O que há de Novo?
  • Anunciando os planos GOLD no Fórum Outer Space
    Visitante, agora você pode ajudar o Fórum Outer Space e receber alguns recursos exclusivos, incluindo navegação sem anúncios e dois temas exclusivos. Veja os detalhes aqui.

[TÓPICO OFICIAL ELEIÇÕES USA] TRUMP VS BIDEN

Coffinator

Mil pontos, LOL!
Mensagens
61.442
Reações
170.177
Pontos
1.029
Ted Cruz vence caucus em Iowa; comitê de Hillary declara vitória
Hillary e Sanders estavam em virtual empate com 99% dos votos apurados.
EUA começaram processo para escolher candidatos à Presidência.

Do G1, em São Paulo


Ted Cruz sorri ao lado de sua mulher, Heidi, após ser declarado vencedor do caucus republicano em Iowa, na segunda (1º) (Foto: Reuters/Jim Young)


ELEIÇÃO NOS EUA
Quem sucederá Barack Obama?

Ted Cruz saiu na frente na disputa por uma vaga para concorrer à Presidência dos EUA nas eleições de 8 de novembro. Com 28%, ele foi o favorito entre os eleitores republicanos de Iowa, o primeiro estado do país a realizar um caucus, prévia eleitoral em forma de pequenas assembleias comunitárias.

Já a disputa democrata continuava sem decisão oficial às 4h da manhã (8h em Brasília), oito horas após o início da votação. Embora o resultado oficial não tenha sido divulgado, o comitê de campanha de Hillary Clinton comemorava vitória por volta das 7h (horário de Brasília).

Por problemas em dezenas de pontos de votação, a contagem ficou praticamente parada durante horas.

Apesar de Hillary Clinton ter liderado durante toda a apuração, a diferença entre ela e Bernie Sanders, que chegou a ser de mais de 3 pontos, caiu para apenas 0,2%. Às 8h (horário de Brasília), com 99% da apuração concluída Hillary tinha 49,9% e Sanders, 49,6%.

'Conservadores corajosos'
Em seu discurso, Cruz disse que o resultado foi "uma vitória dos conservadores corajosos ao redor do país" e afirmou que não será escolhido pela mídia ou pelos políticos de Washington, mas pelo povo. O pré-candidato disse que o poder não vem de Washington, mas sim de Deus, e criticou duramente o presidente Barack Obama e seus adversários democratas.

Cruz liderou durante toda a apuração, contrariando pesquisas de boca de urna que o colocavam em segundo lugar, atrás de Donald Trump, que ficou com 24%. Mas a maior surpresa do Partido Republicano foi o crescimento de Marco Rubio, que terminou o caucus em terceiro lugar, com 23%, apenas um ponto a menos do que Trump.

Dos 30 delegados republicanos disputados em Iowa, Cruz ficou com oito, enquanto Trump e Rubio garantiram sete cada. Ben Carson, em quarto lugar, ficou com três, e Rand Paul e Jeb Bush, respectivamente quinto e sexto, conquistaram um delegado cada. Três delegados ainda não foram designados. Eles são concedidos de acordo com a proporção de votos em todo o estado.

O Partido Democrata adota um sistema diferente, e os delegados escolhidos agora irão participar de convenções regionais e estaduais para decidir quais deles irão às convenções finais do partido, em julho.


Hillary Clinton acena, ao lado do marido Bill e da filha Chelsea, após o caucus democrata em Iowa, na noite de segunda (1º) (Foto: AP Photo/Patrick Semansky)
Virtual empate

Sem um vencedor ou a possibilidade de fazer qualquer projeção sobre o resultado democrata, Hillary e Sanders discursaram antes do encerramento da contagem, nenhum deles declarando sua vitória.

A pré-candidata preferiu enumerar itens pelos quais promete lutar, como o direito a saúde pública para todos e mais direitos para mulheres, gays, imigrantes e trabalhadores, e disse estar ansiosa para debater com seu colega Bernie Sanders e discutir com ele o melhor para o Partido Democrata e o país. "Juntem-se a mim, vamos ganhar essa nomeação", concluiu.


Bernie Sanders cumprimenta seus eleitores após o caucus democrata de Iowa, na noite de segunda (1º) (Foto: Reuters/Rick Wilking)

Sanders apontou em sua fala o virtual empate, considerado para analistas políticos uma vitória para sua campanha. Ele afirmou que as pessoas de Iowa mandaram uma mensagem profunda aos poderes econômico e político e à mídia. Citando a distribuição desigual da renda nos EUA, ele agradeceu seus pequenos doadores e disse que não quer o dinheiro dos milionários.

Rubio e Trump


Ao lado da mulher e dos filhos, Marco Rubio discursa após a divulgação do resultado do caucus republicano em Iowa, na segunda (1º) (Foto: Reuters/Dave Kaup)

Rubio foi o primeiro a discursar após a divulgação do resultado dos republicanos. Ele cumprimentou Cruz pela vitória, criticou os pré-candidatos democratas e afirmou ter certeza de que será o indicado para concorrer à presidência.

"Por muitos meses disseram que este momento nunca chegaria, e agora estamos aqui", disse, no início de seu discurso.


Donald Trump faz um gesto positivo para seus eleitores após a divulgação do resultado do caucus republicano em Iowa, na noite de segunda (1º) (Foto: Reuters/Jim Bourg)

Na sequência, Trump se disse "honrado" por terminar em segundo e disse que irá continuar lutando para conseguir a indicação. O empresário, visivelmente abalado, também declarou seu amor por Iowa e afirmou que sua campanha continua firme a partir de terça-feira em New Hampshire.

Antes do início da votação, Donald Trump aparecia como favorito nas pesquisas, com 27%, contra 22% de Ted Cruz e 21% de Marco Rubio. Entre os democratas, Hillary Clinton e Bernie Sanders surgiam com 50% e 44%.

Desistências
O republicano Mike Huckabee e o democrata Martin O'Malley anunciaram a retirada de suas candidaturas após o caucus em Iowa.

O ex-governador do Arkansas Mike Huckabee, que venceu o caucus de Iowa em 2008, teve desta vez 1,8% dos votos e anunciou pelo Twitter que estava desistindo de tentar a nomeação. Em uma mensagem na qual agradeceu seus apoiadores, disse apenas que estava "oficialmente suspendendo a campanha".


Martin O'Malley cumprimenta eleitores em seu comitê em Des Moines, Iowa, na segunda (1º) (Foto: Reuters/Dave Kaup)

Já O'Malley encerrou sua participação no caucus com 0,6% dos votos dos democratas. Ex-governador de Maryland, ele sempre manteve um dígito nas pesquisas e tinha a campanha com menos doadores e fundos em seu partido.

Prévias
A próxima etapa das prévias acontece no dia 9, com primárias em New Hampshire. Até o dia 14 de junho (veja o calendário completo), eleitores de todo o país irão indicar delegados para representá-los nas convenções de cada partido.

O estado que irá indicar o maior número de delegados de ambos os partidos, a Califórnia, será um dos últimos a realizar suas primárias, marcadas para 7 de junho.

Tanto primárias quanto caucuses têm duas modalidades diferentes: fechada, na qual votam apenas os eleitores registrados em cada partido, e aberta, em que qualquer eleitor pode votar no pré-candidato que escolher de um dos partidos (mas não nos dois). Alguns estados, como Ohio, Califórnia e Nova Jersey, adotam um sistema misto.

Os dois partidos definem em julho quem serão seus candidatos oficiais. A convenção do Partido Republicano acontece antes, entre os dias 18 e 21 de julho, em Cleveland, Ohio. Já o Partido Democrata aponta seu candidato oficial ao final de uma convenção realizada entre 25 e 28 de julho, na Filadélfia, Pensilvânia.


+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Ted Cruz da massa!
 


LedBoy

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
20.416
Reações
11.261
Pontos
749
Ted Cruz é muita opressão pro meu coração.

Relembrando a escovada na Ellen Paige

 


pavomba

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
18.103
Reações
20.053
Pontos
614
Não quer dizer lá muita coisa.

Regan também perdeu em IOWA.
Dizem que Iowa tem uma certa importância, porém o principal é ganhar nos estados mais populosos, CA e NY são esquerdistas e dificilmente o GOP teria vantagem lá.
 

Sacramento

Ser evoluído
Mensagens
78
Reações
78
Pontos
28
Apenas para se ter uma ideia das propostas de Cruz, o jovem senador de 44 anos, com diplomas de Princeton e Harvard, diz acreditar na teoria da criação (que o homem veio de Adão e Eva), diz não acreditar nas mudanças climáticas, é o mais radical republicano anti-imigração no Senado dos EUA, propõe acabar com o IRS (Receita Federal dos EUA) e enviar os funcionários para fazer a segurança na fronteira com o México e está mais à direita que o Likud de Benjamin Netanyahu na questão Israel-Palestina, tendo posições bem mais extremas do que Dick Cheney em política externa.
http://internacional.estadao.com.br/blogs/gustavo-chacra/por-que-ted-cruz-nao-tem-chance-de-ser-presidente-dos-eua/

Tirei isso do blog de um tal de Guga, que já vi comentando na Globo News. Caraca, se for isso é lascada hein...
E o pior que o maluco começou errando feio shuaasuh. Tem algum lugar pra gente acompanhar as propostas dos loucos nos eua?
 

victor_br12

Bam-bam-bam
Mensagens
4.927
Reações
3.867
Pontos
369
Eu acho o Cruz o mais insano entre todos que tem chance, e perigoso, bem mais que o Trump, mas se a historia dia algo, nas duas ultimas eleições Iowa é famosa por eleger o candidato republicano que não ganha a nominação.
Já em 2008 Obama bateu a Hillary em Iowa e começou a ganhar mais atenção da midia. Essa derrota mesmo que por 0.2% pode afetar o Sanders.
Pra acompanhar como isso vai andar, dia 9 já tem as primárias em new hampshire
 

vitzera

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
16.038
Reações
20.572
Pontos
649
Bom, não fiz nenhum estudo aprofundado, mas do que eu vi dos candidatos até agora:

- Os 3 mais fortes entre os republicanos são tão caricatos que o Bush filho parece uma grande figura perto deles.
- Eles também parecem jogar contra o próprio partido, pelo menos dum ponto de vista internacional.
- É, no mínimo, curioso ver qualquer um que more na América do Sul feliz por essa vitória parcial do Ted Cruz. :klolz
- Dos republicanos, Rand Paul é o que me parece com ideias mais interessantes. Mas não deve agradar o eleitorado conservador.
- Acho que só a investigação sobre os tais e-mails privados vazados pode afetar a campanha da Hillary.
- Sanders parece ser um senhorzinho muito gente boa e cheio de boas intenções, mas dúvido muito que boa parte de suas ideias saiam do papel.
 

Sgt. Kowalski

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
47.836
Reações
105.286
Pontos
989
eleicões nos eua são complicadas demais, nunca entendi bem como funciona nesse país.
Muito resumidamente: ao contrário do Brasil, onde os partidos indicam qual candidato vai disputar o cargo, lá tb tem tem uma eleição antes.

Ou seja: vc vota no candidato que quer que represente o seu partido na eleição presidencial, e como esse processo é feito estado por estado leva um pouco de tempo.
 

Xpand

Bam-bam-bam
Mensagens
6.089
Reações
14.424
Pontos
374
Meu deus esse Ted CRuz é outro retarda sem tamanho.... Republicanos estão sem qualquer opção
 

Ilellada

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
14.627
Reações
29.044
Pontos
619
Muito resumidamente: ao contrário do Brasil, onde os partidos indicam qual candidato vai disputar o cargo, lá tb tem tem uma eleição antes.

Ou seja: vc vota no candidato que quer que represente o seu partido na eleição presidencial, e como esse processo é feito estado por estado leva um pouco de tempo.
isso deve custar uma montanha de dinheiro
 

ptsousa

Moderador
Membro STAFF
Mensagens
53.538
Reações
150.509
Pontos
814
Marco Rubio é o mais sensato dos 5 (3 republicanos + 2 democratas) e seria o melhor candidato para vencer os democratas.

Se vai ser o candidato, só o futuro dirá

Torço para os republicanos ganharem por questão de alternância de poder
 

Snake Plissken

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
20.730
Reações
34.502
Pontos
734
Só sei que o Ted Cruz frita Bacon com sua ak-47, então não tem como ser ruim!

É quase um Haggar do final fight, prefeito que sai nas ruas para encher os vagabundos de porrada!
 

Zefiris

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
15.139
Reações
47.161
Pontos
664
Lendo o link "perfil dos candidatos", eu ri ao insinuarem que a maior controvérsia do Ted Cruz é ser contrário a tese do aquecimento global antrogênico :klol
 

Ghost·

Bam-bam-bam
Mensagens
3.171
Reações
10.381
Pontos
303
Ted Cruz é muita opressão pro meu coração.

Relembrando a escovada na Ellen Paige

A retardadinha parecia uma vitrola tocando um disco arranhado...Conseguiu se expor da pior forma possível.

eleicões nos eua são complicadas demais, nunca entendi bem como funciona nesse país.
De modo geral é uma putaria da porra...
Salvo engando os candidatos tem que fazer uma maratona do c***lho para serem indicados pelos seus partidos como concorrentes...Tem uma história de delegados também que o kra tem que angariar e quem tiver mais delegados consegue ser o candidato.
Depois que forem definidos os candidatos é que começa a eleição propriamente dita.
Em resumo é um balaio de gato da porra.

Ta em todas esse fdp...De longe o mais zoeiro.

Força Trumpaço!
Tem que parar um pouco com as comediagens...
A seriedade ainda é algo que os americanos consideram importante e acho que é por causa das bobagens que Trump tá perdendo espaço.
Tem que começar a dar umas marretadas mais fortes e parar com a zoeira um pouco. E se for zoar, que seja dando marretada.
 

victor_br12

Bam-bam-bam
Mensagens
4.927
Reações
3.867
Pontos
369
Ultima Edição:

Coffinator

Mil pontos, LOL!
Mensagens
61.442
Reações
170.177
Pontos
1.029
Jimmy Carter diz preferir Trump a Cruz e acredita na indicação de Hillary
Ex-presidente democrata diz que Trump é muito 'maleável'.
No entanto, é improvável que americanos acabem votando por Trump, diz.

Do G1, em São Paulo


O ex-presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter fala nesta quarta-feira (3) no Parlamento britânico (Foto: Neil Hall/Pool Photo via AP)


ELEIÇÃO NOS EUA
Quem sucederá Barack Obama?

O ex-presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter preferiria que o magnata e pré-candidato Donald Trump concorresse à Casa Branca pelo Partido Republicano em vez do ultraconservador Ted Cruz, e disse crer que, entre os pré-candidatos democratas, Hillary Clinton será a candidata nomeada pelo partido.

Os Estados Unidos realizam as primárias das eleições presidenciais, em que eleitores de todos os estados votam para eleger delegados que indicarão os candidatos oficiais na convenção de cada partido.

O ex-presidente democrata (1977-1981) foi falar no Parlamento britânico sobre o trabalho do Centro Carter para erradicar a doença da lombriga da Guiné no mundo, e depois respondeu a algumas perguntas sobre a campanha eleitoral nos Estados Unidos.

"Acredito que elegeria Trump, o que surpreenderá alguns de vocês. A razão é que Trump já demonstrou que é completamente maleável. Não acho que tenha nenhuma postura fixa pela qual lutar na Casa Branca", disse Carter.


O magnata Donald Trump, pré-candidato republicano à Casa Branca (Foto: Reuters/Jim Bourg)

"Cruz não é maleável. Ele tem posições muito à direita que defenderia agressivamente se ele se tornasse presidente", acrescentou Carter.

Para Jimmy Carter é improvável que os americanos acabem votando por Trump como presidente porque uma coisa são as pesquisas e outra "pôr o voto na urna para a pessoa que vai liderar o país durante quatro ou oito anos".

Em relação aos pré-candidatos democratas, Carter disse acreditar na indicação da ex-secretária de Estado Hillary Clinton, apesar da disputa acirrada que a ela enfrenta com o senador Bernie Sanders.


Ex-primeira-dama Hillary Clinton é pré-candidata à presidência pelo Partido Democrata (Foto: John Minchillo/AP)

"Bernie Sanders está em uma posição de destaque, sobretudo entre os jovens. Não sei qual será o resultado final, mas minha opinião pessoal é que é muito provável que Hillary Clinton prevalecerá no Partido Democrata", opinou.

"Certamente eu sou um democrata e apoiarei o indicado (do partido)", acrescentou.

O ex-presidente democrata, de 91 anos, anunciou em agosto do ano passado que tinha sido diagnosticado com câncer, doença contra a qual continua em tratamento, que tem tido evolução positiva.
 

Coffinator

Mil pontos, LOL!
Mensagens
61.442
Reações
170.177
Pontos
1.029
Debate republicano tem confusão na apresentação dos pré-candidatos
Trump e Carson não ouvem ao serem chamados; John Kasich é esquecido.
Pré-candidatos disputam nomeação pelo Partido Republicano.

Do G1, em São Paulo


Jeb Bush passa por Donald Trump e Ben Carson ao entrar no palco de debate entre os pré-candidatos republicanos à presidência dos EUA este sábao (6) (Foto: Reprodução/ Facebook/ Washington Post)

A abertura do debate entre os pré-candidatos à presidência dos Estados Unidos pelo Partido Republicano neste sábado (7) teve confusão por alguns dos pré-candidatos, que não ouviram quando foram chamados ao palco, e pelos apresentadores, que esqueceram de chamar um dos debatedores. Assista ao vídeo do jornal "Washington Post".


ELEIÇÃO NOS EUA
Quem sucederá Barack Obama?

O segundo pré-candidato a ser chamado ao palco, Ben Carson não ouviu quando seu nome foi anunciado e não entrou. Os apresentadores então chamaram Ted Cruz. Em seguida, foi a vez de Donald Trump, que também não ouviu seu nome e ficou ao lado de Carson no corredor que dava acesso ao palco.

Depois que Jeb Bush entrou no palco, ainda havia três lugares vagos quando os apresentadores anunciaram: “Senhoras e senhores, os candidatos republicanos”.

Então Carson e Trump foram chamados novamente, e entraram no palco. Os apresentadores se sentaram para iniciar o debate quando Marco Rubio lembrou que faltava ainda chamar John Kasich, governador de Ohio.

O debate foi republicano foi promovido pela rede ABC em New Hampshire. Depois do evento, Carson disse à CNN que não conseguia escutar o que estava sendo dito. Segundo ele, a rede de TV já havia dito que havia um problema com o som.

Os estados norte-americanos realizam prévias das eleições para o novo presidente americano, que ocorrem em novembro, para determinar o nomeado oficial dos partidos Republicano e Democrata. Iowa foi o primeiro estado a votar. Entre os republicanos, Cruz ganhou 27,7% dos votos no caucus (semelhante a assembleias comunitárias), seguido de Trump, com pouco mais de 24%, e Marco Rubio com 23%. New Hampshire é o próximo estado a votar, nesta terça-feira (9).

Quarentena para o zika
Durante o debate, dois candidatos, o governador de Nova Jersey Chris Christie e o neurocirurgião e político novato Ben Carson, .disseram que implementariam, se necessário, quarentenas para viajantes para frear a propagação do vírus da Zika


Pré-candidatos republicanos à Casa Branca Ben Carson (esquerda) e Chris Christie, em debate em New Hampshire (Foto: Joe Raedle / Getty Images / AFP Photo)

O vírus está afetando grande parte da América Latina e do Caribe. A Organização Mundial de Saúde (OMS) decretou estado de emergência internacional por causa da provável relação entre o vírus da zika e a microcefalia.

Marco Rubio enfrentou dificuldades no debate, potencialmente prejudicando suas chances de surgir como o principal rival de Donald Trump em New Hampshire e dando esperança a três rivais desesperados por mais espaço.

Diante do ataque do governador de New Jersey, Chris Christie, a respeito de sua experiência no primeiro mandato como senador da Flórida, Rubio recuou e voltou às declarações repetitivas de seu discurso de campanha, parecendo nervoso e desconfortável pela primeira vez depois de performances intocáveis em sete debates anteriores.

As dificuldades de Rubio podem dar vida nova às campanhas de Christie, do ex-governador da Flórida Jeb Bush e do governador de Ohio, John Kasich, três políticos experientes que, como Rubio, representam republicanos influentes.


Pré-candidatos republicanos à presidência dos EUA participaram de debate neste sábado (6) promovido pela rede ABC (Foto: AP Photo/David Goldman)

Todos os três têm sofrido com o domínio do pré-candidato Trump na corrida republicana e precisam desesperadamente de uma deixa para mudar a trajetória da batalha em New Hampshire, onde as pesquisas mostram Trump na liderança, Rubio em segundo lugar e o senador do Texas Ted Cruz em terceiro.

Uma vitória em New Hampshire poderia colocar Trump no rumo de mais vitórias na Carolina do Sul em 20 de fevereiro e em posição de vantagem no caminho para as eleições de 8 de novembro.

Mais polêmica de Trump
Já o magnata Donald Trump esteve a frente de mais uma polêmica, ao se mostrar partidário não só de restabelecer a tortura por afogamento simulado a suspeitos de terrorismo, mas de aplicar táticas “muito piores”.

“Restabeleceria o waterboarding (afogamento simulado) e um inferno muito pior que isso”, disse Trump ao ser perguntado a respeito no debate televisionado entre os pré-candidatos organizado pela emissora “ABC” em New Hampshire).

Essa polêmica técnica, utilizada pela Administração de George W. Bush para extrair informação dos suspeitos detidos após os atentados do dia 11 de setembro de 2001, foi proibida pelo atual presidente, Barack Obama, pouco depois de chegar ao poder em 2009.


O pré-candidato republicano Donald Trump, durante debate neste sábado (7) (Foto: AP Photo/David Goldman)

Por sua vez, o senador Ted Cruz disse durante o debate que, sob a definição “geralmente reconhecida” de tortura, não se pode considerar o afogamento simulado como tal.

No entanto, Cruz quis se distanciar de Trump e sustentou que não seria partidário, se chegasse à Presidência, de um uso “generalizado” da técnica do afogamento simulado.

No extremo contrário, o ex-governador da Flórida Jeb Bush, irmão do ex-presidente George W. Bush, lembrou que essa prática foi proibida e que manter esse veto é o “apropriado”.

Enquanto isso, o senador Marco Rubio atacou Obama por causa da tentativa de fechar a prisão de Guantánamo, localizada em Cuba e criada também durante o governo de George W. Bush, e afirmou: “deveríamos pôr pessoas em Guantánamo, não esvaziá-la”.
 

Tarvos

Bam-bam-bam
Mensagens
2.928
Reações
7.881
Pontos
304
Bernie Sanders falou para a Hillary que experiência não é tudo e que ela trabalha para as zelites. :brbr

Não basta acabar com parte da europa e américa latina, os esquerdosos querem acabar com a américa do norte também.
 

Coffinator

Mil pontos, LOL!
Mensagens
61.442
Reações
170.177
Pontos
1.029
New Hampshire realiza primária presidencial nesta terça; entenda
É o primeiro estado a fazer prévia com votação, e não em forma de caucus.
Estado é rico e tem tradição de ter muitos eleitores independentes.

Do G1, em São Paulo


Hillary Clinton cumprimenta uma família em restaurante en Windham, New Hampshire, durante campanha nesta segunda (8) (Foto: Brian Snyder/Reuters)

O estado de New Hampshire realiza nesta terça-feira (9) suas primárias presidenciais, fase em que determina os delegados dos partidos Democrata e Republicano que vão apoiar a nomeação dos candidatos nas convenções nacionais, que ocorrem em julho.

Diferente do estado de Iowa, onde a votação foi feita em forma de caucus, espécie de assembleia comunitária, em New Hampshire a votação é parecida com uma eleição, com os eleitores depositando seus votos em urnas.

Os eleitores em New Hampshire vão escolher 32 delegados democratas e 23 republicanos. A votação é feita por um sistema misto, em que participam tanto os eleitores registrados em cada partido como qualquer eleitor, que pode escolher de qual primária participar.


Ted Cruz participa de ato de campanha em New Hampshire nesta segunda (8) (Foto: Eric Thayer/Reuters)


ELEIÇÃO NOS EUA
Quem sucederá Barack Obama?

Iowa
Após o resultado do caucus de Iowa, os pré-candidatos buscam conquistar os votos dos eleitores de New Hampshire. Entre os republicanos, Ted Cruz saiu na frente na disputa por uma vaga para concorrer à presidência com 28% dos votos dos eleitores republicanos.

O resultado contrariou pesquisas de boca de urna que o colocavam em segundo lugar, atrás de Donald Trump, que ficou com 24%. E a maior surpresa do Partido Republicano foi o crescimento de Marco Rubio, que terminou o caucus em terceiro lugar, com 23%, apenas um ponto a menos do que Trump.

Já a disputa entre os democratas foi mais acirrada, e a ex-secretária de Estado Hillary Clinton venceu o senador Bernie Sanders com 49,8% contra 49,6% dos votos democratas.

Historicamente, New Hampshire marca o tom das eleições e serve de filtro para os candidatos mais frágeis de cada campo, democrata e republicano.


O republicano Donal Trump discursa em ato de campanha nesta segunda (8) em New Hampshire (Foto: Rick Wilking/Reuters)

Veja abaixo as informações mais importantes sobre as primárias em New Hampshire:

População
New Hampshire tem 1,3 milhão de habitantes, dos quais 91,3% são brancos não latinos. Os afro-americanos representam 1,5% da população, os latinos, 3,3%, e os asiáticos, 2,5%. Sua capital, Concord, tem 42.000 habitantes. Seu apelido é "o estado de granito", e seu lema, "Viver livre ou morrer". A renda média é de quase US$ 65 mil, superior à do conjunto dos EUA (US$ 53 mil dólares).

Pesquisa
Uma pesquisa de intenção de voto nas primárias de New Hampshire feita pelo Instituto Quinnipiac mostra que entre os democratas, o senador Bernie Sanders diminui a cada dia sua distância em relação à sua principal oponente, Hillary Clinton, aparecendo com 42% contra 44% da ex-secretária de Estado.

Na enquete do Instituto Quinnipiac, o senador pelo estado de Vermont disputa a corrida cabeça a cabeça. Há menos de dois meses, o mesmo instituto atribuía 61% das preferências a Hillary, e 30% a Sanders.

Já entre os republicanos, o magnata Donald Trump se mantém na liderança com 31% das intenções de voto para New Hampshire, à frente do ultraconservador Ted Cruz (22%) e do senador Marco Rubio (19%).

Para a pesquisa do Quinnipiac, 1.125 pessoas foram entrevistadas entre 2 e 4 de fevereiro. A margem de erro é de 2,9 pontos percentuais para mais ou para menos.

Eleitores independentes
O estado tem um total de 882.959 eleitores, com 9.027 novos inscritos desde o final de dezembro. A maioria são independentes (398.472, ou seja, 44%), enquanto 231.376 são inscritos como democratas e 262.111, como republicanos.

A porcentagem de eleitores não registrados e independentes cresce “a uma escala crescente ao longo das últimas décadas e atingiu seu ponto mais alto”, segundo disse à CBS News o presidente do grupo de pesquisas The MassINC Polling, Steve Koczela.

Pelo sistema misto das primárias no estado, esses eleitores podem participar tanto das primárias republicanas quando dos democratas. Por isso, os votos dos independentes e não registrados podem fazer diferença para os pré-candidatos.


Republicano Marco Rubio faz campanha em New Hampshire nestasegunda (8) (Foto: Carlo Allegri/Reuters)

Último momento

Os eleitores de New Hampshire levam a sério o papel de primeiro estado a organizar suas primárias (em Iowa, há caucus). Muitos vão ouvir os candidatos e só se decidem no último momento em quem votar. Os candidatos passam muito tempo de campanha e gastam milhões de dólares em propaganda televisiva no estado.

O republicano John Kasich esteve 29 vezes em New Hampshire e participou de 186 atividades, segundo a rede regional NECN. Seu rival Chris Christie, governador de Nova Jersey (leste), visitou o estado 23 vezes, com 85 atividades.

O democrata Bernie Sanders, senador do vizinho Vermont, esteve 27 vezes, com 93 atos, e sua rival Hillary Clinton, 23, com 85 atividades.

"Todos os presidentes desde 1952 ganharam uma primária em New Hampshire", explicou à AFP o secretário de Estado, Bill Gardner, falando de forma global, já que Bill Clinton e Barack Obama perderam lá ao serem eleitos pela primeira vez à Casa Branca.

"Treze daqueles que ganharam a primária tornaram-se presidentes pela primeira vez. Em outras três ocasiões, o segundo foi presidente", afirmou. Nunca um candidato que ficou em terceiro em New Hampshire foi presidente do país.


Democrata Ben Sanders discursa em New Hampshire nesta segunda (8) (Foto: Shannon Stapleton/Reuters)
Vencedores anteriores nas primárias de New Hampshire

- 2012: Mitt Romney entre os republicanos. Entre os democratas, não houve, porque Barack Obama buscou e obteve sua reeleição.

- 2008: Hillary Clinton ganhou entre os democratas, seguida de Obama. Do lado republicano, venceu John McCain. Obama foi eleito presidente.

- 2004: John Kerry ganhou entre os democratas. Entre os republicanos, não houve, porque George W. Bush buscou e obteve sua reeleição.

- 2000: Al Gore do lado democrata. Do lado republicano, John McCain, seguido de George W. Bush, eleito presidente.

- 1996: Pat Buchanan ganhou entre os republicanos. Entre os democratas, não houve porque, Bill Clinton voltou a se apresentar e foi reeleito.


tópicos:
 

Sgt. Kowalski

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
47.836
Reações
105.286
Pontos
989
Trump e Sanders vencem segunda prévia na corrida à Casa Branca

Fotomontagem

O pré-candidato republicano Donald Trump (esq.) e o democrata Bernie Sanders
THAIS BILENKY
ENVIADA ESPECIAL A MANCHESTER, NEW HAMPSHIRE

10/02/2016 00h00 - Atualizado às 05h58

31
Mais opções
Em votação que confirmou a fama de Estado independente, New Hampshire deu vitória nas primárias desta terça-feira (9) a dois pré-candidatos à Presidência dos EUA não alinhados às bases tradicionais de seu partidos: o senador Bernie Sanders, do lado democrata, e o empresário Donald Trump, entre os republicanos.

Com 89% das urnas apuradas, Sanders, senador independente por Vermont de discurso socialista, vencia com 60%, ante 38,4% de Hillary.

Entre os republicanos, com 89% das urnas apuradas, o bilionário e apresentador de TV Trump estava com 35,1%, quase 20 pontos à frente do governador de Ohio, John Kasich (15,9%), que, se confirmada a posição, terá alcançado surpreendente segundo lugar em New Hampshire, após meses sem ter destaque.

Kasich tem usado uma mensagem centrista e positiva em contraste com o populismo radical de Trump.

A terceira posição estava sob disputa entre o senador ultraconservador Ted Cruz, do Texas, o ex-governador da Flórida Jeb Bush e o senador pela Flórida Marco Rubio.

Em ambos os partidos, os vencedores já eram previstos pelas pesquisas –e diferentes de Iowa, o primeiro Estado a votar e que deu vitória a Cruz e Hillary.

Analistas apostavam que um resultado expressivo de um nome moderado em New Hampshire seria fundamental para conter o avanço de Trump, temido pela direção partidária por suas propostas populistas e radicais.

"Se ele perdesse em New Hampshire, sua campanha sofreria um enorme dano. Mas uma vitória, com mais de 15 pontos de vantagem, faz dele um pré-candidato ainda mais formidável nos próximos Estados", disse Andrew Smith, professor de ciência política da Universidade de New Hampshire, antes de o resultado ser apurado.

A disputa sobre quem será o maior rival de Trump no partido se embolou, porque, diferentemente de Iowa, em que Ted Cruz se enquadrava no perfil do eleitor republicano local, em New Hampshire "não havia um pré-candidato natural", segundo Smith.

O senador Marco Rubio vinha em ascensão desde Iowa, mas se saiu muito mal no debate realizado no sábado (6) e perdeu espaço.

Estado-chave das eleições americanas por realizar uma das primeiras prévias, New Hampshire tem algumas características que não se refletem no restante do país.

A população é majoritariamente branca (acima de 90%), relativamente mais velha e mais rica.

Metade dos eleitores republicanos se considera moderada, e os democratas tendem a se posicionar mais à esquerda que a média nacional.

Um dos principais fatores a compor a imprevisibilidade do eleitorado do Estado é a opção de mais de 40% se declarar independente, sem preferência partidária.

Esse perfil contribuiu para a vitória de Sanders, segundo o professor da Universidade de New Hampshire.

"O Partido Democrata no Estado tem historicamente 35% a 40% de filiados que não apoiam o candidato de escolha do partido, e essa outra pessoa em geral é mais progressista", diz Smith.

O grande número de postulantes do lado republicano favoreceu o cenário tumultuado abaixo de Trump, e 46% dos eleitores do partido disseram ter decidido o voto no dia anterior à primária.
 

Coffinator

Mil pontos, LOL!
Mensagens
61.442
Reações
170.177
Pontos
1.029
Democrata Sanders e republicano Trump vencem em New Hampshire
Senador Sanders diz que resultado indica que EUA desejam 'mudança real'.
Bilionário promete fortalecer Forças Armadas e fazer país 'grande de novo'.

Do G1, em São Paulo


Bernie Sanders festeja após vitória entre os democratas em New Hampshire (Foto: J. David Ake / Reuters)

O senador Bernie Sanders venceu a primária do partido Democrata no Estado de New Hampshire, realizada na terça-feira (9), impondo uma expressiva derrota a Hillary Clinton na disputa pelo posto de candidato da legenda a presidente dos Estados Unidos nas eleições deste ano. Do lado republicano, a vitória foi do bilionário Donald Trump, favorito na corrida em seu partido.

Com 92% dos votos apurados, Sanders tinha 60% ante 38% de Hillary, segundo a CNN. Trump tinha 35%, mais que o dobro do segundo colocado, o governador de Ohio, John Kasich, que atingia 16%. O senador Ted Cruz, que havia vencido a disputa em Iowa, em 1º de fevereiro, estava em terceiro lugar com 11%.

saiba mais
Sanders, que se define como um socialista democrata, afirmou que sua vitória indica que os norte-americanos desejam “uma mudança real” e é mais um passo numa "revolução política” que ele avalia ocorrer nos EUA.

"Nós mandamos uma mensagem que vai ecoar de Wall Street a Washington, de Maine à Califórnia: o governo de nosso grande país pertence a todos e não apenas a um punhado de financiadores de campanha", disse o senador por Vermont.

A fala é uma referência aos milhões de dólares injetados nas campanhas eleitorais norte-americanas, especialmente por meio dos comitês de apoio conhecidos como Super PACS - que não precisam revelar a origem dos recursos. Até janeiro, Hillary havia arrecadado US$ 163,5 milhões, mais do que o dobro dos US$ 75,1 milhões de Sanders.

Juventude

Pesquisas de boca de urna apontam que a vitória de Sanders foi ancorada nos votos de eleitores que se disseram preocupados com a desigualdade e a corrupção na política. O senador também teve expressivo apoio entre as mulheres, especialmente as mais jovens, segundo o jornal "The New York Times".

Hillary, considerada favorita no partido Democrata, reconheceu ter tido problemas em conquistar votos dos mais jovens – Sanders obteve 83% entre os que têm 18 a 29 anos, segundo a CNN – e apelou aos eleitores negros e latinos após a derrota. O chefe de campanha da ex-secretária de Estado, Robin Mook, afirmou que “vai ser muito difícil, se não impossível”, para um democrata vencer a nomeação sem grande apoio nesses dois grupos.

"As pessoas têm todo o direito de estar irritadas, mas elas também estão com fome, fome de soluções", afirmou Hillary. “Eu vou trabalhar mais do que todos para fazer as mudanças que tornam a vida melhor.”

Trump confirma favoritismo


Republicano Donald Trump faz pronunciamento de vitória em New Hampshire (Foto: Jim Bourg / Reuters)

A vitória em New Hampshire consolida o favoritismo de Donald Trump entre os republicanos. O bilionário lidera as pesquisas no partido com um discurso de fortalecimento das Forças Armadas e combate à imigração ilegal.

"Nós vamos fazer nossas Forças Armadas tão fortes que ninguém vai mexer conosco”, disse Trump, que reiterou a promessa de construir um muro na fronteira dos EUA com o México.

O bilionário também prometeu garantir o direito dos norte-americanos de se armarem, num momento em que o presidente Barack Obama, um democrata, tem proposto aumentar os controles sobre a posse e o porte de armas no país.

De acordo com a TV ABC, Trump venceu pois conseguiu grande apoio entre os eleitores republicanos que buscam um candidato de fora do sistema político tradicional, estão irritados com a administração de Barack Obama e estão preocupados com a economia e o terrorismo. As pesquisas apontam também que 2/3 dos eleitores apoiam a proposta do bilionário de proibir temporariamente a entrada de muçulmanos nos EUA.


ELEIÇÃO NOS EUA
Quem sucederá Barack Obama?

Disputas seguem até junho

New Hampshire foi o segundo estado norte-americano a realizar as prévias para as eleições presidenciais de 2016. Em 1º de fevereiro, os eleitores de Iowa deram vitória ao senador Ted Cruz no partido Republicano e a Hillary Clinton no Democrata.

Até junho, todos os 50 Estados realizarão as disputas. Os próximos são Carolina do Sul e Nevada, onde a decisão ocorre em 20, 23 e 27 de fevereiro.

O cenário na Carolina do Sul é favorável a Trump, mas não a Sanders. O bilionário tem 36% das intenções de voto entre os republicanos, ante 19,7% de Ted Cruz, que ocupa a segunda posição. O senador democrata, por outro lado registra 32,5%, pouco mais da metade dos 62% de Hillary, que também leva vantagem em Nevada. Os dados são uma média das pesquisas de intenções de voto monitoradas pelo site Real Clear Politics.

A eleição presidencial nos EUA é indireta, realizada por 538 delegados eleitorais, distribuídos pelos Estados conforme sua população. Em 48 dos 50 estados americanos (as exceções são Maine e Nebraska), o candidato vitorioso nas prévias recebe todos os votos dos delegados desses estados. Ganha a votação o candidato que somar ao menos 270 delegados

Neste ano, a eleição ocorre em 8 de novembro.
 

Sgt. Kowalski

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
47.836
Reações
105.286
Pontos
989
Christie e Fiorina deixam corrida presidencial nos EUA


11/02/201609h44
WASHINGTON, 11 FEV (ANSA) - Os pré-candidatos republicanos Chris Christie e Carly Fiorina deixaram a corrida presidencial nos Estados Unidos um dia após o magnata Donald Trump vencer as primárias em New Hampshire.

Enquanto Trump obteve cerca de 35% dos votos, Christie e Fiorina tiveram desempenhos bem mais fracos, com 6% e 4%, respectivamente.

No Facebook, Christie disse que deixa a disputa "sem um pingo de arrependimento". "Estou muito orgulhoso da campanha que fizemos, das pessoas que a fizeram comigo e de todos os que nos deram seu apoio e confiança ao longo do caminho", acrescentou.

Também nas redes sociais, Fiorina explicou que, "enquanto suspendo minha candidatura, continuo a viajar por este país e lutar pelos americanos que se recusam a aceitar as coisas como estão e um 'status quo' que não funciona mais para eles".

"Para jovens garotas e mulheres pelo país, eu digo: não deixem os outros as definirem. Não escute ninguém que diga que você deve votar de um certo modo ou em uma certa candidata porque você é uma mulher. Isso não é feminismo", acrescentou, fazendo alusão a democrata Hillary Clinton.

Com as desistências, a corrida entre os republicanos fica ainda mais acirrada. Após a vitória de Ted Cruz em Iowa e de Trump em New Hampshire, as próximas primárias acontecem na Carolina do Sul no próximo dia 20. (ANSA)
 
Topo