O que há de Novo?
  • Novo tema VIP está disponível
    Visitante, um novo tema com fundo escuro agora está disponível para aqueles que contribuíram com doações ao fórum e têm o status VIP. Veja os detalhes aqui.


Tales of Vesperia Definitive Edition - PS4/Xone/Switch/Steam (Tópico Oficial)

billpower

Power Poster
Mensagens
39.559
Reações
25.632
Pontos
989
World Map muito lindo, me da raiva terem sumido com World Map depois do Vesperia.
Ué? Como assim? Zestiria e Berseria tem World Map e inclusive sem transição para as lutas. Não tem é esse World Map que chama overworld que o boneco fica menor frente ao restante. Sei lá isso para mim não é algo tão indispensável assim não.

Gameplay é um pouco travado em relação ao Tales futuros reconheço
Pinguim, você claramente está deixando a nostalgia falar forte aí. Tales futuros? Hearts é mais rápido, Eternia é mais rápido, Legendia (que é uma bosta) é mais rápido, Abyss nem se fala, até Symphonia é mais rápido. Sério, este jogo é muito travado no começo. Vi um vídeo com a jogabilidade mais para frente e melhora muito de fato este aspecto, mas minha crítica não é nem tanto ao travamento, mas a dificuldade ser forçada por coisas externas como mencionei, não é algo muito natural. Essa luta contra o lobo mesmo ela é foda só por causa disso. Você chega na merda, a não ser que saiba do que está por vir e esteja preparado, como eu não sabia cheguei zerado. Não deu nem para o cheiro. Outra coisa chata é o lag quando um combo termina, veja que o cara usa o step para frente com o intuito de minimizar isso, mas este cara já é viciado, para um completo inexperiente isso não é facilmente detectável. Outra coisa, knock down é meio complicado, os bichos ficam no chão e você só consegue acertar com um tipo de golpe específico. São umas coisas exageradas que se realmente fossem boas eles tinham mantido para os Tales seguintes. As mudanças que eles inseriram aqui deixaram o jogo forçosamente engessado.

Mas, como disse, é só um choque inicial mesmo, até por estar vindo de Hearts na sequência e combar em Hearts é lindo o sistema de counter é uma delícia e aí eu estava com a cabeça e movimentos condicionados já. Logo, logo me adapto e provavelmente pego jeito.:kgozo

Personagens bem aceitáveis e história que acho até boa até uma parte do segundo ato, depois cai o nível infelizmente, mas ainda acho melhor do que os recentes mesmo nas piores partes.
Não sei. Estou bem no começo, mas o que está me segurando é justamente a história, principalmente os personagens, divertidos sem ficar caricatos, bem naturais. Curtindo muito este aspecto do jogo.
 


Pinguim 55

Bam-bam-bam
Mensagens
3.358
Reações
5.378
Pontos
294
Ué? Como assim? Zestiria e Berseria tem World Map e inclusive sem transição para as lutas. Não tem é esse World Map que chama overworld que o boneco fica menor frente ao restante. Sei lá isso para mim não é algo tão indispensável assim não
.
Para mim faz muita diferença. O que eu gosto do World Map era a sensação de viajar pelo mundo, dá a sensação de grandeza e a geografia do mundo, e é no World Map em que quando pegamos um navio ou um airship ficamos acessando lugares que antes estavam indisponíveis.
Isto tudo se perdeu sem um World Map, já que o transporte se resume a um mapa cheio de pontos onde se faz fast travel e o mundo em si não passam de grandes áreas vazias cheio de coletáveis randômicos, que me dá sono só de andar de tão sem graça que são. É possível fazer mundos abertos bons, como fizeram em DQ XI, mas Tales está falhando miseravelmente, e mesmo assim no geral ainda prefiro o World Map padrão como fizeram em DQ VIII.


Pinguim, você claramente está deixando a nostalgia falar forte aí. Tales futuros? Hearts é mais rápido, Eternia é mais rápido, Legendia (que é uma bosta) é mais rápido, Abyss nem se fala, até Symphonia é mais rápido. Sério, este jogo é muito travado no começo. Vi um vídeo com a jogabilidade mais para frente e melhora muito de fato este aspecto, mas minha crítica não é nem tanto ao travamento, mas a dificuldade ser forçada por coisas externas como mencionei, não é algo muito natural. Essa luta contra o lobo mesmo ela é foda só por causa disso. Você chega na merda, a não ser que saiba do que está por vir e esteja preparado, como eu não sabia cheguei zerado. Não deu nem para o cheiro. Outra coisa chata é o lag quando um combo termina, veja que o cara usa o step para frente com o intuito de minimizar isso, mas este cara já é viciado, para um completo inexperiente isso não é facilmente detectável. Outra coisa, knock down é meio complicado, os bichos ficam no chão e você só consegue acertar com um tipo de golpe específico. São umas coisas exageradas que se realmente fossem boas eles tinham mantido para os Tales seguintes. As mudanças que eles inseriram aqui deixaram o jogo forçosamente engessado.

Mas, como disse, é só um choque inicial mesmo, até por estar vindo de Hearts na sequência e combar em Hearts é lindo o sistema de counter é uma delícia e aí eu estava com a cabeça e movimentos condicionados já. Logo, logo me adapto e provavelmente pego jeito.:kgozo
.
Lol, não é mais lento que o Symphonia nem fudendo, e não achei tão mais lento assim ao Abyss, isto que joguei Vesperia depois do Abyss. Fui cego na primeira vez que joguei e apanhei um pouco para o lobo, mas não achei tão injusto assim. Meu problema com as dificuldades com Tales era geralmente na AI idiota do PC, mas aqui até que não está ruim, é melhor do que eu imaginava, lembro da raiva que passava nos antigos com healer e mage dando ataque físico.
Sério, não estou com problema com a 'trava' como vocês falam, eu me diverti antigamente muito mais com o Vesperia do que os Xillias, Heart, Zestiria e Berseria, e agora rejogando continuo achando mais divertido que estes.
 

billpower

Power Poster
Mensagens
39.559
Reações
25.632
Pontos
989
a um mapa cheio de pontos onde se faz fast travel e o mundo em si não passam de grandes áreas vazias cheio de coletáveis randômicos, que me dá sono só de andar de tão sem graça que são
Ué? Esse World Map antigo não é a mesma coisa? Um mapa enorme, vazio, com pontos isolados super distantes uns dos outros para, entre eles, você ficar lutando aleatoriamente?

Quer dizer, isso aqui é vazio e ruim:



Mas isso aqui não?



:kzonzo

Lol, não é mais lento que o Symphonia nem fudendo, e não achei tão mais lento assim ao Abyss,
O simples fato de não permitir que artes sejam linkadas deixa o jogo lento. Os comandos tem um delay enorme em certas ocasiões, coisa que não ocorre nos outros que citei, nem mesmo no Symphonia. Em Abyss você é introduzido aos FoF's no começo do jogo e isso dá uma dinâmica maravilhosa. Bom, mas deixa quieto.

Como disse, estou no começo do jogo e até já fiz mea culpa aqui, assumindo que pode ser mais relativo a mim o problema do que outra coisa.:kcry
 

T.Chico

Bam-bam-bam
Mensagens
7.012
Reações
9.779
Pontos
384
Peguei o lobo e fui obrigado a diminuir a dificuldade. É um Tales muito diferente do que já joguei. Ele é muito travado. Combar nele é sem graça para caramba.

Até esta luta aqui que é um cara que manja Tales não é plástica:


Eu querendo jogar bonito e linkar artes e a porra do jogo não deixa, ou seja, preciso jogar no básico total para fazer uma gracinha. Foi bom ver o vídeo, pois percebi que estou jogando bem errado e insistindo numa coisa que não tem futuro.

O jogo em si é legal, mas a jogabilidade travada dá uma desanimada, pelo menos até aqui. Quem sabe quando eu me acostumar a coisa mude, mas tem muita coisa artificial forçando, como por exemplo até este lobo você não ter como sintetizar Orange Gel, não ter nenhuma receita para TP e antes dessa luta, bem difícil por sinal, o save não recarregar os seus atributos. Cheguei nele sem TP algum, apesar de ter overlimit como fico querendo linkar artes no overlimit ele perde todo o sentido, tem que ir assim como no vídeo, ataque básico.

Sem falar tudo isso ainda tem uma espécie de delay nos comandos. É tudo muito lento, credo, nem parece a jogabilidade mais rápida comum aos Tales.:kcry

Como sou fã da série deverei aprender o sistema, mas sei lá não me vejo gostando mesmo.
Parece que esse lobo surra todo mundo.
Tem uma bem chata depois Yuri sozinho contra um monte de carinhas que se amontoam em cima de você descendo o sarrafo.
 

billpower

Power Poster
Mensagens
39.559
Reações
25.632
Pontos
989
Parece que esse lobo surra todo mundo.
Tem uma bem chata depois Yuri sozinho contra um monte de carinhas que se amontoam em cima de você descendo o sarrafo.
Esse cara do vídeo tem uma luta contra este mesmo lobo num Newgame+ no Unknown em que ele foi humilde em adicionar algumas tentativas fracassadas. Rapaz, tosco! O cara fortão, combando artes e mesmo assim o lobo deu uns coros nele quando errou. Surreal!:kcry

A luta seguinte que você fala não achei difícil, pois tinha uma skill de área que detona os caras sem muito problema, mas, diferentemente de outros Tales, fazer mais do que 1x1 aqui é bem complicado e o jogo adora te colocar nestas situações no começo quando você não tem nada à sua disposição.

Sobre o lobo, para encerrar, ele é difícil sim, mas com calma e uma estratégia planejada você vence ele, assim como o cara do vídeo venceu aí. O problema é que ele já sabia o que vinha na sequência. Veja que ele começa a luta com o HP no Máximo e TP no Máximo. Eu não tinha como fazer isso porque era minha primeira vez e não tinha ideia que o jogo colocaria um Boss complicado como este nas condições que ele coloca. É uma situação que não tem volta ali ou você vai munido das gels para te deixar em condições para a luta ou já era.:kclassic
 

Pinguim 55

Bam-bam-bam
Mensagens
3.358
Reações
5.378
Pontos
294
Ué? Esse World Map antigo não é a mesma coisa? Um mapa enorme, vazio, com pontos isolados super distantes uns dos outros para, entre eles, você ficar lutando aleatoriamente?

Quer dizer, isso aqui é vazio e ruim:



Mas isso aqui não?



:kzonzo



O simples fato de não permitir que artes sejam linkadas deixa o jogo lento. Os comandos tem um delay enorme em certas ocasiões, coisa que não ocorre nos outros que citei, nem mesmo no Symphonia. Em Abyss você é introduzido aos FoF's no começo do jogo e isso dá uma dinâmica maravilhosa. Bom, mas deixa quieto.

Como disse, estou no começo do jogo e até já fiz mea culpa aqui, assumindo que pode ser mais relativo a mim o problema do que outra coisa.:kcry
A grande diferença é que no caso do Vesperia eu posso pegar um barco e atravessar o oceano, pegar uma nave, dar a volta ao mundo, entre outras coisas, a sensação de aventura e exploração é grande, seme falar que posso irgar sem precisar de passar por mais de uma tela, o mundo parece vasto e aberto, os que vieram depois acho muito corredores, cheio de montanhas, pedras e outros obstáculos para restringir seus movimentos.
Posso ir de uma cidade para a outra com bem rápido quando pega meio de transporte, já nos Xillia para frente você é obrigado a ir pelo menos duas áreas para chegar em outra cidade, isto é claro, se as cidades forem vizinhas.

No mais, isto me lembrou que Zestiria fizeram a palhaçada de cobrar dinheiro para o Fast Travel (muito caro ainda), me obrigando a fazer aquelas longas e entediantes viagens que levava quase 10 minutos, que se tivesse world map duraria uns 20 segundos no máximo. Um verdadeiro pesadelo.

Mas você pode linkar as skill, mas é aquela coisa, é uma base arte em seguida uma arcane arte. Mais do que isto só se tiver uma skill, estar em overdrive ou acessório, mas isto vale para praticamente todos os Tales do Vesperia para trás. Não entendi sua birra nesta parte com Vesperia, quase sempre foi assim.

Fof em Abyss é interessante, mas mal executado e aleatório demais, pois dependia muito onde aparecia as áreas quando usa as magias, isto num sistema de batalha tão caótico como costuma ser Tales fica meio inviável contar com isto. No final eu deixava quieto e nem me preocupava com isto, jogava sem ver isto e se ao acaso ocorresse FoF, ótimo.
 


billpower

Power Poster
Mensagens
39.559
Reações
25.632
Pontos
989
Outra pegadinha do jogo: Terminei uma luta contra um boss e em seguida fui jogado numa série de eventos que levaram a apresentação de uma técnica de jogo; a burst arte. Só que ao invés de ser como nos outros jogos da série eles colocam uma espécie de boss para você enfrentar depois de ensinar a técnica. Detalhe, você sozinho, contra dois, sem chance de poder ir comprar nada para repor depois de uma luta contra um boss. Tentei muito até simplesmente desistir e reduzir a dificuldade pela 3ª vez no jogo. Eu estava meio encanado, mas aí fui no youtube ver os vídeos e NINGUÉM pôs vídeo encarando estes dois numa primeira jogada no HARD, ou seja, é extremamente difícil. Digo mais, eu passaria no Hard, agora sem nenhuma gel tava foda conseguir. Tentei de todo jeito, mas impossível. Para piorar, ainda não tinha save do final dessa luta do Boss até esta outra, ou seja, você tem que passar por uma série de eventos e não tem direito a sequer salvar para otimizar as tentativas. Eu não acho que isso foi erro, simplesmente os caras não programaram achando que alguém perderia essa luta "tutorial", seja por não estarem no Hard, seja por chegarem nela com gels. Isso é outra coisa que estou precisando me acostumar, jogo praticamente sem gels, gosto de vencer sem tomar dano e sem usar item, mas neste Tales isso é meio impossível no Hard na primeira partida. Detalhe final de como as coisas mudam do Hard para o Normal, quando você chega nesta luta já foi introduzido para o fatal strike, então, eu não tinha conseguido fazer a a marca aparecer desde o momento que fui apresentado a técnica até esta luta. Mudei para o normal para passar dos caras e o que acontece? A marca apareceu umas trocentas vezes. :kclassic

O jogo tem algumas coisas forçadíssimas que incomodam e não existem noutros Tales, uma delas é esta mania de jogar o protagonista numa luta tosca contra 2 ou 3 inimigos ao mesmo tempo, num game com stagger time alto, dano infligido alto e dano aplicado baixo. Claro, tudo isso estou relatando no Hard, quando pus no normal passei de primeira, passeio no parque. A noção de dificuldade imposta pelo game no Hard nem devia estar disponível de largada. Tinha que ser como no Zestiria, as dificuldades vão abrindo à medida que você atinge um certo número de lutas.

Por fim, este Tales é bem diferentão sim dos demais. Tudo nele precisa de uma skill. Por exemplo, backstep é inútil praticamente. Você dá backstep certinho, consegue aquele escudo, mas ele só segura duas porradas, qualquer inimigo bate com combo de mais de 2, ou seja, você desvia de um golpe, mas é certeza de que estará em apuros logo a seguir. O step foward sofre o mesmo problema. Para a menor bobagem do jogo você precisa de uma skill que habilite um determinado movimento. Acho que vi uma frase certa feita desse Tales ser o "Dark Souls" dos Tales, pela minha experiência até aqui vem sendo. Sempre jogo os Tales na dificuldade máxima disponível desde o começo, mas este aqui está sendo o mais punitivo. E a culpa agora não é noobice minha não é o jogo que força situações como esta que relatei e simplesmente não te dá uma situação de desvio perfeito, ou seja, você não tem como desviar do golpe inimigo sem sofrer algum dano, isso é totalmente sem sentido. Sem contar que o stagger time é simplesmente ridículo e interrompe qualquer movimento, seja o estágio que for da execução. Claro que no final de tudo irei me sentir muito satisfeito por jogar bem, mas este começo travado e artificialmente dificultado tirou um pouco da diversão. Até depois de um backstep você tem um lag para voltar a se movimentar.:kzonzo

Agora, até aqui, o cast deste Tales talvez seja o melhor que já tive contato. Até agora 5 integrantes e todos são ótimos! O protagonista então vai de vento em polpa. :kgozo
 
Ultima Edição:

T.Chico

Bam-bam-bam
Mensagens
7.012
Reações
9.779
Pontos
384
Outra pegadinha do jogo: Terminei uma luta contra um boss e em seguida fui jogado numa série de eventos que levaram a apresentação de uma técnica de jogo; a burst arte. Só que ao invés de ser como nos outros jogos da série eles colocam uma espécie de boss para você enfrentar depois de ensinar a técnica. Detalhe, você sozinho, contra dois, sem chance de poder ir comprar nada para repor depois de uma luta contra um boss. Tentei muito até simplesmente desistir e reduzir a dificuldade pela 3ª vez no jogo. Eu estava meio encanado, mas aí fui no youtube ver os vídeos e NINGUÉM pôs vídeo encarando estes dois numa primeira jogada no HARD, ou seja, é extremamente difícil. Digo mais, eu passaria no Hard, agora sem nenhuma gel tava foda conseguir. Tentei de todo jeito, mas impossível. Para piorar, ainda não tinha save do final dessa luta do Boss até esta outra, ou seja, você tem que passar por uma série de eventos e não tem direito a sequer salvar para otimizar as tentativas. Eu não acho que isso foi erro, simplesmente os caras não programaram achando que alguém perderia essa luta "tutorial", seja por não estarem no Hard, seja por chegarem nela com gels. Isso é outra coisa que estou precisando me acostumar, jogo praticamente sem gels, gosto de vencer sem tomar dano e sem usar item, mas neste Tales isso é meio impossível no Hard na primeira partida. Detalhe final de como as coisas mudam do Hard para o Normal, quando você chega nesta luta já foi introduzido para o fatal strike, então, eu não tinha conseguido fazer a a marca aparecer desde o momento que foi apresentado a técnica até esta luta. Mudei para o normal para passar dos caras e o que acontece? A marca apareceu umas trocentas vezes. :kclassic

O jogo tem algumas coisas forçadíssimas que incomodam e não existem noutros Tales, uma delas é esta mania de jogar o protagonista numa luta tosca contra 2 ou 3 inimigos ao mesmo tempo, num game com stagger time alto, dano infligido alto e dano aplicado baixo. Claro, tudo isso estou relatando no Hard, quando pus no normal passei de primeira, passeio no parque. A noção de dificuldade imposta pelo game no Hard nem devia estar disponível de largada. Tinha que ser como no Zestiria, as dificuldades vão abrindo à medida que você atinge um certo número de lutas.

Por fim, este Tales é bem diferentão sim dos demais. Tudo nele precisa de uma skill. Por exemplo, backstep é inútil praticamente. Você dá backstep certinho, consegue aquele escudo, mas ele só segura duas porradas, qualquer inimigo bate com combo de mais de 2, ou seja, você desvia de um golpe, mas é certeza de que estará em apuros logo a seguir. O step foward sofre o mesmo problema. Para a menor bobagem do jogo você precisa de uma skill que habilite um determinado movimento. Acho que vi uma frase certa feita desse Tales ser o "Dark Souls" dos Tales, pela minha experiência até aqui vem sendo. Sempre jogo os Tales na dificuldade máxima disponível desde o começo, mas este aqui está sendo o mais punitivo. E a culpa agora não é noobice minha não é o jogo que força situações como esta que relatei e simplesmente não te dá uma situação de desvio perfeito, ou seja, você não tem como desviar do golpe inimigo sem sofrer algum dano, isso é totalmente sem sentido. Sem contar que o stagger time é simplesmente ridículo e interrompe qualquer movimento, seja o estágio que for da execução. Claro que no final de tudo irei me sentir muito satisfeito por jogar bem, mas este começo travado e artificialmente dificultado tirou um pouco da diversão. Até depois de um backstep você tem um lag para voltar a se movimentar.:kzonzo

Agora, até aqui, o cast deste Tales talvez seja o melhor que já tive contato. Até agora 5 integrantes e todos são ótimos! O protagonista então vai de vento em polpa. :kgozo
Então você não chegou na luta da torre contra 20 carinhas?
 

billpower

Power Poster
Mensagens
39.559
Reações
25.632
Pontos
989
Então você não chegou na luta da torre contra 20 carinhas?
Ainda não, mas bom saber. A luta a que me referi no relato é uma contra um bichão numa cidade abandonada que tem uma parte subterrânea que você acessa usando um password. Depois dessa luta tem um save no caminho para sair dessa área, só que depois disso não tem mais nenhum e você vai sendo levado até essa luta contra os 2 carinhas chatos que vivem atrás do Yuri. Obrigado por avisar que terei uma luta podre contra 20 carinhas. É sozinho também? Já vou ficar esperto quando estiver nesta torre e me encher de gels. :kclassic

EDIT: Deu uma melhorada federal aqui com inclusão de poder dar um backstep duplo. Aí você você consegue uma esquiva perfeita, as outras skills que outros integrantes já possuem e que ficariam matadoras no principal seriam: reduz o dano quando está staggered e uma que reduz o tempo para se recuperar de um stagger hit.
 
Ultima Edição:

billpower

Power Poster
Mensagens
39.559
Reações
25.632
Pontos
989
Estou com 100 horas de jogo e já passei do grande Evento, acho que estou na parte 3. Minhas impressões do jogo mudaram pouco, como eu já imaginava. Não é um Tales digno das menções de destaque que alguns jogadores fazem. É um bom jogo, os personagens são o ponto alto da história até aqui, quase todos bem feitos e carismáticos. O Yuri cansa um pouco quando fica naquele negócio de parecer não fazer questão de ninguém, toda hora reafirmando : "Ah, se você quiser ir poder ir." Uma, duas vezes, mas trocentas vezes enche o saco. Tirando isso é um bom protagonista se não cagar até o final, acho que não o fará e estará entre os melhores dentre os Tales que joguei.

A grande mudança na terceira parte para mim é a trilha sonora, NOSSSA COMO MELHORA! A música das lutas fica épica e do overworld voando também melhora bastante.

Agora o que mais reclamava no início; a jogabilidade continua bem meia boca. Já consigo linkar algumas artes, mas o jogo forçou o travamento do protagonista demasiadamente durante 60% do jogo numa tentativa de sei lá o que com isso. Não precisava disso se ele quisesse ensinar ao jogador que tomar dano neste Tales é fatal com bastante facilidade, ele é bem punitivo então retirar o stagger dos golpes te dá uma sensação de liberdade que, se você não estiver preparado, te mata em dois tempos. Fui jogar contra um boss duplo que percebi bem isso, tinha terminado de pegar a Skill Grace (que anula o stagger) e com uns 5 golpes elas liquidavam a fatura rapidamente. Eu com 3900k de HP e cada dano girando na casa dos 700, batendo até 1200 é muito fácil de morrer e nem perceber, enquanto ainda está executando comandos no controle. Repito, levar mais da metade do jogo para te ensinar isso é totalmente desnecessário.

Outro ponto terrível da jogabilidade, tudo no jogo precisa de uma SKILL! PQP! Isso não existe em nenhum Tales que já joguei. Até para combar do ar para o chão precisa de skill. Até para tirar delay depois de um pulo precisa de skill, beira o ridículo isso! Ainda por cima são skills que precisam de muitos pontos, sendo que até o nível 60 você só ganha 2 pontos de skill e acho que até o 30 você ganha somente 1. É simplesmente tosco você ter que investir 5-8 pontos em skill merda, para fazer coisas básicas, enquanto skills que dinamizam o jogo precisam de 10 em diante pontos, ou seja, cerca de 5 níveis necessários para ativar uma skill desse tipo num jogo que TUDO PRECISA de uma porra de skill! É para foder o cara. Sim, o jogo é travadíssimo!

Outra coisa, chegar até mais da metade do jogo para liberar a maldita possibilidade de linkar mais que 2 artes é simplesmente absurdo também. Em Eternia, por exemplo isso vem bem antes. Bom, parando essa parte do combate, outro ponto negativo da jogabilidade é o Grind. Além de tudo isso que falei das skills você precisa das armas para pegá-las, as armas são caras, seja com dinheiro ou via craft, como se não bastasse isso você ainda precisa de milhares de lutas grindando a skill para tê-la livre para escolher. O jogo demanda grind para tudo, para subir de nível, para ganhar dinheiro, para pegar skill, para pegar os itens das armas... Sem falar que se você não tiver uma fonte que informe que certos inimigos que dropam certos itens ficam em regiões específicas e que sofrem interferência do tempo você pode nunca conseguir um item para craftar uma arma que vem com uma skill fundamental! Este último fator seria interessante se você não tivesse que passar por todo um processo massante de grind para todo o resto.

É um Tales que escalou a dificuldade de maneira desmedida a meu ver, olha que sou acostumado a jogar todos na dificuldade máxima e nunca tinha me deparado com nada no nível deste aqui. Inimigos que spammam overlimit, spammam mystic arte, isso não é mérito, nem desafio isso é irreal dentro das premissas que o próprio jogo estabelece na jogabilidade. O PC solta o overlimit 3+ em segundos após ter liberado anteriormente. Engraçado que já li que o post game é brutal! AHAHAH! Nem sei se vou encarar numa primeira partida ou deixarei para a segunda.

Como eu adoro Tales não digo que é um jogo fraco, mas tem defeitos importantes que não podem ser ignorados ou esquecidos por causa de afinidades que cada um possa sentir no plano individual. Para mim vai ficar com uma nota 8,0 no final, mas esta jogabilidade duvido que eu consiga dar mais que 7, na verdade terei que me esforçar para isso, pois o justo seria uma nota 6. Acho engraçado a galera que fala de Zestiria, nossa SENHORA, a jogabilidade de Zestiria é anos luz para isso aqui. Olha que nem falo isso porque o jogo é difícil, pois tem gente que achou maravilhosa a jogabilidade de Berseria e o considera difícil e eu não achei. Nem sei quanto dei na época para ele, mas não foi muito alta não. (fui ver e dei 7,5)

É isso. Quando zerar, acho que ainda falta um bom bocado, visto que precisei de 100 horas para chegar nesta parte que estou, acho que mais 50 horas até o final é bem provável que ainda invista, volto aqui com um resumo com as minhas notas para cada aspecto.
 
Ultima Edição:

T.Chico

Bam-bam-bam
Mensagens
7.012
Reações
9.779
Pontos
384
Eu ainda acho o Vesperia disparado o melhor, fiz varias pesquisas para ver os melhores e não perder tempo com os Tales mais ou menos, Vesperia sempre esta no TOP 5 ou geralmente é o primeiro o Xillia que alguns aqui falam que é melhor muitas vezes não estava nem em top 10 de varais listas algum magia o Vesperia deve ter.
Combos fodas no Vesperia só solo mesmo.
Esse cara tem vários videos de lutas contra boses sem levar dano.
 

billpower

Power Poster
Mensagens
39.559
Reações
25.632
Pontos
989
Esse cara tem vários videos de lutas contra boses sem levar dano.
Sim filho. Aí é fácil. Com tudo desbloqueado no boneco eu também faço isso aí. Até fell arm ele está usando. EHEH. Veja que minha crítica ao jogo é travar isso por mais da metade da aventura sei lá com que intenção.

A Luta contra o Brabos mesmo o que eu tive que bater nestas torres para derrubar uma delas não tava no gibi. O cara chega com dois tapas e destrói nem dá tempo dos bichos chegarem. EHEH.

Para mim, se for para usar como exemplo de boa luta no ToV, essa aqui tem muito mais mérito:


Tem altas técnicas avançadas neste vídeo como guard cancel. É bem difícil acertar essa porra e o cara faz como se fosse brincadeira.

Agora está bem mais suave, mesmo assim não poderei ignorar os problemas que o jogo te obriga a passar desnecessariamente. Por fim, puta que pariu knockdown neste jogo, outra puta coisa chata, veja como todo mundo pena um pouco para por o bicho para cima novamente. Fica spammando arte que bate 10x, mas com knockdown acerta só 2 hit.:kclassic

Mas Tales é sempre válido. No final eu curto muito.
 
Ultima Edição:

Grave Uypo

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
10.922
Reações
18.879
Pontos
553
Da geração passada eu tb acho o melhor Tales of disparado, agora da série como um todo acho q só perde pro Abyss e o Symphonia.
symphonia nao peguei, mas acho vesperia e abyss igualmente bons. e o resto da série consideravelmente inferior. eu nao gostei de xillia. dropei em +- 60% do jogo, e fui arrastado até la.
 

billpower

Power Poster
Mensagens
39.559
Reações
25.632
Pontos
989
Como dito antes. Darei minhas impressões finais. Tentarei fazer da forma mais resumida possível já que fiz posts longos sobre o que acho de alguns dos aspectos do jogo.

Gráficos: Com o ajuste do reshade o jogo fica primoroso neste sentido. O visual ainda é super atual, com uma arte muito bem feita. Não deve nada para os mais recentes, confirmando que o comentário de algum colega sobre ser uma engine reciclada desde muito tempo. 9,0

Sons:
Englobo aqui efeitos sonoros e trilha. Muito bom no final. As trilhas do começo do jogo são um pouco de devagar, mas correspondem ao momento em que a história está, à medida que os eventos se desenrolam a coisa ganha dimensão assim como as músicas de todos os eventos. Iria dar um 8,5, mas acho que 9,0 é de bom tamanho. Dublagem é chover no molhado, mas até em inglês ficou boa.

Jogabilidade: Calcanhar de aquiles do jogo. É um típico Tales, por isso não é ruim, mas dentro da liberdade que outros Tales te oferecem este aqui é bastante engessado. Terminamos com um Yuri incapaz de linkar artes aéreas, bem como podado na liberdade de usar as artes livremente. Apesar de você poder usar mais golpes conectados eles contiveram obrigando que haja uma ordem a ser respeitada. Algumas skills são retardadas demasiadamente na liberação, prologando desnecessariamente a limitação, criando uma dificuldade artificial, aliado a isso ainda temos a própria dificuldade sofrendo um incremento desproporcional do Normal para o Hard. Jogar numa primeira playtrough no hard é bem penoso, especialmente se você fizer isso no começo, quando você praticamente nada pode fazer e não tem magias à sua disposição e o jogo te coloca em situações de vários inimigos a todo instante, não respeitando a progressão natural que se espera nestas ocasiões.

Aqui vou aproveitar para fazer um adendo ao último boss. Caí na asneira de fazer a quest das fell arms antes do postgame. Para que... O boss nem é tão difícil assim. Dá para passar sem usar itens sem muita dificuldade, mas a porra do Boss final, o True Boss do jogo... É simplesmente castigante, como costuma ser, mas neste caso, até fazendo jus a toda situação que o jogo te coloca no decorrer do avanço era de esperar que fosse ser difícil mesmo, mas o bicho é uma coisa de louco! Ainda mais para um pobre coitado gaiato que resolveu encarar no Hard com os personagens no Lv70. O FDP tem alguns golpes 1 hit kill e foi simplesmente uma coisa surreal conseguir derrubá-lo. Tentei várias vezes até praticamente desistir e parti para o youtube para ver se eu era louco mesmo ou ruim. Para meu alívio, de certa maneira, constatei que era louco. Não vi nenhum vídeo com alguém tentando algo próximo do que eu estava querendo. Porém, enquanto assistia alguns vídeos, peguei algumas ideias que resolvi implementar hoje com a cabeça mais fria. Troquei o Flynn pelo Karol e liberei o PC para usar overlimit, coisa que não tinha feito até aqui no jogo. Continuou sofridíssimo, mas consegui derrubar o fdp. Fiquei feliz para caralho, pois realmente constatei, mais uma vez, que se dedicando em Tales é possível sim conseguir se sentir jogando bem e dominando o sistema de jogo razoavelmente bem.

O sistema de sidequests não é bom, apesar de agregador. Muitas sidequests são de difícil descoberta e com limite de tempo para serem feitas. A quest do mapa do cachorro é um porre tremendo. Consegui fazer quase tudo, mas sem um faq seria algo ainda mais insuportável. O lance de usar as magic lens também é um pouco arcaico.

Por conta de todos estes pontos negativos ou mal escolhidos para jogabilidade eu darei uma nota 7,0.

História:
Começa muito bem, mas dá uma caída na parte final. Algumas coisas ficam um pouco atropeladas e até sem sentido ou simplesmente são deixadas de lado sem muita explicação, de qualquer forma o casting do jogo é ótimo. Não considero nenhum personagem ruim. O mais sem graça é a Judith, mas todos os demais tem um nível muito bom ou alto. Os destaques para mim são o Yuri e o Flynn. Achei a relação dos dois muito bem feita, honesta, sem exageros. Um balanço difícil de ser conseguido, parabéns aos caras. Os rumos que conduziram para o desfecho ficam um pouco forçados de certa maneira, mas não chega a ser algo absurdo. Só há este decréscimo. Como sempre, muitas respostas estão em sidequests, como o porquê da Judith ser como é e da Rita também. O passado da Patty, detalhes do passado do Raven também, ou seja, sem as sidequests um tanto inacessíveis fica ruim para se conseguir o fechamento da história que se espera. Eu fico aqui com uma nota 8,0.

Duração: Não dá para dizer que não é um Tales longo. Levei 140 hs para a primeira zerada. Isso tudo se deveu especialmente à dificuldade, lutas mais longas e constantes, muitas idas e vindas fazendo as sidequests então a coisa fica ainda mais alongada. Claro que para alguém que jogou no normal ou easy fica bem mais diluído e creio que o fechamento entre 50-80 hs é bem compreensível, menos que isso acho atropelado. Muita dessa duração é divertida sim e ainda tem um bom New Game+ que, no caso deste Tales, vale à pena ser feito, ou seja, um jogo para mais de 100 horas e se for alguém que debulha mais de 200 é algo perfeitamente normal. Aquela Ex-Dungeon é uma loucura e muitooo longa. Acho que uma nota 8,5 fica de bom tamanho também, pois, infelizmente nesta longa duração nem tudo é só diversão e alegria mesmo.

Conclusão: No final, é um bom Tales sim. No meu ranking eu colocaria em 5° lugar, atrás de Abyss, Symphonia, Zestiria e Berseria, muito em virtude destes entraves da jogabilidade, caso não fosse isso, talvez ficasse numa posição mais alta. Lembrando que não joguei os Xillia, Graces e os Japas, além do Phantasia. Eternia ainda irei finalizar, mas não acho que irá ficar à frente de Vesperia e Inoccence infelizmente também não sei se terei tal chance. Dou uma nota 8,0 no geral dei uma aproximada para baixo aqui.
 
Ultima Edição:
Topo