O que há de Novo?
  • Novo tema VIP está disponível
    Visitante, um novo tema com fundo escuro agora está disponível para aqueles que contribuíram com doações ao fórum e têm o status VIP. Veja os detalhes aqui.


E esse caso do pro player que fingiu ser uma mulher no Overwatch

matroska

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
12.650
Reações
12.937
Pontos
674
Mas porque mulher não pode ser boa em video-games? Não entendo isso... todas que conheço mesmo as boas não estão no nível dos "tops".

Simples:

São muito poucas as que jogam a maioria dos jogos do estilo competitivo. E essas poucas que jogam um outro percentual mais pequeno joga bem, mas não suficiente para o cenário competitivo.

Em São Paulo no ínicio dos anos 2000 tinha uma moça que manjava bem das técnicas do Tekken 3 e do Tekken Tag. Jogava bem sim, mas não o suficiente para vencer os caras mais viciados da região.

Como são poucas as que tem interesse em jogos competitivos é mais difícil achar uma de alto nível e que tenha interesse em cenário competitivo.


As mulheres jogam em sua maioria jogos mais casuais e jogam de forma mais descompromissada.

Nada impede de uma mulher jogar bem, mas o interesse das mulheres por games é muito menor que dos homens.

Existem mulheres que tem mais interesse sim, mas são muito poucas.

E também o cenário competitivo de games é visto como um ambiente mais para os homens (mesmo permitindo mulheres) pelas próprias mulheres.


Tem alguma que é PPL? Nem sei o que é isso.

Você mesmo falou que o cara não era tão bom assim, porque ele ascendeu meteoricamente então?

Nego fica apegado de mais a essa ideia que é preciso ter paridade em tudo. Se os homens forem melhores em joguinhos qual a diferença? Até hoje foram melhores em todo tipo de esporte mesmo os que não dependem de força física, (vide Xadrez, Go, tiro, etc) na grade maioria não da nem pressão, acho que desconheço algum onde não exite uma grande discrepância (achei que nessas competições de tiro era equilibrado mas fui ver os records aqui e não parece não).
Em todas essas modalidades que você falou: Xadrez, Go, por exemplo mais de 99,9% dos membros são compostos por homens. São raras as mulheres que tem interesse.
E obviamente fica muito difícil para 0,1 a 0,5 das mulheres conseguirem se destacar contra mais de 99% dos homens. Questão matemática.

Tiro pelo que sei existe a questão física no meio segundo li a um certo tempo.
 
Ultima Edição:


YSolaire

Habitué da casa
Mensagens
186
Reações
300
Pontos
88
Como mulher, vou dar um breve relato. Na infância eu tinha algumas amigas que jogavam vídeo game, maioria gostava de plataforma e simulação, quando eu queria jogar jogo de luta, já chiavam, o máximo de jogo que tinha competição que elas gostavam de jogar era Jogos de Verão do Master System.

Hoje, na vida adulta, o relacionamento de jogos entre minhas amigas está da seguinte maneira: uma joga no PS4 por influência do marido e ela só joga singleplayer e mesmo assim joga quando não tem nada mesmo para fazer. Eu tenho outra amiga que ela é competitiva, gosta de jogar PUBG (pelo celular) se aborrece, dá dura nos rapazes quando eles fazem besteira.

O restante joga Candy Crush ou tamagotchi (que nem é jogo) quando realmente está entediado. OBS. Uma delas é descrição exata do MOVEMENT_OF_A_GAMER, tem 25 anos está preocupada, porque ainda não casou e está como medo de ficar para titia. Ela fica indignada quando digo que prefiro ficar em casa jogando vídeo game em vez de sair na night atrás de homem.

A verdade é que, em matéria de vídeo game, a maioria de nós não é competitiva, em regra, eu prefiro single player games também. Até que gosto de multiplayer, tenho jogado Destiny 2 ultimamente, mas evito o PvP, pois tem um clima desconfortável, só jogo o modo Briga para pegar equipamento poderoso diário e porque são todos contra todos, então não tem equipe para eu prejudicar.
No final das contas jogadores competitivos são o nicho do nicho. Vc pega todas as pessoas que jogam o jogo, ai separa as pessoas que jogam ele seriamente, ai separa as pessoas que querem ganhar dinheiro no cenário competitivo (E nesse ponto a pessoa tem que ter tempo, muito tempo para se dedicar ao jogo, então vai cortar uma parcela muito grande dos jogadores, não basta vc querer entrar no competitivo, vc precisa tratar o jogo como se fosse trabalho), ai separa para as pessoas realmente boas (As vezes n importa o quanto a pessoa tente, ela n vai ser boa em determinado tipo de jogo xD), sobra o que? 5% do publico do jogo é profissional? Talvez até menos.

Vc pega o nicho do nicho e ainda quer que ele seja diversificado. Ai fica meio complicado, pq tem muitos fatores que entram nessa equação xD
 

Fidid0

Bam-bam-bam
Mensagens
5.873
Reações
11.046
Pontos
353
O que o @Ares1521 postou acima sobre a testosterona procede sim. Adiciono também que afeta a disposição para repetições (vai, morre mas decora o padrão, tenta de novo, morre, tenta de novo, etc). Mas tem um detalhe, isso não é algo que "desbalanceia" em termos de habilidade inata no povão e também não é algo que não possa ser compensado com esforço.


Não tem empecílio categórico para mulher jogar bem videogames, é mais uma questão de horas dedicadas.

No torneio de 32 pessoas que fizemos lá na Igreja ano passado, as meninas tiveram resultados melhores do que eu esperava (para quem não tem costume de jogar assim). Tirando Ultra Street Fighter II (que aí os véios dominaram haha), as meninas chegaram dentre os 8 melhores nos torneios.

Inclusive uma de 17 anos é a atual vice-campeã de Tetris e 5a colocada no Geral. E só levou a virada porque ficou nervosa no fim hahaha E quem ganhou foi um cabra da minha idade.
Toda vez que eu ouço ou vejo falar de mulheres que jogam bem videogames é com essas aspas, a "vice campeã", "entre os 8 melhores", "um dos melhores, perdendo apenas para <insira aqui qualquer jogador homem>". Não tem uma cena que seja dominada por jogadoras.

Nem sei se é testoterona mesmo, definitivamente alguma coisa falta. Talvez seja uma certa dose de instinto belicoso e beligerante, sei lá.
 

ptsousa

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
46.958
Reações
127.701
Pontos
814
Toda vez que eu ouço ou vejo falar de mulheres que jogam bem videogames é com essas aspas, a "vice campeã", "entre os 8 melhores", "um dos melhores, perdendo apenas para <insira aqui qualquer jogador homem>". Não tem uma cena que seja dominada por jogadoras.

Nem sei se é testoterona mesmo, definitivamente alguma coisa falta. Talvez seja uma certa dose de instinto belicoso e beligerante, sei lá.
Tem duas coisas aí: o high-end competitivo e o povão (nossos círculos)

No caso do torneio que falei, é também o ponto que eu escolhi colocar Tetris como um dos torneios porque a molecada de hoje não tem contato como a gente tinha, então o pessoal da mesma faixa etária dela partiu de um mesmo ponto. Daí vem o meu argumento que não é uma questão de skill inata dos homens (os outros 3 da final eram todos 25+)

No Bomberman, uma das meninas chegou até às semifinais. No Mario Kart 8, 3 meninas chegaram às quartas e no Ultra Street II uma chegou nas oitavas (porque o sorteio deu 2 se enfrentando nos 16-avos). No Tetris, além da que citei, uma outra chegou às semifinais.

Edit: Eram 5 mulheres e 27 homens, 32 no total

Não sei como será neste ano, vamos ver como se desenrola a parada. :obrigue


Sobre o geral, isso do espírito beligerante é bem verdade mesmo. Especialmente em Fighting Games, FPS e etc. E não tem mulher dominando por essa soma de fatores + interesse em massa e a chance estatística disso acontecer, que é mínima. Se aparecem 10 mulheres interessadas em ir pro competitivo, é muito. Aí chega lá e tem 1726538712538172 homens :klolz
 
Ultima Edição:

Vaçago

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
13.366
Reações
24.558
Pontos
553
Essa história só provou que, em matéria de retardo mental, ambos os lados estão empatados.
Se de um lado tem caras que questionaram a identidade dessa "jogadora" por razões preconceituosas. Do outro teve gente exaltando uma "jogadora" mediana como se fosse a deusa dos videogames apenas por ela ser mulher.

Via Tapatalk
 

sanchies

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
17.246
Reações
31.175
Pontos
553
Social Justice Warrior. (em português: guerreiro da justiça social) é um termo pejorativo utilizado para se referir a pessoas, instituições ou mesmo ações que têm como base visões socialmente progressistas, como a defesa dos direitos humanos, feminismo, ambientalismo, secularismo, movimento LGBT


Fórum OS: Só tem misógino nessas comunidades de gamers

Realidade: Esse GIF.


Engraçado que até ontem videogame era coisa de perdedor e virgem, agora elas querem a fatia do bolo como se nada tivesse acontecido.
 


nominedomine

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
13.186
Reações
27.500
Pontos
554
Simples:

São muito poucas as que jogam a maioria dos jogos do estilo competitivo. E essas poucas que jogam um outro percentual mais pequeno joga bem, mas não suficiente para o cenário competitivo.

Em São Paulo no ínicio dos anos 2000 tinha uma moça que manjava bem das técnicas do Tekken 3 e do Tekken Tag. Jogava bem sim, mas não o suficiente para vencer os caras mais viciados da região.

Como são poucas as que tem interesse em jogos competitivos é mais difícil achar uma de alto nível e que tenha interesse em cenário competitivo.


As mulheres jogam em sua maioria jogos mais casuais e jogam de forma mais descompromissada.

Nada impede de uma mulher jogar bem, mas o interesse das mulheres por games é muito menor que dos homens.

Existem mulheres que tem mais interesse sim, mas são muito poucas.

E também o cenário competitivo de games é visto como um ambiente mais para os homens (mesmo permitindo mulheres) pelas próprias mulheres.




Em todas essas modalidades que você falou: Xadrez, Go, por exemplo mais de 99,9% dos membros são compostos por homens. São raras as mulheres que tem interesse.
E obviamente fica muito difícil para 0,1 a 0,5 das mulheres conseguirem se destacar contra mais de 99% dos homens. Questão matemática.

Tiro pelo que sei existe a questão física no meio segundo li a um certo tempo.
Se 99,9% das pessoas que jogam Xadrez são homens então tem algo muito errado. Porque as mulheres não jogam xadrez? Só tem machista jogando?

Um tanto de desculpa pra afirmar algo que nem da pra saber e que contraria várias coisa que já sabemos.
 

Boris Herzog

Habitué da casa
Mensagens
164
Reações
109
Pontos
58
N vou entrar no cerne (cerce é bonito hein?) da discussão, mas queria falar de uma coisa que me incomoda um pouco quando jogo Minecraft (problem?), em um servidor famoso nas interwebs tem tag pra se vc for mulher, tipo, porque? e advinha, se vc usar a tag e n for vai ser banido shaushau (medo de travesti?)

Agora o outro lado, quando ainda jogava CnC online tinha uma garota que era Top Player, ela era da China eu acho, galera foi saber mto tempo dps que ela era mulher, e a maioria do pessoal cagou lindamente quando soube, pq? já tavam acostumado com ela, mas tipo, pq vc precisa dizer que é mulher?, essa mina provalmente sabia que seria vista de uma forma diferente se chegasse falando q era mulher então manteve seu anonimato de gênero, até pq as pessoas na real n se importam enquanto a maioria usa nickname de algum personagem que gosta e tá tudo na boa, jogo online n é lugar pra levantar bandeira nenhuma ao meu ver, é apenas pra "j-o-g-a-r", pq enquanto vc usa nickname vc é igual a todo mundo.

Enviado de meu SM-J200BT usando o Tapatalk
 

lucas789

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
20.573
Reações
48.930
Pontos
554
Não. As competições são separadas também.

E essa separação não acontece pq tem alguém aprontando alguma tramoia por trás. Lol

Elas acontecem enquanto tiver comportamentos tipo esse aqui:


Vc não ve isso em Olimpíadas, Copa do Mundo ou qualquer competição seria pelo mundo.
No futebol por exemplo é tudo amiguinho que anda de mãos dadas em campo


 

lucas789

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
20.573
Reações
48.930
Pontos
554
Deve ter algo a ver com cultura e genética. Nem falo da habilidade em si, mas do interesse. O número de mulheres interessadas em games, em um nivel acima do casual, é muito inferior ao dos homens. E eu não sei o que provoca isso. Quando pesquiso por youtubers, streamers, pro players, é tudo homem. Raramente mulher, e quando tem, corre o risco de ser só uma exibicionista que joga nada. Eu, sinceramente, queria ver canais com mulheres que realmente jogam muito e entendem do cenário referente a jogos, de preferência, brasileira.
Tem essa aqui que tava usando hack e esqueceu de habilitar a opção pra esconder na live, a desculpa e justificativa que ela da depois é vergonhoso demais

Colocou toda a culpa na amiga, como se ela nao tivesse reparado que tava jogando com hack antes de avisarem no chat que dava pra ver o hack na live

 

lucas789

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
20.573
Reações
48.930
Pontos
554
A Serena Williams da conta. Aquela mulher é cavala. :klol
As irmas williams tinham esse papo de que podiam ganhar de qualquer homem que estivesse fora do top 200

O desafio foi aceito por um cara que estava na posição 203 e os jornalisfas diziam que a rotina de treino dele era acompanhada de cigarro e bebidas

Ele foi pra partida depois de uma rodada de golf e duas cervejas, ganhou da serena e logo em seguida da venus

Ainda tirou onda no final “acima do top 500 sem chance pra elas” e disse que ele jogou como alguem do top 600 pro jogo ter alguma graça

Teve tambem a seleção feminina da australia (que ja ganhou da selecao feminina brasileira) tomando de 7a0 de um SUB 15 masculino
 

Kise Ryota

Exploiter Lixoso
VIP
Mensagens
39.975
Reações
52.295
Pontos
909
Tem essa aqui que tava usando hack e esqueceu de habilitar a opção pra esconder na live, a desculpa e justificativa que ela da depois é vergonhoso demais

Colocou toda a culpa na amiga, como se ela nao tivesse reparado que tava jogando com hack antes de avisarem no chat que dava pra ver o hack na live

CLARA é um clássico
 

xxxnerozzz

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
13.065
Reações
13.818
Pontos
569
Fico impressionado como tem gente aqui com um conhecimento monstroso, e não usa, deveriam colaborar mais com a ciência.

Sabem engenharia, direito, fisiologia, política, etc
 

Snake-Eyes

Bam-bam-bam
Mensagens
16.131
Reações
6.720
Pontos
459
Vi no YT o caso, e tem o fato da ``Ellie´´ não usar o nome completo e verdadeiro como se exige para todos os jogadores de elite. (Aão menos isso falava o man do video e o fato desse jogador não usar foi o que levantou as suspeitas mas a midia preferiu defender do que investigar , para se ajeitar a agenda dos SJW).
 

matroska

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
12.650
Reações
12.937
Pontos
674
Se 99,9% das pessoas que jogam Xadrez são homens então tem algo muito errado. Porque as mulheres não jogam xadrez? Só tem machista jogando?

Um tanto de desculpa pra afirmar algo que nem da pra saber e que contraria várias coisa que já sabemos.

São fatos.

Basta ver o número de mulheres inscritas na confederação de Xadrez. São muito poucas.
Poucas mulheres tem interesse em jogar xadrez de forma competitiva. Basta ver os clubes de xadrez na escola em que havia quase nenhuma garota e as vezes nem mesmo uma única.
São raras as mulheres que tem interesse. Por isso poucas se destacam.

Mesma coisa ver o número de homens que fazem determinadas atividades. Serviço social por exemplo em que no Brasil 95% das assistentes sociais são mulheres e 5% são homens.

Homens e mulheres possuem interesses diferentes.

Games então basta lembrar da época das locadoras onde só se via moleque e jovens do sexo masculino.
As poucas vezes que topei com pessoas do sexo feminino em locadoras, fliperamas e lan houses a maioria estava acompanhando o namorado ou algum parente.
PARA JOGAR era extremamente raro uma mulher que tinha interesse em games. Da para contar nos dedos e eu fui rato de fliperama e locadora nos anos 90.

Mulheres em geral tem bem menos interesse em games. E quando tem interesse é para algum mais descontraído, casual e sem compromisso.

Somente uma pequena parcela realmente tem interesse mais elevados por games.

É igual ver o interesse dos homens por moda. Tem homem que tem interesse sim, mas numa proporção muito menor.
 

Megazordi64

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
10.642
Reações
16.611
Pontos
553
Lembrei do caso da trans Scarlett que joga Starcraft II.

É praticamente uma xodozinha da comunidade, se não me engano deram o apelido para ela de "Queen".

Muito tempo atrás quando assistia alguns campeonatos a torcida era sempre pra ela.

Por isso não gosto de generalizar tudo como fazem os SJW, existe uma minoria preconceituosa, mas a maioria sempre torce para os mais fracos e que recordes sejam quebrados, é algo natural em qualquer esporte.

Agora, se a Scarlett ser biologicamente um homem a ajudou a entrar no cenário competitivo é outra história.

 

nominedomine

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
13.186
Reações
27.500
Pontos
554
São fatos.

Basta ver o número de mulheres inscritas na confederação de Xadrez. São muito poucas.
Poucas mulheres tem interesse em jogar xadrez de forma competitiva. Basta ver os clubes de xadrez na escola em que havia quase nenhuma garota e as vezes nem mesmo uma única.
São raras as mulheres que tem interesse. Por isso poucas se destacam.

Mesma coisa ver o número de homens que fazem determinadas atividades. Serviço social por exemplo em que no Brasil 95% das assistentes sociais são mulheres e 5% são homens.

Homens e mulheres possuem interesses diferentes.

Games então basta lembrar da época das locadoras onde só se via moleque e jovens do sexo masculino.
As poucas vezes que topei com pessoas do sexo feminino em locadoras, fliperamas e lan houses a maioria estava acompanhando o namorado ou algum parente.
PARA JOGAR era extremamente raro uma mulher que tinha interesse em games. Da para contar nos dedos e eu fui rato de fliperama e locadora nos anos 90.

Mulheres em geral tem bem menos interesse em games. E quando tem interesse é para algum mais descontraído, casual e sem compromisso.

Somente uma pequena parcela realmente tem interesse mais elevados por games.

É igual ver o interesse dos homens por moda. Tem homem que tem interesse sim, mas numa proporção muito menor.
Entendi, então elas são igual eu, só não sou top no Dota2 prq não jogo, se eu jogasse não ia ter pra ninguém.
 

matroska

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
12.650
Reações
12.937
Pontos
674
Entendi, então elas são igual eu, só não sou top no Dota2 prq não jogo, se eu jogasse não ia ter pra ninguém.

Bem vejo que seu raciocínio é muito ruim.


Em toda área quanto mais pessoas interessadas maior a probabilidade de se ter alguém de destaque.

Mais fácil achar um grande jogador entre 1 milhão de pessoas ou entre 100 pessoas???

Obvio que dentre o grupo de um milhão temos uma probabilidade muito maior de lá saírem jogadores tops do que do grupo de 100pessoas saírem jogadores tops. Mera matemática.

Mais ou menos é esse é a diferença de interesse entre homens e mulheres nos games competitivos.
O interesse dos homens é extremamente maior que das mulheres e temos milhões de jogadores homens contra apenas algumas centenas de mulheres realmente interessadas.

Desse grupo maior de 1 milhão de homens por exemplo tem muita gente fraca no cenário competitivo. Mas se do grupo de 1 milhão 1% se sobressair sendo acima da média teremos 10 mil pessoas com potencial de se tornar competitivo no cenário profissional.


Já no grupo menor de 100 pessoas das mulheres se 1% se sobressair vamos ter uma única pessoa do tipo acima da média e com chance de crescer no cenário competitivo. Se ela falhar não haverá mais ninguém.

Mera questão de probabilidade.

Mulher tem tanto interesse em games competitivos como homens tem interesse em fazer as unhas.
 

MOVEMENT_OF_A_GAMER

Habitué da casa
Mensagens
106
Reações
189
Pontos
54
Lembrei do caso da trans Scarlett que joga Starcraft II.

É praticamente uma xodozinha da comunidade, se não me engano deram o apelido para ela de "Queen".

Muito tempo atrás quando assistia alguns campeonatos a torcida era sempre pra ela.

Por isso não gosto de generalizar tudo como fazem os SJW, existe uma minoria preconceituosa, mas a maioria sempre torce para os mais fracos e que recordes sejam quebrados, é algo natural em qualquer esporte.

Agora, se a Scarlett ser biologicamente um homem a ajudou a entrar no cenário competitivo é outra história.

Ele era Trans?

Tá explicado então, ficava impressionado como uma mulher tinha chegado as finais.
 

nominedomine

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
13.186
Reações
27.500
Pontos
554
Bem vejo que seu raciocínio é muito ruim.


Em toda área quanto mais pessoas interessadas maior a probabilidade de se ter alguém de destaque.

Mais fácil achar um grande jogador entre 1 milhão de pessoas ou entre 100 pessoas???

Obvio que dentre o grupo de um milhão temos uma probabilidade muito maior de lá saírem jogadores tops do que do grupo de 100pessoas saírem jogadores tops. Mera matemática.

Mais ou menos é esse é a diferença de interesse entre homens e mulheres nos games competitivos.
O interesse dos homens é extremamente maior que das mulheres e temos milhões de jogadores homens contra apenas algumas centenas de mulheres realmente interessadas.

Desse grupo maior de 1 milhão de homens por exemplo tem muita gente fraca no cenário competitivo. Mas se do grupo de 1 milhão 1% se sobressair sendo acima da média teremos 10 mil pessoas com potencial de se tornar competitivo no cenário profissional.


Já no grupo menor de 100 pessoas das mulheres se 1% se sobressair vamos ter uma única pessoa do tipo acima da média e com chance de crescer no cenário competitivo. Se ela falhar não haverá mais ninguém.

Mera questão de probabilidade.

Mulher tem tanto interesse em games competitivos como homens tem interesse em fazer as unhas.
Você com base em nada determinou que o sucesso é estritamente ligado a quantidade de praticantes o que não é necessariamente verdade visto que homem e mulheres são diferentes e tem performances diferentes em muita coisa (para não dizer praticamente qualquer coisa).

Leia ai:
https://www.pnas.org/content/111/2/823
Resumo: "The observations suggest that male brains are structured to facilitate connectivity between perception and coordinated action, whereas female brains are designed to facilitate communication between analytical and intuitive processing modes. "

Percepção e coordenação... imagino em que tipo de atividade isso seria vantajoso...
Mas não a culpa tem que ser dos nerdões que afastam as mulheres.

Boa sorte ai inteligentão, esta abafando. Não vou perder mais tempo com isso não, acredite no que quiser.
 
Ultima Edição:

matroska

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
12.650
Reações
12.937
Pontos
674
Você com base em nada determinou que o sucesso é estritamente ligado a quantidade de praticantes o que não é necessariamente verdade visto que homem e mulheres são diferentes e tem performances diferentes em muita coisa (para não dizer praticamente qualquer coisa).

Leia ai:
https://www.pnas.org/content/111/2/823
Resumo: "The observations suggest that male brains are structured to facilitate connectivity between perception and coordinated action, whereas female brains are designed to facilitate communication between analytical and intuitive processing modes. "

Percepção e coordenação... imagino em que tipo de atividade isso seria vantajoso...
Mas não a culpa tem que ser dos nerdões que afastam as mulheres.

Boa sorte ai inteligentão, esta abafando. Não vou perder mais tempo com isso não, acredite no que quiser.

Por esse post você confirma claramente meu post anterior.

Quanto mais pessoas interessadas se aumenta a probabilidade de se achar indivíduos com melhores desempenho.
No caso das mulheres o interesse em games competitivos é mínimo e raríssimas são aquelas que levam a sério.


Ah e não há um único estudo conclusivo que estabeleça que existe diferença devido a questões físicas, motoras ou cerebrais para o desempenho entre homens e mulheres nos games.
Isso que você postou é um mero artigo de um dos milhares que existem na internet. Mas até o momento não há nenhuma conclusão a respeito disso.

Já com relação a quantidade de pessoas realmente interessadas no cenário profissional de games vemos claramente um relação.
Basta ver porque os japoneses são ótimos jogadores de fighting games (a maioria deles). Simplesmente porque eles tem um cenário competitivo muito grande com muitos interessados dedicados ao cenário competitivo.
Pela mesma razão os japoneses não tem destaque algum no cenário dos games de tiro. Pois são raros os japas interessados nesse tipo de jogo.

Mulher em geral pouquíssimas as que gostam de games. Cenário competitivo então é ainda mais raro.
 

nominedomine

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
13.186
Reações
27.500
Pontos
554
Por esse post você confirma claramente meu post anterior.

Quanto mais pessoas interessadas se aumenta a probabilidade de se achar indivíduos com melhores desempenho.
No caso das mulheres o interesse em games competitivos é mínimo e raríssimas são aquelas que levam a sério.


Ah e não há um único estudo conclusivo que estabeleça que existe diferença devido a questões físicas, motoras ou cerebrais para o desempenho entre homens e mulheres nos games.
Isso que você postou é um mero artigo de um dos milhares que existem na internet. Mas até o momento não há nenhuma conclusão a respeito disso.

Já com relação a quantidade de pessoas realmente interessadas no cenário profissional de games vemos claramente um relação.
Basta ver porque os japoneses são ótimos jogadores de fighting games (a maioria deles). Simplesmente porque eles tem um cenário competitivo muito grande com muitos interessados dedicados ao cenário competitivo.
Pela mesma razão os japoneses não tem destaque algum no cenário dos games de tiro. Pois são raros os japas interessados nesse tipo de jogo.

Mulher em geral pouquíssimas as que gostam de games. Cenário competitivo então é ainda mais raro.
Se você já sabe da verdade com total certeza não precisa nem de pesquisa mesmo.
 

Monogo

Bam-bam-bam
Mensagens
9.157
Reações
33.777
Pontos
379
Homens e mulheres tem diferenças biológicas além da força física.
Mas hj em dia não se pode falar nada senão vc vira o machista misógino.
 

renbh

Bam-bam-bam
VIP
Mensagens
12.352
Reações
9.115
Pontos
434
Você com base em nada determinou que o sucesso é estritamente ligado a quantidade de praticantes o que não é necessariamente verdade visto que homem e mulheres são diferentes e tem performances diferentes em muita coisa (para não dizer praticamente qualquer coisa).
Esta discussão é nova em esports, mas está rolando a mais de uma década no Xadrez, outro esporte que, teoricamente, seria menos afetado pela diferenças entre os sexos e ainda assim basicamente não há mulheres nos ranks mais altos.

Inicialmente a ideia que era defendida é a do Matroska, a hipótese probabilística, quanto mais gente praticando, melhor o desempenho. Só que isso caiu por terra a algum tempo quando uma nova pesquisa, em países que incentivam a participação de mulheres no esporte (e elas tem presença mais marcante) mostrou que a diferença de resultados ficou ainda maior ao invés de menor.

Considerando que não há pesquisas realmente conclusivas em relação a alto desempenho tanto em xadrez como no esports (assunto espinhoso em um ambiente tão combativo quanto o atual, não importa o resultado, este será massacrado e questionado por alguém), uma hipótese que tem ganhado força é a da polêmica psicologia evolutiva. A ideia é que, por pressão social, um sexo vem ao longo do tempo desenvolvendo as habilidades necessárias a prática daquela atividade, o que dá uma pequena vantagem de desempenho que faz a diferença a nível profissional. Com isso não teríamos uma barreira tão intransponível quanto a da fisiológica, mas não bastaria apenas interesse para igualar o desempenho, seria necessária uma prática a longo prazo.

Como o autor da pesquisa disse é uma resposta pouco palatável, mas que explica melhor os números que obtiveram em suas pesquisas.
 

nominedomine

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
13.186
Reações
27.500
Pontos
554
Esta discussão é nova em esports, mas está rolando a mais de uma década no Xadrez, outro esporte que, teoricamente, seria menos afetado pela diferenças entre os sexos e ainda assim basicamente não há mulheres nos ranks mais altos.

Inicialmente a ideia que era defendida é a do Matroska, a hipótese probabilística, quanto mais gente praticando, melhor o desempenho. Só que isso caiu por terra a algum tempo quando uma nova pesquisa, em países que incentivam a participação de mulheres no esporte (e elas tem presença mais marcante) mostrou que a diferença de resultados ficou ainda maior ao invés de menor.

Considerando que não há pesquisas realmente conclusivas em relação a alto desempenho tanto em xadrez como no esports (assunto espinhoso em um ambiente tão combativo quanto o atual, não importa o resultado, este será massacrado e questionado por alguém), uma hipótese que tem ganhado força é a da polêmica psicologia evolutiva. A ideia é que, por pressão social, um sexo vem ao longo do tempo desenvolvendo as habilidades necessárias a prática daquela atividade, o que dá uma pequena vantagem de desempenho que faz a diferença a nível profissional. Com isso não teríamos uma barreira tão intransponível quanto a da fisiológica, mas não bastaria apenas interesse para igualar o desempenho, seria necessária uma prática a longo prazo.

Como o autor da pesquisa disse é uma resposta pouco palatável, mas que explica melhor os números que obtiveram em suas pesquisas.
Não compro essa de pressão social não, mas ao menos reconhecer que existe diferenças já é algum progresso.
 

renbh

Bam-bam-bam
VIP
Mensagens
12.352
Reações
9.115
Pontos
434
Não compro essa de pressão social não, mas ao menos reconhecer que existe diferenças já é algum progresso.
Pressão social ao longo dos anos. No caso do xadrez é um esporte mais praticado por homens a anos, portanto as habilidades foram preparadas com o tempo. Mesma coisa com jogos de video game, a prática competitiva que usa este tipo de reflexo está entre os homens desde sua concepção. A ideia é que este know-how não pode ser gerado apenas aumentando o número de mulheres praticantes, por mais que não haja comprovação que exista diferenças fisiológicas significativas.
 

nominedomine

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
13.186
Reações
27.500
Pontos
554
Pressão social ao longo dos anos. No caso do xadrez é um esporte mais praticado por homens a anos, portanto as habilidades foram preparadas com o tempo. Mesma coisa com jogos de video game, a prática competitiva que usa este tipo de reflexo está entre os homens desde sua concepção. A ideia é que este know-how não pode ser gerado apenas aumentando o número de mulheres praticantes, por mais que não haja comprovação que exista diferenças fisiológicas significativas.
http://www.sciencemag.org/news/2017/04/study-finds-some-significant-differences-brains-men-and-women

Não que a diferença precise ser significativa para fazer diferença em algo altamente competitivo.

Outra coisa que não ajuda é que pelo visto os homens tem maior variação entre eles o que vai ajudar a ter mais casos extremos que é o que você precisa ser para se destacar em uma cena competitiva de um e-sport.
 

renbh

Bam-bam-bam
VIP
Mensagens
12.352
Reações
9.115
Pontos
434
http://www.sciencemag.org/news/2017/04/study-finds-some-significant-differences-brains-men-and-women

Não que a diferença precise ser significativa para fazer diferença em algo altamente competitivo.

Outra coisa que não ajuda é que pelo visto os homens tem maior variação entre eles o que vai ajudar a ter mais casos extremos que é o que você precisa ser para se destacar em uma cena competitiva de um e-sport.

Minha área de estudo é a neurofisiologia, vai por mim, artigos como estes são chover no molhado, não dizem nada que nös já não saibamos e vai muito além, pela plasticidade das ligações neurais você pode ver modificação até entre a imaginação de movimento de uma pessoa saudável em relação a quem tem alguma limitação motora, por exemplo.

O problema é CATEGORIZAR isso, colocar esta diferença anatômica em números práticos. Por isso é preciso de estudos específicos, não é dizer que que tem diferença, mas MEDIR esta diferença para aquela aplicação, garantindo independência estatística, que é o que a medicina esportiva faz quando separa esporte por gênero (e quando tem que lidar com o espinhoso caso de onde colocar atletas transgenero).

Isso é importante porque outras pesquisas tem que ser explicadas. Mediram, por exemplo, resultados de cirurgiões homens e mulheres e não foi encontrada diferença estatisticamente significativa de desempenho, o que bate de frente com artigos de neuroanatomia. Daí a questão? Se o gênero não faz diferença na precisão e concentração de uma cirurgia de risco, irá afetar em um esport? E em relação aos reflexos musculares? São perguntas sem resposta, essa discussão sobre xadrez que mencionei existe a mais de década e nenhum estudo definitivo saiu, mesmo com a discussão sobre se tornar um esporte olímpico.

Eu prefiro não afirmar nada, apenas notar que, em discussões semelhantes, hipótese da psicologia evolutiva tem aparecido aqui e ali, mesmo considerando o quanto esta abordagem da psicologia é impopular.

Enviado de meu SM-T815Y usando o Tapatalk
 

Grave Uypo

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
10.220
Reações
16.998
Pontos
553
Nada impede de uma mulher jogar bem, mas o interesse das mulheres por games é muito menor que dos homens.
.
na minha opinião essa afirmação é falsa e inclusive meio insultante para as que estão tentando se tornar profissionais. Quer dizer então que todas que gostam são incompetentes? Nenhuma se salva?

É estatisticamente semi-impossível a situação de nenhum jogo ter profissional feminino competitivo nos níveis mais altos se elas tem a mesma capacidade dos homens. Por mais que sejam expressivamente menos numerosas, ao menos algumas deveriam se destacar.

Tem sim algo impedindo-as de chegarem ao topo. Seja algum fator social ou fisico. Pessoalmente acho que é a mesma situação dos esportes. Mulher que se dedica chega ao top 20% geral fácil. Mas top 20% não chega nem perto de ser competitivo a nivel mundial. Simples assim. A melhor mulher vai ser melhor que 80% das pessoas, mas dificilmente vai superar aqueles 20% restantes. E isso ainda colabora com a quebra da auto-estima dessas aspirantes a profissionais, que desistem da carreira quando veem a barreira impenetrável que é o top 1%. Por isso sou 100% a favor de ligas femininas de todos os jogos que existem. Aposto que teria muito mais pro player mulher, e TALVEZ assim alguma excepcional algum dia conquistasse algo em uma liga geral.

Anedota: ja joguei com milhares de mulheres em diversos jogos (bom ragnarok online tinha milhares :P ), nunca vi uma que jogasse bem de verdade o respectivo jogo. Sempre são no maximo "ok".

ps: tem algum jogo baseado em skill (então mmo não conta) que tem profissional feminina competitiva nos niveis mais altos que eu não saiba?

pps: top 20% também foi só um chute, continua valido se for top 10% ou top 5%.
 
Ultima Edição:
Topo