinha grande chance de virar um DISNEY DE LUXO em volume único. A saga de 20 episódios teria um especial com muitas páginas, portanto.

◼ AS COLABORAÇÕES DO PLANETA GIBI

O Planeta Gibi começou a colaborar mais efetivamente com a Abril na virada de 2010 para 2011, escrevendo curiosidades para os 50 anos da revista ZÉ CARIOCA. Em seguida, viriam os artigos das coleções semanais PATETA FAZ HISTÓRIA e ESSENCIAL DISNEY. Durante esses anos, muitos exemplares de nosso acervo foram disponibilizados para a produção do gibi do papagaio, dos almanaques e de outros, como os fac-símiles dos Manuais Disney.

Nossas últimas colaborações foram para LENDAS DISNEY #2 GASTÃO e a tradução de histórias para as derradeiras edições de banca, inclusive a HQ de capa da última edição de PATO DONALD, o gibi com maior tempo de circulação ininterrupta do país e, até prova contrária, a revista brasileira de qualquer segmento há mais tempo ainda em circulação — de julho de 1950 até julho de 2018, quando completa 68 anos de lançamento, sendo a primeira revista publicada pela Abril.

Por fim, cabe-nos agradecer à Redação por ter nos confiado grandes missões — que, esperamos, tenham atendido às expectativas dos leitores, como HUGUINHO, ZEZINHO E LUISINHO 80 ANOS, PATETA FAZ HISTÓRIA #5, TIO PATINHAS 70 ANOS e O MELHOR DA DISNEY — BRASIL #1... E desejar vida longa às publicações Disney no Brasil e no mundo.







* SOBRE OS NÚMEROS DO SEGUNDO PARÁGRAFO:

423 títulos, incluindo:

• as edições de DISNEY TEMÁTICO e DISNEY DE LUXO tratados como títulos avulsos, tais como formalmente considerados pela editora (sendo que AS MUITAS VIDAS DO PATO DONALD, ZÉ CARIOCA 70 ANOS e TIO PATINHAS 50 ANOS DA REVISTA, com mais de um volume, são títulos únicos com mais de uma edição).

• títulos não-exclusivos Disney, mas com HQs disneyanas (como MISTO QUENTE, DESTAQUE E BRINQUE, RECREIO etc.);

• títulos promocionais (como PRESENTE DE RINSO, ZÉ CARIOCA LIONS CLUBE, REVISTINHA DO TARZAN etc.) e experimentais (como PATO DONALD e ZÉ CARIOCA EDIÇÃO EXTRA formato americano; SÉRIE EXPERIMENTAL FORMATINHO 36 PÁGINAS etc.)

...E excluindo:

• títulos de encadernados de encalhe (como DISNEY ESPECIALÍSSIMO, SHOW DISNEY, O GRANDE LIVRO DISNEY etc.);

• títulos que não apresentaram nenhuma HQ em quaisquer de suas edições (como Manuais Disney, Coleção Grandes Duelos etc. e revistas oficiais de filmes como Viva A Vida É uma Festa, Frozen Febre Congelante, A Família do Futuro etc.);

• títulos sem copyright específico Disney (como ROGER RABBIT, da Touchstone; STAR WARS, da Lucasfilm; POWER RANGERS, da Saban).

(Além dos 423 títulos, o Acervo Planeta Gibi registra outros 71 com HQs Disney, como encadernados de encalhe da Abril e títulos de editoras diversas, sem contar tabloides, jornais e produções com copyright Lucasfilm, Touchstone e Saban.)

Mais de 9 mil edições com HQs:

• A quantidade é estimada pois alguns títulos (como PRINCESAS, ATIVIDADES DISNEY, HIGH SCHOOL MUSICAL etc.) trouxeram quadrinhos apenas esporadicamente.


◼ A SEGUIR...

O Planeta Gibi desconhece quem assumirá os títulos de banca. A propósito, uma editora estrangeira (não é a Panini) teria formalizado há tempos uma proposta para publicar Barks. Nenhuma informação deste artigo partiu de nenhuma editora. Só voltaremos ao assunto com dados concretos ou posições oficiais de editoras, abstendo-nos de especulações.

Há rumores quanto à Panini. Mas eles partem, aparentemente, de leitores. Procurada pelo Planeta Gibi, a Panini não se pronunciou a respeito até o momento da publicação. Havendo novidades, atualizaremos a notícia.

Nosso objetivo primeiro com este artigo é informar, enfim, nossos leitores e clientes que havia tempos ansiavam por respostas, por piores que fossem. Afinal, estamos tratando aqui dos Quadrinhos Disney. Que, além do forte componente afetivo que o liga aos leitores, têm no Brasil uma história imbricada com a história de nossa própria imprensa.


★ Por Edenilson Rodrigues & Rivaldo Ribeiro.
★ Fotos: Edenilson Rodrigues/Planeta Gibi.
★ Publicado originalmente em 7/jun/2018.
★ Atualizado pela última vez em 7/jun/2018.
 


EgonRunner

Bam-bam-bam
Mensagens
6.216
Curtidas
10.411
Pontos
353
#2
A Abril já publicou uma nota negando o cancelamento mas confirmando que ainda estão negociando.

Ou seja nas entrelinhas, não vão ter condições de fechar novo contrato.

Lembro que nos anos 90 dava pra visitar a redação, fui duas vezellCresci lendo quadrinhos Disney até migrar pra Vertigo (quando a Comix começou numa banca de rua e a Devir q importava os títulos).

Infelizmente tudo acaba, farei minuto de silêncio.
 
Mensagens
13.546
Curtidas
8.639
Pontos
474
#3
Se nenhuma outra editora no Brasil continuar com o legado das publicações Disney,o jeito vai ser baixar as revistas e outros materiais que talvez surjam para serem baixados em sites internet afora.
 

Riveler

Bam-bam-bam
Mensagens
1.262
Curtidas
1.675
Pontos
214
#4
Acabei de ler essa notícia no uol. Não com tantos detalhes, mas agora é oficial.

É uma pena que a outrora maior editora do país esteja caindo.

Lembro quando houve a saída da Turma da Mônica para a Editora Globo em 1987. As revistas demoraram muito a ter cores adequadas nos quadrinhos. Depois veio a saída da Marvel e DC. E agora vem o último prego no caixão.
 

doraemondigimon

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
10.917
Curtidas
12.663
Pontos
619
#5
Me sinto completamente desolado depois de ler tal notícia. A Disney, mesmo que eu não leia os gibís com facilidade, fará muita falta, não só para as crianças mas, para os adolescentes e adultos também.

Sou de uma época que ler gibí ajudava demais na leitura das crianças (tanto que eu aprendi a ler com os gibís da Turma da Mônica) e pretendo que isso também sejja uma boa marca pro meu filho.
 


_dreh_

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
16.375
Curtidas
15.862
Pontos
599
#7
toda empresa visa lucro, provavelmente não estava tendo, afinal quem lê HQ hoje em dia? ou melhor, quem compra!!!
 
Mensagens
6.216
Curtidas
10.411
Pontos
353
#10
o mercado mundial não deve passar de 10 milhões de leitores, isso extrapolando que foram despachadas 6M de revistas para lojistas no EUA.
infelizmente quadrinho virou nicho e hoje tem pouca relevância para introduzir novos personagens ou histórias para o público em geral.

http://blog.comichron.com/2018/03/comics-dollar-sales-off-just-3-in.html

o mercado em 2017 foi de 1Bi dólares, e Disney e Warner ganham muito mais dinheiro e exposição com brinquedos, filmes, séries, merchandising em geral.
 
Ultima Edição:

DarkMorten

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
21.350
Curtidas
15.620
Pontos
614
#15
que coisa hein ... meio triste

li muitos HQ disney na infancia ... lia bem mais do que os do Mauricio de Sousa ... aliás, sempre preferi os Disney perante a turma da Monica .. embora lia todos esses
... só o Mickey que eu não ia atrás ... achava chato ... mas Donald, Pateta, os Almanaques todos, o Zé Carioca e pricipalmente o melhor de todos, o Tio Patinhas ... eu tive muitos e mutios

uma vez, conversando com uma moça que fazia academia na turma da minha mãe, ela queria trocar revistinhas ............ levei algumas sacolas ... e trouxe muito mais .. fiz a festa .. adorava
nessa época (anos 90) perto de onde eu fazia sessões de fisioterapia, tinha uma banquinha que vendia pacotinhos de gibis antigos ... e também trocava .. naquela de 2 por 1 ... ou o pacote de 2 gibis por 1 real no tempo ... também usufrui muito disso
até edição de luxo (com papel de luxo) do Patinhas eu li (mas essa era emprestada de uma das fisioterapeutas)

até vou atrás de algo online pra dar umas lidas e relidas ...
 

Vei pescador

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
20.897
Curtidas
14.374
Pontos
714
#16
Triste mesmo... mas esperado.
Abril já tá ladeira abaixo faz bastante tempo.
Não tem como não lembrar de ir na banca todos os sábados, ou domingos, fiz isso minha infância inteira, e herdei muita coisa dos meus irmãos mais velhos. Grande livro Disney por ex. Outras vi em primeira mão, como a Disney especialíssimo, Natal Disney de Ouro, Manual da Copa, Escoteiros etc.

Uma coisa q alivia é q nesse tópico não teremos o discursinho de MALDITOS SJW LACRAÇÃO ACABARAM COM MINHA VIDA
 

Eli Brek

Bam-bam-bam
Mensagens
1.674
Curtidas
1.886
Pontos
249
#20
A tendência é se tornar digital e talvez a própria Disney traduzir e vender no futuro.

É triste, mas o formato está em defasagem mesmo. Aqui na minha cidade tem cerca de 100 mil habitantes, uma única banca de revistas e justamente no mês passado ela fechou.
 


Topo