O que há de Novo?
  • Anunciando os planos GOLD no Fórum Outer Space
    Visitante, agora você pode ajudar o Fórum Outer Space e receber alguns recursos exclusivos, incluindo navegação sem anúncios e dois temas exclusivos. Veja os detalhes aqui.

[Descaso] Morreu uma aluna na minha universidade

konuhi

Bam-bam-bam
Mensagens
2.532
Reações
2.004
Pontos
214
Gente, acordei hoje com o "ZapZap'' apitando aqui, fui ver e era o pessoal que estuda comigo a noite comentando que hoje pela manhã, cerca de 8hrs morreu uma aluna no bloco de arquitetura e urbanismo lá na faculdade, achei que fosse fake, mas foram saindo as notícias e eu fiquei meio que abismado como que a história aconteceu, saquem só.

"Os colegas da acadêmica de arquitetura e urbanismo, Alana Cristina dos Santos, de 18 anos, que morreu na manhã desta quarta-feira (19) no pátio da Anhanguera-UNIDERP, em Campo Grande, acusam os funcionários da universidade localizada na Avenida Ceará, de 'falta de sensibilidade'. Além disso, denunciam que houve falta de assistência no socorro.

Catielly Tupim, de 18 anos, uma das amigas disse que as aulas do curso continuaram normalmente. “Ela passou mal dentro do bloco de arquitetura e urbanismo, onde estudamos, e em vez dos funcionários ajudarem, eles simplesmente continuaram normalmente as aulas, uma verdadeira falta de sensibilidade. Além disso, houve a demora no socorro, uma falta de assistência da universidade em fazer algo”.
Entenda o caso

A acadêmica de arquitetura e urbanismo, Alana, morreu depois de sofrer um mal súbito, por volta das 8h30, dentro da uma universidade onde estuda. Localizada. O curso de medicina da própria universidade, assim como o Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência) foram avisados sobre o atendimento a jovem. Alana se sentiu mal, tentou se escorar na parede, mas caiu.

Ela bateu a cabeça no chão e teve convulsões no corredor do bloco IV, do seu curso.
Mesmo a jovem caída, aulas continuaram normalmente e apenas duas colegas dela ficaram no local cuidando de Alana.
O curso de medicina demorou meia hora para sair de um bloco para o outro, dentro da mesma universidade. Já a equipes do Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência) chegaram ao local após quarenta minutos. Eles tentaram reanimar a jovem, mas ela não resistiu."

Link: http://www.midiamax.com.br/noticias/901420-colegas academica morreu patio uniderp reclamam falta assistencia.html#.Uym6Gld8qRt

Caras, tipo, o bloco de medicina é embaixo do meu [Direito], como diabos eles demoraram meia hora pra fazer uma porra de uma viagem de 10 minutos? E o pior, como caralhos um educador mongol deste continuou a porra da aula com a aluna lá estrebuchando no chão? put* que pariu.
 


Vings

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
16.678
Reações
11.393
Pontos
629
Pensei que o descaso fosse seu, falando sobre como esses casos de pessoas aleatórias não afeta em nada você e tal, e a comoção exagerada de pessoas que nem sequer conheciam a garota.

É assim que me sinto normalmente.
 

konuhi

Bam-bam-bam
Mensagens
2.532
Reações
2.004
Pontos
214
Pensei que o descaso fosse seu, falando sobre como esses casos de pessoas aleatórias não afeta em nada você e tal, e a comoção exagerada de pessoas que nem sequer conheciam a garota.

É assim que me sinto normalmente.
Nem é comoção, só o descaso mesmo, porque, podia ser eu. Isso só me afetou em não ter aula hoje, mas mesmo assim, não deixa de ser uma colega que tava ali e um retardado de um professor não parou a aula nem com o Samu prestando socorro.
 

Porco Seboso

Bam-bam-bam
Mensagens
8.020
Reações
11.062
Pontos
353
Não entendi por que tanta preocupação. Se não houvesse o descaso, ela se salvaria? É isso?
 


konuhi

Bam-bam-bam
Mensagens
2.532
Reações
2.004
Pontos
214
Não entendi por que tanta preocupação. Se não houvesse o descaso, ela se salvaria? É isso?
Preocupação porque não tem brigada de socorristas numa faculdade gigante como essa e podia ser qualquer um dos alunos dali, descaso porque o professor continuou a aula com os socorristas do Samu prestando atendimento à aluna, e só após a segunda tentativa de ressuscitá-la falhar, foi que por ordem dos médicos, a sala fosse evacuada.
 

acesnof

Veterano
Mensagens
924
Reações
1.009
Pontos
133
se eu fosse pai dessa aluna iria querer tirar satisfação com esse professor fácil!
 

marwinninja

Bam-bam-bam
Mensagens
7.116
Reações
5.062
Pontos
399
Só consegui pensar no nome da faculdade:
UNIDERP


Enfim, uma tragédia, tremendo descaso mesmo, e falta de bom senso, tipo "não é meu problema"
 

TURBOOTH

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
10.334
Reações
13.300
Pontos
629
Que isso gente, total descaso e falta de humanismo na mente de todos. Não podemos culpar os professores pelo ocorrido, mas podemos culpar alguns responsáveis pelo descaso e falta de vontade de ajudar a jovem.
Simplesmente nota zero a atitude dos magistrados e responsáveis.
 

eduardo2011

Bam-bam-bam
Mensagens
5.641
Reações
3.760
Pontos
394
Foda é ver pessoal aqui postando "e daí". Por isso que as coisas tão como tão. Pessoal só olha o proprio umbigo mesmo.
 

Coffinator

Mil pontos, LOL!
Mensagens
61.454
Reações
170.278
Pontos
1.029
Provavelmente ataque cardíaco. Alguém deveria ter tentado manobras pelo menos.
 

Resu Anera

Bam-bam-bam
Mensagens
9.227
Reações
16.649
Pontos
454
Me desculpe o OP, mas sempre que vejo o nome dessa faculdade me vem à cabeça que os alunos são todos assim:

 

Haagenti

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
38.279
Reações
48.704
Pontos
762
Gente, acordei hoje com o "ZapZap'' apitando aqui, fui ver e era o pessoal que estuda comigo a noite comentando que hoje pela manhã, cerca de 8hrs morreu uma aluna no bloco de arquitetura e urbanismo lá na faculdade, achei que fosse fake, mas foram saindo as notícias e eu fiquei meio que abismado como que a história aconteceu, saquem só.

"Os colegas da acadêmica de arquitetura e urbanismo, Alana Cristina dos Santos, de 18 anos, que morreu na manhã desta quarta-feira (19) no pátio da Anhanguera-UNIDERP, em Campo Grande, acusam os funcionários da universidade localizada na Avenida Ceará, de 'falta de sensibilidade'. Além disso, denunciam que houve falta de assistência no socorro.

Catielly Tupim, de 18 anos, uma das amigas disse que as aulas do curso continuaram normalmente. “Ela passou mal dentro do bloco de arquitetura e urbanismo, onde estudamos, e em vez dos funcionários ajudarem, eles simplesmente continuaram normalmente as aulas, uma verdadeira falta de sensibilidade. Além disso, houve a demora no socorro, uma falta de assistência da universidade em fazer algo”.
Entenda o caso

A acadêmica de arquitetura e urbanismo, Alana, morreu depois de sofrer um mal súbito, por volta das 8h30, dentro da uma universidade onde estuda. Localizada. O curso de medicina da própria universidade, assim como o Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência) foram avisados sobre o atendimento a jovem. Alana se sentiu mal, tentou se escorar na parede, mas caiu.

Ela bateu a cabeça no chão e teve convulsões no corredor do bloco IV, do seu curso.
Mesmo a jovem caída, aulas continuaram normalmente e apenas duas colegas dela ficaram no local cuidando de Alana.
O curso de medicina demorou meia hora para sair de um bloco para o outro, dentro da mesma universidade. Já a equipes do Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência) chegaram ao local após quarenta minutos. Eles tentaram reanimar a jovem, mas ela não resistiu."

Link: http://www.midiamax.com.br/noticias/901420-colegas academica morreu patio uniderp reclamam falta assistencia.html#.Uym6Gld8qRt

Caras, tipo, o bloco de medicina é embaixo do meu [Direito], como diabos eles demoraram meia hora pra fazer uma porra de uma viagem de 10 minutos? E o pior, como caralhos um educador mongol deste continuou a porra da aula com a aluna lá estrebuchando no chão? put* que pariu.
Problema encontrado.
 

Lord Rato

Bam-bam-bam
Mensagens
4.469
Reações
2.609
Pontos
364
Meu irmão passou mal na faculdade ano passado, ele tem pedras nos rins/visícula e desmaiou durante uma aula, claro que é um caso bem mais simples, mas ele foi atendido no bloco de enfermagem da faculdade e posteriormente levado para o hospital pelo pessoal da SAMU, o professor que dava aula para ele levou ele para a enfermagem e ficou com ele até ele sair e ir para o hospital, inclusive no fim do dia ele se prontificou a levar meu irmão em casa no carro dele (60 quilômetros distante).
 

konuhi

Bam-bam-bam
Mensagens
2.532
Reações
2.004
Pontos
214
Me desculpe o OP, mas sempre que vejo o nome dessa faculdade me vem à cabeça que os alunos são todos assim:
porra, eu preciso ter um diploma na Uniderp.
Sacanagem, quando a Anhanguera comprou essa desgraça, deviam ter mudado o nome, mas mantiveram e juntaram ainda, ficou pior. "Anhanguera Uniderp", agora é Croton Anhanguera Uniderp, cada hora vai virando uma coisa mais rebelde. Foda, ueahuheuaheuae.

Aqui tem novas notícias sobre o caso, chegou a ficar feio pro Samu da cidade aqui.

A morte da acadêmica do curso de Arquitetura, Alana Cristina dos Santos, 18 anos, gerou indignação de muitos estudantes da Anhanguera Uniderp, localizada na rua Ceará, em Campo Grande, na manhã desta quarta-feira (19). Com a jovem convulsionando e, em seguida desmaiada, eles ligaram para o socorro médico e reclamaram da demora no atendimento, além da falta de socorristas no local.

“O tempo de espera da chegada do socorro foi de 40 minutos. Nós tentamos ajudar, assim que ela falou que estava passando mal e começou a convulsionar, mas o professor chegou a falar para não ficar muita muvuca em cima dela, porque assim que acordasse, sentiria vergonha”, disse a acadêmica Katielly Pupin, de 18 anos, colega de sala da jovem que morreu.
Outra acadêmica da sala, que pediu para não ser identificada, falou sobre a falta de socorristas na unidade. “Demorou um tempo para chegarem duas profissionais da Policlínica, sendo que deveríamos ter um médico de plantão. É uma universidade onde milhares de estudantes passam diariamente, um absurdo acontecer isso”, lamenta a estudante.
Amiga da mesma igreja que a jovem frequenta, a Congregação Cristã do Brasil, no bairro Coronel Antonino, Juliana Leite, 22, contou que Alana sentia dores há algum tempo. “A mãe acabou de dizer lá dentro que ela reclamava de dores no peito, que fez vários exames na rede pública e nada foi diagnosticado”, relatou. A mulher ainda teria dito que ia guardar dinheiro para levar a filha a um médico particular, pois Alana manteve a reclamação de dores no peito.

Continuidade na aula - Enquanto a jovem era atendida, a aula de geometria descritiva prosseguiu, conforme os estudantes. “O professor primeiro questionou se ela tinha plano de saúde e, depois que o socorro chegou, vi eles buscarem oxigênio duas vezes. Como ela não voltava, mandaram que a gente saísse da sala”, afirmou Katielly.

Chamado – Segundo o coordenador do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), André Barros, Alana recebeu o atendimento de um socorrista e uma técnica de enfermagem. “Nós colocamos esse atendimento no código máximo de prioridade, antes mesmo da segunda ligação em que a pessoa falava sobre a situação dela, corroborando a consciência. Então tudo o que tinha necessidade foi feito”, disse o profissional em entrevista.

Segundo a assessoria, o relatório vai verificar itens como o horário da ligação e o tempo de socorro. A Sesau lamenta a morte. Por coincidência, o novo titular da Sesau, Jamal Salém (PR), estava na instituição de ensino. “Estava em uma reunião no prédio da Uniderp e vi o Samu atendendo essa moça”, comentou, durante entrevista coletiva.
Sindicância – Neste mês, a Sesau abriu sindicância para apurar o procedimento do serviço no pedido de atendimento para um menino de 8 anos. A família de Heber Caio Ribeiro relata que ligou para o Samu e Corpo de Bombeiros.
O Samu classificou que o caso não era grave. Já os bombeiros informaram não dispor de viatura. O menino foi levado por vizinhos ao posto de saúde do Tiradentes, mas morreu vítima de choque anafilático.
Pró-reitor da Uniderp, Ivo Busato afirmou que são 14 mil estudantes diariamente na unidade da rua Ceará e que foi o primeiro caso de morte. “É rotineiro ter casos de estudantes que passam mal e são levados para hospital, mas nunca nessa gravidade. Infelizmente, foi uma fatalidade”, disse. As aulas voltam ao normal amanhã.
http://www.campograndenews.com.br/cidades/capital/academicos-se-revoltam-com-a-falta-de-socorrista-em-universidade
 

Hitokiri-Ken

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
35.091
Reações
26.032
Pontos
899
Continuidade na aula - Enquanto a jovem era atendida, a aula de geometria descritiva prosseguiu, conforme os estudantes. “O professor primeiro questionou se ela tinha plano de saúde e, depois que o socorro chegou, vi eles buscarem oxigênio duas vezes. Como ela não voltava, mandaram que a gente saísse da sala”, afirmou Katielly.
Bom eu só espero que essa cena não tenha sido tão patética quanto o descrito, porque é bizarro...

Aquele lance de CIPA não é obrigatório pra todos os funcionários, não é possível que isso seja uma conduta normal nesses casos.
 

Poperon

Bam-bam-bam
Mensagens
6.034
Reações
3.132
Pontos
434
Galera do bloco de medicina seguindo à risca o know-how de como ser um futuro médico do SUS. Parabéns!
 

-Mauricio

Bam-bam-bam
Mensagens
2.416
Reações
4.917
Pontos
303
Tinha que ser numa universidade huehuehue

Junte o egoísmo dos professores, com a distância da coordenação em relação os alunos e mais a falta de "coleguismo" sério nas universidades.

Em muitas universidades, infelizmente, se você está morrendo, você mesmo se vira. Arrume algum jeito de viver! Para os professores doutores: "virem-se, o problema não é meu, estou aqui para dar aula". Coordenadores? Nunca estão lá, mas quando estão só ficam na coordenação, mas sempre muito ocupados para receber alunos.

É sério... é necessário tomar atitudes cabíveis com quem seria responsável para dar os primeiros socorros a garota. Olhem aí: FUTUROS MÉDICOS BRASILEIROS. Agora esses estudantes de medicina devem ficar calados quanto aos médicos cubanos aqui no Brasil!
 

Shinobi4OS

Ex-doador
VIP
GOLD
Mensagens
34.537
Reações
38.229
Pontos
934
Tinha que ser numa universidade huehuehue

Junte o egoísmo dos professores, com a distância da coordenação em relação os alunos e mais a falta de "coleguismo" sério nas universidades.

Em muitas universidades, infelizmente, se você está morrendo, você mesmo se vira. Arrume algum jeito de viver! Para os professores doutores: "virem-se, o problema não é meu, estou aqui para dar aula". Coordenadores? Nunca estão lá, mas quando estão só ficam na coordenação, mas sempre muito ocupados para receber alunos.

É sério... é necessário tomar atitudes cabíveis com quem seria responsável para dar os primeiros socorros a garota. Olhem aí: FUTUROS MÉDICOS BRASILEIROS. Agora esses estudantes de medicina devem ficar calados quanto aos médicos cubanos aqui no Brasil!

Mais o elitismo da galerinha de medicina

Não sei porque eles tem que se sentir superiores a tudo e a todos pqp
 

chessgx

Bam-bam-bam
Mensagens
2.652
Reações
2.939
Pontos
319
Me sinto uma pessoa ruim por não ficar afetado por pessoas morrendo ao meu redor. Ano passado meus avós maternos e meu irmão morreram, minha mãe ficou destruída, eu não derramei uma lágrima.

Só imagino a dor da família, 18 anos, deve ter acabado de entrar na universidade.
 

-Mauricio

Bam-bam-bam
Mensagens
2.416
Reações
4.917
Pontos
303
Mais o elitismo da galerinha de medicina

Não sei porque eles tem que se sentir superior a tudo e a todos pqp
kkkk realmente

Mas dá para entender...

Os pais sempre insistem para os filhos serem médicos. Quando os filhos estão no ensino médio e querem cursar medicina os pais prometem um carro. O playboy ou patricinha passa numa dessas particulares e cursa, primeiramente, para os pais babarem o ovo, depois para ganhar "moral perante a sociedade", né? Já que se você fala que é médico muitos indivíduos se "ajoelham" aos seus pés. Depois veem seus colegas intelectuais ganhando 20 mil por mês... aí que não saem do curso nunca!
 
Topo