O que há de Novo?
  • Novo tema VIP está disponível
    Visitante, um novo tema com fundo escuro agora está disponível para aqueles que contribuíram com doações ao fórum e têm o status VIP. Veja os detalhes aqui.


Professora da rede pública é envenenada em sala de aula por alunos do 4º ano

Sgt. Kowalski

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
44.355
Reações
94.867
Pontos
989
Professora da rede pública é envenenada em sala de aula por alunos do 4º ano



14 de fevereiro de 2020 | 14h39

SÃO PAULO - Uma professora da rede estadual de ensino foi envenenada por alunos do 4º ano na tarde de quinta-feira, 13. Os estudantes, de 10 e 11 anos, colocaram veneno para insetos na garrafa da educadora, que se sentiu mal e foi encaminhada pela equipe da Escola Estadual Dr. Aniz Badra, no Grajaú, na zona sul da capital, para um pronto-socorro da região. Ela foi medicada e recebeu alta no mesmo dia.
A professora deu entrada no Pronto-Socorro Municipal Dona Maria Antonieta Ferreira de Barros às 16h40. Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, a vítima foi medicada e recebeu alta às 22h50.

De acordo com a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, que repudiou o ato, foi registrado um boletim de ocorrência e o caso é acompanhado pelo Conselho Tutelar. “Os responsáveis pelos alunos foram chamados e será realizada uma reunião para definir as medidas que serão adotadas aos estudantes”, afirma o órgão em nota.
A Seduc-SP ainda informa que equipes do Programa Conviva e do CRAVI, centro vinculado à Secretaria da Justiça, estão na escola para dar suporte aos professores, alunos e à comunidade escolar.
 


mendingo_26

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
16.314
Reações
58.123
Pontos
554
Eu tenho um lema, "criança" a partir dos 10 anos meu amigo nem se conversa é cintada na bunda ou avaiana de pau na cabeça. Uma desgraça dessa com 10 anos botando veneno quando chegar aos 15 já tem um TCC de acusações na polícia.

Se eu fosse o presidente liberaria a psicologia infantil nas crianças na escola pelo professor, não obedeceu o pau comeu

 

antonioli

O Exterminador de nicknames
VIP
Mensagens
90.390
Reações
139.065
Pontos
949
Em áudio, professor envenenado fala em favorecimento de empresas
Nas mensagens, ele ainda diz ter deixado R$ 160 mil no caixa do CEF 410 Norte e ressalta que levaria denúncias ao MPDFT
Facebook/Reprodução




Em áudios de WhatsApp, o professor Odailton Charles Albuquerque Silva (foto em destaque), 50 anos, diz que tinha interesse em denunciar supostas irregularidades no Centro de Ensino Fundamental (CEF) 410 Norte.

Nas gravações feitas dias antes de morrer envenenado, o educador afirma que, além das “rachadinhas“, a unidade pública de ensino também teria cometido ilicitudes em processos de contratação de empreiteiras para serviços de manutenção do próprio colégio.


No registro, Charles afirma que iria procurar um deputado distrital, o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e o Governo do DF (GDF) para formalizar as acusações. Segundo o docente relata, o suposto esquema beneficiaria um grupo de servidores.


“Depois, eu quero dar uma passada no gabinete para a gente conversar, porque eu quero que você me oriente. Vou fazer uma denúncia no MP e no GDF contra a questão da utilização das emendas parlamentares, que eles seguraram até abusar. Não sei se você lembra, quando fiz a denúncia pro deputado, que eles [servidores] estavam indicando empresas. Tenho as gravações e vou apresentar isso”, diz o educador no áudio.
O professor reforça, também, ter recebido denúncias de irregularidades dos próprios colegas de trabalho. “Estão colocando gente para fazer o serviço nas escolas, gente que a gente não conhece. Eu já vi indícios assim, até conversando com outros colegas. Realmente, eles estão sendo beneficiados por contratarem essas empresas e estão recebendo algum por fora. Quero uma orientação antes de fazer alguma coisa, porque eu vou chutar o pé da barraca.”

https://www.metropoles.com/distrito-federal/em-audio-professor-envenenado-fala-em-favorecimento-de-empresas

Professor envenenado no DF: o que se sabe e o que falta saber
Parentes dizem que Odailton Charles Albuquerque Silva morreu após tomar suco em colégio público. Polícia encontrou veneno de rato no sangue da vítima.
Por Afonso Ferreira, G1 DF
11/02/2020 05h24 Atualizado há 3 dias


Professor Odailton Charles de Albuquerque Silva — Foto: Reprodução

Professor Odailton Charles de Albuquerque Silva — Foto: Reprodução

No dia 4 de fevereiro, o professor Odailton Charles Albuquerque Silva morreu após ficar cinco dias internado no Hospital Regional da Asa Norte (Hran), em Brasília. Parentes dizem que ele passou mal após ingerir um suco de uva na escola pública onde havia sido diretor até o ano passado, quando perdeu a reeleição para o cargo (veja mais abaixo).
A Polícia Civil encontrou veneno de rato no sangue do educador e investiga o caso como homicídio. Ao ser questionado se havia suspeitos, o delegado à frente da investigação, Laércio Rossetto, afirmou que "há investigados".

Já a família, aponta um suposto envenenamento. Em áudios enviados a amigos, Odailton disse que o mal estar começou após tomar um suco oferecido por uma colega, com quem tinha desavenças (ouça áudio abaixo).

Em áudio, professor morto por suspeita de envenenamento diz: 'Tô com medo'

Segundo o delegado Rossetto, a colega que teria oferecido a bebida nega, assim como um vigilante que disse ter visto o professor tomar dois comprimidos. A direção do Centro de Ensino Fundamental (CEF) 410 divulgou uma nota onde também nega que "algum servidor tenha oferecido qualquer líquido ao professor".
De acordo com a polícia, testemunhas disseram que havia um suco de uva em uma geladeira da escola, "mas esse suco não estava lá no dia do fato". A garrafa citada pelo professor também não foi encontrada até a última atualização desta reportagem.


Professor Odailton Charles de Albuquerque Silva — Foto: Arquivo Pessoal

Professor Odailton Charles de Albuquerque Silva — Foto: Arquivo Pessoal

Quem era o professor?

O professor Odailton Charles Albuquerque Silva foi diretor do CEF 410 por oito anos. Em 2019, ele chegou a concorrer a um novo mandato, mas perdeu.
O educador havia completado 50 anos. Ele era casado e tinha uma filha de 7 anos.
Em um áudio enviado a um amigo, antes de morrer, Odailton disse que faria uma denúncia contra a Coordenação Regional de Ensino do Plano Piloto por suspeita de desvio de recursos (ouça abaixo).

Professor envenenado disse que denunciaria esquema de propina em escola pública do DF


Veja o que se sabe e o que ainda falta saber sobre o caso:

O que se sabe

  • O caso é investigado como homicídio;
  • O laudo da perícia confirma que o professor foi envenenado com um raticida conhecido como chumbinho;
  • A substância aldicarb foi encontrada no sangue e no vômito da vítima;
  • A substância aldicarb causou a morte do professor e foi ingerida dentro da escola;
  • Os peritos do Instituto de Criminalística também encontraram traços de relaxante muscular nos materiais biológicos do professor. No entanto, não foram localizados traços do suco de uva;
  • A direção da escola nega que algum colega tenha oferecido suco ao professor envenenado.
O que falta saber

  • Odailton teve contato direto com chumbinho?
  • Há resquícios de veneno nas mãos do professor?
  • O suco de uva foi oferecido por alguém?
  • Onde está a garrafa mencionada por Odailton em áudio?
  • Por que nas roupas e no vômito do professor não há resquícios de suco de uva?
  • Quais os remédios ingeridos pelo professor?
  • Existe suspeita de irregularidades na prestação de contas da escola?

Fachada da do CEF 410 na Asa Norte declara luto pela morte de professor.  — Foto: Aline Ramos/G1

Fachada da do CEF 410 na Asa Norte declara luto pela morte de professor. — Foto: Aline Ramos/G1

Cronologia do caso

30 de janeiro

  • Odailton Charles Albuquerque Silva foi ao CEF 410 Norte. Ao chegar na escola – entre 12h e 12h30 – segundo ele, encontrou uma funcionária. De acordo com áudio enviado a uma amiga, ele teria bebido um suco de uva oferecido pela colega. Em seguida, conforme a gravação, o ex-diretor começou a passar mal e foi levado ao Hran. Médicos analisam o quadro de saúde como grave e a mulher dele registrou ocorrência na 2ª DP, como tentativa de homicídio.

31 de janeiro

  • A esposa de Odailton voltou à delegacia para prestar depoimento e entregou uma bolsa térmica com gelo e as roupas usadas pelo marido no dia anterior. A mulher também mostrou os áudios enviados por Odailton a colegas.
1º e 2 de fevereiro

  • Odailton Charles continuou internado em estado grave no Hran. Policiais da 2ª DP colheram depoimentos de testemunhas e pediram que peritos do IML coletassem material biológico do professor para fazer exames toxicológicos.
3 de fevereiro

  • As amostras de sangue de Odailton Charles foram entregues pelo hospital ao Instituto Médico Legal (IML). Peritos começaram a examinar as roupas do educador e o material coletado.
4 de fevereiro

  • Por volta das 16h, Odailton Charles Albuquerque Silva morreu no Hospital Regional da Asa Norte (Hran). O corpo foi encaminhado para necropsia.
5 de fevereiro

  • Peritos do IC foram ao CEF 410 Norte com o delegado responsável pelo caso. Os investigadores fizeram um croqui do local para tentar entender o que aconteceu no dia 30 de janeiro. Segundo a polícia, as câmeras de segurança da escola não estavam funcionando.
6 de fevereiro

  • Um áudio gravado por professor, no momento em que passava mal, foi divulgado. O corpo de Odailton foi enterrado no Cemitério Campo da Esperança, na Asa Sul de Brasília. No mesmo dia, um laudo da polícia apontou a presença de veneno de rato no corpo do professor. Segundo a perícia, a substância encontrada no vômito era chumbinho.
7 de fevereiro

  • Em novo áudio divulgado, o professor envenenado dizia que faria uma denúncia contra a Coordenação Regional de Ensino do Plano Piloto, por suspeita de desvio de recursos. No mesmo dia, a direção do Centro de Ensino Fundamental (CEF) 410 se manifestou pela primeira vez sobre a morte de Odailton. O colégio negou que algum servidor tenha oferecido qualquer líquido ao colega.

8 de fevereiro

  • A Polícia Civil aguardava o resultado dos exames que deverão indicar se o professor Odailton Charles Albuquerque Silva teve contato direto com o veneno de rato.
9 de fevereiro

  • A Secretaria de Educação informou que a prestação de contas do CEF 410 Norte "está em dia". Segundo a pasta, a escola apresentou os documentos de 2009 a 2018 e os mesmos foram aprovados. Ao G1, a secretaria informou que as contas de 2019 ainda não foram apresentadas, mas "estão dentro do prazo, que corre até o final de fevereiro".
10 de fevereiro

  • Uma semana após a morte do professor, o Centro de Ensino Fundamental (CEF) 410, da Asa Norte, retomou as aulas com apoio psicológico para alunos e funcionários.
https://g1.globo.com/df/distrito-federal/noticia/2020/02/11/professor-envenenado-no-df-o-que-se-sabe-e-o-que-falta-saber.ghtml
 

Anexos

Dr. Pregos

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
13.993
Reações
41.593
Pontos
553
Os estudantes, de 10 e 11 anos, colocaram veneno para insetos na garrafa da educadora, que se sentiu mal e foi encaminhada pela equipe da Escola Estadual Dr. Aniz Badra, no Grajaú, na zona sul da capital, para um pronto-socorro da região. Ela foi medicada e recebeu alta no mesmo dia.
É esse o preço que se paga por ter tirado a TV Globinho do ar. :klolwtf
 


Hunters15

Habitué da casa
Mensagens
183
Reações
163
Pontos
69
Olha o ponto que chegou, daqui a pouco a salas de aula terão uma divisória separada entre alunos e professor.
 

jasque

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
24.960
Reações
46.633
Pontos
629
Proibiram a tv globinho, olha aí se adiantou

Agora vão proibir propaganda de brinquedo no youtube e vai dar certinho
 

alucardlv1313

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
19.319
Reações
42.873
Pontos
734
Impressão minha...ou o numero de crianças/adolescentes retardados tem aumentado muito atualmente ?
Ta doido...
É moleque envenenando professor, é criança fazendo "brincadeira" de puxar perna pra derrubar o amigo...por sorte, esse bando de retardado não vai chegar nem aos 30 pelo visto.
 

Godot

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
10.468
Reações
30.465
Pontos
574
Impressão minha...ou o numero de crianças/adolescentes retardados tem aumentado muito atualmente ?
Ta doido...
É moleque envenenando professor, é criança fazendo "brincadeira" de puxar perna pra derrubar o amigo...por sorte, esse bando de retardado não vai chegar nem aos 30 pelo visto.
É a evolução para se tornar país de primeiro mundo. Olha a quantidade de suicídios que tem sido anunciado ultimamente.

A mente vazia que é preenchida com grandes quantidade de bosta é preocupante. Olha o TOP do youtube e trend do twitter. Vai de funk a BBB.

Enviado de meu SM-M305M usando o Tapatalk
 

Bruwns

Veterano
Mensagens
196
Reações
568
Pontos
103
Em caso de violência cometida por crianças, os pais deveriam ser punidos também. Se esses alunos fossem conhecidos ou parentes, quebrava os dentes desses filhos da put*.
Concordo, mas como digo por aqui... a galerinha dinamica caga filho e os outros que pagam por isso.
 

Maladino

Bam-bam-bam
Mensagens
6.533
Reações
8.276
Pontos
459
Impressão minha...ou o numero de crianças/adolescentes retardados tem aumentado muito atualmente ?
Ta doido...
É moleque envenenando professor, é criança fazendo "brincadeira" de puxar perna pra derrubar o amigo...por sorte, esse bando de retardado não vai chegar nem aos 30 pelo visto.
Acho que aumentou um certo tipo de retardo, mas no geral continuam retardado igual.

A minha geração pelo menos fazia merdas homéricas, só que não tinha mídia social e pais e professores ainda tinham alguma autoridade.

Nunca tentaram envenenar professor na minha escola, mas nós tínhamos umas brincadeiras até mais agressivas do que algumas que estão fazendo polêmica aí.
 

Death Knight

Bam-bam-bam
Mensagens
11.307
Reações
5.047
Pontos
444
Uma coisa que me ensinaram logo no começo, e sou grato: não peça para alunos encherem sua garrafa de água e, se for sair da sala, leve sua garrafa de água com você.
 

MobiusRJ

Bam-bam-bam
Mensagens
9.717
Reações
14.860
Pontos
384
Eu tenho um lema, "criança" a partir dos 10 anos meu amigo nem se conversa é cintada na bunda ou avaiana de pau na cabeça. Uma desgraça dessa com 10 anos botando veneno quando chegar aos 15 já tem um TCC de acusações na polícia.

Se eu fosse o presidente liberaria a psicologia infantil nas crianças na escola pelo professor, não obedeceu o pau comeu

Só para te lembrar q punheta não faz filho, entao para de sonhar pois isso não te pertencerá.

Enviado de meu Redmi 5 Plus usando o Tapatalk
 

Um_cachorro

Novato
Mensagens
16
Reações
78
Pontos
13
Impressão minha...ou o numero de crianças/adolescentes retardados tem aumentado muito atualmente ?
Ta doido...
É moleque envenenando professor, é criança fazendo "brincadeira" de puxar perna pra derrubar o amigo...por sorte, esse bando de retardado não vai chegar nem aos 30 pelo visto.
Não é impressão não, os retardados de baixo qi tem procriado como uma praga no país graças ao bolsa familia, o pior que é que vagabundas nem ensinam o basico de como agir como gente para esses animais que so tem aspecto de ser humano.
 

da19x

Bam-bam-bam
Mensagens
1.764
Reações
4.075
Pontos
303
Em áudio, professor envenenado fala em favorecimento de empresas
Nas mensagens, ele ainda diz ter deixado R$ 160 mil no caixa do CEF 410 Norte e ressalta que levaria denúncias ao MPDFT
Facebook/Reprodução




Em áudios de WhatsApp, o professor Odailton Charles Albuquerque Silva (foto em destaque), 50 anos, diz que tinha interesse em denunciar supostas irregularidades no Centro de Ensino Fundamental (CEF) 410 Norte.

Nas gravações feitas dias antes de morrer envenenado, o educador afirma que, além das “rachadinhas“, a unidade pública de ensino também teria cometido ilicitudes em processos de contratação de empreiteiras para serviços de manutenção do próprio colégio.


No registro, Charles afirma que iria procurar um deputado distrital, o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e o Governo do DF (GDF) para formalizar as acusações. Segundo o docente relata, o suposto esquema beneficiaria um grupo de servidores.



O professor reforça, também, ter recebido denúncias de irregularidades dos próprios colegas de trabalho. “Estão colocando gente para fazer o serviço nas escolas, gente que a gente não conhece. Eu já vi indícios assim, até conversando com outros colegas. Realmente, eles estão sendo beneficiados por contratarem essas empresas e estão recebendo algum por fora. Quero uma orientação antes de fazer alguma coisa, porque eu vou chutar o pé da barraca.”

https://www.metropoles.com/distrito-federal/em-audio-professor-envenenado-fala-em-favorecimento-de-empresas

Professor envenenado no DF: o que se sabe e o que falta saber
Parentes dizem que Odailton Charles Albuquerque Silva morreu após tomar suco em colégio público. Polícia encontrou veneno de rato no sangue da vítima.
Por Afonso Ferreira, G1 DF
11/02/2020 05h24 Atualizado há 3 dias


Professor Odailton Charles de Albuquerque Silva — Foto: Reprodução

Professor Odailton Charles de Albuquerque Silva — Foto: Reprodução

No dia 4 de fevereiro, o professor Odailton Charles Albuquerque Silva morreu após ficar cinco dias internado no Hospital Regional da Asa Norte (Hran), em Brasília. Parentes dizem que ele passou mal após ingerir um suco de uva na escola pública onde havia sido diretor até o ano passado, quando perdeu a reeleição para o cargo (veja mais abaixo).
A Polícia Civil encontrou veneno de rato no sangue do educador e investiga o caso como homicídio. Ao ser questionado se havia suspeitos, o delegado à frente da investigação, Laércio Rossetto, afirmou que "há investigados".

Já a família, aponta um suposto envenenamento. Em áudios enviados a amigos, Odailton disse que o mal estar começou após tomar um suco oferecido por uma colega, com quem tinha desavenças (ouça áudio abaixo).

Em áudio, professor morto por suspeita de envenenamento diz: 'Tô com medo'

Segundo o delegado Rossetto, a colega que teria oferecido a bebida nega, assim como um vigilante que disse ter visto o professor tomar dois comprimidos. A direção do Centro de Ensino Fundamental (CEF) 410 divulgou uma nota onde também nega que "algum servidor tenha oferecido qualquer líquido ao professor".
De acordo com a polícia, testemunhas disseram que havia um suco de uva em uma geladeira da escola, "mas esse suco não estava lá no dia do fato". A garrafa citada pelo professor também não foi encontrada até a última atualização desta reportagem.

Professor Odailton Charles de Albuquerque Silva — Foto: Arquivo Pessoal

Professor Odailton Charles de Albuquerque Silva — Foto: Arquivo Pessoal

Quem era o professor?

O professor Odailton Charles Albuquerque Silva foi diretor do CEF 410 por oito anos. Em 2019, ele chegou a concorrer a um novo mandato, mas perdeu.
O educador havia completado 50 anos. Ele era casado e tinha uma filha de 7 anos.
Em um áudio enviado a um amigo, antes de morrer, Odailton disse que faria uma denúncia contra a Coordenação Regional de Ensino do Plano Piloto por suspeita de desvio de recursos (ouça abaixo).

Professor envenenado disse que denunciaria esquema de propina em escola pública do DF


Veja o que se sabe e o que ainda falta saber sobre o caso:

O que se sabe

  • O caso é investigado como homicídio;
  • O laudo da perícia confirma que o professor foi envenenado com um raticida conhecido como chumbinho;
  • A substância aldicarb foi encontrada no sangue e no vômito da vítima;
  • A substância aldicarb causou a morte do professor e foi ingerida dentro da escola;
  • Os peritos do Instituto de Criminalística também encontraram traços de relaxante muscular nos materiais biológicos do professor. No entanto, não foram localizados traços do suco de uva;
  • A direção da escola nega que algum colega tenha oferecido suco ao professor envenenado.
O que falta saber

  • Odailton teve contato direto com chumbinho?
  • Há resquícios de veneno nas mãos do professor?
  • O suco de uva foi oferecido por alguém?
  • Onde está a garrafa mencionada por Odailton em áudio?
  • Por que nas roupas e no vômito do professor não há resquícios de suco de uva?
  • Quais os remédios ingeridos pelo professor?
  • Existe suspeita de irregularidades na prestação de contas da escola?
Fachada da do CEF 410 na Asa Norte declara luto pela morte de professor.  — Foto: Aline Ramos/G1

Fachada da do CEF 410 na Asa Norte declara luto pela morte de professor. — Foto: Aline Ramos/G1

Cronologia do caso

30 de janeiro

  • Odailton Charles Albuquerque Silva foi ao CEF 410 Norte. Ao chegar na escola – entre 12h e 12h30 – segundo ele, encontrou uma funcionária. De acordo com áudio enviado a uma amiga, ele teria bebido um suco de uva oferecido pela colega. Em seguida, conforme a gravação, o ex-diretor começou a passar mal e foi levado ao Hran. Médicos analisam o quadro de saúde como grave e a mulher dele registrou ocorrência na 2ª DP, como tentativa de homicídio.
31 de janeiro

  • A esposa de Odailton voltou à delegacia para prestar depoimento e entregou uma bolsa térmica com gelo e as roupas usadas pelo marido no dia anterior. A mulher também mostrou os áudios enviados por Odailton a colegas.
1º e 2 de fevereiro

  • Odailton Charles continuou internado em estado grave no Hran. Policiais da 2ª DP colheram depoimentos de testemunhas e pediram que peritos do IML coletassem material biológico do professor para fazer exames toxicológicos.
3 de fevereiro

  • As amostras de sangue de Odailton Charles foram entregues pelo hospital ao Instituto Médico Legal (IML). Peritos começaram a examinar as roupas do educador e o material coletado.
4 de fevereiro

  • Por volta das 16h, Odailton Charles Albuquerque Silva morreu no Hospital Regional da Asa Norte (Hran). O corpo foi encaminhado para necropsia.
5 de fevereiro

  • Peritos do IC foram ao CEF 410 Norte com o delegado responsável pelo caso. Os investigadores fizeram um croqui do local para tentar entender o que aconteceu no dia 30 de janeiro. Segundo a polícia, as câmeras de segurança da escola não estavam funcionando.
6 de fevereiro

  • Um áudio gravado por professor, no momento em que passava mal, foi divulgado. O corpo de Odailton foi enterrado no Cemitério Campo da Esperança, na Asa Sul de Brasília. No mesmo dia, um laudo da polícia apontou a presença de veneno de rato no corpo do professor. Segundo a perícia, a substância encontrada no vômito era chumbinho.
7 de fevereiro

  • Em novo áudio divulgado, o professor envenenado dizia que faria uma denúncia contra a Coordenação Regional de Ensino do Plano Piloto, por suspeita de desvio de recursos. No mesmo dia, a direção do Centro de Ensino Fundamental (CEF) 410 se manifestou pela primeira vez sobre a morte de Odailton. O colégio negou que algum servidor tenha oferecido qualquer líquido ao colega.
8 de fevereiro

  • A Polícia Civil aguardava o resultado dos exames que deverão indicar se o professor Odailton Charles Albuquerque Silva teve contato direto com o veneno de rato.
9 de fevereiro

  • A Secretaria de Educação informou que a prestação de contas do CEF 410 Norte "está em dia". Segundo a pasta, a escola apresentou os documentos de 2009 a 2018 e os mesmos foram aprovados. Ao G1, a secretaria informou que as contas de 2019 ainda não foram apresentadas, mas "estão dentro do prazo, que corre até o final de fevereiro".
10 de fevereiro

  • Uma semana após a morte do professor, o Centro de Ensino Fundamental (CEF) 410, da Asa Norte, retomou as aulas com apoio psicológico para alunos e funcionários.
https://g1.globo.com/df/distrito-federal/noticia/2020/02/11/professor-envenenado-no-df-o-que-se-sabe-e-o-que-falta-saber.ghtml
Tudo indica que foi suicídio.

Em minha opinião, ele queria ser vingar da pessoa que assumiu a vaga dele ao mesmo tempo em que dava fim a própria vida. Os relatos das testemunhas até agora não batem com nada do que foi exposto nos áudios.
 

midnightcafetão

Habitué da casa
Mensagens
287
Reações
729
Pontos
93
Uma coisa que me ensinaram logo no começo, e sou grato: não peça para alunos encherem sua garrafa de água e, se for sair da sala, leve sua garrafa de água com você.
Acrescentando, não peça pra ninguém encher sua garrafa, corre um alto risco de voltar com cuspe ou sebo de pinto.
 

Jows

Bam-bam-bam
Mensagens
3.789
Reações
3.879
Pontos
329
Sorte q esses venenos de insetos de hj em dia não matam mais nada.
 
Topo