O que há de Novo?
  • Anunciando os planos GOLD no Fórum Outer Space
    Visitante, agora você pode ajudar o Fórum Outer Space e receber alguns recursos exclusivos, incluindo navegação sem anúncios e dois temas exclusivos. Veja os detalhes aqui.

TÓPICO OFICIAL DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA JAIR MESSIAS BOLSONARO

Qual será a moeda nova agora com Bolsonaro?

  • BOLSOS

    Votes: 104 12,4%
  • MITOS

    Votes: 188 22,4%
  • PITÚS

    Votes: 75 8,9%
  • BOLSONAROS

    Votes: 54 6,4%
  • TALKEIS

    Votes: 192 22,8%
  • NIÓBIOS

    Votes: 60 7,1%
  • HELENÕES

    Votes: 23 2,7%
  • COISOS

    Votes: 41 4,9%
  • JAIRES

    Votes: 12 1,4%
  • BONOROS

    Votes: 92 10,9%

  • Total voters
    841
  • Poll closed .


Witold Pilecki

Bam-bam-bam
Mensagens
988
Reações
3.018
Pontos
248
Estamos vivendo uma desgraça sem tamanho.

Pandemia sem controle, milhares de mortos, crise econômica, inflação, desemprego, reformas prometidas engavetadas,

governo se aliando ao que há de pior na política, Judiciário fodendo o país dia após dia.

Uma enorme tempestade está se formando.

Um bordão da eleição passada dizia: ''Vote em Bolsonaro para não virarmos uma Venezuela.''

Parece que não está funcionando.
 
Ultima Edição:

Witold Pilecki

Bam-bam-bam
Mensagens
988
Reações
3.018
Pontos
248
Minha mulher é pedagoga.

Essa semana foi demitida da escola onde ensinava.

Por quê?

Porque não tem aulas.

Alguns vão dizer: ''fica em casa, economia a gente vê depois''.

Eu nunca fui adepto desse pensamento.

Não sou funça pra ficar encostado enquanto a sociedade paga minha regalias.

É loucura e cinismo.

Mas Bolsonaro teve a chance de mudar o jogo lá em meados do fim de 2020 se tivesse assinado um acordo para as vacinas.

Esse governo é desastroso.

Hoje não temos vacina nem emprego, nem economia nem vida.

O desespero é tamanho que penso até em tomar essa bosta de Coronavac, coisa que durante tempos tive ojeriza.
 


yage

Bam-bam-bam
Mensagens
9.696
Reações
36.351
Pontos
363
Pesquisa: 58% desaprovam governo Bolsonaro e 72% querem auxílio prolongado



EXAME/IDEIA: para 58%, maior acesso a armas aumenta a violência no Brasil

Revista: para 58%, maior acesso a armas aumenta a violência no Brasil
Realidade: Brasileiro diz não a restrição de armas em plebiscito.

Alguém está mentindo e manipulando, os dois não podem ser verdade.


Minha mulher é pedagoga.

Essa semana foi demitida da escola onde ensinava.

Por quê?

Porque não tem aulas.

Alguns vão dizer: ''fica em casa, economia a gente vê depois''.

Eu nunca fui adepto desse pensamento.

Não sou funça pra ficar encostado enquanto a sociedade paga minha regalias.

É loucura e cinismo.

Mas Bolsonaro teve a chance de mudar o jogo lá em meados do fim de 2020 se tivesse assinado um acordo para as vacinas.

Esse governo é desastroso.

Hoje não temos vacina nem emprego, nem economia nem vida.

O desespero é tamanho que penso até em tomar essa bosta de Coronavac, coisa que durante tempos tive ojeriza.
Lamento sua esposa perder o emprego, mas isso não poderia ser evitado pelo Bolsonaro, mesmo países que estão vacinando ainda estão com lockdown. Estão se aproveitando ao máximo disso, e o Bolsonaro foi um dos únicos que foi contra isso. E quem fodeu tudo pra variar foi o STF delegando isso a estados e municipios.
 

pwnds

Bam-bam-bam
Mensagens
1.189
Reações
3.118
Pontos
294
Revista: para 58%, maior acesso a armas aumenta a violência no Brasil
Realidade: Brasileiro diz não a restrição de armas em plebiscito.

Alguém está mentindo e manipulando, os dois não podem ser verdade.
Plebiscito de 2005

Hoje em dia o brasileiro não quer mais armas na rua
 

Denrock

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
13.694
Reações
70.821
Pontos
584
Plebiscito de 2005

Hoje em dia o brasileiro não quer mais armas na rua



Com acesso facilitado, Brasil fecha 2020 com recorde de 180 mil novas armas de fogo registradas na PF, um aumento de 91%


Taurus vende mais armas do que nunca e vive momento"excepcional"


Importação de armas pelo Brasil cresce 94% e bate recorde em 2020


.
 

yage

Bam-bam-bam
Mensagens
9.696
Reações
36.351
Pontos
363
Plebiscito de 2005

Hoje em dia o brasileiro não quer mais armas na rua
Era exatamente isso que os congressistas e globais pensaram na época, tanto que fizeram o plebiscito que já davam como ganha a fatura. Porém o resultado não foi o que imaginaram e ainda sim na base da força foram contra a vontade popular.
 

Darkx1

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
21.286
Reações
45.803
Pontos
544
Revista: para 58%, maior acesso a armas aumenta a violência no Brasil
Realidade: Brasileiro diz não a restrição de armas em plebiscito.

Alguém está mentindo e manipulando, os dois não podem ser verdade.




Lamento sua esposa perder o emprego, mas isso não poderia ser evitado pelo Bolsonaro, mesmo países que estão vacinando ainda estão com lockdown. Estão se aproveitando ao máximo disso, e o Bolsonaro foi um dos únicos que foi contra isso. E quem fodeu tudo pra variar foi o STF delegando isso a estados e municipios.
A velha desculpa esfarrapada do STF...



Enviado de meu SM-J410G usando o Tapatalk
 

Darkx1

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
21.286
Reações
45.803
Pontos
544
Ué, reclama com eles por darem a deixa. Foram se intrometer onde não eram chamados agora aguentem as consequências.
Pois é, esse STF sem vergonha que forçou a demissão de dois ministros da saude, que impede os notaveis ministros da educação de traçar estrategias, ou fizaram o Mito fazer propaganda anti vacina e só se preocupar com isso depois que o Doria agiu devia ser preso.

A gente sabe que o mito sempre se preocupou com a economia, ate parece que ele ia dar uma de Dilma e arregaçar a Petrobras, né?
 

yage

Bam-bam-bam
Mensagens
9.696
Reações
36.351
Pontos
363
Pois é, esse STF sem vergonha que forçou a demissão de dois ministros da saude, que impede os notaveis ministros da educação de traçar estrategias, ou fizaram o Mito fazer propaganda anti vacina e só se preocupar com isso depois que o Doria agiu devia ser preso.

A gente sabe que o mito sempre se preocupou com a economia, ate parece que ele ia dar uma de Dilma e arregaçar a Petrobras, né?
Como falei, o governo não poderia traçar estratégia já que não seria seguido pelos estados como São Paulo e Bahia por birra politica. (obrigado stf).
 

Baralho

Bam-bam-bam
Mensagens
6.817
Reações
21.482
Pontos
353
Exatamente.

Revista: para 58%, maior acesso a armas aumenta a violência no Brasil
Realidade: Brasileiro diz não a restrição de armas em plebiscito.

Alguém está mentindo e manipulando, os dois não podem ser verdade.
Concordando com esse post, tão simples como didático.
Pesquisas falham fragorosamente, como mostraram as de 2018, por esses mesmos canais.

De outro modo, elas não correlacionam a expectativa da amostra e as respostas da mesma amostra necessariamente (os 58% da amostra de 2021, claro, não refletem não só os votantes de 2005, como não expressam os que poderiam votar em novo plebiscito hoje).

Lamento sua esposa perder o emprego, mas isso não poderia ser evitado pelo Bolsonaro, mesmo países que estão vacinando ainda estão com lockdown. Estão se aproveitando ao máximo disso, e o Bolsonaro foi um dos únicos que foi contra isso. E quem fodeu tudo pra variar foi o STF delegando isso a estados e municipios.
Idem. É uma situação lamentável mesmo outros foristas vem passando por isso também. E outros ainda passaram e buscaram alternativas, enfim, essa é a realidade do país hoje.

O ideal era que o Brasil tivesse sua própria indústria de imunizantes, mas como em outros segmentos, o segundo setor no país está em queda há mais de dez anos.
Depender de laboratórios da Ocde e Pequim, ou mesmo de Nova Dehli, é sintomático que o Brasil não tem preparo não só pra essa, mas outras eventuais crises pandêmicas que (possivelmente) possam ocorrer.
Lembre-se que a corona é a mais desastrosa, mas não é a primeira, só desde 2000 houveram outras 2 que se alastraram pelo mundo.

Pegar manchetes de telejornais e dar ctrl-C e ctrl-V é cômodo pra se pensar em algo mais complexo do que menos de metade do mandato de um presidente que não tem todas as ferramentas pra deter um problema que mesmo em países harmônicos e desenvolvidos, não foi bem solucionado (vide o post do @Denrock no começo da página, por ex.).

O que o Brasil sempre precisou é de menos poder sob controle das classes do judiciário e política, e de menos políticos e burocratas do judiciário, claro.
Enfim..
Voltando ao que era antes de 2018 é que o país não vai melhorar, certamente.
 

Flea.

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
15.138
Reações
17.797
Pontos
644
a diferença entre o que O CIRCO DA GRANDE MIDIA fala, e os numeros REAIS:

não estamos tão mal, estamos melhores que Alemanha, França, Reino Unido, Italia, Portugal, USA, e até a Suécia, e perto da Suíça



Mano, a ingenuidade das pessoas nesse fórum :kkk:kkk:kkk

Voces realmente acham que teve tudo isso de morte de uma gripezinha !? Pode botar 90% desse número na conta dos torcedores da peste chinesa infiltrados pra derrubar o mito

Se brasil teve 100 mortes da peste foi muito:klolwtf:klolwtf:klolwtf
 

Flea.

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
15.138
Reações
17.797
Pontos
644
Só pra terem uma ideia, uma tia da minha vó foi pro posto por causa de uma dor nas costas e saiu numa bolsa preta no dia seguinte por morte da peste chinesa

Teve um padrinho de um amigo que foi atleta até das olimpiadas que foi pro hospital por causa de uma hemorroida e apareceu morto no dia seguinte por, adivinhem, o "virus chines"

O sobrinho de uma amiga da igreja me disse que o tio do uber que ela pegou no domingo foi pra um postinho por causa da uma diarréia e apareceu na semana seguinte com um atestado de óbito: morte em decorrência da peste do ursinho pooh

Nojo, só isso que tenho a dizer :kpuke

Detalhe, o sobrenome de todos esses "médicos" rima com Ping-Pong
 

deriks

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
12.141
Reações
11.633
Pontos
589
a diferença entre o que O CIRCO DA GRANDE MIDIA fala, e os numeros REAIS:

não estamos tão mal, estamos melhores que Alemanha, França, Reino Unido, Italia, Portugal, USA, e até a Suécia, e perto da Suíça



hur dur grande mídia

Melhor parte é "não estamos tão ruins", porque essa é a melhor competição possível - "aquele cara ali não tem braço e nem perna, mas a gente tá só sem as pernas. Tô suave"

Por esse e outros motivos que a gente sempre tem os presidentes bostas que tivemos até hoje
 

D L

Bam-bam-bam
Mensagens
898
Reações
2.994
Pontos
268
Ofensa
hur dur grande mídia

Melhor parte é "não estamos tão ruins", porque essa é a melhor competição possível - "aquele cara ali não tem braço e nem perna, mas a gente tá só sem as pernas. Tô suave"

Por esse e outros motivos que a gente sempre tem os presidentes bostas que tivemos até hoje
é sempre a mesma baboseira, parece um gerador de lero lero, posta no mesmo padrao sempre
ele com certeza tem aquele complexo onde a pessoa nao consegue reconhecer sua propria estupidez ou loucura pq esta preso em si mesmo,
o estupido q se acha esperto

se eu pudesse dar um presente pra ele, com certeza seria pra ele se ver de fora por um momento
ele iria se envergonhar, mas ae teria q ser outro cerebro pq esse ai ta foda
 

Sgt. Kowalski

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
48.527
Reações
107.648
Pontos
989
Bolsonaro não corrige tabela e obriga 10,5 milhões a pagar Imposto de Renda


O presidente Jair Bolsonaro adiou mais uma vez o cumprimento de sua promessa de campanha, de corrigir a tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física. Na prática, a omissão representa um novo aumento dos impostos. A cada ano, mais brasileiros são obrigados a pagar IR. E quem já paga leva uma mordida ainda maior no bolso. O cálculo é que 10,5 milhões de brasileiros estariam isentos do imposto se houvesse a correção da tabela.

A isenção do imposto hoje só vale para quem ganha até R$ 1.903,98 por mês (menos de dois salários mínimos). Mas, se a tabela fosse corrigida ao menos pela inflação, a isenção deveria valer para todos que ganham até R$ 4.022,89.

Promessa de campanha
A promessa inicial de Bolsonaro, feita ainda durante a campanha à Presidência, em 2018, era isentar todos os brasileiros que ganhassem até cinco salários mínimos (pouco menos de R$ 5.000 na época). No fim de 2019, o discurso mudou e o valor da promessa foi reduzido para R$ 3.000. Com a pandemia e o rombo nas contas do governo, Bolsonaro jogou a bola para frente: "Vamos tentar pelo menos em 2022 passar para R$ 3.000." Além disso, o presidente admitiu que não conseguirá atingir o piso de isenção de R$ 5.000 até o fim do seu mandato.

Com isso, já são seis anos sem nenhum reajuste nas faixas salariais de tributação e nas deduções permitidas, como dependentes ou educação. A partir de segunda-feira (1º/3), cerca de 32,6 milhões de brasileiros terão que apresentar a declaração anual do Imposto de Renda. Destes, quase 3 milhões de pessoas poderão ter que devolver o auxílio emergencial recebido para enfrentar a pandemia de Covid-19 porque acumularam outras rendas acima de R$ 22.847,76 no ano passado.

10,5 milhões deveriam estar isentos de imposto
O estudo que mostra que 10,5 milhões não deveriam pagar imposto foi feito pelo Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional). Segundo os dados, devido à ausência de reajustes ou às correções abaixo da inflação oficial (medida pelo IPCA), a tabela do Imposto de Renda acumula uma defasagem de 113,09% desde 1996 até o ano passado.
A isenção hoje só vale para quem ganha até R$ 1.903,98 por mês, mas o certo seria até R$ 4.022,89.

O estudo mostra que uma pessoa que ganha, por exemplo, R$ 3.000 por mês, paga hoje R$ 95,20 mensais de Imposto de Renda. Isso equivale a quase R$ 1.200 por ano, sem considerar o imposto sobre o 13º salário e férias. Se a tabela do IR acompanhasse pelo menos a inflação, essa pessoa não pagaria nada de IR.

A última vez que houve correção na tabela do IR foi em 2015, quando a então presidente Dilma Rousseff estabeleceu reajuste, em média, de 5,6% nas faixas salariais de cálculo do IR. Mesmo assim, o índice aplicado foi bem inferior à inflação daquele ano, de 10,67%. Em 2016, não houve correção, apesar de a inflação ter avançado 6,29%. O mesmo ocorreu em 2017 (inflação de 2,95%), 2018 (3,75%), 2019 (4,31%) e 2020 (4,52%).

Situação é pior para quem ganha menos
O Sindifisco afirma que os brasileiros que recebem salários mais baixos são, proporcionalmente, mais afetados pela defasagem na tabela do IR do que as pessoas com salários mais altos.

De acordo com o sindicato dos fiscais da Receita, uma pessoa que recebe R$ 5.000 por mês sofre um recolhimento de IR na fonte de R$ 505,64 por mês. Se a tabela não estivesse defasada, o imposto seria de R$ 73,28. Ou seja, ela paga R$ 432,36 (545,14%) a mais de imposto.

Para um salário de R$ 10 mil, a retenção hoje é de R$ 1.880,64 por mês, quando o correto deveria ser de R$ 900,47. A diferença nesse caso é de R$ 980,17, ou 108,85% a mais de imposto.

A não correção da tabela do IR ou sua correção parcial em relação à inflação aumenta a carga tributária e pune de maneira mais acentuada o contribuinte de menor renda, notadamente a classe média assalariada. Kleber Cabral, presidente do Sindifisco
Deduções também são menores do que deveriam ser
Além da mordida maior sobre salários, aposentadorias, pensões, renda de alugueis e outros rendimentos tributáveis, a defasagem na tabela do Imposto de Renda também provoca outro efeito nocivo sobre o bolso dos brasileiros: as possibilidades de reduzir o imposto são menores do que deveriam ser.
O valor limite para dedução de despesas com educação do contribuinte, seus dependentes ou alimentandos, que hoje é de R$ 3.561,50 por pessoa por ano, deveria ser de R$ 7.589,61. O desconto permitido por dependente incluído na declaração, atualmente de R$ 2.275,08 por ano, deveria estar em R$ 4.850,04.
No caso de despesas com saúde, não há limites de valor, porém existem diversas restrições. Não é permitido, por exemplo, lançar na declaração do Impostos de Renda os gastos com medicamentos comprados na farmácia, ainda que sejam de uso contínuo e essenciais à vida do contribuinte ou de seus dependentes.
"Medicamentos não são supérfluos, e sim uma necessidade vital do ser humano. Deveriam compor a relação de deduções legais, pois, de acordo com o princípio da capacidade contributiva, cada pessoa deve ter sua renda tributada somente depois de deduzidas todas as despesas necessárias à sua sobrevivência" afirmou o Sindifisco no estudo.
O sindicato dos fiscais da Receita defende ainda a volta da dedução dos gastos com moradia. Até 1988 era permitido descontar do Imposto de Renda as despesas com aluguel residencial e com os juros de financiamento da casa própria.
"Essas deduções foram extintas e, mesmo morando de aluguel ou pagando o empréstimo habitacional, o contribuinte não tem mais nenhum benefício fiscal. Note-se que quem recebe o aluguel deve tributar o rendimento, mas quem paga aluguel não pode deduzi-lo. Em alguns casos, trata-se da mesma pessoa - que loca seu imóvel para alugar outro. Nesses casos, tributa-se o que o contribuinte recebe sem poder deduzir o que ele paga", afirmou o sindicato.
Sindicato defende isenção para R$ 3.000 já em 2022
O sindicato dos fiscais da Receita Federal é a favor de uma correção parcial imediata da tabela do Imposto de Renda. A entidade defende que o governo apresente um projeto para que todos os brasileiros que ganham até R$ 3.000 fiquem isentos do Imposto de Renda já em 2022. Na prática, a medida representaria uma correção de 57,6% sobre a tabela atual, cujo limite de isenção está em R$ 1.903,98.
Nossa proposta é de correção parcial da faixa de isenção, para R$ 3.000, em 2022. O restante da correção poderia ser fracionado em 10 anos. Kleber Cabral, presidente do Sindifisco
Receita afirma que correção depende de mudança nas regras
Embora seja o órgão do governo responsável pela fiscalização e arrecadação dos impostos, a Receita Federal esclareceu que não tem poderes legais para atualizar a tabela do Imposto de Renda. A decisão tem que vir de cima.
Diante das promessas de Bolsonaro, havia expectativa de que o governo federal enviasse ao Congresso em 2020 um projeto que corrigisse as distorções do Imposto de Renda, tornando o imposto mais "progressivo", ou seja, cobrando quem ganha mais e reduzindo a carga tributária sobre quem ganha menos.
"Esse é um assunto que envolve outra esfera de governo, nossos legisladores. Mas, estamos certos de que, assim que houver uma mudança nesse sentido, majorando ou ajustando os limites, a Receita Federal estará pronta para adaptar seus programas e a legislação interna", declarou José Carlos Fernandes, auditor da Receita Federal responsável pelo programa do IR 2021, durante a entrevista coletiva que apresentou as regras da declaração, na quarta-feira passada (24).
O UOL pediu que o governo comentasse a situação. A assessoria do Palácio do Planalto informou que um posicionamento sobre a correção da tabela do Imposto de Renda deveria ser dado pelo Ministério da Economia. O Ministério, por sua vez, respondeu que não irá comentar o assunto.

========================

correção da tabela do imposto de renda foi um dos motivos que me fizeram sair de casa pra votar no Bolso.
 

Resu Anera

Bam-bam-bam
Mensagens
9.705
Reações
19.164
Pontos
454
Bolsonaro não corrige tabela e obriga 10,5 milhões a pagar Imposto de Renda


O presidente Jair Bolsonaro adiou mais uma vez o cumprimento de sua promessa de campanha, de corrigir a tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física. Na prática, a omissão representa um novo aumento dos impostos. A cada ano, mais brasileiros são obrigados a pagar IR. E quem já paga leva uma mordida ainda maior no bolso. O cálculo é que 10,5 milhões de brasileiros estariam isentos do imposto se houvesse a correção da tabela.

A isenção do imposto hoje só vale para quem ganha até R$ 1.903,98 por mês (menos de dois salários mínimos). Mas, se a tabela fosse corrigida ao menos pela inflação, a isenção deveria valer para todos que ganham até R$ 4.022,89.

Promessa de campanha
A promessa inicial de Bolsonaro, feita ainda durante a campanha à Presidência, em 2018, era isentar todos os brasileiros que ganhassem até cinco salários mínimos (pouco menos de R$ 5.000 na época). No fim de 2019, o discurso mudou e o valor da promessa foi reduzido para R$ 3.000. Com a pandemia e o rombo nas contas do governo, Bolsonaro jogou a bola para frente: "Vamos tentar pelo menos em 2022 passar para R$ 3.000." Além disso, o presidente admitiu que não conseguirá atingir o piso de isenção de R$ 5.000 até o fim do seu mandato.

Com isso, já são seis anos sem nenhum reajuste nas faixas salariais de tributação e nas deduções permitidas, como dependentes ou educação. A partir de segunda-feira (1º/3), cerca de 32,6 milhões de brasileiros terão que apresentar a declaração anual do Imposto de Renda. Destes, quase 3 milhões de pessoas poderão ter que devolver o auxílio emergencial recebido para enfrentar a pandemia de Covid-19 porque acumularam outras rendas acima de R$ 22.847,76 no ano passado.

10,5 milhões deveriam estar isentos de imposto
O estudo que mostra que 10,5 milhões não deveriam pagar imposto foi feito pelo Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional). Segundo os dados, devido à ausência de reajustes ou às correções abaixo da inflação oficial (medida pelo IPCA), a tabela do Imposto de Renda acumula uma defasagem de 113,09% desde 1996 até o ano passado.
A isenção hoje só vale para quem ganha até R$ 1.903,98 por mês, mas o certo seria até R$ 4.022,89.

O estudo mostra que uma pessoa que ganha, por exemplo, R$ 3.000 por mês, paga hoje R$ 95,20 mensais de Imposto de Renda. Isso equivale a quase R$ 1.200 por ano, sem considerar o imposto sobre o 13º salário e férias. Se a tabela do IR acompanhasse pelo menos a inflação, essa pessoa não pagaria nada de IR.

A última vez que houve correção na tabela do IR foi em 2015, quando a então presidente Dilma Rousseff estabeleceu reajuste, em média, de 5,6% nas faixas salariais de cálculo do IR. Mesmo assim, o índice aplicado foi bem inferior à inflação daquele ano, de 10,67%. Em 2016, não houve correção, apesar de a inflação ter avançado 6,29%. O mesmo ocorreu em 2017 (inflação de 2,95%), 2018 (3,75%), 2019 (4,31%) e 2020 (4,52%).

Situação é pior para quem ganha menos
O Sindifisco afirma que os brasileiros que recebem salários mais baixos são, proporcionalmente, mais afetados pela defasagem na tabela do IR do que as pessoas com salários mais altos.

De acordo com o sindicato dos fiscais da Receita, uma pessoa que recebe R$ 5.000 por mês sofre um recolhimento de IR na fonte de R$ 505,64 por mês. Se a tabela não estivesse defasada, o imposto seria de R$ 73,28. Ou seja, ela paga R$ 432,36 (545,14%) a mais de imposto.

Para um salário de R$ 10 mil, a retenção hoje é de R$ 1.880,64 por mês, quando o correto deveria ser de R$ 900,47. A diferença nesse caso é de R$ 980,17, ou 108,85% a mais de imposto.

A não correção da tabela do IR ou sua correção parcial em relação à inflação aumenta a carga tributária e pune de maneira mais acentuada o contribuinte de menor renda, notadamente a classe média assalariada. Kleber Cabral, presidente do Sindifisco
Deduções também são menores do que deveriam ser
Além da mordida maior sobre salários, aposentadorias, pensões, renda de alugueis e outros rendimentos tributáveis, a defasagem na tabela do Imposto de Renda também provoca outro efeito nocivo sobre o bolso dos brasileiros: as possibilidades de reduzir o imposto são menores do que deveriam ser.
O valor limite para dedução de despesas com educação do contribuinte, seus dependentes ou alimentandos, que hoje é de R$ 3.561,50 por pessoa por ano, deveria ser de R$ 7.589,61. O desconto permitido por dependente incluído na declaração, atualmente de R$ 2.275,08 por ano, deveria estar em R$ 4.850,04.
No caso de despesas com saúde, não há limites de valor, porém existem diversas restrições. Não é permitido, por exemplo, lançar na declaração do Impostos de Renda os gastos com medicamentos comprados na farmácia, ainda que sejam de uso contínuo e essenciais à vida do contribuinte ou de seus dependentes.
"Medicamentos não são supérfluos, e sim uma necessidade vital do ser humano. Deveriam compor a relação de deduções legais, pois, de acordo com o princípio da capacidade contributiva, cada pessoa deve ter sua renda tributada somente depois de deduzidas todas as despesas necessárias à sua sobrevivência" afirmou o Sindifisco no estudo.
O sindicato dos fiscais da Receita defende ainda a volta da dedução dos gastos com moradia. Até 1988 era permitido descontar do Imposto de Renda as despesas com aluguel residencial e com os juros de financiamento da casa própria.
"Essas deduções foram extintas e, mesmo morando de aluguel ou pagando o empréstimo habitacional, o contribuinte não tem mais nenhum benefício fiscal. Note-se que quem recebe o aluguel deve tributar o rendimento, mas quem paga aluguel não pode deduzi-lo. Em alguns casos, trata-se da mesma pessoa - que loca seu imóvel para alugar outro. Nesses casos, tributa-se o que o contribuinte recebe sem poder deduzir o que ele paga", afirmou o sindicato.
Sindicato defende isenção para R$ 3.000 já em 2022
O sindicato dos fiscais da Receita Federal é a favor de uma correção parcial imediata da tabela do Imposto de Renda. A entidade defende que o governo apresente um projeto para que todos os brasileiros que ganham até R$ 3.000 fiquem isentos do Imposto de Renda já em 2022. Na prática, a medida representaria uma correção de 57,6% sobre a tabela atual, cujo limite de isenção está em R$ 1.903,98.
Nossa proposta é de correção parcial da faixa de isenção, para R$ 3.000, em 2022. O restante da correção poderia ser fracionado em 10 anos. Kleber Cabral, presidente do Sindifisco
Receita afirma que correção depende de mudança nas regras
Embora seja o órgão do governo responsável pela fiscalização e arrecadação dos impostos, a Receita Federal esclareceu que não tem poderes legais para atualizar a tabela do Imposto de Renda. A decisão tem que vir de cima.
Diante das promessas de Bolsonaro, havia expectativa de que o governo federal enviasse ao Congresso em 2020 um projeto que corrigisse as distorções do Imposto de Renda, tornando o imposto mais "progressivo", ou seja, cobrando quem ganha mais e reduzindo a carga tributária sobre quem ganha menos.
"Esse é um assunto que envolve outra esfera de governo, nossos legisladores. Mas, estamos certos de que, assim que houver uma mudança nesse sentido, majorando ou ajustando os limites, a Receita Federal estará pronta para adaptar seus programas e a legislação interna", declarou José Carlos Fernandes, auditor da Receita Federal responsável pelo programa do IR 2021, durante a entrevista coletiva que apresentou as regras da declaração, na quarta-feira passada (24).
O UOL pediu que o governo comentasse a situação. A assessoria do Palácio do Planalto informou que um posicionamento sobre a correção da tabela do Imposto de Renda deveria ser dado pelo Ministério da Economia. O Ministério, por sua vez, respondeu que não irá comentar o assunto.

========================

correção da tabela do imposto de renda foi um dos motivos que me fizeram sair de casa pra votar no Bolso.
Minha evolução no IR: em 2015 recebia R$2700 de restituição. Hoje fico devendo alguns reais.
 

Hiperbrain

Ei mãe, 500 pontos!
VIP
Mensagens
14.101
Reações
62.650
Pontos
634
A velha desculpa esfarrapada do STF...



Enviado de meu SM-J410G usando o Tapatalk
Pois é, esse STF sem vergonha que forçou a demissão de dois ministros da saude, que impede os notaveis ministros da educação de traçar estrategias, ou fizaram o Mito fazer propaganda anti vacina e só se preocupar com isso depois que o Doria agiu devia ser preso.

A gente sabe que o mito sempre se preocupou com a economia, ate parece que ele ia dar uma de Dilma e arregaçar a Petrobras, né?
Cheio de panista do STF aqui.

A gente sabe o que deixa vocês felizes.

Conanda: maioria do STF vota por suspender mudanças feitas por Bolsonaro

No ato, de setembro de 2019, Bolsonaro reduziu de 28 para 18 o número de integrantes do Conanda e definiu que os 9 representantes da sociedade civil teriam de passar por processo seletivo público. O número de reuniões do Conselho foi reduzido. Para os próximos anos, Bolsonaro definiu que os integrantes do conselho teriam direito a apenas um mandato, de dois anos, sem possibilidade de recondução.

Na época, Bolsonaro também dispensou todos os representantes que estavam no Conanda, determinação que foi revertida em dezembro de 2019, em caráter liminar, pelo ministro Roberto Barroso, já no âmbito da ADPF 622. Esses integrantes do Conanda votaram, por exemplo, a favor da autorização de visita íntima para adolescentes infratoras (a partir dos 12 anos de idade).



Lula trocou diretor da PF para ter acesso a operações, mas não foi acusado de ‘interferência’

Reportagem da 'Folha' de 2007 nem sequer insinua atitude imprópria do então presidente

Visualizar anexo 172025

A gravidade apontada pelo ex-ministro Sérgio Moro e políticos de oposição às supostas tentativas de “interferência” do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal não ganhou essa interpretação quando o então presidente Lula, em 2007, trocou os diretores da PF alegando que precisava ter “mais informações sobre as grandes operações da Polícia Federal”. A ex-presidente Dilma Rousseff também foi acusada de tentar interferir nas ações da PF, mas nem ela e nem o antecessor foram acusados de “crime de responsabilidade”.


Ministro Alexandre de Moraes suspende nomeação de Alexandre Ramagem para o comando da PF

Ao deferir liminar em mandado de segurança, o ministro considerou viável a ocorrência de desvio de finalidade do ato e de inobservância dos princípios constitucionais da impessoalidade, da moralidade e do interesse público.


Aqui, é assim. Moro faz show midiático acusando o Presidente de um crime. E antes mesmo de concluídas as investigações QUE NÃO DERAM EM NADA o STF força e ordena a quebra do sigilo integral de uma reunião privada de Estado de forma totalmente arbitrária e injustificada, apenas rendendo ao STF a perseguição e derrubada totalitária de outro Ministro do governo [Weintraub] que nada tinha a ver com a demanda, além de INTERFERIR E BARRAR a nomeação de Ramagem como Diretor da PF pelo Presidente da República, como se o Presidente culpado e condenado fosse.

Depois de NADA comprovado ou sentenciado, fica o FOWDA-SE para quem não gostou.


STF não deve impedir nomeações do presidente

Decisão de Alexandre de Moraes é ruim para o equilíbrio dos poderes democráticos


STF proíbe Bolsonaro de interferir em decisões de estados e municípios sobre coronavírus


Ministro do STF proíbe governo federal de derrubar decisões de estados e municípios sobre isolamento


Estados seguem STF e ignoram decreto de Bolsonaro sobre atividades essenciais


O Presidente Bolsonaro é amplamente difamado e conhecido hoje como o GENOCIDA DE SEU PRÓPRIO POVO E DA ECONOMIA.

Toffoli revoga decreto de Bolsonaro sobre política de educação especial

Política previa criação de turmas e escolas especializadas que atendessem apenas estudantes com deficiência.

Leia mais em https://www.cartacapital.com.br/diversidade/toffoli-revoga-decreto-de-bolsonaro-sobre-politica-de-educacao-especial/. O conteúdo de CartaCapital está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Essa defesa é necessária para manter o jornalismo corajoso e transparente de CartaCapital vivo e acessível a todos

Toffoli revoga decisão com base em decreto do Governo Federal e abre caminho para que Estados “descumpram” Bolsonaro


Presidente do Supremo Tribunal Federal suspendeu a decisão judicial que liberava a abertura de uma barbearia em Sergipe. O estabelecimento funcionava com base no decreto publicado pelo presidente Jair Bolsonaro no dia 8 de maio


STF barra medida de Bolsonaro que zerava impostos para importação de armas


STF proíbe governo Bolsonaro de contrariar ações de estados contra pandemia

Ministro acatou argumento da OAB, de que Bolsonaro promove ações irresponsáveis e contrárias aos protocolos aprovados pela comunidade científica


Fachin suspende isenção de imposto para importação de revólveres e pistolas

Veja mais em https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2020/12/14/fachin-suspende-isencao-de-imposto-para-importacao-de-revolveres-e-pistolas.htm?cmpid=copiaecola

STF pede explicações a Bolsonaro e Congresso sobre privatização dos Correios

Fonte: undefined - iG @ https://economia.ig.com.br/2021-01-29/stf-pede-explicacoes-a-bolsonaro-e-congresso-sobre-privatizacao-dos-correios.html

Toffoli suspende norma que reduziu seguro DPVAT para carros


Indicação da deputada Bia Kicis à CCJ sofre resistência na Câmara e no STF

STF: "Sim... resistência rima com interferência. hum... hora de agir novamente para proteger a democracia desse governo autoritário."

Maioria do STF decide que homofobia é crime

Seis dos 11 ministros votam por criminalizar a homofobia, mas julgamento, que ocorre no dia seguinte ao avanço no Senado de lei sobre mesmo tema, ainda não terminou


Em quase seis meses de governo, o presidente Jair Bolsonaro já teve nove atos de sua gestão questionados no Supremo Tribunal Federal (STF)

Seis das 16 medidas provisórias (MPs) e três dos 182 decretos editados desde janeiro. Uma MP e um decreto já foram suspensos pelo STF. E nesta quarta-feira (26) Bolsonaro corre risco de sofrer mais uma derrota judicial: o Supremo vai decidir se o decreto das armas é ou não constitucional.

Saiba quais são todos os decretos e MPs de Bolsonaro que tiveram sua constitucionalidade questionada no Supremo:


Decreto das armas

Decreto dos conselhos

Decreto ambiental

MP das demarcações indígenas

MP da reforma administrativa

MP da revisão de fraudes no INSS

MP da contribuição sindical

MP da liberdade econômica

MP do cadastro rural



A gente sabe quem manda no país e decide o que pode e o que não pode, o que é ou não "constitucional", o que pode virar lei ou não antes mesmo de ser votado, se você tem o direito a autodefesa ou não..

A gente sabe quem são os DEUSES do Brasil e conhece quem paga-pau pra eles.
 

Chris Redfield jr

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
31.296
Reações
82.308
Pontos
829
Minha mulher é pedagoga.

Essa semana foi demitida da escola onde ensinava.

Por quê?

Porque não tem aulas.

Alguns vão dizer: ''fica em casa, economia a gente vê depois''.

Eu nunca fui adepto desse pensamento.

Não sou funça pra ficar encostado enquanto a sociedade paga minha regalias.

É loucura e cinismo.

Mas Bolsonaro teve a chance de mudar o jogo lá em meados do fim de 2020 se tivesse assinado um acordo para as vacinas.

Esse governo é desastroso.

Hoje não temos vacina nem emprego, nem economia nem vida.

O desespero é tamanho que penso até em tomar essa bosta de Coronavac, coisa que durante tempos tive ojeriza.
Hoje o Lira anunciou a chegada de 140 milhões de novas doses:


Esses dias também chegou insumo para a produção de mais de 12 milhões de doses pela fiocruz:


Butantan também está empenhado na fabricação:

 

yage

Bam-bam-bam
Mensagens
9.696
Reações
36.351
Pontos
363
Cheio de panista do STF aqui.

A gente sabe o que deixa vocês felizes.

Conanda: maioria do STF vota por suspender mudanças feitas por Bolsonaro

No ato, de setembro de 2019, Bolsonaro reduziu de 28 para 18 o número de integrantes do Conanda e definiu que os 9 representantes da sociedade civil teriam de passar por processo seletivo público. O número de reuniões do Conselho foi reduzido. Para os próximos anos, Bolsonaro definiu que os integrantes do conselho teriam direito a apenas um mandato, de dois anos, sem possibilidade de recondução.

Na época, Bolsonaro também dispensou todos os representantes que estavam no Conanda, determinação que foi revertida em dezembro de 2019, em caráter liminar, pelo ministro Roberto Barroso, já no âmbito da ADPF 622. Esses integrantes do Conanda votaram, por exemplo, a favor da autorização de visita íntima para adolescentes infratoras (a partir dos 12 anos de idade).



Lula trocou diretor da PF para ter acesso a operações, mas não foi acusado de ‘interferência’

Reportagem da 'Folha' de 2007 nem sequer insinua atitude imprópria do então presidente

Visualizar anexo 172025

A gravidade apontada pelo ex-ministro Sérgio Moro e políticos de oposição às supostas tentativas de “interferência” do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal não ganhou essa interpretação quando o então presidente Lula, em 2007, trocou os diretores da PF alegando que precisava ter “mais informações sobre as grandes operações da Polícia Federal”. A ex-presidente Dilma Rousseff também foi acusada de tentar interferir nas ações da PF, mas nem ela e nem o antecessor foram acusados de “crime de responsabilidade”.


Ministro Alexandre de Moraes suspende nomeação de Alexandre Ramagem para o comando da PF

Ao deferir liminar em mandado de segurança, o ministro considerou viável a ocorrência de desvio de finalidade do ato e de inobservância dos princípios constitucionais da impessoalidade, da moralidade e do interesse público.


Aqui, é assim. Moro faz show midiático acusando o Presidente de um crime. E antes mesmo de concluídas as investigações QUE NÃO DERAM EM NADA o STF força e ordena a quebra do sigilo integral de uma reunião privada de Estado de forma totalmente arbitrária e injustificada, apenas rendendo ao STF a perseguição e derrubada totalitária de outro Ministro do governo [Weintraub] que nada tinha a ver com a demanda, além de INTERFERIR E BARRAR a nomeação de Ramagem como Diretor da PF pelo Presidente da República, como se o Presidente culpado e condenado fosse.

Depois de NADA comprovado ou sentenciado, fica o FOWDA-SE para quem não gostou.


STF não deve impedir nomeações do presidente

Decisão de Alexandre de Moraes é ruim para o equilíbrio dos poderes democráticos


STF proíbe Bolsonaro de interferir em decisões de estados e municípios sobre coronavírus


Ministro do STF proíbe governo federal de derrubar decisões de estados e municípios sobre isolamento


Estados seguem STF e ignoram decreto de Bolsonaro sobre atividades essenciais


O Presidente Bolsonaro é amplamente difamado e conhecido hoje como o GENOCIDA DE SEU PRÓPRIO POVO E DA ECONOMIA.

Toffoli revoga decreto de Bolsonaro sobre política de educação especial

Política previa criação de turmas e escolas especializadas que atendessem apenas estudantes com deficiência.

Leia mais em https://www.cartacapital.com.br/diversidade/toffoli-revoga-decreto-de-bolsonaro-sobre-politica-de-educacao-especial/. O conteúdo de CartaCapital está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Essa defesa é necessária para manter o jornalismo corajoso e transparente de CartaCapital vivo e acessível a todos

Toffoli revoga decisão com base em decreto do Governo Federal e abre caminho para que Estados “descumpram” Bolsonaro


Presidente do Supremo Tribunal Federal suspendeu a decisão judicial que liberava a abertura de uma barbearia em Sergipe. O estabelecimento funcionava com base no decreto publicado pelo presidente Jair Bolsonaro no dia 8 de maio


STF barra medida de Bolsonaro que zerava impostos para importação de armas


STF proíbe governo Bolsonaro de contrariar ações de estados contra pandemia

Ministro acatou argumento da OAB, de que Bolsonaro promove ações irresponsáveis e contrárias aos protocolos aprovados pela comunidade científica


Fachin suspende isenção de imposto para importação de revólveres e pistolas

Veja mais em https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2020/12/14/fachin-suspende-isencao-de-imposto-para-importacao-de-revolveres-e-pistolas.htm?cmpid=copiaecola

STF pede explicações a Bolsonaro e Congresso sobre privatização dos Correios

Fonte: undefined - iG @ https://economia.ig.com.br/2021-01-29/stf-pede-explicacoes-a-bolsonaro-e-congresso-sobre-privatizacao-dos-correios.html

Toffoli suspende norma que reduziu seguro DPVAT para carros


Indicação da deputada Bia Kicis à CCJ sofre resistência na Câmara e no STF

STF: "Sim... resistência rima com interferência. hum... hora de agir novamente para proteger a democracia desse governo autoritário."

Maioria do STF decide que homofobia é crime

Seis dos 11 ministros votam por criminalizar a homofobia, mas julgamento, que ocorre no dia seguinte ao avanço no Senado de lei sobre mesmo tema, ainda não terminou


Em quase seis meses de governo, o presidente Jair Bolsonaro já teve nove atos de sua gestão questionados no Supremo Tribunal Federal (STF)

Seis das 16 medidas provisórias (MPs) e três dos 182 decretos editados desde janeiro. Uma MP e um decreto já foram suspensos pelo STF. E nesta quarta-feira (26) Bolsonaro corre risco de sofrer mais uma derrota judicial: o Supremo vai decidir se o decreto das armas é ou não constitucional.

Saiba quais são todos os decretos e MPs de Bolsonaro que tiveram sua constitucionalidade questionada no Supremo:


Decreto das armas

Decreto dos conselhos

Decreto ambiental

MP das demarcações indígenas

MP da reforma administrativa

MP da revisão de fraudes no INSS

MP da contribuição sindical

MP da liberdade econômica

MP do cadastro rural



A gente sabe quem manda no país e decide o que pode e o que não pode, o que é ou não "constitucional", o que pode virar lei ou não antes mesmo de ser votado, se você tem o direito a autodefesa ou não..

A gente sabe quem são os DEUSES do Brasil e conhece quem paga-pau pra eles.
Eles sabem disso tudo, mas se sentem melhor jogando a culpa toda no desafeto. Acho que é pra se sentirem melhor sei lá, as vezes é melhor viver um sonho do que a realidade.
 

Darkx1

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
21.286
Reações
45.803
Pontos
544
Eles sabem disso tudo, mas se sentem melhor jogando a culpa toda no desafeto. Acho que é pra se sentirem melhor sei lá, as vezes é melhor viver um sonho do que a realidade.
Nah que isso cara.

A gente sabe que tudo que o Bolsonaro fez desde que entrou pra vida publica foi em prol do Brasil, afinal é a família mais honesta do pais. Ele sempre foi um politico exemplar que apresentou pautas importantes...

STF que quer mal dele, assim como a China, o Doria, PT, Lula, Ciro Gomes, Marina, PSL, Moro, comunistas, esquerdistas, o mercado, o Biden...

Como ele mesmo disse, quem disse que a vida de politico é facil. Ainda mais de um cara como ele, que só quer ver o bem do Brasil.
 

Hiperbrain

Ei mãe, 500 pontos!
VIP
Mensagens
14.101
Reações
62.650
Pontos
634
Nah que isso cara.

A gente sabe que tudo que o Bolsonaro fez desde que entrou pra vida publica foi em prol do Brasil, afinal é a família mais honesta do pais. Ele sempre foi um politico exemplar que apresentou pautas importantes...

STF que quer mal dele, assim como a China, o Doria, PT, Lula, Ciro Gomes, Marina, PSL, Moro, comunistas, esquerdistas, o mercado, o Biden...

Como ele mesmo disse, quem disse que a vida de politico é facil. Ainda mais de um cara como ele, que só quer ver o bem do Brasil.
Quando a ironia contém mais fatos do que mentiras.

Darkx1, cê num tá bem..
 

yage

Bam-bam-bam
Mensagens
9.696
Reações
36.351
Pontos
363
Nah que isso cara.

A gente sabe que tudo que o Bolsonaro fez desde que entrou pra vida publica foi em prol do Brasil, afinal é a família mais honesta do pais. Ele sempre foi um politico exemplar que apresentou pautas importantes...

STF que quer mal dele, assim como a China, o Doria, PT, Lula, Ciro Gomes, Marina, PSL, Moro, comunistas, esquerdistas, o mercado, o Biden...

Como ele mesmo disse, quem disse que a vida de politico é facil. Ainda mais de um cara como ele, que só quer ver o bem do Brasil.
Você percebeu que não conseguiu desmentir nada e que só sobrou ataques random contra o Bolsonaro? Tudo bem atacar ele, todo mundo tem esse direito, mas esse post soou vazio.
 

deriks

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
12.141
Reações
11.633
Pontos
589
correção da tabela do imposto de renda foi um dos motivos que me fizeram sair de casa pra votar no Bolso.
Meus pêsames

Eu nunca acreditei na promessa em questão, mas que ele iria pelo menos melhorar a situação... Nem isso

Já já chega Pauno Guedes dizendo que apoia CPMF porque o povo sonega imposto - por que será?!
 

Darkx1

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
21.286
Reações
45.803
Pontos
544
Você percebeu que não conseguiu desmentir nada e que só sobrou ataques random contra o Bolsonaro? Tudo bem atacar ele, todo mundo tem esse direito, mas esse post soou vazio.
Não perco meu tempo com quem esta na minha ignore list...

Se eu gostasse de gente louca eu seria psiquiatra.
 

Sgt. Kowalski

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
48.527
Reações
107.648
Pontos
989
'Não errei nenhuma', diz Bolsonaro ao insistir em tratamento precoce e em críticas a isolamento


Em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada na manhã desta segunda-feira (1º), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nunca ter errado ao longo da pandemia de Covid-19 ao defender o ineficaz tratamento precoce, criticar medidas restritivas e ao dizer que só pode comprar vacinas após aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), apesar de não ter feito isso com os imunizantes utilizados atualmente no Brasil.

"Desculpe aí, pessoal, não vou falar de mim, mas eu não errei nenhuma desde março do ano passado. E não precisa ser inteligente para entender isso. Tem que ter um mínimo de caráter. Agora só quem não tem caráter que joga o contrário", disse Bolsonaro em uma conversa gravada e transmitida por um canal de internet simpático ao presidente.

No diálogo, Bolsonaro voltou a defender o tratamento precoce, afirmando que "é um direito do médico trabalhar off label", expressão que tem utilizado ao longo da pandemia para defender o uso de medicamentos que não têm eficácia comprovada contra a Covid-19.

Bolsonaro disse que, quando recebe notícias de que há algum tratamento em outro país, ordena que o embaixador brasileiro no local confirme. "O que mandei confirmar agora é a Coreia do Sul, com a cloroquina", disse.

Publicações sul-coreanas relatam que testes com a droga foram interrompidos em junho do ano passado.

"Negócio de spray, quando chegar no Brasil, deve estar tudo caminhando para chegar, vão também demonizar o spray. Pode ter certeza disso", disse Bolsonaro, que mandará uma comitiva a Israel nesta quarta-feira (3).

Há, atualmente, 35 pesquisas em humanos avaliando 22 possibilidades de drogas contra Covid-19 aplicadas por inalação feita em hospital. O estudo de Israel com o spray nasal EXO-CD24, citado por Bolsonaro, é um dos mais iniciais entre os registros de pesquisas clínicas.

A chamada fase 1 do EXO-CD24 começou no final de setembro do ano passado e, oficialmente, seria concluída apenas em 25 de março. As informações são da base internacional Clinical Trials, que reúne dados sobre experimentos de medicamentos, diagnósticos e vacinas com pessoas no mundo todo.

A droga está sendo testada para Covid-19 com 30 voluntários e, por enquanto, não há resultados publicados em artigo científico nem da fase 1, que ainda não está oficialmente concluída.

"Aqui dentro [no Brasil] você não pode falar [em] off label, virou crime", disse o presidente.

Bolsonaro também falou aos apoiadores sobre a vacina. O Brasil já aplicou ao menos uma dose de vacina em 6.576.109 pessoas, segundo o consórcio de veículos de imprensa. O número representa 3,11% da população brasileira. A segunda dose já foi aplicada em 1.933.404 pessoas, o equivalente a 0,91% da população do país.

Bolsonaro disse que, em março, o país deve ter, "no mínimo", 22 milhões de doses de vacina.

Como a Folha mostrou no domingo (28), em reunião no Palácio da Alvorada, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, apresentou um cronograma que prevê entregar mais 25 milhões de doses de vacinas em março e 45 milhões em abril. As informações, fornecidas pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), que participou do encontro, dizem respeito a imunizantes Oxford/AstraZeneca e Coronavac, os únicos em aplicação no Brasil até agora.

'"Alguns criticam o Brasil, me criticam. A vacina a gente só podia comprar depois que a Anvisa autorizar. Não é 'vou comprar qualquer negócio que aparecer'. Então, começou essas vacinas a serem certificadas pela Anvisa, estamos comprando", disse Bolsonaro. No entanto, os contratos com os dois imunizantes em uso no país foram firmados antes que a Anvisa aprovasse seu uso.

Na conversa com apoiadores, Bolsonaro também criticou medidas de isolamento e as restrições que estão sendo asseveradas por governadores na tentativa de frear o aumento do número de casos e mortes por Covid-19.

"Não deu certo no ano passado", afirmou o presidente. "O ano passado eu falei [que] a depressão leva ao suicídio. Zombaram de mim também. Ontem reconheceram. E não precisa ser inteligente para entender isso. Você confinado, isolado, você entra em depressão. Não precisa ser inteligente, mas precisa ser muito mau caráter para não entender", disse.
 
Topo