O que há de Novo?
  • Novo tema VIP está disponível
    Visitante, um novo tema com fundo escuro agora está disponível para aqueles que contribuíram com doações ao fórum e têm o status VIP. Veja os detalhes aqui.


[TÓP. OFICIAL - HOME STUDIO - ATUALIZADO 09/03/2010!] KNOW HOW [+Dicas e Indicações]

gajo666

Bam-bam-bam
Mensagens
3.412
Reações
923
Pontos
229
[SIZE="4"][COLOR="Blue"]Fala pessoal, beleza?
Ontem tive a visita de um amigo de velha data aqui no estúdio, e após algumas horas de bate-papo, ele finalmente me disse qual era o própósito da visita: [SIZE="5"][COLOR="Red"]MONTAR UM HOME STUDIO.[/COLOR][/SIZE]

Ele me questionou bastante sobre a questão dos equipamentos, custo-benefício, o que era realmente indispensável, etc... e depois de pensar bastante, resolvi postar algumas idéias e sugestões, pois, o que era a dúvida desse colega, também pode ser de outro amigo aqui do fórum.[/COLOR][/SIZE]

Bom, será que aqueles estúdios de gravação grandiosos, com equipamentos sofisticados (e invariavelmente caros) que permeiam os sonhos de 10 entre 10 músicos que querem registrar suas músicas estão com os dias contados? Com certeza não, mas uma coisa é bastante certa: de um tempo para cá houve uma democratização ao acesso de tecnologia, e hoje é possível registrar em sua própria casa (com extrema qualidade) suas idéias musicais e porque não, até mesmo discos de excelente qualidade.

O Home Studio hoje é uma realidade ao alcance de um número bem maior de pessoas, com possibilidades de aquisição de equipamentos de excelente custo-benefício que podem propiciar a gravação de material de excelente qualidade.


[SIZE="6"][COLOR="red"]Definição da configuração ideal [/COLOR][/SIZE]

Antes de tudo, é preciso saber o que você pretende fazer em seu estúdio, para podermos definir os componentes necessários para a realização de seus objetivos. Veja em que caso você se enquadra:

[SIZE="6"][COLOR="red"]1. Produção e pré-produção musical[/COLOR][/SIZE]
É a intenção da maioria das pessoas. Nesse tipo de estúdio você poderá compor e fazer arranjos, usando tanto instrumentos eletrônicos MIDI quanto instrumentos acústicos, sendo que os arranjos de base (bateria, baixo, piano, cordas, etc) serão realizados em MIDI, com timbres de sintetizadores, e os vocais e instrumentos acústicos menos sintetizáveis (ex: violão, sax, guitarra) poderão ser gravados em pistas de áudio. Com essa configuração você terá condições de gravar e depois finalizar todo o trabalho num CD, que poderá ser usado como amostra (demo) ou, dependendo dos equipamentos escolhidos, poderá até mesmo produzir um material com qualidade suficiente para distribuição final.

[SIZE="4"][COLOR="Blue"]Configuração mínima sugerida:[/COLOR][/SIZE]
[COLOR="blue"]Computador PC:[/COLOR] Intel Pentium III ou AMD Athlon de 900 MHz, com 256 MB de memória, disco rígido de 30 GB, gravador de CD e monitor de vídeo de 17”. Dê preferência por uma placa-mãe de boa procedência (Asus, Soyo, etc) e use o Windows ME ou 2000. Se for usar o Windows XP, certifique-se de que os softwares que você vai usar são realmente compatíveis. LEMBREM-SE DE QUE ESSA É UMA CONFIGURAÇÃO MÍNIMA!!!

[COLOR="blue"]Placa de áudio:[/COLOR] O ideal é ter uma placa profissional com pelo menos 2 entradas e 2 saídas analógicas de áudio, com conversores de 24 bits / 96 kHz. É importante que a placa possua os drivers adequados às aplicações que você pretende fazer, sobretudo o novo driver WDM (que lhe permitirá trabalhar com baixa “latência” e sintetizadores virtuais DXi no software SONAR), ou driver GSIF para o software Gigasampler, se esse for o seu escolhido. ESQUEÇA AQUELA PLAQUINHA DE SOM SOUND BLASTER QUE VOCÊ TEM NO SEU PC!!!

Minha sugestão é a placa Midiman Audiophile 2496, que possui 2 entradas e 2 saídas analógicas de 24 bits / 96 kHz, e mais entrada e saída digitais stereo (S/PDIF), e também interface MIDI In/Out. Ela possui drivers para praticamente todas as necessidades, incluindo WDM, GSIF, ASIO, etc. Se você quiser algo mais profissional (mas ainda em nível intermediário), sugiro as placas mais simples da M-Audio, que além de serem excelentes, servem como hardware para o uso do PRO-TOOLS POWERED, porém, seu custo pode desencorajar alguns...

[COLOR="blue"]Interface MIDI:[/COLOR] Se você pretende usar teclados e módulos sintetizadores, será necessário ter uma interface MIDI que permita a conexão deles ao computador. Se a sua escolha para placa de áudio foi a Audiophile, ela lhe atenderá também como interface MIDI, desde que uma entrada MIDI In e uma saída MIDI Out atendam às suas necessidades.

Caso haja necessidade de uma interface MIDI separada, sugiro a Midiman Midisport 2x2, que oferece 2 entradas MIDI In e 2 saídas MIDI Out totalmente independentes. Ela é externa ao computador, conectando-se a ele pela porta USB. Possui driver compatível com todas as versões do Windows, desde o 98.

[COLOR="blue"]Software:[/COLOR] Você precisará de um software que permita fazer as gravações de MIDI e de áudio, em múltiplas trilhas, assim como editar esse material e prepará-lo para a finalização em stereo em CD.

Minha sugestão é o Cakewalk SONAR, que permite gravar múltiplas trilhas de MIDI e áudio, com inúmeros recursos de edição e processamento. Ele já vem com sintetizadores virtuais, que você poderá usar para executar as trilhas de MIDI, e vários plug-ins de efeitos que podem ser usados nas trilhas de áudio. Permite trabalhar com loops de áudio (aceita loops do software Acid) e funciona bem com a maioria das placas de áudio existentes no mercado. Também existem outras boas opções, como o Sony Acid e o Cubase. NÃO TENTE INSTALAR O PRO-TOOLS!!! ELE NECESSITA DE HARDWARE ESPECÍFICO PARA RODAR, LEMBRE-SE DISSO.

[COLOR="blue"]Mixer:[/COLOR] Para misturar e direcionar os sinais de áudio de todos os instrumentos e equipamentos do estúdio, será necessário uma mesa de mixagem (ou mesa de som), com um número de canais suficiente para receber todos os instrumentos e microfones, e também permitir as conexões essenciais com a placa de áudio e o sistema de monitoração.

A opção que sugiro é a Behringer MX1604, que atende bem à maioria dos casos. Essa mesa possui 12 entradas de áudio, sendo 4 mono para microfone, com phantom power, e mais 4 stereo para ligar instrumentos e equipamentos. Ela tem equalização, mandadas para efeitos em todos os canais, e outros recursos de bastante utilidade.

[COLOR="blue"]Microfones:[/COLOR] Para gravar os vocais será necessário um microfone cuja resposta seja adequada à captação de voz. Em estúdios, geralmente são usados microfones do tipo condenser, que têm uma ótima sensibilidade e uma resposta adequada à faixa de freqüências da voz. Eles geralmente também são bons com violão acústico.

Se você pretende gravar o som da guitarra elétrica, o melhor é não gravar plugando-a diretamente à mesa de mixagem ,mas sim microfonando o amplificador da guitarra. Para isso, será necessário um microfone mais específico. A mesma consideração deve ser feita caso você também queira gravar instrumentos de sopro ou de percussão.

Os microfones que sugiro são o AKG C3000B ou o Behringer B2 para vocais e violão acústico, o Shure SM57 para guitarra e percussão, e o Samson Q2 também para instrumentos.

Para melhorar a captação da voz, aconselho um dispositivo com tela especial para reduzir o sopro da voz, como o Sabra Pop Filter.

[COLOR="blue"]Monitoração:[/COLOR] Para que você possa ouvir com fidelidade o material musical que está sendo gravado, processado e mixado, será necessário um sistema de monitoração com resposta “plana”, que não interfira na resposta de freqüências do áudio original. A esse tipo de sistema dá-se o nome de “monitores de referência”.

Se você optar por uma configuração contendo um amplificador stereo e duas caixas acústicas, é importante que todos tenham alta qualidade, caso contrário o resultado como um todo será comprometido. Uma sugestão de baixo custo para um sistema desses seria um amplificador de referência Samson Servo 120 com um par de caixas compactas JBL Control 1.

Há uma tendência para o uso de monitores amplificados, isto é, caixas acústicas contendo seus próprios amplificadores dentro dela. Isso elimina as eventuais deficiências no acoplamento entre o amplificador e as caixas, produzindo assim uma qualidade sonora garantidamente superior. Nesse caso minha sugestão são os monitores bi-amplificados Yamaha MSP-5, que contêm, cada uma, amplificadores separados para graves e para agudos.

Se você for gravar vocais ou instrumentos acústicos, terá que ouvir uma base já gravada, que lhe servirá de guia enquanto canta (ou toca). Nesse caso, você terá que ouvir a guia através de fones de ouvido (headphones), para que a base não “vaze” para o microfone. Esses headphones deverão ter não só boa qualidade, mas principalmente deverão ser “selados”, para não haver vazamento do som. Os modelos que indico para isso são os AKG K-55.

[COLOR="blue"]Acessórios:[/COLOR] Além dos equipamentos mencionados acima, eventualmente serão necessários alguns acessórios, como cabos de áudio e de MIDI, pedestais para microfones, racks para equipamentos, e isso, nesse caso, fica a seu cargo, pois cada músico/produtor tem suas preferências no caso do uso de acessórios/efeitos.

[SIZE="6"][COLOR="Red"]2. Gravação de voz e instrumentos[/COLOR][/SIZE]
Se você pretende montar um pequeno estúdio mas deseja gravar dois ou mais músicos tocando juntos, ou então uma bateria acústica captada por microfones, então precisará de uma configuração ligeiramente mais complexa do que aquela que indiquei anteriormente. Nesse caso, você terá que ter a possibilidade de gravar mais do que dois canais de áudio simultâneos, além de poder prover monitoração da base (guia) para duas ou mais pessoas.

[SIZE="4"][COLOR="Blue"]Configuração mínima sugerida:[/COLOR][/SIZE]
[COLOR="blue"]Computador PC:[/COLOR] Intel Pentium 4 ou AMD Athlon de 1.2 MHz, com 512 MB de memória, disco rígido de 60 GB (preferencialmente de 7200 rpm), gravador de CD e monitor de vídeo de 17”. Dê preferência por uma placa-mãe de boa procedência (Asus, Soyo, etc) e use o Windows ME ou 2000. Se for usar o Windows XP, certifique-se de que os softwares que você vai usar são realmente compatíveis. LEMBREM-SE DE QUE ESSA É UMA CONFIGURAÇÃO MÍNIMA!!!

[COLOR="blue"]Placa de áudio:[/COLOR] Será preciso uma placa profissional com pelo menos 4 entradas e 4 saídas analógicas de áudio, com conversores de 24 bits / 96 kHz. Valem também as mesmas recomendações sobre drivers já feitas anteriormente. Minha sugestão aqui é a placa Midiman Delta-44, que possui 4 entradas e 4 saídas analógicas de 24 bits / 96 kHz e também oferece drivers para todas as necessidades.

Havendo necessidade de mais entradas e saídas, a indicação seria então a Echo Layla-24, que é composta de uma placa e um rack de conexões, com 8 entradas e 8 saídas analógicas de 24 bits / 96 kHz, entradas e saídas digitais S/PDIF e ainda MIDI In/Out e conexão de áudio digital para ADAT (8 canais). Esta placa também dispõe de drivers para todos os sistemas operacionais. Uma alternativa mais econômica com 8 entradas e 8 saídas é a Midiman Delta-1010LT, que não contém rack de conexões, mas possui 8 entradas e 8 saídas analógicas de 24 bits / 96 kHz, entradas e saídas digitais S/PDIF (RCA) MIDI In, MIDI Out, etc.

[COLOR="blue"]Interface MIDI:[/COLOR] Certamente você precisará também de uma interface MIDI, para conectar teclados e outros equipamentos MIDI ao computador. Sugiro a Midiman Midisport 2x2, que oferece 2 entradas MIDI In e 2 saídas MIDI Out totalmente independentes. Ela é instalada externa ao computador, conectando-se a ele pela porta USB. Possui driver compatível com todas as versões do Windows, desde o 98.

[COLOR="blue"]Software:[/COLOR] Você precisará de um software de gravação de áudio em múltiplas trilhas, minha sugestão ainda é o Cakewalk SONAR, que permite gravar múltiplas trilhas de MIDI e áudio. Caso você só queira trabalhar com áudio (sem MIDI), outra opção é o Vegas Pro.

[COLOR="blue"]Mixer:[/COLOR] No caso de um estúdio de gravação, para misturar e direcionar os sinais de áudio de todos os instrumentos e equipamentos do estúdio, será necessário uma mesa de mixagem (ou mesa de som), com um número maior de canais, de forma a permitir conectar todos os instrumentos e microfones, e também a placa de áudio e o sistema de monitoração.

A opção neste caso é a Behringer MX2004A, que possui 16 entradas de áudio, sendo 8 mono para instrumento ou microfone, com phantom power, e mais 4 stereo para ligar instrumentos e equipamentos. Ela tem ajustes de equalização, mandadas para efeitos em todos os canais, e quatro canais de saída. Além disso, este mixer possui 8 conexões de Insert, apropriadas para ligar diretamente os canais mono às 8 entradas e 8 saídas de uma placa multicanais como a Layla-24.

[COLOR="blue"]Microfones:[/COLOR] Para se gravar os vocais será necessário um ou mais microfones específicos com resposta adequada para isso, e também microfones para se gravar o guitarra elétrica, sopros, bateria e instrumentos de percussão.

Os microfones que sugiro são o AKG C3000B ou o Behringer B2 para vocais, o Shure SM57 e o Samson Q2 para instrumentos, e ainda o Samson Q3 para percussão (surdo, bumbo) e o Shure BG-4.1 para violão acústico. Para eliminar o ruído de sopro da voz, sugerimos o Sabra Pop Filter.

[COLOR="blue"]Monitoração:[/COLOR] Para que você possa ouvir com fidelidade o material musical que está sendo gravado, processado e mixado, será necessário um sistema com “monitores de referência”. Nesse caso a melhor opção é usar monitores amplificados, e minha sugestão é o Yamaha MSP-5.

Para que os músicos possam gravar ouvindo a base, será necessário um sistema de monitoração por fones de ouvido (headphones), que deverão ser “selados”, para não haver vazamento do som, e ter uma boa qualidade de som. Minha sugestão é também o AKG K-55.

Para ter um sistema de monitoração com até 12 headphones, indicamos o amplificador Behringer Powerplay Pro, que permite ajustar o volume individual de cada headphone.

[COLOR="blue"]Acessórios: [/COLOR]Além dos equipamentos mencionados acima, serão necessários vários acessórios, como cabos de áudio e de MIDI, pedestais para microfones, racks para equipamentos.

[SIZE="6"][COLOR="Red"]3. Transferência de LP para CD[/COLOR][/SIZE]
Provavelmente, esse não é o objetivo da maioria das pessoas que querem montar um Home Studio, mas muitas pessoas estão aproveitando os recursos de áudio digital no computador para transferir para CD as gravações antigas de LPs de vinil. Para isso, é necessário ter uma placa de áudio de qualidade, que não comprometa o resultado final do trabalho.

[SIZE="4"][COLOR="Blue"]Configuração mínima sugerida: [/COLOR][/SIZE]
[COLOR="blue"]Computador PC:[/COLOR] Intel Pentium III ou AMD Athlon de 900 MHz, com 256 MB de memória, disco rígido de 30 GB e gravador de CD. Dê preferência por uma placa-mãe de boa procedência (Asus, Soyo, etc) e use o Windows ME ou 2000. Se for usar o Windows XP, certifique-se de que os softwares que você vai usar são realmente compatíveis. LEMBREM-SE DE QUE ESSA É UMA CONFIGURAÇÃO MÍNIMA!!!

[COLOR="blue"]Placa de áudio:[/COLOR] Embora a operação seja simples - gravação stereo - o ideal é ter uma placa com qualidade profissional. Novamente, minha sugestão é a placa Midiman Audiophile 2496, que entrada e saída stereo com resolução de 24 bits / 96 kHz, e mais entrada e saída digitais stereo (S/PDIF), que serão úteis se você for usar um gravador de CD externo. Ela possui drivers para todos os Windows.

[COLOR="blue"]Software:[/COLOR] Você precisará de um software de gravação e edição de áudio, e minha sugestão é o Sound Forge, que permite gravar em stereo e efetuar diversos tipos de edição, inclusive redução de ruído e chiados característicos de LPs antigos. Esse software você consegue facilmente (inclusive nas melhores torresmarias) e é uma das plataformas mais estáveis e populares para realizar esse tipo de trabalho.

[COLOR="blue"]Mixer:[/COLOR] Para a gravação de LPs para CD você precisará de um mixer que tenha entrada "Phono" (para toca-discos), e a sugestão é o mixer Behringer VMX100, específico para Djs.

[COLOR="blue"]Monitoração:[/COLOR] Para que você possa ouvir o material que está sendo gravado e processado, será necessário um sistema de boa qualidade. Uma sugestão de baixo custo para um sistema desses seria um amplificador de referência Samson Servo 120 com um par de caixas compactas JBL Control 1, e opcionalmente um bom headphone, como o AKG K55.

[SIZE="6"][COLOR="Red"]4. PC vs MAC[/COLOR][/SIZE]
Por muito tempo esteve acesa a polêmica entre o que seria melhor para áudio. O que seria melhor? Um PC ou um Macintosh? Ao passo que o windows, sistema operacional mais comum em PC’s, é famoso por sua instabilidade e “travamentos”, o Mac é conhecido por ser um computador extremamente caro, o que lhe rendeu a fama de computador de “boutique”. A verdade é que para se ter um Mac poderoso, é preciso gastar um bocado de dinheiro e este item, dinheiro, é item escasso para a maioria dos brasileiros. Então quando alguém embarca no conto de que “Mac é melhor” e compra aquele mais baratinho, acaba sempre decepcionado, pois com o dinheiro investido seria possível montar um PC pra lá de turbinado; basta fazer as contas e comparar.

O que difundiu o Mac como computador de áudio não foi sua suposta superioridade, mas a plataforma de produção de áudio denominada PRO TOOLS, que roda, normalmente em Macintosh’s e que anualmente investe milhares de dólares em propaganda na mídia especializada (se você tem hábito de comprar revistas ou visitar sites de áudio, sabe do que estou falando). Um dos problemas que ajudou a espalhar esse mito foi o de incompatibilidade com as placas-mãe de chipset VIA inferiores ao KT266.

[SIZE="4"][COLOR="Blue"]Hoje em dia, a própria Digidesign (criadora do PRO-TOOLS) já desenvolveu seu hardware próprio que é compatível com PCs e a plataforma Windows, e além disso, outras empresas, como a M-AUDIO, também já desenvolvem hardwares compatíveis com PRO-TOOLS/PC/WINDOWS, com um custo extremamente competitivo e qualidade surpreendente. Aqui no estúdio, eu uso placas da M-AUDIO, e não tenho do que reclamar.
[/COLOR][/SIZE]
Um outro problema é o do super aquecimento, que também é inteiramente contornável. Para isso, basta comprar um bom coooler e configurar a placa-mãe para desligar o micro caso o cooler falhe ou a temperatura suba demais. Se você não sabe montar o micro e, principalmente, instalar o processador e configurar a placa-mãe, contrate um técnico. Depois não adianta chorar.

[SIZE="4"][COLOR="blue"]Pessoal, basicamente é isso. Tentei sugerir equipos com boa qualidade aliados à um custo-benefício "decente". É claro que além dos equipos que sugeri, vocês facilmente encontrarão outros com muito mais qualidade, porém, muitas vezes, a preços exorbitantes. Eu mesmo evito comprar essas coisas aqui no Brasil. Sai muito mais barato importar do que pagar os preços abusivos que encontramos nas "Teodoros Sampaios" que temos por aqui. Caso tenham alguma dúvida, podem perguntar. Se estiver ao meu alcance, tentarei ajudá-los da melhor maneira possível. Espero que gostem.

Abraço a todos![/COLOR][/SIZE]


_________________________________________________________

[SIZE="6"][COLOR="Red"]ATUALIZAÇÃO: 08/01/2010
A ESCOLHA DA PLACA DE SOM PARA O HOME STUDIO[/COLOR][/SIZE]​

[SIZE="4"][COLOR="Blue"]Fala pessoal!
Vamos continuar discutindo um pouco sobre a montagem do Home Studio. Nessa parte do tópico, vamos discutir um pouco sobre a escolha da sua placa de som. A placa de som é um dos itens mais importantes do processo e você deve ter claramente em sua mente qual é o intuito/objetivo específico da montagem do seu Home Studio para que escolha a melhor opção de placa de som.

Como já discutimos anteriormente, para se ter um som de qualidade, esqueça as placas de som onboard (que são um lixo mesmo) e mesmo as placas offboard tradicionais (Sound Blaster e afins). Mesmo dando pra "brincar" um pouco, essas placas não dão o suporte necessário para a realização de um trabalho bem feito. Nesse caso, você precisa de um hardware específico pra isso e também específico para a finalidade que você determinou para o seu Home Studio. Abaixo seguem mais algumas dicas a respeito. Espero que gostem!
[/COLOR][/SIZE]

[SIZE="6"][COLOR="Red"]1. A placa de som: M-AUDIO ou ROLAND?[/COLOR][/SIZE]

Esse é um dos itens de maior importância na cadeia de sinal. Por ela se dará a conversão do sinal analógico para o mundo digital.

Existem milhares de alternativas, mas o primeiro passo é você identificar a sua necessidade: [COLOR="red"]“irei gravar apenas um instrumento ou voz por vez?”, “necessito gravar uma bateria acústica com vários microfones?”.[/COLOR]

Essas perguntas vão auxiliar a dimensionar seu home, e por conseqüência sua aquisição será focada em sua necessidade.

Se sua idéia é registrar um instrumento por vez, ou uma voz e um instrumento, as marcas [COLOR="red"]M-Audio e Roland[/COLOR] têm disponíveis interfaces USB que são verdadeiros “estúdios miniatura”.

A [COLOR="red"]“Fast Track Pro” da M-Audio[/COLOR] é uma placa de som USB, com duas entradas de microfone pré-amplificada, duas conexões spdif, phantom power (para alimentação de microfones condensadores), saída para fone de ouvido, saída para monitores de estúdio, e um knob que controla a monitoração diretamente da placa, eliminando assim a sensação de “delay” em sua monitoração. Além dos preamps terem excelente qualidade, outra conexão que chama a atenção é a de insert, que possibilita a conexão de efeitos externos, gravando-os junto a sua performance. Outro ponto de destaque é a sua conversão de 24bits/96khz.

A [COLOR="red"]Roland[/COLOR] também possui sua placa USB, que atende pelo nome de [COLOR="red"]"Edirol UA 25"[/COLOR]. Esta placa também possui 2 conexões XLR com phantom power, saída para fone de ouvido, saída para monitor e ao invés de uma entrada spdif, essa dispõe de uma entrada digital. Assim como sua concorrente a UA 25 também grava em 24bits/96khz.

[SIZE="4"][COLOR="Blue"]A Roland disponibiliza ao cliente o famoso software de gravação Sonar LE, um dos mais conhecidos dos usuários de home studio.[/COLOR][/SIZE]

Essas duas placas USB possibilitam que o usuário grave suas idéias sem a necessidade de nenhum outro aparelho entre o microfone ou seu instrumento e seu computador, sendo assim uma ferramenta extremamente útil e simples de ser utilizada.

[SIZE="6"][COLOR="Red"]2. E se eu precisar gravar mais canais?[/COLOR][/SIZE]

Essa é uma dúvida bastante comum: [COLOR="red"]“e se eu precisar gravar uma bateria?”[/COLOR], ou [COLOR="red"]“como posso gravar o ensaio de minha banda?”[/COLOR], são dúvidas recorrentes aos que iniciam a montagem de um home studio.

Pensemos na bateria não em um único instrumento, mas na junção de vários instrumentos de percussão tocados pela mesma pessoa. Sendo assim, o bumbo é um instrumento, a caixa é outro, os pratos etc. Sendo assim necessitamos de uma placa de som que nos permita registrar esses instrumentos individualmente, porém ao mesmo tempo. Isso se consegue com placas multipistas.

Uma das placas multipistas de melhor relação custo/benefício é a [COLOR="red"]M-Audio Delta 10/10LT[/COLOR]. Ela possui 8 entradas analógicas mais um par de conexões s/pdif. Com ela é possível gravar simultaneamente até 8 canais, possibilitando assim a gravação de uma bateria ou até de ensaios.

Importante salientar que mesmo possuindo esta placa, se faz necessária a aquisição de uma mesa de som que possua a função “direct out”. Com essa função a mesa libera cada canal por uma saída específica, possibilitando a gravação simultânea.
Bem, agora é com vocês: Escolha sua placa e mãos a obra!!





[SIZE="6"][COLOR="Red"]ATUALIZAÇÃO: 12/01/2010
ESCOLHA DOS MONITORES DE REFERÊNCIA DE AUDIO[/COLOR][/SIZE]​

Fala pessoal, beleza?

Hoje trataremos de um outro periférico de suma importância na montagem do seu Home Studio: [SIZE="4"][COLOR="Blue"]MONITORES DE REFERÊNCIA DE ÁUDIO[/COLOR][/SIZE].

Tratando-se de um pequeno Home Studio, o fundamental é que você compre monitores do tamanho do seu negócio. Embora os melhores monitores realmente sejam os “de marca”, nada impede que você teste aquelas caixinhas de micro system 3x1 ou aquelas caixas grandes do aparelho de som que não funciona mais. O problema aqui é quando se usa caixas pequenas demais, pois a reprodução das faixas graves fica comprometida. Já ouvi muitos trabalhos bem feitos que não passaram por monitores caros. Eles ajudam, mas é bem melhor calibrar os ouvidos. Não deixe a falta de recursos financeiros impedir a sua produção!

Uma boa pedida, com baixíssimo custo são as caixas da [COLOR="blue"]série Control da JBL. Os custos desses monitores giram em torno de R$400,00 a R$500,00.[/COLOR]


[SIZE="1"]Monitores JBL Control Series[/SIZE]​

Se quiser alguma coisa com mais qualidade, outros fabricantes que vêm se destacando por oferecerem produtos de qualidade a preços atrativos são a [COLOR="blue"]Behringer (os monitores da série MS40 são excepcionais) e a Samson (os monitores Studio Dock 4i Ativousb são uns dos melhores nesse segmento). Os monitores nesse padrão custam em torno de R$1000,00 o par.
[/COLOR]
[SIZE="1"]
Monitores Behringer MS40​
[/SIZE]

[SIZE="1"]
Monitores Samson Studio Dock 4i Ativousb​
[/SIZE]

Aqui no estúdio, uso os monitores [COLOR="blue"]Samson Revolv Series, que também custam na faixa de R$1000,00 o par[/COLOR]. Até agora não tenho do que reclamar, pois pra um estúdio de nível básico à intermediário, esses monitores estão mais do que suficientes, mas se quiser alguma coisa mais específica e com qualidade superior, esses padrões de monitores já não são recomendados, portanto, uma aquisição de maior qualidade [COLOR="Red"](mas também de muito maior custo)[/COLOR] se faz necessária. Como nosso intuito não é montar um estúdio caríssimo, acho que as indicações acima já estão de bom tamanho...

Abraço a todos!



[SIZE="6"][COLOR="Red"]ATUALIZAÇÃO: 13/01/2010
TEXTO: USO DO ÁUDIO DIGITAL COMO PLATAFORMA DE TRABALHO[/COLOR][/SIZE]​

Como essa discussão sobre o áudio digital fica meio fora do contexto da nossa discussão sobre a montagem do Home-Studio, não inclui o texto aqui no post principal, mas para quem tiver curiosidade de dê-lo, segue o link abaixo. Espero que gostem! Abraço a todos!



[SIZE="6"][COLOR="Red"]ATUALIZAÇÃO: 22/02/2010
TEXTO: RESUMÃO DE PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ACÚSTICA[/COLOR][/SIZE]​

Pessoal, pra quem anda acompanhando a discussão no nosso tópico, segue abaixo o link para uma atualização com algumas definições e dicas gerais sobre acústica que podem ser muito úteis à vocês nos trabalhos de mixagem. Espero que o texto em questão seja útil e produtivo, e como sempre, caso tenham dúvidas ou necessitem de maiores esclarecimentos, não hesitem em me contactar. Abraço a todos!

Link: http://forum.outerspace.terra.com.br/showpost.php?p=5935114&postcount=28



[SIZE="6"][COLOR="Red"]ATUALIZAÇÃO: 09/03/2010
DÚVIDAS GERAIS - USER ~L~: ISOLAMENTO E TRATAMENTO ACÚSTICO[/COLOR][/SIZE]​

Aqui segue os links dos posts muito legais com dúvidas gerais do usuário ~L~, onde abordamos a questão de isolamento e tratamento acústico de uma sala. Leiam. O que era a dúvida dele, pode ser a de um outro colega aqui da pasta. Qualquer dúvida, estou a disposição!

Abraço a todos!

http://forum.outerspace.terra.com.br/showpost.php?p=6010890&postcount=33
http://forum.outerspace.terra.com.br/showpost.php?p=6011224&postcount=35
http://forum.outerspace.terra.com.br/showpost.php?p=6011255&postcount=36
http://forum.outerspace.terra.com.br/showpost.php?p=6011636&postcount=41
 


akaaka

Bam-bam-bam
Mensagens
16.537
Reações
262
Pontos
349
[SIZE="2"][COLOR="DarkRed"]Valeu cara, valeu mesmo.

Esse tópico também deveria ter sido fixado, mas pelo menos já foi favoritado aqui. Em pelo menos uns 9 meses ele será MUITO útil para mim cara, mas muito mesmo. Um macbook atual, daqui a uns 9 meses ainda estará decente para o trampo né?[/COLOR][/SIZE]
 

gajo666

Bam-bam-bam
Mensagens
3.412
Reações
923
Pontos
229
akaaka;5712178 disse:
[SIZE="2"][COLOR="DarkRed"]Valeu cara, valeu mesmo.

Esse tópico também deveria ter sido fixado, mas pelo menos já foi favoritado aqui. Em pelo menos uns 9 meses ele será MUITO útil para mim cara, mas muito mesmo. Um macbook atual, daqui a uns 9 meses ainda estará decente para o trampo né?[/COLOR][/SIZE]
Provavelmente.
Porém, se você tiver acesso a um PC "razoável", seria melhor, pois é mais fácil de manipular e instalar os periféricos e acessórios que você vai usar... não é porque é Macbook, mas a "plataforma notebook" não é a mais indicada pra montar um Home Studio...

Espero que tenha ajudado. Qualquer dúvida, entre em contato, ok?

P.S.: Estou separando umas informações legais que acho que serão bastante pertinentes aqui pro tópico. Assim que possível, vou postar pra vocês, certo?

P.S.2.: Parabéns pelo lançamento do seu selo. Espero que dê tudo certo! Se precisar de alguma coisa, não hesite em pedir, se estiver ao meu alcance, será um prazer ajudar!

Abraço!
 

Fareday_

Veterano
Mensagens
12.028
Reações
8
Pontos
146
tópico merece ser fixado mais do que qualquer outro.

cara, muito boa a iniciativa e valeu mesmo por compartilhar toda essa informação profissional com a galere. vou aproveitar o máximo de dicas que puder daí, valeu mesmo! :king
 

gajo666

Bam-bam-bam
Mensagens
3.412
Reações
923
Pontos
229
Fareday_;5712228 disse:
tópico merece ser fixado mais do que qualquer outro.

cara, muito boa a iniciativa e valeu mesmo por compartilhar toda essa informação profissional com a galere. vou aproveitar o máximo de dicas que puder daí, valeu mesmo! :king
Valeu pela força! :kongpositivo:
A idéia é realmente ajudar o pessoal que tem interesse no assunto... eu mesmo já quebrei bastante a cabeça até conseguir montar um esquema legal. Acho justo compartilhar esse conhecimento com vocês. Ainda tenho muito o que aprender, mas o que eu sei acredito que também será útil pra quem se interessar.

Fiquem à vontade pra questionar. Na medida do possível, tentarei ajudar todos.

Abraço!
 

gajo666

Bam-bam-bam
Mensagens
3.412
Reações
923
Pontos
229
[SIZE="4"][COLOR="Red"]
POST PRINCIPAL ATUALIZADO!​
[/COLOR][/SIZE]

Fala pessoal, beleza?
Coloquei um pouco mais de "lenha na fogueira" na nossa discussão e nessa atualização falei um pouco sobre a escolha da placa de som ideal para o seu Home Studio!

Dêem uma olhada! Espero que gostem!

P.S.: Se tiverem alguma dúvida, não hesitem em perguntar!

Abraço a todos!
 


Fareday_

Veterano
Mensagens
12.028
Reações
8
Pontos
146
ei gajo, poderia dar mais informações sobre preços de placas de som? [mfmf]

mas seria bom se incluísse as de baixo custo também [ksafado] sabe como é, dinheiro é foda, mas eu queria ter ideia de algo com custo-benefício bom mesmo sendo de nível baixo/intermediário...
 

gajo666

Bam-bam-bam
Mensagens
3.412
Reações
923
Pontos
229
Fareday_;5716855 disse:
ei gajo, poderia dar mais informações sobre preços de placas de som? [mfmf]

mas seria bom se incluísse as de baixo custo também [ksafado] sabe como é, dinheiro é foda, mas eu queria ter ideia de algo com custo-benefício bom mesmo sendo de nível baixo/intermediário...
Bom, se você for só montar um Home Studio simples (sem gravação de bateria), precisaria de uma placa de apenas 2 canais. Pode ser a [SIZE="4"][COLOR="Blue"]Audiophile 2496 da M-Audio[/COLOR][/SIZE]. Pra um Home Simples, está bacana. Ela custa em torno de uns 300 reais. Dá uma olhada no mercado livre, essa placa é fácil de encontrar por lá.

Abraço!
 

davicosti

Bam-bam-bam
Mensagens
8.374
Reações
1
Pontos
262
Esse é o tópico mais útil que eu já li no fórum. :rox
gajo, me diga, eu tenho um shure SM58. Dá pra usar ele pra gravar guita, violão e voz ou algum é melhor plugar direto no computador?
Abraço!
 

gajo666

Bam-bam-bam
Mensagens
3.412
Reações
923
Pontos
229
davicosti;5722666 disse:
Esse é o tópico mais útil que eu já li no fórum. :rox
gajo, me diga, eu tenho um shure SM58. Dá pra usar ele pra gravar guita, violão e voz ou algum é melhor plugar direto no computador?
Abraço!
Fala davicosti, beleza?

Bom, o [COLOR="Blue"]Shure SM58[/COLOR] é um microfone bastante versátil, porém, ele é designado especialmente para gravação voz, mas também serve para guitarra e baixo. Para gravar guitarra é recomendável um [SIZE="4"][COLOR="Red"]Shure SM57[/COLOR][/SIZE], por ser um microfone mais “duro”, pois, capta menos dinâmica, além de ser projetado para suportar maior pressão sonora.

Outra coisa, [COLOR="red"]JAMAIS[/COLOR] ligue a guitarra direto na mesa pra realizar uma gravação. Pode servir pra fazer uma "pré-produção" ou registrar alguma idéia, mas como registro final, eu não recomendo isso. O ideal é microfonar corretamente o seu ampli de preferência e só fazer algum ajuste fino que se faça necessário no computador ou mesa de som (isso depois de gravado, ok?).

Lembre-se também que não basta somente pôr o microfone na frente do ampli e pronto... é um pouco mais complicado. [SIZE="4"][COLOR="red"]MICROFONAR É UMA ARTE![/COLOR][/SIZE] Pretendo abordar um pouco mais sobre isso futuramente aqui no tópico.

Espero que tenha ajudado! Qualquer dúvida, estou à disposição.

Abraço a todos!
 

G-zus Rocker

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
17.771
Reações
3.313
Pontos
559
Puta merda, que tópico excelente! Não sei quando vou poder fazer algo nesse nível. Talvez até demore muito. Mas é bom ir pegando noção. Favoritado!
Abraço
 

felipego

Bam-bam-bam
Mensagens
12.722
Reações
3.056
Pontos
459
Teriamos que fortalecer a area de gravações e estudios aqui da seção musical... poderiamos postar gravações e material que agente gravou e equipamento q usou tambem o que acham?
 

shiftypoa

Veterano
Mensagens
10.438
Reações
80
Pontos
146
Carajo que tópico foda pqp, como no caso do Akaaka, esse tópico será muito util pra mim em alguns meses, mas muito util mesmo

Vlw Gajo pelo tópico!
 

shiftypoa

Veterano
Mensagens
10.438
Reações
80
Pontos
146
Aaaahh, outra coisa, esse tópico tem de ser fixado hein! Mas muito bom mesmo, pqp, outra vez agradeço ao Gajo por compartilhar todas essas informações com a galere aqui :D
 

gajo666

Bam-bam-bam
Mensagens
3.412
Reações
923
Pontos
229
G-zus Rocker;5723530 disse:
Puta merda, que tópico excelente! Não sei quando vou poder fazer algo nesse nível. Talvez até demore muito. Mas é bom ir pegando noção. Favoritado!
Abraço
shiftypoa;5724691 disse:
Aaaahh, outra coisa, esse tópico tem de ser fixado hein! Mas muito bom mesmo, pqp, outra vez agradeço ao Gajo por compartilhar todas essas informações com a galere aqui :D
Valeu pelo apoio pessoal!
Aos poucos vou compartilhando com vocês algumas informações técnicas que podem ajudá-los a montar "Homes" muito legais.


felipego;5724432 disse:
Teriamos que fortalecer a area de gravações e estudios aqui da seção musical... poderiamos postar gravações e material que agente gravou e equipamento q usou tambem o que acham?
Boa sugestão! Anotado!

Abraço a todos!
 

gajo666

Bam-bam-bam
Mensagens
3.412
Reações
923
Pontos
229
Fareday_;5725058 disse:
eu até pedi na moderação pra fixarem mas fui totalemnte ignorado :lol
Provavelmente porque somente você postou sugerindo a fixação do tópico... talvez se mais algumas pessoas solicitarem a fixação, pode ser que a moderação atenda ao pedido...
 

shiftypoa

Veterano
Mensagens
10.438
Reações
80
Pontos
146
Eu e o Akaaka reforçamos o pedido, mas parece que nem viram o tópico lá do pedido do Faregato =/
 

gajo666

Bam-bam-bam
Mensagens
3.412
Reações
923
Pontos
229
[SIZE="4"][COLOR="Red"]POST PRINCIPAL ATUALIZADO![/COLOR][/SIZE]​

Fala pessoal!
Hoje acrescentei algumas informações acerca de monitores de referência para o áudio. Citei algumas informações de cunho técnico e algumas indicações de custo baixo à intermediário.
Espero que gostem!

P.S.: Como de praxe, no caso de dúvidas, não deixem de perguntar!

Abraço!
 

gajo666

Bam-bam-bam
Mensagens
3.412
Reações
923
Pontos
229
Fala pessoal, beleza?

Vamos falar um pouco sobre o uso do áudio digital como plataforma de trabalho. Acredito que as informações abaixo vão contribuir bastante para a nossa discussão de modo geral, além de tirar mais algumas dúvidas que venham a aparecer. Como essa parte do nosso bate-papo fica meio fora do contexto sobre a montagem de um Home Studio, não vou incluí-lo no post principal, mas vou deixar um link para esse texto no post principal, ok?

Bom, voltando ao assunto, nos últimos anos, tem havido lançamentos de muitos produtos de áudio digital para computadores PC, graças à demanda crescente nessa área. Isso se deve não só ao barateamento da tecnologia em geral, mas também por causa da evolução da capacidade de processamento e armazenamento dos computadores, que permitiu a transformação do computador comum em estúdio digital.

Embora a tecnologia de áudio digital não seja uma novidade (pois já existe há algumas décadas), seu uso prático (e comercial) só passou a ser possível à medida que os computadores e seus periféricos começaram a cair de preço.

Os recursos gráficos são essenciais para a gravação e edição de áudio nos computadores, e por isso os primeiros produtos comerciais bem-sucedidos foram desenvolvidos para Macintosh, que já dispunha de interface gráfica há mais tempo do que os PCs. É por causa dessa vantagem cronológica que os sistemas ProTools, da Digidesign, ainda mantêm (ainda que que pequena) uma vantagem em relação a seus potenciais concorrentes na plataforma PC/Windows.

Entretanto, o mercado de hardware e software para PCs vem evoluindo de forma impressionante, sobretudo pela acirrada concorrência que existe. Isso obriga aos fabricantes um esforço imenso para obter um espaço no grande mercado emergente. Na verdade, existem dois mercados de áudio digital para computadores: o profissional, voltado principalmente para os estúdios de gravação (que não é o intuito do nosso tópico), e o que chamamos de doméstico (semi-profissional e amador), onde podemos enquadrar os pequenos estúdios e os usuários amadores (aí sim é o caso do pessoal que pretende montar home-studios).

O mercado profissional exige produtos com qualidade e confiabilidade altas, pois para que os estúdios possam substituir seus sistemas de gravação convencionais (gravadores de fita analógicos e digitais), é preciso oferecer-lhes as mesmas condições de trabalho. A possibilidade de falhas de operação têm que ser muitos pequenas, e o nível de qualidade sonora deve ser igual ou superior ao que já se dispõe. Nem abordarei equipos desse nível, pois infelizmente, seus valores são EXORBITANTES!!!

Já para o mercado doméstico o que importa mais é o preço, ainda que não se negligencie a qualidade, pois os usuários amadores em geral não têm como (ou não querem) investir muito dinheiro em equipamento. Nesse caso, o que pesa mesmo é a relação custo-benefício, isto é, o produto tem que ser “relativamente bom e suficientemente barato”.


Por que gravar sons no disco rígido?

O uso do disco rígido (HD) do computador como meio de armazenamento de som digitalizado passou a ser interessante quando as suas características técnicas começaram a atender às duas principais necessidades básicas do áudio digital: capacidade e velocidade.

Para se digitalizar um minuto de áudio em stereo, com qualidade de CD (16 bits a 44.1 kHz; abordarei esses detalhes em outro post), são necessários cerca de 10 megabytes. Dessa forma, para se gravar uma música inteira de, digamos, uns três minutos, precisaremos de mais de 30 megabytes. O conteúdo inteiro de um CD possui mais de 600 megabytes de dados.

No caso de um gravador de estúdio, que precisa ter diversas “trilhas” de gravação (e não apenas os dois canais do stereo), cada trilha ocupa mais de 5 MB por minuto. É fácil perceber que para ser viável, num estúdio, o sistema de gravação em disco rígido deve ter alta capacidade de armazenamento.

A outra condição essencial, a velocidade, diz respeito à rapidez com que o software pode gravar os dados digitais do som no disco rígido. Um único canal de áudio precisa transferir os dados à uma taxa de cerca de 100 kb por segundo. Assim, para se ouvir, simultaneamente, as várias trilhas de gravação que estão no disco rígido, é preciso haver uma velocidade de transferência de dados suficientemente alta. Essa velocidade depende do tempo que o disco leva para “encontrar” os dados e depois transferi-los à memória do computador.

Portanto, mesmo os computadores “comuns” têm hoje capacidade para operar razoavelmente com gravação de áudio digital. Para quem precisa de maior desempenho, existem discos mais rápidos (tipo SATA), que têm velocidade superior, porém, a um custo um pouco maior. As memórias RAM também vêm caindo muito de preço, o que permite maior bufferização dos dados (armazenamento temporário na memória, antes de salvar no disco), aumentando ainda mais o desempenho do sistema como um todo. Quanto à capacidade de processamento dos chips, qualquer um percebe o quanto vem crescendo...

Assim, os computadores tornaram-se uma ótima opção para a indústria de áudio, que passou a desenvolver os “acessórios” (placas de áudio e software) que podem transformar um PC comum em gravador de áudio.

Abraço a todos!
 

akaaka

Bam-bam-bam
Mensagens
16.537
Reações
262
Pontos
349
[SIZE="2"][COLOR="DarkRed"]Gajo, minhas trilhas gravadas em lossless logo após saírem do programa (exemplo FL e circle, os que eu mais uso) são todas em WAV, por ser a unica forma de lossless reconhecida por eles.

Gostaria de passar elas para apple lossless (.m4a), se eu converter com qualquer programa, não haverá perda de qualidade, por estar convertendo de um sem perda de qualidade para outro sem perda de qualidade, certo?

Encodar do projeto original de dentro do programa para mp3 para disponibilizar aos ouvintes é melhor que converter do WAV gerado para meu armazenamento de material, certo?

E no caso para gravar as faixas em cd, uso a mesma forma de passar LP para cd? Colocar as faixas em WAV numa fonte externa, ligar na entrada da placa de som e mandar para cd pelo soundforge, ou é só mandar gravar num cd normalmente por qualquer programa de gravação, que pelo fato de estar saindo de um lossless para outro (no caso de um digital dentro do computador para um digital no cd) não haverá perda de qualidade também?

Antigamente eu usava scripts de meGUI para tudo isso, mas são chatos pra caramba de se mexer.[/COLOR][/SIZE]
 

felipego

Bam-bam-bam
Mensagens
12.722
Reações
3.056
Pontos
459
akaaka;5740361 disse:
Gajo, minhas trilhas gravadas em lossless logo após saírem do programa (exemplo FL e circle, os que eu mais uso) são todas em WAV, por ser a unica forma de lossless reconhecida por eles.

Gostaria de passar elas para apple lossless (.m4a), se eu converter com qualquer programa, não haverá perda de qualidade, por estar convertendo de um sem perda de qualidade para outro sem perda de qualidade, certo?

Encodar do projeto original de dentro do programa para mp3 para disponibilizar aos ouvintes é melhor que converter do WAV gerado para meu armazenamento de material, certo?

E no caso para gravar as faixas em cd, uso a mesma forma de passar LP para cd? Colocar as faixas em WAV numa fonte externa, ligar na entrada da placa de som e mandar para cd pelo soundforge, ou é só mandar gravar num cd normalmente por qualquer programa de gravação, que pelo fato de estar saindo de um lossless para outro (no caso de um digital dentro do computador para um digital no cd) não haverá perda de qualidade também?

Antigamente eu usava scripts de meGUI para tudo isso, mas são chatos pra caramba de se mexer.
Sempre no DAW Salve como WAV, para não perder qualidade, vá no sounforge masterize tudo, deixe do jeito que quer e salva como MP3, recomendo 192kbs q já não vai ter perda nenhuma.
 

Fareday_

Veterano
Mensagens
12.028
Reações
8
Pontos
146
felipego;5740467 disse:
Sempre no DAW Salve como WAV, para não perder qualidade, vá no sounforge masterize tudo, deixe do jeito que quer e salva como MP3, recomendo 192kbs q já não vai ter perda nenhuma.
eu sempre noto a diferença da qualidade de áudio de um mp3 192 prum 256 ou 320 :lol
 

gajo666

Bam-bam-bam
Mensagens
3.412
Reações
923
Pontos
229
Gajo, minhas trilhas gravadas em lossless logo após saírem do programa (exemplo FL e circle, os que eu mais uso) são todas em WAV, por ser a unica forma de lossless reconhecida por eles.

Gostaria de passar elas para apple lossless (.m4a), se eu converter com qualquer programa, não haverá perda de qualidade, por estar convertendo de um sem perda de qualidade para outro sem perda de qualidade, certo?
É bem por aí mesmo. Seu raciocínio está correto. Porém, verifique certinho as configurações na hora da conversão, para que você não tenha problemas de perda de sinal, dinâmica ou sincronismo.

Encodar do projeto original de dentro do programa para mp3 para disponibilizar aos ouvintes é melhor que converter do WAV gerado para meu armazenamento de material, certo?
Correto. Converter a partir do próprio programa de gravação/mixagem há menos possibilidade de problemas na conversão do sinal para outros formatos.

E no caso para gravar as faixas em cd, uso a mesma forma de passar LP para cd? Colocar as faixas em WAV numa fonte externa, ligar na entrada da placa de som e mandar para cd pelo soundforge, ou é só mandar gravar num cd normalmente por qualquer programa de gravação, que pelo fato de estar saindo de um lossless para outro (no caso de um digital dentro do computador para um digital no cd) não haverá perda de qualidade também?
Sempre no DAW Salve como WAV, para não perder qualidade, vá no sounforge masterize tudo, deixe do jeito que quer e salva como MP3, recomendo 192kbs q já não vai ter perda nenhuma.
O ideal é pegar o original (wave) e masterizar por um programa específico pra isso. No caso de pequenas produções ou um Home-Studio, indico o Soundforge (as novas versões estão legais pra caramba!). Antes de masterizar, aplique os filtros necessários para melhorar as faixas (compressor, equalizador, etc... se achar necessário), e só então finalize o processo com uma qualidade alta (de preferência 320kbps).

A masterização também pode ser útil para corrigir problemas como defasagens e ruído em geral, mas a principal vantagem da pós-produção é a avaliação imparcial de um profissional que pode assim determinar se a qualidade do trabalho está boa ou não.

Qualquer dúvida, estou à disposição!

Abraço!
 

gajo666

Bam-bam-bam
Mensagens
3.412
Reações
923
Pontos
229
[SIZE="6"][COLOR="Red"]
Resumão de princípios básicos da acústica​
[/COLOR][/SIZE]

[SIZE="4"][COLOR="DimGray"]Bom, resolvi escrever um pequeno (nem tanto) resumo de alguns princípios básicos da acústica e algumas dicas que podem ser interessantes pra mixagem de alguém, ou como curiosidade mesmo.

É importante salientar que por melhor que você conheça os equipos do seu home studio, uma boa noção da parte teórica da coisa é fundamental para que seu trabalho seja cada vez melhor. Espero que os itens abordados abaixo sejam úteis para vocês.

Aí vai, divirtam-se.[/COLOR][/SIZE]


[SIZE="4"][COLOR="Blue"]O que é o famoso Decibel?[/COLOR][/SIZE]
Todas as sensações humanas são processadas pelo nosso cérebro de forma logarítmica. Nós percebemos razões, ou seja, diferenças. Uma variação de 10 vezes na potência sonora soa como o dobro do som, logo, a base 10 (nos logaritmos) é a mais utilizada pra medidas de nível sonoro.

Muita gente acha que o decibel é uma medida de pressão sonora, mas não é. É uma medida de variação, não necessariamente de nível sonoro, sendo inclusive utilizado fora do campo do áudio. A menor diferença de nível que o nosso ouvido pode perceber é de (aproximadamente) 1 dB, que corresponde a uma variação de potência de 1,26 vezes. 10dB são 10 vezes e 25dB são 320 vezes, uma variação bem forte de potência.


[SIZE="4"][COLOR="Blue"]Compressor e limiter[/COLOR][/SIZE]
Vou resumir (bastante!) aqui pra quem ainda tem dúvida. Um compressor serve basicamente pra comprimir os picos e vales da onda, diminuindo a dinâmica. Como ele faz isso? Os compressores funcionam com uma razão (ratio), que serve pra dizer de quantos dB que subiram acima do limite (threshold) vão passar (output) no seu som. Por exemplo: uma razão 5:1. De 5 dB que passarem do threshold, 4 vão ser comprimidos e vai passar apenas 1dB. Um limiter é basicamente um compressor sem ratio, ou seja, ele vai achatar tudo e não vai deixar passar nenhum dB.


[SIZE="4"][COLOR="Blue"]O que é o Hertz?[/COLOR][/SIZE]
O Hertz (Hz) é uma unidade de freqüencia que expressa vibrações (ondas) por segundo. Uma onda é um fenômeno cíclico, onde se varia desde o repouso até um valor máximo positivo, depois descendo de novo até o repouso e indo até um valor máximo negativo e voltando novamente para o repouso, completando um ciclo completo. Pra quem não conseguiu visualizar, é aquela montanha russa (gráfico de onda) que a tia escrevia no quadro enquanto você dormia na aula de física 2 do segundo grau.
Um Hertz nada mais é que a quantidade desses ciclos por segundo, logo 1Hz = um ciclo por segundo. Utiliza-se também o Kilohertz (kHz), que é mil vezes um Hz - assaz dedutível...


[SIZE="4"][COLOR="Blue"]A Audição Humana[/COLOR][/SIZE]
Nosso ouvido consegue perceber as freqüências de 20Hz até 20kHz, quanto maior a freqüência, mais agudo o som. Isso em pessoas jovens, com a idade, começamos a perder algumas freqüências agudas. Idosos, principalmente homens, podem não chegar a 10kHz.
Nós conseguimos distinguir freqüências muito próximas, uma variação de 0,3% é distinguível para pessoas de audição normal.
Porém, o nível sonoro pode confundir nosso ouvido e afetar a sensação de altura (pitch), quanto maior o nível sonoro, mais parece baixar a afinação. Esse fenômeno é denominado efeito Fletcher.
Nosso ouvido é mais sensível às freqüências entre 3kHz e 5Khz (médios-agudos), piorando bastante em direção aos graves e um pouco aos agudos.


[SIZE="4"][COLOR="Blue"]Regiões do Espectro[/COLOR][/SIZE]
Podemos dividir as freqüências em graves, médios e agudos. Porém, pode ficar um pouco vago falar sobre frequências "médias" apenas, então dividimos em sub-grupos:

[SIZE="3"][COLOR="Red"]Graves:[/COLOR][/SIZE]
Sub-graves: 10Hz ~ 80Hz
Graves: 80Hz ~ 200Hz

[SIZE="3"][COLOR="Red"]Médios:[/COLOR][/SIZE]
Médios-graves: 200 Hz ~ 600 Hz
Médios-médios: 600Hz ~ 2kHz
Médios-agudos: 2kHz ~ 6kHz

[SIZE="3"][COLOR="Red"]Agudos:[/COLOR][/SIZE]
Agudos: 6kHz ~ 10kHz
Super-agudos: 10kHz ~ 20kHz


[SIZE="4"][COLOR="Blue"]Retardos no som e o "cancelamento de fases"[/COLOR][/SIZE]
A velocidade do som não é muito alta, é algo em torno de 344m/s à temperatura de 21°C. A 40°C ela chega a 355m/s e a 0°C cai pra 331m/s.
Enfim, ela é (relativamente) lenta. Pra percorrer uma distância de 500 metros, à temperatura de 35°C, o som leva 1,42 segundo, o que é o bastante pra ocorrer problemas de sincronia, como som embolado, etc. Pra isso são usadas as famosas torres de delay, que todos já devem ter visto em shows grandes como o dos Rolling Stones na praia de Copacabana. As torres reproduzem o som já com o atraso pré-calculado, pra o som chegar sem embolar bem longe do palco.

Abaixo de 5 milissegundos (ms), nosso ouvido não consegue distingüir dois sons diferentes. Entretanto, podem haver cancelamentos, ou seja, perda de algumas freqüências. Estes ocorrem quando duas ondas estão ligeiramente fora de sincronia (fora de fase). Se uma onda está caminhando exatamente no oposto da outra, ou seja, enquanto uma sobe a outra desce e vice versa, o cancelamento é total e não se ouve som algum. Se elas possuem amplitudes (distância vertical) diferentes, o cancelamento é parcial, mas perceptível.

A partir de 5ms, começa a ocorrer um fenômeno diferente. Nosso ouvido não consegue perceber dois sons distintos no tempo, porém são capazes de distinguir sons diferentes no espaço. Entendemos de onde está vindo um som pelo som que ouvimos primeiro.
Quando o atraso entre o som original e sua reflexão é de 20ms ou menos, não conseguimos perceber dois sons distintos, mas a localização já é perceptível desde 5ms, portanto percebemos um som único vindo da direção do som que chega primeiro. Isso se chama efeito Haas.


[SIZE="4"][COLOR="Blue"]Reverberação[/COLOR][/SIZE]
[SIZE="4"][COLOR="Gray"]Esse é um ponto muito importante na acústica, e muito grande também, portanto vou dividir esse item em algumas partes:[/COLOR][/SIZE]

[SIZE="3"][COLOR="Red"]Early Reflections[/COLOR][/SIZE]
Independente do tipo de reverberação de um ambiente, seja uma sala completamente tratada e "seca", um banheiro ou mesmo uma catedral, existem early reflections. Pois bem, o que é isso?
As early reflections, ou reflexões primárias, são as primeiras reflexões que ocorrem antes do som se difundir, espalhando-se por igual pelo ambiente. Nada mais é do que o som refletindo em tudo na sua frente, como uma cadeira, a estante da partitura,etc.
Quando estamos longe da fonte sonora, o nível dos sons refletidos é alto em comparação com o som direto entre a fonte e nossos ouvidos, portanto as early reflections são bastante perceptíveis aqui. Isso é muito importante pra jogar uma voz ou instrumento "lá atrás" numa mixagem.

[SIZE="3"][COLOR="Red"]ITD - Initial Time Delay[/COLOR][/SIZE]
O ITD é o intervalo inicial entre o som original e a primeira de todas as reflexões, incluindo as early reflections. A primeira das early reflections numa sala de estúdio virá provavelmente de uma das paredes ou do teto, numa sala pequena, como as distâncias são menores, o ITD é mais curto e o nível das reflexões é mais alto. Isso também é prático na hora de regular o reverb.

[SIZE="3"][COLOR="Red"]Pré-Delay[/COLOR][/SIZE]
Depois das primeiras reflexões o som se espalha pela sala por completo, gerando um pequeno atraso no som, o famosíssimo reverb. A sala deve ser grande o suficiente pra que dê tempo disso acontecer, do contrário teremos apenas um conjunto de early reflections que quando param de soar, deixam o local em silêncio.
O pré-delay é o tempo entre o som original e o início da reverberação propriamente dita, depois das early reflections.
Numa sala muito pequena, o pré-delay é de por exemplo, 10ms, um atraso imperceptível. Um atraso de mais de 50ms é bem grande, existe um período de silêncio entre o som original e a reverberação, o que caracteriza uma sala muito grande.

[SIZE="3"][COLOR="Red"]Tempo de reverberação[/COLOR][/SIZE]
É o tempo que a reverberação leva pra desaparecer, sem incluir o tempo do pré-delay.
Vale lembrar que o que caracteriza o tamanho de uma sala não é o tempo de reverberação, e sim o pré-delay. O tempo da reverberação só depende do tratamento acústico, portanto duas salas de mesmo tamanho podem ter tempos de reverberação diferentes, mas o pré delay das duas será sempre o mesmo.

[SIZE="3"][COLOR="Red"]Coloração do reverb[/COLOR][/SIZE]
É basicamente a equalização da sala. O material de revestimento e de ocupação da sala influenciam muito nisso. Se uma sala é toda coberta de almofadas, cobertores e espuma o som obviamente será bem diferente de uma sala cheia de vidro, espelhos e cristais.
Isso pode ser reproduzido virtualmente nos plugins de reverb.

[SIZE="6"][COLOR="Red"]Dica amiga: [/COLOR][/SIZE][SIZE="4"][COLOR="Blue"]O excesso de reverberação nos graves deixa uma sala "cavernosa". Pouca reverberação nas baixas freqüências deixa a sala magra e desvaloriza o som dos instrumentos graves.
O excesso nos agudos torna a sala brilhante e espelhada demais, e a falta de reverberação nos agudos deixa a sala abafada e escura.
O excesso em algumas freqüências médias cria uma sala ressonante e "falsa", e a falta pode fazer com que a sala "enterre" as vozes ou instrumentos que trabalham nessas freqüências.[/COLOR][/SIZE]


[SIZE="4"][COLOR="Blue"]O que são os harmônicos?[/COLOR][/SIZE]
Quando se toca uma nota num violão, piano, ou qualquer outro instrumento, se ouve junto dessa nota outras notas implícitas no seu som, chamadas sons complexos, ou harmônicos. Esses outros sons seguem um padrão, chamado série harmônica.
O primeiro som a se ouvir acima da fundamental é sua oitava, logo em seguida a quinta justa e mais uma oitava acima. Depois segue, terça, quinta, e por aí vai. Inclusive aparecem notas que não fazem parte do nosso sistema temperado.
Quando se toca um acorde com tensão, muitas vezes se omite uma nota que costuma ser a quinta, certo? Isso ocorre primeiro porque a terça e a sétima são muito importantes na função do acorde, e também porque a quinta é o intervalo que mais aparece na série harmônica além da fundamental, é claro.

Outro exemplo prático é: Por que as tétrades e acordes "com muitas notas" costumam embolar com distorção? Por que um power-chord não embola?
Porque a distorção excita os harmônicos e deixa eles mais presentes, agora imagine os harmônicos de quatro notas, todos juntos! Um power-chord contém apenas duas notas, a fundamental e a quinta, que mais uma vez, é a nota mais presente nos harmônicos da fundamental!


[SIZE="4"][COLOR="DimGray"]Acho que é isso, falei de bastante coisa até. Estou muito longe de ser especialista em acústica ou qualquer outra coisa, mas acho que foi um resumo legal de coisas básicas.

É isso aí, espero que o post seja útil pro pessoal que se interessou em acompanhar o tópico até aqui!

[SIZE="3"][COLOR="Red"]Agradecimento ao user minow, do fórum cifraclub pelas informações.[/COLOR][/SIZE]

Abraços a todos e boa sorte![/COLOR][/SIZE]
 

fred_mamute

Bam-bam-bam
Mensagens
7.076
Reações
964
Pontos
314
Gajo além do dia a dia de músico e no estúdio qual a sua formação?
Se quiser postar dicas de leitura, estou aprendendo muita teoria com esse tópico meu pai é radialista cresci no meio e herdei isso dele rsrsrsrs.

Mas tenho que crescer/apreder muito ainda.
 

~L~

Bam-bam-bam
Mensagens
19.570
Reações
3.845
Pontos
362
Caro Gajo..

Quanto custa mais ou menos pra fazer um estúdio simples.. só com as paredes isoladas e tudo mais.. sem equipamentos.. em uma área de.. uns 20m²

Obrigado, desde já
 

gajo666

Bam-bam-bam
Mensagens
3.412
Reações
923
Pontos
229
fred_mamute;6009440 disse:
Gajo além do dia a dia de músico e no estúdio qual a sua formação?
Se quiser postar dicas de leitura, estou aprendendo muita teoria com esse tópico meu pai é radialista cresci no meio e herdei isso dele rsrsrsrs.

Mas tenho que crescer/apreder muito ainda.
Bom, em termos de música, sou guitarrista, frequentei durante uns bons anos o conservatório Souza Lima e também muitos e muitos workshops de música. Na parte de teoria, fiz durante alguns anos, aulas específicas de teoria musical com um grande professor de piano clássico, que manjava muito (mas muito mesmo!) do assunto.

Na parte técnica, fiz cursos de técnico de áudio, produção, gravação, mixagem e masterização, todos eles pela EM&T (Escola de Música e Tecnologia). Após alguns anos "quebrando a cara" com bandas que não deram certo, resolvi "meter a mão na massa" e colocar em prática o que aprendi com relação à produção. Então, junto com um grande amigo (que também estava cansado de "dar murro em ponta de faca", montamos um estúdio de gravação, que mantemos até hoje.

Pra mim, hoje o trabalho no estúdio é mais um hobby do que outra coisa, pois o trabalho como professor na faculdade de Administração toma muito do meu tempo durante a semana, deixando as responsabilidades do estúdio mais para a parte da noite e fins de semana...



~L~;6010335 disse:
Caro Gajo..

Quanto custa mais ou menos pra fazer um estúdio simples.. só com as paredes isoladas e tudo mais.. sem equipamentos.. em uma área de.. uns 20m²

Obrigado, desde já
Como todos nós já sabemos, revistas especializadas em Home Studios ensinam a montar o seu, mas por um preço exorbitante e muitos de nós entendemos que não é necessário gastar tanto para fazer gravações caseiras de qualidade hoje em dia. Com a imensidade de softwares multipistas para gravação de graça na internet, podemos alcançar ótimos resultados e com baixíssimo custo.

Antes de falarmos mais sobre gravações, vamos ao que realmente interessa. O primeiro passo é comprar uma boa placa de som – existem placas USB, PCI e Firewire – nesse caso, recomendo as placas PCI. De baixo custo temos a famosa M-AUDIO AUDIOPHILLE 2496 que se destaca como uma das melhores placas (mais ou menos R$300,00 no Brasil), com entradas e saídas analógicas RCA e conexões digitais S/PDIF e MIDI – placa de baixa latência. (latência = o atraso que existe para que uma alteração no som feita pelo software seja efetivamente ouvida).

Quando falamos em USB, temos a MIDISPORT 2X2 USB de baixo custo (mais ou menos R$250,00 no Brasil) - MIDISPORT 2X2 USB - placa MIDI de 2 portas (32 canais) tipo USB, compatível com PC e Macintosh (Mac). Devido a alta velocidade da conexão USB (Universal Serial Bus), o tráfego dos dados MIDI acontece sem qualquer atraso, fora que não é necessário mexer diretamente na placa-mãe.

As placas Firewire costumam variar entre R$ 1.000,00 a R$ 3.000,00 já não sendo muito viáveis ao que estamos procurando pois a idéia é diminuir o custo... então nem entrarei em detalhes sobre esse tipo de equipamento, ok?

Cabos RCA são necessários para que possamos ligar tanto a saída de áudio como a entrada também. Vamos gastar mais um pouco? O próximo passo seria uma pequena mesa de som ou um pré-amp para que possamos microfonar violão ou voz – muitos pré-amps hoje em dia já vêm com entrada phantom power para ligar microfones condensadores, então é necessário analisar o que você realmente vai precisar – inclusive microfones.

Hoje, com vários plugins de amplificadores valvulados disponíveis na internet, podemos fazer gravações em linha sem se preocupar em microfonar um amplificador real. Um desses plugins é o Amplitube ou o Guitar Rig (que eu prefiro), um dos mais utilizados para simulação de amplificadores e caixas... mas há aqueles que preferem a boa e velha microfonação direto no amplificador de verdade – isso fica a critério de cada um. A maioria dos softwares de gravação multipistas suportam plugins de efeitos como reverb, delay, distortion, chorus. Cito alguns como: CUBASE SX 3, Nuendo, ACID Pro, Vegas, Sonar...

Legal... mas ainda teremos mais alguns ajustes a fazer.

E a nossa saída de som? Um par de monitores é muito caro!!! Calma. Não é o ideal, mas você pode usar as próprias caixas do seu aparelho de som - o ideal é deixá-las a mais ou menos 1 metro de distância uma da outra e na mesma altura dos seus ouvidos. Muitos condenam essa prática mas não é errada pois pela lógica você ouvirá as mesmas freqüências que saem de qualquer aparelho de som. O certo seria possuirmos as duas opções mas estamos falando em gastar menos e ter resultados. Os monitores permitem que todas as freqüências de áudio fiquem “nítidas” na hora de uma mixagem apurada mas podemos resolver isso com um bom fone monitor K55 da AKG, muito recomendado para mixagens pois não há vazamento de áudio nem interferência externa. O par desses monitores custa em torno de R$500,00.

Como a maioria das placas citadas acima são de ótima qualidade, sim você poderá gravar madrugada afora com um bom par de fones de ouvido, caso não queira isolar o seu quarto e evitar que seus vizinhos reclamem - estes giram em torno de R$ 180,00 a R$ 300,00 como é o caso do Sennheiser EH1430.

Claro, agora você precisa dos instrumentos (guitarra, baixo, violão, teclado e bateria) que ficará a cargo e gosto de cada um – mas há um outro porém, a BATERIA. Um controlador MIDI seria uma peça chave onde podemos tocar diretamente nesse fantástico teclado montando os andamentos de bateria MIDI com o mouse ou algum software específico. Comprar um controlador MIDI? Se o seu orçamento permitir é a melhor saída. Muitos teclados mais simples hoje em dia possuem entrada USB/MIDI, geralmente a entrada está atrás do teclado... mas nunca descarte um teclado antigo pois ele poderá ser muito útil em futuras gravações.

O seu quarto pode ser o melhor estúdio de gravação do mundo? Sim, pode, desde que ele tenha uma boa acústica, não vaze muito som e nem deixe o som externo interferir. Existem muitas técnicas para vedar janelas e portas – só não deve ser feito com caixas de ovos pois as baratas arrumarão um novo lar rapidinho. O isolamento acústico diz respeito à vedação da sala em relação ao vazamento de ruídos externos e internos. Não adianta um excelente equipamento numa sala mal isolada - uma solução barata e eficaz são as folhas de compensado ou espumas especiais (Sonex) que podem ser fixadas nas paredes.

Segue um link sobre um manual muito legal para montagem de home-studio e pode tirar muitas dúvidas que você tenha: http://arquivos.audiolist.org/down_db.php?page=get_file&id=37

Espero que tenha ajudado. Abraço a todos!
 

~L~

Bam-bam-bam
Mensagens
19.570
Reações
3.845
Pontos
362
Bom, em termos de música, sou guitarrista, frequentei durante uns bons anos o conservatório Souza Lima e também muitos e muitos workshops de música. Na parte de teoria, fiz durante alguns anos, aulas específicas de teoria musical com um grande professor de piano clássico, que manjava muito (mas muito mesmo!) do assunto.

Na parte técnica, fiz cursos de técnico de áudio, produção, gravação, mixagem e masterização, todos eles pela EM&T (Escola de Música e Tecnologia). Após alguns anos "quebrando a cara" com bandas que não deram certo, resolvi "meter a mão na massa" e colocar em prática o que aprendi com relação à produção. Então, junto com um grande amigo (que também estava cansado de "dar murro em ponta de faca", montamos um estúdio de gravação, que mantemos até hoje.

Pra mim, hoje o trabalho no estúdio é mais um hobby do que outra coisa, pois o trabalho como professor na faculdade de Administração toma muito do meu tempo durante a semana, deixando as responsabilidades do estúdio mais para a parte da noite e fins de semana...





Como todos nós já sabemos, revistas especializadas em Home Studios ensinam a montar o seu, mas por um preço exorbitante e muitos de nós entendemos que não é necessário gastar tanto para fazer gravações caseiras de qualidade hoje em dia. Com a imensidade de softwares multipistas para gravação de graça na internet, podemos alcançar ótimos resultados e com baixíssimo custo.

Antes de falarmos mais sobre gravações, vamos ao que realmente interessa. O primeiro passo é comprar uma boa placa de som – existem placas USB, PCI e Firewire – nesse caso, recomendo as placas PCI. De baixo custo temos a famosa M-AUDIO AUDIOPHILLE 2496 que se destaca como uma das melhores placas (mais ou menos R$300,00 no Brasil), com entradas e saídas analógicas RCA e conexões digitais S/PDIF e MIDI – placa de baixa latência. (latência = o atraso que existe para que uma alteração no som feita pelo software seja efetivamente ouvida).

Quando falamos em USB, temos a MIDISPORT 2X2 USB de baixo custo (mais ou menos R$250,00 no Brasil) - MIDISPORT 2X2 USB - placa MIDI de 2 portas (32 canais) tipo USB, compatível com PC e Macintosh (Mac). Devido a alta velocidade da conexão USB (Universal Serial Bus), o tráfego dos dados MIDI acontece sem qualquer atraso, fora que não é necessário mexer diretamente na placa-mãe.

As placas Firewire costumam variar entre R$ 1.000,00 a R$ 3.000,00 já não sendo muito viáveis ao que estamos procurando pois a idéia é diminuir o custo... então nem entrarei em detalhes sobre esse tipo de equipamento, ok?

Cabos RCA são necessários para que possamos ligar tanto a saída de áudio como a entrada também. Vamos gastar mais um pouco? O próximo passo seria uma pequena mesa de som ou um pré-amp para que possamos microfonar violão ou voz – muitos pré-amps hoje em dia já vêm com entrada phantom power para ligar microfones condensadores, então é necessário analisar o que você realmente vai precisar – inclusive microfones.

Hoje, com vários plugins de amplificadores valvulados disponíveis na internet, podemos fazer gravações em linha sem se preocupar em microfonar um amplificador real. Um desses plugins é o Amplitube ou o Guitar Rig (que eu prefiro), um dos mais utilizados para simulação de amplificadores e caixas... mas há aqueles que preferem a boa e velha microfonação direto no amplificador de verdade – isso fica a critério de cada um. A maioria dos softwares de gravação multipistas suportam plugins de efeitos como reverb, delay, distortion, chorus. Cito alguns como: CUBASE SX 3, Nuendo, ACID Pro, Vegas, Sonar...

Legal... mas ainda teremos mais alguns ajustes a fazer.

E a nossa saída de som? Um par de monitores é muito caro!!! Calma. Não é o ideal, mas você pode usar as próprias caixas do seu aparelho de som - o ideal é deixá-las a mais ou menos 1 metro de distância uma da outra e na mesma altura dos seus ouvidos. Muitos condenam essa prática mas não é errada pois pela lógica você ouvirá as mesmas freqüências que saem de qualquer aparelho de som. O certo seria possuirmos as duas opções mas estamos falando em gastar menos e ter resultados. Os monitores permitem que todas as freqüências de áudio fiquem “nítidas” na hora de uma mixagem apurada mas podemos resolver isso com um bom fone monitor K55 da AKG, muito recomendado para mixagens pois não há vazamento de áudio nem interferência externa. O par desses monitores custa em torno de R$500,00.

Como a maioria das placas citadas acima são de ótima qualidade, sim você poderá gravar madrugada afora com um bom par de fones de ouvido, caso não queira isolar o seu quarto e evitar que seus vizinhos reclamem - estes giram em torno de R$ 180,00 a R$ 300,00 como é o caso do Sennheiser EH1430.

Claro, agora você precisa dos instrumentos (guitarra, baixo, violão, teclado e bateria) que ficará a cargo e gosto de cada um – mas há um outro porém, a BATERIA. Um controlador MIDI seria uma peça chave onde podemos tocar diretamente nesse fantástico teclado montando os andamentos de bateria MIDI com o mouse ou algum software específico. Comprar um controlador MIDI? Se o seu orçamento permitir é a melhor saída. Muitos teclados mais simples hoje em dia possuem entrada USB/MIDI, geralmente a entrada está atrás do teclado... mas nunca descarte um teclado antigo pois ele poderá ser muito útil em futuras gravações.

O seu quarto pode ser o melhor estúdio de gravação do mundo? Sim, pode, desde que ele tenha uma boa acústica, não vaze muito som e nem deixe o som externo interferir. Existem muitas técnicas para vedar janelas e portas – só não deve ser feito com caixas de ovos pois as baratas arrumarão um novo lar rapidinho. O isolamento acústico diz respeito à vedação da sala em relação ao vazamento de ruídos externos e internos. Não adianta um excelente equipamento numa sala mal isolada - uma solução barata e eficaz são as folhas de compensado ou espumas especiais (Sonex) que podem ser fixadas nas paredes.

Segue um link sobre um manual muito legal para montagem de home-studio e pode tirar muitas dúvidas que você tenha: http://arquivos.audiolist.org/down_db.php?page=get_file&id=37

Espero que tenha ajudado. Abraço a todos!

Excelente.. mas eu gostaria de saber de isolamentos.. e etc.. teria que reconstruir as paredes? Ou coisa do tipo?
 

gajo666

Bam-bam-bam
Mensagens
3.412
Reações
923
Pontos
229
Excelente.. mas eu gostaria de saber de isolamentos.. e etc.. teria que reconstruir as paredes? Ou coisa do tipo?
Bom, primeiro, vamos dismistificar algumas coisas:

Isopor é um bom isolante acústico?
Não! Isopor é isolante termico, não acústico.

Caixa de ovos pode ser usada como isolante acústico?
Caixas de ovos só criam baratas, não isolam nada. Também possuem baixa absorção no tratamento acustico.


O que isola é a combinação de materiais densos/pesados. O ideal é fazer uma parede com gesso acartonado presos com perfis. Deixe no minimo 5cm de distãncia da parede de sua casa. Entrelaça-se placas de lã de vidro ou lã de rocha... Existem várias densidades para vários bolsos.

Vede portas com borrachas. Se puder trocar a porta, melhor ainda. Mande um marceneiro fazer uma com areia ou lã de vidro por dentro e coloque travas de frigorifico com borrachas imantadas. Melhor trocar de janela se existir. Coloque uma acústica ou feche ela com alvenaria e coloque um ar condicionado spliter.

Usar só espumas como sonex, sonitec e fonac não resolvem. São usadas para tratamento acústico. Não isolam totalmente o som.


O ideal é fazer o cálculo de materiais para o nivel de isolamento que você quer (e o que o seu bolso permite). Carpete, isopor, caixa de ovo... tudo isso é dinheiro jogado fora.

Abraço!
 

gajo666

Bam-bam-bam
Mensagens
3.412
Reações
923
Pontos
229
Pra complementar, seguem abaixo diagramas muito legais de como fazer paredes e pisos de estúdios profissionais. Não é necessário ser tão extremo como nas imagens abaixo, mas já dá uma boa idéia de como o isolamento e tratamento acústico trabalham:

[COLOR="Red"][SIZE="4"]PAREDE:[/SIZE][/COLOR]



[SIZE="4"][COLOR="Red"]PISO:[/COLOR][/SIZE]


Abraço a todos!
 
Topo