O que há de Novo?
  • Novo tema escuro está disponível
    Um novo visual para o fórum com fundo escuro agora está disponível para todos. Você pode escolher o tema clicando no ícone de pincel no canto inferior esquerdo da página.
  • Estamos de volta. Informações sobre o downtime desta quarta estão na pasta Moderadores.


Produção industrial cai 14,7% na Argentina

Doug.Exausto

Habitué da casa
Mensagens
191
Curtidas
439
Pontos
98
#1
Em recessão desde o terceiro trimestre do ano passado, a Argentina teve nesta terça-feira, 5, indícios de que a crise econômica está se aprofundando ainda mais. A produção industrial no país retrocedeu 14,7% em dezembro na comparação com o mesmo mês do ano anterior, segundo dados do Instituto Nacional de Estatísticas e Censos (Indec). Foi o oitavo mês consecutivo de quedas crescentes e o pior resultado do setor no governo de Mauricio Macri. No ano, a indústria acumulou recuo de 5%.

O resultado do setor em dezembro é também pior do que o projetada por analistas ouvidos pela Trading Economics, que previam queda de 7,6%.

O órgão estatístico argentino divulgou, ainda na terça-feira, que a construção civil registrou queda de 20,5% em dezembro na comparação com o mesmo mês de 2017. No país, o segmento da construção não é contabilizado dentro da indústria, como ocorre no Brasil.
No ano, porém, a construção avançou 0,8%, impulsionada pelos resultados dos primeiros meses de 2018, quando as altas beiravam os 20%. A construção, principalmente as obras públicas, havia sido o grande motor do crescimento da economia argentina em 2017, quando o PIB avançou 2,9%.

Logo após apresentar esse resultado, porém, o país começou a perder tração, com o aumento da taxa de juros nos Estados Unidos – que tornou os investimentos americanos mais rentáveis e os de países emergentes, menos interessantes. Resultados fiscais ruins e um imposto sobre aplicações financeiras feitas por estrangeiros se somaram ao cenário que levaram o investidor a fugir da Argentina. A consequência de tudo isso foi uma desvalorização do peso argentino superior a 50% e uma inflação de 47,6% no ano, além de projeções de uma queda do PIB de 2,5% em 2018.

Para 2019, economistas estimam novo recuo para o PIB argentino, que deverá ficar entre -1% e -1,5%.

Brasil

O desempenho fraco da economia do país vizinho começou a prejudicar o Brasil no fim do ano passado. No quatro trimestre de 2018, a indústria brasileira recuou 1,1% na comparação com o mesmo período do ano anterior, em grande parte por causa da diminuição das exportações para a Argentina. Apenas as vendas para fora da indústria automotiva caíram 48,1% em dezembro em relação ao mesmo mês de 2017.

Com base nesses dados – e sobretudo por causa da falta de perspectivas de melhora na economia argentina –, o Instituto Brasileiro de Economia, da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) reviu para baixo as projeções para o crescimento da indústria brasileira neste ano. Em dezembro, o Ibre estimava uma alta de 2,5% para o setor. Agora, prevê 1,8%.
 


Geo

Bam-bam-bam
Mensagens
8.359
Curtidas
9.196
Pontos
429
#2
Eis a consequência lógica de um governo conservador colonialista. Indústria para quê? Esses líderes só querem que os países da AL sejam os eternos fornecedores de commodities para o hemisfério norte.

Ah, e outra crise mundial se avizinha e o Brasil, apenas agora ensaiando uma recuperação tímida, onde parará?
 


Mensagens
1.029
Curtidas
1.697
Pontos
234
#7
Eis a consequência lógica de um governo conservador colonialista. Indústria para quê? Esses líderes só querem que os países da AL sejam os eternos fornecedores de commodities para o hemisfério norte.

Ah, e outra crise mundial se avizinha e o Brasil, apenas agora ensaiando uma recuperação tímida, onde parará?
Eu vejo um user postando esse tipo de coisa e já o imagino com a camisa do assassino do Che Guevara e fumando maconha. Deve fazer humanas ..
 
Mensagens
1.874
Curtidas
1.752
Pontos
234
#8
Fui lá 3 semanas atrás, um olhar mais afiado e conversa com as pessoas demonstra a ideologia dominante lá, esquerdam pra caralho e acabaram elegendo um presidente frouxo que disse que as reformas não deveriam doer e serem graduais, tá ai a merda feita, lá até os taxistas são a favor do protecionismo
 

ptsousa

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
46.764
Curtidas
126.877
Pontos
814
#10
Fui lá 3 semanas atrás, um olhar mais afiado e conversa com as pessoas demonstra a ideologia dominante lá, esquerdam pra caralho e acabaram elegendo um presidente frouxo que disse que as reformas não deveriam doer e serem graduais, tá ai a merda feita, lá até os taxistas são a favor do protecionismo
Pois é. Na hora de fazer o que tinha que ser feito, cedeu à pressão e quis fazer "reformas indolores". Arregou e se fodeu, desperdiçando a chance que os argentinos tinham de tentar sair do buraco.

Agora o Kirchenismo volta nas próximas eleições e já élvis Argentina.
 
Mensagens
6.273
Curtidas
8.360
Pontos
394
#11
Descobri tudo gente. Foram os esquilos.

" The situation in Argentina has proven less convenient than predicted. Yeah we'll have to re-destablise their economy refocus labor class outrage from upper to middle foster a coup and install a compliant regime. Same as Guatemala? Yes, but you can double time. We need a quorum to pick a new pope in case the Exxon Monsanto thing falls through in Africa. Why not use Chemtrails? Put a canopy on Uganda. They're set to agitate...What...That kid is watching us. So? We're squirrels, he's a kid. He's watching us like he hears what we're saying. Tell Daphne to run a 199 on a possible Dolittle. "

 

Beren_

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
12.033
Curtidas
24.615
Pontos
553
#13
Eis a consequência lógica de um governo conservador colonialista. Indústria para quê? Esses líderes só querem que os países da AL sejam os eternos fornecedores de commodities para o hemisfério norte.

Ah, e outra crise mundial se avizinha e o Brasil, apenas agora ensaiando uma recuperação tímida, onde parará?
huahuahuhuhauhauhuahuahuah

Desculpa mas eu só consigo rir.
 

Topo