O que há de Novo?
  • Novo tema VIP está disponível
    Visitante, um novo tema com fundo escuro agora está disponível para aqueles que contribuíram com doações ao fórum e têm o status VIP. Veja os detalhes aqui.


Sobre punições e banimentos recentes.

Status
Não está aberto para novas respostas.

Hiperbrain

Ei mãe, 500 pontos!
VIP
Mensagens
10.886
Reações
39.389
Pontos
634
As recentes discussões no fórum propiciaram exercício civilizatório dos mais difíceis: opinar e saber discordar ou criticar sem ofender, agredir, excluir, censurar, evitando entender a oportunidade de debate como uma busca pessoal e impositiva. As discussões no fórum apenas refletem fatos da realidade, cujos debates e polêmicas encontram os mais diversos lugares físicos e virtuais, cada um com os seus próprios limites ou regras, subjetivas ou formalizadas e expressas.

O fórum é um canal pelo qual são trazidos fatos da realidade prática com o objetivo de apreciação opinativa pela comunidade. É de extrema importância considerar a natureza originária desses fatos e sob quais aspectos serão analisados.

Por exemplo, digamos que o tema escolhido seja o Nazismo, cujo termo já abriga riquíssima conceituação filosófica, semântica e intelectual no sentido de agregar tanto consensos universais [como o fato de odiarem e exterminarem judeus] como discordâncias clássicas [quanto à sua essência política].

Por óbvio, qualquer usuário que traga o tema ao fórum promovendo ou exaltando o ódio nazista e suas diretrizes discriminatórias, racistas e de eficácia assassina será imediatamente banido tão logo se tome conhecimento de tal conteúdo.

Por outro lado, qualquer usuário que traga o mesmo tema ao fórum com a proposta de debatê-lo motivado por curiosidades históricas, crítica, comparações político-analíticas, discussões filosóficas ou mera iniciativa didática não será repreendido e deve ter a sua proposta de discussão respeitada. Em nenhuma dessas propostas deve haver lugar para a ação descrita no parágrafo anterior.

Vê-se claramente que quaisquer fatos tipificados e definidos como CRIME não podem ser trazidos ao fórum para ser exaltados, promovidos ou expostos de forma explícita [gore, porn, nudez infantil, etc]. Se a Justiça irá considerar as obras e performances artísticas promovidas pelo Santander e pelo MAM como práticas de crime por si só, isso é outra história e não há ainda trânsito em julgado:

http://cultura.estadao.com.br/noticias/artes,ministerio-publico-de-sp-abre-inquerito-sobre-exposicao-do-mam,70002021866

O fato é que mesmo se tais apresentações acabarem sendo sentenciadas como prática de algum tipo de crime, não terão sido assim consideradas em tempo anterior, quando foram trazidas a este fórum ou a qualquer outro lugar para discussão. Tanto é verdade que nenhuma das pessoas diretamente envolvidas na apresentação e organização do evento foram presas imediatamente sob o flagrante de estarem praticando algum tipo de CRIME, o que pode acontecer normalmente com atos mais corriqueiros de violência como assaltos, estupros, sequestro, etc.

Nenhum usuário será avaliado ou reavaliado com base em uma possível condenação ao MAM ou ao Santander por parte das autoridades competentes, que está longe de ser este fórum. Como explicado no exemplo do Nazismo, os usuários são avaliados a partir da interpretação possível que fazemos do conteúdo virtual que adicionam ao fórum, podendo haver ali intenções ou motivações convictas ou dedutíveis.

DA NATUREZA ORIGINÁRIA DO FATO

Como dito, o fórum apenas reflete fatos e discussões da realidade prática do mundo e da sociedade. Mas, como surgem estes fatos? Pode ser um assalto à mão armada no Metrô, um relato pessoal sobre o trabalho, uma notícia veiculada em mídias de informação de longo alcance, etc. Não importa. Se o fato, na sua origem, produziu campo abstrato ao debate de um mérito, foi porque um contraditório de alguma forma se mostrou possível ou permissível. Sem um contraditório, não há como haver debate do mérito. Na prática:

Fato: um cliente xinga uma atendente negra de uma loja de “macaca fedorenta”, e ainda tenta justificar dizendo que negros são “sujos”.

Nesse caso, fica extremamente difícil tentar justificar ou apresentar um contraditório defendendo o preconceito. Não tem como haver debate. É racismo. É crime. O fato não produz campo abstrato para um debate válido [no sentido de defender racismo], muito embora o assunto possa ser trazido a uma discussão em que dificilmente haverá “lados” a menos que haja desvirtuamento ou envolvimento de outras paixões pessoais ou ideológicas.

Fato: um indivíduo homossexual é impedido de se hospedar em um hotel sob a alegação de que tentaria seduzir outros hóspedes e “tumultuaria” a ordem do local.

Novamente, uma questão de
mérito limitado. Fica muito difícil propor um contraditório defendendo a discriminação. É preconceito com base em aparência e orientação sexual. É crime. O fato não produz campo abstrato para um debate válido* [no sentido de defender preconceito], muito embora o assunto possa ser trazido a uma discussão em que dificilmente haverá “lados” a menos que haja desvirtuamento ou envolvimento de outras paixões pessoais ou ideológicas.

*Nota: Quando falo sobre "debates válidos" me refiro a possíveis contraditórios que NÃO coadunam com méritos de consenso universal mais agudamente negativos para cada caso. Nos dois casos acima, os exemplos de méritos que não seriam aceitos para um debate válido são 'defender racismo' e 'defender preconceito', respectivamente. Méritos válidos podem até mesmo questionar os termos de uma lei, mesmo porque questionar uma lei, seu objetivo e resultados, não é crime.

Fato: Museu de Arte Moderna de São Paulo – MAM, promove performance artística em que um artista manipula [nu] uma réplica de plástico de uma das esculturas inspiradas em obra da pintora e escultora Lygia Clark e se coloca vulnerável e entregue à performance artística, convidando o público [incluindo crianças] a fazer o mesmo com ele, o que inclui tocá-lo e manipulá-lo.

O fato acima, na sua origem, foi planejado e concebido como uma apresentação artística "legal", promovida por instituição idônea e teoricamente dentro da lei. Os efeitos imediatos do fato causaram DUAS reações:

- A primeira, vinda de muitos que já aguardavam pelo evento e compareceram "in loco" para apreciá-lo, considerando a performance basicamente como mera possibilidade de expressão artística. Igualmente pensaram outros que tomaram conhecimento depois, por meio da mídia, comparecendo espontaneamente ao local ou por meio da repercussão que se sucedeu posteriormente.

- A segunda reação veio obviamente de pessoas que não aguardavam pelo evento e que em sua maioria tomaram conhecimento do fato por intermédio da enorme repercussão midiática que se formou a partir de outras pessoas que igualmente desaprovaram a dita apresentação como forma de arte ou qualquer coisa positiva.

Em pouco tempo, estavam todas essas pessoas misturadas, em protestos na entrada do local, reportagens na tevê e, claro, dispersas em discussões nas redes sociais, formando o que podemos chamar de DEBATE PÚBLICO.

Nesse caso, o fato produziu campo abstrato a um debate válido do mérito porque uma espécie de contraditório de alguma forma se mostrou possível ou permissível desde o início. Sem um contraditório, não há como haver debate do mérito. Não é o fórum Outerspace que irá proibir um assunto proveniente de um DEBATE PÚBLICO, sucumbindo à pressão de usuários que tentam impor, DE ANTEMÃO, que o fato originário é crime claro e tipificado e que qualquer opinião fundada no contraditório é igualmente criminosa.

Insinuar ou acusar o fórum e seus moderadores de favorecer ou proteger crime, além de incabível, é por demais desonesto, visto as punições recentes aplicadas pelo fórum, proibindo justamente qualquer indício de exposição ou nudez infantil e banindo os seus agentes. Em nenhum momento o fórum bloqueou a ferramenta de report para que abusos ou eventuais suspeitas de crime ou apologia a crime fossem denunciadas pelos usuários. Não recebemos nenhuma denúncia reportando crime de Pedofilia ou apologia à Pedofilia [nestes termos].

No entanto, inúmeros usuários viciados nesta discussão transformaram o fórum num verdadeiro Tribunal Criminal, se valendo justamente da acusação de Pedofilia ou apologia à Pedofilia para taxarem outros usuários de “defensores de pedófilo” ou mesmo insinuar que sejam mal intencionados ou “abusadores”, tumultuando e extinguindo qualquer possibilidade de o assunto alcançar um debate produtivo e civilizado. Vejo tal atitude de não reportar “x” enquanto se acusa o outro exatamente de uma conduta “x” [que seria totalmente condenável pelo fórum] como calculado insuflamento de rixas e meticulosidade passional.

O PARADOXO

Não deixa de ser notório que
o assunto tenha sido estimulado e trazido ao fórum várias vezes justamente por aqueles que não aceitam debater... o assunto! Desde os primeiros tópicos trancados pela Moderação por evidente impossibilidade de diálogo, punições e banimentos, até o tópico maior e mais recente [que acabou também sendo trancado] vimos uma quantidade considerável de usuários impondo que tal evento artístico foi um crime concreto e que não deve nem ser discutido.

Ok, “não deve nem ser discutido” é uma opinião de seu direito. Só lembro que você está num fórum. De discussão. Com regras. Você pode ser o primeiro a “nem discutir” não postando, não fazendo tópico, não acessando o fórum.

Você quer realmente debater um assunto de forma propositiva ou apenas participar de uma reunião de concordantes, onde, juntos, possam, livre e publicamente, acusar, julgar e condenar nominalmente qualquer possível discordante? Se você quiser debater um assunto em local onde absolutamente todos concordam com você, por gentileza, não procure um fórum de debates. Procure um clube ideológico fechado, um blog, talvez. Qual é o sentido em trazer a este espaço um assunto proveniente de um DEBATE PÚBLICO fundado em fato originário cujos efeitos imediatos geraram DUAS reações diversas se você só aceita discutir 1 lado da questão?

Nessa esteira, como poderia até agora resistir um debate público [extra-fórum] sobre a mesma matéria e tendo o seu "cordão umbilical" ligado ao mesmo fato originário, se este já na sua origem tivesse produzido mérito fulminante que impossibilitasse qualquer forma de contraditório como no caso de claro racismo, estupro, violência, etc. [conforme exemplos deixados no início]?

O fórum é só mais uma minúscula folha atingida por uma chuva muito maior. Absolutamente TODOS os usuários do fórum podem opinar e defender a visão pessoal que quiserem com base em suas percepções, desde que para tal não viole as regras do fórum, não favoreça ou pratique crime. Nenhum usuário ou moderador tem autoridade para calar o debate à força de forma injustificada. Nunca é demais dizer que o debate requer um contraditório, que no caso se mostrou presente desde a origem do fato, que se deu fora do fórum.

Não é aqui que vamos tornar impossíveis debates regularmente possíveis e vigentes fora do fórum, por imposição de usuários que não querem ou não aceitam debater. Ninguém é obrigado a postar em tópico nenhum ou a aceitar a opinião de ninguém. Como um fato como esse, que deflagra um intenso debate popular refletido em diversos meios, será proibido e punido no fórum Outerspace, que é justamente apenas mais um espaço que reflete o que ocorre na sociedade?

A dita “apresentação artística”, embora mereça passar por justa e cuidadosa investigação mais apurada, inclusive pelas autoridades, NÃO FOI CONSIDERADA CRIME NA SUA CONCEPÇÃO PRÁTICA. É claro que a questão está em suspenso e as dúvidas de lado a lado são completamente compreensíveis e coerentes. Se grande parte dos usuários está equivalendo a tal apresentação a estupro e outros crimes claros, é direito de opinião, equivocada ou não. Só não venham esses mesmos usuários, de forma injustificada, apontar o dedo e fazer acusações sérias e graves contra outros usuários e contra a Moderação.

A coisa estava chegando num nível coercitivo e autoritário, e afirmo isso com todo o repúdio que sinto pela tal “apresentação artística” em comento.

Este texto é só um toque, uma conversa franca entre usuários e Moderação.
 
Ultima Edição:


Status
Não está aberto para novas respostas.
Topo