O que há de Novo?
  • Novo tema escuro está disponível
    Um novo visual para o fórum com fundo escuro agora está disponível para todos. Você pode escolher o tema clicando no ícone de pincel no canto inferior esquerdo da página.


O que faz John Bonham ser um gênio da bateria



Mensagens
991
Curtidas
1.588
Pontos
183
#3
Eu acho que a melhor maneira de se entender o estilo de tocar do John Bonham é ouvindo Led zeppelin.
Eu não entendo nada de musica... Mas dois bateristas me impressionam muito, um deles é o falecido Bonham e o Bill Ward do Black Sabbath.
 
Mensagens
1.300
Curtidas
2.054
Pontos
303
#4
Esse cara era bom mesmo, sempre curti ele. O cara tinha uma técnica única de força, coordenação e velocidade, os bateristas são uns dos poucos instrumentistas que a batida pode ser considerada como uma impressão digital, pois cada um tem seu jeito de tocar, por mais que alguns imitem seus favoritos, nunca vão ser iguais.

Por coincidência essa semana achei alguns bootlegs de bandas que tinha guardado, e achei essa versão de uma música do Led Zeppelin que gostava, onde mostrava só a bateria da música:


A versão completa é essa aqui, mas por causa do vocal e dos outros instrumentos a gente nem percebe tanto a técnica dele, mas com a versão de cima da para ver o estilo dele que falei, de bastante força, coordenação e velocidade.


Já meu baterista favorito é o Neil Peart do Rush, acho que o John Bonham só perde para ele, mas tem gente que discorda, e eu respeito, acho os dois uns ETs... Tem centenas de solos do Neil Peart no Youtube, mas um dos meus favoritos é esse, um dos últimos dele... :klol

 
Mensagens
9.523
Curtidas
10.420
Pontos
439
#5
Sou baterista há + de 8 anos e não me impressiono com ele, ele tocava em um tempo bem quebrado, mas acredito que o que ficou foi o nome, nos dias atuais temos muitos nomes impressionantes.
Das antigas sou MUITO MAIS Keith Moon.
 


Mensagens
4.559
Curtidas
7.729
Pontos
304
#7
Acho que essa coisa do cara ser considerado um "gênio" tocando algum instrumento vem mais da autenticidade que o cara bota naquilo que toca do que em ser muito bom tecnicamente. O Bonham, Neil Peart, Bill Ward, Ian Paice, são caras que com 5 segundos de músicas você já sabe que são eles ali tocando, são inconfundíveis, criaram uma marca.
 
Mensagens
1.300
Curtidas
2.054
Pontos
303
#8
Keith Moon também era um monstro, teve gente que sempre comparou ele e o Bonham, mas já vi dizer que o próprio Bonham admitiu que se inspirou nele... Uma pena que ele era louco demais e acabou morrendo por causa disso... Queria ter visto o que ele podia ter feito em todos esses anos se não tivesse morrido...
 

VanHalenBR

Bam-bam-bam
VIP
Mensagens
5.380
Curtidas
3.340
Pontos
444
#9
Acho que essa coisa do cara ser considerado um "gênio" tocando algum instrumento vem mais da autenticidade que o cara bota naquilo que toca do que em ser muito bom tecnicamente. O Bonham, Neil Peart, Bill Ward, Ian Paice, são caras que com 5 segundos de músicas você já sabe que são eles ali tocando, são inconfundíveis, criaram uma marca.
Adicione a essa lista o Carl Palmer


 
Mensagens
4.554
Curtidas
5.494
Pontos
303
#10
Se tem um baterista "overhyped" na música, este alguém é o Keith Moon. Ele é a fusão do "personalismo com a meritocracia", onde um se torna praticamente indistinguível do outro. Moon como solista, atributo este que sempre foi valorizado num baterista (sem falar de Rock), era como dar LSD a um macaco e colocá-lo para tocar. Ele era puro hype, uma "larger than life persona".

Sim, ele tinha "estilo", mas John Bonham tinha não só estilo como também efetivamente era um grande baterista. No entanto, os dois passam vergonha para Buddy Rich (sim, já estamos aqui no Jazz), o cara com uma técnica, um estilo e um fraseado baterístico únicos, um verdadeiro gênio do instrumento, capaz de improvisar brilhantemente sempre que quisesse.
 
Mensagens
5.367
Curtidas
12.853
Pontos
363
#13
Se tem um baterista "overhyped" na música, este alguém é o Keith Moon. Ele é a fusão do "personalismo com a meritocracia", onde um se torna praticamente indistinguível do outro. Moon como solista, atributo este que sempre foi valorizado num baterista (sem falar de Rock), era como dar LSD a um macaco e colocá-lo para tocar. Ele era puro hype, uma "larger than life persona".

Sim, ele tinha "estilo", mas John Bonham tinha não só estilo como também efetivamente era um grande baterista. No entanto, os dois passam vergonha para Buddy Rich (sim, já estamos aqui no Jazz), o cara com uma técnica, um estilo e um fraseado baterístico únicos, um verdadeiro gênio do instrumento, capaz de improvisar brilhantemente sempre que quisesse.
Pra mim o bonham é o melhor baterista de rock and roll. Logo após com roger taylor do queen, keith moon do who, e gosto muito do densmore do doors.

Mas gênio de verdade é o buddy. Ta loco
 
Mensagens
507
Curtidas
765
Pontos
143
#14
Pra mim o bonham é o melhor baterista de rock and roll. Logo após com roger taylor do queen, keith moon do who, e gosto muito do densmore do doors.

Mas gênio de verdade é o buddy. Ta loco
O Carter Beauford (Dave Matthews Band) é mais novo e no mesmo nível desses aí. Só não chega nos idos de Buddy Richard e Elvin Jones da vida..
 
Mensagens
9.523
Curtidas
10.420
Pontos
439
#16
Se tem um baterista "overhyped" na música, este alguém é o Keith Moon. Ele é a fusão do "personalismo com a meritocracia", onde um se torna praticamente indistinguível do outro. Moon como solista, atributo este que sempre foi valorizado num baterista (sem falar de Rock), era como dar LSD a um macaco e colocá-lo para tocar. Ele era puro hype, uma "larger than life persona".

Sim, ele tinha "estilo", mas John Bonham tinha não só estilo como também efetivamente era um grande baterista. No entanto, os dois passam vergonha para Buddy Rich (sim, já estamos aqui no Jazz), o cara com uma técnica, um estilo e um fraseado baterístico únicos, um verdadeiro gênio do instrumento, capaz de improvisar brilhantemente sempre que quisesse.
Realmente, Buddy Rich, bem lembrado, já conhecia ele mas esqueci de mencionar.
Vamos ilustrar:

Nesse vídeo a fritação começa nos 2:50, mas vale ver do começo para ver o contexto.


Fiquei sabendo que bateristas ficam surdos por causa do barulho do instrumento musical mesmo. é veridico?
Ao longo dos anos, tocando em uma acústica sem os Muffler(abafador de colocar na orelha), ocorre perca da capacidade auditiva, não que fique completamente surdo.
 

Vei pescador

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
21.053
Curtidas
14.631
Pontos
714
#19
Realmente, Buddy Rich, bem lembrado, já conhecia ele mas esqueci de mencionar.
Vamos ilustrar:

Nesse vídeo a fritação começa nos 2:50, mas vale ver do começo para ver o contexto.



Ao longo dos anos, tocando em uma acústica sem os Muffler(abafador de colocar na orelha), ocorre perca da capacidade auditiva, não que fique completamente surdo.
Já descobriram de q planeta era a tecnologia da mão esquerda do Buddy Rich ? Desse mundo é q nao é
 
Mensagens
4.554
Curtidas
5.494
Pontos
303
#21
Já descobriram de q planeta era a tecnologia da mão esquerda do Buddy Rich ? Desse mundo é q nao é
É vero. Aquela mão esquerda é a nona maravilha do mundo. Já vi alguém a comparando aos pés de Fred Astaire. A sua dinâmica "sensibilidade" ao tocar jazz é qualquer coisa de extraordinária. Os acentos colocados, por vezes quase inaudíveis, idem. É o tipo de coisa que não parece nascer da prática, mas já ter nascido pronta. Estudo Buddy Rich já há muitos anos. Sempre foi uma das minhas obsessões. A sua capacidade de simplesmente se sentar no kit e produzir um dos melhores solos de todos os tempos é única.

A maioria dos grandes bateristas tem sorte se produzir um único solo em sua vida entre os mais extraordinários, mas, para Buddy, isto era simplesmente algo rotineiro. Não é só a sua velocidade (por si só, temos um bom número de bateristas hoje que são mais rápidos). A questão é a combinação de tudo isso (ou simplesmente a combinação entre uma técnica impecável e uma criatividade impecável e rotineiramente espontânea). Tendo isto em vista, ele foi simplesmente único. Até hoje.
 

color kid

Habitué da casa
Mensagens
128
Curtidas
284
Pontos
98
#22
O que faz ele ser um gênio é o hype


Buddy Rich já era muito mais foda, mas também é overrated. Elvin Jones é da mesma época, bem melhor e ninguém se lembra dele (já que ele não era um "showman" que nem o Buddy)
 
Mensagens
9.523
Curtidas
10.420
Pontos
439
#23
Já descobriram de q planeta era a tecnologia da mão esquerda do Buddy Rich ? Desse mundo é q nao é
Até hoje não vi ninguém com a mesma técnica de blast dele, tem alguns bateristas de technical deathcore porém são bem lineares, não tem a "fluência" que o buddy tinha pra técnica de blasts.
 
Mensagens
4.554
Curtidas
5.494
Pontos
303
#24
O que faz ele ser um gênio é o hype


Buddy Rich já era muito mais foda, mas também é overrated. Elvin Jones é da mesma época, bem melhor e ninguém se lembra dele (já que ele não era um "showman" que nem o Buddy)
Este é um equívoco comum. Com certa frequência (e de forma absolutamente errônea), os jazzístas meio que têm que escolher entre uma falsa dualidade: de um lado a "arte propriamente dita" (na percussão, geralmente representada por Joe Morello, Max Roach, Elvin Jones, Gene Krupa ou Louie Bellson), e do outro o "mero entretenimento" ou a "mera exibição técnica" (geralmente oposicionalmente representados por Buddy Rich).

Maior bobagem não poderia ser pronunciada. Buddy podia tocar "tudo" (situado dentro do jazz), com um swing maravilhoso, sem falar que era excelente com os brushes, e podia tocar de modo tão suave e cheio de feeling quanto qualquer um (sem contar que o seu brilhante fraseado era todo espontâneo). Outro fator que escusamente se mete num julgamento mais "objetivo" é o lado pessoal.

É normal pessoas preferirem Louie Bellson à Buddy Rich (em vídeos do primeiro, é claro) com argumentos igualmente patéticos cujo verdadeiro fundo de verdade é uma vingança de personalidade (ao passo que Buddy é punido pela sua personalidade abrasiva, intolerante e violenta, Bellson é exaltado por ser praticamente o seu oposto - o problema é que a "personalidade" de Louie não o fazia tocar melhor, isto é só mais um ad hominem camuflado de julgamento justo e objetivo). Buddy não era "apenas técnico", mas sim incrivelmente musical na sua abordagem técnica.

Há muitos bateristas técnicos no mundo, mas nem todos sabem o que fazer com a sua técnica para torná-la aparente e um valor em si mesmo (mas para Buddy isto não era um problema). Um baterista com um swing excelente e um fraseado de deixar-nos boquiabertos, criando verdadeiras "estórias" em seus solos de bateria, de maneira alguma pode ser reduzido a um mero showman, uma "atração de circo" musical. Buddy foi um legítimo gênio de seu instrumento. Nada mais, nada menos.
 

Topo