O que há de Novo?
  • Novo tema VIP está disponível
    Visitante, um novo tema com fundo escuro agora está disponível para aqueles que contribuíram com doações ao fórum e têm o status VIP. Veja os detalhes aqui.


Dilma Inaugura porto em CUBA, financiado pelo BNDS ( 682kk em Obamas)

Beiçola From Hell

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
37.261
Reações
39.056
Pontos
753
Na verdade trata-se um pouco de manipulação da notícia pela imprensa: Quem recebeu o dinheiro foi uma Empresa Brasileira, o que é correto e a obra faz parte de acordos que incluem boas trocas para o Brasil, maaassss....

Ainda assim acho que o dinheiro do BNDES é muito mal empregado quando não é usado para estimular o investidor nacional ou quando não é usado para criar Infra-Estrutura para o país.
 


Zaporozhets

Bam-bam-bam
Mensagens
5.717
Reações
9.455
Pontos
353
O Brasil vai lançar foguete, Cuba também vai lançar!
Quero ver se Cuba lança, quero ver Cuba lançar!

Lança, Cuba, lança!
 

Kids Graça

Bam-bam-bam
Mensagens
2.500
Reações
3.076
Pontos
304
Na verdade trata-se um pouco de manipulação da notícia pela imprensa: Quem recebeu o dinheiro foi uma Empresa Brasileira, o que é correto e a obra faz parte de acordos que incluem boas trocas para o Brasil, maaassss....

Ainda assim acho que o dinheiro do BNDES é muito mal empregado quando não é usado para estimular o investidor nacional ou quando não é usado para criar Infra-Estrutura para o país.
Dinheiro do BNDES é o nosso dinheiro né.. E é usado só para os amigos do rei, e esses investem de forma errônea e ineficiente

Cuba é um estado parasita, dependia da URSS, essa quebrou, depois a venezueira passou a financia-la, agora é a nossa vez. Só espero que o filme não continue nessa rota de os que ajudam cuba quebrarem
 

Beiçola From Hell

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
37.261
Reações
39.056
Pontos
753
Dinheiro do BNDES é o nosso dinheiro né.. E é usado só para os amigos do rei, e esses investem de forma errônea e ineficiente

Cuba é um estado parasita, dependia da URSS, essa quebrou, depois a venezueira passou a financia-la, agora é a nossa vez. Só espero que o filme não continue nessa rota de os que ajudam cuba quebrarem

Se não der a chance para o empresariado nacional trabalhar com o bom financiamento do BNDES como esperar que esse país vá para a frente?

Com investimento de Multinacionais e utilizando tecnologias desenvolvidas fora do país é que nós não vamos para a frente.

No mais não sou à favor de utilizar o dinheiro do BNDES para construir coisas fora do país, ainda mais em um país comunista, insignificante e incompetente como o é Cuba. Mas no caso do tópico tem muita desinformação de acordos econômicos que devem até incluir o Mias Médicos (Cuba não liberaria médicos de graça para o Brasil, aliás ninguém da nada de graça para ninguém nesse mundo).
 

Kids Graça

Bam-bam-bam
Mensagens
2.500
Reações
3.076
Pontos
304
Se não der a chance para o empresariado nacional trabalhar com o bom financiamento do BNDES como esperar que esse país vá para a frente?

.
Acho engraçado como os mesmos que defendem tributação sobre empresários tempo depois querem que eles tenham mais dinheiro para investir.. Admite-se a importância da acumulação de capital para investimento.. Só que um investimento baseado em BNDES estimula a irresponsabilidade e irracionalidade econômica(Eike manda abraços)

Que tal reduzir os tributos? A burocracia? Permitir a importação de tecnologias para aumentar a produtividade? Alias, o Brasil é extremamente fechado para importar tecnologias, justamente com o argumento de proteger a industria nacional. Nosso cambio também não está ajudando, o que afeta a inflação nacional, e acada destruindo os ''lucros'' provindos de uma desvalorização cambial ao setor de exportação...

Se aquele investimento só acontece com crédito farto e juros primorosos ,eles nem deveriam ter sido iniciados.. Esses investimentos mais tarde vão dar problemas..

É quase como uma bolha, só que no caso não são casas

Quer exemplo além do Eike? Nosso setor industrial teve uma recessão em 2013, mas anos atrás ele usou dinheiro de crédito farto para investir.. Essa recessão no setor atual é a consequência desses investimentos passados baseado em crédito facilitado.
 


Moonglaive

Bam-bam-bam
Mensagens
6.879
Reações
9.535
Pontos
394
Alemanha e Koreia do Sul tb possuem suas versões do BNDS. (A outros tb, os mais famosos são esses 2).

No mais não sou à favor de utilizar o dinheiro do BNDES para construir coisas fora do país
Quanto +uma empresa se tornar multinacional mais os empréstimos irão resultar em investimentos fora do país, não significa que a renda desses investimentos não voltará pro país já que a sede dessas empresas é aqui.


A critica de que o BNDS deve priorizar o pequeno e medio empresario é valida
A critica da existencia do BNDS não é valida
A Critica que pra fazer o ponto 1 deve-se extinguir o credito a grandes empresas não é valida.
 

Kids Graça

Bam-bam-bam
Mensagens
2.500
Reações
3.076
Pontos
304
BNDES venho diretamente do fascismo, união de empresa e estado com o dinheiro dos outros

Somente ao se tomar por princípio geral a hipótese de uma aliança entre Estado e Corporações, parece-me ser possível esclarecer o intrigante enigma da "consciência social" dos magnatas brasileiros que disputaram nos últimos meses qual seria mais generoso com a campanha da Srª Dilma Roussef. Pena que os brasileiros em geral conhecem pouco de história para saber que "não há nada de novo no front", que também esse novo "Milagre econômico" pouco tem de milagroso ou de novo: poupança forçada, obras faraônicas, endividamento público, industrialização forçada, subsídio a setores favorecidos. \r
\r
Mas por óbvio que a situação me parece bem pior agora. Não porque haja algo de novo no fascismo, mas pelo consenso que se formou em torno dele (o legado de Keynes) e, principalmente, porque o fator tempo corre pelo agravamento das distorções: quanto mais tempo ele dura (e ele já vem sendo ensaiado no Brasil a um bom tempo), pior há de ser seu resultado.
 

charlesio

Veterano
Mensagens
1.043
Reações
1.091
Pontos
123
Pera, ela gastou 682 milhões de obamas, mas pelo que li vai receber 802 milhões pelos serviços/produtos.
cade a parte ruim nisso?
claro que poderia investir em portos BR mas, ganhar 120 milhões não me parece muito ruim...

Vc acha que o Brasil vai receber alguma coisa de um país falido como Cuba ??
 

Beiçola From Hell

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
37.261
Reações
39.056
Pontos
753
Acho engraçado como os mesmos que defendem tributação sobre empresários tempo depois querem que eles tenham mais dinheiro para investir.. Admite-se a importância da acumulação de capital para investimento.. Só que um investimento baseado em BNDES estimula a irresponsabilidade e irracionalidade econômica(Eike manda abraços) ¹

Que tal reduzir os tributos? A burocracia? Permitir a importação de tecnologias para aumentar a produtividade? Alias, o Brasil é extremamente fechado para importar tecnologias, justamente com o argumento de proteger a industria nacional. Nosso cambio também não está ajudando, o que afeta a inflação nacional, e acada destruindo os ''lucros'' provindos de uma desvalorização cambial ao setor de exportação...²

Se aquele investimento só acontece com crédito farto e juros primorosos ,eles nem deveriam ter sido iniciados.. Esses investimentos mais tarde vão dar problemas..

É quase como uma bolha, só que no caso não são casas³

Quer exemplo além do Eike? Nosso setor industrial teve uma recessão em 2013, mas anos atrás ele usou dinheiro de crédito farto para investir.. Essa recessão no setor atual é a consequência desses investimentos passados baseado em crédito facilitado. 4
1 - São os Socialistas, não é o meu caso que defendo imposto sobre a Renda e não sobre o consumo pois entendo como o Sistema Funciona e só acho necessário pesar sobre ele em troca de produção de mão de obra melhor trabalhada/qualificada/com condições mínimas.

2 - Para todos os casos há sim de se rever todo o conceito tributário do Brasil, mas: Há casos e casos, para a produção genuinamente Nacional há de se repensar por completo a tributação, para Multinacionais já de se incidir uma mão mais pesada do Estado (porém bem mais leve do que o feito hj em dia).

3 - Não há Bolha Imobiliária pq a gigantesca maioria do crédito habitacional é provido pelo Estado, como vc quer imaginar uma "inflação de juros e especulação" sobre um cliente que sempre paga, como é o caso do Estado?

4 - Já começou errado: O Eike é um exemplo de como se DEVE emprestar dinheiro ao nosso empresariado - Empresário investindo no Brasil, criando toda a malha de necessidades para nossa própria indústria e ainda prometendo a construção de Infra-Estrutura...se desse certo seria maravilhoso, pena que não deu.

Sobre o resto do paragrafo: Que setor industrial nosso? Aqui só temos Multinacionais que captam Mão de Obra extremamente barata para serviço que até um macaco conseguiria fazer, superfatura seus produtos e manda todo o lucro do que é consumido aqui para a matriz.

E essa recessão no setor atual (os poucos gatos pingados verdadeiramente nacionais, digo) é culpa do governo não que não libera dinheiro do BNDES para esse pessoal e culpa da incompetência própria do setor que não trabalha embasado em critérios técnicos e muitas vezes sobrevive de exportação quando o dólar está caro, mas também perde neste cenário, pois não investe em tecnologia própria preferindo importar maquinário externo (ahhh e culpa do governo incompetente também que não estimula a produção reduzindo impostos mas sim penaliza, criando tributos).
 

Kids Graça

Bam-bam-bam
Mensagens
2.500
Reações
3.076
Pontos
304
Vc acha que o Brasil vai receber alguma coisa de um país falido como Cuba ??
É o suprasumo da irracionalidade econômica estimulada pelo BNDES

Deixar de investir no Brasil que precisa de portos pra investir em um exportador de charutos

O retorno seria infinitamente maior aqui no Brasil
 

Kids Graça

Bam-bam-bam
Mensagens
2.500
Reações
3.076
Pontos
304
1 -
São os Socialistas, não é o meu caso que defendo imposto sobre a Renda e não sobre o consumo pois entendo como o Sistema Funciona e só acho necessário pesar sobre ele em troca de produção de mão de obra melhor trabalhada/qualificada/com condições mínimas.
E como você planeja manter o estado no mesmo tamanho em um sistema democrático?
2 - Para todos os casos há sim de se rever todo o conceito tributário do Brasil, mas: Há casos e casos, para a produção genuinamente Nacional há de se repensar por completo a tributação, para Multinacionais já de se incidir uma mão mais pesada do Estado (porém bem mais leve do que o feito hj em dia).
Aumentando impostos sobre multinacionais você desestimula a concorrência externa e abre espaços para exploração nos preços nacionais e deterioração dos serviços. Alem de que essa mesma empresa que deixou de lucrar aqui vai ter menos dinheiro para importar daqui. O dinheiro que saiu um dia vai voltar na forma de importação dos nossos serviços. O japão importa arroz Brasileiro(Exemplo) Para ele ter dinheiro ele exporta eletrônicos... A mesma regra que comanda todos os mercados, trocas voluntárias de serviços e produtos, se não existe essa troca não é forçando ela que você vai tornar a sociedade melhor.
3 - Não há Bolha Imobiliária pq a gigantesca maioria do crédito habitacional é provido pelo Estado, como vc quer imaginar uma "inflação de juros e especulação" sobre um cliente que sempre paga, como é o caso do Estado?
Não falei em bolha imobiliária, onde você leu isso? Estou falando de Bolhas em outros setores, como o que o industrial sofreu após investimentos errados e a consequente recessão de 2013-2012.


4 - Já começou errado: O Eike é um exemplo de como se DEVE emprestar dinheiro ao nosso empresariado - Empresário investindo no Brasil, criando toda a malha de necessidades para nossa própria indústria e ainda prometendo a construção de Infra-Estrutura...se desse certo seria maravilhoso, pena que não deu.
Você está brincando com minha cara.. Você sabe por que NÃO DEU CERTO? Por que é justamente isso que crédito subsidiado e farto causa, IRRACIONALIDADE EM INVESTIMENTOS..

Sobre o resto do paragrafo: Que setor industrial nosso? Aqui só temos Multinacionais que captam Mão de Obra extremamente barata para serviço que até um macaco conseguiria fazer, superfatura seus produtos e manda todo o lucro do que é consumido aqui para a matriz.
Perdão... Nosso DIMINUTO setor industrial ENCOLHEU AINDA MAIS

E essa recessão no setor atual (os poucos gatos pingados verdadeiramente nacionais, digo) é culpa do governo não que não libera dinheiro do BNDES para esse pessoal
Você é cego? O Governo LIBEROU crédito para esse setor.

Alias, é precisamente isso que esse governo vem fazendo na economia, abrindo as torneiras de crédito e endividando mundos e fundos de indivíduos.

A consequencia que isso gera foi alertada
 

M4l4k14s

Bam-bam-bam
Mensagens
4.151
Reações
1.245
Pontos
274
Perguntas importantes:

nao esta escrito que o BNDES financiou obras nos EUA também (mais dinheiro, por sinal), é errado isso também?
vc sabia que, sendo financiamento, eles vão pagar (no outro tópico por sinal diz-se que os cubanos são os melhores pagadores, nunca atrasam pagamento)?
vão criar uma área semelhante à da China, e o Brasil financiando dá abertura para mais empresas brasileiras entrarem lá (como já estão), isso é ruim?


AH TÁ.
Mas não pode cara!!! Só é investimento se não for PT;se for, é comunismo!!!!!!!!

Enviado de meu GT-I9300 usando Tapatalk
 

Beiçola From Hell

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
37.261
Reações
39.056
Pontos
753
E como você planeja manter o estado no mesmo tamanho em um sistema democrático?
Eu não quero manter o Estado da mesma forma, para mim ele tem de se preocupar com coisas básicas e no mais deveria se preocupar em fiscalizar o resto.

Aumentando impostos sobre multinacionais você desestimula a concorrência externa e abre espaços para exploração nos preços nacionais e deterioração dos serviços. Alem de que essa mesma empresa que deixou de lucrar aqui vai ter menos dinheiro para importar daqui. O dinheiro que saiu um dia vai voltar na forma de importação dos nossos serviços. O japão importa arroz Brasileiro(Exemplo) Para ele ter dinheiro ele exporta eletrônicos... A mesma regra que comanda todos os mercados, trocas voluntárias de serviços e produtos, se não existe essa troca não é forçando ela que você vai tornar a sociedade melhor.
É uma possibilidade sim, mas bem remota: Oras na China é muito mais barato comprar um Hiphone do que um iPhone, isso faz parte dos estímulos estatais para a obtenção de Know-How...e vale lembrar que inexiste qualquer chance de uma industria nova, nacional, que não possuí credibilidade de mercado algum competir de igual para igual com uma Multinacional renomada. Se o Estado não ajudar a industria nacional seu destino será o mesmo de Gurgel.

Não falei em bolha imobiliária, onde você leu isso? Estou falando de Bolhas em outros setores, como o que o industrial sofreu após investimentos errados e a consequente recessão de 2013-2012.
Bolha é a palavra da moda: Me explique essa Bolha então, quero só ver se vc sabe me dizer onde houve uma estruturação irreal de créditos especulatórios que caracterizem bolha.

A industria Multinacional está pagando por incompetência e pela mão pesadíssima do Estado.

Você está brincando com minha cara.. Você sabe por que NÃO DEU CERTO? Por que é justamente isso que crédito subsidiado e farto causa, IRRACIONALIDADE EM INVESTIMENTOS..
Daonde vc tirou isso? O Facebook ficou ainda melhor depois que foi capitar verba no Mercado, agora eles compram várias empresas menores se tornando ainda mais monstruosos...

Não deu certo pq o Eike foi incompetente com os credores TERCEIRIZADOS, lê-se MERCADO DE AÇÕES.

Perdão... Nosso DIMINUTO setor industrial ENCOLHEU AINDA MAIS
E vai sumir de vez se o Estado não passar a dar vantagens verdadeiras para alguém pensar em investir em uma indústria nacional.

Você é cego? O Governo LIBEROU crédito para esse setor.

Alias, é precisamente isso que esse governo vem fazendo na economia, abrindo as torneiras de crédito e endividando mundos e fundos de indivíduos.

A consequencia que isso gera foi alertada
Não vejo isso não, aliás uma das reclamações da Industria é a dificuldade de capitar dinheiro no BNDES.

E a Industria vai pagar pq o Estado não da subsídios para empresas que não tem condições de competir com as grandonas.
 

Link brasileño

Bam-bam-bam
Mensagens
1.137
Reações
1.213
Pontos
203
Recomendo a leitura:
http://brasil.elpais.com/brasil/2014/01/27/politica/1390853892_914410.html

Alguns trechos:
"O valor chama a atenção por superar, inclusive, o total das exportações brasileiras para Cuba: no ano passado, foram 530 milhões de dólares, com a venda de farelo e óleo de soja, além de arroz, milho, maquinário, entre outros."

"O BNDES, entretanto, argumenta que se trata de um projeto que traz retorno para o banco, uma vez que ele facilita a exportação de bens e serviços de uma empresa brasileira, e recebe posteriormente o que foi emprestado com juros, que serão contabilizados como lucro do banco."

"O estilo adotado por Dilma, entretanto, não é bem recebido por lideranças empresariais no Brasil. “Este porto cubano facilita o que para o país? O que existe aqui além de uma decisão política e ideological de ajudar a Cuba?”"

"Na página oficial do Palácio do Planalto, o Governo reproduz uma informação divulgada pela Odebrecht, de que o porto de Mariel está gerando 153 mil empregos, diretos, indiretos ou “induzidos”, uma vez que a cada 100 milhões de dólares exportados pelo Brasil em bens e serviços, 19,2 mil empregos são criados."

"Entre janeiro e setembro do ano passado, o BNDES desembolsou mais de 152 milhões de dólares para financiar exportações para Cuba, outro 91 milhões de dólares para negócios com a Argentina, e 436 milhões de dólares para os Estados Unidos, por exemplo."
 

Kids Graça

Bam-bam-bam
Mensagens
2.500
Reações
3.076
Pontos
304
Eu não quero manter o Estado da mesma forma, para mim ele tem de se preocupar com coisas básicas e no mais deveria se preocupar em fiscalizar o resto.
Querer/realidade, a tendencia histórica é o estado se expandir até quebrar os países; nenhum fugiu da regra. Isso vem desde roma.


É uma possibilidade sim, mas bem remota: Oras na China é muito mais barato comprar um Hiphone do que um iPhone, isso faz parte dos estímulos estatais para a obtenção de Know-How...e vale lembrar que inexiste qualquer chance de uma industria nova, nacional, que não possuí credibilidade de mercado algum competir de igual para igual com uma Multinacional renomada. Se o Estado não ajudar a industria nacional seu destino será o mesmo de Gurgel.
O estado nunca vai ajudar industrias pequenas a superar industrias grandes, o sistema atual é o exato oposto, as industrias grandes capturam o estado ao se favor para beneficiá-las.
Repare que eu nem usei a palavra ''industria nacional ou internacional''.. Isso abrir espaço para falar em industrias ''estaduais'' e por que não separa-las comercialmente com tarifas sobre estados mais desenvolvidos para estimular os menos desenvolvidos? A lógica é a mesma, estáriamos beneficiando o nordeste impedindo ele importar do sul/sudoeste?
essa política já se provou desastrosa na prática. Além do mais, a necessidade que haveria para o governo proteger essa nova e jovem indústria da competição estrangeira deveria ser a mesma para protegê-la da competição doméstica.
Nas décadas recentes, as indústrias "infantes" de plástico, televisão e computadores se saíram muito bem sem tal proteção. Qualquer subsídio governamental para uma nova indústria vai canalizar muito mais recursos para essa indústria em relação às empresas mais velhas, e também vai inaugurar distorções que podem persistir e deixar a empresa ou a indústria permanentemente ineficiente e vulnerável para a concorrência. Como resultado, essas tarifas para proteger a "indústria infante" tendem a se tornar permanentes, independentemente da "maturidade" da indústria. Os proponentes dessas tarifas se deixaram enganar por uma analogia biológica, pensando que elas são "infantes" que precisam de cuidados adultos. Mas uma empresa não é uma pessoa, nem nova, nem velha.



Bolha é a palavra da moda: Me explique essa Bolha então, quero só ver se vc sabe me dizer onde houve uma estruturação irreal de créditos especulatórios que caracterizem bolha.



A industria Multinacional está pagando por incompetência e pela mão pesadíssima do Estado.

Eis os principais pontos relatados pelo IBGE sobre a economia brasileira em 2010
No acumulado no ano de 2010, em relação ao mesmo período de 2009, o PIB variou 7,5%, resultado do crescimento de 6,7% no valor adicionado e 12,5% nos impostos. Nessa comparação, a agropecuária (6,5%), a indústria (10,1%) e os serviços (5,4%) cresceram. Assim, segundo as informações das Contas Nacionais Trimestrais, em 2010, o PIB em valores correntes alcançou R$ 3,675 trilhões. O PIB per capita ficou em R$ 19.016, apresentando uma alta de 6,5%, em volume, em relação a 2009 (R$ 16.634).Na análise da demanda, a despesa deconsumo das famíliascresceu7,0% em 2010, sétimo ano consecutivo de aumento.A formação bruta de capital fixocresceu21,8%, maior taxa acumulada em quatro trimestres da série iniciada em 1996. Já adespesa do consumo da administração públicatambém aumentou3,3%.emprego na indústria, no comércio e nos serviços é bastante semelhante, ao passo que no setor da construção civil ele é bem mais vigoroso. Tudo isso vem provocando uma elevação geral nos salários.

À primeira vista, isso parece bom. Quem poderia ser contra aumentos salariais e queda no desemprego? O problema é que tal arranjo é insustentável, simplesmente porque vivemos em um mundo de escassez. Quando começa a haver escassezes - seja de mão-de-obra, seja de produtos - os preços inevitavelmente tendem a aumentar. Se nada for feito, eles tendem a aumentar em ritmo cada vez mais acelerado, que é o que já está acontecendo no Brasil.
A expansão monetária, a redução nos juros e o aumento no crédito geram, como dito, investimentos adicionais em várias áreas até então pouco lucrativas. Esses novos investimentos requerem mão-de-obra adicional, a qual passa a ser retirada de setores como comércio e serviços. Assim, ao mesmo tempo em que uma construtora passa a demandar mais engenheiros, arquitetos, mestres-de-obras, corretores, vendedores, relações públicas etc., o setor de serviços e o comércio continuam demandando com a mesma intensidade esses profissionais, pois as pessoas não estão poupando, o que significa que o consumo segue aquecido em todos os setores a redução dos juros, como dito, não veio da poupança, mas sim da criação de dinheiro pelo Banco Central.Essa disputa por mão-de-obra provoca uma redução no desemprego e um aumento nos salários médios.
Da mesma forma, toda essa expansão monetária inevitavelmente gerará, a partir de algum momento, um forte aumento de preços nos bens e serviços.
Enquanto estiver havendo essa expansão do dinheiro e do crédito, mas os preços continuarem contidos, os números positivos da economia irão durar. A demanda por bens e serviços irá continuar em alta. Os estoques das empresas serão prontamente vendidos. Apartamentos continuarão sendo vendidos na planta. Novos empreendimentos continuarão sendo iniciados. Carros zero continuarão sendo vendidos aceleradamente. Novos restaurantes e novas lojas continuarão sendo abertos. Os preços e os lucros continuarão subindo. Trabalhadores continuarão encontrando empregos a salários nominais cada vez maiores.
O único detalhe chato de tudo isso é que tal expansão não pode durar..


Daonde vc tirou isso? O Facebook ficou ainda melhor depois que foi capitar verba no Mercado, agora eles compram várias empresas menores se tornando ainda mais monstruosos...
Capitalização através de ações não tem nada a ver com o assunto que estamos falando aqui. O Problema do EIKE não foi iniciado nas ações, mas as ações em quedas são o resultando de problemas estruturais das empresas dele
 

ty_hot

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
25.547
Reações
7.233
Pontos
554
"Entre janeiro e setembro do ano passado, o BNDES desembolsou mais de 152 milhões de dólares para financiar exportações para Cuba, outro 91 milhões de dólares para negócios com a Argentina, e 436 milhões de dólares para os Estados Unidos, por exemplo."



Vamos fazer um tópico dos EUA HUE HUE
 

Beiçola From Hell

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
37.261
Reações
39.056
Pontos
753
Querer/realidade, a tendencia histórica é o estado se expandir até quebrar os países; nenhum fugiu da regra. Isso vem desde roma.
E povos sem Estado (Algumas tribos Americanas) também foram colonizados por outros que tinham Estado (Espanhóis e Portugueses)...temos evidencias históricas em ambos os lados então, aliás os casos com Estado me parecem suportar Nações mais desenvolvidas, afinal os Europeus criaram praticamente tudo que conhecemos como civilização.


O estado nunca vai ajudar industrias pequenas a superar industrias grandes, o sistema atual é o exato oposto, as industrias grandes capturam o estado ao se favor para beneficiá-las.
Repare que eu nem usei a palavra ''industria nacional ou internacional''.. Isso abrir espaço para falar em industrias ''estaduais'' e por que não separa-las comercialmente com tarifas sobre estados mais desenvolvidos para estimular os menos desenvolvidos? A lógica é a mesma, estáriamos beneficiando o nordeste impedindo ele importar do sul/sudoeste?
essa política já se provou desastrosa na prática. Além do mais, a necessidade que haveria para o governo proteger essa nova e jovem indústria da competição estrangeira deveria ser a mesma para protegê-la da competição doméstica.
Nas décadas recentes, as indústrias "infantes" de plástico, televisão e computadores se saíram muito bem sem tal proteção. Qualquer subsídio governamental para uma nova indústria vai canalizar muito mais recursos para essa indústria em relação às empresas mais velhas, e também vai inaugurar distorções que podem persistir e deixar a empresa ou a indústria permanentemente ineficiente e vulnerável para a concorrência. Como resultado, essas tarifas para proteger a "indústria infante" tendem a se tornar permanentes, independentemente da "maturidade" da indústria. Os proponentes dessas tarifas se deixaram enganar por uma analogia biológica, pensando que elas são "infantes" que precisam de cuidados adultos. Mas uma empresa não é uma pessoa, nem nova, nem velha.
Eu sei o modelo que deve ser seguido (Asiático, aka Japão, Coréia, China), onde existe tributação de multinacionais e quase que isenção de impostos para as indústrias nacionais seguidas de uma quebra de patentes para essas indústrias menores terem capacidade de começar sua produção sem os pesados custos iniciais de P&D.

Claro que na prática a coisa complica, afinal de contas há de se enfrentar poderosos lobbys e até manter uma dificultosa relação política com os detentores de tecnologia. Mas afinal de contas, se o Estado não servir para trabalhar os interesses necessários, não vejo como possa existir qualquer evolução.

Sobre seus exemplos da década de 70: Estamos em um mundo com mais pessoas competentes que em um passado recente e nós JÁ ficamos para traz nesse mundo. Hj em dia é praticamente impensável um empresário tentar alguma empreitada inédita sem proteção/dinheiro fácil e barato do Estado para tentar brigar de igual para igual com Multinacionais poderosas.

Novamente invoco o exemplo Asiático: Até pouco tempo atrás, a China era Sinônimo de equipamentos vagabundos, na última vez que visitei a Whirpool, percebi que praticamente todos os componentes mecânicos que eles compram não são mais Alemães/Brasileiros, sendo substituidos pelos Chineses...vale lembrar que a tributação desses Componentes pelos Chineses é praticamente nula, já os Brasileiros...

De uma olhada nessa "feliz coincidência" que estampa a capa do UOL:

http://carros.uol.com.br/noticias/redacao/2014/01/28/montadoras-voltam-a-ser-campeas-em-envio-de-lucros-ao-exterior.htm


Eis os principais pontos relatados pelo IBGE sobre a economia brasileira em 2010
No acumulado no ano de 2010, em relação ao mesmo período de 2009, o PIB variou 7,5%, resultado do crescimento de 6,7% no valor adicionado e 12,5% nos impostos. Nessa comparação, a agropecuária (6,5%), a indústria (10,1%) e os serviços (5,4%) cresceram. Assim, segundo as informações das Contas Nacionais Trimestrais, em 2010, o PIB em valores correntes alcançou R$ 3,675 trilhões. O PIB per capita ficou em R$ 19.016, apresentando uma alta de 6,5%, em volume, em relação a 2009 (R$ 16.634).Na análise da demanda, a despesa deconsumo das famíliascresceu7,0% em 2010, sétimo ano consecutivo de aumento.A formação bruta de capital fixocresceu21,8%, maior taxa acumulada em quatro trimestres da série iniciada em 1996. Já adespesa do consumo da administração públicatambém aumentou3,3%.emprego na indústria, no comércio e nos serviços é bastante semelhante, ao passo que no setor da construção civil ele é bem mais vigoroso. Tudo isso vem provocando uma elevação geral nos salários.

À primeira vista, isso parece bom. Quem poderia ser contra aumentos salariais e queda no desemprego? O problema é que tal arranjo é insustentável, simplesmente porque vivemos em um mundo de escassez. Quando começa a haver escassezes - seja de mão-de-obra, seja de produtos - os preços inevitavelmente tendem a aumentar. Se nada for feito, eles tendem a aumentar em ritmo cada vez mais acelerado, que é o que já está acontecendo no Brasil.
A expansão monetária, a redução nos juros e o aumento no crédito geram, como dito, investimentos adicionais em várias áreas até então pouco lucrativas. Esses novos investimentos requerem mão-de-obra adicional, a qual passa a ser retirada de setores como comércio e serviços. Assim, ao mesmo tempo em que uma construtora passa a demandar mais engenheiros, arquitetos, mestres-de-obras, corretores, vendedores, relações públicas etc., o setor de serviços e o comércio continuam demandando com a mesma intensidade esses profissionais, pois as pessoas não estão poupando, o que significa que o consumo segue aquecido em todos os setores a redução dos juros, como dito, não veio da poupança, mas sim da criação de dinheiro pelo Banco Central.Essa disputa por mão-de-obra provoca uma redução no desemprego e um aumento nos salários médios.
Da mesma forma, toda essa expansão monetária inevitavelmente gerará, a partir de algum momento, um forte aumento de preços nos bens e serviços.
Enquanto estiver havendo essa expansão do dinheiro e do crédito, mas os preços continuarem contidos, os números positivos da economia irão durar. A demanda por bens e serviços irá continuar em alta. Os estoques das empresas serão prontamente vendidos. Apartamentos continuarão sendo vendidos na planta. Novos empreendimentos continuarão sendo iniciados. Carros zero continuarão sendo vendidos aceleradamente. Novos restaurantes e novas lojas continuarão sendo abertos. Os preços e os lucros continuarão subindo. Trabalhadores continuarão encontrando empregos a salários nominais cada vez maiores.
O único detalhe chato de tudo isso é que tal expansão não pode durar..
Bolha só existe quando vc tem toda uma ESTRUTURAÇÃO de Capitais, principalmente especulatórios sobre juros de forma que toda essa piramide não tenha sustentação econômica por estar hiper-valorizada. Em um período um dos "pilares" dessa estrutura não consegue mais arcar com os custos, não pagando, gerando toda uma onda de quebra de empresas que dependiam daquela estrutura especulatória.

Quando temos dinheiro do Estado estamos lidando com um credor flexível e detentor de muito poder econômico, logo ele pode arcar com os custos caso alguma dessas empresas venha decidir parar de pagar.

Portanto esse fenômeno que vc descreveu na matéria não trata de Bolha, mas sim de: Aumento de endividamento das empresas + aumento de custos de produção.

Capitalização através de ações não tem nada a ver com o assunto que estamos falando aqui. O Problema do EIKE não foi iniciado nas ações, mas as ações em quedas são o resultando de problemas estruturais das empresas dele
Não foi iniciado pela venda de Ações? Sério mesmo? Poxa homem preciso então que vc vá no UOL e tente me explicar como as empresas dele desvalorizaram ao ponto dele ser obrigado a se retirar do comando da empresa...

Mas já poupando o trabalho de reescrever tudo, vou explicar:

O BNDES + Capitalização das empresas foram os maiores investidores do Eike. O que o empresário Carioca pensou: Poxa o Brasil está com um gigantesco montante de Dólares Especulatórios na Bolsa, agora é uma boa hora para conseguir capitar dinheiro e investir em meus projetos.

Dito e feito, ele capitou recursos no mercado, prática extremamente comum do mercado moderno. O que ele não esperava é que beeeeem diferente do que acontece com o Governo Federal e BNDES, a cobrança de resultados pelo Mercado é bastante severa e pontual. Logo, não conseguindo entregar os resultados suas ações/patrimônio começou a se deteriorar substancialmente (notícias que começaram a bombar em toda Mídia)...

DEPOIS de perder boa parte do valor de suas ações, o governo Federal (REPARE QUE AS NOTÍCIAS FORAM BEEEEEM DEPOIS) começou a cobrar o dinheiro emprestado para ele...e como se não bastasse as notícias mais recentes dão conta de seguidas renegociações com o governo, isto é, ele não está pagando é nada...

Portanto a relação Mercado de Ações + Eike Batista é tamanha que praticamente exclui o Estado, apesar dele ter sido responsável por criar boa parte do capital que ele tem em mãos.
 

Kids Graça

Bam-bam-bam
Mensagens
2.500
Reações
3.076
Pontos
304
E povos sem Estado (Algumas tribos Americanas) também foram colonizados por outros que tinham Estado (Espanhóis e Portugueses)...temos evidencias históricas em ambos os lados então, aliás os casos com Estado me parecem suportar Nações mais desenvolvidas, afinal os Europeus criaram praticamente tudo que conhecemos como civilização.
Indigenas não tem estado porque são povos pequenos, quando a população cresce a geração de um ocorre(Incas e maias por exemplo)
A europa se desenvolveu em liberdade de mercado, suécia, noruega, alemanha, frança, esses países em seu passado tiveram boa liberdade, (Principalmente os países nórdicos, que foram muito livres e não participaram das guerras mundias, o que preservou suas industrias e comércios e lhe deu vantagem social e econômica sobre o restante da europa)

As evidências históricas que temos é que a liberdade gerou riquezas, o estado expandiu e dilapidou essas riquezas, as nações colapsaram..

Exemplos é o que menos falta. O mais atual é os e.u.a e sua dívida. A Europa e seu estado de ''bem estar'' social que endividou o bloco..



Eu sei o modelo que deve ser seguido (Asiático, aka Japão, Coréia, China), onde existe tributação de multinacionais e quase que isenção de impostos para as indústrias nacionais seguidas de uma quebra de patentes para essas indústrias menores terem capacidade de começar sua produção sem os pesados custos iniciais de P&D.
Na verdade isso é só uma falácia post hoc, você está atribuindo o desenvolvimento local a isso e ignorando todo o restante das políticas econômicas.. Por exemplo, o japão tinha moeda deflacionária até pouco tempo, não vi isso quebrar o país, embora atualmente começaram a desvalorizar a moeda com argumentos protecionistas.


Claro que na prática a coisa complica, afinal de contas há de se enfrentar poderosos lobbys e até manter uma dificultosa relação política com os detentores de tecnologia. Mas afinal de contas, se o Estado não servir para trabalhar os interesses necessários, não vejo como possa existir qualquer evolução.
A política vive de populismo, políticas econômicas que são dolorosas no curto prazo mas benéficas no longo prazo quase nunca estão em pauta. É melhor expandir os gastos e o crédito agora e deixar a bomba para o outro.


Sobre seus exemplos da década de 70: Estamos em um mundo com mais pessoas competentes que em um passado recente e nós JÁ ficamos para traz nesse mundo. Hj em dia é praticamente impensável um empresário tentar alguma empreitada inédita sem proteção/dinheiro fácil e barato do Estado para tentar brigar de igual para igual com Multinacionais poderosas.
Esse setor da informática era e ainda é bem desburocratizado e com pouca proteção, não por acaso ele está evoluindo rapidamente, e seus preços vivem caindo. Seu celular de bolso provavelmente tem mais poder de processamento que um pc de 10 anos atrás.
Se estamos para trás em comparação ao mundo, isso se deve mais ao ambiente Brasileiro, seja a educação ESTATAL péssima, nossos ataques a meritocracia, os impostos..



Novamente invoco o exemplo Asiático: Até pouco tempo atrás, a China era Sinônimo de equipamentos vagabundos, na última vez que visitei a Whirpool, percebi que praticamente todos os componentes mecânicos que eles compram não são mais Alemães/Brasileiros, sendo substituidos pelos Chineses...vale lembrar que a tributação desses Componentes pelos Chineses é praticamente nula, já os Brasileiros...
E isso é bom para o povo? Não é porque o país cresce que ESSA SEJA A CAUSA do crescimento. Vale lembrar que o país vive liberando o mercado em vários pontos, saiu de um regime comunista, isso sim está ajudando no crescimento..
e tambem as patentes lá não são respeitadas, isso diminui muito os preços dos produtos.
A china não cresce por protecionismo, ela cresce apesar do protecionismo, seria bem melhor aos chineses ter acesso a produtos de qualidade e as industrias serem obrigadas a melhorar a qualidade dos produtos para se adequar a concorrência externa.. E não venha dizer que as industrias de lá não tem capacidade para isso e precisam de proteção. Mão de obra quase infinita gera uma imensa vantagem para quem tem industrias lá, vantagem maior que qualquer proteção externa que afeta os chineses


Bolha só existe quando vc tem toda uma ESTRUTURAÇÃO de Capitais, principalmente especulatórios sobre juros de forma que toda essa piramide não tenha sustentação econômica por estar hiper-valorizada. Em um período um dos "pilares" dessa estrutura não consegue mais arcar com os custos, não pagando, gerando toda uma onda de quebra de empresas que dependiam daquela estrutura especulatória.
Esse é um tipo de bolha, e você retirou o fator principal da equação, a fonte que alimenta essa especulação é o crédito. Quando esse crédito fica mais escasso e os custos maiores, não conseguem mais pagar as dívidas, e a 'bolha explode'

Repare na semelhança com o Brasil, foi dado crédito as empresas, essas acentuaram seus investimentos, como os recursos são escassos os preços de tudo subiram, o que obriga apertar a expansão monetária, consequentemente os lucros foram frustados..
Nosso p.i.b está estagnado, no momento da expansão(Em 2010) o p.i.b chegou em 7.5

Estamos pagando o preço agora e futuramente,..

Quando temos dinheiro do Estado estamos lidando com um credor flexível e detentor de muito poder econômico, logo ele pode arcar com os custos caso alguma dessas empresas venha decidir parar de pagar
Sim, lucro privado e prejuizo socializado.
.


Portanto esse fenômeno que vc descreveu na matéria não trata de Bolha, mas sim de: Aumento de endividamento das empresas + aumento de custos de produção.
Causado pela expansão creditícia.
A inflação de preços obriga apertar o crédito, o que vai piorar a situação empresarial. É claro que o governo pode simplesmente liberar mais crédito e Adiar essa correção simplesmente para se eleger, mas isso vai deixar a coisa ainda pior futuramente.


Não foi iniciado pela venda de Ações? Sério mesmo? Poxa homem preciso então que vc vá no UOL e tente me explicar como as empresas dele desvalorizaram ao ponto dele ser obrigado a se retirar do comando da empresa...
Ele investiu de forma errada o dinheiro capitalizado.



O BNDES + Capitalização das empresas foram os maiores investidores do Eike. O que o empresário Carioca pensou: Poxa o Brasil está com um gigantesco montante de Dólares Especulatórios na Bolsa, agora é uma boa hora para conseguir capitar dinheiro e investir em meus projetos.

Dito e feito, ele capitou recursos no mercado, prática extremamente comum do mercado moderno. O que ele não esperava é que beeeeem diferente do que acontece com o Governo Federal e BNDES, a cobrança de resultados pelo Mercado é bastante severa e pontual. Logo, não conseguindo entregar os resultados suas ações/patrimônio começou a se deteriorar substancialmente (notícias que começaram a bombar em toda Mídia)...

DEPOIS de perder boa parte do valor de suas ações, o governo Federal (REPARE QUE AS NOTÍCIAS FORAM BEEEEEM DEPOIS) começou a cobrar o dinheiro emprestado para ele...e como se não bastasse as notícias mais recentes dão conta de seguidas renegociações com o governo, isto é, ele não está pagando é nada...

Portanto a relação Mercado de Ações + Eike Batista é tamanha que praticamente exclui o Estado, apesar dele ter sido responsável por criar boa parte do capital que ele tem em mãos.
É claro que ele não conseguiu entregar os resultados.. Como eu disse.

Crédito farto gera investimento ruim. ELe precisava apresentar resultados e não apresentou, as ações derreteram.
As ações subiram inicialmente por causa desses investimentos ruins

O problema não foi a capitalização, mas foi o erro de investimento que destruiu a confiança na capacidade de suas empresas.

Principalmente depois que ele disse que a petrolifera não cumpriria suas promessas de extração petrolifera.
 

emanuel mariano

Bam-bam-bam
Mensagens
5.905
Reações
9.234
Pontos
343
Cuba paga em dia, foi postado no outro tópico que nunca atrasaram um pagamento.

Vocês estão parecendo o Mainard falando só por falar.
Não dá para saber, né. Mas acredito que, apesar da minha desconfiança, não dará dor de cabeça. Muito me incomoda mais uma vez a odebretch ser a que vai receber para fazer as obras. Mesma empresa que financia as eleições do partido. Googleada rápida para mostrar o óbvio: http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/brasil/os-maiores-doadores-privados-do-pt/ .

Como disse, isso deve criar empregos no Brasil. Mas realmente é lamentável que os portos brasileiros sejam esquecidos dessa forma. Imagine esse dinheiro nos portos daqui. como melhoraria nosso comercio marítimo e geraria muitos empregos...

No fim das contas escolheram Cuba por causa da simpatia que o governo tem com o país, não tem como negar. Agora é esperar que nada dê errado.
 

emanuel mariano

Bam-bam-bam
Mensagens
5.905
Reações
9.234
Pontos
343
É muito estranho o Brasil pagar para Cuba ter um porto. Daqui a pouco outros países irão pedir ajuda ao Brasil, não a bancos internacionais.

Cuba pega dinheiro dos brasileiros para pagar uma empresa brasileira que financia as eleições do partido que detém o governo brasileiro. Aqui no Brasil teria que ter ao menos uma licitação, mas Cuba escolhe a dedo a empresa e tá sossegado. Isso para pagar somente a longo prazo. Até lá o Brasil fica com esse prejuízo.

Quem vai sair capitalizado a curto e médio prazo é a empresa.
 

Beiçola From Hell

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
37.261
Reações
39.056
Pontos
753
Indigenas não tem estado porque são povos pequenos, quando a população cresce a geração de um ocorre(Incas e maias por exemplo)
A europa se desenvolveu em liberdade de mercado, suécia, noruega, alemanha, frança, esses países em seu passado tiveram boa liberdade, (Principalmente os países nórdicos, que foram muito livres e não participaram das guerras mundias, o que preservou suas industrias e comércios e lhe deu vantagem social e econômica sobre o restante da europa)

As evidências históricas que temos é que a liberdade gerou riquezas, o estado expandiu e dilapidou essas riquezas, as nações colapsaram..

Exemplos é o que menos falta. O mais atual é os e.u.a e sua dívida. A Europa e seu estado de ''bem estar'' social que endividou o bloco..
Discordo veementemente, desde que o mundo começou a se organizar no Capitalismo os países da Europa Capitalista investem em Educação, Saúde e fiscalização de suas empresas.

O domínio desses países nada tem haver com Liberdade econômica que inexiste nesses países extremamente protecionista, mas sim, tem relação com a maior competência deles em vários setores que propiciam empresas pioneiras, detentoras de mercado e que não precisam de proteção para se manterem assim. Logo eles pregam o Liberalismo sobre esse domínio mas criam barreiras alfandegárias assim que são passados por concorrentes.


Na verdade isso é só uma falácia post hoc, você está atribuindo o desenvolvimento local a isso e ignorando todo o restante das políticas econômicas.. Por exemplo, o japão tinha moeda deflacionária até pouco tempo, não vi isso quebrar o país, embora atualmente começaram a desvalorizar a moeda com argumentos protecionistas.
Retribuo seus argumentos: As falácias são suas, afinal só se preocupou em citar um ponto caso de um dos exemplos que nem de perto explicam absolutamente nada.

Me explique então como os eletrônicos japoneses dominaram o mundo, assim como os Coreanos e agora praticamente tudo Chinês vem ganhado espaço.

Esse setor da informática era e ainda é bem desburocratizado e com pouca proteção, não por acaso ele está evoluindo rapidamente, e seus preços vivem caindo. Seu celular de bolso provavelmente tem mais poder de processamento que um pc de 10 anos atrás.
Se estamos para trás em comparação ao mundo, isso se deve mais ao ambiente Brasileiro, seja a educação ESTATAL péssima, nossos ataques a meritocracia, os impostos..
Quem falou em indústria de informática? O Brasil está atrasado na indústria de polímeros que vc citou no seu exemplo, simplesmente não temos como competir com os polímeros de tecnologia de Multinacionais...

E isso é só um exemplo. O que digo é: Estamos atrasado em praticamente todas as indústria e se não separarmos alguns nichos para nos desenvolver, no futuro só conseguiremos dinheiro do Agro-Negócio.

E isso é bom para o povo? Não é porque o país cresce que ESSA SEJA A CAUSA do crescimento. Vale lembrar que o país vive liberando o mercado em vários pontos, saiu de um regime comunista, isso sim está ajudando no crescimento..
e tambem as patentes lá não são respeitadas, isso diminui muito os preços dos produtos.
A china não cresce por protecionismo, ela cresce apesar do protecionismo, seria bem melhor aos chineses ter acesso a produtos de qualidade e as industrias serem obrigadas a melhorar a qualidade dos produtos para se adequar a concorrência externa.. E não venha dizer que as industrias de lá não tem capacidade para isso e precisam de proteção. Mão de obra quase infinita gera uma imensa vantagem para quem tem industrias lá, vantagem maior que qualquer proteção externa que afeta os chineses
Ai complica, vc confunde causa e efeito sem o menor discernimento: Quebra de Patentes é um dos maiores subsídios que o Estado deve oferecer para indústrias nanicas assim como o protecionismo na taxação, que estimula a população a consumir um "Hiphone" ao invés do "Iphone"...

Competência não brota do chão e é impossível uma industria jovem brigar sozinha com Multinacionais poderosas, novamente invoco o caso da Gurgel que não teve proteção do Estado e foi massacrada.

Esse é um tipo de bolha, e você retirou o fator principal da equação, a fonte que alimenta essa especulação é o crédito. Quando esse crédito fica mais escasso e os custos maiores, não conseguem mais pagar as dívidas, e a 'bolha explode'

Repare na semelhança com o Brasil, foi dado crédito as empresas, essas acentuaram seus investimentos, como os recursos são escassos os preços de tudo subiram, o que obriga apertar a expansão monetária, consequentemente os lucros foram frustados..
Nosso p.i.b está estagnado, no momento da expansão(Em 2010) o p.i.b chegou em 7.5

Estamos pagando o preço agora e futuramente,..
Não e já expliquei pq.

Sim, lucro privado e prejuizo socializado.
.
Não, se a empresa cresce ela acaba criando toda uma cadeia de fornecedores e desenvolvedores de tecnologia que acabam pagando com sobras o que foi investido inicialmente.

Trata-se de pagar pouco para ganhar muito no futuro.



Causado pela expansão creditícia.
A inflação de preços obriga apertar o crédito, o que vai piorar a situação empresarial. É claro que o governo pode simplesmente liberar mais crédito e Adiar essa correção simplesmente para se eleger, mas isso vai deixar a coisa ainda pior futuramente.
Não, absolutamente absurdo.

Fuga de Capitais externos provocaram a escassez de crédito e isso não tem nada haver com dinheiro já investido em Ações.

Proponho mais um desafio para vc: Me prove que a OGX perdeu 22% de seu valor EM UM DIA (conforme notícias do UOL na época) simplesmente com a escassez de crédito.

Ele investiu de forma errada o dinheiro capitalizado.
Sim, foi exatamente o que falei.

É claro que ele não conseguiu entregar os resultados.. Como eu disse.

Crédito farto gera investimento ruim. ELe precisava apresentar resultados e não apresentou, as ações derreteram.
As ações subiram inicialmente por causa desses investimentos ruins

O problema não foi a capitalização, mas foi o erro de investimento que destruiu a confiança na capacidade de suas empresas.

Principalmente depois que ele disse que a petrolifera não cumpriria suas promessas de extração petrolifera.
Que vc falou, vc falou, mas foi uma baita de uma besteira: Me explica como o Facebook teve uma injeção de capitais absurda e praticamente não perdeu nada enquanto o Eike quebrou? Quer dizer, sua lei inventada vale para uns e para outros não?

Claro que foi um péssimo investimento do dinheiro e eu até citei isso em posts anteriores, só não existe influencia alguma na existência de capital com seu mal investimento.
 

ty_hot

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
25.547
Reações
7.233
Pontos
554
Não dá para saber, né. Mas acredito que, apesar da minha desconfiança, não dará dor de cabeça. Muito me incomoda mais uma vez a odebretch ser a que vai receber para fazer as obras. Mesma empresa que financia as eleições do partido. Googleada rápida para mostrar o óbvio: http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/brasil/os-maiores-doadores-privados-do-pt/ .

Como disse, isso deve criar empregos no Brasil. Mas realmente é lamentável que os portos brasileiros sejam esquecidos dessa forma. Imagine esse dinheiro nos portos daqui. como melhoraria nosso comercio marítimo e geraria muitos empregos...

No fim das contas escolheram Cuba por causa da simpatia que o governo tem com o país, não tem como negar. Agora é esperar que nada dê errado.

Portos esquecidos:
http://www.cartacapital.com.br/dialogos-capitais/portos-cearenses-e-os-desafios-do-crescimento-2177.html
movimentação aumentou 40 e 50% nos Portos citados.

Pra não falar que fui parcial:
http://www.cartacapital.com.br/dialogos-capitais/em-alguns-portos-brasileiros-e-como-se-anida-estivessemos-no-tempo-da-vela-1063.html

Obvio que, assim como em qualquer outra área, falta muito para as coisas no Brasil funcionarem. Mas é demais querer reclamar de coisas no puro impulso.

Cuba paga em dia, fato. BNDES financiou 600 e poucos milhoes e Cuba gastou mais de 800 em produtos e serviços brasileiros para fazer a obra, negócio ruim onde? Cuba tem tudo para abrir seu mercado, a começar justamente com a área próxima ao porto. Ter influência e ser um parceiro grande é importante. O porto via poder comportar os maiores navios de carga do mundo, que a partir do ano que vem (ou desse?) passarão pelo canal do Panamá. Obvio que os empregos serão de Cuba, mas o Brasil pode se beneficiar disso conjuntamente.

Porto de Santos é uma piada, isso é inegável. Carga pra ser enviada em fevereiro e em Abril nem no navio não chegou ainda... mas eu pessoalmente acho que é mais problema das obras do entorno do que propriamente do Porto (que também precisa de investimento).
 

Kids Graça

Bam-bam-bam
Mensagens
2.500
Reações
3.076
Pontos
304
Discordo veementemente, desde que o mundo começou a se organizar no Capitalismo os países da Europa Capitalista investem em Educação, Saúde e fiscalização de suas empresas.

O domínio desses países nada tem haver com Liberdade econômica que inexiste nesses países extremamente protecionista, mas sim, tem relação com a maior competência deles em vários setores que propiciam empresas pioneiras, detentoras de mercado e que não precisam de proteção para se manterem assim. Logo eles pregam o Liberalismo sobre esse domínio mas criam barreiras alfandegárias assim que são passados por concorrentes.
Varias fontes de liberdade de mercado mostram o contrário.

Os países prosperos são os mais livres, e os que não são tão livres foram livres no passado. Não foi umas medidas de proteção que gerou o progresso, foi todo o restante da economia livre. Fato que o Brasil tem protecionismo e não se desenvolve porque falta mercado.

Olha pro heritage, e pra outras fontes caso não goste dela..

Os países nórdicos, aqueles que dizem que o''socialismo funcionou'' são os mais livres do mundo, não é o socialismo que está funcionando lá, mas o mercado.





Retribuo seus argumentos: As falácias são suas, afinal só se preocupou em citar um ponto caso de um dos exemplos que nem de perto explicam absolutamente nada.

Me explique então como os eletrônicos japoneses dominaram o mundo, assim como os Coreanos e agora praticamente tudo Chinês vem ganhado espaço.
Simples. Eles tem muito mais mercado que nós, a china idem, esta liberando e crescendo. Mas você está dizendo que é o protecionismo que faz isso. Não, eles crescem apesar disso e não por causa disso.



Quem falou em indústria de informática? O Brasil está atrasado na indústria de polímeros que vc citou no seu exemplo, simplesmente não temos como competir com os polímeros de tecnologia de Multinacionais...
Eu falei em industria de informatica, um setor que nasceu do nada e continua nascendo empresas sem precisar de ajuda estatal para proteger de outras empresas. Vez ou outra você vê alguêm que surge das trevas e fica milionário no setor.


E isso é só um exemplo. O que digo é: Estamos atrasado em praticamente todas as indústria e se não separarmos alguns nichos para nos desenvolver, no futuro só conseguiremos dinheiro do Agro-Negócio.
E pra variar somos um dos países mais protecionistas da terra



Ai complica, vc confunde causa e efeito sem o menor discernimento: Quebra de Patentes é um dos maiores subsídios que o Estado deve oferecer para indústrias nanicas assim como o protecionismo na taxação, que estimula a população a consumir um "Hiphone" ao invés do "Iphone"...
Patentes é um monopólio de uma idéia concedido por um estado, e é usado como argumento protecionista, do tipo (Se ele não receber pela invenção não existe estimulo para inovar) A china é uma refutação a céu aberto disso.


Competência não brota do chão e é impossível uma industria jovem brigar sozinha com Multinacionais poderosas, novamente invoco o caso da Gurgel que não teve proteção do Estado e foi massacrada.
Não conheço esse caso. Mas no Brasil centenas de pequenas empresas são massacradas, isso é o nosso ambiente que não deixa elas crescerem, Uma empresa grande consegue arcar com os custos que oe stado impõe, mas uma pequena sofre e precisa de capital para investir, só que esse capital é confiscado com tributos e burocracias.


Não e já expliquei pq.
E eu concordo, você só está tirando vários fatores dali




Fuga de Capitais externos provocaram a escassez de crédito e isso não tem nada haver com dinheiro já investido em Ações.

Proponho mais um desafio para vc: Me prove que a OGX perdeu 22% de seu valor EM UM DIA (conforme notícias do UOL na época) simplesmente com a escassez de crédito.
Foi os investimentos insustentáveis gerados por subsidios que geraram uma crise de confiança nas suas empresas.. Não foi investimento sustentável e o estado ajudou muito nesse investimento através do BNDES





Que vc falou, vc falou, mas foi uma baita de uma besteira: Me explica como o Facebook teve uma injeção de capitais absurda e praticamente não perdeu nada enquanto o Eike quebrou? Quer dizer, sua lei inventada vale para uns e para outros não?
O Facebook é uma empresa que investiu corretamente, que não teve um BNDES subsidiando seus projetos, basicamente é um exemplo claro de um indivíduo que não tinha capital nenhum na área de informática e virou bilhonário sem ajuda do estado.
Claro que foi um péssimo investimento do dinheiro e eu até citei isso em posts anteriores, só não existe influencia alguma na existência de capital com seu mal investimento.

Existe influencia do BNDES e do crédito facilitado para ele. Isso diminui a aversão ao risco na hora de investir, e foi o colapso de seus investimentos que derreteram suas ações.

As ações refletem a situação da empresa. Tanto que muitos usam elas para medir como um mercado está indo. Embora não seja exata.
 

emanuel mariano

Bam-bam-bam
Mensagens
5.905
Reações
9.234
Pontos
343
Sim, tyhot, eu não disse que Cuba vai dar calote. Apenas acho estranho esse lance de a financiadora do partido levar essa na influência. Por isso vejo com melhor olhos investir na modernização dos portos brasileiros.

Eu vejo isso como uma forma de beneficiar a empresa dando a ideia de que se esta pensando apenas no lado comercial da coisa.
 

Kids Graça

Bam-bam-bam
Mensagens
2.500
Reações
3.076
Pontos
304
Vale lembrar que o crédito também alimenta ações.. É só olhar que a simples ameça do fim do QE nos e.u.a derrubou nossas ações
 

Beiçola From Hell

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
37.261
Reações
39.056
Pontos
753
Varias fontes de liberdade de mercado mostram o contrário.

Os países prosperos são os mais livres, e os que não são tão livres foram livres no passado. Não foi umas medidas de proteção que gerou o progresso, foi todo o restante da economia livre. Fato que o Brasil tem protecionismo e não se desenvolve porque falta mercado.

Olha pro heritage, e pra outras fontes caso não goste dela..

Os países nórdicos, aqueles que dizem que o''socialismo funcionou'' são os mais livres do mundo, não é o socialismo que está funcionando lá, mas o mercado.
Pega essas Fontes, pega o histórico e me mostre que esses países não tinham Educação Universal de qualidade, Saúde Pública de Qualidade, Transporte Fiscalizado pelo Estado com qualidade, impostos altos e fiscalização extremamente eficaz do Estado.

Mostrar que ele prega o Liberalismo sendo que eles possuem domínio de uma grande variedade de bens industrializados é fácil, agora olhar a figura completa é o que diferencia tudo (se formos considerar apenas um critério o Brasil também é completamente liberalista, oras, pregamos o liberalismo na venda de carne e soja logo somos liberalistas).

Simples. Eles tem muito mais mercado que nós, a china idem, esta liberando e crescendo. Mas você está dizendo que é o protecionismo que faz isso. Não, eles crescem apesar disso e não por causa disso.
Eles tem mais mercado pq Protegeram a indústria deles até elas terem condições de competitividade. Agora estão deixando as industrias já maduras andarem com os próprios pés.

Mas mesmo assim ainda é muito mais barato comprar um Hiphone dentro da China do que um iPhone (repare que é um caso específico que demonstra um setor onde eles não dominam e ainda existe amplo protecionismo).

Eu falei em industria de informatica, um setor que nasceu do nada e continua nascendo empresas sem precisar de ajuda estatal para proteger de outras empresas. Vez ou outra você vê alguêm que surge das trevas e fica milionário no setor.
É uma industria diferenciada, que demanda pouco P&D e baixíssimos custos de produção. Essa indústria, até chegar em sua maturidade não necessita de protecionismo algum pois basta o talento.

E pra variar somos um dos países mais protecionistas da terra
Discordo, somos Liberalistas se olharmos o mundo como unicamente produtor/consumidor de Soja...

Piadas à parte: O Brasil não serve de exemplo para nada.

Patentes é um monopólio de uma idéia concedido por um estado, e é usado como argumento protecionista, do tipo (Se ele não receber pela invenção não existe estimulo para inovar) A china é uma refutação a céu aberto disso.
E "pasme", todos os países bem colocado nos Ranking de Liberdade Economica são praticamente os detentores de todo esse conhecimento.

Pregar Liberdade quando se tem o domínio suficiente de algum tipo de produção é fácil.

Não conheço esse caso. Mas no Brasil centenas de pequenas empresas são massacradas, isso é o nosso ambiente que não deixa elas crescerem, Uma empresa grande consegue arcar com os custos que oe stado impõe, mas uma pequena sofre e precisa de capital para investir, só que esse capital é confiscado com tributos e burocracias.
Basicamente foi uma Empresa Automobilistica que tentou vencer no mercado sem ajuda alguma do Estado e acabou massacrada pelas Multinacionais e seus Cartéis.

Não tem como uma empresa nascer e caminhar sozinha sem nenhum incentivo do Estado hj em dia.

E eu concordo, você só está tirando vários fatores dali
Não concordo e já expliquei pq, me desculpe mas ainda não considero refutado meu argumento.

Foi os investimentos insustentáveis gerados por subsidios que geraram uma crise de confiança nas suas empresas.. Não foi investimento sustentável e o estado ajudou muito nesse investimento através do BNDES
E que investimentos insustentáveis? Especificamente.

Pq até aonde o noticiário deu conta o problema foi pura e simplesmente incompetência de propor um prazo impossível de ser alcançado sem o Know-How que só uma Petrobras possui e obviamente a Estatal não iria abrir suas tecnologias para terceiros, isso não teria lógica alguma.

O mercado reagiu apropriadamente: Cobrou a incompetencia dele desvalorizando as Ações, afinal especulador algum gosta de perder dinheiro.

O Facebook é uma empresa que investiu corretamente, que não teve um BNDES subsidiando seus projetos, basicamente é um exemplo claro de um indivíduo que não tinha capital nenhum na área de informática e virou bilhonário sem ajuda do estado.
E também é um bom exemplo de empresa que ajuda a formar milionários e não criam toda a "Rede de Fornecedores e produção de P&D" que realmente trazem riquezas para a Nação.

Não é interessante ter esse tipo de empresa, assim como não é interessante ser fornecedor de commodities. Temos de focar no domínio de tecnologias e fabricações industriais, que geram cadeia de empregos de qualidade e venda de produtos acabados, os quais são os verdadeiros criadores de riqueza.

OBS.: E tem outra coisa, o talento a condição de renda da família e a condição de estudar (faculdade e suas bolsas) não brotaram do chão para o Zuckemberg.

Existe influencia do BNDES e do crédito facilitado para ele. Isso diminui a aversão ao risco na hora de investir, e foi o colapso de seus investimentos que derreteram suas ações.

As ações refletem a situação da empresa. Tanto que muitos usam elas para medir como um mercado está indo. Embora não seja exata.
Sério, por favor que argumento é esse?

Então quer dizer que as mãos dele estavam tão cheias de dinheiro que ele foi captar no mercado de capitais simplesmente pq é legal???? E ele não se preocupou com a cobrança que uma incompetência causaria (e causou), mesmo sabendo que a gigantesca maioria de seu capital sairia dos especuladores?

Não né, não...não.
 

Kids Graça

Bam-bam-bam
Mensagens
2.500
Reações
3.076
Pontos
304
Pega essas Fontes, pega o histórico e me mostre que esses países não tinham Educação Universal de qualidade, Saúde Pública de Qualidade, Transporte Fiscalizado pelo Estado com qualidade, impostos altos e fiscalização extremamente eficaz do Estado.

Mostrar que ele prega o Liberalismo sendo que eles possuem domínio de uma grande variedade de bens industrializados é fácil, agora olhar a figura completa é o que diferencia tudo (se formos considerar apenas um critério o Brasil também é completamente liberalista, oras, pregamos o liberalismo na venda de carne e soja logo somos liberalistas).

Não seja por isso..

Olha os gastos dos estados no passado em relação ao p.i.b.. Hoje o estado está muito maior que no passado, os países ricos atuais eram muito livres



Minarquismos

http://pt.wikipedia.org/wiki/Minarquismo

Exemplos de minarquismo

A cidade do mundo hoje mais próxima do minarquismo, segundo os adeptos desta teoria, é Hong Kong, porque tem a melhor proteção da propriedade privada no mundo, a segunda menor carga tributária e praticamente não existem tarifas de importação e exportação. Durante os 99 anos (1898-1997) em que foi administrada sob o conceito minarquista Hong Kong se tornou uma ilha de prosperidade e riqueza. Outras economias Asiáticas, notadamente alguns dos "Tigres Asiáticos", adotaram políticas semelhantes de baixas tarifas, governo enxuto, e confiança na economia de mercado. Talvez o melhor exemplo seja o de Singapura.

Um exemplo disso foi o que ocorreu nos Estados Unidos durante o século XIX, quando a carga tributária girou em torno de 3%, embora este país não fosse exatamente minarquista na época.
Historicamente, o país mais próximo do minarquismo puro foi os Estados Unidos durante o período de 1780 até 1913. Durante este período os Estados Unidos se transformaram de uma economia rural e primitiva, que possuía menos de 1% do volume de produção global, para o país mais rico e industrializado do mundo, com um terço da produção industrial global.


Sobre a suécia

“O melhor lugar para achar uma mão que ajude é no final do seu braço.” (Provérbio Sueco)

Muitos são os que utilizam o relativo sucesso escandinavo para defender o modelo do Estado de bem-estar social. Estas pessoas argumentam que elevados impostos e um extenso welfare state é benéfico para a economia e a população, ignorando a relação causal entre as coisas. Na verdade, os países com pesado welfare state ficaram ricos a despeito deste modelo, não por causa dele. Se replicarmos tal modelo na África miserável de hoje, teremos apenas mais miséria. O economista Stefan Karlsson, que trabalha na Suécia, escreveu para o Mises.org um artigo chamado “The Sweden Myth”, visando a derrubar certas falácias sobre o modelo escandinavo. Veremos os principais pontos do autor.

Até a segunda metade do século XIX, a Suécia era bem pobre. Mas reformas de livre mercado adotadas nos anos 1860 permitiram que o país se beneficiasse da crescente revolução industrial. A economia rapidamente se industrializou durante os séculos XIX e XX, vendo aumentar bastante o número de empreendedores e inventores. Surgiram empresas como a Volvo, Saab e Ericsson. Além disso, um fator que muito contribuiu para a prosperidade sueca foi o seu afastamento de ambas as guerras mundiais, que destroçaram a Europa. Desde 1809, a Suécia não participa de guerra alguma. Juntando tudo isso, a Suécia teve o maior crescimento de renda per capita do mundo entre 1870 e 1950, tornando-se uma das nações mais ricas do globo.

Porém, as sementes de grandes problemas já haviam sido plantadas em 1932, quando os social-democratas subiram ao poder por conta da Grande Depressão. A expansão do governo na economia foi assustadora, mas vindo de uma base bem pequena. Os gastos estatais eram inferiores a 10% do PIB. Mesmo nos anos 1950, a Suécia ainda tinha uma das economias mais livres do mundo, e os gastos estatais eram menores que o dos americanos. Mas entre 1950 e 1975, os gastos subiram de 20% para 50% do PIB. As mudanças tornaram o país menos competitivo em termos globais, e a moeda, o krona, acabou sendo desvalorizada. A inflação começou uma escalada contínua. A insatisfação era grande, e uma coalizão de centro-direita chegou ao poder em 1976, quebrando 44 anos de gestão ininterrupta dos social-democratas. Entretanto, os partidos de centro-direita não estavam dispostos a levar adiante reformas liberais mais radicais. Quando privilégios são concedidos, dificilmente um governante enfrenta sua retirada impopular. A inflação continuava incomodando e a moeda foi novamente desvalorizada.

Em 1986, o mais pragmático Ingvar Carlsson tornou-se Primeiro Ministro, e implementou várias reformas de livre mercado. Aboliu os controles de moeda e reduziu impostos. Como quase todo remédio, o impacto imediato foi amargo. No começo dos anos 1990, a economia estava em queda, enfrentando certos ajustes necessários por anos de irresponsabilidade do governo. A crise do petróleo causada pela invasão ao Iraque agravou a situação. Somando tudo, a economia sueca estava em recessão no começo da década de 1990, com o emprego caindo mais de 10% e o déficit fiscal subindo para mais de 10% do PIB. Em termos de renda, a Suécia ficou perto da vigésima posição no mundo, uma queda que jamais foi recuperada.

Novas reformas foram adotadas, privatizações foram feitas e vários setores foram desregulamentados. O déficit fiscal foi eliminado. Estas reformas liberais permitiram uma certa recuperação da economia sueca. O Banco Central sueco, Riksbank, adotou uma meta inflacionária de 2% ao ano. Ainda assim, a renda per capita da Suécia, perto de US$ 30 mil, está bem aquém da americana, perto de US$ 40 mil. A renda de Cingapura, que não contava com o acúmulo de riqueza da Suécia nem com seus recursos naturais, já colou na sueca, graças ao modelo de ampla liberdade econômica.

Até mesmo em uma nação que já era rica e com apenas 9 milhões de habitantes, o peso do welfare state tem sido duro de carregar. Os incentivos – e indivíduos reagem a incentivos – não encontram-se no lugar adequado. Quando o “papai” Estado oferece tudo “grátis”, há menos incentivos para o trabalho e o sustento por conta própria. A epígrafe no começo do artigo mostra que nem sempre os suecos ignoraram esta obviedade.

Usar a Suécia como ícone de sucesso do modelo de welfare state é, como vimos, uma falácia. Na verdade, a Suécia enriqueceu por conta do Liberalismo, e o inchaço estatal plantou as sementes do fracasso. Reformas liberais têm sido implementadas para reduzir o estrago causado pelo tamanho do Estado. A Suécia desfruta de boa qualidade de vida a despeito do welfare state, não por causa dele.

E o mais lamentável de tudo é que, pela ótica brasileira, a Suécia seria considerada “ultra-liberal”. O índice de liberdade econômica do Heritage coloca a Suécia em 19º lugar no ranking, enquanto o Brasil está em 81º lugar. Para o Brasil chegar ao modelo sueco, teria que adotar inúmeras reformas liberais. Infelizmente, aqui muitos ainda consideram até mesmo o PSDB como um partido liberal. Ou seja, não só não foi o welfare state que gerou o relativo sucesso sueco, como estamos muito longe até mesmo desse modelo, tachado injustamente por aqui de “neoliberal”.


Mesmo esses países com impostos mais altos ainda tem as outras áreas livres. E AINDA SÃO os mais livres


 

Kids Graça

Bam-bam-bam
Mensagens
2.500
Reações
3.076
Pontos
304
Sério, por favor que argumento é esse?

Então quer dizer que as mãos dele estavam tão cheias de dinheiro que ele foi captar no mercado de capitais simplesmente pq é legal???? E ele não se preocupou com a cobrança que uma incompetência causaria (e causou), mesmo sabendo que a gigantesca maioria de seu capital sairia dos especuladores?

Não né, não...não.
Eu não disse que o mercado de ações não foi útil. Ele se valorizou por culpa do boom das comodittes e dos investimentos baseados em subsídios. Isso aumentou a confiança dos investidores e as ações valorizaram, ele capitalizou elas, expandiu ainda mais os investimentos ruins e depois venho o preço disso
 

Beiçola From Hell

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
37.261
Reações
39.056
Pontos
753
Kids Graça

Mas o texto simplesmente não diz nada do que eu falei: A Saúde pública e Educação Universais estão lá desde muito tempo e o controle que estão criando é pelo inchamento do Estado, o que é completamente correto, afinal de contas um Estado inchado não é interessante para ninguém.
 
Topo