O que há de Novo?
  • Novo tema VIP está disponível
    Visitante, um novo tema com fundo escuro agora está disponível para aqueles que contribuíram com doações ao fórum e têm o status VIP. Veja os detalhes aqui.


Robô trans é criada para falar com jovens sobre sexo, gênero e prevenção ao HIV

4 Ton Mantis

Bam-bam-bam
Mensagens
13.595
Reações
8.999
Pontos
474


A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em parceria com a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Federal da Bahia (UFBA), criou uma personagem para se aproximar do público jovem e falar de assuntos como gênero, sexualidade e prevenção ao HIV. Trata-se de Amanda Selfie, uma roboa (como ela mesma diz) trans. O objetivo é levar homens gays e mulheres trans ou travestis de 15 a 19 anos a participarem de uma pesquisa de prevenção ao HIV.

A pesquisa consiste, basicamente, na verificação do uso e a eficácia da Profilaxia Pré-Exposição ao HIV (PrEP) como método preventivo ao vírus. A medicação, que já se encontra disponível no Sistema Único de Saúde (SUS), atualmente é voltada apenas a maiores de idade. Portanto, a proposta do projeto é que agora a eficácia seja testada entre os jovens, recrutados até o fim do ano. A pesquisa almeja acompanhar um grupo de cerca de 700 jovens.

O projeto se desdobra da seguinte maneira: os jovens participantes vão tomar o medicamento diariamente, durante o período de dois anos. Antes disso, no entanto, acontecem rodas de conversas com especialistas, além de testes frequentes de HIV.

A Faculdade de Medicina da UFMG aponta que o público-alvo da pesquisa não frequenta os serviços de saúde por não se sentir bem acolhido, e isso acaba potencializando o risco de infecção. O papel da Amanda Selfie frente a tudo isso é interagir com os jovens através das redes sociais da pesquisa e tirar dúvidas sobre sexo, prevenção contra as infecções sexualmente transmissíveis (IST), cultura LGBTQI+, gênero e orientação sexual. Uma das maiores características da personagem é o uso de gírias em pajubá (dialeto de origem iorubá usado pela comunidade LGBTQI+).


Vale ressaltar que a indicação do medicamento é feita somente pelos médicos nas unidades de saúde. Critérios como o número de parceiros sexuais, episódios repetidos de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) e utilização de outros métodos preventivos também são levados em conta.


Fonte: G1
 




Baneman

Ei mãe, 500 pontos!
Mensagens
10.215
Reações
13.419
Pontos
553
A pesquisa consiste, basicamente, na verificação do uso e a eficácia da Profilaxia Pré-Exposição ao HIV (PrEP) como método preventivo ao vírus.
Alguma alma Sancta me explica a necessidade de uma profilaxia pré-exposicao?

Não é mais fácil encapar o pau?

Enviado de meu SM-G9600 usando o Tapatalk
 

Tokai

Bam-bam-bam
Mensagens
1.506
Reações
2.825
Pontos
303
Pensei que era um chat bot aberto para todos, queria saber quanto tempo ia demorar para o robô me chamar de opressor.
 

Rel666

Bam-bam-bam
Mensagens
2.200
Reações
3.044
Pontos
339
Alguém sabe me dizer porque toda vez que se representa um individuo trans sempre parece um alienígena de pele colorida que comprou um óculos num camelo por R$5,00?
 

Piroclasto

Bam-bam-bam
Mensagens
2.776
Reações
1.040
Pontos
259
:facepalm. Fico com pena do pessoal que rala na pós pra desenvolver alguma inovação e vem esses trabalhos de merda que ganham credibilidade na mídia.
 

MobiusRJ

Bam-bam-bam
Mensagens
9.528
Reações
14.286
Pontos
384
Dinheiro público gasto com merda.

Aí depois eles vem chorar quando rola corte de verbas.

Enviado de meu Redmi 5 Plus usando o Tapatalk
 
Topo