O que há de Novo?
  • Novo tema VIP está disponível
    Visitante, um novo tema com fundo escuro agora está disponível para aqueles que contribuíram com doações ao fórum e têm o status VIP. Veja os detalhes aqui.


GameCube: um console "Nintendo demais para o seu próprio bem"?

Ivo Maropo

Bam-bam-bam
Mensagens
5.930
Reações
7.529
Pontos
353
GameCube: "Roxinho, pequenininho, 'fogãozinho-like' e com alcinha" + mídia "mini DvD" com apenas 1.5 GB de capacidade de armazenamento, o que prejudicava o apoio terceirizado, e também a pirataria (mesmo contando o seu sistema de (des)compressão de texturas 6:1), mesmo após o erro dos cartuchos no N64, e um joystick relativamente não-convencional (mesmo após o joystick do N64); e de lançamento mais tardio e também tendo um poderoso estreante como seu concorrente (o primeiro Xbox);

PS2: Preto, com design mais "sóbrio" à la centro multimídia + mídia DvD padrão com 4.7 GB de capacidade de armazenamento (o que não limitava o apoio terceirizado, e também ajudava a pirataria, este último fator crucial na mundial popularização do console) + joystick convencional. Sem contar o seu marketing avassalador (que, inclusive, sepultou o ótimo Dreamcast), e o seu lançamento antes da concorrência, o que lhe rendeu um estratégico head-start;

Xbox: Semelhante ao PS2, mas com algumas boas diferenças. Dentre elas, um joystick um pouco grande demais, com uma arquitetura ainda mais semelhante a de um computador, e dando os seus primeiros passos na direção da jogatina online, sendo o único console com um HD incluso. Mas, justamente por ser um console estreante, lhe faltaram exclusivos (ele até os tinha, mas foi eclipsado pelo sucesso do PS2, mesmo com gráficos claramente superiores).

Conclusão? O GameCube foi "por demais Nintendo para o seu próprio bem"; uma solitária excentricidade; um console que habitava o seu próprio mundinho paralelo; um verdadeiro estranho no ninho, nadando contra a maré e fadado ao insucesso. Isto dito, eu ainda amei bastante o meu "cubinho roxo"! (rsrs).

A paixão por Wind Waker, por exemplo, foi amor à primeira vista - já com Resident Evil 4, eu pirei completamente. Havia algo de extremamente carismático no GameCube; algo que imediatamente o destacava (mesmo que, para muitos, negativamente) da severa similaridade de seus concorrentes.

O que vocês acham deste console da Nintendo, qual foi a sua experiência pessoal com ele (as suas melhores e/ou piores recordações), e qual foi, no seu entendimento, a sua relevância na história da empresa? :)
 


Soldado!

Bam-bam-bam
Mensagens
3.790
Reações
8.801
Pontos
294
Foi um dos melhores consoles e o grande injusticado de sua geração.

Tinha muito, mas muitos games Nintendo. Barato. Poderoso. Baita arquitetura. "Redondinho", tão bem projetado que seus games mal tinham loadings (em comparação ao PS2). E bastante games thirds.

Foi muito melhor que N64 e Wii.

So long
 

Ridge

Bam-bam-bam
Mensagens
1.503
Reações
2.926
Pontos
303
Foi o console mais poderoso ja lançado pela Nintendo, a arquitetura dele era otima.

Mas foi no GC onde a Nintendo percebeu que tinha ficado infantil demais, tanto que depois ela foi pra uma fase mais madura e experimental com o Wii e DS.
 

GFOLDSCHOOL

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
16.419
Reações
18.338
Pontos
553
Discordo que nadou contra a maré.

A Nintendo realmente buscou o apoio das thirdies,fez um console com hardware excelente pro preço, potente,com boa arquitetura,funcional,bonito,compacto.
Hardware e o software dele são exemplares.
Marketing na medida certa também,jogos como Metroid Prime tiveram bastante repercussão na mídia,com comerciais,matérias,trailers e tudo mais.
Tentou bater de frente com as outras.

Também teve ótimos exclusivos e jogos grandes de thirdies.
Resident Evil 4 era exclusivo do console na época,e é um dos melhores jogos de todos os tempos.
Metroid Prime foi um marco na indústria,jogo excelente.

Ainda acho melhor que o Wii (pegando só os jogos de cada console,sem esse negócio de retrocompatibilidade),que na verdade,esse sim foi por uma alternativa mais viável (e diferente).

Mas chegou na hora errada,sofreu com os erros do 64 e com a porrada do PS2.Em consequência,morreu muito cedo.

A culpa é quase que totalmente da Nintendo,não acho que tenha nenhuma injustiça ou algo do tipo.

Sua relevância é gigante,a Nintendo adotou uma política de buscar jogos casuais com o Wii,optando por um menor orçamento nos jogos,menos investimento em hardware,mais em software (jogos).

Infelizmente,também acho uma pena que ela tenha parado com essa escolha de bater de frente com as outras.

Vendo a longo prazo,o sucesso do Wii culminou na criação do Wii U,tentando criar um misto entre console casual e hardcore - foi um fracasso.

Seu console Wii fez um sucesso tremendo,mas nos jogos casuais em sua maioria.Não era um projeto excelente em questões de hardware,principalmente o controle,que embora fosse uma inovação,trouxe uma série de dificuldades para os desenvolvedores.Em conjunto,o console já não era tão potente,o que impossibilitou diversas implementações de novas engines como a Unreal Engine 3,sendo que não só trouxeram avanços gráficos,como também avanços no motor de física,que é extremamente importante em qualquer jogo (vide Zelda Breath of the Wild).

Com isso,a Nintendo demorou a emplacar com a tecnologia HD,e perdeu muita moral com o apoio das thirdies no Wii U.

O recente Nintendo Switch é praticamente um Wii melhorado,em formato de portátil ; só que sem cometer os mesmos erros dele e de seu sucessor.

Portanto,reafirmo que o GC foi bastante importante para efetuar essa mudança na empresa,apesar não curtir muito essa ideia.



Enviado de meu Redmi 5 Plus usando o Tapatalk
 
Ultima Edição:

BurnsCT

Bam-bam-bam
Mensagens
4.540
Reações
8.523
Pontos
298
Na época só não peguei ele primeiro pois o preço ainda era fora da minha realidade (pirataria). Mas a Nintendo acertou em tudo nesse projeto, hardware excelente, exclusivos de respeito (inclusive de Third Party - Resident Evil estou olhando pra você :kpaixao:kpaixao), controle gostoso de jogar (apesar de dar impressão de estranheza)...
O único falha do Game Cube se chama Playstation 2.
 

Ivo Maropo

Bam-bam-bam
Mensagens
5.930
Reações
7.529
Pontos
353
Discordo que nadou contra a maré.

A Nintendo realmente buscou o apoio das thirdies,fez um console com hardware excelente pro preço, potente,com boa arquitetura,funcional,bonito,compacto.
Hardware e o software dele são exemplares.
Marketing na medida certa também,jogos como Metroid Prime tiveram bastante repercussão na mídia,com comerciais,matérias,trailers e tudo mais.
Tentou bater de frente com as outras.

Também teve ótimos exclusivos e jogos grandes de thirdies.
Resident Evil 4 era exclusivo do console na época,e é um dos melhores jogos de todos os tempos.
Metroid Prime foi um marco na indústria,jogo excelente.

Ainda acho melhor que o Wii (pegando só os jogos de cada console,sem esse negócio de retrocompatibilidade),que na verdade,esse sim foi por uma alternativa mais viável (e diferente).

Mas chegou na hora errada,sofreu com os erros do 64 e com a porrada do PS2.Em consequência,morreu muito cedo.

A culpa é quase que totalmente da Nintendo,não acho que tenha nenhuma injustiça ou algo do tipo.

Sua relevância é gigante,a Nintendo adotou uma política de buscar jogos casuais com o Wii,optando por um menor orçamento nos jogos,menos investimento em hardware,mais em software (jogos).

Infelizmente,também acho uma pena que ela tenha parado com essa escolha de bater de frente com as outras.

Vendo a longo prazo,o sucesso do Wii culminou na criação do Wii U,tentando criar um misto entre console casual e hardcore - foi um fracasso.

Seu console Wii fez um sucesso tremendo,mas nos jogos casuais em sua maioria.Não era um projeto excelente em questões de hardware,principalmente o controle,que embora fosse uma inovação,trouxe uma série de dificuldades para os desenvolvedores.Em conjunto,o console já não era tão potente,o que impossibilitou diversas implementações de novas engines como a Unreal Engine 3,sendo que não só trouxeram avanços gráficos,como também avanços no motor de física,que é extremamente importante em qualquer jogo (vide Zelda Breath of the Wild).

Com isso,a Nintendo demorou a emplacar com a tecnologia HD,e perdeu muita moral com o apoio das thirdies no Wii U.

O recente Nintendo Switch é praticamente um Wii melhorado,em formato de portátil ; só que sem cometer os mesmos erros dele e de seu sucessor.

Portanto,reafirmo que o GC foi bastante importante para efetuar essa mudança na empresa,apesar não curtir muito essa ideia.



Enviado de meu Redmi 5 Plus usando o Tapatalk
Ele "nadou contra a maré" pois adotou um visual demasiado infantilizado, algo que não estava "lá" nem com o NES, o SNES ou o N64 (pequenino, tão roxo quanto o Tinky-Winky, com alcinha e "fogãozinho-like", etc) quando os consoles de videogame já estavam claramente rumando para uma identidade mais "centro multimídia" (mesmo o Wii é muito mais sóbrio e Apple-like do que o infantilizado GameCube). A sua mídia "mini" tampouco lhe ajudou.

Lembro até de algumas piadinhas na época, dando conta de que a Nintendo havia adotado este formato para que os nintendistas por fim pudessem manusear os seus jogos apropriadamente (em clara alusão à pretensa pouca idade de seus consumidores). Ele "nadou contra a maré" porque ainda foi um pouco excêntrico demais após o (já excêntrico) N64 (usando cartucho em plena era do CD + joystick "de tridente").

Sim, a Nintendo procurou apoio terceirizado e também teve ótimos exclusivos, mas ela acabou por esbarrar nos pontos que já mencionei. O estrago já estava feito, e a culpa, era toda da Nintendo, que contraiu um timing/déficit equivocado com o lançamento tardio do N64, e não teve a perspicácia necessária de pensar uma outra estratégia para um triunfal retorno com o GameCube.
 


GFOLDSCHOOL

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
16.419
Reações
18.338
Pontos
553
Ele "nadou contra a maré" pois adotou um visual demasiado infantilizado, algo que não estava "lá" nem com o NES, o SNES ou o N64 (pequenino, tão roxo quanto o Tinky-Winky, com alcinha e "fogãozinho-like", etc) quando os consoles de videogame já estavam claramente rumando para uma identidade mais "centro multimídia" (mesmo o Wii é muito mais sóbrio e Apple-like do que o infantilizado GameCube). A sua mídia "mini" tampouco lhe ajudou.

Lembro até de algumas piadinhas na época, dando conta de que a Nintendo havia adotado este formato para que os nintendistas por fim pudessem manusear os seus jogos apropriadamente (em clara alusão à pretensa pouca idade de seus consumidores). Ele "nadou contra a maré" porque ainda foi um pouco excêntrico demais após o (já excêntrico) N64 (usando cartucho em plena era do CD + joystick "de tridente").

Sim, a Nintendo procurou apoio terceirizado e também teve ótimos exclusivos, mas ela acabou por esbarrar nos pontos que já mencionei. O estrago já estava feito, e a culpa, era toda da Nintendo, que contraiu um timing/déficit equivocado com o lançamento tardio do N64, e não teve a perspicácia necessária de pensar uma outra estratégia para um triunfal retorno com o GameCube.
Já li muitas matérias sobre o assunto,do que vi o design do aparelho foi muito elogiado por toda a mídia e pelo público,porque era um "fogão potente",compacto,além de ser extremamente resistente.

Verdade que a sensação de infantilidade pode ter sido impactante,mas não tanto quanto os outros fatores.

Não sei se o Mini DVD também foi determinante.
A maioria dos grandes jogos do Cube tem gráficos e escopos fenomenais,como Metroid Prime,Mario Sunshine, F-Zero GX,Resident Evil 4,entre muitos outros.
E ainda assim couberam no mini dvd.

Se não me engano a mídia facilitava bastante o processo de compressão,mas não sei se é verídico,então não posso afirmar.

De resto,foi um videogame que fez tudo nos conformes : hardware parrudo,bom preço,bom apoio de thirdies (no seu início) e um bom suporte da própria Nintendo.

Acredito que os outros fatores tenham sido muito mais determinantes pra queda do aparelho do que um mero design e o uso do mini DVD.

Enviado de meu Redmi 5 Plus usando o Tapatalk
 

Dark_Alex

Bam-bam-bam
Mensagens
2.292
Reações
2.221
Pontos
304
Acredito que os outros fatores tenham sido muito mais determinantes pra queda do aparelho do que um mero design e o uso do mini DVD.

Enviado de meu Redmi 5 Plus usando o Tapatalk
Também não acredito que o mini-DVD tenha sido o problema, o Xbox tem DVD e deu na mesma. Os dados no mini-DVD são compactados e o Gamecube tinha uma memória de 16MB que, entre outras funções, era utilizada para otimizar a leitura dos dados compactados do mini-DVD.
 

Ivo Maropo

Bam-bam-bam
Mensagens
5.930
Reações
7.529
Pontos
353
Também não acredito que o mini-DVD tenha sido o problema, o Xbox tem DVD e deu na mesma. Os dados no mini-DVD são compactados e o Gamecube tinha uma memória de 16MB que, entre outras funções, era utilizada para otimizar a leitura dos dados compactados do mini-DVD.
O mini-DvD certamente não foi "O problema", mas contribuiu. Ele foi aquele detalhezinho extra que, naquela ocasião, não fez bem à percepção geral do GameCube - principalmente após o insucesso do N64, com o seu lançamento tardio, e as suas excentricidades equivocadas (como no uso do cartucho em plena era da revolução multimídia). Detalhes, quando somados, importam; ajudam a compor um quadro. Mas, por si só, é claro que não foi "determinante".
 

Ridge

Bam-bam-bam
Mensagens
1.503
Reações
2.926
Pontos
303
O mini-DVD não foi um grande problema, ate pq se precisar de um espaço maior alguns jogos vinham com dois mini-DVDs, assim como desde o PSX tinha jogos com mais de um CD.

 
Ultima Edição:

Odin Games

Bam-bam-bam
Mensagens
3.079
Reações
4.754
Pontos
303
Eu também acho que o N64 e o Gamecube são bem infantis, mas no caso do Gamecube acho que foi isso e o lance do mini DVD que fez ele perder a geração... Naquele tempo a Nintendo parecia que estava virando uma marca de consoles infantis, o N64 e o Gamecube realmente pareciam brinquedos, e acho que isso foi o caso de muitos jogadores adultos terem torcido o nariz, além do lance do PS2 por ter jogos em DVD, era mais fácil de piratear.

Mas o Gamecube era um super console do seu tempo, surpreendente até, tanto é que a sua engine é quase a mesma do Wii, o Wii é praticamente um Gamecube com melhoramentos, com um sistema de movimento e um menu bem mais avançado, e com DVD.
 

GFOLDSCHOOL

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
16.419
Reações
18.338
Pontos
553
Também não acredito que o mini-DVD tenha sido o problema, o Xbox tem DVD e deu na mesma. Os dados no mini-DVD são compactados e o Gamecube tinha uma memória de 16MB que, entre outras funções, era utilizada para otimizar a leitura dos dados compactados do mini-DVD.
Exatamente essa informação que tava lembrando.
Aliás,acho que descobri ela num comentário antigo seu.

Enviado de meu Redmi 5 Plus usando o Tapatalk
 

Ivo Maropo

Bam-bam-bam
Mensagens
5.930
Reações
7.529
Pontos
353
O jogo que melhor demonstra a verdade sobre GameCube se chama Pikmin (e ele é extremamente significativo). Foi, ao menos na minha opinião, a última grande nova franquia produzida pela Nintendo (um legítimo AAA "90+"). E foi precisamente um jogo tão fofinho, simpático, inventivo e gracioso quanto o próprio GameCube. Como são os Pikmins senão pequeninos, carismáticos e coloridos, tal qual o próprio console?

É esta identificação excessivamente infantil o grande problema (quando somado à herança - neste caso, maldita - do N64, é claro). O mini-DvD é aquele "pequeno (grande) detalhe" que ajuda a selar em definitivo a identidade infantilizada do GameCube, o distanciando não só do líder PS2, como da própria Nintendo de até então, cuja referência infantil nunca foi tão evidente quanto no Cube.
 

Soldado!

Bam-bam-bam
Mensagens
3.790
Reações
8.801
Pontos
294
Eu penso que o problema é que a Nintendo demorou pra entrar na geração.

Quando quis entrar o PS2 já tinha disparado.

So long
 

edineilopes

Retrogamer
Mensagens
23.529
Reações
66.435
Pontos
654
Foi um dos melhores consoles e o grande injusticado de sua geração.

Tinha muito, mas muitos games Nintendo. Barato. Poderoso. Baita arquitetura. "Redondinho", tão bem projetado que seus games mal tinham loadings (em comparação ao PS2). E bastante games thirds.

Foi muito melhor que N64 e Wii.

So long
Game Cube foi absolutamente excelente. Sofreu do Legado do N64, como o Dreamcast sofreu com o legado do Saturn. @Silverock® e eu tivemos uma conversa assim outro dia e creio que foi isso que mais prejudicou. Consoles problemáticos que davam lá suas alegrias a seus donos, mas também muitas dores de cabeça.

Depois do rolo compressor que foi o Playstation, a marca estava virando sinônimo de videogame. Naquele momento específico a Sony estava praticamente invencível.

Tanto que só pôde ser "enfrentada" depois com o Wii trazendo uma proposta diferente, atingindo casuais para compor mercado, e Microsoft com cheat de dinheiro infinito.
 
Ultima Edição:

*ka

Bam-bam-bam
Mensagens
9.131
Reações
6.553
Pontos
394
Não tinha como GameCube vencer o PlayStation 2 simples assim, a maior parte das pessoas já estavam esperando por ele, a Sony conquistou um grande público com PlayStation, assim como a Nintendo perdeu esse público com o Nintendo 64, e não pelo cartucho e sim pela falta de jogos, pois para o consumidor final tanto faz a mídia, até mesmo o Dreamcast se não tivesse morrido cedo teria sido atropelado pelo PlayStation 2, a briga pela segunda posição seria entre GameCube e Dreamcast pelo mundo inteiro, com exceção dos Estados Unidos onde a Microsoft tem um nome forte, e o XBox até que vendeu bem por lá, mas no restante do mundo não foi bem, e no Japão a Microsoft é ignorada até hoje no ramo dos vídeo games. Eu acho que teria sido uma briga boa GameCube e Dreamcast pela segunda posição, porém se o Dreamcast não tivesse morrido não teríamos o excelente F-Zero GX.
O mini dvd eu acho que não afetava em nada, eu achava até um diferencial legal do console, os discos menores e com loading mais rápido, no máximo o que ele deve ter dificultado para as produtoras foi para a inclusão de CGs nos discos, pois como exemplo se eu não me engano um dos Prince of Persia tem um CG a menos, e outro exemplo referente a áudio o Dragon Ball Budakai 2 não tem as falas nos menus, mas não seria isso que faria o console vender menos, ou uma produtora não lançar o seu jogo para ele, provavelmente que influenciaria a decisão de não portar um jogo para ele seria o quanto de lucro eles teriam.
 

*ka

Bam-bam-bam
Mensagens
9.131
Reações
6.553
Pontos
394
Game Cube foi absolutamente excelente. Sofreu do Legado do N64, como o Dreamcast sofreu com o legado do Saturn. @Silverock® e eu tivemos uma conversa assim outro dia e creio que foi isso que mais prejudicou. Consoles problemáticos que davam lá suas alegrias a seus donos, mas também muitas dores de cabeça.

Depois do rolo compressor que foi o Playstation, a marca estava virando sinônimo de videogame. Naquele momento específico a Sony estava praticamente invencível.

Tanto que só pôde ser "enfrentada" depois com o Wii trazendo uma proposta diferente, atingindo casuais para compor mercado, e Microsoft com cheat de dinheiro infinito.
Eu concordo contigo que os antecessores prejudicaram os seus sucessores, e eu acho que o PlayStation 2 foi salvo pelo excelente PlayStation 1, que tinha como único problema o sua unidade óptica de qualidade questionável, mas se não fosse o sucesso do PlayStation 1 eu acho que a Sony teria perdido para o Dreamcast e o GameCube, pois ambos tinham uma arquitetura mais amigável para o desenvolvimento de jogos que o PlayStation 2, porém o mesmo era mais rentável para as produtoras, pois devido ao sucesso do antecessor tinha um base imensa de consumidores.
 

Ivo Maropo

Bam-bam-bam
Mensagens
5.930
Reações
7.529
Pontos
353
Eu penso que o problema é que a Nintendo demorou pra entrar na geração.

Quando quis entrar o PS2 já tinha disparado.

So long
Pois é. Tardança na entrada da geração (principalmente pelo PS2 já estar, àquela altura, dominando o território) + "herança maldita" do N64 (também "excêntrico" e excessivamente tardio) + abordagem equivocada (terem feito o GC demasiado infantilizado em época onde a identidade dos videogames estava se maturando em algo um pouco mais "sóbrio" e "centro multimídia").

Junte tudo isto num liquidificador from hell, e o console só poderia ser o fracasso comercial que foi. Mas, como já foi dito aqui, isto foi uma pena. Ele era compacto, poderoso, relativamente fácil de se desenvolver, com ótimos exclusivos e um bom apoio terceirizado (só perdendo para o NES e o SNES na história dos consoles fixos da Nintendo).
 

*ka

Bam-bam-bam
Mensagens
9.131
Reações
6.553
Pontos
394
Pois é. Tardança na entrada da geração (principalmente pelo PS2 já estar, àquela altura, dominando o território) + "herança maldita" do N64 (também "excêntrico" e excessivamente tardio) + abordagem equivocada (terem feito o GC demasiado infantilizado em época onde a identidade dos videogames estava se maturando em algo um pouco mais "sóbrio" e "centro multimídia").

Junte tudo isto num liquidificador from hell, e o console só poderia ser o fracasso comercial que foi. Mas, como já foi dito aqui, isto foi uma pena. Ele era compacto, poderoso, relativamente fácil de se desenvolver, com ótimos exclusivos e um bom apoio terceirizado (só perdendo para o NES e o SNES na história dos consoles fixos da Nintendo).
Eu acho que as pessoas estavam se lixando para a aparência dos consoles, o que importava mesmo eram os jogos, se a Nintendo não tivesse se queimado na geração anterior, e o Nintendo 64 tivesse sido um sucesso, e o GameCube tivesse tido o mesmo suporte das produtoras que o PlayStation 2 teve, o GameCube venderia bem, independente da aparência, em vídeo games o que importa são os jogos, e a qualidade gráfica, a aparecia do console vai ser uma das ultimas coisas como fator de decisão de compra.
 

Ivo Maropo

Bam-bam-bam
Mensagens
5.930
Reações
7.529
Pontos
353
Eu acho que as pessoas estavam se lixando para a aparência dos consoles, o que importava mesmo eram os jogos, se a Nintendo não tivesse se queimado na geração anterior, e o Nintendo 64 tivesse sido um sucesso, e o GameCube tivesse tido o mesmo suporte das produtoras que o PlayStation 2 teve, o GameCube venderia bem, independente da aparência, em vídeo games o que importa são os jogos, e a qualidade gráfica, a aparecia do console vai ser uma das ultimas coisas como fator de decisão de compra.
Esses são muitos "se(s)", o que dificulta a especulação. Continuo achando que o design infantil "coroou", foi a cerejinha do bolo de um processo já bastante anterior, e que remetia até mesmo ao Virtual Boy (embora imperceptivelmente). Obviamente que o (atraso e a excentricidade do) N64 foi o grande vilão de toda esta estória. Até hoje, a Nintendo paga o preço das suas decisões nos anos 90.
 

*ka

Bam-bam-bam
Mensagens
9.131
Reações
6.553
Pontos
394
Esses são muitos "se(s)", o que dificulta a especulação. Continuo achando que o design infantil "coroou", foi a cerejinha do bolo de um processo já bastante anterior, e que remetia até mesmo ao Virtual Boy (embora imperceptivelmente). Obviamente que o (atraso e a excentricidade do) N64 foi o grande vilão de toda esta estória. Até hoje, a Nintendo paga o preço das suas decisões nos anos 90.
Ao menos quem joga vídeo game eu nunca vi rejeitar o console por causa de modelo, o que até pode influenciar é o modelo do controle, mas se o vídeo game tiver os jogos que realmente o agradam a pessoas se adapta ao controle.
Por exemplo eu acho o Saturn e o Nintendo 64 mais bonitos que o PlayStation 1, ele é basicamente a bandeira do Japão, só faltava ser branco e com a tampa do cd vermelha, nem por isso ele deixou de vender bem, já o PSone eu já acho bonito.
 

doraemondigimon

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
11.817
Reações
14.415
Pontos
619
Minha resposta? Começa com uma frase simples e que acho que vai marcar (pois nesse caso, não fui eu que a citou na época)

"Um dos melhores sustos já lançados em TODAS as gerações de videogames!"

Imaginem o seguinte: de todos os 'Golias' lançados na época, uma pequena coisa era superior em configuração que o rei da época (PS2). Infelizmente o Dreamcast já estava sendo enterrado quando o GC entrou na briga pra valer (e como valeu!)

Nessas horas, só me vem a mente a figura do Doc, surrando o Mike Tyson (Mike Tyson's Punching Out) justamente por ser um carinha franzininho mas que conseguiu detonar com o bambambam da época usando de graça e charme!
 

lakota

Veterano
Mensagens
665
Reações
678
Pontos
133
O problema do GC foi ter enfrentado um deus...

Enviado de meu Vibe K5 Plus usando o Tapatalk
 

Ghr

Veterano
Mensagens
378
Reações
562
Pontos
128
Tenho dois GameCubes guardados, um roxo e um prata, e ele realmente tem aparência de brinquedo, principalmente o modelo roxo.
O GC sofreu por alguns fatores:

Mini-DVD: Além de não reproduzir filmes ou cds de musica, eu acho que isso prejudicou pelo espaço de 1.5GB, apesar da compactação ou de multi discos, pois alguns jogos se ve claramente perdas de iluminação e outros detalhes gráficos para caberem na mídia, alguns exemplos são o need for speed most wanted e true crime new york city, além de jogos cancelados por conta disso como driv3r (Sei que é um jogo fraco) e Burnout 3.

Thirds Partys: A nintendo perdeu muito apoio com o N64 e teve de buscar novamente com o GameCube, nisso ela já tinha perdido franquias para a sony como a série principal dos Final Fantasys e outros rpgs da empresa square-enix por exemplo, o GC teve muito jogos multi principalmente de 2002 até 2004, depois disso começou a perder até os multi, que ficaram mais no xbox e ps2.

Design do console: Como disse no começo do post, o modelo roxo (Indigo) aparentava ser muito infantil, se juntar outras cores como o laranja (acho horrível) por exemplo, a sensação é ainda maior, o controle eu considero um dos melhores já feitos, gosto muito dele.
 

Ivo Maropo

Bam-bam-bam
Mensagens
5.930
Reações
7.529
Pontos
353
Tenho dois GameCubes guardados, um roxo e um prata, e ele realmente tem aparência de brinquedo, principalmente o modelo roxo.
O GC sofreu por alguns fatores:

Mini-DVD: Além de não reproduzir filmes ou cds de musica, eu acho que isso prejudicou pelo espaço de 1.5GB, apesar da compactação ou de multi discos, pois alguns jogos se ve claramente perdas de iluminação e outros detalhes gráficos para caberem na mídia, alguns exemplos são o need for speed most wanted e true crime new york city, além de jogos cancelados por conta disso como driv3r (Sei que é um jogo fraco) e Burnout 3.

Thirds Partys: A nintendo perdeu muito apoio com o N64 e teve de buscar novamente com o GameCube, nisso ela já tinha perdido franquias para a sony como a série principal dos Final Fantasys e outros rpgs da empresa square-enix por exemplo, o GC teve muito jogos multi principalmente de 2002 até 2004, depois disso começou a perder até os multi, que ficaram mais no xbox e ps2.

Design do console: Como disse no começo do post, o modelo roxo (Indigo) aparentava ser muito infantil, se juntar outras cores como o laranja (acho horrível) por exemplo, a sensação é ainda maior, o controle eu considero um dos melhores já feitos, gosto muito dele.
Sim. Também tive GameCube e é basicamente isso. Coisas como a sua mídia e a sua identidade infantil prejudicaram, sim, o aparelho, mesmo com muitos negando. Mas não dá pra entender o GC sem uma infeliz sucessão de fatores. A começar do N64 (e, por que não também, do Virtual Boy). Mesmo assim, foi um dos consoles mais injustiçados, junto com o Dreamcast. É estranho pensar que o mesmo console sepultou os dois. Adorei ambos.
 

Harold_Finch

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
21.113
Reações
23.837
Pontos
654
Tenho dois GameCubes guardados, um roxo e um prata, e ele realmente tem aparência de brinquedo, principalmente o modelo roxo.
O GC sofreu por alguns fatores:

Mini-DVD: Além de não reproduzir filmes ou cds de musica, eu acho que isso prejudicou pelo espaço de 1.5GB, apesar da compactação ou de multi discos, pois alguns jogos se ve claramente perdas de iluminação e outros detalhes gráficos para caberem na mídia, alguns exemplos são o need for speed most wanted e true crime new york city, além de jogos cancelados por conta disso como driv3r (Sei que é um jogo fraco) e Burnout 3.

Thirds Partys: A nintendo perdeu muito apoio com o N64 e teve de buscar novamente com o GameCube, nisso ela já tinha perdido franquias para a sony como a série principal dos Final Fantasys e outros rpgs da empresa square-enix por exemplo, o GC teve muito jogos multi principalmente de 2002 até 2004, depois disso começou a perder até os multi, que ficaram mais no xbox e ps2.

Design do console: Como disse no começo do post, o modelo roxo (Indigo) aparentava ser muito infantil, se juntar outras cores como o laranja (acho horrível) por exemplo, a sensação é ainda maior, o controle eu considero um dos melhores já feitos, gosto muito dele.
As perdas gráficas não eram por conta do mini-DVD, até porque quem gera isso é a máquina em tempo real. Gráficos piores geralmente era porque todos os jogos eram feitos com base no PS2 e portados para os outros consoles. Como o hardware do PS2 era bem excêntrico, sempre rolava essas perdas em conversões. Só vê que alguns jogos do Xbox também sofrem com isso.

A Infogrames tinha dito que Driv3r não sairia por conta do mini-DVD, por causa de streaming e blablabla. Mas acho que é falácia. GTA 3 tinha 700 MB, GTAVC tinha 1,2 GB e o San Andreas 1,5 GB. No PS2 todos tinham 4,7 GB, por que eram cheios de dummy files para minimizar o loading.


Agora, a culpa do fracasso do GameCube foi culpa dos... NINTENDISTAS!!

Sim, lembro que li uma reportagem uma vez de um desenvolvedor reclamando que o problema da plataforma, era que seus consumidores só compravam jogos da Nintendo. Os multiplataformas pegavam poeira. Só observar que o Cube recebeu praticamente todos os multis de 2001 a 2003. Aí começaram a abandonar a plataforma. Vários jogos saíram no começo, mas suas sequências não, como a série Burnout.
 

pavomba

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
16.219
Reações
17.021
Pontos
614
Eu tenho um GC que infelizmente está morto, mas é um baita console, joguei bastante Resident Evil, MGS TS, Burnout e outros nele.

Ele morreu porque o Xbox tinha maiores diferenciais, já usava HD direto (ou aqueles memory card com puta espaço), ele já vinha com modem de banda larga de série e um serviço de jogos online grande, enquanto o modem banda larga do GC era caríssimo e só 3-4 jogos tiveram online nele, e o GC perdeu franquias de 14 a 18 anos que continuaram normal no Xbox que são bestsellers (GTA nem sequer viu a luz do dia, Burnout parou no 2, Hitman também).

As perdas gráficas não eram por conta do mini-DVD, até porque quem gera isso é a máquina em tempo real. Gráficos piores geralmente era porque todos os jogos eram feitos com base no PS2 e portados para os outros consoles. Como o hardware do PS2 era bem excêntrico, sempre rolava essas perdas em conversões. Só vê que alguns jogos do Xbox também sofrem com isso.

A Infogrames tinha dito que Driv3r não sairia por conta do mini-DVD, por causa de streaming e blablabla. Mas acho que é falácia. GTA 3 tinha 700 MB, GTAVC tinha 1,2 GB e o San Andreas 1,5 GB. No PS2 todos tinham 4,7 GB, por que eram cheios de dummy files para minimizar o loading.


Agora, a culpa do fracasso do GameCube foi culpa dos... NINTENDISTAS!!

Sim, lembro que li uma reportagem uma vez de um desenvolvedor reclamando que o problema da plataforma, era que seus consumidores só compravam jogos da Nintendo. Os multiplataformas pegavam poeira. Só observar que o Cube recebeu praticamente todos os multis de 2001 a 2003. Aí começaram a abandonar a plataforma. Vários jogos saíram no começo, mas suas sequências não, como a série Burnout.
Interessante, porque pra mim essa estigma que de dono de console nintendo tem desgosto de third party começou com o WiiU.
 

EvertonSSJ4

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
14.974
Reações
11.615
Pontos
684
Comprei no lançamento, lembro de ter testado ele em uma locadora e ao colocar o controle nas mãos tive a sensação de "uma luva", ficou perfeito (ok, o digital peca um pouco), foi ali que decidi que queria um, fiz tudo pra comprar e comprei... Apenas o console...
Passei 1 mês ligando, navegando no menu dele (eu acho maravilhoso) e desligando (único local que tinha na cidade não alugava os jogos...). No 2º mês consegui juntar grana e era ou um jogo ou o Memory... Comprei RE 1 na certa, foram horas com o console ligado pra acabar, jogar de novo, jogar mais uma vez e porque não mais vezes? Joguei tanto que hoje acabo facilmente até no modo invisível, jogão da porra.
Com o passar do tempo já tinha tudo, até controle extra e a delícia do Metroid Prime, que jogo... lembro de jogar tanto, procurando tudo no jogo que adormeci e me acordo com o barulho do aparelho caindo no chão, pois me enrolei no cabo do controle, acordo assutado e pensando "fodeu..." e... Nada, tava lá, fechado, senhor tanque de guerra e o jogo rodando lindamente, se fosse um PS2 ou PS1 eu estaria fodido, pensei na naquele momento. Aproveitei o "rush" de adrenalina por ter acordado com o susto de possivelmente ter estragado o aparelho e já voltei a jogar kkk.

Comprei WW no lançamento e lembro de chegar do trabalho todo santo dia motivado a navegar naquele oceano e mapeá-lo, que obra prima, que jogo senhores.
Por longos anos não senti sequer falta do PS2, só anos depois quando um amigo me pediu emprestado o console pra acabar RE 1 e Zero e me emprestou o PS2 dele, naquela época eu já tinha feito tudo em tudo que tinha comprado ou alugado, então o desejo antigo de jogar FF X e Metal Gear 2 voltou a me lembrar de tais delicias, emprestei e aproveitei pra matar esse desejo e foi, tanto que PS2 tive anos depois, não desmerecendo ele, apenas explicando que o Cubo da paixão me supria e muito bem com seus jogos, até com seu FF (e que jogada da Square fez para lançar para Nintendo) que comprei no lançamento e me arrependo até hj de ter comprado a preço de lançamento kkk.
 

Ghr

Veterano
Mensagens
378
Reações
562
Pontos
128
As perdas gráficas não eram por conta do mini-DVD, até porque quem gera isso é a máquina em tempo real. Gráficos piores geralmente era porque todos os jogos eram feitos com base no PS2 e portados para os outros consoles. Como o hardware do PS2 era bem excêntrico, sempre rolava essas perdas em conversões. Só vê que alguns jogos do Xbox também sofrem com isso.

A Infogrames tinha dito que Driv3r não sairia por conta do mini-DVD, por causa de streaming e blablabla. Mas acho que é falácia. GTA 3 tinha 700 MB, GTAVC tinha 1,2 GB e o San Andreas 1,5 GB. No PS2 todos tinham 4,7 GB, por que eram cheios de dummy files para minimizar o loading.


Agora, a culpa do fracasso do GameCube foi culpa dos... NINTENDISTAS!!

Sim, lembro que li uma reportagem uma vez de um desenvolvedor reclamando que o problema da plataforma, era que seus consumidores só compravam jogos da Nintendo. Os multiplataformas pegavam poeira. Só observar que o Cube recebeu praticamente todos os multis de 2001 a 2003. Aí começaram a abandonar a plataforma. Vários jogos saíram no começo, mas suas sequências não, como a série Burnout.

Veja este vídeo de comparação gráfica do True Crime NYC a partir dos 5:50 e irá ver como houve grandes cortes gráficos que citei.

Eu amo o GameCube, jogo mais ele no wii via nintendont do que qualquer outra coisa, tenho 30 jogos originais dele aqui e acho muito bacana colecionar por conta justamente da mídia pequena, mas a nintendo infelizmente sofreu com a aparência do aparelho, o espaço do disco e a herança maldita do n64, além do enorme sucesso do ps2 e seu apoio monstro.
Sobre comprar jogos nintendo e poucos thirds, eu comprava de tudo, tem muito jogo third bom pra ele, mas realmente a maioria comprava o console apenas pra jogar jogos nintendo.
 

GFOLDSCHOOL

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
16.419
Reações
18.338
Pontos
553

Veja este vídeo de comparação gráfica do True Crime NYC a partir dos 5:50 e irá ver como houve grandes cortes gráficos que citei.

Eu amo o GameCube, jogo mais ele no wii via nintendont do que qualquer outra coisa, tenho 30 jogos originais dele aqui e acho muito bacana colecionar por conta justamente da mídia pequena, mas a nintendo infelizmente sofreu com a aparência do aparelho, o espaço do disco e a herança maldita do n64, além do enorme sucesso do ps2 e seu apoio monstro.
Sobre comprar jogos nintendo e poucos thirds, eu comprava de tudo, tem muito jogo third bom pra ele, mas realmente a maioria comprava o console apenas pra jogar jogos nintendo.
Acho que você não entendeu o que o cara falou.
A maioria dos ports eram baseados na versão de PS2,e por isso muitos tinham cortes.
É simples.

GameCube é mais do que capaz de rodar todos esses jogos aí só com um mini DVD.

Metroid Prime 2 é um jogo gigante,tem áreas grandes (pra um GameCube),geometria complexa,texturas ótimas,uma série de efeitos (como a física na água ou as partículas nos tiros),um sistema de iluminação excelentem...tudo isso rodando a 60 FPS.

Super Mario Sunshine,jogo de início do console com mapas grandes,ótimo draw distance,água tem uma física excelente sendo totalmente volumétrica ,os modelos dos personagens e cenários são bons,etc.

Resident Evil 4 é bem melhor que a versão de PS2,tem excelentes texturas e uma iluminação foda,geometria também é complexa,e por aí vai.

Não tem desculpa de mini DVD nesse caso,porque o GameCube seria capaz de renderizar tudo isso (e mais ainda) sem precisar de arquivos grandes.



Enviado de meu Redmi 5 Plus usando o Tapatalk
 

Darkx1

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
11.989
Reações
25.878
Pontos
544
Foi o ultimo grande console da Nintendo.

Não acho o design dele feio, pra mim era lindo, e eu acho que fui uma das poucas pessoas que tinha a proeza de ter mais jogos de Third que da propria Nintendo. Bom, o console era obrigatório pros fãs de Resident Evil(a não ser que a pessoa ache que os spin offs que a Capcom lançava no PS2 supriam a falta da série).
Inclusive pra mim foi a melhor época da EA Games quando lançava games como 007 Everything Or Nothing ou Batman Begins. E tinha a Ubisoft também que mandava bem com os Splinter Cell, Prince Of Persia e outros.
Mas é como falaram, enquanto um game vendia 1 milhão de cópias no PS2, o GC suava pra sua versão chegar a 100 mil. Acho que o unico game que não teve isso foi o Soul Calibur 2(que vinha com um char Nintendo no jogo), e nem isso foi suficiente pra lançarem o Soul Calibur 3 no aparelho.
E a Nintendo tentou bastante, tanto que lembro que falavam que o Yamauchi havia tirado dinheiro do proprio bolso pra investir em algumas thirds.
 

Harold_Finch

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
21.113
Reações
23.837
Pontos
654
Acho que você não entendeu o que o cara falou.
A maioria dos ports eram baseados na versão de PS2,e por isso muitos tinham cortes.
É simples.

GameCube é mais do que capaz de rodar todos esses jogos aí só com um mini DVD.

Metroid Prime 2 é um jogo gigante,tem áreas grandes (pra um GameCube),geometria complexa,texturas ótimas,uma série de efeitos (como a física na água ou as partículas nos tiros),um sistema de iluminação excelentem...tudo isso rodando a 60 FPS.

Super Mario Sunshine,jogo de início do console com mapas grandes,ótimo draw distance,água tem uma física excelente sendo totalmente volumétrica ,os modelos dos personagens e cenários são bons,etc.

Resident Evil 4 é bem melhor que a versão de PS2,tem excelentes texturas e uma iluminação foda,geometria também é complexa,e por aí vai.

Não tem desculpa de mini DVD nesse caso,porque o GameCube seria capaz de renderizar tudo isso (e mais ainda) sem precisar de arquivos grandes.



Enviado de meu Redmi 5 Plus usando o Tapatalk
Exatamente.

Nos jogos do PS2, muitos efeitos gráficos eram feitos via software mesmo, usando o imenso fillrate da gpu. Era tudo "a mão" mesmo.
Já o Cube fazia já muita coisa via hardware nativamente. Então, ao portar o jogo, se o desenvolvedor não tiver o menor cuidado, o código do jogo tenta rodar mas acaba perdendo efeitos simplesmente porque a execução dele foi pensada de forma diferente.

Fazendo uma comparação grosseira, é tipo jogo com Gameworks rodando em hardware AMD.
 

Doctor Kafka

A Solitary Man
Mensagens
34.042
Reações
20.698
Pontos
1.064
Eu amo o design do GameCube, ele tem muita cara de videogame, não gosto dos consoles que não tem cara de console.
 

Grand Rapids

Bam-bam-bam
Mensagens
4.178
Reações
4.664
Pontos
303
Gamecube foi o último console decente da Nintendo. Infelizmente deu errado comercialmente, mas foi bom.
 

GFOLDSCHOOL

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
16.419
Reações
18.338
Pontos
553
Exatamente.

Nos jogos do PS2, muitos efeitos gráficos eram feitos via software mesmo, usando o imenso fillrate da gpu. Era tudo "a mão" mesmo.
Já o Cube fazia já muita coisa via hardware nativamente. Então, ao portar o jogo, se o desenvolvedor não tiver o menor cuidado, o código do jogo tenta rodar mas acaba perdendo efeitos simplesmente porque a execução dele foi pensada de forma diferente.

Fazendo uma comparação grosseira, é tipo jogo com Gameworks rodando em hardware AMD.
Exato,são modos diferentes de se trabalhar.

É como você falou,até alguns ports de XBOX perderam recursos ou ficaram abaixo do esperado,porque os jogos não eram bem portados.
Lembrando que o console era um monstro,quase um PC de mesa.
Doom 3,Elder Scrolls Morrowind,Far Cry,Half Life 2,Riddick...só jogo parrudo.

Enviado de meu Redmi 5 Plus usando o Tapatalk
 
Topo