O que há de Novo?
  • Anunciando os planos GOLD no Fórum Outer Space
    Visitante, agora você pode ajudar o Fórum Outer Space e receber alguns recursos exclusivos, incluindo navegação sem anúncios e dois temas exclusivos. Veja os detalhes aqui.

Metacritic: SEGA é a publisher do ano. Ranking de publishers + pontuações

Takayuki Yagami

Bam-bam-bam
Mensagens
7.760
Reações
15.879
Pontos
353


Coincidentemente, meus 2 jogos favoritos de 2020 foram da SEGA (Persona 5 Royal e Yakuza: Like a Dragon) e ainda tenho que jogar o 13 Sentinels, Catherine Full Body, Football Manager, Two Point Hospital, etc.

Ranking:

SEGA: 327.2
2° Annapurna Interactive: 322.9
3° Capcom: 313.8
4° Sony: 308.6
5° Activision Blizzard: 306.6
6° Microsoft: 293.3
7° Aksys Games: 290.0
8° No More Robots: 287.2
9° Nintendo: 284.7
10° Devolver Digital: 271.0
11° Square Enix: 270.6
12° Xseed/Marvelous: 269.2
13° 505 Games: 267.0
14° Ubisoft: 266.0
15° Focus Home Interactive: 265.9
16° Bethesda: 265.4
17° Team17: 264.0
18° Humble Bundle: 263.5
19° Sold Out: 253.1
20° Raw Fury: 251.8
21° Electronic Arts: 249.5
22° Take-Two Interactive: 247.1
23° Koch Media: 243.8
24° NIS America: 243.7
25° SNK: 243.4

Ranking completo detalhado:

178565
178566



OBS: a polonesa bugada e enganadora ficou fora do Top 40.

Jogo do ano do site foi o Persona 5 Royal:

178569


Eu pessoalmente nem entro nesse Metacritic, só postei porque vi no Twitter da SEGA.
 


The Almighty

Veterano
Mensagens
450
Reações
649
Pontos
113
Sega, Sony e Microsoft, para quem não quer entrar no site.

178573

178574

178575


Como não acompanho muito nota de jogo, fiquei encabulado com o ranking do ano passado da Sony. Ou não teve muito jogo lançado ou foi porque as outras publishers tiveram um resultado melhor (Apesar que a Microsoft tá na frente).

EDIT.: Olhei aqui e foi por causa de um ano fraco mesmo, o que mais faria sentido.. O jogo mais famoso foi Death Stranding e pegou uma nota relativamente ruim, sendo a maior nota para a Sony o jogo MBL The Show 19
 
Ultima Edição:

Takayuki Yagami

Bam-bam-bam
Mensagens
7.760
Reações
15.879
Pontos
353
Eu achava que o Streets of Rage 4 tinha sido publicado pela SEGA, mas pelo que vi aqui foi a própria Dotemu :kpensa
 

Majima-San

Bam-bam-bam
Mensagens
4.424
Reações
12.134
Pontos
303


Coincidentemente, meus 2 jogos favoritos de 2020 foram da SEGA (Persona 5 Royal e Yakuza: Like a Dragon) e ainda tenho que jogar o 13 Sentinels, Catherine Full Body, Football Manager, Two Point Hospital, etc.

Ranking:

SEGA: 327.2
2° Annapurna Interactive: 322.9
3° Capcom: 313.8
4° Sony: 308.6
5° Activision Blizzard: 306.6
6° Microsoft: 293.3
7° Aksys Games: 290.0
8° No More Robots: 287.2
9° Nintendo: 284.7
10° Devolver Digital: 271.0
11° Square Enix: 270.6
12° Xseed/Marvelous: 269.2
13° 505 Games: 267.0
14° Ubisoft: 266.0
15° Focus Home Interactive: 265.9
16° Bethesda: 265.4
17° Team17: 264.0
18° Humble Bundle: 263.5
19° Sold Out: 253.1
20° Raw Fury: 251.8
21° Electronic Arts: 249.5
22° Take-Two Interactive: 247.1
23° Koch Media: 243.8
24° NIS America: 243.7
25° SNK: 243.4

Ranking completo detalhado:

Visualizar anexo 178565
Visualizar anexo 178566



OBS: a polonesa bugada e enganadora ficou fora do Top 40.

Jogo do ano do site foi o Persona 5 Royal:

Visualizar anexo 178569


Eu pessoalmente nem entro nesse Metacritic, só postei porque vi no Twitter da SEGA.

Sega né pai, não tem pra onde, Yakuza é um negócio de loko, Persona, 13 Sentinels, um luxo, mas esse ranking tem critérios abstratos e arbitrários, ao atribuir elementos de média às pontuações.


E média nunca ensejaria o adjetivo quisto, e sim número absoluto de lançamentos individuais e seus respectivos scores. Exemplo, é melhor uma publisher que lança 100 games por ano, 10 jogos 90+, 30 jogos 80+, e 60 jogos de outros scores, do que uma que lança 20 games por ano, 15 jogos 90+ e 5 jogos 80+, porque, além de ter 10 games na cabeceira, a primeira pub tem 30 muito bons, e ainda há 60 obras que podem ser aproveitadas de alguma forma. Videogame não é nota de prova pra concurso público, o que interessa é o número absoluto total de jogos lançados, e o número de bons games nesse meio


Outra coisa é que o ranking soma pontos para Multiple Releases, ou seja, Yakuza vai ser computado pra PS4, PS5, Series X, Xbox One e PC, por exemplo, e se uma dessas versões, mesmo que tenha poucas avaliações, pega 90+ (Yakuza 0 pra XBox One por exemplo tem 90, foi lançado em 2020, mas possui muito menos reviews que a versão original, do PS4, que tem 86), ela recebe os 5 pontos de bônus da regra. Publsihers multiplataforma não competem portanto em pé de igualdade com publishers de um console só (vale para a Microsoft, que é multi full hoje em dia) Ademais, a lista da Deusa (Sega) está inflada por múltiplos releases separados do Sega Ages pra Switch (sabemos que notas de jogos pequenos são overscored no console da Nintendo, fenômeno plenamente observável, dada a escassez de grandes lançamentos na plataforma + o elemento portátil) e por re-releases de diversos games das séries Yakuza para XBox, Vanquish e Bayonetta.


Pondo em prática então, sem citar a Sega, qual a melhor softhouse em 2020, pelo critério do compilado de notas mais confiável e que exclui automaticamente os múltiplos lançamentos (Open), entre as duas abaixo?


1) Capcom:

JOGOS LANÇADOS EM 2020:

  • Resident Evil Resistance: 65
  • Resident Evil 3: 80
  • Shinsekai: 80
  • Mega Man Zero/Dx Legacy Colection: 81
  • Devil May Cry 3 Special Edition: 85
  • Street Fighter V Champion Edition: 79
  • Monster Hunter Iceborne: 89
  • Devil May Cry V Special Edition: 88

ou



2) SONY:

JOGOS LANÇADOS EM 2020:

  • Patapon 2 Remastered: 79
  • MLB 2020: 84
  • Iron Man VR: 74
  • Predator Hunting Grounds: 55
  • Dreams: 89
  • The Last of Us PT II: 93
  • Ghost of Tsushima: 85
  • Spiderman Remastered: 88
  • Spiderman Miles Morales: 85
  • Sackboy A Big Adventure: 81
  • Astro’s Playroom: 84
  • Demon’s Souls: 92
(+ NIOH2: 85, game publicado por ela, que não deveria ser incluído - assim como Dragon Quest XI do Switch não deveria ser incluído na lista da Nintendo, porque é game da Square, e Death Stranding pra PC não deveria ser incluído na lista da 505 Games, e sim na da Sony, já que o game foi lançado em 2020, é IP dela, e o metascore dele nos computadores é 86)


Nítido que a Sony foi uma Softhouse superior à Capcom em 2020, maior número de games lançados (12 vs 8, descontei NiOH 2 e Death Stranding), muito menos velharia (Patapon 2 + Spiderman Remastered vs Coletâneas de Mega Man + DmC 3 do Switch + DmC V do PS5/Series + Street V + Shinsekai de Switch, que é um port de um game para celulares lançado em 2019)


Só porque Predator puxa a média pra baixo, não dá pra caracterizar a Capcom como melhor soft que a Sony em 2020, lançou menos jogos (o único game inédito do ano foi RE3, mesmo assim assinalamos que se trata dum Remake, + a expansão de MH), lançou jogos em geral inferiores, a parada está completamente deturpada pela presença de múltiplos relançamentos em várias plataformas, multiplicando seus scores, e mesmo assim aparece em terceiro nesse ranking.


A Capcom foi uma das piores softhouses do ano 2020, bem pior que a Microsoft por exemplo


Já ouviu falar no ditado que os números mentem? Então, é isso aqui, ninguém consegue montar um argumento capaz de nos convencer que a Capcom foi uma publisher melhor que a Sony em 2020, porque não foi, seu único jogo de destaque foi Iceborne, e seu outro título “inédito”, REMake 3, decepcionou levemente



Ainda assim, é merecido pra Sega.
 
Ultima Edição:

Majima-San

Bam-bam-bam
Mensagens
4.424
Reações
12.134
Pontos
303
Eu achava que o Streets of Rage 4 tinha sido publicado pela SEGA, mas pelo que vi aqui foi a própria Dotemu :kpensa
Saber quem é a publisher de um jogo é inútil justamente por isso.

O que interessa é:

  1. Quem é o dono da IP
  2. Quem é o Developer

Octopath Traveler foi publicado pela Nintendo no Ocidente, e o game é de propriedade da Square, e foi desenvolvido pela Square Division 11 + Acquire.

  1. SOFTHOUSE: SquareEnix
  2. DEVELOPER: SquareEnix codesenvolvido por Acquire
Só precisa fazer menção disso, as publishers variam muito. Pra que saber quem publica?

A Sony publica Call of Duty no Japão, e o game é da Activision, a Nintendo publica Dragon Quest XI, e o game é da Square, a Microsoft publica Sunset Overdrive, e o game é da Insomniac, a Sony publica NIOH 2, e o game é da Koei Tecmo.

Não é porque a Sony executou o ato de prensar e distribuir NiOH 2 é que o game deve entrar na conta da capacidade produtiva dela, trampo vai continuar sendo da Koei Tecmo, mesma coisa SoR 4, pode ter sido o diabo que publicou, é game da Sega
 


Takayuki Yagami

Bam-bam-bam
Mensagens
7.760
Reações
15.879
Pontos
353
Sega né pai, não tem pra onde, Yakuza é um negócio de loko, Persona, 13 Sentinels, um luxo, mas esse ranking tem critérios abstratos e arbitrários, ao atribuir elementos de média às pontuações.


E média nunca ensejaria o adjetivo quisto, e sim número absoluto de lançamentos individuais e seus respectivos scores. Exemplo, é melhor uma publisher que lança 100 games por ano, 10 jogos 90+, 30 jogos 80+, e 60 jogos de outros scores, do que uma que lança 20 games por ano, 15 jogos 90+ e 5 jogos 80+, porque, além de ter 10 games na cabeceira, a primeira pub tem 30 muito bons, e ainda há 60 obras que podem ser aproveitadas de alguma forma. Videogame não é nota de prova pra concurso público, o que interessa é o número absoluto total de jogos lançados, e o número de bons games nesse meio


Outra coisa é que o ranking soma pontos para Multiple Releases, ou seja, Yakuza vai ser computado pra PS4, PS5, Series X, Xbox One e PC, por exemplo, e se uma dessas versões, mesmo que tenha poucas avaliações, pega 90+ (Yakuza 0 pra XBox One por exemplo tem 90, foi lançado em 2020, mas possui muito menos reviews que a versão original, do PS4, que tem 86), ela recebe os 5 pontos de bônus da regra. Publsihers multiplataforma não competem portanto em pé de igualdade com publishers de um console só (vale para a Microsoft, que é multi full hoje em dia) Ademais, a lista da Deusa (Sega) está inflada por múltiplos releases separados do Sega Ages pra Switch (sabemos que notas de jogos pequenos são overscored no console da Nintendo, fenômeno plenamente observável, dada a escassez de grandes lançamentos na plataforma + o elemento portátil) e por re-releases de diversos games das séries Yakuza para XBox, Vanquish e Bayonetta.


Pondo em prática então, sem citar a Sega, qual a melhor softhouse em 2020, pelo critério do compilado de notas mais confiável e que exclui automaticamente os múltiplos lançamentos (Open), entre as duas abaixo?


1) Capcom:

JOGOS LANÇADOS EM 2020:

  • Resident Evil Resistance: 65
  • Resident Evil 3: 80
  • Shinsekai: 80
  • Mega Man Zero/Dx Legacy Colection: 81
  • Devil May Cry 3 Special Edition: 85
  • Street Fighter V Champion Edition: 79
  • Monster Hunter Iceborne: 89
  • Devil May Cry V Special Edition: 88
ou



2) SONY:

JOGOS LANÇADOS EM 2020:

  • Patapon 2 Remastered: 79
  • MLB 2020: 84
  • Iron Man VR: 74
  • Predator Hunting Grounds: 55
  • Dreams: 89
  • The Last of Us PT II: 93
  • Ghost of Tsushima: 85
  • Spiderman Remastered: 88
  • Spiderman Miles Morales: 85
  • Sackboy A Big Adventure: 81
  • Astro’s Playroom: 84
  • Demon’s Souls: 92
(+ NIOH2: 85, game publicado por ela, que não deveria ser incluído - assim como Dragon Quest XI do Switch não deveria ser incluído na lista da Nintendo, porque é game da Square, e Death Stranding pra PC não deveria ser incluído na lista da 505 Games, e sim na da Sony, já que o game foi lançado em 2020, é IP dela, e o metascore dele nos computadores é 86)


Nítido que a Sony foi uma Softhouse superior à Capcom em 2020, maior número de games lançados (12 vs 8, descontei NiOH 2 e Death Stranding), muito menos velharia (Patapon 2 + Spiderman Remastered vs Coletâneas de Mega Man + DmC 3 do Switch + DmC V do PS5/Series + Street V + Shinsekai de Switch, que é um port de um game para celulares lançado em 2019)


Só porque Predator puxa a média pra baixo, não dá pra caracterizar a Capcom como melhor soft que a Sony em 2020, lançou menos jogos (o único game inédito do ano foi RE3, mesmo assim assinalamos que se trata dum Remake, + a expansão de MH), lançou jogos em geral inferiores, a parada está completamente deturpada pela presença de múltiplos relançamentos em várias plataformas, multiplicando seus scores, e mesmo assim aparece em terceiro nesse ranking.


A Capcom foi uma das piores softhouses do ano 2020, bem pior que a Microsoft por exemplo


Já ouviu falar no ditado que os números mentem? Então, é isso aqui, ninguém consegue montar um argumento capaz de nos convencer que a Capcom foi uma publisher melhor que a Sony em 2020, porque não foi, seus único jogo de destaque foi Iceborne, e seu outro título “inédito”, REMake 3, decepcionou levemente



Ainda assim, é merecido pra Sega.
Vale lembrar que a Square Enix também lançou vários ports e mesmo assim não entrou no Top 10.
Saber quem é a publisher de um jogo é inútil justamente por isso.

O que interessa é:

  1. Quem é o dono da IP
  2. Quem é o Developer
Octopath Traveler foi publicado pela Nintendo no Ocidente, e o game é de propriedade da Square, e foi desenvolvido pela Square Division 11 + Acquire.

  1. SOFTHOUSE: SquareEnix
  2. DEVELOPER: SquareEnix codesenvolvido por Acquire
Só precisa fazer menção disso, as publishers variam muito. Pra que saber quem publica?

A Sony publica Call of Duty no Japão, e o game é da Activision, a Nintendo publica Dragon Quest XI, e o game é da Square, a Microsoft publica Sunset Overdrive, e o game é da Insomniac, a Sony publica NIOH 2, e o game é da Koei Tecmo.

Não é porque a Sony executou o ato de prensar e distribuir NiOH 2 é que o game deve entrar na conta da capacidade produtiva dela, trampo vai continuar sendo da Koei Tecmo, mesma coisa SoR 4, pode ter sido o diabo que publicou, é game da Sega
Concordo.
 

Ultima Weapon

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
20.007
Reações
20.597
Pontos
629
Grande coisa, deve ganhar todo ano, atualmente é tipo os EUA Olímpico no basquete.

Ou alguém aqui duvidava que a SEGA é a melhor empresa do mercado?
Depois lança o Dreamcast 2 e aparece alguém com um "nossa, que surpresa hein" sendo que tá caindo de maduro.

Enviado de meu Redmi 7 usando o Tapatalk
 

Link_1998

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
20.129
Reações
20.873
Pontos
649
Vamos covir que ela tá gozando com o pau da Atlus... Se dependesse da Sega vergonhosa que temos hoje a coisa ficaria bem feia ( Apesar que o estúdio do Yakuza é o último sopro de vida lá dentro em meio aos pachinkos ). É até bem triste lembrar como ela foi a única até hoje que batia de frente com a Nintendo em desenvolvimento de jogos...


Masss... acho que é melhor ela financiando grandes jogos do que virar uma Konami que só financia vício de véio japonês...
 

Danilo Souza

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
24.430
Reações
34.088
Pontos
594
Sega, Sony e Microsoft, para quem não quer entrar no site.

Visualizar anexo 178573

Visualizar anexo 178574

Visualizar anexo 178575


Como não acompanho muito nota de jogo, fiquei encabulado com o ranking do ano passado da Sony. Ou não teve muito jogo lançado ou foi porque as outras publishers tiveram um resultado melhor (Apesar que a Microsoft tá na frente).

EDIT.: Olhei aqui e foi por causa de um ano fraco mesmo, o que mais faria sentido.. O jogo mais famoso foi Death Stranding e pegou uma nota relativamente ruim, sendo a maior nota para a Sony o jogo MBL The Show 19
Esse MP do Predador fodeu a média da Sony em 2020.
 

Snake-Eyes

Bam-bam-bam
Mensagens
16.904
Reações
7.308
Pontos
459
Segundo Matematico, essa lista esta fraudada. Nunca que a Sony estaria acima da Microsoft em alguma coisa.
E ele ta certo.
E quando é a Nintendo levantar vale né meu usuário vermelho (não roxo).
Sempre critiquei esse site, e depois do escandalo de Final Fantasy 15 nem tem como dar ibope a esa m****.
 

Takayuki Yagami

Bam-bam-bam
Mensagens
7.760
Reações
15.879
Pontos
353
Yakuzagenerator.exe funcionou bem
Deve estar confundindo com a Ubisoft, a prostituta do mundo dos games e seus lançamentos cada vez mais desalmados, genéricos e com as piores histórias que podemos encontrar nessa mídia.

Esse jogo tem nada a ver com nenhum outro da série. Com nenhum outro jogo, na verdade* é conceitualmente único.

É um trabalho quase artesanal, feito por um estúdio pequeno, mas com muita atenção aos detalhes, o que fica evidente conforme exploramos tudo que Yokohama tem a oferecer.

E mesmo nos lançamentos anteriores teve de tudo: mudança de engine, combate, conteúdo, minigames, perspectivas, etc.
 

Snake-Eyes

Bam-bam-bam
Mensagens
16.904
Reações
7.308
Pontos
459
Que escândalo?
Vamos no contexto inteiro, antes do lancamento de FFXV teve na Espanha o caso dos ''maletines'' (que seriam pequenas malas cheias de dinheiro) que a imprensa especializada recebia la pra falar bem de alguns jogos ou companhias, principalmente da Sony.
Teve um cara (que nao lembro o nome agora nem do site dele) que atacaou o denunciante dos maletines ate mais nao poder, perseguicao no tweeter ect.
Dai esse mesmo cara na epoca e lancamento do FFXV faz o review e da uma nota de um 89 ao jogo. O que fez que que a Sony e a Square presionasem para tirar o site das notas do metacritic pra nao baixar a nota. Dai esse cara que tanto negou os maletines na epoca, admitiu que nao receberam nada pra falar bem do jogo e por isso eles nao deram uma nota igual aos que sim receberam e tavam sendo presionados pelo Metacritic pra mudar a nota.
 

ShadowLord

Supra-sumo
Mensagens
1.063
Reações
1.490
Pontos
178
Vamos no contexto inteiro, antes do lancamento de FFXV teve na Espanha o caso dos ''maletines'' (que seriam pequenas malas cheias de dinheiro) que a imprensa especializada recebia la pra falar bem de alguns jogos ou companhias, principalmente da Sony.
Teve um cara (que nao lembro o nome agora nem do site dele) que atacaou o denunciante dos maletines ate mais nao poder, perseguicao no tweeter ect.
Dai esse mesmo cara na epoca e lancamento do FFXV faz o review e da uma nota de um 89 ao jogo. O que fez que que a Sony e a Square presionasem para tirar o site das notas do metacritic pra nao baixar a nota. Dai esse cara que tanto negou os maletines na epoca, admitiu que nao receberam nada pra falar bem do jogo e por isso eles nao deram uma nota igual aos que sim receberam e tavam sendo presionados pelo Metacritic pra mudar a nota.
Isso daí é normal nessa indústria. Ou você realmente acha que The Last of Us 2 foi o melhor do ano sem que cheques fossem assinados?

O Geoff Keighley é um mercador de troféus e cambista de terno.
 

Link_1998

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
20.129
Reações
20.873
Pontos
649
Vamos no contexto inteiro, antes do lancamento de FFXV teve na Espanha o caso dos ''maletines'' (que seriam pequenas malas cheias de dinheiro) que a imprensa especializada recebia la pra falar bem de alguns jogos ou companhias, principalmente da Sony.
Teve um cara (que nao lembro o nome agora nem do site dele) que atacaou o denunciante dos maletines ate mais nao poder, perseguicao no tweeter ect.
Dai esse mesmo cara na epoca e lancamento do FFXV faz o review e da uma nota de um 89 ao jogo. O que fez que que a Sony e a Square presionasem para tirar o site das notas do metacritic pra nao baixar a nota. Dai esse cara que tanto negou os maletines na epoca, admitiu que nao receberam nada pra falar bem do jogo e por isso eles nao deram uma nota igual aos que sim receberam e tavam sendo presionados pelo Metacritic pra mudar a nota.

Talvez, isso explique a razão do jogador Leonardo ter declarado a seguinte frase:
"Se as pessoas soubessem o que aconteceu na Copa do Mundo, ficariam enojadas".
Todos os brasileiros ficaram chocados e tristes por terem perdido a Copa do Mundo de futebol, na França. Não deveriam.
O que está exposto abaixo é a notícia em primeira mão que está sendo investigada por rádios e jornais de todo o Brasil e alguns estrangeiros, mais especificamente Wall Street Journal of America e o Gazzeta dello Sport e deve sair na mídia em breve, assim que as provas forem colhidas e confirmarem os fatos.
Fato comprovado:
O Brasil VENDEU a Copa do Mundo para a Fifa. Os jogadores titulares brasileiros foram avisados, às 13:00 do dia 12 de julho (dia do jogo final), em uma reunião envolvendo o Sr. Ricardo Teixeira (na única vez que o presidente da CBF compareceu a uma preleção da seleção), o técnico Mário Zagallo, o Sr. Américo Faria, supervisor da seleção, e o Sr. Ronald Rhovald, representante da patrocinadora Nike. Os jogadores reservas permaneceram em isolamento, em seus quartos ou no lobby do hotel. A princípio muito contrariados, os jogadores se recusaram a trocar o pentacampeonato mundial por sediar a Copa do Mundo.
A aceitação veio através do pagamento total dos prêmios, US$70.000,00 para cada jogador, mais um bônus de US$ 400.000,00 para todos os jogadores e integrantes da comissão, num total de US$ 23.000.000,00 vinte e três milhões de dólares) através da empresa Nike.
Além disso, os jogadores que aceitarem o contrato com a empresa Nike nos próximos quatro anos terão as mesmas bases de prêmios que os jogadores de elite da empresa, como o próprio Ronaldo, Raul da Espanha, Batistuta da Argentina e Roberto Carlos, também do Brasil.
Mesmo assim, Ronaldo se recusou a jogar, o que obrigou o técnico Zagallo a escalar o jogador Edmundo, dizendo que Ronaldo estava com problemas no joelho esquerdo (em primeira notícia divulgada às 13h30 no centro de imprensa) e, logo depois, às 14h15, alterando o prognóstico para problemas estomacais).
A sua situação só foi resolvida após o representante da Nike ameaçar retirar seu patrocínio vitalício ao jogador, avaliado em mais de US$90.000.000,00 (noventa milhões de dólares) ao longo da sua carreira.
Assim, combinou-se que o Brasil seria derrotado durante a prorrogação, porém a apatia que se abateu sobre os jogadores titulares fez com que a França, que absolutamente não participou desta negociação, marcasse, em duas falhas simples do time brasileiro, os primeiros gols.
O Sr. Joseph Blatter, novo presidente da Fifa, cidadão franco-suíço, aplaudiu a colaboração da equipe brasileira, uma vez que o campeonato mundial trouxe equilíbrio à França num momento das mais altas taxas de desemprego jamais registradas naquele país, que serão agravadas pela recente introdução do euro (moeda única europeia) e o mercado comum europeu (ECC).
Garantiu, também, ao Sr. Ricardo Teixeira, através de seu tio, João Havelange, que o Brasil teria seu caminho facilitado para o pentacampeonato de 2002.
Por gentileza passem esta mensagem para o maior número possível de pessoas, para que todos possam conhecer a sujeira que ronda o futebol! Desde, já agradeço. Um abraço.

Gunther Schweitzer
Central Globo de Jornalismo
 

Queiroga'

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
14.744
Reações
17.316
Pontos
629
O ranking do ano passado para quem se interessar:

1 - 505 Games
2 - Activision-Blizzard
3 - Nintendo
4 - Paradox Interactive
5 - Capcom
6 - Annapurna
7 - Xbox Game Studios
8 - Humble Bundle
9 - Square Enix
10 - Devolver
18 - Sega
22 - Sony

 

Master Chief BR

Losing like a PRO!
VIP
Mensagens
6.952
Reações
15.503
Pontos
353
Deve estar confundindo com a Ubisoft, a prostituta do mundo dos games e seus lançamentos cada vez mais desalmados, genéricos e com as piores histórias que podemos encontrar nessa mídia.

Esse jogo tem nada a ver com nenhum outro da série. Com nenhum outro jogo, na verdade* é conceitualmente único.

É um trabalho quase artesanal, feito por um estúdio pequeno, mas com muita atenção aos detalhes, o que fica evidente conforme exploramos tudo que Yokohama tem a oferecer.

E mesmo nos lançamentos anteriores teve de tudo: mudança de engine, combate, conteúdo, minigames, perspectivas, etc.
Confundi não.
 

Tacrovy

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
16.110
Reações
42.690
Pontos
584
E ele ta certo.

Sempre critiquei esse site, e depois do escandalo de Final Fantasy 15 nem tem como dar ibope a esa m****.




no mais ranking sem sentido nenhum, a começar por que pegam jogos publicados em varias plataformas e o meta tem tipo, 5-10 reviews.
sendo que sempre em vários reviews tem uma plataforma que usam pra base de ánalise.
Mas se gera choro como o do fanboy acima ta valendo :klol
 

Skinner Sweet

Bam-bam-bam
Mensagens
2.668
Reações
4.584
Pontos
303
Vamos no contexto inteiro, antes do lancamento de FFXV teve na Espanha o caso dos ''maletines'' (que seriam pequenas malas cheias de dinheiro) que a imprensa especializada recebia la pra falar bem de alguns jogos ou companhias, principalmente da Sony.
Teve um cara (que nao lembro o nome agora nem do site dele) que atacaou o denunciante dos maletines ate mais nao poder, perseguicao no tweeter ect.
Dai esse mesmo cara na epoca e lancamento do FFXV faz o review e da uma nota de um 89 ao jogo. O que fez que que a Sony e a Square presionasem para tirar o site das notas do metacritic pra nao baixar a nota. Dai esse cara que tanto negou os maletines na epoca, admitiu que nao receberam nada pra falar bem do jogo e por isso eles nao deram uma nota igual aos que sim receberam e tavam sendo presionados pelo Metacritic pra mudar a nota.
Procurei e não achei nada sobre isso , pode me indicar alguma fonte ?

E a square queria tirar uma nota 89 da média do jogo? ff xv tem média 81 no metacritic , com várias notas na casa dos 70,um 89 aumentaria a média.
 
Topo