O que há de Novo?
  • Anunciando os planos GOLD no Fórum Outer Space
    Visitante, agora você pode ajudar o Fórum Outer Space e receber alguns recursos exclusivos, incluindo navegação sem anúncios e dois temas exclusivos. Veja os detalhes aqui.

[Brasil sil sil] 15 gastos do governo que comprovam que o brasileiro é o povo mais otário do mundo

-Elfo-

Bam-bam-bam
Mensagens
4.103
Reações
9.324
Pontos
329
15 gastos do governo que comprovam que o brasileiro é o povo mais otário do mundo

por Felippe Hermes há 16 minutos


A manchete é clara: Michel Temer pretende gastar R$ 30 mil em um jantar no Palácio da Alvorada para alguns poucos senadores com intuito de convencê-los de que é preciso fazer o governo gastar menos.

Talvez você considere isso uma incoerência das grandes, o que de fato é. Mas espere mais um pouco e, assim que a indignação baixar, releia a manchete. Não é difícil perceber um fato novo nisso tudo. Pela primeira vez em muito tempo, cada gasto público abusivo, por menos impactante que seja no orçamento, parece ser plenamente passível de críticas.

Seja você contra ou a favor da aprovação da PEC 241/55, é inegável que sua simples proposição tenha colaborado para colocar em pauta o orçamento do governo e a forma como ele se distribui.

Durante anos, a única limitação do orçamento público foi a própria vontade política por parte do governo, ou as pressões políticas e sociais por parte da sociedade e de grupos de interesse.

Nunca coube ao governo lidar com dilemas, comuns a famílias e empresas, de alocação de recursos escassos. Não foi necessário, por exemplo, ter de escolher entre privilegiar o judiciário ou a educação, a saúde ou os parlamentares. Bastou aumentar os gastos em todas essas áreas e, ao final de tudo, jogar a conta para a população. O resultado disso tudo é evidente: entre 1991 e 2015, o gasto do governo federal saltou de 10,1% para 19,5% do PIB.

Nesta onda de aumento de despesas, nosso judiciário tornou-se o mais caro do planeta, custando 1,3% do PIB, contra 0,2% de países como Chile ou Argentina. Atingimos a nada honrosa posição de segundo congresso mais caro do planeta, perdendo apenas para os Estados Unidos. Nossos parlamentares custam por ano R$ 2 milhões cada um.

Ao criar uma regra sobre como o gasto deve crescer, porém, o governo passa a agir como qualquer família brasileira, onde cada centavo a mais gasto em determinada área é um centavo a menos para gastar em outro lugar.

Quer um exemplo? Por ano, o governo gasta R$ 4 milhões para manter os jardins do Palácio da Alvorada, a residência oficial do Presidente da República. Na ponta do lápis, este gasto poderia manter durante um mês, 22.727 famílias beneficiárias do Bolsa Família.

Daqui em diante, lutar por mais recursos para áreas prioritárias deve ser essencialmente lutar contra abusos, privilégios e gastos injustificáveis. Assim, listamos abaixo 15 exemplos destes abusos e deixamos claro como a tarefa que vem pela frente não será nada fácil.

1. O salário de R$ 22 mil mensais pagos ao gestor de xerox da Câmara.


A discussão entre o presidente do Senado e o Judiciário ganhou um novo capítulo há poucos dias, quando Renan Calheiros decidiu constituir uma comissão para investigar os supersalários da administração pública.

Renan, que é réu em 9 processos no STF, iniciou a adoção de uma série de medidas, após o Supremo Tribunal Federal ter autorizado uma ação da Polícia Federal para investigar membros da Polícia Legislativa. Além de investigar os supersalários, Renan prevê desengavetar uma alteração na lei de abuso de autoridade, além de combater salários acima do teto.

A resposta de autoridades do Judiciário porém, foi lembrar que a comissão precisa avaliar os casos de abusos em todos os poderes, e não apenas em um deles.

Para citar um exemplo, Roberto Veloso, o presidente da Associação Nacional de Juízes, relembrou o caso do operador de xerox da Câmara quereceberia mensalmente R$ 22 mil, entre salários e indenizações.

2. R$ 1 bilhão em prejuízos causados pela má gestão de medicamentos no SUS.


A falta de medicamentos em postos de saúde foi pauta em diversas campanhas Brasil afora. Para onde quer que se olhe, as reclamações parecem as mesmas: faltam medicamentos.

No entanto, uma investigação do Conselho Federal de Farmácia descobriu queR$ 1 em cada R$ 5gastos pelo poder público na compra de medicamentos são jogados na lata do lixo, uma vez que os medicamentos vencem antes de ser utilizados, ou muitas vezes ficam retidos em estoques do próprio Ministério da Saúde.

Na soma dos valores despendidos pelo SUS com medicamentos, a estimativa seria de um prejuízo anual em torno deR$ 1 bilhão. O valor corresponde, por exemplo, a 1/4 do que o país investe em novos hospitais, aquisições de equipamentos e outros investimentos em saúde.

3. Os R$ 198 mil que o Ministério da Educação pretendia gastar com lanches para o ministro em voos oficiais.


Os R$ 30,9 mil mensais recebidos como salário são suficientes para colocar o atual ministro da educação, Mendonça Filho, entre os 0,5% mais ricos do país. Isso não significa, porém, que o ministro possa arcar com certos custos cotidianos,como a própria alimentação.

Além do privilégio de utilizar aviões da Força Aérea para se locomover, o Ministério da Educação lançou um edital no começo da semana para garantir o conforto do ministro e de seus convidados a bordo das aeronaves. Segundo a revista Época, o contrato de licitação previa que o fornecedor deveria garantir serviço para até 10 pessoas.

Em muitos casos, o ministro ainda recebe as diárias do Ministério, destinadas a custear sua viagem. Desde junho, Mendonça Filho já recebeu R$ 10 mil em diárias.

Graças à repercussão do caso, o ministro ordenou que o edital fosse cancelado.

4. Os desembargadores de Minas Gerais que receberão R$ 1 bilhão em auxílio-moradia.


O parcelamento de salários de servidores ainda é uma realidade para os mais de 200 mil funcionários públicos de Minas Gerais. Em alguns meses, os salários demoram até 20 dias para cair por completo na conta.

Contando com um orçamento próprio, graças à independência dos três poderes, judiciário e legislativo acabam por escapar das medidas mais drásticas. A exemplo do que ocorre no Rio Grande do Sul, onde apenas os funcionários do executivo (sendo 2 em cada 3 deles professores ou policiais) estão sujeitos ao parcelamento, em Minas a realidade é bastante semelhante.

Em meio a esta crise sem precedentes nas finanças estaduais, o Ministério Público decidiu pagar os valores devidos aos desembargadores em auxílio-moradia de 1994 até 2000, exatamente em 2016.Valor totalda conta para ser mais preciso: R$ 946.483.179,57.

5. O juiz que recebeu R$ 600 mil em um único mês.


A votação para reduzir em até 30% os salários do funcionalismo público carioca ainda deve passar pela assembléia legislativa, em um pacote de medidas que inclui ainda cortes de gastos como o fechamento de restaurantes populares, aumentos de impostos e cortes de investimentos.

Longe da realidade que aflige o executivo fluminense, que já necessitou de apoio federal da ordem de R$ 2,9 bilhões para manter as contas em dia, o judiciário segue sua rotina orçamentária própria. Segundo análisefeita por O Globo, 894 – ou cerca de 90% – juízes e desembargadores do estado do Rio de Janeiro receberam acima do teto constitucional no início deste ano. Destes, 34 receberam mais de R$ 80 mil.

No início de 2010, o Rio ficou conhecido por um outro recorde ao remunerarum juiz em R$ 642.962,66 a título de salários e indenizações. Em valores atualizados, a quantia se aproxima de R$ 1 milhão, em um único mês.

6. Os R$ 40 milhões gastos em publicidade para explicar a necessidade de cortar gastos.


Os cortes e aumentos de impostos realizados ao longo do ano de 2015 ainda podem ser sentidos enquanto nos aproximamos do final de 2016. Em nenhum outro ano, por exemplo, a educação perdeu tantos recursos. Foram pouco mais de R$ 10,5 bilhões. Outros R$ 4,2 bilhões foram cortados na saúde.

Programas como oMinha Casa Minha Vida, oPAC do Saneamento, oPronatece até mesmo oBolsa Famíliasofreram cortes.

Para anunciar tudo isso, porém, o governo decidiu lançar uma campanha explicando seus motivos para realizar um ajuste. Custo?R$ 40 milhões.

7. O Tribunal de Justiça do Paraná que gasta R$ 2,8 milhões por ano com garçons.


Não apenas de remunerações para juízes e desembargadores são feitos os gastos dos tribunais de justiça brasileiros. Manter a estrutura do judiciário como um todo custa por volta de 1,3% do PIB, ou R$ 68 bilhões. Quando incluído o Ministério Público, a quantia pode chegar aos 2,1%, ou pouco mais de R$ 100 bilhões.

Com um orçamento não limitado por qualquer regra, os tribunais de justiça se permitem algumas regalias. Apesar de bem mais modestos do que os salários concedidos aos garçons do Senado, que chegam a ganhar R$ 15 mil mensais, os 104 garçons contratados pelo TJ-PR somam uma folha de pagamento mensal de R$ 235.743,12 mensais. Ao longo de 3 anos, a expectativa é de que o custochegue aos R$ 10 milhões.

8. A juíza ligada a traficantes e casos de corrupção que recebeu como punição uma aposentadoria compulsória de R$ 25.438,40.


Punir políticos envolvidos em caso de corrupção é uma atitude rara no Brasil. Dentre os mais de 500 deputados julgados pelo STF desde 1996, apenas 16 foram condenados e o primeiro a ser preso só foi parar na cadeia em 2013.

No judiciário, porém, sob o pretexto de impedir que falsas acusações possam reduzir a autonomia da justiça e colocar em risco o próprio exercício da profissão, as punições costumam ser consideravelmente mais brandas. Com raras exceções, a pena cabível a juízes flagrados praticando atos de corrupção resume-se à aposentadoria compulsória, como foi o caso de uma juíza no Estado da Bahia.

Em 2001, a juíza teria votado favoravelmente para soltar um traficante preso em flagrante em uma operação da PF. Segundo apurou o ministério público, a relação entre os dois evoluiu ao longo dos anos.

Após a investigação da PF, o caso foi a julgamento, e arrastou-se por anos, até chegar-se à conclusão de que a postura da juíza de fato não condizia com o que se espera de um magistrado. Punição:aposentadoria compulsóriacom salário integral.

9. Os 81 assessores a que Collor tem direito como Senador.


Um automóvel novo a cada dois anos, ternos, celulares, alimentação, moradia e gasolina à vontade. A lista de mimos aos quais os senadores têm direito, independentemente do seu salário, se estende até onde a imaginação dos próprios alcança.

Manter o Senado Federal, com seus 81 membros, custa anualmente R$ 2,7 bilhões, ou R$ 33 milhões para cada senador. O orçamento equivale ao gasto dos ministérios do Esporte e Cultura somados.

Dentre os gastos comuns, a remuneração de assessores encabeça a lista. Fernando Collor (PTB – AL), por exemplo, possui direito a81 assessores. O senador Helio José (PMDB – DF) emprega 91. Na contramão, o senador Reguffe (Distrito Federal – sem partido), com 9 assessores.

Garantindo um plano de saúde integral a seus membros, o Senado Federal também chamou a atenção recentemente por gastarR$ 5 milhõescom o Hospital Sírio-Libanês, um dos principais hospitais privados do país. O plano de saúde do Senado ainda é considerado o mais caro do país.

10. A bolsa alimentação de R$ 3.095,86 recebidos por cada um dos vereadores do Recife.


Ser vereador em uma grande capital brasileira é o suficiente para colocar-lhe entre o 1% de maior renda no país. Em Recife, por exemplo, o salário bruto é de R$ 15 mil. O valor, no entanto, não inclui certos gastos considerados essenciais aos vereadores. Em junho deste ano, cada um dos 39 membros da câmara municipal recifense deu a si mesmo um vale refeição superior aR$ 3 mil, valor correspondente a mais do que o dobro do salário médio dos recifenses.

11. Os R$ 500 milhões que o governo Temer gastará para excluir o software livre dos computadores do governo.


Deixar de utilizar softwares de livre acesso deve ser uma das estratégias do governo Temer para, segundo o próprio, reduzir o risco de que os dados do governo possam ser hackeados.

Na prática, adotar o pacote Office e outros programas da Microsoft em todos os computadores oficiais poderá ter um impacto deR$ 500 milhõesem gastos com licenças e outros custos.

12. Os R$ 620 mil na compra de veículos de luxo para os ministros do Supremo.


Garantir o bom funcionamento da Suprema Corte brasileira tem seu custo. Em 2010, por exemplo, o STF comprou cerca 33 apoios para os pés ao singelocusto de R$ 10,2 mil. Em outras compras polêmicas, foram R$ 45 mil em copos descartáveis e R$ 4,9 mil por cada uma das poltronas usadas na corte.

Para exercerem seus cargos, cada um dos ministros deve ter à sua disposição um veículo Hyundai Azera, ao custo deR$ 155 mil cada.

13. Os R$ 100 milhões gastos com pensões e benefícios a ex-governadores nos últimos 3 anos.


A reforma da previdência ainda está parada no Congresso, mas a certeza de que o governo tentará impor uma mudança da idade mínima para 65 anos já preocupa as partes envolvidas. No entanto, nada disso afeta uma classe muito especial de cidadãos: os 104 ex-governadores e 53 viúvas que têm direito a receber salário integral – múltiplas vezes o teto do INSS – por terem passado 4 ou 8 anos no cargo, responsáveis por um gasto que alcançou R$ 100 milhõesnos últimos 3 anos.

A exemplo da Presidência da República, que gasta R$ 3 milhões anuais com ex-presidentes, governos como o do Maranhão estendem aos seus ex-governadores direito à pensão, além de outros benefícios como um veículo oficial e assessores.

14. A primeira-dama de Goiás que se aposentou por trabalho voluntário.


Os trabalhos desenvolvidos por primeiras-damas voltaram à pauta após a decisão do governo federal de nomear Marcela Temer para um cargo no programa Criança Feliz.

Em Goiás, a ex-primeira dama Valéria Perillo, esposa do tucano Marconi Perillo, aposentou-se recentemente pelo Tribunal de Contas do Estado. Para garantir o tempo necessário para a aposentadoria, porém, os anos à frente da OVG (Organizações Voluntárias de Goiás)acabaram contando, ainda que pelo trabalho Valéria não tenha recebido remuneração alguma e, portanto, não tenha contribuído para a previdência.

15. Os R$ 24 milhões gastos no cartão corporativo da presidência.


Nem bem completou seus 6 primeiros meses à frente do governo, os primeiros números da administração Temer começam a sair e, com eles, a inevitável comparação com governos anteriores.

Conforme divulgou O Globo, em quatro meses de mandato, Temer havia gastado mais do que sua antecessora em um semestre.

Os gastos com cartão corporativo são velhos conhecidos dos brasileiros. Em 2008, Foi publicada uma série de denúncias sobre mau uso dos recursos, que em tese deveriam custear gastos essenciais aos ministros e à presidência, sem necessidade de licitação.

http://spotniks.com/15-gastos-do-governo-que-comprovam-que-o-brasileiro-e-o-povo-mais-otario-do-mundo/
 


Ken Masters

Bam-bam-bam
Mensagens
7.283
Reações
15.635
Pontos
414
Isso sem contar o que nunca ficaremos sabendo.

Só fuzilando essa raça de sanguessugas, enquanto o país está quebrado essa cambada vive no luxo e, além dos altos salários e benefícios, roubam compulsivamente.
 

Comic Sans

Bam-bam-bam
Mensagens
1.310
Reações
3.969
Pontos
303
Limitar a atuação do Estado prejudica o pobre trabalhador. Se com ele já é difícil, imagina sem ele?
.
Eles dizem...
 

antonioli

O Exterminador de confusões
Membro STAFF
VIP
GOLD
Mensagens
95.605
Reações
153.618
Pontos
949
Ver onde cortar é muito fácil mas é impressionante como funciona melhor mesmo aumentar impostos e detonar com quem não possui essas mamatas.
 

Flango Chines

Bam-bam-bam
Mensagens
1.400
Reações
2.505
Pontos
293
Pessoal tá mais preocupado com outras coisas.
O problema todo tá no alto clero [governo].
Mas as pessoas ficam inventando distrações.
Botam culpa no racismo, homofobia etc.
Ignoram onde está o verdadeiro problema.
Enquanto isso, eles gastam e gastam.
E quem paga a conta somos nós.
 


Bloodstained

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
19.971
Reações
85.630
Pontos
553
Vlady Oliver: Cartão corporativo
A última coisa em que pensam nossos governantes é no bem-estar da população. Eles querem é grana mesmo

É impressionante como o governo brasileiro – qualquer governo, de qualquer matiz ideológico – é chegado em meter a mão no bolso dos seus cidadãos. Desavergonhadamente. De vigarices típicas como o “ouro para o bem do Brasil”, “o petróleo é nosso” ou o confisco da poupança collorido, à bolsa família e à última cereja deste bolo indigesto, uma tal de “repatriação”. A última coisa em que pensam nossos ilustres governantes é no bem-estar da população. Eles querem é grana mesmo.

Até projetos bem intencionados, como o Bolsa Família, por exemplo, viram imediatamente formas de manipulação rasteira, bovinismo eleitoral e vigarice com filtros ideológicos, festejados por todo meliante como curral eleitoral de todo encostado no barranco estatal de sempre. São os chequinhos. Nada escapa da sanha marreta de confiscar, controlar, manipular e superfaturar tudo o que vê pela frente.

Vejamos: não tenho dinheiro lá fora. Nem aqui dentro, para ser mais exato. Posso intuir, no entanto, que o crime que essas pessoas cometeram foi não acreditar em nossos mandatários, tentando preservar parte de seu patrimônio a salvo em algum lugar do planeta. Fraudaram o Fisco? Provavelmente. Mas o que justificaria tratar a repatriação como uma “derrama” miserável, onde o governo quer nada menos que 30, 35, 40% de tudo o que o coitado produziu, e já se debate vigorosamente, via bloqueios, audiências e pressões de todos os lados, pela distribuição do butim?

Os caras nem disfarçam. Tratam o crime menor como álibi perfeito para encobrir os rombos de crimes muito maiores, estes sim acobertados pela imensa maioria dos políticos. É impressionante a pilantragem. Quando se fala em “repatriação”, a cara que me vem logo à mente é a do Romero Jucá, o menestrel dessa lambança. E em seguida a da ministra Zélia, de terrível lembrança. Para quem escapou do pesadelo daquela época, a tal ministra era outro fantasma que arrastava correntes no governo, planejando confiscos de dia e querendo experimentar de noite um chicotinho novo, que acabara de comprar numa loja de brinquedos para adultos.

É dessa constrição mental avariada que surgem os planos mirabolantes para tungar ainda mais dinheiro dos incautos, em causas que não são das mais republicanas, nem das mais edificantes. Estão como pintos no lixo, a festejar uma tunga de 50 bilhões, que eles já planejam repetir no ano que vem, inventando receitas como os pré-sais, os etanóis, as bandeirinhas na conta de luz, os controlares e uma infinidade de mãozinhas bobas enfiadas no bolso exausto de quem trabalha demais para sustentar bandidos.

Os empreiteiros estão todos presos? Qual o crime que eles cometeram? Fazer parte de uma quadrilha que exigia, como política de Estado, propina em troca de liberdade para tocar seus negócios? E os chefes da camorra, continuam soltos por quê? Enquanto o país não se olhar no espelho para ver em que tipo de bandido se transformou; se cúmplice, alheio, agente, corruptor ou corrompido, continuaremos por aqui, a presenciar o escárnio dos miseráveis. A redenção dos cretinos. Um presidente gastando mais que a outra no cartão corporativo.

Isso aí é isso aí mesmo? Vai me enganando…


Fonte
 

LHand

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
18.387
Reações
50.328
Pontos
624
Redistribuição de renda.

Vejo essas coisas e fico pensando: até que ponto o povo vai continuar aceitando sustentar essa alta casta de parasitas que são os políticos, os altos cargos do Estado e os grandes empresários amigos do Rei (a matéria não foca nisso, mas gastos com BNDES, por exemplo, deveriam entrar na cota de gastos absurdos que sustentamos com nossos impostos)? Em outros países mais democráticos que o nosso, o Estado também favorece as classes dominantes, mas normalmente lá a população em geral tem um nível de vida mais razoável do que aqui. No Brasil, o negócio é descarado demais, é outro nível de parasitismo... população pobre, considerável parte miserável, desemprego, inflação, burocracia estatal, carga tributária asfixiante e... isso aí que estamos vendo no tópico. Não parece uma democracia pra mim. Quando vamos começar a degolar políticos?
 
Ultima Edição:

nitzerebb

Bam-bam-bam
Mensagens
1.737
Reações
3.065
Pontos
303
Foda ... estava conversando com um bro Sueco sobre politica e o c***lho e expliquei os supersalários da nossa casta alta ... o cara comentou que juiz aqui ganha pouco mais que um engenheiro ganha , ele tem um conhecido que é juiz o maluco vai para o tribunal de bicicleta ... de bicicleta ... dai expliquei para o cara como funcionava os politicos, juizes e os caralhos com os auxilios e coisa e tal ... a inocencia dele foi doida ... ele me perguntou se todos tem esses mesmo privilégios :kkk... LOL
 

C R O I X

Bam-bam-bam
Mensagens
3.550
Reações
3.578
Pontos
303
Pessoal tá mais preocupado com outras coisas.
O problema todo tá no alto clero [governo].
Mas as pessoas ficam inventando distrações.
Botam culpa no racismo, homofobia etc.
Ignoram onde está o verdadeiro problema.
Enquanto isso, eles gastam e gastam.
E quem paga a conta somos nós.
Pior... Botam a culpa no pobre e nos servicos que esses dependem.

Como eu disse no outro topico. Austeridade, acaba sempre ferrando com os mais pobre, enquanto os privilegiados continuam privilegiados.
 

C R O I X

Bam-bam-bam
Mensagens
3.550
Reações
3.578
Pontos
303
Redistribuição de renda.

Vejo essas coisas e fico pensando: até que ponto o povo vai continuar aceitando sustentar essa alta casta de parasitas que são os políticos, os altos cargos do Estado e os grandes empresários amigos do Rei (a matéria não foca nisso, mas gastos com BNDES, por exemplo, deveriam entrar na cota de gastos absurdos que sustentamos com nossos impostos)? Em outros países mais democráticos que o nosso, o Estado também favorece as classes dominantes, mas normalmente lá a população em geral tem um nível de vida mais razoável do que aqui. No Brasil, o negócio é descarado demais, é outro nível de parasitismo... população pobre, considerável parte miserável, desemprego, inflação, burocracia estatal, carga tributária asfixiante e... isso aí que estamos vendo no tópico. Não parece uma democracia pra mim. Quando vamos começar a degolar políticos?
Quando o governo investir em educacao de verdade. Ja que a maioria da populacao nao tem dinheiro para bancar uma boa escola privada.

Alem de que boa parte das escolas privadas se focam unicamente emapenas preparar os alunos a passarem no vestibular. Vestibular eh outra coisa ao qual sou totalmente contra.
 

Ghost·

Bam-bam-bam
Mensagens
3.171
Reações
10.381
Pontos
303
15 gastos do governo que comprovam que o brasileiro é o povo mais otário do mundo

por Felippe Hermes há 16 minutos


A manchete é clara: Michel Temer pretende gastar R$ 30 mil em um jantar no Palácio da Alvorada para alguns poucos senadores com intuito de convencê-los de que é preciso fazer o governo gastar menos.

Talvez você considere isso uma incoerência das grandes, o que de fato é. Mas espere mais um pouco e, assim que a indignação baixar, releia a manchete. Não é difícil perceber um fato novo nisso tudo. Pela primeira vez em muito tempo, cada gasto público abusivo, por menos impactante que seja no orçamento, parece ser plenamente passível de críticas.

Seja você contra ou a favor da aprovação da PEC 241/55, é inegável que sua simples proposição tenha colaborado para colocar em pauta o orçamento do governo e a forma como ele se distribui.

Durante anos, a única limitação do orçamento público foi a própria vontade política por parte do governo, ou as pressões políticas e sociais por parte da sociedade e de grupos de interesse.

Nunca coube ao governo lidar com dilemas, comuns a famílias e empresas, de alocação de recursos escassos. Não foi necessário, por exemplo, ter de escolher entre privilegiar o judiciário ou a educação, a saúde ou os parlamentares. Bastou aumentar os gastos em todas essas áreas e, ao final de tudo, jogar a conta para a população. O resultado disso tudo é evidente: entre 1991 e 2015, o gasto do governo federal saltou de 10,1% para 19,5% do PIB.

Nesta onda de aumento de despesas, nosso judiciário tornou-se o mais caro do planeta, custando 1,3% do PIB, contra 0,2% de países como Chile ou Argentina. Atingimos a nada honrosa posição de segundo congresso mais caro do planeta, perdendo apenas para os Estados Unidos. Nossos parlamentares custam por ano R$ 2 milhões cada um.

Ao criar uma regra sobre como o gasto deve crescer, porém, o governo passa a agir como qualquer família brasileira, onde cada centavo a mais gasto em determinada área é um centavo a menos para gastar em outro lugar.

Quer um exemplo? Por ano, o governo gasta R$ 4 milhões para manter os jardins do Palácio da Alvorada, a residência oficial do Presidente da República. Na ponta do lápis, este gasto poderia manter durante um mês, 22.727 famílias beneficiárias do Bolsa Família.

Daqui em diante, lutar por mais recursos para áreas prioritárias deve ser essencialmente lutar contra abusos, privilégios e gastos injustificáveis. Assim, listamos abaixo 15 exemplos destes abusos e deixamos claro como a tarefa que vem pela frente não será nada fácil.

1. O salário de R$ 22 mil mensais pagos ao gestor de xerox da Câmara.


A discussão entre o presidente do Senado e o Judiciário ganhou um novo capítulo há poucos dias, quando Renan Calheiros decidiu constituir uma comissão para investigar os supersalários da administração pública.

Renan, que é réu em 9 processos no STF, iniciou a adoção de uma série de medidas, após o Supremo Tribunal Federal ter autorizado uma ação da Polícia Federal para investigar membros da Polícia Legislativa. Além de investigar os supersalários, Renan prevê desengavetar uma alteração na lei de abuso de autoridade, além de combater salários acima do teto.

A resposta de autoridades do Judiciário porém, foi lembrar que a comissão precisa avaliar os casos de abusos em todos os poderes, e não apenas em um deles.

Para citar um exemplo, Roberto Veloso, o presidente da Associação Nacional de Juízes, relembrou o caso do operador de xerox da Câmara quereceberia mensalmente R$ 22 mil, entre salários e indenizações.

2. R$ 1 bilhão em prejuízos causados pela má gestão de medicamentos no SUS.


A falta de medicamentos em postos de saúde foi pauta em diversas campanhas Brasil afora. Para onde quer que se olhe, as reclamações parecem as mesmas: faltam medicamentos.

No entanto, uma investigação do Conselho Federal de Farmácia descobriu queR$ 1 em cada R$ 5gastos pelo poder público na compra de medicamentos são jogados na lata do lixo, uma vez que os medicamentos vencem antes de ser utilizados, ou muitas vezes ficam retidos em estoques do próprio Ministério da Saúde.

Na soma dos valores despendidos pelo SUS com medicamentos, a estimativa seria de um prejuízo anual em torno deR$ 1 bilhão. O valor corresponde, por exemplo, a 1/4 do que o país investe em novos hospitais, aquisições de equipamentos e outros investimentos em saúde.

3. Os R$ 198 mil que o Ministério da Educação pretendia gastar com lanches para o ministro em voos oficiais.


Os R$ 30,9 mil mensais recebidos como salário são suficientes para colocar o atual ministro da educação, Mendonça Filho, entre os 0,5% mais ricos do país. Isso não significa, porém, que o ministro possa arcar com certos custos cotidianos,como a própria alimentação.

Além do privilégio de utilizar aviões da Força Aérea para se locomover, o Ministério da Educação lançou um edital no começo da semana para garantir o conforto do ministro e de seus convidados a bordo das aeronaves. Segundo a revista Época, o contrato de licitação previa que o fornecedor deveria garantir serviço para até 10 pessoas.

Em muitos casos, o ministro ainda recebe as diárias do Ministério, destinadas a custear sua viagem. Desde junho, Mendonça Filho já recebeu R$ 10 mil em diárias.

Graças à repercussão do caso, o ministro ordenou que o edital fosse cancelado.

4. Os desembargadores de Minas Gerais que receberão R$ 1 bilhão em auxílio-moradia.


O parcelamento de salários de servidores ainda é uma realidade para os mais de 200 mil funcionários públicos de Minas Gerais. Em alguns meses, os salários demoram até 20 dias para cair por completo na conta.

Contando com um orçamento próprio, graças à independência dos três poderes, judiciário e legislativo acabam por escapar das medidas mais drásticas. A exemplo do que ocorre no Rio Grande do Sul, onde apenas os funcionários do executivo (sendo 2 em cada 3 deles professores ou policiais) estão sujeitos ao parcelamento, em Minas a realidade é bastante semelhante.

Em meio a esta crise sem precedentes nas finanças estaduais, o Ministério Público decidiu pagar os valores devidos aos desembargadores em auxílio-moradia de 1994 até 2000, exatamente em 2016.Valor totalda conta para ser mais preciso: R$ 946.483.179,57.

5. O juiz que recebeu R$ 600 mil em um único mês.


A votação para reduzir em até 30% os salários do funcionalismo público carioca ainda deve passar pela assembléia legislativa, em um pacote de medidas que inclui ainda cortes de gastos como o fechamento de restaurantes populares, aumentos de impostos e cortes de investimentos.

Longe da realidade que aflige o executivo fluminense, que já necessitou de apoio federal da ordem de R$ 2,9 bilhões para manter as contas em dia, o judiciário segue sua rotina orçamentária própria. Segundo análisefeita por O Globo, 894 – ou cerca de 90% – juízes e desembargadores do estado do Rio de Janeiro receberam acima do teto constitucional no início deste ano. Destes, 34 receberam mais de R$ 80 mil.

No início de 2010, o Rio ficou conhecido por um outro recorde ao remunerarum juiz em R$ 642.962,66 a título de salários e indenizações. Em valores atualizados, a quantia se aproxima de R$ 1 milhão, em um único mês.

6. Os R$ 40 milhões gastos em publicidade para explicar a necessidade de cortar gastos.


Os cortes e aumentos de impostos realizados ao longo do ano de 2015 ainda podem ser sentidos enquanto nos aproximamos do final de 2016. Em nenhum outro ano, por exemplo, a educação perdeu tantos recursos. Foram pouco mais de R$ 10,5 bilhões. Outros R$ 4,2 bilhões foram cortados na saúde.

Programas como oMinha Casa Minha Vida, oPAC do Saneamento, oPronatece até mesmo oBolsa Famíliasofreram cortes.

Para anunciar tudo isso, porém, o governo decidiu lançar uma campanha explicando seus motivos para realizar um ajuste. Custo?R$ 40 milhões.

7. O Tribunal de Justiça do Paraná que gasta R$ 2,8 milhões por ano com garçons.


Não apenas de remunerações para juízes e desembargadores são feitos os gastos dos tribunais de justiça brasileiros. Manter a estrutura do judiciário como um todo custa por volta de 1,3% do PIB, ou R$ 68 bilhões. Quando incluído o Ministério Público, a quantia pode chegar aos 2,1%, ou pouco mais de R$ 100 bilhões.

Com um orçamento não limitado por qualquer regra, os tribunais de justiça se permitem algumas regalias. Apesar de bem mais modestos do que os salários concedidos aos garçons do Senado, que chegam a ganhar R$ 15 mil mensais, os 104 garçons contratados pelo TJ-PR somam uma folha de pagamento mensal de R$ 235.743,12 mensais. Ao longo de 3 anos, a expectativa é de que o custochegue aos R$ 10 milhões.

8. A juíza ligada a traficantes e casos de corrupção que recebeu como punição uma aposentadoria compulsória de R$ 25.438,40.


Punir políticos envolvidos em caso de corrupção é uma atitude rara no Brasil. Dentre os mais de 500 deputados julgados pelo STF desde 1996, apenas 16 foram condenados e o primeiro a ser preso só foi parar na cadeia em 2013.

No judiciário, porém, sob o pretexto de impedir que falsas acusações possam reduzir a autonomia da justiça e colocar em risco o próprio exercício da profissão, as punições costumam ser consideravelmente mais brandas. Com raras exceções, a pena cabível a juízes flagrados praticando atos de corrupção resume-se à aposentadoria compulsória, como foi o caso de uma juíza no Estado da Bahia.

Em 2001, a juíza teria votado favoravelmente para soltar um traficante preso em flagrante em uma operação da PF. Segundo apurou o ministério público, a relação entre os dois evoluiu ao longo dos anos.

Após a investigação da PF, o caso foi a julgamento, e arrastou-se por anos, até chegar-se à conclusão de que a postura da juíza de fato não condizia com o que se espera de um magistrado. Punição:aposentadoria compulsóriacom salário integral.

9. Os 81 assessores a que Collor tem direito como Senador.


Um automóvel novo a cada dois anos, ternos, celulares, alimentação, moradia e gasolina à vontade. A lista de mimos aos quais os senadores têm direito, independentemente do seu salário, se estende até onde a imaginação dos próprios alcança.

Manter o Senado Federal, com seus 81 membros, custa anualmente R$ 2,7 bilhões, ou R$ 33 milhões para cada senador. O orçamento equivale ao gasto dos ministérios do Esporte e Cultura somados.

Dentre os gastos comuns, a remuneração de assessores encabeça a lista. Fernando Collor (PTB – AL), por exemplo, possui direito a81 assessores. O senador Helio José (PMDB – DF) emprega 91. Na contramão, o senador Reguffe (Distrito Federal – sem partido), com 9 assessores.

Garantindo um plano de saúde integral a seus membros, o Senado Federal também chamou a atenção recentemente por gastarR$ 5 milhõescom o Hospital Sírio-Libanês, um dos principais hospitais privados do país. O plano de saúde do Senado ainda é considerado o mais caro do país.

10. A bolsa alimentação de R$ 3.095,86 recebidos por cada um dos vereadores do Recife.


Ser vereador em uma grande capital brasileira é o suficiente para colocar-lhe entre o 1% de maior renda no país. Em Recife, por exemplo, o salário bruto é de R$ 15 mil. O valor, no entanto, não inclui certos gastos considerados essenciais aos vereadores. Em junho deste ano, cada um dos 39 membros da câmara municipal recifense deu a si mesmo um vale refeição superior aR$ 3 mil, valor correspondente a mais do que o dobro do salário médio dos recifenses.

11. Os R$ 500 milhões que o governo Temer gastará para excluir o software livre dos computadores do governo.


Deixar de utilizar softwares de livre acesso deve ser uma das estratégias do governo Temer para, segundo o próprio, reduzir o risco de que os dados do governo possam ser hackeados.

Na prática, adotar o pacote Office e outros programas da Microsoft em todos os computadores oficiais poderá ter um impacto deR$ 500 milhõesem gastos com licenças e outros custos.

12. Os R$ 620 mil na compra de veículos de luxo para os ministros do Supremo.


Garantir o bom funcionamento da Suprema Corte brasileira tem seu custo. Em 2010, por exemplo, o STF comprou cerca 33 apoios para os pés ao singelocusto de R$ 10,2 mil. Em outras compras polêmicas, foram R$ 45 mil em copos descartáveis e R$ 4,9 mil por cada uma das poltronas usadas na corte.

Para exercerem seus cargos, cada um dos ministros deve ter à sua disposição um veículo Hyundai Azera, ao custo deR$ 155 mil cada.

13. Os R$ 100 milhões gastos com pensões e benefícios a ex-governadores nos últimos 3 anos.


A reforma da previdência ainda está parada no Congresso, mas a certeza de que o governo tentará impor uma mudança da idade mínima para 65 anos já preocupa as partes envolvidas. No entanto, nada disso afeta uma classe muito especial de cidadãos: os 104 ex-governadores e 53 viúvas que têm direito a receber salário integral – múltiplas vezes o teto do INSS – por terem passado 4 ou 8 anos no cargo, responsáveis por um gasto que alcançou R$ 100 milhõesnos últimos 3 anos.

A exemplo da Presidência da República, que gasta R$ 3 milhões anuais com ex-presidentes, governos como o do Maranhão estendem aos seus ex-governadores direito à pensão, além de outros benefícios como um veículo oficial e assessores.

14. A primeira-dama de Goiás que se aposentou por trabalho voluntário.


Os trabalhos desenvolvidos por primeiras-damas voltaram à pauta após a decisão do governo federal de nomear Marcela Temer para um cargo no programa Criança Feliz.

Em Goiás, a ex-primeira dama Valéria Perillo, esposa do tucano Marconi Perillo, aposentou-se recentemente pelo Tribunal de Contas do Estado. Para garantir o tempo necessário para a aposentadoria, porém, os anos à frente da OVG (Organizações Voluntárias de Goiás)acabaram contando, ainda que pelo trabalho Valéria não tenha recebido remuneração alguma e, portanto, não tenha contribuído para a previdência.

15. Os R$ 24 milhões gastos no cartão corporativo da presidência.


Nem bem completou seus 6 primeiros meses à frente do governo, os primeiros números da administração Temer começam a sair e, com eles, a comparação com governos anteriores.

Conforme divulgou O Globo, em quatro meses de mandato, Temer havia gastado mais do que sua antecessora em um semestre.

Os gastos com cartão corporativo são velhos conhecidos dos brasileiros. Em 2008, Foi publicada uma série de denúncias sobre mau uso dos recursos, que em tese deveriam custear gastos essenciais aos ministros e à presidência, sem necessidade de licitação.

http://spotniks.com/15-gastos-do-governo-que-comprovam-que-o-brasileiro-e-o-povo-mais-otario-do-mundo/
16 - Plano de saúde dos senadores...
- Ilimitado; Vitalício; Extensivo a ex-senadores, famílias, cachorro, gato, galinha, papagaio; Não tem contribuição e um monte de outros privilégios que as pessoas nem sonham, ao alcance.
http://veja.abril.com.br/politica/senado-gasta-r-62-milhoes-com-plano-de-saude/
 

Flango Chines

Bam-bam-bam
Mensagens
1.400
Reações
2.505
Pontos
293
Redistribuição de renda.

Vejo essas coisas e fico pensando: até que ponto o povo vai continuar aceitando sustentar essa alta casta de parasitas que são os políticos, os altos cargos do Estado e os grandes empresários amigos do Rei (a matéria não foca nisso, mas gastos com BNDES, por exemplo, deveriam entrar na cota de gastos absurdos que sustentamos com nossos impostos)? Em outros países mais democráticos que o nosso, o Estado também favorece as classes dominantes, mas normalmente lá a população em geral tem um nível de vida mais razoável do que aqui. No Brasil, o negócio é descarado demais, é outro nível de parasitismo... população pobre, considerável parte miserável, desemprego, inflação, burocracia estatal, carga tributária asfixiante e... isso aí que estamos vendo no tópico. Não parece uma democracia pra mim. Quando vamos começar a degolar políticos?
Quando vamos começar a degolar políticos?
Nunca.
Pegue qualquer livro ou documentário de história.
Verá que o mundo sempre foi assim.
Alto Clero [Políticos]
Amigos do Rei [Empresários se beneficiando do corporativismo promovido pelo Alto Clero]
Plebeus [Povo]
O dinheiro sempre sai do povo [em forma de impostos] para as classes mais altas.
Sempre foi assim.
Provavelmente sempre será.
É a conclusão lógica.
Sabe pq?
Sem ofenças, mas a maior parte da população é bobinha demais.
Se distrai facilmente.
E adora ser comandada.
Este fórum é um ótimo caso a ser estudado.
A maioria aqui é bem informada, seja para o bem ou para o mal.
Veja a quantidade de tópicos sobre [Criminalidade][Desigualdade Social][Homossexualismo][Crise].
Agora conte quantas pessoas reiteram o fato de que todos esses problemas é culpa dos políticos.
Poucas pessoas fazem isso.
A grande maioria acaba discutindo os problemas em si, e não a [Causa].
Discutir o problema sem remediar a causa é jogar sujeira debaixo do tapete.
As pessoas precisam aprender isso.
Aprender a [FOCAR] na [CAUSA].
Se nem em um fórum de pessoas esclarecidas a maioria consegue visualizar isso, quem dirá o resto da população.
Principalmente as classes mais pobres.
Degolar político?
Só se a Globo iniciar uma campanha com esse intuito.

Pior... Botam a culpa no pobre e nos servicos que esses dependem.

Como eu disse no outro topico. Austeridade, acaba sempre ferrando com os mais pobre, enquanto os privilegiados continuam privilegiados.
Acho que o jeito é a gente se tornar privilegiado também.
Vamos dar uma de Tiririca e afins.
Ganhar nossos milhões.
O mundo é assim mesmo.
 

Jonjon's Kimyo na Boken

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
11.955
Reações
15.159
Pontos
684
Depois reclamam quando pedem a ditadura
N concordo nem apoio, mas dá pra entender perfeitamente!
Aqui a vítima se fode e o bandido fica de boas
 

Negão da Piroca

Bam-bam-bam
Mensagens
2.996
Reações
15.234
Pontos
303
Há duas horas eu liguei a TV, fui zapeando os canais e vi que agora querem cobrar IPVA de barcos e aeronaves. :kcopa:kcopa:kcopa:kcopa:brbr:brbr:brbr
 

xogum

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
26.330
Reações
25.705
Pontos
759
Velho, isso é tão insólito que devia estar num episódio de Além da imaginação.

Um juiz comete crime e sua pena é ser aposentado com salário integral...
Huezil-zil-zil
 

Mongo

Bam-bam-bam
Mensagens
2.745
Reações
6.417
Pontos
304
Depois reclamam quando pedem a ditadura
N concordo nem apoio, mas dá pra entender perfeitamente!
Aqui a vítima se fode e o bandido fica de boas
Cara, pedir ditadura, é pedir mais estado ainda.
Não da pra entender é nada de quem pede isso.
 

Jonjon's Kimyo na Boken

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
11.955
Reações
15.159
Pontos
684
Cara, pedir ditadura, é pedir mais estado ainda.
Não da pra entender é nada de quem pede isso.
Eu tô ligado
Mas a galera q pede isso n analisa esse fato, é inclusive ignorante em relação à esse assunto (pelo menos a maioria é certo q n manja poha nenhuma)
Por isso q digo q dá p entender, pq na cabeça deles é uma espécie de salvação, e ninguém aguenta mais essa putaria atual
 

OUTKAST

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
20.375
Reações
51.648
Pontos
594
Cara, pedir ditadura, é pedir mais estado ainda.
Não da pra entender é nada de quem pede isso.
Não é pedir ditadura. Muitos ainda veem o Exercito como algo com ordem justa que talvez poderia colocar o país nos eixos...

Porque deixar na mão desses fdp's ai não adianta, nunca vai mudar. Os caras vivem como reis, VSF!!! E ainda tem trouxa que defende, sai por ai fazendo manifestação, sem ganhar nada, sendo que não vai melhorar, esperando algo que não vai chegar nunca auheuaheaeu
 

Gibbs

Veterano
Mensagens
253
Reações
538
Pontos
128
Não existe pra onde correr pessoal. Tudo isso já passou o limite do ridículo faz tempo. Acredito que se um homem-bomba explodisse a Câmara e o Senado, seria um herói e ganharia um feriado nacional.
 

RJBADBOY01

Bam-bam-bam
Mensagens
9.620
Reações
5.694
Pontos
484
Depois reclamam quando pedem a ditadura
N concordo nem apoio, mas dá pra entender perfeitamente!
Aqui a vítima se fode e o bandido fica de boas
Na ditadura também corria a solta corrupção, mas ao invés de políticos quem ganhava milhões de regalias eram os generais, meu pai é militar, já ouvi bastante coisa, não importa quem esteja no poder sempre vão querer benefícios exorbitantes (como se os normais já fossem poucos..)
 

Jonjon's Kimyo na Boken

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
11.955
Reações
15.159
Pontos
684
Na ditadura também corria a solta corrupção, mas ao invés de políticos quem ganhava milhões de regalias eram os generais, meu pai é militar, já ouvi bastante coisa, não importa quem esteja no poder sempre vão querer benefícios exorbitantes (como se os normais já fossem poucos..)
Mas nada que se compara a esses esquemas de petrolão e mensalão, que eu saiba.
Militares corruptos sentem inveja do que esses engravatados roubaram/roubam
 

edineilopes

Retrogamer
Mensagens
27.618
Reações
88.922
Pontos
654
Triste ver como os recursos do país continuam e continuarão sangrando. E vai faltar dinheiro pra hospital e pra senhorzinho que não aguenta mais trabalhar.
Mas nada que se compara a esses esquemas de petrolão e mensalão, que eu saiba.
Justiça seja feita, militar ou não, nada se compara a petrolão e mensalão. Nunca antes na história deste país se flagrou tamanha roubalheira sistêmica. Talvez pudesse ser superado pelo BNDES...
 

xDoom

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
25.563
Reações
141.800
Pontos
589
Apesar de não concordar não há como negar que esse tipo de coisa só se resolve com golpe militar. Por mais que você baixe uma lei que reduza esses benefícios muitos deles já incorporam o salário de quem já está lá, no máximo afetaria quem está entrando.
 

fbr

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
15.707
Reações
23.972
Pontos
624
"Muito prazer, meu nome é otário, vindo de outros tempos mas sempre no horário, peixe fora dágua, borboletas no aquário".
 

edineilopes

Retrogamer
Mensagens
27.618
Reações
88.922
Pontos
654
Apesar de não concordar não há como negar que esse tipo de coisa só se resolve com golpe militar. Por mais que você baixe uma lei que reduza esses benefícios muitos deles já incorporam o salário de quem já está lá, no máximo afetaria quem está entrando.
Infelizmente, seria preciso muita e constante pressão popular para este desperdício acabar com mudança de lei. A transformação teria que ocorrer paulatinamente. Galera rapidamente dispersa sua atenção para alguma besteira plantada e a vida segue.

Um golpe poderia ser "solução" a curto prazo, mas ao deixar um grupo tão poderoso a ponto de acabar com os privilégios, tal grupo rapidamente usaria esta força para se entupir de privilégios até piores e perseguir quem tentasse lhe tirar do poder.
 

Jonjon's Kimyo na Boken

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
11.955
Reações
15.159
Pontos
684
Apesar de não concordar não há como negar que esse tipo de coisa só se resolve com golpe militar. Por mais que você baixe uma lei que reduza esses benefícios muitos deles já incorporam o salário de quem já está lá, no máximo afetaria quem está entrando.
Ou alguém disposto a entrar no congresso em rambo mode, e fuzilar e explodir aqueles vagabundos todos
 

xDoom

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
25.563
Reações
141.800
Pontos
589
Infelizmente, seria preciso muita e constante pressão popular para este desperdício acabar com mudança de lei. Galera rapidamente dispersa sua atenção para alguma besteira plantada e a vida segue.

Um golpe poderia ser "solução" a curto prazo, mas ao deixar um grupo tão poderoso a ponto de acabar com os privilégios, tal grupo rapidamente usaria esta força para se entupir de privilégios até piores e perseguir quem tentasse lhe tirar do poder.
Pior que nem se mudar a lei adianta.

Magno Malta fez um projeto pra reduzir salário da galera aí. Vamos dizer que isso passe... daqui pra frente haveria menos gastos, entretanto, quem já ta ganhando 30k continuaria ganhando 30k porque a CF veda redução do salário.

Fora incorporação de gratificações, etc.

E tipo... o judiciário iria reclamar disso para o próprio judiciário. Imagine que legal um juiz sendo julgado por outro juiz sobre benefícios para juízes. É o cúmulo da safadeza.
 

andrei.bnu

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
10.199
Reações
12.937
Pontos
604
Olha cara.

Me deu tanto nojo de ler esse topico que quase me arrependi de ter lido.
 

**fnx**

Bam-bam-bam
Mensagens
5.357
Reações
10.881
Pontos
389
E depois vem com papo de cortar salário de servidor, cortar aposentadoria, VSF
 

edineilopes

Retrogamer
Mensagens
27.618
Reações
88.922
Pontos
654
Pior que nem se mudar a lei adianta.

Magno Malta fez um projeto pra reduzir salário da galera aí. Vamos dizer que isso passe... daqui pra frente haveria menos gastos, entretanto, quem já ta ganhando 30k continuaria ganhando 30k porque a CF veda redução do salário.

Fora incorporação de gratificações, etc.

E tipo... o judiciário iria reclamar disso para o próprio judiciário. Imagine que legal um juiz sendo julgado por outro juiz sobre benefícios para juízes. É o cúmulo da safadeza.
Tinha que fazer a redação da lei para que fosse objetiva e cortasse o mal pela raiz. Por exemplo, definir um teto e considerar que superar tal teto é crime.

Diriam que é inconstitucional? A CF foi pisada e cuspida este ano. Só vale quando interessa para essa gente.
 

Beren_

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
13.563
Reações
29.294
Pontos
553
Quando o governo investir em educacao de verdade. Ja que a maioria da populacao nao tem dinheiro para bancar uma boa escola privada.

Alem de que boa parte das escolas privadas se focam unicamente emapenas preparar os alunos a passarem no vestibular. Vestibular eh outra coisa ao qual sou totalmente contra.
Eu já sou contra vestibular e faculdades publicas.

Que o estudo fundamental seja publico e BOM.
Para entrar em faculdades, paga-se e usa-se o curriculo do estudante para desempate nas vagas para as melhores.

Quem não tem grana para pagar faculdade, usam-se sistemas de vouch e bolsas de estudo integrais até parciais.

Eu trabalhei para pagar minha faculdade, pq outros não podem fazer o mesmo?
 
Topo