O que há de Novo?
  • Novo tema VIP está disponível
    Visitante, um novo tema com fundo escuro agora está disponível para aqueles que contribuíram com doações ao fórum e têm o status VIP. Veja os detalhes aqui.


Humans of Religião da Paix | Decepticons atacam novamente



constatine

Bam-bam-bam
Mensagens
4.380
Reações
21.403
Pontos
294
Holanda: político muçulmano diz "os holandeses insatisfeitos com a 'nova Holanda' que se mudem"

O líder do Partido Muçulmano na Holanda, Tunahan Kuzu, afirmou que os holandeses que não gostam da 'diversidade' devem deixar o país. Tunahan Kuzu sabe que o islão está na Holanda para ficar. Ele sabe que os muçulmanos serão os mestres do país. E se os holandeses não gostarem disso, eles que se mudem.
Tunahan Kuzu, o líder político do partido DENK na Holanda, causou uma séria controvérsia com suas afirmações, informou a emissora holandesa NOS.
"Se holandeses não gostam de uma Holanda em mudança na qual pessoas com diferentes culturas vivem ... como na cidade de Zaandam ou no bairro de Poelenburg, que eles se mudem... Os holandeses que deixem o seu país se eles não gostam de diversidade."​
O Partido DENK de Kuzu é um partido controverso que está crescendo rapidamente nas áreas urbanas holandesas. Ele tem tido um bom desempenho nas áreas com alta população muçulmana, por exemplo, no oeste de Amsterdã (Amsterdam Nieuw-West).​
Nas últimas eleições nacionais holandesas, em março de 2017, o DENK ganhou três assentos com quase 200 mil votos. Um ano depois, nas eleições municipais, o partido foi de longe o mais votado Amsterdam Nieuw-West e varreu alguns dos tradicionais partidos de esquerda.​
Ah, que ironia: o partido islâmico tomando posse dos distritos que votavam na esquerda.
O DENK foi fundado em fevereiro de 2015 por dois antigos membros do partido trabalhista turco (PVDA): Tunahan Kuzu e Selçuk Öztürk….​
Durante a última reunião com seu ex-partido PVDA, Selçuk Öztürk até disse durante uma discursão: "Que Alá te castigue!"​
Alguns meios de comunicação holandeses dizem que o DENK tem um estilo pró-Erdogan. Por exemplo, DENK foi o único partido no parlamento holandês que se recusou a reconhecer o genocídio armênio.​

É apenas questão de tempo para que mais líderes muçulmanos na Europa comecem a dizer o mesmo no futuro.
Lembre-se que a Anatólia (Ásia Menor) que hoje compõe a maior parte da Turquia, era 100% grega e armênia. Aí, vieram os turcos muçulmanos e começaram um processo de islamização e decimação da população original: os gregos e armênios que não goatassem da "diversidade do islão" tinham que fugir ou eram mortos. Resultado: a população é hoje 99.99% muçulmana.

Voice of Europe, via Jihadwatch.


https://nos.nl/artikel/2240797-kuzu-denk-wekt-woede-met-rot-op-uitspraak.html
https://voiceofeurope.com/2018/07/muslim-party-leader-in-the-netherlands-tells-dutch-to-leave-their-country-if-they-dont-like-diversity/

Este resultado é fruto da politica de portas abertas e não só. A Holanda deu os mesmos direitos aos refugiados muçulmanos, direitos iguais aos dos holandeses nativos. E o que estes fizeram... Criaram um partido e todos os muçulmanos que viver na holanda votaram neste partido-pró-islã e atualmente tem acento no parlamento. Agora ditam grande parte das leis e estão á implementar a sharia no País... GRAÇAS AOS POLÍTICOS HOLANDESES TRAIDORES. O mesmo está acontecer em Portugal em que o BE, PAN, PCP e o PS deram os mesmos direitos aos refugiados.





Advogada de 30 anos violada e espancada por muçulmano que conheceu na Internet
Lara viveu momentos de terror quando viajou para se encontrar com aquele que achava ser o "homem dos seus sonhos".


Uma mulher australiana de 30 anos foi espancada e violada no Paquistão por um homem que conheceu através do Facebook, e com quem se decidiu encontrar, viajando até ao seu país.

Lara Hall, advogada de profissão, decidiu voar até Lahore em busca de Sajjad, aquele que considerava ser o "homem dos seus sonhos" e que lhe havia prometido uma vida de luxo.

No entanto, quando chegou ao destino, Lara deparou-se com uma casa imunda repleta de lixo, uma realidade longíqua das fotos que o paquistanês lhe tinha enviado de uma mansão luxuosa. A partir daí, Lara viu a sua vida transformar-se num inferno quando o muçulmano fez dela sua prisioneira.

A mulher começou a ser brutalmente espancada e violada, passando várias horas de fome. "O Sajjad violou-me várias vezes e o irmão dele tentou fazer o mesmo em várias ocasiões. Estava totalmente em cativeiro, não tinha condições de higiene e vivia esfomeada", revelou a mulher ao Daily Mail Australia.

O agressor tentou ainda que Lara casasse consigo à força, tentando converter a vítima ao islamismo, tentativas às quais esta sempre resistiu. Em desespero, Lara tentou contactar a embaixada australiana mas confessa ter ficado dececionada com a resposta que recebeu.

Os serviços de consulado informaram-na de que esta deveria chamar a polícia, no entanto, Lara temia o que lhe podia acontecer, uma vez que o seu visto de turismo já tinha caducado e temia ser presa.
https://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/advogada-de-30-anos-violada-e-espancada-por-muculmano-que-conheceu-na-internet






Ataque brutal à catedral durante a Missa dominical deixa mais de cem vítimas

Atentado na catedral das Filipinas – Foto: Cortesia Armed Forces of the Philippines - Western Mindanao Command

MANILA, 27 Jan. 19 / 10:00 am (ACI).- Duas bombas explodiram com poucos minutos de diferença durante a celebração da Missa na Catedral de Jolo, região sul das Filipinas, deixando ao menos 20 mortos e 111 feridos.

Segundo relatos de Associetad Press (AP), algumas testemunhas dizem que a primeira explosão ocorreu dentro da catedral, o que levou os fiéis a debandarem em direção à porta principal.

A segunda bomba explodiu um minuto depois e deixou números mortos e feridos. De acordo com fontes policiais, o segundo explosivo parece ter sido colocado em uma motocicleta estacionada perto da catedral.

Segundo testemunhas, a primeira explosão destruiu alguns bancos de madeira e vidros, enquanto o impacto da segunda bomba causou inúmeras mortes e danos materiais que se espalharam pela praça em frente à Catedral de Nossa Senhora do Monte Carmelo.

Até o momento, nenhum grupo reivindicou a autoria do atentado, que aconteceu quase uma semana depois que uma minoria muçulmana nas Filipinas, onde a maior parte da população é católica, respaldou a criação de uma nova região autônoma no sul do país para terminar com quase 50 anos de uma rebelião separatista.

Embora a maioria das regiões muçulmanas tenham aprovado o acordo de autonomia, a província de Sulu, onde está Jolo, rejeitou.
https://www.acidigital.com/noticias/ataque-brutal-a-catedral-durante-a-missa-dominical-deixa-mais-de-cem-vitimas-15608






Irã continua enforcando homossexuais em praça pública


No dia 10 de janeiro, um homem de 31 anos foi enforcado publicamente na cidade iraniana de Kazerun porque ele era homossexual.
As informações são da agência estatal de notícias “ISNA” e reproduzidas pelo jornal alemão “Bild“.

O homem foi condenado à morte por praticar relações sexuais com outros homens. A legislação do regime islâmico do Irã prevê severa punição, incluindo a pena capital para a homossexualidade.

A agência estatal de notícias iraniana disse que o executado supostamente estuprou duas crianças de 15 anos de idade.

No entanto, o judiciário iraniano não conhece o significado de transparência. Na maioria das vezes, as decisões dos tribunais são geralmente incompreensíveis.

“O regime sempre alega nesses casos que o ato sexual era um estupro”, diz a ativista de direitos humanos Mina Ahadi ao “Bild“.

Segundo estimativas, sob acusação de homossexualismo, o regime em Teerã executou entre 4.000 e 6.000 pessoas desde a Revolução Islâmica de 1979. O país do Oriente Médio é um dos países mais perigosos para os homossexuais em todo o mundo.
https://renovamidia.com.br/ira-continua-enforcando-homossexuais-em-praca-publica/






Mães muçulmanas protestam fora da escola por "promover a homossexualidade" aos seus filhos
Mas Parkfield Community School em Saltley defende programa que desafia a homofobia nas escolas primárias

Um grupo de mães revoltadas lançou um protesto e uma petição contra a escola por introduzir um currículo de apoio à homossexualidade.

Andrew Moffat MBE, diretor adjunto da Parkfield Community School em Saltley, tem sido criticado pelos pais por pilotar o No Outsiders - um programa que acompanha as lições sobre educação sexual e relacionamento (SRE).

Seu ethos promove a igualdade LGBT e desafia a homofobia nas escolas primárias.

Os livros que agora estão sendo lidos pelos alunos da Parkfield Community School incluem Mommy, Mama and Me e King & King - histórias sobre relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo e casamentos.

Mas Moffat e o programa No Outsiders foram criticados por alguns pais muçulmanos que condenam esses ensinamentos, já que a homossexualidade é estritamente proibida no Islã.

Moffat, que é abertamente gay, e a escola defenderam o programa, que, segundo eles, foi totalmente explicado aos pais. Eles acrescentaram: "Nenhum Estrangeiro nos permite aumentar a conscientização sobre essas diferenças para que as crianças sejam capazes de tolerar e aceitar as diferenças em nossa sociedade".


Mas a mãe indignada Fatima Shah, que tirou sua filha de 10 anos da escola, disse ao BirminghamLive : "É inapropriado, totalmente errado.

"As crianças estão sendo informadas de que tudo bem ser gay, mas 98% das crianças dessa escola são muçulmanas. É uma comunidade muçulmana.
Continua nos link abaixo

https://www.mirror.co.uk/news/uk-news/muslim-mum-protests-outside-school-13909373
https://www.birminghammail.co.uk/news/midlands-news/muslim-mums-protest-outside-school-15729135

Quero ver agora a galera da lacração chamar essas mães de homofóbicas, de que o islã é homofóbico. Galera hipócrita do caralho!






Maldivas - Faculdade vandalizada após protesto contra presidente acusado de insultar o Islão.
O vandalismo e uma manifestação feita por estudantes da faculdade pedindo prisão e morte do presidente veio em meio a crescentes apelos para punir aqueles que zombam ou insultam o Islão nas redes sociais. (reportagem de 22/01/19)

Ibrahim Ismail 'Ibra', ex-presidente do Partido Democrático das Maldivas e presidente do comitê que redigiu a constituição de 2008, causou polémica durante um debate no Twitter sobre a ausência de um verso no Alcorão que prescreve o apedrejamento como punição por adultério.

Ibra desafiou as alegações de que tal verso havia sido revelado, mas foi perdido depois que foi escrito em uma folha e mantido debaixo da cama da esposa do profeta Aisha.

A crença de que mais tarde foi revelada pelo Califa Omar implica “que o Profeta não era digno de confiança. Que algumas revelações de Alá foram mantidas sob a cama de Aisha e não reveladas.

O tweet de Ibra foi publicado pelo tablóide Vaguthu como Ibra "excedendo todos os limites" chamando o Profeta de desonesto. O site de notícias Miadhu e o canal de TV da oposição Channel 13 o acusaram de zombar do profeta Maomé.

Na noite de domingo, Ibra foi convocado para a sede da polícia em meio a uma crescente reação pública contra o seu tweet. A convocação veio depois que o ministério islâmico desaconselhou os debates "enganosos" sobre a lei da Sharia.

O ministério tem recebido recentemente queixas sobre o insulto e zombaria da religião, bem como a disseminação de informações imprecisas sobre o Islão na mídia social, em sites e espaços públicos, disse em um comunicado, observando que a Constituição proíbe o discurso contrário. aos princípios do Islão.

Informações religiosas poderiam ser esclarecidas através do ministério, aconselhou.

O ministério também estava trabalhando com as autoridades para identificar aqueles que zombam e insultam o Islão, bem como aqueles que “encorajam aspereza e violência em nome da religião, enquanto permanecem escondidos e ameaçam danificar a vida e a propriedade fora dos limites legais”....Os protestos contra Ibra acontecem em meio a crescentes pedidos para punir duramente os maldivos que zombam do Islão.

O ex-vice-presidente Dr. Mohamed Jameel Ahmed propôs a introdução de uma lei de blasfémia para prescrever prisão perpétua para aqueles que zombam do Profeta....

....O ex-ministro do Interior, Umar Naseer, alertou o novo governo a impedir que as pessoas insultem o Islão se o presidente Ibrahim Mohamed Solih quiser completar um mandato de cinco anos.

No início deste mês, a polícia iniciou uma investigação sobre o discurso de ódio e ameaças de morte depois que um canal público de bate-papo começou a identificar indivíduos como apóstatas.

Pelo menos três pessoas, incluindo um clérigo local e jornalista de rádio, foram questionadas até agora.

Debates e discussões acaloradas se espalharam no Twitter e no Facebook no início deste mês, depois que um tribunal da ilha condenou uma mulher à morte por apedrejamento.

Ativistas de direitos humanos que condenaram o veredicto foram acusados de blasfémia e um canal público chamado 'Apóstata Watch MV' começou a marcar os indivíduos como apóstatas.

Em abril de 2017, o blogueiro liberal Yameen Rasheed foi morto por um grupo radical de jovens que acreditavam que ele era culpado de blasfémia e insulto ao Islão, segundo a polícia.

Na esteira do assassinato brutal, vários xeques rotularam Yameen como alguém que “ridicularizou o Islão” e procurou justificar sua morte .

Ameaças de morte foram feitas abertamente contra defensores dos direitos humanos e ativistas da sociedade civil, incluindo o chefe das ONGs de direitos humanos Shahindha Ismail , que foi investigado por tweets "anti-islâmicos".
https://maldivesindependent.com/politics/college-vandalised-after-protest-against-chairman-accused-of-insulting-islam






Canadá: Centro Islâmico incita Cidade de Toronto a criar espaços de oração nas estações de metrô.

O Centro Islâmico Abu Ubaydah em Toronto iniciou uma petição pedindo às autoridades que criem espaços de oração nas estações de metrô da Comissão de Trânsito de Toronto (TTC).
Considerando que tanto o prefeito como a maioria dos membros da câmara municipal são da linha "muçulmanos pobrezinhos tão oprimidos", é bem possível que eles desviem recursos da cidade para satisfazer os islâmicos.
http://news.acdemocracy.org/islamic-centre-urges-city-of-toronto-to-create-prayers-spaces-in-subway-stations/


Também pediram uma no primeiro andar na torre Eiffel.

:lolwtf:lolwtf:lolwtf:lolwtf:lolwtf:lolwtf:lolwtf:lolwtf:lolwtf:lolwtf:lolwtf







Canadá: operação de guerra para prender dois jihadistas

Foram seis meses de vigilância, usando-se até um avião, para a polícia montada prender dois jihadistas, ambos refugiados recém-chegados ao Canadá dentro do programa do governo Trudeau para trazer sírios para o país. Um deles é Hussam Eddin Alzahabi, 20 anos. Agências de segurança dos EUA também participaram da investigação
https://www.cbc.ca/news/politics/rcmp-arrests-security-kingston-1.4992518?fbclid





Mulheres sauditas pisam no véu islâmico hijab na web (FOTOS)
https://br.sputniknews.com/oriente_medio_africa/2018122913013590-mulheres-sauditas-pisam-veu-islamico-hijab-fotos/





Não mande garotas para a escola, isso as torna desobedientes!

Chefe Hefajat diz aos pais no sermão


O chefe do islamismo de Hefajat-e, Shah Ahmed Shafi, prometeu ontem aos pais que não enviarão suas filhas para a escola.

Dirigindo-se a um comício que contou com a participação de milhares de pessoas, o líder islâmico disse que as meninas não deveriam receber educação além dos graus IV ou V porque a educação as tornaria desobedientes.

“Não mande suas filhas para a escola, faculdade. No máximo, você pode permitir que eles estudem até a classe IV ou V, para que possam manter as contas de seus maridos e escrever cartas para eles ”, disse ele, durante seu sermão de uma hora e meia.

Ele foi o principal convidado do evento, uma reunião anual em Darul-Ulum Moinul Islam Madrasa em Hathazari upazila de Chattogram.

“Levante suas mãos e prometa que não permitirá que eles estudem mais”, ele disse, acrescentando que as meninas não “pertenceriam” a seus pais se tivessem permissão para estudar. "Homens vão brigar por eles."


As pessoas na multidão levantaram as mãos e prometeram obedecer suas instruções.

O líder do Hefajat, de 99 anos, não é um estranho a fazer comentários vulgares sobre as mulheres e já disse coisas semelhantes antes, recebendo críticas de ativistas de direitos e até do primeiro-ministro.

Em um videoclipe viral em 2013, o presidente do Qawmi Madrasa Education Board foi visto fazendo comentários sugestivos ao comparar as mulheres com o tamarindo, uma fruta que, segundo ele, faria qualquer homem salivar.

As mulheres devem cuidar dos móveis, criar os filhos e ficar dentro dos limites de suas casas, disse ele na época.

O primeiro-ministro Sheikh Hasina foi rápido para explodir Shafi, dizendo: "Estou totalmente confuso como um líder religioso poderia proferir tais palavras indecentes ..."

Apesar disso, o primeiro-ministro dividiu um palco com ele em uma manifestação na capital em novembro do ano passado. O evento foi organizado para aplaudir a aprovação de um projeto de lei que reconhece o grau de Dawra-e-Hadith como equivalente de mestrado em estudos islâmicos e árabe.

No comício, Hasina foi apelidada de "Mãe Qawmi" por líderes islâmicos, que também exigiram que o chefe do Hefajat, Shafi, recebesse o Swadhinata Padak.

Em 2017, grandes mudanças nos livros escolares foram trazidas de acordo com as recomendações do Hefajat.
https://www.thedailystar.net/backpage/news/dont-send-girls-school-college-1686427






Causa da morte de irmãs sauditas afogadas em Nova York foi suicídio


23/01/19 - 08h53 - Atualizado em 23/01/19 - 15h52


Duas irmãs sauditas, que tiveram seus corpos achados em outubro em um rio em Nova York, cometeram suicídio – concluíram as autoridades forenses da cidade, pondo fim a especulações sobre as causas da morte.
Rotana Farea, de 22 anos, e sua irmã Tala, de 16, foram achadas em 24 de outubro em uma das margens do rio Hudson, na altura de Manhattan, sem sinais visíveis de agressão, usando o traje muçulmano completo e casaco de pele.
Estavam unidas uma à outra pelos tornozelos e pela cintura com uma fita isolante.

Barbara Sampson, do Instituto Médico Legal de Nova York, afirmou na terça-feira que, segundo os exames, “as duas jovens se amarraram uma à outra antes de se jogarem no rio Hudson”.
A causa da morte foi, de acordo com os legistas, um ato de suicídio.
Uma fonte policial confirmou que as irmãs haviam solicitado asilo nos Estados Unidos, mas não deu detalhes sobre o caso.
Segundo rumores, a embaixada da Arábia Saudita havia ameaçado as duas, inclusive sua família, por terem pedido asilo. As meninas estariam aterrorizadas.

Fatimah Baeshen, porta-voz da embaixada saudita em Washington, descartou esta versão, classificando-a de “totalmente falsa”.
As irmãs fugiram várias vezes da casa de sua família, no estado da Virgínia e, em agosto, foram para Nova York. Lá, hospedaram-se em vários hotéis de luxo e fizeram várias compras, ultrapassando o limite de seu cartão de crédito.
Segundo a imprensa americana, as duas preferiam cometer suicídio a voltar para seu país de origem.

A Arábia Saudita é um dos países mais rígidos e restritos para as mulheres.
No início do mês, a adolescente Rahaf Mohamed fugiu do reino alegando abusos físicos e psicológicos por parte de sua família e encontrou asilo no Canadá.
https://istoe.com.br/causa-da-morte-de-irmas-sauditas-afogadas-em-nova-york-foi-suicidio






Organizadores cancelam rally feminino de bike em Peshawar em meio a ameaças.

Os organizadores do primeiro rally feminino de bike de Peshawar cancelaram o evento na sexta-feira, em meio a ameaças feitas por partidos religiosos contra o que eles chamaram de evento para "espalhar a obscenidade", segundo relatos.

Segundo relatos, o líder do partido religioso Jamiat Ulema-e-Islam-Fazl (JUI-F) Maulana Rafiullah Qasmi, em uma reunião na quinta-feira, anunciou que todos os departamentos relevantes seriam contatados para o cancelamento do evento e se o evento não fosse cancelado, eles realizariam uma manifestação de protesto contra ele. Em meio às ameaças dos partidos religiosos, os organizadores decidiram cancelar o evento.
https://www.pakistantoday.com.pk/2019/01/18/organisers-cancel-womens-bicycle-rally-in-peshawar-amidst-threats/






Olha como islã é paz, não havia paz nessa aldeia, estavam totalmente mergulhados na ignorância. ALLAHU AKBAR. :lolwtf:lolwtf:lolwtf:lolwtf
 
Ultima Edição:

constatine

Bam-bam-bam
Mensagens
4.380
Reações
21.403
Pontos
294
Mais de 100 cristãos são presos em uma semana no Irã
Desde novembro, cerca de 142 prisões foram efetuadas pelo Ministério da Inteligência do Irã. Muitos líderes continuam presos.

O governo do Irã está prendendo os cristãos do país pela pregação do Evangelho. (Foto: Walid Shoebat)

O Ministério da Inteligência do Irã decretou a prisão de 114 cristãos na última semana, além de outras 28 prisões em novembro. A onda de detenções faz parte da tentativa do governo de “alertar” os cristãos sobre a proibição de compartilhar sua fé durante o Natal.

As 142 prisões foram anunciadas em 1 de dezembro pela agência de notícias iraniana Mehr News Agency, que atua como porta-voz do governo.

A maioria dos detidos foi liberada depois de algumas horas e até mesmo dias, em alguns casos. Os suspeitos de serem líderes dos grupos permanecem detidos. Todos foram forçados a entregar seus celulares e orientados a aguardar uma ligação do Ministério da Inteligência do Irã.

Mansour Borji, diretor da organização Article 18, relatou que os cristãos foram convidados a escrever detalhes de suas atividades cristãs e receberam a instrução de não ter mais contato com quaisquer outros cristãos. Fontes anônimas disseram que vários detidos seriam acusados de propaganda contra o regime islâmico.

Mike Ansari, da organização Heart4Iran, também disse à International Christian Concern que a maioria dos detidos foi coagida a divulgar informações sobre suas atividades domésticas e seus amigos, sob ameaça de processo criminal ou prisão de familiares.

Crescimento do cristianismo no Irã

As prisões são respostas ao crescimento exponencial do cristianismo no país de maioria muçulmana, segundo Hormoz Shariat, presidente e fundador do ministério Iran Alive.

“Enquanto o cristianismo cresce rapidamente no Irã, o governo islâmico e o clero no poder estão alarmados. Sua única estratégia para desacelerar este crescimento é através de uma campanha de medo, violência e intimidação”, observou. “A perseguição no Irã pode aumentar à medida que o governo islâmico se sentir ameaçado pela disseminação do cristianismo entre os muçulmanos”.

Em comparação com cerca de 500 cristãos declarados em 1979, existem hoje cerca de 500 mil, podendo chegar até 1 milhão de crentes secretos. De acordo com o Ministério Elam, mais iranianos se tornaram cristãos nos últimos 20 anos do que nos 13 séculos anteriores, desde que o Islã chegou no país.

Em 2016, a organização Operation World nomeou o Irã como a igreja evangélica que mais cresce no mundo. A segunda igreja que mais cresce está no Afeganistão, que tem sido alcançada, em parte, pelos iranianos devido à semelhança dos idiomas.
https://guiame.com.br/gospel/missoes-acao-social/mais-de-100-cristaos-sao-presos-em-uma-semana-no-ira.html
https://www.opendoorsusa.org/christian-persecution/stories/114-christians-arrested-in-one-week-in-iran/





Temendo radicais islâmicos, jornalista gay da Inglaterra busca asilo nos EUA

Em uma espécie de carta aberta aos seus leitores, Milo Yiannopoulos fala sobre sua insegurança por conta da situação atual da Inglaterra e da preocupação com os resultados da imigração em massa.
https://renovamidia.com.br/temendo-radicais-islamicos-jornalista-gay-da-inglaterra-busca-asilo-nos-eua/






Clérigo islâmico no Irão adverte uma mulher que não está usando um hijab.
Ela grita com ele... "Você arruinou meu país e se atreve a me dizer como se vestir? !!"
Outros passageiros a aplaudem.
Agora! Isso que é uma verdadeira feminista.






Protestos na Coreia do Sul contra os refugiados muçulmanos: Nós não queremos nos tornar como a Europa
https://www.koreatimes.co.kr/www/nation/2018/07/356_251512.html
https://voiceofeurope.com/2018/07/protests-in-south-korea-against-muslim-refugees-we-dont-want-to-become-like-europe/
 

Mokvwap

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
10.466
Reações
43.292
Pontos
553
Mais de 100 cristãos são presos em uma semana no Irã
Desde novembro, cerca de 142 prisões foram efetuadas pelo Ministério da Inteligência do Irã. Muitos líderes continuam presos.

O governo do Irã está prendendo os cristãos do país pela pregação do Evangelho. (Foto: Walid Shoebat)

O Ministério da Inteligência do Irã decretou a prisão de 114 cristãos na última semana, além de outras 28 prisões em novembro. A onda de detenções faz parte da tentativa do governo de “alertar” os cristãos sobre a proibição de compartilhar sua fé durante o Natal.

As 142 prisões foram anunciadas em 1 de dezembro pela agência de notícias iraniana Mehr News Agency, que atua como porta-voz do governo.

A maioria dos detidos foi liberada depois de algumas horas e até mesmo dias, em alguns casos. Os suspeitos de serem líderes dos grupos permanecem detidos. Todos foram forçados a entregar seus celulares e orientados a aguardar uma ligação do Ministério da Inteligência do Irã.

Mansour Borji, diretor da organização Article 18, relatou que os cristãos foram convidados a escrever detalhes de suas atividades cristãs e receberam a instrução de não ter mais contato com quaisquer outros cristãos. Fontes anônimas disseram que vários detidos seriam acusados de propaganda contra o regime islâmico.

Mike Ansari, da organização Heart4Iran, também disse à International Christian Concern que a maioria dos detidos foi coagida a divulgar informações sobre suas atividades domésticas e seus amigos, sob ameaça de processo criminal ou prisão de familiares.

Crescimento do cristianismo no Irã

As prisões são respostas ao crescimento exponencial do cristianismo no país de maioria muçulmana, segundo Hormoz Shariat, presidente e fundador do ministério Iran Alive.

“Enquanto o cristianismo cresce rapidamente no Irã, o governo islâmico e o clero no poder estão alarmados. Sua única estratégia para desacelerar este crescimento é através de uma campanha de medo, violência e intimidação”, observou. “A perseguição no Irã pode aumentar à medida que o governo islâmico se sentir ameaçado pela disseminação do cristianismo entre os muçulmanos”.

Em comparação com cerca de 500 cristãos declarados em 1979, existem hoje cerca de 500 mil, podendo chegar até 1 milhão de crentes secretos. De acordo com o Ministério Elam, mais iranianos se tornaram cristãos nos últimos 20 anos do que nos 13 séculos anteriores, desde que o Islã chegou no país.

Em 2016, a organização Operation World nomeou o Irã como a igreja evangélica que mais cresce no mundo. A segunda igreja que mais cresce está no Afeganistão, que tem sido alcançada, em parte, pelos iranianos devido à semelhança dos idiomas.
https://guiame.com.br/gospel/missoes-acao-social/mais-de-100-cristaos-sao-presos-em-uma-semana-no-ira.html
https://www.opendoorsusa.org/christian-persecution/stories/114-christians-arrested-in-one-week-in-iran/





Temendo radicais islâmicos, jornalista gay da Inglaterra busca asilo nos EUA

Em uma espécie de carta aberta aos seus leitores, Milo Yiannopoulos fala sobre sua insegurança por conta da situação atual da Inglaterra e da preocupação com os resultados da imigração em massa.
https://renovamidia.com.br/temendo-radicais-islamicos-jornalista-gay-da-inglaterra-busca-asilo-nos-eua/






Clérigo islâmico no Irão adverte uma mulher que não está usando um hijab.
Ela grita com ele... "Você arruinou meu país e se atreve a me dizer como se vestir? !!"
Outros passageiros a aplaudem.
Agora! Isso que é uma verdadeira feminista.






Protestos na Coreia do Sul contra os refugiados muçulmanos: Nós não queremos nos tornar como a Europa
https://www.koreatimes.co.kr/www/nation/2018/07/356_251512.html
https://voiceofeurope.com/2018/07/protests-in-south-korea-against-muslim-refugees-we-dont-want-to-become-like-europe/
 


constatine

Bam-bam-bam
Mensagens
4.380
Reações
21.403
Pontos
294
A deputada muçulmana Ilhan Omar pediu um juiz para leniência para 9 homens acusados de tentar ingressar no ISIS.

Sim, você está lendo a manchete corretamente, um recém-eleito membro da Câmara dos Estados Unidos do Minnesota defendeu sentenças leves para 9 homens que tentaram ingressar no ISIS.

De acordo com a Fox News , o primeiro-ministro do Congresso, a deputada Ilhan Omar , pediu a um juiz que demonstrasse clemência a um grupo de homens de Minnesota acusados de tentar se juntar ao grupo terrorista do Estado Islâmico.

"O melhor impedimento para o fanatismo é um sistema de compaixão", escreveu ela na época. “Devemos alterar nossa atitude e abordagem; se realmente quisermos promover a mudança, devemos redireccionar nossos esforços para a inclusão e reabilitação."

Os nove homens de Minnesota estavam enfrentando décadas na prisão depois de serem acusados em 2015 de fazer planos, incluindo a compra de passaportes falsos, em um esforço para viajar para a Síria e lutar pelo ISIS, que estava em seu nível máximo de atividade e território na Síria e no Iraque .

Omar, que na época era um representante do estado de Minnesota, fazia parte de um grupo que enviou cartas ao juiz Michael Davis pedindo que ele desse sentenças mais curtas, argumentando que punições mais duras levariam apenas a mais pessoas se unindo ao grupo terrorista.

“Encarcerar homens de 20 anos por 30 ou 40 anos é essencialmente uma sentença de prisão perpétua. A sociedade não terá expectativas quanto aos futuros prisioneiros libertados de 50 ou 60 anos; ele os verá com desconfiança e repulsa ”, dizia a carta de Omar ao juiz, obtida pela FOX 9 de Minneapolis-St. Paulo.
https://starpolitical.com/rep-ilhan-omar-asked-a-judge-for-leniency-for-9-men-accused-of-trying-to-join-isis/




Somália: médico muçulmano do Canadá se junta ao Estado Islâmico e conclama os muçulmanos a “seguirem o caminho da jihad”

É um dado adquirido entre os principais analistas de contraterrorismo que a pobreza causa o terrorismo, mas há um fluxo constante de pessoas ricas que se juntam à jihad. E o Dr. Youssef Al Majeerteyn parece ter, de alguma forma, imaginado que a jihad envolve violência contra os incrédulos. Onde ele aprendeu isso? Sua mesquita no Canadá está sendo investigada? Ou essas preocupações estão sendo rejeitadas com a alegação de que ele estava "radicalizado na Internet"?

Um vídeo divulgado na quarta-feira (23-01-19) pela afiliada ISIS na Somália mostrou um homem que disse ser um médico do Canadá pedindo que os partidários "entrem no caminho da jihad".

O vídeo de propaganda de 15 minutos apresentou-o como Dr. Youssef Al Majeerteyn e disse que ele havia "morrido com bravura". Um homem então falou com a câmara em inglês com sotaque canadense.

Usando um estetoscópio e sentado em frente a um rifle e uma bandeira do ISIS, ele encorajou “irmãos e irmãs” a se juntarem ao grupo terrorista, que tem uma pequena presença na Somália.

“O que você dirá a Alá no dia do julgamento quando lhe perguntarem o que você fez pela ummah [comunidade] enquanto seus companheiros muçulmanos estão sendo bombardeados pelos kuffar [descrentes] e murtadeen [apóstatas] dia e noite?” Ele disse.

“Siga o caminho da jihad e reserve os lugares mais altos em jannah [paraíso].”

O vídeo não disse como ele morreu, mas os militares dos Estados Unidos vêm realizando ataques aéreos na Somália contra ISIS e Al Shabab , que assumiram a responsabilidade pelo ataque da semana passada em Nairóbi.

O pesquisador canadense do terrorismo, Amarnath Amarasingam, disse que o vídeo foi um dos primeiros a reconhecer que os combatentes estrangeiros ocidentais estavam ativos na chamada província do ISIS na Somália.

O Relatório Público de 2018 do governo sobre a Ameaça Terrorista ao Canadá , divulgado no mês passado, disse que os extremistas "inspirados pela violenta ideologia sunita islâmica" continuaram sendo a principal ameaça terrorista do Canadá.

O relatório disse que cerca de 190 "viajantes extremistas" estavam no exterior - cerca de metade deles na Síria, no Iraque e na Turquia, enquanto outros 60 retornaram ao Canadá.
https://globalnews.ca/news/4879291/isis-video-doctor-jihad/
https://www.jihadwatch.org/2019/01/somalia-muslim-doctor-from-canada-joins-the-islamic-state-urges-muslims-to-get-on-the-path-of-jihad






Curso em Istambul aconselha mulheres a não tomar sorvete em público

Criadora de atividade diz que ensina mulheres a se comportar e critica 'falta de elegância'. Iniciativa gerou debate sobre a pressão exercida em espaços públicos.


A câmara municipal de Bagcilar, um distrito do lado europeu de Istambul, causou polêmica na Turquia por oferecer cursos de "gestos" nos quais, entre outros, aconselha as mulheres não tomar sorvete em público.

A iniciativa gerou um grande debate nas redes sociais sobre a pressão exercida sobre as mulheres no espaço público.
"Falamos (no curso) de como nossas mulheres devem se comportar de maneira correta", comenta ao jornal "Milliyet" a criadora da atividade, Arzu Arda.
Arzu critica o que considera uma falta de elegância do comportamento das mulheres nas ruas: "Nem sequer sabem entrar e sair do transporte público", queixa-se.
O curso, de duas semanas de duração, identifica como "atitudes indecorosas" para mulheres mascar chiclete e falar por telefone sobre coisas íntimas em público. Além disso, desaconselha a usar maquiagem forte e publicar imagens bebendo nas redes sociais.

Em uma tentativa de orientá-las sobre como se relacionar com homens desconhecidos, a recomendação é que não lhes perguntem se são casados ou se têm filhos.
O islamita Partido de Justiça e Desenvolvimento (AKP), do presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, que governa o país e também esta câmara municipal de Istambul (entre muitos outros municípios e regiões), defende um papel tradicional da mulher.

Para Erdogan, "uma mulher é, acima de tudo, uma mãe" à qual "não se pode dar independência e liberdade", pois isso "destruiria o conceito de família".
https://g1.globo.com/mundo/noticia/2019/01/18/curso-em-istambul-aconselha-mulheres-a-nao-tomar-sorvete-em-publico.ghtml






Uganda: Muçulmanos gritando “Allahu akbar” destroem a igreja, dizem “Não há mais orações neste lugar, senão todos vocês vão morrer”

NAIRÓBI, Quênia (Morning Star News) - Muçulmanos no leste de Uganda enviaram uma mãe cristã ao hospital com ferimentos causados por uma surra em uma aldeia e derrubaram uma igreja em outra, disseram fontes.

Tanto a mulher como o pastor da igreja destruída temem que suas vidas possam estar em perigo.

Deborah Gimbo, da cidade de Budaka, foi atacada na tarde de 20 de dezembro enquanto orava sozinha em sua casa. Ela ora três noites por semana em sua casa com outras duas mulheres cristãs, e os assaltantes disseram que não queriam que eles orassem em voz alta em nome de Jesus, disse Gimbo ao Morning Star News.

"Hoje nós viemos para avisá-lo que você deve evitar orações ruidosas e o uso do nome Issa [Jesus] em suas orações", disseram os quatro assaltantes quando eles invadiram sua casa às 2 da tarde, de acordo com Gimbo.

Um muçulmano líder local instruiu os assaltantes de que as pessoas que oram em nome de Jesus deveriam ser combatidas e pressionadas até aceitarem apenas a adoração de Alá, ou então serem mortas, disse ele.

“Eu disse: 'Eu não posso parar de orar, e mais ainda, Issa/Jesus é meu Senhor e Salvador, e vou continuar orando em Seu nome'”, disse Gimbo ao Morning Star News. “Imediatamente, dois intrusos saíram de casa e, em pouco tempo, entraram na sala de novo com paus e começaram a me bater. Eu fui atingida no meu rosto e sangue começou a fluir pelo meu rosto quando comecei a gritar por socorro. ”

Vizinhos chegaram e resgataram ela, levando-a para um hospital do distrito de Budaka. Ela recebeu alta depois de dois dias, ela disse.

Nem Gimbo nem seu marido, que estavam na Somália em um período de seis meses como parte de uma força de paz da ONU na época do ataque, são convertidos do islamismo.

A cerca de 25 quilômetros de distância, no distrito de Kibuku, um antigo muçulmano teme por sua vida depois de aldeões na área de Kibenga, a paróquia de Lyama em Kakutu Sub-County derrubou o prédio da igreja que ele lidera.

Simon Mustafa Waseke tinha se voltado para Cristo em 2017 e logo descobriu que tinha uma congregação para liderar depois que muitos muçulmanos aceitaram sua mensagem de arrependimento do pecado e confiaram em Jesus Cristo para a salvação. Kibenga é uma área predominantemente muçulmana.

Tendo muitos seguidores daqueles que deixaram o Islão, decidi construir uma igreja, e muitos convertidos do islamismo se juntaram à igreja - em apenas alguns meses, o número subiu para 35 membros", disse o pastor Waseke ao Morning Star News. "Isso fez os muçulmanos serem contra a igreja".

Um cristão secreto que tenha contato com a comunidade muçulmana da área informou ao pastor que os agressores estão ameaçando matá-lo, a menos que ele deixe a área, para que ele não ouse agir legalmente contra eles.

“Mesmo que me seja dada proteção policial, não tenho certeza da segurança de meus membros da igreja, que agora estão com muito medo”, disse o pastor Waseke. “Estou numa encruzilhada de não saber o que fazer. Meus membros da igreja estão espalhados como ovelhas sem pastor. Logo a fé deles em Cristo diminuirá e eles possivelmente retornarão ao islamismo ”.

Nem ele nem ninguém da sua congregação se aproxima do local da igreja, disse ele.

"Os muçulmanos estão agora para matar a mim e minha família - estamos tendo noites sem dormir", disse ele ao Morning Star News. “Por quanto tempo vamos nos esconder de nossos inimigos do cristianismo? Por favor, ore por nós.
https://morningstarnews.org/2019/01/christian-mother-pastor-fear-for-their-lives-after-attacks-in-eastern-uganda/






Sob críticas, nova legislação contra “discurso de ódio” obriga redes sociais a excluir conteúdos supostamente ofensivos e a bloquear usuários.


Deputada alemã do partido de direita AfD, Beatrix von Storch, está sendo acusada de “incitação ao ódio” após criticar publicação da polícia da cidade de Colônia.

Em uma mensagem divulgada no Twitter e no Facebook, a deputada reclamou por a polícia ter postado mensagens de prudência durante o réveillon escritas em alemão e em árabe.

Beatrix von Storch escreveu:
Que diabos se passa neste país? Por que a polícia publica agora mensagens oficiais em árabe? Agora se dirige às hordas de homens bárbaros, muçulmanos e estupradores para tentar adulá-los?

A deputada fazia alusão às agressões sexuais de que foram vítimas inúmeras mulheres em Colônia, durante o Revéillon de 2016, por parte de jovens migrantes, um caso que escandalizou o país.

Apesar de todas as medidas preventivas, a capital Berlim ainda registrou 13 ocorrências de agressões sexuais contra mulheres comemorando a virada do ano.

Tanto o Twitter como o Facebook retiraram a controvertida mensagem em função da nova lei, que entrou em vigor a partir primeiro de janeiro na Alemanha, que busca punir com maior rigor as declarações que incitam ao ódio nas redes sociais.
https://renovamidia.com.br/deputada-alemanha-censura-internet/
 

constatine

Bam-bam-bam
Mensagens
4.380
Reações
21.403
Pontos
294
Um menino de 6 anos foi decapitado em frente à mãe enquanto ela gritava na Arábia Saudita "por ser da religião errada"



A criança foi morta em Medina, na Arábia Saudita, enquanto visitava um santuário para o profeta Maomé, de acordo com relatos. A criança e sua mãe foram supostamente abordadas enquanto visitavam um templo para o profeta Maomé em Medina e perguntaram se eles eram muçulmanos xiitas.

A mãe supostamente disse que sim e vários minutos depois um carro parou ao lado deles e a criança foi arrancada dela e foi repetidamente esfaqueado no pescoço com um pedaço de vidro quebrado até ser decapitado.

Sua mãe indefesa só podia assistir e gritar quando o horror se desdobrou...
Grupos de direitos humanos dizem que praticantes de outras formas de fé - incluindo xiitas - são perseguidos.
Shia Rights Watch, um grupo de campanha de Washington, disse: "Não houve intervenção de ninguém e nenhuma resposta da autoridade até agora.
A comunidade saudita xiita se reuniu de luto e mostrou solidariedade aos pais.

"A comunidade também relatou que esse incidente é resultado de violações contínuas e falta de proteção da autoridade saudita em relação à população xiita.
"Os xiitas sauditas estão sob a repressão militar de seu governo e muitos xiitas estão nas prisões e muitos deles são mortos".
https://www.thesun.co.uk/news/8385307/broken-glass-beheaded-mother-saudi-arabia/
https://www.dailymail.co.uk/news/ar...-driver-screaming-mother-fought-save-him.html
https://themuslimvibe.com/muslim-cu...-in-alleged-hate-crime-in-medina-saudi-arabia





3 de fevereiro de 2016

"Shelly Dadon, de 20 anos, uma jovem israelense, estava a caminho de uma entrevista de emprego em Migdal Hamek. Ela entrou em um táxi e disse ao motorista, um árabe israelense, para onde precisava ir, mas o motorista tinha um plano diferente. Quando o resto dos passageiros deixou o táxi, ele mudou de rumo e a levou para um estacionamento abandonado. Ele a arrastou para fora do carro e a apunhalou com uma faca de cozinha. Shelly implorou por sua vida, mas ele continuou a apunhalá-la brutalmente em seu peito, costas, estômago, pescoço e rosto. Ele a deixou sangrando até a morte no estacionamento onde seu corpo foi encontrado mais tarde pela polícia. Por que ele a matou? Porque ela era judia.

Hoje, o terrorista que cometeu este crime foi condenado à prisão perpétua por esse ato terrorista.
Por que estamos compartilhando essa história? Porque você não vai ouvir essa história hoje na CNN, BBC ou outras grandes agências de notícias. Porque a história dela merece ser contada, porque seu assassino foi finalmente levado à justiça, e porque hoje nos lembramos de Shelly - cuja vida foi tão brutalmente roubada por um ato de ódio bárbaro e covarde.
Que sua memória seja uma bênção".
H / t Levi Gal







Pena de morte e expulsão da família são castigos para quem se torna cristão no Iêmen



O Iêmen é um país mergulhado em uma guerra civil desde 2011, o que tem provocado a pior crise humanitária do mundo hoje. Cerca de 80% dos iemenitas dependem de ajuda externa, que em geral é canalizada através das tribos e linhas familiares, das quais os cristãos são comumente desconectados, afirma o Portas Abertas.

O país árabe tem uma população de cerca de 28 milhões de pessoas. Com maioria muçulmana, os cristãos, judeus, bahais e hindus compõem menos de 1% da população, segundo o Relatório de Liberdade Religiosa Internacional do Departamento de Estado dos EUA. Muitos dos cristãos (a maioria católicos romanos e anglicanos) são refugiados ou residentes estrangeiros temporários.

O Islã é a religião do estado e a Sharia (lei islâmica) é a fonte de toda a legislação. Tentar converter muçulmanos é ilegal e a conversão do Islã para outra religião é a apostasia, uma ofensa capital.

De acordo com o Portas Abertas dos EUA, a perseguição que os cristãos enfrentam no Iêmen é “extrema”. Tornar-se cristão no Iêmen é punível com pena de morte ou expulsão da família.

“Eles enfrentam perseguição das autoridades (incluindo detenção e interrogatório), suas famílias e grupos islâmicos radicais que ameaçam convertidos à morte se não se reconvertem”, observa o relatório.

Ele diz ainda que “a lei tribal proíbe os membros de deixar a tribo; a punição por denunciar o Islã pode ser a morte ou o banimento. Tanto homens como mulheres convertidos ao cristianismo, casados com muçulmanos, se arriscam a se divorciar, incluindo a custódia de seus filhos. Os cristãos sofrem a crise humanitária geral”.

Os cristãos iemenitas são também vulneráveis, uma vez que a ajuda de emergência é distribuída principalmente através de organizações islâmicas e mesquitas locais. Estes grupos supostamente discriminam todos os que não são considerados muçulmanos piedosos, afirma o relatório.

Perseguição e fuga

Devido ao caos produzido pela guerra civil, é muito difícil reportar incidentes violentos contra cristãos. Muitas vezes eles escapam da morte ao fugir para outros lugares. Mas sabe-se que ao menos 27 cristãos foram mental ou fisicamente agredidos como resultado de sua fé e da guerra.

Pelo menos 5 famílias tiveram que deixar suas casas e ser realocadas no interior, por razões relacionadas à fé. Como em média uma família é composta por sete pessoas, isso significa 35 pessoas. Além disso, a pressão por parte da família levou alguns cristãos ex-muçulmanos iemenitas a fugir do país.

Os cultos privados se tornaram ainda mais arriscados para os cristãos, tanto em áreas controladas por rebeldes houthis como em áreas “liberadas” pelas forças sunitas apoiadas pela Arábia Saudita e seus aliados ocidentais. A Al-Qaeda na Península Arábica e o Estado Islâmico operam livremente em grande parte do país.

Os edifícios onde cristãos ou estrangeiros de países cristãos estavam trabalhando foram alvo no decorrer do conflito. Por exemplo, em março de 2016 uma casa de repouso para idosos e deficientes foi diretamente atacada por assaltantes, conectados ao Estado Islâmico.

O número de cristãos ex-muçulmanos nativos é estimado em apenas alguns milhares, mas aparentemente está crescendo, segundo o Portas Abertas. Na atual situação de guerra, os principais agentes de perseguição são grupos extremistas islâmicos e a família.

Igrejas destruídas

A maior autoridade islâmica saudita, o Grande Mufti, emitiu uma fatwa (pronunciamento religioso específico) em 2012, pedindo a destruição de todas as igrejas cristãs na Península Arábica, que inclui necessariamente o Iêmen.

Depois que os legisladores no Kuwait fizeram um esforço para aprovar leis que proíbem a construção de novas igrejas em 2015, o Grande Mufti repetiu esse apelo e disse que a destruição de todas as igrejas na região era absolutamente necessária e exigida pela lei islâmica.

A cidade portuária de Aden, a capital temporária do Iêmen, tem apenas quatro edifícios de igreja ainda de pé, três católicos romanos e a anglicana Christ Church Aden.

Além dessas igrejas oficiais, não são permitidos prédios de igreja. No entanto, cultos semanais discretos são realizados em instalações privadas em algumas cidades.

Quase todos os estrangeiros ocidentais já deixaram o país por razões de segurança. A igreja secreta, que é composta por alguns milhares de convertidos ao cristianismo, constitui a maioria da igreja do Iêmen agora.

Eles formam pequenas comunidades domésticas, encorajam um ao outro a edificar famílias que adoram juntas e construir uma comunidade que permanece unida na perseguição.
https://m.guiame.com.br/gospel/missoes-acao-social/pena-de-morte-e-expulsao-da-familia-sao-castigos-para-quem-se-torna-cristao-no-iemen.html









MIGRANTES BANIDOS DE ESCOLAS E CRECHES FINLANDESAS DEPOIS DE VÁRIOS CASOS DE ESTUPRO EM CRIANÇAS

O município finlandês de Oulu anuncia que os migrantes não podem mais visitar escolas e creches.

A razão é que os pais se queixaram das chamadas visitas de integração e se preocupam com seus filhos depois da recente onda de estupro contra jovens garotas.
Segundo a polícia finlandesa, os alegados autores são migrantes do sexo masculino que vieram para o país nos últimos anos e a maioria das vítimas de violação são adolescentes com menos de 15 anos.

Um dos lugares que a mídia destacou em conexão com a onda de estupro é o município de Oulu, na Ostrobótnia do Norte. Em Oulu, a polícia está investigando pelo menos dez migrantes por crimes sexuais graves contra meninas de até dez anos.

Como resultado, os pais se queixaram e expressaram preocupação sobre como o município pode permitir que o projeto de integração ESIKOTO continue.
O ESIKOTO é um experimento de integração onde os migrantes visitam escolas e creches para aprender mais sobre a sociedade através de aulas e grupos de estudo. Também é suposto que visa promover o multiculturalismo.

No entanto, agora a liderança municipal escolhe atender o pedido dos pais e encerrar o projeto de integração.
Mika Penttilä, responsável pela educação e cultura no município, confirma que, juntamente com os organizadores do projeto, decidiram que não haverá mais visitas.
Recentemente, relatos da mídia sobre crimes sexuais também revelaram novas estatísticas criminais no município de Oulu. Arto Karnaranta, vice-chefe de polícia, explica que as ofensas sexuais em apenas um ano – entre 2017 e 2018 – aumentaram em 20%.
https://samnytt.se/finsk-kommun-forbjuder-migranter-pa-dagis-och-skolor-efter-valdtaktsvag/








ARÁBIA SAUDITA DESENVOLVE APLICATIVO PARA IMPEDIR MULHERES DE VIAJAR SEM A PERMISSÃO DE GUARDIÕES

“A Arábia Saudita faz um apelo para impedir que as mulheres viajem sem consentimento”, por Zakaria Oudrhiri, Marrocos World News , 5 de fevereiro de 2019:

Rabat – O Centro Nacional de Informações da Arábia Saudita desenvolveu um aplicativo móvel chamado “Absher” (árabe para “curtir”) que permite que homens responsáveis, geralmente maridos e pais, monitorem os movimentos das mulheres.

O aplicativo, disponível em iOS e Android, foi desenvolvido para ajudar os responsáveis por tarefas como renovar a carteira de motorista ou pagar multas, mas também para monitorar as mulheres e impedi-las de sair do país sem o consentimento deles.

O aplicativo envia uma notificação quando uma mulher apresenta seu passaporte no controle de fronteira. A polícia de fronteira negará a viagem da mulher se o seu tutor disser…
https://www.moroccoworldnews.com/2019/02/265142/saudi-arabia-app-women/







Indonésia: Dois jovens foram chicoteados 17 vezes cada um depois de passar meses na prisão porque foram pegos abraçados na província de Aceh, na Indonésia .

Uma universitária e seu namorado, ambos de 18 anos, receberam a sentença sob a rígida lei Sharia na província, que proíbe exibições íntimas em público.
Os dois foram levados a um palco em frente a uma mesquita na capital da província de Banda Aceh, antes de serem atingidos pelas costas com uma bengala de bambu.

Grupos de defesa dos direitos humanos criticam o público e cruel, e o presidente da Indonésia, Joko Widodo, pediu que isso acabe.
Mas a prática tem amplo apoio entre a população majoritariamente muçulmana de Aceh - cerca de 98% de seus cinco milhões de residentes praticam o Islã.
Em dezembro, dois homens pegos fazendo sexo com garotas menores foram chicoteados 100 vezes cada.

No início deste ano, Aceh disse que a flagelação seria realizada por trás dos muros da prisão no futuro, mas alguns governos locais continuaram a chicotear o público.
Aceh adotou a lei religiosa depois de ter recebido autonomia especial em 2001, uma tentativa do governo central de acabar com uma insurgência separatista de longa data.
https://www.dailymail.co.uk/news/article-6652531/Teenagers-thrashed-having-cuddle-breaching-Indonesias-strict-Sharia-law.html





Meninas ameaçadas - Alemanha Islâmica

Eu vi essa semana.... achei bom para esfregar na cara dos bobocas brasileiros que ficam dizendo: "Deixe de exagero, fulano tá na Europa (diz o nome do país ex. Tá na França) e não viu nada disso que vocês estão falando, vocês está exagerando". O povo brasileiro só vai se mancar quando o que acontece a Alemanha, no Reino Unido, na Suécia ou França, começar acontecer aqui, mas já será um pouco tarde....



Muslims Form Community Patrol. Some Neighbors Say No, Thanks.
The self-funded group sees itself as a neighborhood watch. But there was alarm after its cars were spotted in Brooklyn without warning, or explanation.

https://www.nytimes.com/2019/02/03/nyregion/muslim-community-patrol-brooklyn.html
É ocidente, foi bom enquanto durou...
 

Omega Frost

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
20.287
Reações
27.000
Pontos
709
Mas é verdade, Allah ama a igualdade... ao que sempre foi...

Que os não islâmicos sejam igualmente mortos, igual aos homossexuais.

Que todas as mulheres sejam igualmente tratadas como propriedade e sem nenhum direito.

É tanta paz que até faltam palavras pqp.
 

constatine

Bam-bam-bam
Mensagens
4.380
Reações
21.403
Pontos
294
Igrejas da Nigéria mantêm oração após assassinato de 20 cristãos: “Deus não nos deixará”
No início deste mês de março, ataques simultâneos resultaram no assassinato de mais de 20 cristãos na Nigéria.
66754

Mais de 20 cristãos nigerianos foram massacrados por extremistas Fulani no mais recente ataque brutal, que novamente abalou a nação. Os Fulani, que têm sido responsáveis por centenas de ataques contra a população cristã na Nigéria, atacaram novamente no dia 4 de março de 2019, em uma ação coordenada em uma série de aldeias do Estado de Benue.

Segundo a agência cristã 'International Christian Concern', cerca de 23 pessoas foram assassinadas nos ataques simultâneos, que foram perpetrados com facões e armas de fogo. "Foi horrível. Eles mataram mais de 20 pessoas", disse um membro do conselho legislativo da cidade 'Gwer West', após o incidente. "Alguns foram mortos por tiros e alguns por facões!".

Enquanto vinte pessoas foram massacradas no primeiro ataque nas aldeias de Tse-Tema Dula, Tse-Ugor e Tse-Jabu, outras três foram massacradas alguns dias depois na cidade de Tse-Ikyo Mke.

“Ainda hoje, eles atacaram. Um dos membros da nossa igreja chegou para informar que seu pai foi morto e outro membro disse que seu genro também foi morto”, disse o pastor local, reverendo Ajoh, após os assassinatos. Todos os três homens mortos no segundo ataque eram casados e tinham filhos.

Contexto

Muitos dos que vivem no estado de Benue ganham a vida através da agricultura. No entanto, essas comunidades têm sofrido um aumento de ataques dos pastores [donos de terras] Fulani nômades e fortemente armados nos últimos anos.

Apreensões de terras, espancamentos e assassinatos são muito comuns, como resultado da ira dos Fulani com a aprovação da legislação do estado de Benue, que restringe o pastoreio de gado a fazendas específicas. Os Fulani acreditavam que isso era um ataque à sua cultura geracional de pastoreio aberto e começaram a atacar muitos dos agricultores com os quais se depararam, muitos dos quais eram cristãos. Como os Fulani são muçulmanos, a questão de fé se torna o principal motivador dos ataques e a luta por terras apenas um plano de fundo na maioria dos casos.

“Eu sempre sustentei que a lei de pastoreio não pretende expulsar os fazendeiros de Benue, mas promulgar para garantir que eles realizem suas atividades sem intimidação”, disse o governador do estado de Benue, Samuel Ioraer Ortom, na assinatura da lei de pastagem em novembro de 2017. conforme relatado pela Vanguard.

A Nigéria continua altamente classificada na Lista de Observação Mundial do Portas Abertas dos EUA, na posição de número 12 em perseguição religiosa. A lista especifica as nações mais perigosas do mundo para se viver como cristão.

"A pontuação de violência na Nigéria permaneceu a mais alta possível, principalmente devido ao aumento dos ataques às comunidades cristãs por fazendeiros militantes islâmicos Hausa-Fulani", detalhou a Portas Abertas em seu relatório mais recente sobre o país.

“Tal violência geralmente resulta em perda de vidas e lesões físicas, bem como perda de propriedade. Como resultado da violência, os cristãos também são desapossados de suas terras e meios de subsistência”, acrescentou.

Orações por mudança

A população agrícola cristã fortemente perseguida continua a viver com medo de um próximo ataque. No entanto, apesar da quase constante ameaça às suas vidas, essa comunidade cheia de fé continua esperançosa de que Deus trará a paz.

“A Igreja em Benue está orando”, disse o pastor Ajoh, “e sabemos que nosso Deus nunca nos deixará!”.

Em seu relatório, a Portas Abertas dos EUA pediu oração pela nação conturbada.

"Ore pelos cristãos da Nigéria, que estão enfrentando maior hostilidade e ataques de militantes Fulani", a organização implorou. “A lei da Sharia foi implementada em 12 estados do norte e os cristãos enfrentam marginalização e discriminação. Ore para que esses cristãos não sejam desencorajados. Orem para que não sejam tentados a desistir da fé em busca de uma vida mais fácil ”.









Nigéria: Mulheres-bomba muçulmanas tentam entrar na igreja, são impedidas e se explodem fora do prédio da igreja.
03/11/2019 Nigéria (International Christian Concern) -
66755Duas mulheres- bomba recrutadas por Boko Haram tentaram entrar no culto da Igreja Católica no domingo, 10 de março, em Madagali, estado de Adamawa. As duas mulheres, tentaram entrar na igreja antes de serem paradas, e então detonaram as bombas a uma curta distância do lado de fora da igreja. Apesar das duas bombas explodirem, apenas uma pessoa, além das duas mulheres , teria sido ferida.

Felizmente, de acordo com fontes locais, alguns dos jovens locais estavam em patrulha ao redor da igreja quando as atacantes chegaram. Eles foram capazes de impedi-las de entrar na Igreja. Essa foi a razão pela qual nenhum dos alvos suspeitos foi ferido ou morto.

É muito provável que as duas mulheres -Bomba fossem cativas do Boko Haram que foram forçadas a cometer este ataque. Boko Haram é conhecido por sequestrar mulheres e crianças e forçá-las a atuar como homens-bomba para seus ataques ,
Em 2017, entre janeiro e agosto, o UNICEF informou que pelo menos 83 crianças foram usadas pelo grupo como homens-bomba. Essa tática é uma das razões pelas quais o Boko Haram é considerado um dos três grupos terroristas mais letais do mundo. Como o Boko Haram continua a recuperar força e apoio, os cristãos provavelmente se tornarão um alvo principal novamente, como aconteceu nos primeiros anos da atividade do grupo.….








Militantes muçulmanos nigerianos Matam 120 cristãos em três semanas mas a mídia fez vista grossa para não prejudicar a imagem do islamismo.
66756Nada menos que 85 pessoas foram mortas no último domingo e segunda-feira. em ataques a três comunidades no Estado de Kaduna por homens armados suspeitos de serem pastores Fulani.

As comunidades afetadas são as aldeias de Anguwan Barde e Gamu na Área do Governo Local de Kajuru (LGA) e Gerti,

Os ataques em Anguwan Barde ocorreram no domingo de manhã, quando suspeitos pastores Fulani invadiram a comunidade e mataram 35 pessoas.

Danladi Yarima, advogada e ex-presidente da Adara Development Association (ADA), disse que no outro ataque à vila de Anguwan Gamu na segunda-feira, 46 pessoas foram mortas com cerca de 100 casas incendiadas por vaqueiros furiosos.

Yarima disse que dois dos cadáveres, incluindo a esposa do pastor de uma igreja da ECWA na aldeia, foram recuperados em um rio.

“Recuperamos 35 corpos em Anguwan Barde e 46 em Anguwan Gamu. Algumas pessoas ainda estão desaparecidas porque correram para as matas para tentar salvar suas vidas quando os pastores Fulani invadiram as comunidades. Nós não sabemos se eles ainda estão vivos ou não.
Segundo ela, os policiais enviados para Anguwan Gamu desde então deixaram a comunidade e os aldeões estão vivendo agora com medo .

Ela também disse que houve êxodo em massa de mulheres e crianças da comunidade para lugares considerados como zonas seguras….
--------------------------
Segundo a ''The Real News'':
Militantes muçulmanos nigerianos Matam 120 cristãos em três semanas, mas a mídia fez vista grossa para não prejudicar a imagem do islamismo.
O recente número de mortes de cristãos na Nigéria chegou a 120 com o massacre desta semana perpetrado por 50 militantes muçulmanos Fulani no estado de Kaduna, na Nigéria, informou o Christian Post.
O que está acontecendo com os cristãos na Nigéria é um dos mais terríveis abusos aos direitos humanos que acontecem no mundo atualmente, mas a mídia ignora para evitar prejudicar a imagem do Islã.
Os pastores fulanis, em sua maioria muçulmanos, estão cometendo genocídio contra cristãos e não-muçulmanos na Nigéria.
A perseguição islâmica dos cristãos em todo o Oriente Médio, Ásia e África tornou-se genocídio.
Por que o mundo não parece se importar quando os cristãos morrem?
Por que é que quando os cristãos são assassinados e perseguidos em massa, ninguém parece se importar - nem mesmo outros cristãos?
Onde estão todas as organizações de direitos humanos da ONU? Onde estão todas as organizações de direitos humanos no Ocidente?
Por favor, ore pelas minorias cristãs no mundo muçulmano.






Por motivos óbvios não tem como posta aqui.




Todos os dias morrem nigerianos cristãos, mortos pelos fanáticos muçulmanos e o mundo não fala nada. O Papa não protesta, a ONU não protesta e a mídia não protesta....
 

constatine

Bam-bam-bam
Mensagens
4.380
Reações
21.403
Pontos
294
Paquistão: menina cristã de 13 anos raptada, forçada a se converter ao islamismo e casar-se com seu sequestrador

Conversão forçada está no Alcorão
66758
Um homem arruma flores em forma de coração em um mercado em Lahore
Por Leah MarieAnn Klett , repórter do Christian Post

Uma adolescente cristã no Paquistão foi sequestrada e forçada a se converter ao islamismo. E agora seus seqüestradores estão usando o sistema legal do país para impedi-la de voltar para casa.

O grupo cristão de vigilância da perseguição internacional Christian Concern (ICC) relatou que em 6 de fevereiro, Sadaf Masih, de 13 anos, foi sequestrada por três homens identificados como Maqbool Hussain, Mubashir Hussain Baloch e Azhir Hussain Baloch.

Quando a família de Masih tomou conhecimento do rapto da menina cristã, eles procuraram a família dos sequestradores que lhes disseram que ela seria devolvida a eles.

No entanto, após oito dias, os sequestradores disseram à família cristã que Masih era casado e se converteu ao islamismo. Eles então mostraram à família uma certidão de casamento que falsamente alegava que ela tinha 18 anos, uma idade suficiente para se casar legalmente no Paquistão.

Quando sua família protestou, os raptores os ameaçaram e avisaram que, se tentassem contatar a adolescente, haveria “conseqüências da lei”.

O ICC observa que sequestros e conversões forçadas ao Islã são comuns para as minorias religiosas no Paquistão, já que cerca de mil mulheres das comunidades cristãs e hindus do Paquistão são raptadas, estupradas e violentamente convertidas ao islamismo a cada ano. O Paquistão classifica-se como a quinta pior nação do mundo quando se trata de perseguição cristã, segundo a World Watch List da Open Doors USA.

"A violência contra mulheres e meninas - incluindo estupro, homicídio por causa dos chamados crimes de honra, ataques com ácido, violência doméstica e casamento forçado - permanece como rotina", observou um relatório recente da Human Rights Watch sobre o Paquistão.

William Stark, gerente regional do Sul da Ásia no ICC, comentou ao Christian Post: “O que é mais perturbador em muitos desses casos é como o estupro é usado como arma para prender vítimas. Para muitas mulheres no Paquistão, garantir um bom casamento é a única maneira de garantir uma boa vida. Quando essas mulheres vitimadas são estupradas, elas se sentem presas porque isso tira sua capacidade de garantir um bom casamento devido à vergonha associada a ser uma vítima de estupro.

“Outro elemento preocupante dos casos de conversão forçada é a questão da custódia. Quando os seqüestradores afirmam que a vítima foi casada com eles, especialmente quando a vítima é uma mulher, eles mantêm a custódia da vítima. Isso torna especialmente difícil para as mulheres cristãs que foram raptadas, forçadas a se converterem ao islamismo e forçadas a se casarem com seus sequestradores para prestar depoimento contra seus seqüestradores.”

Nos últimos anos, numerosos relatos surgiram sobre mulheres cristãs no Paquistão sendo seqüestradas, estupradas e forçadas a casar com seus estupradores. Muitas vezes, as meninas raptadas são forçadas a se converter ao islamismo, o que torna seus casamentos subsequentes legais sob a lei paquistanesa.

Além disso, os muçulmanos que sequestraram moças e mulheres cristãs e as forçaram a casar-se muitas vezes são tratados com um nível de impunidade pelas autoridades locais.

No ano passado, uma menina cristã paquistanesa de 12 anos foi seqüestrada e forçada a se converter ao islamismo e se casar com seu raptor, segundo o World Watch Monitor. Quando seu pai tentou procurar assistência legal, ele foi detido pela polícia por “apresentar falsas acusações” contra seu seqüestrador.

Eventualmente, a menina foi levada para casa depois que ela foi incapaz de convencer o tribunal que ela havia se convertido voluntariamente ao islamismo.

Em abril passado, Fouzia Bibi, uma mãe cristã de três filhos que foi raptada e forçada a um casamento islâmico com seu patrão, obteve liberdade e divórcio em um tribunal de família em Lahore.

A decisão chegou quase dois anos depois que Bibi foi sequestrada pela primeira vez. Também veio depois de sua família ter sido pressionada pelas autoridades locais a devolver Bibi à casa do seu patrão muçulmano depois que ela escapou.





Esposa de jihadista é morta a tiros pela polícia francesa ao visitar o marido na prisão por levar duas facas a ele e ambos esfaquearem policiais aos gritos de " Allahu Akbar!".
Detalhe: Ela estava grávida.
66759





EUA: somaliana acusada de aterrorizar bairro e ameaçar "cortar pescoços" tinha envolvimento com tráfico sexual - diz ser vítima de islamofobia
66760
Hawo Osman Ahmed, de 26 anos, é acusado de um crime de Terrorizing Classe C decorrente de um incidente em 29 de novembro passado, quando ela confrontou três mulheres de seu complexo de apartamentos em Grand Forks com uma faca. Ela disse que era vítima de racismo e islamofobia. Mas, investigação, revelou que ela estava envolvida com crimes em vários estados, inclusive participação em gangues somalis de tráfico de meninas entre 13 e 18 anos.
 

Anexos

Sgt. Kowalski

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
42.504
Reações
89.892
Pontos
989
Polícia salva 51 estudantes sequestrados dentro de ônibus perto de Milão



Alunos voltavam de excursão quando motorista mudou rota, anunciou sequestro e incendiou veículo. Autoridades ainda não sabem motivo, mas promotor não exclui possibilidade de ataque terrorista.


67207
Restos incendiados de um ônibus no qual o motorista manteve estudantes reféns em San Donato Milanese, perto de Milão, na Itália, na quarta-feira (20) — Foto: Flavio Lo Scalzo/AFP

Restos incendiados de um ônibus no qual o motorista manteve estudantes reféns em San Donato Milanese, perto de Milão, na Itália, na quarta-feira (20) — Foto: Flavio Lo Scalzo/AFP

As autoridades italianas salvaram 51 estudantes que foram feitos reféns nesta quarta-feira (20) perto de Milão (norte) pelo motorista do ônibus em que viajavam, que o incendiou por motivos ainda confusos.

"É um milagre, poderia ter sido um massacre. Os carabineiros agiram de forma excepcional, bloquearam o ônibus e salvaram todas as crianças", explicou o promotor de Milão, Francesco Greco.

O promotor não excluiu a possibilidade de um ataque terrorista.

Os 51 estudantes, todos do ensino médio, retornavam de uma excursão com três acompanhantes adultos quando o motorista de repente mudou de direção em San Donato Milanese e fez os passageiros reféns.

"Ninguém vai sair daqui vivo", afirmou, de acordo com várias crianças.

Com duas latas de gasolina e um isqueiro, ameaçou as crianças, tomou seus celulares e as amarrou com cabos elétricos às cadeiras do meio.

Uma das crianças conseguiu ligar para os pais, que informaram os carabineiros, que intervieram bloqueando o ônibus e quebraram as janelas traseiras para tirar os passageiros antes que o veículo fosse invadido pelas chamas.

"Precisamos parar as mortes no Mediterrâneo", disse o homem, segundo vários meios de comunicação.

Uma dúzia de crianças e dois adultos foram levados ao hospital por leve intoxicação pela fumaça.

O motorista, que foi preso e hospitalizado com queimaduras nas mãos, tem 47 anos, tem nacionalidade italiana há 17 anos e é de origem senegalesa.

O homem foi acusado pela justiça de sequestro e tentativa de massacre para fins de terrorismo.

"O Ministério do Interior trabalha para determinar se pode retirar a sua cidadania italiana", informaram fontes ministeriais.
 

constatine

Bam-bam-bam
Mensagens
4.380
Reações
21.403
Pontos
294
CRIANÇAS MUÇULMANAS PREGAM DECAPITAÇÃO DE JUDEUS NA FILADÉLFIA, MAS MÍDIA IGNORA

72214

Se o leitor não lembra, estou aqui para lhe refrescar a memória: quando uns alunos de uma escola católica de Covington, Kentucky, viram-se em meio a uma confusão com um nativo americano, o caso não saiu da mídia por semanas. Comentei aqui sobre a podridão ideológica da imprensa, que explorou o assunto como abutre só porque os garotos usavam bonés de Trump. Eis um trecho:

O episódio ocorreu com alunos de uma escola católica do Kentucky. Vale ressaltar que estamos falando de adolescentes, com seus 16, 17 anos. No sábado, dia 19, um vídeo se tornou viral ao mostrar um grupo de alunos católicos supostamente confrontando um manifestante indígena. Um dos garotos aparece sorrindo na imagem, o suficiente para diversas acusações de insensibilidade e racismo por parte desses brancos cristãos.

Rapidamente a imprensa farejou a sua oportunidade. O nativo americano deu uma entrevista à CNN em que contou apenas mentiras, distorcendo tudo o que acontecera. O “jornalismo” da emissora comprou sua história sem qualquer crítica ou curiosidade para averiguar os fatos. Ironicamente, eles estavam disponíveis para quem quisesse conhecê-los. A versão integral do vídeo fora publicada na internet, e tem cerca de duas horas. Lá fica claro o que realmente se passou, e não foi nada parecido com a narrativa divulgada pela mídia.

Não houve qualquer agressão. O garoto que sorri na imagem estava tentando manter a calma e evitar justamente o acirramento dos ânimos. O manifestante indígena é que caminhou na direção dos alunos – que participavam de outro protesto pacífico e vinham sendo ofendidos pesadamente por um terceiro grupo – e começou a bater um tambor diante de seus rostos e acusá-los de exploradores, alegando que suas casas tinham sido construídas com o sangue de escravos. Havia com ele companheiros filmando tudo. Ou seja, o intuito era óbvio: provocar uma reação violenta e pegar tudo em vídeo.

Não foi possível. Os meninos católicos se mantiveram relativamente calmos, à exceção de um ou outro que gritou palavras de volta. O rapaz que mereceu os ataques mais nefastos nas redes sociais, e cuja família chegou a ser ameaçada de morte depois, tentava impedir o escalonamento da confusão. Ele e seu irmão mais velho publicaram textos na internet explicando o que aconteceu de fato, condenando a inquisição apressada das redes sociais, e realçando seus valores cristãos, rechaçando qualquer racismo.

Pois bem: volto com esse caso só para mostrar como o esforço em pintar esses alunos católicos como monstros terríveis foi espantoso. Mas eis que crianças muçulmanas apareceram essa semana num vídeo defendendo a decapitação de judeus, na Filadélfia. O caso será investigado pela Comissão de Direitos Humanos local, e salta aos olhos o nível tosco de doutrinação ideológica dessas crianças, que aprendem desde cedo a odiar e matar em nome da fé.

“Vamos defender a terra de orientação divina com nossos corpos, e vamos sacrificar nossas almas sem hesitação”, disse a criança. “Cortaremos a cabeça deles e libertaremos a Mesquita de Al-Aqsa”, acrescentou. “Iremos liderar o exército de Allah cumprindo Sua promessa, e vamos submetê-los à tortura eterna”, concluiu.

Quem publicou o vídeo chocante foi o próprio Muslim American Society (MAS) Islamic Center da Filadélfia, mas depois ele foi apagado e o responsável foi “demitido”. O grupo Middle East Media Research Institute (MEMRI) que alertou para o absurdo e baixou o vídeo no YouTube, para que todos pudessem ver o grau de loucura dessa gente:


Não esperem, porém, que essa notícia ganhe muito destaque na imprensa. Não aguardem uma cobertura intensa da CNN, pois será em vão. Não procurem por textos e mais textos no NYT ou no Washington Post, pois será perda de tempo. Quando muçulmanos ensinam ódio a crianças, na América, isso não é muito relevante para os jornalistas.

Afinal, não dá para encaixar na narrativa ideológica de que os cristãos são sempre terríveis e os muçulmanos as vítimas de preconceito. E se não dá para enquadrar nesse discurso, então é melhor simplesmente ignorar…
https://www.gazetadopovo.com.br/rodrigo-constantino/artigos/criancas-muculmanas-pregam-decapitacao-de-judeus-na-filadelfia-mas-midia-ignora
https://www.dailymail.co.uk/news/article-6994509/Muslim-children-Philadelphia-school-sing-chopping-heads-army-Allah.html





Irã aperta o cerco contra os cristãos
72216
O ministro da Inteligência da República Islâmica do Irã, Mahmoud Alavi, expressou preocupação com a conversão dos muçulmanos iranianos ao cristianismo em várias partes do Irã. Ele ampliou a ação do órgão "combater os defensores do cristianismo."

Segundo Alavi, em uma das cidades da província de Hamadan, no noroeste do Irã, várias pessoas que dirigem empresas comuns, como salões de sanduíches, demonstraram interesse pelo cristianismo, mas o Ministério as "convocou".

Alavi citou alguns desses indivíduos dizendo: "Estamos à procura de uma religião que nos dê paz de espírito", acrescentando que "Dissemos a eles que o Islã é a religião da fraternidade e da amizade, mas disseram que os eruditos muçulmanos estão constantemente falando uns contra os outros". Se o Islã é a religião da amizade, você deve primeiro criar paz e amizade entre seus próprios eruditos religiosos ”.

Durante os últimos anos, os iranianos que se converteram ao cristianismo foram condenados a penas de prisão de longo prazo e frequentemente acusados de "agir contra a segurança nacional ao operar ou participar de congregações em igrejas instaladas nas casas das pessoas".
https://en.radiofarda.com/a/iran-intelligence-ministry-summons-iranian-who-showed-interest-in-christianity-/29921102.html






Explosivos sendo guardados em mesquita no Sri Lanka, descobertos pela polícia
72217
Três bombas fabricadas localmente e 100 gramas de amônia foram encontrados enterrados em um quintal de uma mesquita em um distrito do Sri Lanka, informou a polícia.

Os explosivos foram recuperados na Welipenna na noite de sexta-feira (3 de maio) durante uma operação conjunta realizada pela Força-Tarefa Especial e pela polícia, informou o Daily Mirror.

A polícia disse que um suspeito de 42 anos foi preso após a recuperação de explosivos.

As autoridades também apreenderam 16 placas de circuito de alta tecnologia, 16 cartões SIM, vários discos compactos, acessórios de computador e um carro em uma casa em Pirivena Mawatha, no Monte Lavinia.

Segundo a polícia, cada placa de circuito tinha capacidade para conter 12 cartões SIM. Um homem de 52 anos foi detido junto com os itens.

A recuperação foi feita depois que as autoridades cancelaram as missas de fim de semana na capital devido ao temor de novos ataques a bomba.

O porta-voz da Arquidiocese de Colombo Edmond Tilakaratne havia dito que a decisão foi tomada pelo arcebispo de Colombo, cardeal Malcolm Ranjith, de cancelar as missas no sábado e no domingo com base nos últimos relatórios de segurança.

As igrejas em Colombo e nos subúrbios estão fechadas desde o atentado de 21 de abril, que matou 253 pessoas e feriu centenas.
https://www.khaleejtimes.com/international/rest-of-asia/explosives-found-buried-in-sri-lanka-mosque-backyard







Grã-Bretanha: relatório secreto do governo adverte mais de 48 escolas islâmicas britânicas estão ensinando intolerância e misoginia a futuros imãs
72219
Imames são treinados em escolas acusadas de promover intolerância, alerta o relatório. Relatório secreto do governo afirma que pregadores têm opiniões extremas (ou seja, seguem o Islã como ensinado por Maomé). Foram identificadas 48 madrassas Darul Ulooms (Casa do Conhecimento) que seguem estrito currículo chamado Dars-E-Nizami. São deobandi, que é o wahabismo como praticado no Afeganistão e Paquistão.
https://www.dailymail.co.uk/news/article-6993333/Disturbing-secret-Government-report-exposes-extremist-alert-48-British-Islamic-schools.html





Sri Lanka expulsa 200 pregadores islâmicos após ataques na Páscoa
Ofensivas de 21 de abril, atribuídas a uma organização jihadista local, deixaram saldo de 257 mortos e cerca de 500 feridos

72222


Após os ataques da Páscoa, o Sri Lanka expulsou do país cerca de 600 estrangeiros, incluindo 200 clérigos islâmicos, informaram autoridades locais neste domingo (5).

"Considerando a situação atual no país, revisamos nosso sistema de vistos e tomamos a decisão de reforçar as restrições de visto para professores religiosos", declarou o ministro do Interior, Vajira Abeywardena.

Abeywardena explicou ainda que os clérigos entraram ilegalmente no país. Forças de segurança perceberam que seus vistos haviam expirado e então eles foram multados e expulsos.

Um total de 257 pessoas morreram e cerca de 500 ficaram feridas nas ofensivas de 21 de abril, atribuídas a uma organização jihadista local.

Homens-bomba atacaram a minoria cristã da ilha do sul da Ásia em três igrejas que realizavam a missa de Páscoa, causando um banho de sangue. Ao mesmo tempo, houve explosões em três hotéis de luxo.

O ministro não informou a nacionalidade dos expulsos, mas a polícia explicou que muitos dos que tiveram seus vistos vencidos eram de Bangladesh, Índia, Maldivas e Paquistão.

O cérebro dos ataques foi um clérigo muçulmano do Sri Lanka que morreu durante as ações. Ele teria viajado para a Índia, onde estabeleceu contato com os extremistas.
https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2019/05/sri-lanka-expulsa-200-pregadores-islamicos-apos-ataques-na-pascoa.shtml





Facebook e Instagram continuam permitindo discurso antí-cristão nas plataformas,
72223

O Facebook está permitindo que a extremistas anticristãos vendam o ódio, apesar do fechamento de contas de líderes de extrema-direita e anti-semitas. Pregadores de ódio como o clérigo paquistanês Khadim Hussain Rizvi - líder espiritual do grupo extremista Tehreek-e-Labbaik - espalha a retórica anti-cristã para milhares de seguidores na rede. Grupos extremistas como o Hizb ut-Tahrir e a Irmandade Muçulmana continuam ativos no Facebook, tanto como organizações como indivíduos.
https://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-6989757/How-Facebook-allowing-anti-Christian-extremists-peddle-hate-despite-crackdown.html





Ilustração oriunda do Alcorão banida das redes sociais como discurso de ódio

Um desenho simplório que retrata o verso (surata) 9.5 do Alcorão foi proibido de ser reproduzido em uma determinada rede social sob a alegação que ele desrespeita padrões da comunidade sobre discurso de incentivo ao ódio.

Nós concordamos. O Alcorão 9.29 é discurso ódio.

Decida você mesmo:
"Lute contra aqueles que não acreditam em Alá ou no Último Dia, que não proíbem o que foi proibido por Alá e Seu Mensageiro, e que não reconhecem a Religião da Verdade (islão), mesmo que sejam do Povo do Livro (cristãos e judeus), até que paguem o imposto tributo jizyah em submissão, sentindo-se subjugados e humilhados."
O hadice autêntico (sahih) de Bukhari (V4B53N386) explica:
"Nosso Profeta, o Mensageiro de Alá, ordenou-nos a lutar contra você [descrente em Alá] até que você adore apenas Alá ou nos pague o imposto de tributo jizyah, em submissão. O nosso profeta nos informou que nosso Senhor diz: "Quem entre nós for morto como um mártir irá para o Paraíso para levar uma vida tão luxuosa como ele nunca viu, e quem sobreviver deve se tornar o seu mestre [mestre dos descrentes]."
Ou seja, converta-se para o islão, aceite a ordem social imposta por ele (Sharia) e pague imposto para não ser morto, ou, lutaremos contra você até te matar.

A imagem original se encontra abaixo.
72224
https://infielatento.blogspot.com/2019/05/alcorao-9-29-banido-como-discurso-de-odio.html





Nigéria: Prisioneiros Enfrentam Longa e Agoniante Espera Por Apedrejamentos e Amputações Proferidas Por Tribunais Da Sharia.
72226

O Controlador de Prisões, o Comando do Estado de Bauchi, Suleiman T. Suleiman, disse que cinco pessoas foram sentenciadas à morte por apedrejamento; e outros 10 cujas pernas e mãos serão amputadas aguardam o dia do julgamento.

Suleiman, que falou em uma entrevista com jornalistas em seu escritório na terça-feira sobre o estado da prisão em Bauchi, também lamentou que alguns condenados estivessem na prisão há mais de 10 anos com a ação não tomada sobre eles. Ele disse que outros seis presos também foram condenados à morte, cinco estão atualmente em prisão perpétua, enquanto 188 estão em vários mandatos de prisão de dois anos ou mais.

Ele lamentou que a prisão tenha atualmente 947 presos na prisão de Bauchi de 500 vagas. Ele disse:

“Os condenados sentenciados que temos são em sua maioria provenientes dos tribunais da Sharia. Estes e outros casos relacionados, como a amputação da mão ou da perna, estão presos há mais de 10 anos sem conhecer seu destino. Suas mãos não são cortadas, suas pernas não são cortadas, elas não conhecem seu destino.

“Há também aqueles que deveriam ser apedrejados até a morte. Eu estou preocupado. Sinto-me tocado por cada vez que vou a qualquer uma das celas para visitar, eles serão os primeiros a me confrontar com questões sobre o caso deles ...
https://www.jihadwatch.org/2019/05/nigeria-jails-backlogged-with-prisoners-in-lengthy-wait-of-sharia-stonings-and-amputations
https://www.withinnigeria.com/2019/05/08/sharia-court-to-chop-off-hands-and-legs-of-10-people-stone-5-to-death-in-bauchi-state/
 

constatine

Bam-bam-bam
Mensagens
4.380
Reações
21.403
Pontos
294
Dia 3 do Ramadã : ''Tipos certos'' de muçulmanos matam 9 ''tipos errados'' de muçulmanos .
8 DE MAIO DE 2019

Pelo menos 9 mortos em explosão fora do santuário sufi muçulmano em Lahore, Paquistão.
Uma facção do Taleban paquistanês assumiu a responsabilidade pelo bombardeio do templo sufi de Data Darbar em Lahore, no Paquistão, que matou pelo menos nove pessoas e feriu outras 24.
É claro que existem tantas seitas no Islã, com todos acreditando que apenas sua seita particular é a única verdadeira , e os outros sendo apóstatas ou infiéis, e como o Islã sendo a 'religião da paz' e tudo mais , eles resolvem suas diferenças ideológicas usando a única maneira que eles conhecem.(Robert Spencer)
https://www.jihadwatch.org/2019/05/right-kind-of-muslims-kill-9-wrong-kind-of-muslims-ramadan-day-3





França: Cinco ataques terroristas de islâmicos radicais foram frustrados em 2019.
6 de maio de 2019
Depois da prisão de quatro terroristas islâmicos radicais na semana passada, as forças de segurança francesas evitaram cinco ataques terroristas de radicais islâmicos apenas nos primeiros quatro meses de 2019.

De acordo com um relatório da agência de notícias France Soir, os quatro islamistas que foram presos continuam sob custódia policial e supostamente planejaram matar policiais franceses. Um membro da célula - que não tem nem 18 anos de idade - foi anteriormente preso pelas autoridades francesas por tentar se juntar ao Estado Islâmico na Síria.

Aqueles que investigam o caso afirmam que os quatro homens já haviam produzido planos para uma série de ataques que deveriam ocorrer em algum momento durante o mês sagrado do mês de Ramadã.[“Grupos terroristas como o Estado Islâmico (ISIS / ISIL) e o Taleban fizeram seu chamado anual às armas durante o Ramadan , alegando que Allah excepcionalmente recompensa o martírio durante o mês sagrado ” Porque a “jihad é a melhor forma de adoração” -Robert Spencer [1]]

Nesse ritmo, o número de planos de terror frustrados no país em 2019 pode facilmente ultrapassar o número de instâncias do ano passado.

Em outubro do ano passado, o ministro do Interior da França, Christophe Castaner, declarou que nada menos do que cinco conspirações terroristas haviam sido frustradas pelas autoridades francesas .

Embora as conspirações que foram impedidas este ano visassem principalmente policiais, crianças e outros, os planos terroristas em larga escala foram explicados pelo cidadão francês e detento do ISIS, Jonathan Geffroy.

Em 2018, Geffroy disse às autoridades francesas que os principais membros do Estado Islâmico francês, os irmãos Clain, planejavam atacar uma usina nuclear e realizar tiroteios em massa.

Ambos os irmãos Clain - Fabien e Jean-Michael - foram mortos no Oriente Médio desde que Geffroy deu seu testemunho.
http://www.francesoir.fr/politique-france/cinq-attentats-lies-lislamisme-radical-dejoues-en-2019-la-menace-eleve






Polícia francesa detém suspeitos de planejar atentado no palácio do Eliseu
72228

Quatro extremistas islâmicos, que planejavam um atentado no início do Ramadã na França, o tradicional jejum muçulmano, que começa dia 5 de maio, visavam o palácio do Eliseu e chegaram a sondar os arredores da sede da presidência francesa.

Alexandre B., Karim B., Anis M. e M.C, os suspeitos presos na sexta-feira (26) e indiciados na terça-feira (30) por “associação terrorista e criminosa”, revelaram à polícia detalhes do violento projeto e não esconderam o vínculo ao Islã radical.

Segundo o jornal francês Le Parisien, eles pretendiam atacar o palácio presidencial e a delegacia de Aulnay-sous-Bois, em Seine-Saint-Denis, na região parisiense. Esses detalhes foram obtidos durante as investigações dos agentes do serviço de informação francês.

Os suspeitos, com idades entre 17 e 39 anos, estiveram na rua du Faubourg-Saint-Honoré, no 8° distrito, onde fica o palácio do Eliseu, como mostram as análises das ligações trocadas entre os extremistas. Durante as conversas, segundo Le Parisien, um deles até se vangloriou de conhecer bem o local.

A investigação agora visa determinar se eles pretendiam entrar no prédio e atacar sem um alvo preciso ou se buscavam determinar suas vítimas. Os terroristas também procuravam uma entrada de serviço no palácio presidencial.

Suspeitos garantem pertencer ao grupo Estado Islâmico
Um deles chegou a dizer durante os interrogatórios “que não ligava de atirar na polícia.” Os quatro extremistas, que garantiram pertencer ao grupo Estado Islâmico, chegou a obter R$ 1.200 para adquirir um fuzil Kalachnikov. Eles se reuniam em Chelles, na região de Seine et Marne, perto de Paris, para discutir os detalhes do atentado. Um dos suspeitos, menor de idade, tinha ficha na polícia e havia sido condenado por tentar viajar à Síria e integrar o grupo Estado Islâmico. O mais velho, Alexandre B, era funcionário da prefeitura de Paris.
http://br.rfi.fr/franca/20190502-policia-detem-suspeitos-de-planejar-atentado-no-palacio-do-eliseu






Galeria Saatchi encobre duas obras de arte após reclamações de visitantes muçulmanos

As duas peças fazem parte de uma nova exposição do artista SKU, que explora como 'absorvemos essas influências em nossas mentes e em nossos corpos'


As duas pinturas do artista SKU cobertas com folhas de papel, depois de terem sido consideradas blasfemas por visitantes muçulmanos é mais um sinal que as Leis de blasfémia ganha mais espaço e mais força no Reino da Rainha ao Califado. Mais um outro pequeno pedaço de liberdade desapareceu.
Além do óbvio duplo padrão arbitrário, se fosse uma pintura cristã a uma representação blasfema de Cristo a galeria ignoraria queixas dos cristãos.
72229

72230
72231
https://www.independent.co.uk/arts-entertainment/art/news/saatchi-gallery-muslim-visitors-sku-artworks-covered-up-a8901526.html
https://www.theguardian.com/artanddesign/2019/may/05/saatchi-covers-up-artworks-after-complaints-by-muslim-visitors
 

sparcx86_GHOST

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
27.391
Reações
18.494
Pontos
784
tópico recheado de conteúdo anti islâmico. lamentável haver espaço para isto aqui.
sem falar que faz generalizações absurdas como logo acima vemos casos de uma mulher que conheceu um sujeito na internet foi violada e morta, a noticia dá destaque a religião do sujeito como se somente muçulmano fizesse isto...
 

constatine

Bam-bam-bam
Mensagens
4.380
Reações
21.403
Pontos
294
"O agressor tentou ainda que Lara casasse consigo à força, tentando converter a vítima ao islamismo, tentativas às quais esta sempre resistiu."

tópico recheado de conteúdo anti islâmico. lamentável haver espaço para isto aqui.
sem falar que faz generalizações absurdas como logo acima vemos casos de uma mulher que conheceu um sujeito na internet foi violada e morta, a noticia dá destaque a religião do sujeito como se somente muçulmano fizesse isto...
 
Ultima Edição:

bushi_snake

Bam-bam-bam
Mensagens
9.403
Reações
5.103
Pontos
469
tópico recheado de conteúdo anti islâmico. lamentável haver espaço para isto aqui.
sem falar que faz generalizações absurdas como logo acima vemos casos de uma mulher que conheceu um sujeito na internet foi violada e morta, a noticia dá destaque a religião do sujeito como se somente muçulmano fizesse isto...
Bicho na boa, tem linhas que é de fuder se vc cruzar e vc deu o primeiro passo....
 

Yusuke Urameshi

Bam-bam-bam
Mensagens
5.049
Reações
14.892
Pontos
353
tópico recheado de conteúdo anti islâmico. lamentável haver espaço para isto aqui.
sem falar que faz generalizações absurdas como logo acima vemos casos de uma mulher que conheceu um sujeito na internet foi violada e morta, a noticia dá destaque a religião do sujeito como se somente muçulmano fizesse isto...
Ninguém pode fazer nada se é isso o que a verdade é para você.

Se não gostou, deite e chore, de preferência em posição fetal.
 

BESS4

Bam-bam-bam
Mensagens
9.822
Reações
38.835
Pontos
419
Acho que a coisa, por enquanto, não vai tomar uma proporção absurda, pq americanos, russos e chineses odeiam os muhamed....
Mas isso não impede que, caso os planos deles para europa se concretizem no futuro, teremos grandes chances da 3ª grande guerra vir desse contexto, daqui a algumas décadas.
 

Geo

Bam-bam-bam
Mensagens
9.052
Reações
10.093
Pontos
429
Islamofobia está forte aqui neste tópico.
 

constatine

Bam-bam-bam
Mensagens
4.380
Reações
21.403
Pontos
294
Líder da igreja de Burkina Faso morto pelos islamitas: 'Prefiro morrer a deixar minha religião''
2 de maio de 2019

Homens armados que atacaram uma igreja protestante em Burkina Faso em 28 de abril pediram ao pastor e a outros cinco que se convertessem ao islamismo antes que os matassem, informou o World Watch Monitor.

Em 28 de abril, na vila de Sirgadji, na província de Soum, no nordeste do país, depois que a igreja terminou seu serviço, o pastor Pierre Ouédraogo, de 80 anos, e outros membros estavam conversando no pátio da igreja. Por volta das 13h, uma dúzia de homens armados chegaram em motocicletas para invadir o local, disse um líder local, que queria permanecer anônimo, ao World Watch Monitor:

“Os agressores pediram aos cristãos que se convertessem ao islamismo, mas o pastor e os outros se recusaram. Então ordenaram-lhes que se reunissem sob uma árvore e levassem suas Bíblias e telefones celulares. Então eles os chamaram, um após o outro, atrás do prédio da igreja, onde os mataram ”.

Assim como o pastor, seu filho Wend-Kuni e seu cunhado, Zoéyandé Sawadogo (um diácono) foram mortos, além de Sayouba e Arouna Sawadogo, e um professor de escola primária Elie Boena.

Adama Sawadogo, gravemente ferido, foi levado a um centro médico próximo: seus ferimentos não são fatais.

Os assaltantes então atearam fogo à igreja e duas motos, depois roubaram algumas ovelhas e um saco de arroz da casa do pastor antes de partirem.

Os seis foram enterrados no mesmo dia .
De acordo com outras fontes locais, os mesmos atacantes (alguns conhecidos pelos locais como “jovens que foram radicalizados”) voltaram para a aldeia no dia seguinte “em busca de cristãos”. As fontes dizem que os grupos armados podem se mover impunemente por causa da falta de aplicação da lei.

Mais de cem cristãos já partiram para cidades mais seguras mais ao sul, como Kongoussi, a mais de 75 quilômetros de distância.

O International Crisis Group apontou a fraqueza do aparato de segurança do país desde a saída do ex-presidente Blaise Compaoré em outubro de 2014.
https://www.worldwatchmonitor.org/2019/05/burkina-faso-church-leader-killed-by-islamists-id-rather-die-than-leave-my-community








ERDOGAN CHAMA O GENOCÍDIO ARMÊNIO DE “REALOCAÇÃO RAZOÁVEL”
72594
O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, justificou o genocídio armênio, argumentando que a deportação do grupo cristão pelo Império Otomano em 1915, que levou à matança em massa, foi "razoável".

24 de abril é o aniversário do genocídio, quando grande parte do mundo homenageia os mais de 1,5 milhão de armênios mortos entre 1915 e 1923. O Império Otomano também limpou etnicamente a Turquia de assírios e gregos naquela época. A Turquia ainda precisa se desculpar pelos assassinatos ou até reconhecê-los como um genocídio, e seu governo condena aqueles que o fazem.

A remoção forçada dos armênios estava entre as várias medidas drásticas que o Império Otomano adotou contra o grupo, que acabaram resultando em genocídio.

Erdogan teria declarado em um simpósio na quarta-feira:

A realocação das gangues armênias e seus partidários, que massacraram o povo muçulmano, inclusive mulheres e crianças, no leste da Anatólia, foi a ação mais razoável que poderia ser tomada em tal período. As portas de nossos arquivos estão abertas a todos que buscam a verdade.
http://sheikyermami.com/2019/04/erdogan-calls-armenian-reasonable-relocation






Paris: Motorista muçulmano de ônibus se recusa a pegar mulher por causa de saia curta ."Pense em se vestir adequadamente",disse ele.
8 de maio de 2019

Um motorista de ônibus em Paris, descrito como um "islâmico", recusou-se a pegar a filha de um famoso poeta argelino porque sua saia era curta demais.

De acordo com um relatório do jornal italiano Il Giornale , o incidente ocorreu na terça-feira passada na parada de Botzaris, perto do parque Buttes Chaumont, no 19º arrondissement.

Em um post no Facebook (que foi posteriormente censurado), o poeta argelino Kamel Bencheikh revelou como sua filha de 29 anos, Elise, e sua amiga tentaram embarcar no ônibus às 23 horas da noite.

“Quando o ônibus chegou, o motorista parou, olhou para elas e saiu sem abrir as portas”, escreveu Bencheikh.

As meninas correram atrás do ônibus e conseguiram alcançá-lo no sinal vermelho. Quando perguntaram ao motorista por que não estavam autorizadas a bordo, ele respondeu: "Pense em se vestir como deveria."

“Esse indivíduo, que dirige um ônibus e é pago pelos meus impostos, impediu minha filha, portadora do passe Navigo [passe de subscrição para transporte público em Paris], que era válido e portanto em ordem, desde o embarque, só porque ela usava saia ”, escreveu Bencheikh.

A empresa de transportes públicos de Paris, a RATP, prometeu investigar o motorista, mas não apresentou um pedido de desculpas a Elise e sua amiga. Apenas alguns políticos republicanos reclamaram do incidente.

De acordo com o relatório do Il Giornale, os islamistas foram encarregados de dirigir os ônibus nos notórios subúrbios de Paris para evitar que os arruaceiros jogassem pedras nos veículos.

“Este é o caso de Samy Amimour, um dos jihadistas que ensanguentaram o Teatro Bataclan”, afirma o relatório. “De 2010 a 2012, antes de ir para a Síria para lutar com o Estado Islâmico, ele foi piloto da RATP. No livro Mohammed ao volante - Sharia na virada , como lembrou Libero, Ghislaine Dumesnit acusou os sindicatos franceses de permitir que muçulmanos radicalizados se infiltrassem na agência de transporte, os depósitos de ônibus se transformassem em salões de oração e os motoristas [não muçulmanos ]sempre foram discriminados por colegas da fé islâmica ”.

A mídia há muito declara que “zonas proibidas” ou áreas de grandes cidades onde a lei sharia de fato é aplicada é tudo uma “teoria da conspiração”.

Isso, apesar das câmeras da CNN filmarem exatamente isso em Londres há muitos anos.
https://www.thetimes.co.uk/article/bus-driver-closes-door-to-woman-in-a-short-skirt-cdsjn6vzd







Proprietários de empresas francesas pedem ajuda do governo para lidar com a violência do Ramadã.
7 de maio de 2019.

Donos de empresas francesas na cidade de Montpellier estão pedindo ao governo local que proporcione maior segurança, argumentando que a violência aumentou significativamente durante o mês do Ramadã nos últimos quatro anos.

Os donos das empresas, todos a operar no bairro de Gambetta, dizem que ,todos os anos , quando o Ramadã chega , eles veem um aumento de violência que poderia afetar negativamente seus negócios, relata a rede de notícias locais French Actu .

O empresário local Ajouri M. explicou o problema dizendo que “durante quatro anos, ao mesmo tempo, durante o mês sagrado do Ramadã , o bairro de Gambetta é palco de violência e extraordinárias tensões. E o Ramadã está ai.

Ele explicou que a vizinhança frequentemente vê esfaqueamentos, trocas de tiros e brigas violentas e, embora a polícia responda aos incidentes, ele afirmou que os criminosos voltam assim que os policiais vão embora.

De acordo com o empresário, ele e vários outros estão em contato direto com o prefeito de Montpellier, Philippe Saurel, para discutir o aumento da segurança na área.

A violência em todo o mundo muçulmano durante o mês sagrado, às vezes chamada de “ Raiva do Ramadã ”, tem sido associada a ataques terroristas e outros incidentes violentos ano após ano.
https://actu.fr/occitanie/montpellier_34172/securite-montpellier-dispositif-renforce-ramadan-cours-gambetta_23495522.html








Sudão: militares assumem governo, e querem continuar seguindo a Sharia
72595
O sanguinário presidente Omar al-Bashir, responsável pela matança de cristãos no atual Sudão do Sul, foi deposto após manifestações de rua. Mas o grupo de 10 militares que foram o governo provisório não têm intenção de mudar nada no país.
www.bbc.com/news/world-africa-48196336







72596
https://www.thereligionofpeace.com/
 
Ultima Edição:
Topo