O que há de Novo?
  • Novo tema VIP está disponível
    Visitante, um novo tema com fundo escuro agora está disponível para aqueles que contribuíram com doações ao fórum e têm o status VIP. Veja os detalhes aqui.


Humans of Grelo Duro.



xDoom

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
25.273
Reações
139.511
Pontos
589
A última piada é sobre uma entrevista em que a Lacração Marvel falou que não usa dublês, daí o cara que faz o thor falou que ela vai ser a próxima Tom Cruise, daí ela fica brava e fala que não, que ela vai ser ela mesma.

Realidade:
 


Darkx1

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
15.066
Reações
31.841
Pontos
544
Homem é baleado pela ex-companheira após invadir a casa dela armado com faca em Mococa
Ele foi socorrido para a Santa Casa; mulher prestou depoimento e foi liberada

Um homem levou um tiro da ex-companheira em Mococa (SP) após invadir a casa dela armado com uma faca no domingo (31). Ele foi socorrido e o quadro dele é estável.

O caso aconteceu no Jardim Botânico. Segundo a Polícia Militar, o casal estava separado há um mês. A mulher já havia registrado vários boletins de ocorrência por ameaça e tinha medida protetiva.

Por volta das 22h, o homem pulou o muro da casa e entrou pela janela, armado com uma faca. Mas ele foi surpreendido pela mulher que estava com uma espingarda e disparou contra ele. O tiro acertou o peito do homem, que foi socorrido para a Santa Casa. O hospital não informou o estado de saúde dele.

A mulher prestou depoimento e foi liberada. Segundo o delegado seccional Benedito Antônio Noronha Júnior, o delegado de plantão justificou a não instauração do inquérito, em razão de possível excludente de ilicitude (legítima defesa), que vai ser apurada no inquérito instaurado.

A espingarda foi apreendida e, pelo registro policial, a arma não tem registro, informou o delegado seccional.


Fonte
Tai uma noticia que eu queria ver mais vezes.
 

Bloodstained

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
19.055
Reações
81.755
Pontos
553
A última piada é sobre uma entrevista em que a Lacração Marvel falou que não usa dublês, daí o cara que faz o thor falou que ela vai ser a próxima Tom Cruise, daí ela fica brava e fala que não, que ela vai ser ela mesma.

Realidade:
Sem contar que a realidade é ainda mais desconcertante, já que a vadia mentiu sobre não ter utilizado dublês.

Para lacrar vale tudo, principalmente faltar com a verdade, né? :kclassic
 

Monogo

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
11.944
Reações
47.126
Pontos
579
Sem contar que a realidade é ainda mais desconcertante, já que a vadia mentiu sobre não ter utilizado dublês.

Para lacrar vale tudo, principalmente faltar com a verdade, né? :kclassic
Se a dublê tiver mais bunda que ela(que até eu devo ter mais) tá valendo.
 

edineilopes

Retrogamer
Mensagens
25.191
Reações
75.807
Pontos
654
Ultima Edição:

Damyen

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
34.501
Reações
69.770
Pontos
979
Empoderamento feminino:


"Olhe para o atraso! A televisão marroquina transmite um programa que fornece dicas às mulheres sobre como usar maquiagem para esconder os efeitos das surras, mas não há programa onde as mulheres aprendam a processar seus agressores ou se defenderem."

Edit:
70898

:kkk
 
Ultima Edição:

constatine

Bam-bam-bam
Mensagens
6.860
Reações
33.842
Pontos
344
Primeiro dia de ônibus exclusivo para mulheres tem reclamações no DF
Falta de veículos para transportar passageiros foi um dos principais motivos de insatisfação
70918
BRASÍLIA — O primeiro dia de funcionamento das linhas exclusivas de ônibus para mulheres em horários de pico, no Distrito Federal, foi marcado por reclamações — tanto de homens quanto de mulheres.

Criadas a partir de um projeto aprovado pela Câmara Distrital, as linhas exclusivas têm o objetivo de coibir casos de assédio sexual. Serão 26 horários ao todo, 14 com destino à Santa Maria e 12 com destino ao Gama, duas cidades satélites de Brasília.

A medida, que foi sancionada no dia 10 deste mês, começou a valer nesta segunda-feira, após ser regulamentada, e define que um terço da frota que faz a linha BRT Sul deve ser exclusivo para mulheres. O DF já conta com vagões exclusivos para mulheres no metrô.

Na fila da rodoviária esperando um ônibus, a usuária do BRT Sul Cenilda Silveira, de 64 anos, afirmou que não sabia que a mudança começava nesta segunda e que, independente da medida, faltam ônibus fazendo o trajeto.

A auxiliar de cozinha Elivânia Oliveira, de 32 anos, também precisou utilizar o BRT Sul nesta segunda, mas não pôde embarcar no coletivo exclusivo por estar acompanhada do marido. Apesar de celebrar a iniciativa e afirmar que vai usar o ônibus, ela acredita que falta transporte para todos.

— A ideia é boa, mas acho que para fazer isso tem que ter uma frota de ônibus maior. Não adianta de nada botar ônibus exclusivo para a mulher, e o restante do pessoal ficar uma hora, uma hora e meia esperando o próximo.

70919

Também acompanhada do marido, Ketuly Bernardi, de 39 anos, não conseguiu pegar o ônibus exclusivo. Apesar disso, também é a favor da medida.

— Eu que sou mulher acho bom. Porque pelo menos a gente é mais valorizada, e não tem essa questão de os homens ficarem assediando a gente no ônibus.

Medida é criticada pelos homens
Na fila do transporte nesta segunda, as críticas surgiam cada vez que os ônibus exclusivos paravam na plataforma.

— E ônibus exclusivo para homem? — um passageiro gritou em determinado momento.

Para Elias Félix, de 34 anos, que pega o transporte todos os dias, a medida é um "absurdo".

— Se não tem ônibus suficiente para abastecer o Gama, como é que eles vão fazer um negócio desse?

Ele acredita que a medida foi feita de forma errada e que alguns ônibus exclusivos vão transportar poucas pessoas, enquanto os outros ficarão ainda mais lotados.

Queiroz Soares, de 27 anos, e Luis Laurindo, de 53, também criticaram a medida e a falta de organização das filas — muitos usuários não sabiam da mudança, que foi anunciada no site do Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans) no começo da manhã.

— A iniciativa é boa, mas tem que aumentar a frota — disse Soares.
https://oglobo.globo.com/sociedade/celina/primeiro-dia-de-onibus-exclusivo-para-mulheres-tem-reclamacoes-no-df-23616318



"Não dá pra agradar as mulheres, Eva vivia no paraíso e não estava satisfeita." - Charlie Harper
 

Darth_Tyranus

Bam-bam-bam
Mensagens
2.964
Reações
18.051
Pontos
303
Primeiro dia de ônibus exclusivo para mulheres tem reclamações no DF
Falta de veículos para transportar passageiros foi um dos principais motivos de insatisfação
Visualizar anexo 70918
BRASÍLIA — O primeiro dia de funcionamento das linhas exclusivas de ônibus para mulheres em horários de pico, no Distrito Federal, foi marcado por reclamações — tanto de homens quanto de mulheres.

Criadas a partir de um projeto aprovado pela Câmara Distrital, as linhas exclusivas têm o objetivo de coibir casos de assédio sexual. Serão 26 horários ao todo, 14 com destino à Santa Maria e 12 com destino ao Gama, duas cidades satélites de Brasília.

A medida, que foi sancionada no dia 10 deste mês, começou a valer nesta segunda-feira, após ser regulamentada, e define que um terço da frota que faz a linha BRT Sul deve ser exclusivo para mulheres. O DF já conta com vagões exclusivos para mulheres no metrô.

Na fila da rodoviária esperando um ônibus, a usuária do BRT Sul Cenilda Silveira, de 64 anos, afirmou que não sabia que a mudança começava nesta segunda e que, independente da medida, faltam ônibus fazendo o trajeto.

A auxiliar de cozinha Elivânia Oliveira, de 32 anos, também precisou utilizar o BRT Sul nesta segunda, mas não pôde embarcar no coletivo exclusivo por estar acompanhada do marido. Apesar de celebrar a iniciativa e afirmar que vai usar o ônibus, ela acredita que falta transporte para todos.

— A ideia é boa, mas acho que para fazer isso tem que ter uma frota de ônibus maior. Não adianta de nada botar ônibus exclusivo para a mulher, e o restante do pessoal ficar uma hora, uma hora e meia esperando o próximo.

Visualizar anexo 70919

Também acompanhada do marido, Ketuly Bernardi, de 39 anos, não conseguiu pegar o ônibus exclusivo. Apesar disso, também é a favor da medida.

— Eu que sou mulher acho bom. Porque pelo menos a gente é mais valorizada, e não tem essa questão de os homens ficarem assediando a gente no ônibus.

Medida é criticada pelos homens
Na fila do transporte nesta segunda, as críticas surgiam cada vez que os ônibus exclusivos paravam na plataforma.

— E ônibus exclusivo para homem? — um passageiro gritou em determinado momento.

Para Elias Félix, de 34 anos, que pega o transporte todos os dias, a medida é um "absurdo".

— Se não tem ônibus suficiente para abastecer o Gama, como é que eles vão fazer um negócio desse?

Ele acredita que a medida foi feita de forma errada e que alguns ônibus exclusivos vão transportar poucas pessoas, enquanto os outros ficarão ainda mais lotados.

Queiroz Soares, de 27 anos, e Luis Laurindo, de 53, também criticaram a medida e a falta de organização das filas — muitos usuários não sabiam da mudança, que foi anunciada no site do Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans) no começo da manhã.

— A iniciativa é boa, mas tem que aumentar a frota — disse Soares.
https://oglobo.globo.com/sociedade/celina/primeiro-dia-de-onibus-exclusivo-para-mulheres-tem-reclamacoes-no-df-23616318



"Não dá pra agradar as mulheres, Eva vivia no paraíso e não estava satisfeita." - Charlie Harper
Na minha opinião alguns assentos deveriam ser separados para negros, além de garantir a reparação histórica, protegeria-os da potencialidade de sofrer atos de racismo.

 

da19x

Bam-bam-bam
Mensagens
1.955
Reações
4.545
Pontos
303
Primeiro dia de ônibus exclusivo para mulheres tem reclamações no DF
Falta de veículos para transportar passageiros foi um dos principais motivos de insatisfação
Visualizar anexo 70918
BRASÍLIA — O primeiro dia de funcionamento das linhas exclusivas de ônibus para mulheres em horários de pico, no Distrito Federal, foi marcado por reclamações — tanto de homens quanto de mulheres.

Criadas a partir de um projeto aprovado pela Câmara Distrital, as linhas exclusivas têm o objetivo de coibir casos de assédio sexual. Serão 26 horários ao todo, 14 com destino à Santa Maria e 12 com destino ao Gama, duas cidades satélites de Brasília.

A medida, que foi sancionada no dia 10 deste mês, começou a valer nesta segunda-feira, após ser regulamentada, e define que um terço da frota que faz a linha BRT Sul deve ser exclusivo para mulheres. O DF já conta com vagões exclusivos para mulheres no metrô.

Na fila da rodoviária esperando um ônibus, a usuária do BRT Sul Cenilda Silveira, de 64 anos, afirmou que não sabia que a mudança começava nesta segunda e que, independente da medida, faltam ônibus fazendo o trajeto.

A auxiliar de cozinha Elivânia Oliveira, de 32 anos, também precisou utilizar o BRT Sul nesta segunda, mas não pôde embarcar no coletivo exclusivo por estar acompanhada do marido. Apesar de celebrar a iniciativa e afirmar que vai usar o ônibus, ela acredita que falta transporte para todos.

— A ideia é boa, mas acho que para fazer isso tem que ter uma frota de ônibus maior. Não adianta de nada botar ônibus exclusivo para a mulher, e o restante do pessoal ficar uma hora, uma hora e meia esperando o próximo.

Visualizar anexo 70919

Também acompanhada do marido, Ketuly Bernardi, de 39 anos, não conseguiu pegar o ônibus exclusivo. Apesar disso, também é a favor da medida.

— Eu que sou mulher acho bom. Porque pelo menos a gente é mais valorizada, e não tem essa questão de os homens ficarem assediando a gente no ônibus.

Medida é criticada pelos homens
Na fila do transporte nesta segunda, as críticas surgiam cada vez que os ônibus exclusivos paravam na plataforma.

— E ônibus exclusivo para homem? — um passageiro gritou em determinado momento.

Para Elias Félix, de 34 anos, que pega o transporte todos os dias, a medida é um "absurdo".

— Se não tem ônibus suficiente para abastecer o Gama, como é que eles vão fazer um negócio desse?

Ele acredita que a medida foi feita de forma errada e que alguns ônibus exclusivos vão transportar poucas pessoas, enquanto os outros ficarão ainda mais lotados.

Queiroz Soares, de 27 anos, e Luis Laurindo, de 53, também criticaram a medida e a falta de organização das filas — muitos usuários não sabiam da mudança, que foi anunciada no site do Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans) no começo da manhã.

— A iniciativa é boa, mas tem que aumentar a frota — disse Soares.
https://oglobo.globo.com/sociedade/celina/primeiro-dia-de-onibus-exclusivo-para-mulheres-tem-reclamacoes-no-df-23616318



"Não dá pra agradar as mulheres, Eva vivia no paraíso e não estava satisfeita." - Charlie Harper
É como se o transporte público no DF conseguisse atender a demanda nos horários de pico com folga. Como é que um bando de engravatados que nunca pegou um ônibus na vida vota a favor de uma putaria dessas?

Enviado de meu Redmi 3S usando o Tapatalk
 

Bloodstained

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
19.055
Reações
81.755
Pontos
553
É como se o transporte público no DF conseguisse atender a demanda nos horários de pico com folga. Como é que um bando de engravatados que nunca pegou um ônibus na vida vota a favor de uma putaria dessas?

Enviado de meu Redmi 3S usando o Tapatalk
É justamente por nunca terem pego um ônibus na vida que votam a favor de uma putaria dessas. Estão pouco se fodendo para as consequências, até porque continuarão a não utilizar ônibus de qualquer maneira. :kclassic
 

Goris

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
18.168
Reações
62.593
Pontos
553
Não vi se postaram, mas vi circulando esta notícia:

Cafeteria feminista que cobrava 18% a mais aos homens fecha por falta de clientes



Vegan café that charged 18 per cent 'man tax' is set to close

https://www.standard.co.uk/news/world/handsome-her-vegan-cafe-melbourne-closing-a4124781.html

Visualizar anexo 70868

O local:
https://www.tripadvisor.es/Restaurant_Review-g947958-d12785840-Reviews-Handsome_Her-Brunswick_Moreland_Greater_Melbourne_Victoria.html


O textão na página oficial:
Cara, achei que só esse assunto já dava rios de discussão...

Ok, a gente sabe que Quem lacra, não lucra, mas achei que alguém se fingiria de surpreso.
 

Dr. Pregos

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
14.501
Reações
44.100
Pontos
553
Não vi se postaram, mas vi circulando esta notícia:

Cafeteria feminista que cobrava 18% a mais aos homens fecha por falta de clientes



Vegan café that charged 18 per cent 'man tax' is set to close

https://www.standard.co.uk/news/world/handsome-her-vegan-cafe-melbourne-closing-a4124781.html

Visualizar anexo 70868

O local:
https://www.tripadvisor.es/Restaurant_Review-g947958-d12785840-Reviews-Handsome_Her-Brunswick_Moreland_Greater_Melbourne_Victoria.html


O textão na página oficial:
Eu queria saber em que mundo esses chimpas pensariam que cobrando um preço maior dos homens iriam manter o negócio.

Enviado de pornland
 

Goris

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
18.168
Reações
62.593
Pontos
553
Eu queria saber em que mundo esses chimpas pensariam que cobrando um preço maior dos homens iriam manter o negócio.

Enviado de pornland
Bolha ideológica.

Na faculdade essa turma aprende sobre dívida histórica (tanto de gênero quanto de etnia quanto de classe social) e acham que todo mundo pensa igual eles.

Acaba que eles mesmos não pagariam mais caro por algo, mas acham que é um dever das outras pessoas fazer isso.

Aliás, é o tipo de pessoa que adora pedir pro governo cobrar mais impostos de homens porque os homens ganham mais e só não o fazem porque EUA não é Brasil - ainda.

Tem outro do mesmo naipe: Restaurante Marxista abre falência - Não consegui achar o tópico original onde falavam desse restaurante e que ele ia dar certo, talvez tenha tido esse tópico em outro fórum (Players ou HardMob) mas juro que tinha e as mesmas mentes brilhantes de sempre tavam lá falando que ia mostrar que dá certo.
 

tiagobronson

We've adopted Satan!
VIP
Mensagens
9.610
Reações
27.913
Pontos
459
Semenya perde processo na Corte Arbitral do Esporte e não poderá correr entre as mulheres

Corredora sul-africana, bicampeã olímpica, produz naturalmente testosterona em alta escala e Tribunal Arbitral do Esporte a proíbe de competir internacionalmente
01/05/2019 07h10 Atualizado há 13 minutos





71425
Semenya perde processo na Corte Arbitral do Esporte e não poderá correr entre as mulheres

Reuters



A Corte Arbitral do Esporte (TAS) definiu, nesta quarta-feira, que a bicampeã olímpica dos 800m rasos, a sul-africana Caster Semenya, não poderá competir mais internacionalmente. Por conta da alta produção natural de testosterona de seu corpo, a Federação Internacional de Atletismo (IAAF) a proibiu de correr em suas competições. Diante da posição irredutível da federação internacional, a sul-africana entrou com uma apelação no TAS em fevereiro para tentar derrubar a regulamentação, mas o resultado desta quarta-feira não foi positivo para ela.

A decisão foi anunciada após três juízes terem passado a maior parte do último mês debatendo sobre o complexo caso. Assim, se ela quiser seguir competindo nas provas de 800m, sua especialidade, terá que tomar remédios para reduzir sua testosterona. Na semana passada, venceu o campeonato sul-africano na distância dos 5.000m. Nesta categoria, ela não precisaria baixar suas taxas de testosterona para seguir competindo.


71424
Semenya Caster Zurique  — Foto: REUTERS Moritz Hager


Semenya Caster Zurique — Foto: REUTERS Moritz Hager

Semenya conquistou o título mundial dos 800m rasos em 2009, melhorando em quatro segundo seu melhor tempo. Em meio às comemorações pela participação, acabou submetida a um teste de gênero, no que seria um prenúncio de sua guerra particular com a IAAF. A federação chegou a barrá-la de competições internacionais por quase um ano até ela ser liberada novamente, em julho de 2010, embora os resultados do teste nunca tenham se tornado públicos. Todo o imbróglio causou revolta na África do Sul e na comunidade do atletismo, que criticaram duramente a condução do caso pela IAAF.

A corredora argumenta que o seu caso é diferente do que acontece com atletas transgêneros, já que nasceu e vive como mulher. A sul-africana acusa a IAAF de discriminação. Para Semenya, Sebastian Coe, presidente da federação internacional, abriu velhas feridas com seus comentários sobre o gênero da sul-africana.

Entenda o caso

Em abril de 2018, a IAAF impôs uma regra que determinava que atletas com "diferenças de desenvolvimento sexual", as chamadas DSD, deveriam reduzir a taxa de testosterona para poder participar de competições internacionais em provas de até 1.500m. Na argumentação da IAAF, taxas de testosterona influenciam sobretudo em corridas dessas distâncias, por aumentar a explosão muscular.

Embora sem explicitar, a norma se dirigia basicamente a Semenya, atleta conhecida na cena do atletismo tanto pela sua velocidade quanto por seus altos níveis do hormônio. Ela possui hiperandrogenismo, condição caracterizada pela produção excessiva de andrógenos como testosterona, o hormônio masculino.
---------------------------------------------------

Os caras proibem a mulher de competir pq produz muita testosterona, MAS A TRANS PODE IR LÁ E ARREGAÇAR TODOS OS RECORDES e ninguém dá um pio!!!!!

Kd as feministas apoiando a guerreira aí????
 

BESS4

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
13.438
Reações
58.639
Pontos
619
Semenya perde processo na Corte Arbitral do Esporte e não poderá correr entre as mulheres

Corredora sul-africana, bicampeã olímpica, produz naturalmente testosterona em alta escala e Tribunal Arbitral do Esporte a proíbe de competir internacionalmente
01/05/2019 07h10 Atualizado há 13 minutos





Visualizar anexo 71425
Semenya perde processo na Corte Arbitral do Esporte e não poderá correr entre as mulheres

Reuters



A Corte Arbitral do Esporte (TAS) definiu, nesta quarta-feira, que a bicampeã olímpica dos 800m rasos, a sul-africana Caster Semenya, não poderá competir mais internacionalmente. Por conta da alta produção natural de testosterona de seu corpo, a Federação Internacional de Atletismo (IAAF) a proibiu de correr em suas competições. Diante da posição irredutível da federação internacional, a sul-africana entrou com uma apelação no TAS em fevereiro para tentar derrubar a regulamentação, mas o resultado desta quarta-feira não foi positivo para ela.

A decisão foi anunciada após três juízes terem passado a maior parte do último mês debatendo sobre o complexo caso. Assim, se ela quiser seguir competindo nas provas de 800m, sua especialidade, terá que tomar remédios para reduzir sua testosterona. Na semana passada, venceu o campeonato sul-africano na distância dos 5.000m. Nesta categoria, ela não precisaria baixar suas taxas de testosterona para seguir competindo.


Visualizar anexo 71424
Semenya Caster Zurique  — Foto: REUTERS Moritz Hager


Semenya Caster Zurique — Foto: REUTERS Moritz Hager

Semenya conquistou o título mundial dos 800m rasos em 2009, melhorando em quatro segundo seu melhor tempo. Em meio às comemorações pela participação, acabou submetida a um teste de gênero, no que seria um prenúncio de sua guerra particular com a IAAF. A federação chegou a barrá-la de competições internacionais por quase um ano até ela ser liberada novamente, em julho de 2010, embora os resultados do teste nunca tenham se tornado públicos. Todo o imbróglio causou revolta na África do Sul e na comunidade do atletismo, que criticaram duramente a condução do caso pela IAAF.

A corredora argumenta que o seu caso é diferente do que acontece com atletas transgêneros, já que nasceu e vive como mulher. A sul-africana acusa a IAAF de discriminação. Para Semenya, Sebastian Coe, presidente da federação internacional, abriu velhas feridas com seus comentários sobre o gênero da sul-africana.

Entenda o caso

Em abril de 2018, a IAAF impôs uma regra que determinava que atletas com "diferenças de desenvolvimento sexual", as chamadas DSD, deveriam reduzir a taxa de testosterona para poder participar de competições internacionais em provas de até 1.500m. Na argumentação da IAAF, taxas de testosterona influenciam sobretudo em corridas dessas distâncias, por aumentar a explosão muscular.

Embora sem explicitar, a norma se dirigia basicamente a Semenya, atleta conhecida na cena do atletismo tanto pela sua velocidade quanto por seus altos níveis do hormônio. Ela possui hiperandrogenismo, condição caracterizada pela produção excessiva de andrógenos como testosterona, o hormônio masculino.
---------------------------------------------------

Os caras proibem a mulher de competir pq produz muita testosterona, MAS A TRANS PODE IR LÁ E ARREGAÇAR TODOS OS RECORDES e ninguém dá um pio!!!!!

Kd as feministas apoiando a guerreira aí????
c***lho!

É um absurdo atrás do outro!
 

constatine

Bam-bam-bam
Mensagens
6.860
Reações
33.842
Pontos
344
Semenya perde processo na Corte Arbitral do Esporte e não poderá correr entre as mulheres

Corredora sul-africana, bicampeã olímpica, produz naturalmente testosterona em alta escala e Tribunal Arbitral do Esporte a proíbe de competir internacionalmente
01/05/2019 07h10 Atualizado há 13 minutos





Visualizar anexo 71425
Semenya perde processo na Corte Arbitral do Esporte e não poderá correr entre as mulheres

Reuters



A Corte Arbitral do Esporte (TAS) definiu, nesta quarta-feira, que a bicampeã olímpica dos 800m rasos, a sul-africana Caster Semenya, não poderá competir mais internacionalmente. Por conta da alta produção natural de testosterona de seu corpo, a Federação Internacional de Atletismo (IAAF) a proibiu de correr em suas competições. Diante da posição irredutível da federação internacional, a sul-africana entrou com uma apelação no TAS em fevereiro para tentar derrubar a regulamentação, mas o resultado desta quarta-feira não foi positivo para ela.

A decisão foi anunciada após três juízes terem passado a maior parte do último mês debatendo sobre o complexo caso. Assim, se ela quiser seguir competindo nas provas de 800m, sua especialidade, terá que tomar remédios para reduzir sua testosterona. Na semana passada, venceu o campeonato sul-africano na distância dos 5.000m. Nesta categoria, ela não precisaria baixar suas taxas de testosterona para seguir competindo.


Visualizar anexo 71424
Semenya Caster Zurique  — Foto: REUTERS Moritz Hager


Semenya Caster Zurique — Foto: REUTERS Moritz Hager

Semenya conquistou o título mundial dos 800m rasos em 2009, melhorando em quatro segundo seu melhor tempo. Em meio às comemorações pela participação, acabou submetida a um teste de gênero, no que seria um prenúncio de sua guerra particular com a IAAF. A federação chegou a barrá-la de competições internacionais por quase um ano até ela ser liberada novamente, em julho de 2010, embora os resultados do teste nunca tenham se tornado públicos. Todo o imbróglio causou revolta na África do Sul e na comunidade do atletismo, que criticaram duramente a condução do caso pela IAAF.

A corredora argumenta que o seu caso é diferente do que acontece com atletas transgêneros, já que nasceu e vive como mulher. A sul-africana acusa a IAAF de discriminação. Para Semenya, Sebastian Coe, presidente da federação internacional, abriu velhas feridas com seus comentários sobre o gênero da sul-africana.

Entenda o caso

Em abril de 2018, a IAAF impôs uma regra que determinava que atletas com "diferenças de desenvolvimento sexual", as chamadas DSD, deveriam reduzir a taxa de testosterona para poder participar de competições internacionais em provas de até 1.500m. Na argumentação da IAAF, taxas de testosterona influenciam sobretudo em corridas dessas distâncias, por aumentar a explosão muscular.

Embora sem explicitar, a norma se dirigia basicamente a Semenya, atleta conhecida na cena do atletismo tanto pela sua velocidade quanto por seus altos níveis do hormônio. Ela possui hiperandrogenismo, condição caracterizada pela produção excessiva de andrógenos como testosterona, o hormônio masculino.
---------------------------------------------------

Os caras proibem a mulher de competir pq produz muita testosterona, MAS A TRANS PODE IR LÁ E ARREGAÇAR TODOS OS RECORDES e ninguém dá um pio!!!!!

Kd as feministas apoiando a guerreira aí????
Ai meu Deus do céu, esse mundo vai virar do avesso mesmo :kkk:kkk:kkk:kkk:kkk:kkk:kkk:kkk:kkk:kkk.
Merece um tópico a parte. Se você não quiser eu posto, porque essa noticia é digna de um tópico tamanho absurdo!
 

Drew Brees

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
10.534
Reações
19.488
Pontos
639
Semenya perde processo na Corte Arbitral do Esporte e não poderá correr entre as mulheres

Corredora sul-africana, bicampeã olímpica, produz naturalmente testosterona em alta escala e Tribunal Arbitral do Esporte a proíbe de competir internacionalmente
01/05/2019 07h10 Atualizado há 13 minutos





Visualizar anexo 71425
Semenya perde processo na Corte Arbitral do Esporte e não poderá correr entre as mulheres

Reuters



A Corte Arbitral do Esporte (TAS) definiu, nesta quarta-feira, que a bicampeã olímpica dos 800m rasos, a sul-africana Caster Semenya, não poderá competir mais internacionalmente. Por conta da alta produção natural de testosterona de seu corpo, a Federação Internacional de Atletismo (IAAF) a proibiu de correr em suas competições. Diante da posição irredutível da federação internacional, a sul-africana entrou com uma apelação no TAS em fevereiro para tentar derrubar a regulamentação, mas o resultado desta quarta-feira não foi positivo para ela.

A decisão foi anunciada após três juízes terem passado a maior parte do último mês debatendo sobre o complexo caso. Assim, se ela quiser seguir competindo nas provas de 800m, sua especialidade, terá que tomar remédios para reduzir sua testosterona. Na semana passada, venceu o campeonato sul-africano na distância dos 5.000m. Nesta categoria, ela não precisaria baixar suas taxas de testosterona para seguir competindo.


Visualizar anexo 71424
Semenya Caster Zurique  — Foto: REUTERS Moritz Hager


Semenya Caster Zurique — Foto: REUTERS Moritz Hager

Semenya conquistou o título mundial dos 800m rasos em 2009, melhorando em quatro segundo seu melhor tempo. Em meio às comemorações pela participação, acabou submetida a um teste de gênero, no que seria um prenúncio de sua guerra particular com a IAAF. A federação chegou a barrá-la de competições internacionais por quase um ano até ela ser liberada novamente, em julho de 2010, embora os resultados do teste nunca tenham se tornado públicos. Todo o imbróglio causou revolta na África do Sul e na comunidade do atletismo, que criticaram duramente a condução do caso pela IAAF.

A corredora argumenta que o seu caso é diferente do que acontece com atletas transgêneros, já que nasceu e vive como mulher. A sul-africana acusa a IAAF de discriminação. Para Semenya, Sebastian Coe, presidente da federação internacional, abriu velhas feridas com seus comentários sobre o gênero da sul-africana.

Entenda o caso

Em abril de 2018, a IAAF impôs uma regra que determinava que atletas com "diferenças de desenvolvimento sexual", as chamadas DSD, deveriam reduzir a taxa de testosterona para poder participar de competições internacionais em provas de até 1.500m. Na argumentação da IAAF, taxas de testosterona influenciam sobretudo em corridas dessas distâncias, por aumentar a explosão muscular.

Embora sem explicitar, a norma se dirigia basicamente a Semenya, atleta conhecida na cena do atletismo tanto pela sua velocidade quanto por seus altos níveis do hormônio. Ela possui hiperandrogenismo, condição caracterizada pela produção excessiva de andrógenos como testosterona, o hormônio masculino.
---------------------------------------------------

Os caras proibem a mulher de competir pq produz muita testosterona, MAS A TRANS PODE IR LÁ E ARREGAÇAR TODOS OS RECORDES e ninguém dá um pio!!!!!

Kd as feministas apoiando a guerreira aí????
Calma, dexa eu ver se entendi.

Eles permitem trans de correr mas impedem uma mulher por conta de uma condição especial?
 
Topo