O que há de Novo?
  • Novo tema VIP está disponível
    Visitante, um novo tema com fundo escuro agora está disponível para aqueles que contribuíram com doações ao fórum e têm o status VIP. Veja os detalhes aqui.


Executivo apresenta PEC feita por Guedes para acabar com inscrição obrigatória na OAB para exercício da advocacia

Yapathi

Bam-bam-bam
Mensagens
1.824
Reações
7.612
Pontos
303
Quase 50% dos advogados calotaram as taxas absurdas da OAB nesses últimos meses.

Quero mais é que vá para 90%. não pagando.
 


DarkShade

The claw of patience
Membro STAFF
Mensagens
15.609
Reações
18.303
Pontos
684
Que cagada. E digo mais. Que cagada.

Já tá uma bosta com exame, tinha mais é que reduzir as faculdades de direito em uns 90%.

Agora, vão liberar geral pra semi analfabeto.
O que uma coisa tem a ver com a outra?

Uma pessoa faz um curso de direito, uma prova para demonstrar sua aptidão, pois essa pode ser aplicada da mesma forma sem a AOB e em sua visão sairia depois de tudo isso um semi-analfabeto?

Cagada é ter um conselho, seja esse qualquer que seja, apenas para se aproveitar de dinheiro de terceiros, sem fazer em prática, coisa alguma.
 

Land Stalker

Ei mãe, 500 pontos!
VIP
Mensagens
18.232
Reações
59.929
Pontos
554
O que uma coisa tem a ver com a outra?

Uma pessoa faz um curso de direito, uma prova para demonstrar sua aptidão, pois essa pode ser aplicada da mesma forma sem a AOB e em sua visão sairia depois de tudo isso um semi-analfabeto?

Cagada é ter um conselho, seja esse qualquer que seja, apenas para se aproveitar de dinheiro de terceiros, sem fazer em prática, coisa alguma.
Tive uma estagiária, que depois de caralhocentas vezes, não passou nem na primeira fase.

Sem meias palavras,, ela é uma inepta. Está fazendo a coisa errada.

A prova é fácil, é o mínimo do mínimo. E sim, quem estuda cinco anos e é incapaz de passar ou é preguiçoso, ou é semi analfabeto.

Querem rever as anuidades, os valores, a fonte de custeio? Vá lá, faz sentido.

Tirar o "filtro mínimo" (e ridículo de fácil) não tem o menor sentido.
 

Link_1998

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
17.464
Reações
16.757
Pontos
649
Engenharia e áreas médicas precisam de fiscalização, nenhuma outra profissão necessita disso. Pra dizer a verdade, me custa ver outra profissão que necessite até mesmo de faculdade, Direito incluído.

Os concursos públicos mostraram como é possível um leigo chegar ao ponto de ter mais conhecimento do que um bacharelado com carteira profissional na mão, não só no direito, como em diversas outras áreas.
 

geist

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
10.054
Reações
34.865
Pontos
553
Se não serão mais autarquias, qual o destino dos concursados desses conselhos?
 


DarkShade

The claw of patience
Membro STAFF
Mensagens
15.609
Reações
18.303
Pontos
684
Tive uma estagiária, que depois de caralhocentas vezes, não passou nem na primeira fase.

Sem meias palavras,, ela é uma inepta. Está fazendo a coisa errada.

A prova é fácil, é o mínimo do mínimo. E sim, quem estuda cinco anos e é incapaz de passar ou é preguiçoso, ou é semi analfabeto.

Querem rever as anuidades, os valores, a fonte de custeio? Vá lá, faz sentido.

Tirar o "filtro mínimo" (e ridículo de fácil) não tem o menor sentido.
Novamente eu lhe pergunto, o que a existência da AOB tem a ver com isso?Eles não estão fazendo acompanhamento periódicos para verificar qualquer competência, não estou entendendo o seu ponto.

Melhor é fazer uma prova mais criteriosa, com um maior dificuldade, do que ter um conselho que no decorrer da carreira serve apenas para extorquir o profissional.

Lembre-se, no EUA quem controla o exame é o Estado, junto ao poder judiciário e não um conselho terceiro, você realmente acha que eles em práticas judiciais são inferiores a nós?
 

Black Phillip

Veterano
Mensagens
211
Reações
764
Pontos
128
A parte que prevê os conselhos profissionais serão pessoas jurídicas de direito privado me parece cair em inconstitucionalidade. Conselhos profissionais exercem poder de polícia, e como tal, só podem ser pessoas jurídicas de direito público. Esse entendimento é pacífico no STF há décadas e inclusive é o defendido pela doutrina amplamente majoritária.

No mais, é perfeitamente possível enquadrar a OAB dentro das exceções criadas pela nova regra. Esse que é o problema de cláusulas abertas tais como "segurança" e "ordem social": cabe um mundo de sentidos aí. No mais, como bem apontado aqui no tópico, a OAB tem natureza sui generis segundo o STF, o que provavelmente justificaria sua exclusão dessas novas regras.

Apesar de defender uma menor ingerência estatal na economia, vejo com preocupação essa insistência em acabar com o Exame da Ordem. O fim da prova impactaria negativamente no mercado como um todo. O Brasil tem muito mais bacharéis que o mercado pode comportar.
 

DarkShade

The claw of patience
Membro STAFF
Mensagens
15.609
Reações
18.303
Pontos
684
A parte que prevê os conselhos profissionais serão pessoas jurídicas de direito privado me parece cair em inconstitucionalidade. Conselhos profissionais exercem poder de polícia, e como tal, só podem ser pessoas jurídicas de direito público. Esse entendimento é pacífico no STF há décadas e inclusive é o defendido pela doutrina amplamente majoritária.

No mais, é perfeitamente possível enquadrar a OAB dentro das exceções criadas pela nova regra. Esse que é o problema de cláusulas abertas tais como "segurança" e "ordem social": cabe um mundo de sentidos aí. No mais, como bem apontado aqui no tópico, a OAB tem natureza sui generis segundo o STF, o que provavelmente justificaria sua exclusão dessas novas regras.

Apesar de defender uma menor ingerência estatal na economia, vejo com preocupação essa insistência em acabar com o Exame da Ordem. O fim da prova impactaria negativamente no mercado como um todo. O Brasil tem muito mais bacharéis que o mercado pode comportar.
A existência ou não da OAB é algo que indifere para aplicação da prova, poderá ser aplicada em outros conselhos ou mesmo o estado, junto ao poder judiciário, o fazer, não vi no texto algo como acabar com exame como você está explanando, poderia me apontar da onde extraiu tal aspecto?
 

Johnzim

Bam-bam-bam
Mensagens
7.357
Reações
15.355
Pontos
369
Novamente eu lhe pergunto, o que a existência da AOB tem a ver com isso?Eles não estão fazendo acompanhamento periódicos para verificar qualquer competência, não estou entendendo o seu ponto.

Melhor é fazer uma prova mais criteriosa, com um maior dificuldade, do que ter um conselho que no decorrer da carreira serve apenas para extorquir o profissional.

Lembre-se, no EUA quem controla o exame é o Estado, junto ao poder judiciário e não um conselho terceiro, você realmente acha que eles em práticas judiciais são inferiores a nós?
Não dá nem pra comparar a estrutura organizacional estatal dos Estados nos EUA com os daqui.
Colocar na carcunda dos Estados e até do Judiciário mais essa tarefa é implorar por mais burocracia ainda relacionada à área jurídica.

Não sou ferrenho defensor da OAB, nunca. Mas já participei de uma Comissão da OAB aqui onde moro e posso te falar: tem coisa que funciona. A Escola Superior de Advocacia (oferece cursos e aperfeiçoamento para advogados) melhorou muito nos últimos anos; a área de Prerrogativa é importante; e a própria área de fiscalização profissional tem sua relevância, porque tem MUITO advogado que faz merda atrás de merda.
Pra mim, hoje, o problema da OAB é zero transparência em relação às contas, fora a politicagem barata que existe no órgão. Não sei se a solução seria extinguir (e colocar na carcunda do Estado mais este múnus). Mas eu concordo que muita coisa precisa ser mudada.
 

Black Phillip

Veterano
Mensagens
211
Reações
764
Pontos
128
A existência ou não da OAB é algo que indifere para aplicação da prova, poderá ser aplicada em outros conselhos ou mesmo o estado, junto ao poder judiciário, o fazer, não vi no texto algo como acabar com exame como você está explanando, poderia me apontar da onde extraiu tal aspecto?
Não estava falando da PEC.

Sempre existiu um movimento no Congresso para acabar com o exame, que nunca foi para frente por lobby da OAB. Há várias projetos de lei prevendo a alteração do Estatuto da OAB com a exclusão da prova (ex: PL 832/2019). O próprio Bolsonaro em diversas ocasiões já se manifestou contra o exame.

Evidentemente, essa PEC se insere nessas iniciativas. Afinal, se a pessoa, ao se formar, já é alçada a condição de advogado, não teria o menor sentido se submeter ao exame. Indiretamente está se propondo seu fim.
 

xDoom

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
22.807
Reações
123.332
Pontos
589
E isso que a prova nem é difícil como dizem.

Com um mínimo de esforço, passa, sem drama nenhum. Tem nada de "prova injusta", isso é desculpa esfarrapada. É mamão com açúcar.

Se o camarada nem isso consegue, tem que repensar o que quer da vida.
Tem prova injusta sim, tu pode ver que eles elaboram ela proporcionalmente ao número de aprovados ou reprovados em exames anteriores ou fases anteriores. É meramente reserva de mercado.

Eu mesmo não quero pagar 1k por ano pra advogado fazer merda e defender publicamente bandido como o atual presidente da ordem faz.
 

DarkShade

The claw of patience
Membro STAFF
Mensagens
15.609
Reações
18.303
Pontos
684
Não estava falando da PEC.

Sempre existiu um movimento no Congresso para acabar com o exame, que nunca foi para frente por lobby da OAB. Há várias projetos de lei prevendo a alteração do Estatuto da OAB com a exclusão da prova (ex: PL 832/2019). O próprio Bolsonaro em diversas ocasiões já se manifestou contra o exame.

Evidentemente, essa PEC se insere nessas iniciativas. Afinal, se a pessoa, ao se formar, já é alçada a condição de advogado, não teria o menor sentido se submeter ao exame. Indiretamente está se propondo seu fim.
Entendo o seu pensamento sobre a não obrigatoriedade da OAB para exercer a função e com isso a eliminação da prova, mas como escrito, essa poderia ser aplicada de outras maneiras e mesmo assim ser necessária para a profissão.

Guardada as devidas proporções, em uma analogia mais simples, seria como tirar carta de motorista, existe o exame, mas não um órgão de contribuição para dirigir.
 

johnhartigan

Bam-bam-bam
Mensagens
1.961
Reações
8.018
Pontos
268
Me corrijam se meu pensamento estiver errado, mas pra mim só tem tanto estudante de direito por causa de concurso, metade que conheço é só pra passar na OAB e concurso, tenho conhecida que ficou até os 30 sem trabalhar.
 

Lacerda Yawara

Bam-bam-bam
Mensagens
4.505
Reações
7.775
Pontos
303
A parte mais legal de quem a continuidade da OAB é Vai entrar um monte de gente que não sabe nada, mas isso serve literalmente para qualquer profissão.

Exemplo: "Não pôde liberar a profissão de padeiro para qualquer um. Oras, se já imaginou um monte de gente inundando o mercado sem saber fazer pão ? Já pensou o cara envenenar alguém ?"

E pode trocar por qualquer outra profissão. Se vai ver o quão ridículo é esse argumento.
Eu adoro este argumento...quando quero dar uma boas risadas.:klolwtf
Eu mesmo não tenho CREA...E NUNCA TEREI!! CHUPA SINDICATO VAGABUNDO!
 

Black Phillip

Veterano
Mensagens
211
Reações
764
Pontos
128
Entendo o seu pensamento sobre a não obrigatoriedade da OAB para exercer a função e com isso a eliminação da prova, mas como escrito, essa poderia ser aplicada de outras maneiras e mesmo assim ser necessária para a profissão.

Guardada as devidas proporções, em uma analogia mais simples, seria como tirar carta de motorista, existe o exame, mas não um órgão de contribuição para dirigir.
A PEC prevê que "a lei não estabelecerá limites ao exercício de atividades profissional ou obrigação de inscrição em conselho profissional (...)".
Em outras palavras, o exercício da advocacia não estaria mais sujeito a aprovação no exame e inscrição na OAB. O bacharel, pelo simples fato de se graduar, poderá exercer a advocacia.

Ou seja, a sua analogia não é a mais correta. A correta seria que para se obter a CNH não se precisaria mais de prova. Bastaria ao interessado demonstrar os requisitos mínimos, não precisando se sujeitar a qualquer tipo de exame.

Naturalmente, isso não significa o fim da prova. Ela continua sendo prevista em lei. Mas não será mais condição de ingresso na profissão. Por isso que disse que "indiretamente" está se pleiteando seu fim, já que não teria mais lógica sua existência. Se essa PEC passar, e não existir mais a obrigatoriedade da prova, a OAB teria que "reinventar" o exame para evitar que ele morra. Ele poderia passar a ser utilizado como uma qualificação profissional, por exemplo. Os escritórios poderiam passar a contratar "advogados com OAB".

Mas a PEC é clara: o exercício da profissão não exige a inscrição no conselho, e não está sujeita a restrições legais.
 

DarkShade

The claw of patience
Membro STAFF
Mensagens
15.609
Reações
18.303
Pontos
684
A PEC prevê que "a lei não estabelecerá limites ao exercício de atividades profissional ou obrigação de inscrição em conselho profissional (...)".
Em outras palavras, o exercício da advocacia não estaria mais sujeito a aprovação no exame e inscrição na OAB. O bacharel, pelo simples fato de se graduar, poderá exercer a advocacia.

Ou seja, a sua analogia não é a mais correta. A correta seria que para se obter a CNH não se precisaria mais de prova. Bastaria ao interessado demonstrar os requisitos mínimos, não precisando se sujeitar a qualquer tipo de prova.

Naturalmente isso não significa o fim da prova. Ela continua sendo prevista em lei. Mas não será mais condição de ingresso na profissão. Por isso que disse que "indiretamente" está se pleiteando seu fim, já que não teria mais lógica sua existência. Se essa PEC passar, e não existir mais a obrigatoriedade da prova, a OAB teria que "reinventar" o exame para evitar que ele morra. Ele poderia passar a ser utilizado como uma qualificação profissional, por exemplo. Os escritórios poderiam passar a contratar "advogados com OAB".

Mas a PEC é clara: o exercício da profissão não exige a inscrição no conselho, e não está sujeita a restrições legais.
Para mim esse ponto está dúbio, como o texto não trata da prova e sim da inscrição, pode-se concluir que essa não seria mais necessária ou mesmo que sua aplicação mudaria, a questão que vejo são aspectos diferentes, uma coisa é o profissional ser obrigado a se filiar a um conselho, outra é a demonstração de sua aptidão de conhecimento sobre uma prova.

Poderia mesmo com essa mudança, ter essa obrigação, mas essa conjuntura tem que claramente estar bem mais nítida no texto, mesmo não sendo seu propósito nesse momento se referir a isso.
 

Land Stalker

Ei mãe, 500 pontos!
VIP
Mensagens
18.232
Reações
59.929
Pontos
554
Novamente eu lhe pergunto, o que a existência da AOB tem a ver com isso?Eles não estão fazendo acompanhamento periódicos para verificar qualquer competência, não estou entendendo o seu ponto.

Melhor é fazer uma prova mais criteriosa, com um maior dificuldade, do que ter um conselho que no decorrer da carreira serve apenas para extorquir o profissional.

Lembre-se, no EUA quem controla o exame é o Estado, junto ao poder judiciário e não um conselho terceiro, você realmente acha que eles em práticas judiciais são inferiores a nós?
A discussão afinal é sobre o exame ou sobre o conselho?

Já disse, querem discutir as anuidades, vá lá. Deixar qualquer bacharel advogar, sem inscrição - que pressupõe aprovação no exame, não tem como. Com o devido respeito, tenho conhecimento de causa. O mercado de advocacia tá uma merda, pagando uma mixaria e nivelado por baixo. O Judiciário tá entupido de lixo, processo inútil, repetido, banalizado..

Liberar geral seria abrir as portas do inferno.

Como advogado digo que o que menos precisamos é de mais advogados, tem mais advogado do que gente na praça, o que seria exponencialmente piorado se nem o filtro da prova existisse.
 

Land Stalker

Ei mãe, 500 pontos!
VIP
Mensagens
18.232
Reações
59.929
Pontos
554
Tem prova injusta sim, tu pode ver que eles elaboram ela proporcionalmente ao número de aprovados ou reprovados em exames anteriores ou fases anteriores. É meramente reserva de mercado.

Eu mesmo não quero pagar 1k por ano pra advogado fazer merda e defender publicamente bandido como o atual presidente da ordem faz.
Nah, quando, há mais de dez anos atrás, fiz meu exame, estudei as demais provas anteriores.

Nada absurdo, problema é quem faz a prova,
 

Land Stalker

Ei mãe, 500 pontos!
VIP
Mensagens
18.232
Reações
59.929
Pontos
554
Me corrijam se meu pensamento estiver errado, mas pra mim só tem tanto estudante de direito por causa de concurso, metade que conheço é só pra passar na OAB e concurso, tenho conhecida que ficou até os 30 sem trabalhar.
O que é resultado inclusive das condições do mercado. Claro que cara que pode ganhar mais fazendo concurso não vai se sujeitar a ganhar menos (e tá ruim justamente porque tem faculdade e advogado demais).
 

Monogo

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
10.844
Reações
41.707
Pontos
579
Discordo totalmente. São necessários os conselhos para atestar a capacidade de exercer a profissão, pessoas leigas não tem os conhecimentos pra isso. Ainda mais quando se trata da área da saúde, onde inundar o mercado de profissionais vindos de faculdade com cursos ruins é nocivo a sociedade. Um erro de um médico pode custar a vida (ou causar dano irreversivel) ao paciente.

Enviado de meu Moto C Plus usando o Tapatalk
Tipico discurso de quem só fica de teoria e zero pratica.

E só pra constar.

Na area de construção civil(Arquitetura e engenharia), alem de vc pagar anuidade beirando os 600 reais, ainda tem que pagar RRT(registros de responsabilidade técnica), no valor de 90 reais por serviço efetuado, aos conselhos.

Onde se vc projeta e executa uma residencia, o conselho te cobra 90 do projeto e 90 da execução.
 
Ultima Edição:

Aloeh

Bam-bam-bam
Mensagens
6.293
Reações
1.715
Pontos
299
Se não me engano os únicos conselhos que pedem prova pra "validar" o profissional são a OAB e o de contabilidade.

Existem outras áreas em que o "filtro de qualidade" é muito mais necessário como nas engenharias, arquitetura, psicologia, medicina e as áreas da saúde em geral, mas nenhuma tem.

Se um cara é mal assessorado juridicamente ele perde a causa, agora se um cara projeta uma casa igual a cara dele e ela cai? Ou um prédio, ponte? Ou um enfermeiro coloca o medicamento errado? (nem to falando do médico que receitou errado)

Se essas profissões não tem provas de conselho para regulamentação, por que um advogado ou contador precisa de ter?
 

Metal God

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
29.878
Reações
21.452
Pontos
744
Antes desse projeto passar, seria necessário fazer uma limpa geral das péssimas faculdades de direito, diminuindo, drasticamente, o número de vagas. Feito isso, aí sim esse projeto poderia ver a luz do dia, porque os profissionais que entrariam no mercado teriam capacidade para, no mínimo, não prejudicar os potenciais clientes. Liberar geral pode ser excelente, sob o ponto de vista do livre mercado, mas as consequências disso pode ser extremamente danosas. As consequências dessa liberação indiscriminada precisam ser levadas em consideração.
 

$delúbio$

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
10.823
Reações
38.916
Pontos
599
Se tem PCB e PCdoB, pode ter OAB e OAdoB para certificar bacharéis para serem advogados.
Como a cúpula da OAB virou mais uma linha auxiliar do PT no naipe de PSol, tirar o monopólio da guilda seria bem salutar.
Ah , mas isso aumentaria o número de rábulas exercendo a advocacia... Mas já cheio de rábulas nos tribunais superiores travestidos de ministros e desembargadores advogando a favor de amigos do rei.
O que tem de gente que arrota que defende qualidade de ensino e restrição no número de advogados, mas lavaram a égua nessa enchente de faculdades de direito que foram autorizadas país afora nos ultimos 20 anos...
 

arqueiro182

Bam-bam-bam
Mensagens
9.156
Reações
34.616
Pontos
353
CRM tbm nai vai ser mais exigido? É quando um médico faz merda, o que acontece? Vai ser expulso do... Eh não tem, então deixa assim.
Como se fizessem alguma coisa de qualquer forma.

Tanto faz ter ou não. Se for algo grave o Médico é suspenso do mesmo jeito.
 

Megalith

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
10.726
Reações
12.525
Pontos
564
Mas não é só pra OAB né? Minha esposa é psicóloga e todo ano tem que pagar uma taxa de uns 500 reais pra manter seu registro em dia.

Enviado de meu Redmi Note 7 usando o Tapatalk
Quando tava no meu penúltimo período do curso de Administração, em um dos seminários do curso em comemoração ao dia do administrador veio uma palestrante do conselho de administração daqui do estado, citando fucking 400 reais anuais pra manter o registro, caí da cadeira.
 

Soldado!

Bam-bam-bam
Mensagens
3.779
Reações
8.759
Pontos
294
Eu já acho que todos os Conselhos tinham que ter provas em que o candidato fosse obrigado a acerta mais de 90% para ser aceito e começar a trabalhar na área.

Daí somente os mais capazes poderiam trabalhar.

E o restante poderia trabalhar de pedreiro e na roça.

Claro, depois que eles passassem na prova de pedreiro e da roça.
 

Welcomevc

Habitué da casa
Mensagens
283
Reações
372
Pontos
63
Não vai se aplicar a OAB, ela não é um mero conselho como o das outras profissões, não menosprezando nem uma outra profissão é claro.


Mas vamos realizar alguns exercícios aqui:

A profissão inteira de advogado é regulamentada pela OAB.

Para ser advogado existe um único requisito:

- Estar inscrito no quadro de membros da OAB.

Para poder se inscrever no quadro de membros da OAB possuem dentre outros requisitos:

  • Ter completado o Bacharelado no Curso de Ciências Jurídicas e Sociais
  • Ter sido aprovado no exame nacional
  • Estar em dias com as taxas
Se a inscrição na OAB deixar de ser obrigatória a conclusão no curso superior de ciências jurídicas e sociais deixa de ser necessária para o exercício da advogacia? Pois o bacharel em Direito é no máximo um Jurista, advogados são os inscritos na OAB, e a PEC diz respeito ao exercício da profissão que hoje é restrita aos membros do Conselho, ela não vai alçar ninguém a condição de profissional.


Eu sempre defendi que o curso de Direito não é curso de advogacia, é um curso jurídico que abarca o básico de diversas profissões, querem acabar com o exame e com a própria Ordem? Então criem faculdades de advocacia, com horas e horas de aulas praticas voltadas ao exercício da advogacia, diminuem as matérias propedêutica e voltadas as relações sociais, políticas e de estado, e incluem administração, relações pessoais e públicas, e separem por área de atuação assim como na engenharia.

E por obvio o colega que se graduar em advocacia fica impedido de prestar concursos públicos próprios do curso superior de Direito.
 

Goris

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
15.328
Reações
53.328
Pontos
553
Cara. Voce está pedindo regulamentação porque uma regulamentação é supostamente falha.
Se a regulamentação do MEC falha, temos que ter outra em cima, e por que não outra depois então? E outra?

O argumento de que "vai encher de advogado" parte de uma falacia de petição de principio, pois voce já argumenta que seria ruim muitos advogados baseado em assumir que ter muitos advogados seria ruim. Ou seja, sua premissa já se baseia na sua conclusão. Trazendo então um viés de confirmação.

Se houverem muitos advogados e OAB não regula preços também como ela atualmente regula. Voce terá mais pessoas com acesso a advogados. E qual problema disso?
"ah todos vão sair metendo processo".
Não, isso só ocorre quando existe GRATUIDADE DE JUSTIÇA. Porque em principio, algo que não tem custo, que eh de graça, todos querem/usam o máximo possível. Se você põe custo, em geral quem tem causa justa/acha que pode ganhar realmente, vai processar.
A motivo de termos muitos bachareis em direito, é principalmente porque concursos públicos que exigem conhecimento em direito, pagam muito bem e tem a questão da segurança. Acaba com essa segurança e voce verá os números cairem.
Na e poca da odebreth e outras empreiteiras fazendo obras estatais a rodo (de corrupção), vimos um aumento no numero de engenheiros tambem. Pois existia um sinal econômico de que engenheiros era uma profissão que pagava bem

Sua premissa de aumento de funcionários públicos é falsa, até porque a muito tempo a justiça não dá conta do volume de processos na situação atual.

Jogando para outras areas. Seria um problema ter "mais médicos"? Temos uma quantidade enorme de pessoas sem atendimento médico.
Estou falando de médicos formados, com residencia feita, etc.
Hoje, o estado regula quantas pessoas podem estudar medicina limitando os cursos.

Mais médicos tendem a baixar custos de consultas, que se não em engano é regulado. E teriamos mais pessoas atendidas.
E devido a concorrência, muitos sim se filiariam a orgãos que dão uma certificação.

Em essência, ninguém deveria ser impedido de trabalhar licitamente. Se a pessoa é apta a desenvolver a profissão, devemos nos livrar dessa reserva de mercado.
Estou começando a desgostar dos anarco-capitalistas.

Sério, eu curto ser minarquista, mantenho ainda um pouco de meu conservadorismo de boas e posso desejar tanto liberdade econômica quanto um mercado livre.

As argumentação de vocês, ancaps quase me faz deixar de ser minarquista.

Zoeira aparte, boa argumentação, curti a lógica
 

Megaretro

Habitué da casa
Mensagens
282
Reações
372
Pontos
98
Não há a menor possibilidade de todos os bacharéis em Direito saírem advogando. Nem falo isso pela perspectiva do mercado, mas sim pelo péssimo ensino das faculdades. Eu sou a favor é de deixar o exame mais difícil e ainda ter outro pra advogar em Tribunais Superiores. O que o temido exame deixa passar de candidatos sem a menor condição de exercer a profissão não está escrito no papel.
 

♈he Øne

Bam-bam-bam
Mensagens
3.224
Reações
10.413
Pontos
303
Não vai se aplicar a OAB, ela não é um mero conselho como o das outras profissões, não menosprezando nem uma outra profissão é claro.


Mas vamos realizar alguns exercícios aqui:

A profissão inteira de advogado é regulamentada pela OAB.

Para ser advogado existe um único requisito:

- Estar inscrito no quadro de membros da OAB.

Para poder se inscrever no quadro de membros da OAB possuem dentre outros requisitos:

  • Ter completado o Bacharelado no Curso de Ciências Jurídicas e Sociais
  • Ter sido aprovado no exame nacional
  • Estar em dias com as taxas
Se a inscrição na OAB deixar de ser obrigatória a conclusão no curso superior de ciências jurídicas e sociais deixa de ser necessária para o exercício da advogacia? Pois o bacharel em Direito é no máximo um Jurista, advogados são os inscritos na OAB, e a PEC diz respeito ao exercício da profissão que hoje é restrita aos membros do Conselho, ela não vai alçar ninguém a condição de profissional.


Eu sempre defendi que o curso de Direito não é curso de advogacia, é um curso jurídico que abarca o básico de diversas profissões, querem acabar com o exame e com a própria Ordem? Então criem faculdades de advocacia, com horas e horas de aulas praticas voltadas ao exercício da advogacia, diminuem as matérias propedêutica e voltadas as relações sociais, políticas e de estado, e incluem administração, relações pessoais e públicas, e separem por área de atuação assim como na engenharia.

E por obvio o colega que se graduar em advocacia fica impedido de prestar concursos públicos próprios do curso superior de Direito.
E pode prestar OAB sem superior em advocacia ?
 

♈he Øne

Bam-bam-bam
Mensagens
3.224
Reações
10.413
Pontos
303
Não há a menor possibilidade de todos os bacharéis em Direito saírem advogando. Nem falo isso pela perspectiva do mercado, mas sim pelo péssimo ensino das faculdades. Eu sou a favor é de deixar o exame mais difícil e ainda ter outro pra advogar em Tribunais Superiores. O que o temido exame deixa passar de candidatos sem a menor condição de exercer a profissão não está escrito no papel.
Concordo e aplicaria a mesma rigorosidade aos vendedores de sorvete ambulante. Simplesmente a maioria sai para vender sem sequer saber o mínimo, a maioria nem um curso faz. E aplicaria outra prova ainda se fosse vender em local físico. Chega, precisamos de exames para capacitar os vendedores de sorvete.
 

Roveredo

Bam-bam-bam
Mensagens
6.354
Reações
20.441
Pontos
353
Engenharia e áreas médicas precisam de fiscalização, nenhuma outra profissão necessita disso. Pra dizer a verdade, me custa ver outra profissão que necessite até mesmo de faculdade, Direito incluído.

Os concursos públicos mostraram como é possível um leigo chegar ao ponto de ter mais conhecimento do que um bacharelado com carteira profissional na mão, não só no direito, como em diversas outras áreas.
Concurso público (hoje em dia) não mostra o conhecimento efetivo da pessoa e muito menos a habilidade dela para o exercício das funções do cargo.

Mostra a capacidade do sujeito entender como a banca do concurso funciona e reter informações irrelevantes na maior parte das vezes (como um analista judiciário precisar de conhecimentos sobre Linux ou sobre a equivalência de 1 megabyte em kilobytes).
 

Wayne Gretzky

Mil pontos, LOL!
Mensagens
38.872
Reações
53.410
Pontos
1.024
“Art. 174-A. A lei não estabelecerá limites ao exercício de atividades profissional ou obrigação de inscrição em conselho profissional sem que a ausência de regulação caracterize risco de dano concreto à vida, à saúde, à segurança ou à ordem social.

CFM = risco à saúde
CREA = risco à vida
OAB = risco à segurança e ordem social

se a PEC for levada ao pé da letra, esses três conselhos não serão afetados.

acabar com a fiscalização destes conselhos é correr o risco de ser operado por um açougueiro, perder o patrimônio para um advogado analfabeto e correr o risco de ter uma ponte caindo na sua cabeça.
 
Topo