O que há de Novo?
  • Novo tema VIP está disponível
    Visitante, um novo tema com fundo escuro agora está disponível para aqueles que contribuíram com doações ao fórum e têm o status VIP. Veja os detalhes aqui.


[Mídias] Quem lacra, não lucra.

Goris

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
15.450
Reações
53.650
Pontos
553

Quem lacra, não lucra.


É uma frase que ouvi na Outerspace pela primeira vez. lááá atrás, ainda na época do filme das Caça-Fantasmas.

Pra quem não é da época, quando disseram que iam lançar um novo Os Caça-Fantasmas, muita gente torceu o nariz, por conta da memória afetiva. Não queriam uma versão nova pra estragar a memória da antiga. Nisso, disseram que seria uma versão feminina e feminista dos heróis dos anos 80 e muito mais gente torceu o nariz.

Quando o primeiro trailer saiu, foi confirmado que seria um filme ruim. Mas, ao invés de pegar a má recepção e mudar os pontos que reclamaram, o estúdio escolheu ouvir o que diziam as feministas e SJWs "É tudo machismo, qualquer um que não gostou do primeiro trailer é machista alt-right, continuem o filme que não podemos nos render a eles" e o estúdio, os atores, a mídia, todos passaram a falar que qualquer um que apontava os defeitos do trailer e de como o filme parecia que ia ser, eram machistas (falar que eram eleitores do Trump, na época não rolava, as eleições ainda tavam longe). Aqui mesmo no fórum, qualquer crítica ao filme era vista desse jeito (ainda era uma epoca antes do Impeachment e os MAVs dominavam) mesmo que a pessoa explicasse cena a cena do trailer (e dos seguintes) o que estava errado com a visão de filme que ele passava.

Não deu outra, confiando que os SJWs seriam suficientes, o filme se tornou praticamente anti-machista e brigou com metade das pessoas do mundo. E, depois que você é chamado por meses e meses de machista, poucos homens foram lá assistir ao filme. E poucas mulheres foram assistir tbm, afinal elas não foram atrás de filme cabeça que discutia guerra dos sexos. E, claro, os feministos e feministas não foram. Comédia é pouco pra nossa elite intelectual. O filme flopou feio aqui e o lucro do filme sequer o pagou, se clicaram no link aqui em cima, vão ver nos comentários que a guerra tava a toda lá tbm. Não gostar do filme ou de u remake é ser machista. Não tenho mais o link mas até mesmo li críticas de feministas falando exatamente isso, que o fracasso do filme era culpa do machismo, que os estúdios tinham que fazer mais filmes como aquele para mudar a mente dos machistas misóginos e, no final, ela admitia que não viu o filme (talvez fosse baixar um torrent mais pra frente).

Logo depois foi a vez da Marvel. A história dela é mais conhecida. Lá pra 2015/2016 decidiram dar uma SJWizada nela, trocaram personagens antigos, consagrados, por novas versões. Homem de Ferro virou uma menina negra, Capita Marvel foi substituída por uma adolescente islamica (1), Thor foi substituído por uma mulher (2), o Capitão América foi trocado por outro, negro (3), e por aí vai. Diversidade a mil. Só que isso fez com que os fãs parassem de comprar os gibis e, em raros casos, o total de novos fãs não compensou os fas perdidos.

Quando a queda nas vendas começou a afetar o bolso dos donos das Comic Shops, eles se uniram e pediram pra Marvel ir devagar nas mudanças. Nas palavras deles, o problema não era ter um super-herói negro, uma super-heroína, um herói gay, islâmico ou trans. O problema era tirar os personagens antigos, cheios de fãs e trocar eles por outros que, muitas vezes, não tinham o mesmo carisma. Se queriam novos heróis diversos, criassem eles e os melhores seriam aceitos, os ruins sumiriam mas todo o público seria contemplado.

Afinal uem assistia o filme do Homem de Ferro, saía todo empolgado pra ver o Tony Star e ia comprar o gibi e dava de cara com uma menina negra de 16 anos, com total outra pegada, não voltava depois pra comprar. O fã de longa data do Tony Stark tbm não ia comprar. E os SJWs que adoravam a nova Diversidade da Marvel ou achavam gibi algo muito abaixo deles (lembra As Caça-Fantasmas?) ou simplesmente baixavam um torrent, já que dependiam de mesada da mãe e era melhor lutar contra o capitalismo tomando café (e tirando selfie) na Starbucks que comprando... gibi. os reclamantes até comentaram, não tem nada de errado com a diversidade, podem cria

Novamente, todos os dados tavam lá. Ninguém que gosta do Thor tem que comprar a Thora. Ninguém que gosta do Tony Stark tem que gostar da Riri Williams. Mas pros SJWs, machismo, homofobia, nerds são a coisa mais escrota do mundo... E a Marvel também comprou a idéia de que brigar com quem compra seus gibis pra agradar SJWs (esperando que eles fossem se tornar o público pagante) e só perdeu clientela.

Esse ano voltaram atrás e estão correndo atrás dos fãs perdidos. Que nem sabemos se vão voltar.

A netflix tentou investir nesse público com a série Sense8 também. A série, de ficção científica, girava ao redor de um grupo de pessoas que, misteriosamente, descobre que podem compartilhar as emoções, habilidades e cia uns dos outros (imagine que você seja um nerd e precise correr para pegar o ônibus e tem um parceiro que é corredor olímpico... Ao mesmo tempo, esse corredor olímpico precisa passar numa prova de word e vc sabe usar o programa, ambos trocam as habilidades). Mas na série se tocava muito nos temas sexualidade, diversidade e etc. Não vi o seriado para saber se era bom, mas acabou que ele não teve o público esperado e foi cancelado. Bom, nesse caso não é uma série que muda algo que os fãs gostavam, era algo original e acho realmente uma pena o fracasso. Mas vale muito a pena comentar a frase que um colega de fóruma comentou nem tem tanto tempo assim "Mais um mês, mais um e-Mail falso pra assistir Netflix no mês grátis pra assistir minha série Sense8", ou seja, o cara tava vendo a série mas não dava de seu dinheiro pra ela funcionar. E bastou a série ser cancelada "Malditos opressores machistas misógicos e homofóbicos! A série foi cancelada por causa de vocês!".

Star Wars foi um dos grandes sucessos do ano passado. Mas se estimava que ele faturaria uns 2 bilhões. A bilheteria acabou sendo 700 milhões de dólares abaixo do esperado. A causa, muita gente comenta, é a SJWzice do diretor, que adorou destruir ícones da franquia e, para empoderar as mulheres, decidiu emburrecer ao absurdo todos os personagens masculinos do filme. Ah, vale lembrar que homenageia Trump logo no começo do filme, com um almirante inimigo que só sabe gritar e fazer ameaças vazias. Continua sendo um sucesso, mas deixar de ganhar mais de meio bilhão por SJWzice é de matar.

Gente, volto logo e termino meu wall of text com conclusões.
 


Goris

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
15.450
Reações
53.650
Pontos
553
Usa uma raquete opressora elétrica...aqui a minha nem tiro da tomada :klol
Saí hoje pra comprar uma, a loja do bairro estava fechada. E não saí com dinheiro pra poder ir de ônibus pro centro. Acabei nao comprando...
 


Goris

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
15.450
Reações
53.650
Pontos
553
Continuação

Ghost in the Shell, de todos os filmes que eu puder me lembrar, sempre vai ser o exemplo máximo de Quem Lacra, Não Lucra. O filme fez quase tudo certinho. A heroína principal era uma mulher forte, vítima do governo capitalista opressor, independente (as cenas em que, no anime, Bateau ajudava e até salvava a major agora só tinham ela protagonizando) e bonita. Praticamente tudo que uma feminista enxerga em si mesma e que os feministos amam. Mas, os SJWs não são um grupo que diz "Nossa, seguiram 70% das coisas que pregamos, vamos apoiar o filme", eles meio que são um pouco menos racionais e se focaram nos 30% que eles não gostam.

Como resultado, lançaram antes mesmo do filme ser lançado uma gigantesca campanha contra ele por... White Washing. No filme, a Major era protagonizado por uma mulher branca. Nos animes, por uma japonesa. E era um absurdo isso! Onde já se viu, uma adaptação de um filme tem que ser fiel racialmente aos padrões SJWs. Se você colocar um negro no lugar de um Deus nórdico, uma negra num filme passado na corte do Rei Arthur, um gay num filme passado em 1900 (quando ser gay era passagem pra manicômio) é totalmente aceitável. Mas uma branca no lugar de uma japonesa? Era uma ofensa inaceitável aos japoneses (e não importa se os japoneses adoraram, ninguém perguntou pra eles, que calem sua boca enquanto nós defendemos eles).

Sério, não era filme pra faturar o bilhão. A história nem era tão legal (diretores SJW não são bons em fazer filmes pipoca) e eu, em especial, me ressenti do Bateau virar personagem secundário. Ele não era o cavaleiro branco que salvava a donzela indefesa, Bateau e Major eram um time, com um ajudando o outro. Diminuir o homem pra mulher parecer maior (sendo que já era) é apenas trocar a inequidade da coisa. Mas o backlash foi pesado.

O filme se pagou (110 de custo, renda de 168) apenas nominalmente, já que parte da arrecadação fica com os cinemas e impostos do governo).

Mãe meio que foi um filme OK. É até engraçado pensar que, numa de suas interpretações o filme é uma crítica a Spoiler. Ou seja, é um filme pra agradar SJW. Mas alguém saiu do cinema falando que era uma crítica a imigração, com os imigrantes sendo retratados de forma terrível no filme. Quem assistiu viu que essa visão é bem distorcida. Mas pros SJWs é isso e ponto final, atacaram o filme até dizer chega. No final, custou 30 milhões (mais propaganda) e faturou apenas 44 milhões. Pra um estúdio, é fracasso.

Numa das interpretações, o filme é uma crítica a Deus! E faz todo o sentido biológico essa!
 

DarkMorten

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
22.504
Reações
16.975
Pontos
614
bom, não gastei $ nem banda e nem horas de vida pra ver nenhum desses 2 filmes

os ghost busters, que achava legal quando criança, mas nem tãaããããão legal assim também, me satisfaço com os 2 dos anos 80 ... mas, não me afastei do novo por ter mulheres ou por ser um filme sei lá, esquerdinha ...
mas sim quando vi no elenco atores que não gosto .. foi o suficiente

já o Shell .. bem, nem o anime eu conheço ....
 

sebastiao coelho neto

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
12.771
Reações
27.825
Pontos
639
Eu achei o primeiro texto muito bom e concordo com quase tudo. Só não concordo com a parte do SW porque acho que seu "fracasso" é mais porque, bem, o filme em si tem várias falhas de roteiro, mas principalmente por causa da revolta dos fãs hardcores contra o personagem de Luke, que ia contra tudo que ele era nos filmes anteriores e o universo expandido (que foi descartado). Se isso casa com a narrativa de quem reclama dos SJW eu acho que é mais uma coincidência do que algo proposital.

Quanto ao segundo texto, os filmes mostrados mostram mais como a lacração pode prejudicar do que exemplos de filmes que tentavam agradar essa turma mais foram execrados (que é o mote do tópico). Ghost in the Shell não me parece um filme pra agradar feministas. É uma mulher praticamente semi-nua e bonita ainda por cima. Feministas não gostam disso. Tenho certeza que as criticas de whitewashing não existiriam se a Major fosse branca mas baixinha e gordinha. Já o protagonismo dela em cima do Batou (e de todo o resto da equipe, menos o chefe deles) é mais porque é a atriz principal. Pra mim o filme falhou porque, assim como SW, tem falhas no roteiro, desagradou muito os fãs do Anime* e é um filme que não empolga nem nas cenas de ação.

Já Mãe também não é um filme lacrador nem nunca pretendeu ser. Alguns criticos dizem que o fracasso dele é mais porque ele não tinha como ser vendido. É bom ver que essa polêmica do filme ser uma metáfora a imigração foi feita por um crítico do Uol** aqui no Brasil e que provavelmente nem tinha visto o filme (talvez só o trailer que, confesso, me enganou também). Provavelmente esse texto causou ojeriza a turma da lacração. Tivesse dito deste o início sobre o que era, talvez o filme fosse aplaudido por eles mas perderia muito de sua surpresa e continuaria sendo um fracasso de público.

* Sobre Ghost in the Shel, recomendo esses dois vídeos. Um mostra como o autor é fã do Anime e o segundo é do mesmo autor que diz onde a adaptação errou

** Aqui no spoilerlink do Uol do crítico mané e uma provável explicação para as vaias que o filme recebeu no festival de Veneza
https://cinema.uol.com.br/noticias/redacao/2017/09/05/mae-filme-de-terror-com-jennifer-lawrence-e-vaiado-em-sua-1-exibicao.htm
E sobre a vaia, uma provável razão é que como o festival é na Itália, muitos criticos que também seria católicos não teriam gostado da metáfora a Bíblia e a Deus.

Edit Off topic
E falando em Whitewashing em anime adaptado, vocês viram como os japoneses estão pouco se lixando pra isso? O live action do Full Metal Alchemist tem japoneses com perucas louras, nomes alemães e em cidades bem parecidas com a Europa do século XIX. Um verdadeiro yellowwhasing e não tem nenhum textão em grandes veículos!
upload_2018-3-7_23-16-45.jpeg
 
Ultima Edição:

Doutor Sono

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
12.706
Reações
38.949
Pontos
574
E a palavra de ordem que os militontos tem que repetir agora é "Quem lacra, não lucra".
 
Mensagens
1.098
Reações
2.670
Pontos
283
Como sempre a esquerda fazendo o que sabe de melhor, fuder com tudo e todos, até que não sobre pedra sobre pedra !!!, Não vou nem dar mais "adjetivos", pois eu ( infelizmente) já tomei uma advertência por falar a verdade sobre essa corja !!!!
 

Mokvwap

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
10.752
Reações
44.851
Pontos
553
Lacradores estão mais interessados em quebrar o brinquedo do outro do que em brincar com seus brinquedos. Aliás, elxs não se interessam por quadrinhos, jogos e filmes o suficiente para gastarem dinheiro com isso. Só fazem criticar e elogiar nas redes sociais.

Acho que o exemplo mais icônico pra isso foram as HQs da Marvel. Em nome da diversidade aposentaram os heróis clássicos para substituir eles por mulheres, minorias, fazer personagens se revelarem gays e o cacete, no cúmulo de transformar o Capitão América num nazista só pra sarrar com o Trump.



Resultado? Vendas caíram, os quadrinhos dos novos heróis SJW encalharam, e a Marvel já está passando a tesoura nessas HQs. O vice-presidente da Marvel disse que embora as HQs fossem muito elogiadas no Twitter, as vendas não justificavam a continuação.
 

Jack Skellington

Bam-bam-bam
Mensagens
2.336
Reações
12.131
Pontos
303
E enquanto o A Bela e a Fera de 2017? Eu não assisti, mas dizem que é um filme feminista. Se bem que a versão animada de 1991 já era considerado feminista.
 

The Kong

Cruz Bala Trevoso
VIP
Mensagens
21.560
Reações
90.938
Pontos
584
E enquanto o A Bela e a Fera de 2017? Eu não assisti, mas dizem que é um filme feminista. Se bem que a versão animada de 1991 já era considerado feminista.
Vi os dois, o desenho, quando criança, e o filme, e não vi nenhum viés político!
 

Maladino

Bam-bam-bam
Mensagens
6.258
Reações
7.311
Pontos
459
Não gosto dessas "SJWisses" forçadas. Além do que eu vejo uma hipocrisia cavalar no público alvo. Se eu lançasse hoje um filme com um personagem black token estereótipo eu seria destruído nas mídias sociais, mas no caso do Ghostbusters as críticas contra a personagem estereotipada da Leslie Jones caíram para o décimo plano porque defender o filme virou um front político.

Sobre as HQs, não tenho nada contra quando lançam versões alternativas fora das linhas originais, apesar de achar isso bem pouco criativo (Com raras exceções). Poxa, criem um personagem novo, um herói novo.

PS: Achei bobeira do pessoal se mordendo com o Capitão América quando deu aquela história de "Hail Hydra". Foi só um arco bosta, nada de político na minha opinião.

Mãe meio que foi um filme OK. É até engraçado pensar que, numa de suas interpretações o filme é uma crítica a Spoiler. Ou seja, é um filme pra agradar SJW. Mas alguém saiu do cinema falando que era uma crítica a imigração, com os imigrantes sendo retratados de forma terrível no filme. Quem assistiu viu que essa visão é bem distorcida. Mas pros SJWs é isso e ponto final, atacaram o filme até dizer chega. No final, custou 30 milhões (mais propaganda) e faturou apenas 44 milhões. Pra um estúdio, é fracasso.

Numa das interpretações, o filme é uma crítica a Deus! E faz todo o sentido biológico essa!
Mãe não é uma alusão descarada à bíblia? Não digo nem uma crítica, é uma alusão quase que literal. Na minha opinião o filme não deu dinheiro porque é pra um público extremamente de nicho.
 

Goris

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
15.450
Reações
53.650
Pontos
553
E enquanto o A Bela e a Fera de 2017? Eu não assisti, mas dizem que é um filme feminista. Se bem que a versão animada de 1991 já era considerado feminista.
Sabe, o problema é que quem conta a estória, dá a sua narrativa.

Tipo, assistiu Mad Max? A Furiosa foi mais importante para o filme que o Max e assim mesmo praticamente ninguém ficou reclamando de feminismo. Porque foi algo orgânico, a Furiosa foi ficando importante, ela era foda, mas o Max não foi "diminuído", é algo que aconteceu (se assistiu Pantera Negra, percebeu como, lá pro fim do filme o primo do Pantera se destacou mais que ele? Quase ninguém reclamou porque foi natural).

Temos incontáveis filmes, como Aliens, Terminator II, Kill Bill, Jogos Vorazes e cia que tem mulheres em papéis de destaque ou protagonistas e ninguém reclama de serem mulheres.

Ja os SJWs tem o hábito de colocar os homens como inferiores pra mulher ser superior (mas feministos e istas adoram dizer que a luta deles é pela igualdade) e isso estraga muitos filmes. Tem gente que defende Star Wars, direito delas, mas eu notei isso em The Last Jedi, todos os homens do filme (curiosamente, exceto pelo vilão sedutor, vai entender, falam de mulher de malandro e colocam a protagonista pra se apaixonar pelo cara que queria matar ela dias antes) são idiotizados para as mulheres se sobressarírem.

Teve outro filme recente que eu reclamei bastante disso - mas minha memória não está ajudando - em que a mulher ficou poderosa demais e os homens ao redor dela, todos, enfraquecidos. De repente depois eu lembro.

E olha que não é apenas feminismo que compõe os temas favoritos dos SJWs.
 

Goris

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
15.450
Reações
53.650
Pontos
553
Não gosto dessas "SJWisses" forçadas. Além do que eu vejo uma hipocrisia cavalar no público alvo. Se eu lançasse hoje um filme com um personagem black token estereótipo eu seria destruído nas mídias sociais, mas no caso do Ghostbusters as críticas contra a personagem estereotipada da Leslie Jones caíram para o décimo plano porque defender o filme virou um front político.
Exatamente.
Quem estava defendendo o filme não o defendia por ter assistido e achado as críticas erradas, eram pessoas que não tinham assistido brigando com pessoas que não iam assistir. Até aí, nada de novo no front, exceto que o estúdio teve a brilhante idéia de apoiar os SJWs e não o público que bem convencido poderia até ir assistir.

Ou seja, pra muita gente, o filme foi vendido como feminismo em seu mais puro chororô e isso afastou essas pessoas. O que um estúdio inteligente faria? Diria "Veja, o filme é muito engraçado e não são duas horas de feministas fazendo piadas contra homens e defendendo política, tem ótimas piadas e humor!". Ainda que muita gente não fosse assistir, muitos poderiam enxergar o filme além de panfleto SJW e ir conferir. Mas não, o estúdio ficou do lado dos Me Me Me e ainda atacou quem não queria ver o filme. Nisso, os Me Me Me que defendiam o filme não foram ver (a defesa toda não era pelo filme) e a briga fez todo mundo, até o público alheio a essa briga, achar que o filme seriam duas horas de feminismo e não foi ver (porque a maioria das pessoas não tá nem aí pra isso.

Vale muito a pena dizer que o segundo trailer do filme foi ainda pior. Colocar um Thor se fazendo passar por um secretário burro cuja única qualidade era ser gostoso (claramente uma crítica velada à filmes que colocam mulheres nesse papel) teve o efeito oposto, mostrou claramente que era um panfleto ideológico. Deixando entendido que eu não acho legal mulheres serem mostradas em filmes como burras (nem fazem isso no primeiro Caça-Fantasmas) mas que se você diz que luta por igualdade e faz exatamente o que critica que façam, você não está lutando por igualdade.

Sobre as HQs, não tenho nada contra quando lançam versões alternativas fora das linhas originais, apesar de achar isso bem pouco criativo (Com raras exceções). Poxa, criem um personagem novo, um herói novo.
Exato.
Eu esqueci de colocar as referências (1), (2) e (3). Basicamente explicando que a Capitã Marvel islâmica era uma ótima personagem que merecia ter identidade própria (um nome só dela) e a Thora dizem ser uma boa personagem e com boas histórias (eu acompanhava a fase de Thor antes de Fear itself e estava achando muito boa, quando mudaram de Thor pra Thora eu simplesmente parei de ler porque achei sacanagem terminarem assim, do nada, aquela ótima fase).

PS: Achei bobeira do pessoal se mordendo com o Capitão América quando deu aquela história de "Hail Hydra". Foi só um arco bosta, nada de político na minha opinião.
De novo, decisão editorial acima de decisão dos autores, que tbm estavam escrevendo uma fase boa. O Hail Hydra em si pode não ser político, mas surgiu num momento político em que Trump havia vencido e mostrar um capitão América nazista sendo idolatrado e fazendo as coisas que o povo americano queria e o levando pra escravidão sem saber era uma clara mensagem de "Odiamos vocês, americanos que votaram no nazista do Trump". De repente aqui no Brasil essa referência se perdeu, mas tinha uma certa birra ideológica.


Mãe não é uma alusão descarada à bíblia? Não digo nem uma crítica, é uma alusão quase que literal. Na minha opinião o filme não deu dinheiro porque é pra um público extremamente de nicho.
É como eu disse, algumas pessoas tiveram outra interpretação, que era sobre imigração. E se você começar a assistir o filme com esse viés (agora que vc assistiu até o fim, não dá, mas...) imagine que a casa fosse a Europa, a protagonista o povo normal, apático que aceita tudo e o protagonista os políticos... Chamam dois imigrantes, dá problema. Chamam mais imigrantes dá ainda mais problema. Os imigrantes trazem mais imigrantes... Prometem se comportar, mas começam a instalar áreas de sharia e etc... Tipo, se você estiver com isso na cabeça - e SJWs sempre tem isso na cabeça - vc pode enxergar o que quer. Depois da metade do filme não dá pra enxergar assim, mas se vc já ficou triggered, já era, vc enxerga o que quer.[/QUOTE]
 
Ultima Edição:

Crystal

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
21.736
Reações
16.279
Pontos
729
Essa do Star Wars é a maior prova que essa merda é um fracasso, MEIO BILHÃO!
 

xxxnerozzz

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
14.573
Reações
16.105
Pontos
569
O problema é fazer algo só para agradar um certo grupo, se fazer algo decente não tem problema.
 

Goris

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
15.450
Reações
53.650
Pontos
553
O problema é fazer algo só para agradar um certo grupo, se fazer algo decente não tem problema.
Exato.
Como eu disse, quer criar um personagem novo para passar uma mensagem?
Ótimo, se for um bom personagem e a mensagem for boa, manda ver.

Basta pensar que X-Men surgiu sem ninguém ter ido lá e trocado o Quarteto Fantástico, que já tinha suas estórias e fãs, para eles se tornarem mutantes. Não, criaram os novos personagens (como tantos outros) e eles fizeram sucesso, sem destruir outros no processo.

Repito, criaram uma super-heroína adolescente, mulher, islâmica e o escambau, Kamala Khan, a Capitã Marvel, e a personagem era tão bem escrita que os fãs adoraram. Já o Homem-de-Gelo gay foi tratado como se "Nunca um herói dos X-Men se revelou gay" sendo que em 1970 já tinha o Estrela Polar gay nos quadrinhos. Um gay que, depois de se assumir em estórias bem tocantes, nunca mais se escondeu no armário. Não é chato haver um herói gay, o chato é transformar um herói em gay pra cumprir agenda.
 

Goris

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
15.450
Reações
53.650
Pontos
553
Esse Star Wars o cara desceu pro nível de gorda fanfiqueira. Criou uma OC foderosa, um vilão jorge e deu um jeito de mandar o cast antigo pra vala para poderem focar só nos OCs dele.
Pois é.
E a resposta da Disney, ou melhor, as respostas da Disney fazem com que mesmo depois de quase 4 meses ainda tem gente falando mal do filme no subfórum de Cinema.

E as duas últimas reportagens do Damage Control (Mark Hammil falando que o fim do Luke poderia não ser aquele e o Andy Serkis falando que podem trazer o Snoke de volta) lentamente estão me fazendo pensar que vão tentar rebootar o filme, sem rebootar.
 

xxxnerozzz

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
14.573
Reações
16.105
Pontos
569
Esse Star Wars o cara desceu pro nível de gorda fanfiqueira. Criou uma OC foderosa, um vilão jorge e deu um jeito de mandar o cast antigo pra vala para poderem focar só nos OCs dele.
Era necessário acabar com cast antigo, só que a maneira feita foi o problema, sem respeitar o próprio universo da saga, quer ter personagem feminino de destaque então desenvolva a personagem com cuidado, e não sair jogando a esmo é isso e pronto.
 
Ultima Edição:

Dr. Pregos

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
13.355
Reações
38.045
Pontos
553
Esse Star Wars o cara desceu pro nível de gorda fanfiqueira. Criou uma OC foderosa, um vilão jorge e deu um jeito de mandar o cast antigo pra vala para poderem focar só nos OCs dele.
Vou te falar que não senti nenhuma vontade de ver este ultimo Star Wars. Assim que saiu o Despertar da Força eu vi e logo pensei "Uau!um filme páreo para o Mad Max Feminist Fury". Vi o Rogue One sem pretensão nenhuma e adorei, pois se tentaram fazer uma lacração, foi bem sutil. A relação pai e filha do Galen Erso com a Jyn Erso foi bem construída. Agora este ultimo vou torresmar, pois nem vontade de comprar o bluray e por na minha coleção de Star Wars deu vontade.
 

Darkx1

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
11.990
Reações
25.879
Pontos
544
Eu acho que a Riri Willians foi vendida da forma errada desde o começo. Começou com essa situação de colocarem ela como substituta do Maquina de Combate, ai de chamarem de Homem de Ferro, ai mudam denovo, ai colocam o Tony em coma...
Se falassem que era uma nova personagem desde o inicio, muita coisa teria sido diferente.
 

albanibr

Ei mãe, 500 pontos!
VIP
Mensagens
11.687
Reações
22.001
Pontos
599
As manifestações culturais seguem a sociedade...
não dá pra mudar algo que já é "cultural" de uma hora pra outra só pra agradar os SJWs...
Eu SEI que o thor é um homem (sempre foi retratado assim), logo pq caralhos vou gostar que mudem pra uma mulher pq falta heroínas?

Ta aí a receita do fracasso, mudar algo pra agradar a minorias
 

Drew Brees

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
10.122
Reações
18.098
Pontos
639
Continuação

Ghost in the Shell, de todos os filmes que eu puder me lembrar, sempre vai ser o exemplo máximo de Quem Lacra, Não Lucra. O filme fez quase tudo certinho. A heroína principal era uma mulher forte, vítima do governo capitalista opressor, independente (as cenas em que, no anime, Bateau ajudava e até salvava a major agora só tinham ela protagonizando) e bonita. Praticamente tudo que uma feminista enxerga em si mesma e que os feministos amam. Mas, os SJWs não são um grupo que diz "Nossa, seguiram 70% das coisas que pregamos, vamos apoiar o filme", eles meio que são um pouco menos racionais e se focaram nos 30% que eles não gostam.

Como resultado, lançaram antes mesmo do filme ser lançado uma gigantesca campanha contra ele por... White Washing. No filme, a Major era protagonizado por uma mulher branca. Nos animes, por uma japonesa. E era um absurdo isso! Onde já se viu, uma adaptação de um filme tem que ser fiel racialmente aos padrões SJWs. Se você colocar um negro no lugar de um Deus nórdico, uma negra num filme passado na corte do Rei Arthur, um gay num filme passado em 1900 (quando ser gay era passagem pra manicômio) é totalmente aceitável. Mas uma branca no lugar de uma japonesa? Era uma ofensa inaceitável aos japoneses (e não importa se os japoneses adoraram, ninguém perguntou pra eles, que calem sua boca enquanto nós defendemos eles).

Sério, não era filme pra faturar o bilhão. A história nem era tão legal (diretores SJW não são bons em fazer filmes pipoca) e eu, em especial, me ressenti do Bateau virar personagem secundário. Ele não era o cavaleiro branco que salvava a donzela indefesa, Bateau e Major eram um time, com um ajudando o outro. Diminuir o homem pra mulher parecer maior (sendo que já era) é apenas trocar a inequidade da coisa. Mas o backlash foi pesado.

O filme se pagou (110 de custo, renda de 168) apenas nominalmente, já que parte da arrecadação fica com os cinemas e impostos do governo).

Mãe meio que foi um filme OK. É até engraçado pensar que, numa de suas interpretações o filme é uma crítica a Spoiler. Ou seja, é um filme pra agradar SJW. Mas alguém saiu do cinema falando que era uma crítica a imigração, com os imigrantes sendo retratados de forma terrível no filme. Quem assistiu viu que essa visão é bem distorcida. Mas pros SJWs é isso e ponto final, atacaram o filme até dizer chega. No final, custou 30 milhões (mais propaganda) e faturou apenas 44 milhões. Pra um estúdio, é fracasso.

Numa das interpretações, o filme é uma crítica a Deus! E faz todo o sentido biológico essa!
Off-topic: Ghost in the shell é bom? Recomenda assistir?

Lacradores estão mais interessados em quebrar o brinquedo do outro do que em brincar com seus brinquedos. Aliás, elxs não se interessam por quadrinhos, jogos e filmes o suficiente para gastarem dinheiro com isso. Só fazem criticar e elogiar nas redes sociais.

Acho que o exemplo mais icônico pra isso foram as HQs da Marvel. Em nome da diversidade aposentaram os heróis clássicos para substituir eles por mulheres, minorias, fazer personagens se revelarem gays e o cacete, no cúmulo de transformar o Capitão América num nazista só pra sarrar com o Trump.



Resultado? Vendas caíram, os quadrinhos dos novos heróis SJW encalharam, e a Marvel já está passando a tesoura nessas HQs. O vice-presidente da Marvel disse que embora as HQs fossem muito elogiadas no Twitter, as vendas não justificavam a continuação.
Depois desse caso, pra ficou muito evidente: Esse pessoal adora dar pitaco no que outros curte e eles não, porém quando é se trata de algo feito pra eles não consumem ou não tem tanto consumidores.

Em resumo, só sabem fazer barulho na internet atrapalhando o entretenimento dos outros.
 

DoMorro

Bam-bam-bam
Mensagens
897
Reações
4.163
Pontos
283
É como eu disse, algumas pessoas tiveram outra interpretação, que era sobre imigração. E se você começar a assistir o filme com esse viés (agora que vc assistiu até o fim, não dá, mas...) imagine que a casa fosse a Europa, a protagonista o povo normal, apático que aceita tudo e o protagonista os políticos... Chamam dois imigrantes, dá problema. Chamam mais imigrantes dá ainda mais problema. Os imigrantes trazem mais imigrantes... Prometem se comportar, mas começam a instalar áreas de sharia e etc... Tipo, se você estiver com isso na cabeça - e SJWs sempre tem isso na cabeça - vc pode enxergar o que quer. Depois da metade do filme não dá pra enxergar assim, mas se vc já ficou triggered, já era, vc enxerga o que quer.
Cara...Eu mudei completamente a minha percepção sobre o filme agora. E pra muito melhor (Não tinha lido nada sobre esse assunto antes). E olhas que, mesmo sem entender 100%, eu gostei muito do filme. Vou até assistir de novo com esse novo olhar. Só trocaria a alegoria do personagem do Bardem de "politicos" para os "SJW".

Com certeza o próprio diretor ao ter lido essas "interpretações" deve ter se arrependido e pensado. "Poxa. Pq eu não pensei nisso antes? Se eu tivesse vendido o filme com essa ótica ele teria lucrado horrores". Alguém duvida?
 

kapiel10

Bam-bam-bam
Mensagens
5.485
Reações
3.082
Pontos
354
pior que além do desastre da bilheteria do star war last jedis ainda tem a perda futura ,já que por causa disso tanto han solo quanto o sta war 9 terão menos publico
 

Dr. Pregos

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
13.355
Reações
38.045
Pontos
553
Off-topic: Ghost in the shell é bom? Recomenda assistir?
Depois desse caso, pra ficou muito evidente: Esse pessoal adora dar pitaco no que outros curte e eles não, porém quando é se trata de algo feito pra eles não consumem ou não tem tanto consumidores.
Em resumo, só sabem fazer barulho na internet atrapalhando o entretenimento dos outros.
Não sou o @Goris mas o Ghost in the Shell só recomendo assistir que nunca viu o anime. Pois para quem curtiu os animes assim como eu, vai cagar grosso vendo o filme.
 
Topo