O que há de Novo?
  • Novo tema VIP está disponível
    Visitante, um novo tema com fundo escuro agora está disponível para aqueles que contribuíram com doações ao fórum e têm o status VIP. Veja os detalhes aqui.


[PRESO!] MOLUSCO CONDENADO A 12 ANOS, Juiza faz Molusco querer Moro de volta!

Qd lula será preso?


  • Total voters
    323
  • Poll closed .

Fracer

Bam-bam-bam
Mensagens
1.541
Reações
1.451
Pontos
203
STF valoriza muito mais o bem estar da bandidagem graúda do que a vida de inocentes, por isso que a decisão - em prol do Lula - é uma afronta imperdoável
 


Vim do Futuro

Bam-bam-bam
Mensagens
7.378
Reações
27.948
Pontos
353
Como que não vai ficar impune? os caras mandam e desmandam no Brasil, nem o executivo consegue tomar qualquer tipo de medida contra os Deuses de toga.
Você mesmo já respondeu. Vão ficar impunes (sem pena) pois ninguém julga os deusos.
Até um juizeco de 1ª instância de Quixoxó do Norte é imune. O máximo que ocorre é ser "aposentado" antes da hora como pena. Imagina um FDP do supremo.
 


Clums

Veterano
Mensagens
251
Reações
554
Pontos
118
Tenho a impressão que já passamos desse ponto... O PT já tem uma mãozinha no PCC...


Secretário financiou petista que se reuniu com membros do PCC
DE SÃO PAULO
24/05/2014 02h00
O secretário municipal de Transportes de São Paulo, Jilmar Tatto, bancou quase um terço da campanha a deputado estadual de Luiz Moura (PT) em 2010.
O parlamentar, que explora o serviço de transporte na capital, foi flagrado pela polícia num encontro com integrantes da facção criminosa PCC na sede da cooperativa da qual faz parte, a Transcooper. A investigação foi revelada pela Folha.
PUBLICIDADE

Sozinho, o secretário de Fernando Haddad (PT) fez 23 doações à campanha de Moura, totalizando R$ 201 mil –ou 29% de tudo o que a sua candidatura arrecadou naquela campanha. O petista elegeu-se com 104.705 votos.
Procurado, Tatto se limitou a dizer que sua resposta era a mesma enviada na quinta-feira (22) pela Secretaria de Transportes.
"A relação política que o secretário Jilmar Tatto tem com o deputado Luiz Moura ocorre no âmbito institucional e democrático, da mesma forma que com os demais parlamentares do PT e de outras legendas", diz a nota.
O deputado participou de uma reunião, em março, em que estavam presentes ao menos 13 membros da facção criminosa PCC, segundo investigações da Polícia Civil.
À TV Band o deputado negou que soubesse da presença de criminosos. "Graças a Deus, eu nunca tive ligação com nenhuma facção criminosa. Isso eu posso falar com a maior tranquilidade do mundo", disse.
A polícia investigava a série de atentados a ônibus ocorridos na cidade. O petista afirmou que o encontro tinha o objetivo de impedir uma greve no setor. "Estava prestando um serviço à população [...] O que estão tentando atribuir à mim é perseguição política."
A operação policial foi revelada pelo subsecretário estadual de Comunicação, Márcio Aith, na quarta-feira durante programa de José Luiz Datena, na TV Band. Entre os suspeitos do PCC no local, havia um dos ladrões do Banco Central no Ceará, em 2005 –solto por ordem da Justiça.
Desses 13 suspeitos do PCC, 11 não tinham ônibus ou ligação formal com a cooperativa e, assim, para a polícia, não tinham razões para estarem em reunião que, em tese, estaria discutindo interesses da categoria.
Moura faz parte do conselho administrativo da cooperativa, segundo dados da Junta Comercial de São Paulo, embora sua assessoria diga que ele está afastado.
A cooperativa tem três permissões de transporte público na capital.
Moura, ex-presidiário por assalto a mão armada no Paraná em 1991, contribuiu na administração Marta Suplicy (2001-2004) na organização do transporte coletivo na capital, quando havia uma série de conflitos da prefeitura com perueiros clandestinos.
Em 2012, Marta, então candidata ao Senado, fez uma doação de R$ 35 mil a Moura.
 

$delúbio$

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
10.541
Reações
37.585
Pontos
599
Renan Calhorda, que tem 12 inquéritos engavetados no STF graças à proteção de seus amiguinhos, Lewandowsky, Toffoli, Gilmar e outros, reclamando que o Procurador Deltan Dellagnol não vai ser julgado pelo CNMP

O Calhorda é realmente um cara de pau extremo, quanto mais se pensa que ele é um dissimulado, ele lustra a cara com mais oleo de peroba para disfarçar a canalhice que exala de suas ventas:

Esse Canalha já deveria estar cumprindo pena por umas vinte gerações
Deveriam liberar a clonagem de seres humanos só para os clones dele cumprirem pena por mais 200 anos depois que batesse as botas.
 

Alberon3

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
42.770
Reações
46.643
Pontos
924
STF valoriza muito mais o bem estar da bandidagem graúda do que a vida de inocentes, por isso que a decisão - em prol do Lula - é uma afronta imperdoável


Podem colocar mais uma vida na conta do Lula, mas principalmente do STF mesmo.
Bem que nesse caso, eles não devem ter dado a mínima.
E pior que devem ter mais na situação dessa senhora que faleceu.
 

Sgt. Kowalski

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
42.504
Reações
89.892
Pontos
989
Lula solto no próximo dia 27?

Como noticiamos ontem, no dia 27, a Segunda Turma do STF se reúne para analisar pedido da defesa para suspender, na primeira instância, ação em que é acusado de receber R$ 12,5 milhões da Odebrecht, na forma de um imóvel para sediar seu instituto e um apartamento vizinho à sua residência em São Bernardo do Campo.
A aposta em Brasília é que os ministros aproveitarão a oportunidade para soltar Lula.

Na cara dura.
 

Blue Falcon

Bam-bam-bam
Mensagens
6.147
Reações
16.158
Pontos
363
Lula solto no próximo dia 27?

Como noticiamos ontem, no dia 27, a Segunda Turma do STF se reúne para analisar pedido da defesa para suspender, na primeira instância, ação em que é acusado de receber R$ 12,5 milhões da Odebrecht, na forma de um imóvel para sediar seu instituto e um apartamento vizinho à sua residência em São Bernardo do Campo.
A aposta em Brasília é que os ministros aproveitarão a oportunidade para soltar Lula.

Na cara dura.
Eu desafio a soltarem.

Vai ser lindo ver a merda.
 

johnhartigan

Bam-bam-bam
Mensagens
1.532
Reações
6.205
Pontos
268
Lula solto no próximo dia 27?

Como noticiamos ontem, no dia 27, a Segunda Turma do STF se reúne para analisar pedido da defesa para suspender, na primeira instância, ação em que é acusado de receber R$ 12,5 milhões da Odebrecht, na forma de um imóvel para sediar seu instituto e um apartamento vizinho à sua residência em São Bernardo do Campo.
A aposta em Brasília é que os ministros aproveitarão a oportunidade para soltar Lula.

Na cara dura.
Mas de novo? Não acaba essa merda. VÃO PRA PQP, MORRAM TODOS ESSES BOSTAS DO STF, VAI TOMAR NO CU, PORRA DO CARALHO!!!!!!
 

constatine

Bam-bam-bam
Mensagens
4.380
Reações
21.403
Pontos
294
Palocci delata repasses ao filho caçula de Lula
Documento obtido pelo Radar confere, pela primeira vez, contornos concretos à principal frente da delação do ex-ministro
14 ago 2019, 14h43 - Publicado em 14 ago 2019, 14h19

84219

No anexo 22 de delação homologada pelo Supremo, Antonio Palocci confirma o repasse de recursos pela empresa Qualicorp ao PT, ao Instituto Lula e a Touchdown, de Luis Cláudio Lula da Silva, 30 anos, filho caçula do ex-presidente Lula. Os pagamentos, segundo o ex-ministro, teriam sido feitos em troca de “benefícios concedidos pelo governo” à empresa na Agência Nacional de Saúde Suplementar. No trecho obtido pelo Radar, não há, porém, valores descritos.
Sobre a delação de Palocci, a Qualicorp enviou a seguinte nota ao Radar: “A Qualicorp é uma companhia de capital aberto, com milhares de acionistas nacionais e internacionais, e todos os seus contratos são auditados por empresas renomadas. Sua atividade é exclusivamente privada e depende da contratação voluntária de cada cliente de plano de saúde. A empresa nunca pleiteou ou obteve qualquer tipo de benefício público e jamais transgrediu a lei. A companhia não comentará supostas acusações do ex-ministro, que foram rejeitadas pelo Ministério Público Federal por ausência de base fática.”
O Radar tenta contato com o filho de Lula.
Em março, a Polícia Federal indiciou Lula e o filho Luís Cláudio pelos crimes de lavagem de dinheiro e tráfico de influência por pagamentos para relacionados à empresa de marketing esportivo.

A Touchdown passou a ser investigada em 2017, com as delações da Odebrecht na Lava Jato. A investigação descobriu que, ao longo dos anos, a Touchdown, que tinha capital social de 1 mil reais, recebeu mais de 10 milhões de reais de patrocinadores.
É a primeira vez que um documento do Supremo confere contornos concretos à principal frente da delação do ex-ministro Antonio Palocci fechada com a Polícia Federal e homologada pelo ministro Edson Fachin, chefe da Lava-Jato no STF.
A partir desse documento, descobre-se que o acordo firmado pelo ex-ministro no Supremo tem 23 anexos, que tratam de 12 políticos, entre ex-ministros de Estado, parlamentares e ex-parlamentares – além de grandes empresas.

https://veja.abril.com.br/blog/radar/palocci-delata-repasses-ao-filho-cacula-de-lula/









Palocci: 3,8 milhões de reais pagos a Gleisi Hoffmann
Documento obtido pelo Radar confere, pela primeira vez, contornos concretos à principal frente da delação do ex-ministro
14 ago 2019, 13h07 - Publicado em 14 ago 2019, 13h05

84220
Gleisi: milhões recebidos de empreiteiras (Reprodução/Divulgação)

No anexo 12 de sua delação, Antonio Palocci revela que a atual presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, recebeu, de três empreiteiras, a quantia de 3,8 milhões de reais na campanha de 2010, quando se elegeu senadora pelo Paraná.
Como VEJA revelou em 2017, quando o ministro ainda negociava uma possível delação com a força-tarefa da Lava-Jato em Curitiba, a empreiteira Camargo Corrêa repassou 1 milhão de reais a Gleisi como parte de um acordo para sepultar a Operação Castelo de Areia no STJ.
A Odebrecht repassou à petista 2 milhões de reais, via caixa dois, e a OAS, do empreiteiro Léo Pinheiro, pagou 800.000 reais.
É a primeira vez que um documento do Supremo confere contornos concretos à principal frente da delação do ex-ministro Antonio Palocci fechada com a Polícia Federal e homologada pelo ministro Edson Fachin, chefe da Lava-Jato no STF.

A partir desse documento, descobre-se que o acordo firmado pelo ex-ministro no Supremo tem 23 anexos, que tratam de 12 políticos, entre ex-ministros de Estado, parlamentares e ex-parlamentares – além de grandes empresas.

https://veja.abril.com.br/blog/radar/palocci-38-milhoes-de-reais-pagos-a-gleisi-hoffmann







Palocci: PT recebeu 270,5 milhões em propina de diferentes empresas
Documento obtido pelo Radar confere, pela primeira vez, contornos concretos à principal frente da delação do ex-ministro

84222

Na delação que fez à Justiça, o ex-ministro Antonio Palocci revela que apenas o PT recebeu para suas campanhas eleitorais 270,5 milhões de reais, entre 2002 e 2014.
Foram doações, parte declarada e outra não, de grandes grupos e empresas em troca de favores recebidos, diz o antigo petista.
Palocci associa cada doação a um benefício específico que, segundo ele, teria sido alcançado por determinada empresa. Boa parte dessas negociações era realizada por Palocci em sintonia com o ex-tesoureiro do PT João Vaccari.
É a primeira vez que um documento do Supremo confere contornos concretos à principal frente da delação do ex-ministro Antonio Palocci fechada com a Polícia Federal e homologada pelo ministro Edson Fachin, chefe da Lava-Jato no STF.

A partir desse documento, descobre-se que o acordo firmado pelo ex-ministro no Supremo tem 23 anexos, que tratam de 12 políticos, entre ex-ministros de Estado, parlamentares e ex-parlamentares – além de grandes empresas.
https://veja.abril.com.br/blog/radar/palocci-pt-recebeu-2705-milhoes-em-propina-de-diferentes-empresas/






O que Palocci revela, na delação, sobre Lula e Dilma
Documento obtido pelo Radar confere, pela primeira vez, contornos concretos à principal frente da delação do ex-ministro

84223

Nos 23 anexos homologados pelos Supremo Tribunal Federal, Antonio Palocci detalha as negociatas que levaram empresas a destinarem recursos a políticos petistas. Nos casos das campanhas presidenciais de Lula e Dilma, são diversos os pedidos dos empresários em troca do apoio financeiro às tentativas de eleições e reeleições da dupla.
Para o empresário, o benefício alcançado varia de menor tributação para um setor específico, obtenção de alguma linha de crédito no BNDES para essas empresas a auxílio em fusão de grupos de um mesmo setor a apoio da base governistas a medidas que tramitavam no Congresso.
Há a história bombástica, revelada por VEJA em 2017, de que Lula foi eleito com uma bolada milionária repassada pelo ditador Muamar Kadafi, líder líbio morto em 2011. Segundo o petista, Kadafi deu 1 milhão de dólares, o equivalente a 3,5 milhões de reais à campanha do petista em 2002.
O ex-ministro narra a operação petista, também revelada por VEJA em 2017, para sepultar a Operação Castelo de Areia no Superior Tribunal de Justiça que rendeu 50 milhões de reais em propinas pagas pela Camargo Corrêa na forma de doação eleitoral para Dilma Rousseff em 2010 e políticos petistas, como Gleisi Hoffmann.

Há o episódio de pagamentos indevidos a Palocci, Lula e Dilma, como o revelado pelo Estadão, na semana passada, relacionados à empresa Ambev.
“A Ambev esclarece que as alegações relatadas são falsas e incoerentes. Falsas porque nunca fizemos pagamentos de qualquer natureza para obtenção de vantagens indevidas. E incoerentes porque, desde 2015, o setor de bebidas sofreu um grande aumento da carga tributária referente a PIS/Cofins, da ordem de 60%, contradizendo tudo o que foi alegado”, disse a empresa ao jornal.
A lista de exemplos envolvendo repasses a campanhas petistas e interesses de empresários é grande, como o Radar detalhará ao longo desta quarta. A delação de Palocci não deixa dúvidas: todas as eleições de Lula e Dilma foram financiadas com recursos irregulares de empresas — o que a Lava-Jato já comprovou de diversas formas, é verdade.
É a primeira vez que um documento do Supremo confere contornos concretos à principal frente da delação do ex-ministro Antonio Palocci fechada com a Polícia Federal e homologada pelo ministro Edson Fachin, chefe da Lava-Jato no STF.
A partir desse documento, descobre-se que o acordo firmado pelo ex-ministro no Supremo tem 23 anexos, que tratam de 12 políticos, entre ex-ministros de Estado, parlamentares e ex-parlamentares – além de grandes empresas.

https://veja.abril.com.br/blog/radar/o-que-palocci-revela-na-delacao-sobre-lula-e-dilma/
 

constatine

Bam-bam-bam
Mensagens
4.380
Reações
21.403
Pontos
294
Facção que matou 60 presos compra armas de grupo aliado do PT
Blog relembra relação de petistas com as Farc à luz do massacre em Manaus
8 fev 2017, 07h27 - Publicado em 4 jan 2017, 22h47

84237

O Ministério Público Federal revelou que a FDN (Família do Norte) tem “conexões estreitas” com as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia).
Isto significa que, com ajuda de intermediários, a facção criminosa que matou 60 presos em Manaus compra drogas e armas pesadas como fuzis AK-47 e submetralhadoras Uzi do grupo narcoterrorista historicamente aliado do PT.
Oh, supresa…

O peruano Nelson Flores Collantes, conhecido como “Acuario”, é apontado pelas investigações como um dos elos da FDN com as Farc, sobretudo com o braço da organização no Peru. Para o MPF, a “proximidade de Acuario” com as Farc “facilitou seu acesso a diversos armamentos” vendidos a integrantes da FDN.
Além disso, o traficante comercializava cerca de 400Kg de cocaína por mês das Farc e fazia “remessa internacional para o território brasileiro”.
Após o massacre, como este blog comentou, Frei Betto publicou artigo no Globo lamentando o “preconceito étnico” e “de classe” contra presos no Brasil, cujas mortes não comovem a população como as de qualquer cidadão de bem.
Em agosto de 2003, Betto foi apontado em entrevista dada à Folha pelo então número 2 das Farc, Raúl Reyes, como um dos contatos das Farc dentro do PT.
Betto vai lamentar também os contatos da FDN?
2.
Vale a pena lembrar e comentar mais uma vez o trecho principal daquela entrevista:
“Folha – O sr. conheceu Lula?
Reyes – Sim, não me recordo exatamente em que ano, foi em San Salvador, em um dos Foros de São Paulo.”

Este blog recorda o ano. Foi na edição de 1996 do Foro de São Paulo, o congresso anual de esquerda criado em 1990 por Lula e José Dirceu em parceria com o Partido Comunista do ditador cubano Fidel Castro.
Quando Reyes morreu bombardeado pelo Exército colombiano em 1º de março de 2008, o ditador da Venezuela Hugo Chávez confirmou na prática o episódio, contando na TV que conheceu Reyes e Lula naquela mesma edição do Foro em San Salvador. Confundiu apenas o ano, citando 1995 em lugar de 1996. O vídeo segue disponível e pode ser assistido aqui.

“Folha – Houve uma conversa?
Reyes – Sim, ficamos encarregados de presidir o encontro. Desde então, nos encontramos em locais diferentes e mantivemos contato até recentemente. Quando ele se tornou presidente, não pudemos mais falar com ele.”
No poder, como mostra a Lava Jato, Lula sempre contou com emissários para contatos menos nobres, que não pegariam bem para a sua imagem.

“Folha – Qual foi a última vez que o sr. falou com ele?
Reyes – Não me lembro exatamente. Faz uns três anos.

Folha – Fora do governo, quais são os contatos das Farc no Brasil?
Reyes – As Farc têm contatos não apenas no Brasil com distintas forças políticas e governos, partidos e movimentos sociais. Na época do presidente [Fernando Henrique] Cardoso, tínhamos uma delegação no Brasil.

Folha – O sr. pode nomear as mais importantes?
Reyes – Bem, o PT, e, claro, dentro do PT há uma quantidade de forças; os sem-terra, os sem-teto, os estudantes, sindicalistas, intelectuais, sacerdotes, historiadores, jornalistas…

Folha – Quais intelectuais?
Reyes – [O sociólogo] Emir Sader, frei Betto [assessor especial de Lula] e muitos outros.”

Betto, aparentemente, era o emissário de Lula no eventual contato com as Farc.

3.
Em março de 2008, quase cinco anos depois daquela entrevista, o assessor especial do então presidente Lula para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, declarou ao jornal Le Fígaro:
“Eu lhes lembro que o Brasil tem uma posição neutra sobre as Farc: nós não as qualificamos nem de grupo terrorista nem de força beligerante. Acusá-las de terrorismo não serve pra nada quando a gente quer negociar.”
Era verdade, afinal o PT “negociava” com as Farc a conquista do poder na América Latina em assembleias secretas do Foro de São Paulo.
(Isto sem contar o refúgio político concedido por Lula ao padre Olivério Medina, o “Camilo”, embaixador das Farc no Brasil, e a boquinha na Secretaria da Pesca concedida por Dilma Rousseff à esposa dele, Angela Maria Slongo, a “Mona”.)
No computador de Reyes, segundo a revista colombiana Cambio, ainda foram encontrados e-mails com menção a Garcia.
Curiosamente, os petistas que lamentam o massacre em Manaus jamais lamentaram a posição “neutra” – para não dizer cúmplice – do governo do PT em relação às Farc, fornecedoras (traficantes) de drogas e armas à FDN.

4.
Antes de se deixar cooptar como “suposto jornalista” (nas palavras do juiz Sérgio Moro) a serviço do PT no site Brasil 247, vulgo Brasil 171, até Leonardo Attuch, então repórter da IstoÉ, chegou a denunciar, naquele mesmo mês de março de 2008, o vínculo do suposto partido com os narcotraficantes das Farc:
“Em 1996, a empreiteira Andrade Gutierrez construía uma grande hidrelétrica nos Andes quando dois de seus engenheiros, Eduardo Batista e Demétrio Duarte, foram seqüestrados pelas Farc (…). A empresa acionou o Itamaraty, tudo foi tentado pelas vias diplomáticas, mas os dois brasileiros continuaram em poder dos guerrilheiros durante 207 dias. Só saíram do cativeiro depois que um novo ator entrou em cena: o Partido dos Trabalhadores. Por meio de ‘negociadores’ indicados pelo PT, a Andrade Gutierrez pagou um resgate milionário, o dinheiro foi transportado em malas para a selva amazônica e os engenheiros regressaram ao Brasil.”
Fofo, não?

5.
Agora o UOL resume a atuação dos narcoterroristas, obviamente sem citar o PT:
“A parceria entre as Farc e facções criminosas no Brasil é antiga. Durante décadas, a guerrilha foi apontada como fornecedora de armas e drogas para quadrilhas ligadas ao tráfico de entorpecentes no Brasil. A parceria mais conhecida é a aliança entre a chamada ‘Frente Primeira’ das Farc e o Comando Vermelho, facção com a qual a FDN está associada.

Apesar de as Farc e o governo colombiano terem anunciado um acordo de paz nos últimos meses, dissidentes da guerrilha ligados à ‘Frente Primeira’, que atuaria em boa parte da fronteira do Brasil com a Colômbia, se recusaram a aceitar os termos do acordo.”

Este blog prefere resumir assim a atuação geral que avacalhou as fronteiras brasileiras:

https://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/faccao-que-matou-60-presos-compra-armas-de-grupo-aliado-do-pt/


E o Queiroz?
 
Topo